Fórum dos Leitores

CORRUPÇÃO

O Estado de S.Paulo

14 Junho 2016 | 03h00

Leniência partidária

A notícia de que alguns militantes petistas analisam a ideia de solicitar ao Ministério Público Federal (MPF) um acordo de leniência partidária me causa verdadeira repulsa. Está claro que criminosos como José Dirceu e João Vaccari Neto tentam utilizar tal acordo como um escudo, na tentativa de desviar todo o ônus de seus crimes para o partido e verem suas penas serem diminuídas. São estes criminosos comuns que saquearam os cofres públicos com objetivos distintos: enriquecimento pessoal e perpetuação no poder. O PT faz mágica, mas seria muito difícil de levantar tantos recursos para quitar um acordo deste porte. Espero que o MPF não dê ouvidos a essa utopia. Já não bastam as empreiteiras que pintaram e bordaram com acordos de leniência? O crime compensa? Vejamos nas cenas dos próximos capítulos...

EDUARDO FOZ DE MACEDO

efozmacedo@gmail.com

São Paulo

Malandragem

A ideia de criar uma “leniência partidária” não passa de malandragem. Ela pretende salvar os corruptos da inteira responsabilidade por seus atos e atribuir boa parte ao “sistema”. Se aprovada essa excrescência, empresários sonegadores poderão afirmar que burlaram o Fisco e causaram prejuízo de bilhões aos cofres públicos, mas a culpa é também do “sistema” de um Estado voraz com os cidadãos. Se aprovado esse escudo, significa que o criminoso continuará roubando, estuprando, matando e culpando o sistema, que não lhe proporcionou oportunidades? Ela também pode abrir um precedente para aqueles que são honestos e sempre pagaram seus impostos em dia a não pagá-los, atribuindo ao sistema a má gestão? Se querem acabar com a Operação Lava Jato, este será o caminho que os poderosos usarão para se livrarem de seus crimes. É inaceitável tal ideia. Tenham juízo, senhores responsáveis pelo cumprimento das leis. Não vamos permitir que a Lava Jato seja enterrada.

IZABEL AVALLONE

izabelavallone@gmail.com

São Paulo

DILMA ROUSSEFF

A conta do primeiro mês

Completou-se um mês que Dilma Rousseff se hospedou no Palácio da Alvorada como presidente afastada, e a conta que nos foi apresentada desse período é de estarrecer. Foram pagos o salário integral de Dilma (R$ 38.049,68), como os de seus assessores (R$ 312.536,48). Além disso, foram gastos com diárias e passagens para três viagens o total de R$ 113.100,59, aos quais se somam alimentação, equipe médica, staff para copa, cozinha, limpeza, celulares, manutenção de veículos, internet, telefonia e vários outros et ceteras. Dilma consumiu, segundo dados oficiais, o equivalente a R$ 650.708,33 no período entre 13 de maio e 8 de junho! Esses dados nos fazem considerar um fato simultâneo: as comemorações de dois meses pelo aniversário da rainha Elizabeth II. Não sabemos o montante dos gastos com esse evento, mas a Inglaterra é um país desenvolvido onde a rainha não governa de fato, mas está há 63 anos no trono e tem a aprovação de 76% dos britânicos, enquanto o Brasil é subdesenvolvido e a “rainha” Dilma tem só 7% de aprovação. Na Coluna do Estadão de ontem, Aécio Neves dizia que “a volta de Dilma à Presidência é inviável por não ter condições políticas”. Nem morais, eu acrescento.

CARMELA TASSI CHAVES

tassichaves@yahoo.com.br

São Paulo

ATAQUE NOS EUA

Luto em Orlando

Mais um triste episódio de sucessivos ataques que vêm atormentando a humanidade nos últimos tempos. Desta vez, um atirador matou 49 pessoas e foi morto pela polícia numa boate gay em Orlando, nos EUA. Um terrível ataque, justamente no dia em que se comemorariam, em diversas paradas naquele país, o amor e a fraternidade entre pessoas que se amam. É para refletir o porquê de tanto ódio e onde a humanidade vai parar.

GIOVANI LIMA MONTENEGRO

giovani.limamontenegro@gmail.com

São Paulo

Armas nos EUA

Nos últimos 50 anos, desde o famoso atirador da torre na Universidade do Texas, em agosto de 1966, foi registrado um ataque com arma de fogo a cada duas semanas, em média, nos EUA, de acordo com a base de dados do FBI. Os massacres provocam indignação momentânea, mas o porte de arma é garantido pela Constituição norte-americana. As tragédias são incorporadas rapidamente às estatísticas e, depois, são logo esquecidas. Enquanto isso, o lobby das armas pressiona os políticos e a imprensa pela manutenção do status quo da cultura da violência, propagada pelos filmes, para garantir a manutenção da venda das armas.

LUIZ ROBERTO DA COSTA JR.

lrcostajr@uol.com.br

Campinas

COPA AMÉRICA

Mais um vexame

A eliminação do Brasil na Copa América, em derrota para o Peru, deixa evidente a incompetência dos técnicos brasileiros de futebol. A propósito, os técnicos brasileiros pouca influência tiveram nas Copas conquistadas pelo Brasil; os jogadores é que fizeram a diferença. Em 1958, dizem que Vicente Feola até dormia durante os jogos. Em 1962 a seleção era praticamente a mesma. Já em 1970, alguém acredita que Zagallo teria coragem de contrariar Pelé, Tostão, Gerson e Carlos Alberto? Felipão e Parreira sempre foram medíocres. Basta olhar, ainda, para o incipiente futebol chinês, onde foram parar os melhores técnicos brasileiros e de onde estão sendo dispensados por incompetência. Não estaria na hora de pensar num técnico estrangeiro para a seleção?

JOSÉ ROBERTO DE JESUS

zerobertodejesus@gmail.com

Capão Bonito

Seleção brasileira pentacampeã mundial, quem te viu, quem te vê. Vergonha!

J. S. DECOL

decoljs@gmail.com

São Paulo

Seleção e inovação

Para a seleção brasileira voltar a ser o escrete campeão, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) deve compreender e acreditar na competitividade e na globalização. Hoje em dia, todo mundo conhece o jogo de todo mundo. Portanto, o Brasil, além de ser a tradicional mina de bons jogadores de futebol, precisa ser também a inovadora lapidação de talentos. Assim, técnico, coordenador, médico, paramédicos e preparadores escolhidos precisam aplicar em seu trabalho os modernos cinco caracteres da competitividade, os 5 Cs: capacitação, cooperação, comunicação, compromisso e confiança. Esporte, além de ser arte, cultura e vocação, hoje também é ciência, tecnologia e gestão. Vamos inovar e avançar. Nunca é tarde para recomeçar.

PAULO CESAR BASTOS

paulocbastos@bol.com.br

Salvador

 

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

O CHORO DE LULLA

O performático ex-presidente Lulla discursou para uma plateia escolhida a dedo nesta manifestação ocorrida na Av. Paulista, no dia 10/6. Ao seu lado estava o seu fiel escudeiro e figura bizarra Rui Falcão. É do conhecimento geral que na Democracia prevalece a vontade da maioria, que já deixou claro o desejo de ver Dilma longe da presidência. Nosso herói Macunaíma chorou duas vezes durante seu discurso, apelando para o lado emotivo das pessoas, falando de sua genitora e por não aceitar que tentem incriminá-lo. Lulla vai chorar de verdade quando for passear em Curitiba.

Henrique Schnaider hschnaider4@gmail.com

São Paulo

*

INDEFINIÇÃO

Dilma não apareceu na manifestação contra Temer na Paulista simplesmente por medo de sentir a realidade contra ela, em especial saber o que pensa o paulistano. Um ato covarde, atitude comum de quem não tem consideração pelo povo que, enganado, a elegeu. Ufa! Esse impeachment tem que acontecer logo, não suporto mais essa situação de indefinição. O Temer precisa ter toda a abertura para governar.

Laert Pinto Barbosa laert_barbosa@globo.com

São Paulo

*

TROCA DE PAPEL

Tudo indica, por suas atitudes, que Lula trocou o projeto de líder popular pelo projeto de mártir!

Francisco José Sidoti fransidoti@gmail.com

São Paulo

*

SÓ MENTIRAS

As pessoas deveriam ouvir os discursos de Lula com ele conectado a um detector de mentiras. Ele vive delirando em seus discursos...

Luíz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo

*

OPOSIÇÃO

Após 13 anos voltamos a ter oposição no País, basta ver os protestos que tivemos contra Michel Temer, que contou com a ilustre presença de Lula, mobilizações estas que também ocorreram em 24 capitais e no Distrito Federal. Aliás, é a única coisa que o PeTelulismo sabe fazer muito bem, além de vandalismo, baderna, arruaça, né não?

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

PERIGO EM 2018

Em inflamado e rouco discurso na Avenida Paulista (10/6), no ato batizado de "fora Temer", Lula disse, em alto e bom som, que “quanto mais me provocam, mais corro o risco de ser candidato a presidente em 2018". É bom que se diga que quem, de fato, corre o risco é o Brasil.

Xô, Lula e PT, até nunca mais!

J. S. Decol decoljs@gmail.com

São Paulo

*

SOBRE O DISCURSO DO CHEFE

Prendam logo o "um" dos trezentos e um picaretas já antigos. Ou seria o número "um"? 

Nelson Pereira Bizerra  nepebizerra@hotmail.com

São Paulo

*

LULA CHORA NA PAULISTA

Pobre Lulla. Se em São Paulo chorou de frio, imagina em breve no inverno de Curitiba.

Ricardo Martins rctmartins@gmail.com

São Paulo

*

LÁGRIMAS DE CROCODILO

Li "consternado" na edição do Estadão de 11/6, A7, que Lula mais uma vez caiu no chororô. Será que alguém em sã consciência acredita nesse "teatro" prosaico, ultrapassado enganador? Por que Lula, ao invés de tentar ludibriar o povo brasileiro, não derrama "lágrimas de sangue", pensando nos milhões de brasileiros desempregados (14 milhões!), que acreditando nas mentiras e em seus prosélitos, enfrentam agora a  dura, triste e vexatória situação de desumanidade causada pelo

lulopetismo? Até quando, Lula? Por que não te calas? 

L.A. Garaldi de Almeida lagaraldi@uol.com.br

São Paulo

*

FAZ QUEM SABE

O governo Temer completa seu primeiro mês. Não se pode dizer que se trata de um governo brilhante e popular. Seu mérito foi focar naquilo que se tornou o calcanhar de Aquiles do governo Dilma e o tornou inoperante: a economia do País. Por se tratar de governo ainda interino e dependente de aprovação final, Temer pisa em ovos. Evita o desgaste ao não propor um plano, cujo conteúdo poderia conter medidas controversas ou impopulares. Na verdade há no ar um rumor sobre implantação de medidas econômicas de viés simplista, para tapar o buraco em que Dilma nos colocou, aumentando impostos. Isto aconteceria numa fase posterior com o governo aprovado e confirmado pelos demais poderes do País. No passado problemas financeiros da mesma natureza foram resolvidos assim. No entanto hoje a aplicação desta alternativa se torna menos óbvia, uma vez que a população evoluiu e, portanto, tende a exigir medidas geradoras de economia a partir de novas perspectivas, uma delas um modelo de Estado mais enxuto, menos burocrático e mais eficaz em suas respostas à população. Que a equipe econômica aplique sua aplaudida competência em medidas inovadoras, criativas e realmente favoráveis ao desenvolvimento econômico do País.

Sergio Holl Lara jrmholl.idt@terra.com.br

Indaiatuba 

*

DEPOIS DA TEMPESTADE

O presidente Michel Temer está em uma situação difícil porque precisa ceder às exigências do Congresso para aprovar as medidas necessárias e colocar o País nos trilhos. A qualidade dos parlamentares não é das melhores e ele está refém desta situação. O povo não percebe os movimentos políticos do presidente interino; ele é um grande negociante, descendente de libaneses, com sangue árabe; desde antes de Cristo é um povo de sabida capacidade mercantil. Tenho confiança e esperança de que Temer conseguirá atravessar estas águas turbulentas da política e chegar à bonança para terminar seu mandato como um herói da República. 

Mário Negrão Borgonovi marionegrao.borgonovi@gmail.com

Rio de Janeiro 

*

UM INTERINO QUE TRABALHA

Sob pressão, já que ainda não está consumado o impeachment da Dilma, o interino presidente Michel Temer, além de manter uma agenda frenética de encontros com políticos, entidades do setor privado e dos trabalhadores, faz com que também a sua competente equipe econômica trabalhe diuturnamente para viabilizar as medidas básicas e de grande alcance na linha da austeridade para recuperar a confiança dos agentes econômicos.  Um projeto dos mais aguardados é o da definição do limite dos gastos do governo, que no entender de Meirelles deve ser atrelado à meta para dívida pública. E seria prudente que esse limite de gastos permaneça por alguns anos, até que as contas públicas apresentem superávit primário consistente, acompanhado de crescimento econômico robusto. E com grande acerto o presidente antecipa suas propostas aos líderes do Congresso e entidades empresariais, para que a aprovação siga em regime de urgência e sem atropelos!   Ou seja, é um novo governo perseguindo a reconstrução deste país abandonado pelo PT.

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

 

*

A PÉTRIDA POLÍTICA E A DESIGUALDADE

Enquanto o deputado Eduardo Cunha, acuado, ameaça outros congressistas para se manter no poder, mendigos morrem de frio ao relento em São Paulo, por causa da ausência de políticas públicas efetivas. É esse o Brasil que queremos? Que a resposta comece a ser dada nas eleições de outubro próximo. 

Maria Lucia Ruhnke Jorge mlucia.rjorge@gmail.com

Piracicaba 

*

CONSELHO

No Programa Roda Viva da TV Cultura Roberto Jefferson, que passara pelo constrangimento da prisão, aconselhou Eduardo Cunha a fazer delação premiada em sua proteção e de sua "famiglia". Devaste a "cosa nostra".

Arnaldo Ravacci arnaldoravacci05@gmail.com

Sorocaba

*

TRANSFERÊNCIA DA DÍVIDA

O Estado do Rio mais uma vez recorre ao parcelamento dos salários dos servidores. Transfere para o servidor, que não tem culpa nenhuma desta situação, o problema de má gestão. Não foi o servidor que concedeu incentivos fiscais sem critérios para as empresas. Não foi o servidor que elaborou um orçamento inexequível com receita de royalties fictícia, em cima de uma cotação fictícia do barril do petróleo. Não tem culpa o servidor se o Estado não tomou providências há mais tempo, vendo que a sua despesa não cabia numa receita superestimada. O parcelamento dessa vez só não atinge a Secretaria da Educação, todos os demais órgãos terão seus vencimentos parcelados, o que já está gerando revolta e protestos. Repito, mais uma vez, punem quem não tem culpa: o servidor. Enquanto o culpado não está nem aí. Curte sua casa em Mangaratiba e não quer nem saber. 

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

MURRO EM PONTA DE FACA

Erundina e Valente do PSOL formarão a chapa que vai disputar a Prefeitura de São Paulo. A história já mostrou que o socialismo não funcionou em lugar algum, mesmo assim, existem aqueles que gostam de dar murro em ponta de faca.

José Alcides Muller josealcidesmuller@hotmail.com

Avaré

*

ONDE ESTÁ O ISLÃ PACÍFICO? 

O momento exige mais do que mera atenção aos fatos do massacre em Orlando, que resultou na morte de 50 pessoas e ferimento de outras 53. Assassinatos em massa reivindicados pelo Estado Islâmico ocorrem quase que semestralmente e a cada vez que se repetem perdemos a oportunidade de debater as questões centrais e mais complexas acerca do extremismo religioso. Não restam dúvidas de que apenas uma pequena parcela dos muçulmanos adere ao jihadismo, no entanto, ainda é válido o seguinte questionamento: onde está o Islã pacífico? E mais: o que ele tem feito para repudiar o extremismo? Afinal, em quantos países que têm essa religião como oficial há plenitude de direitos e democracia sólida? Será que o Islã está apto a conviver com os valores da cultura Ocidental? 

Elias Natal elias.natal@hotmail.com

Nepomuceno (MG)

*

CONTROLE DE ARMAS

O novo massacre por um só terrorista, com 50 mortes e 53 feridos nos EUA, é de uma brutal realidade, que atinge a todos. Urge assim que todas as lideranças globais se unam no sentido de impor um controle rígido no comércio de armas em todo o planeta. Somente assim haverá possibilidade de haver uma diminuição desses verdadeiros homicídios em massa, que a dita liberdade de posse de tais armamentos produz. 

José de Anchieta Nobre de Almeida josedalmeida@globo.com

Rio de Janeiro

*

MASSACRE EM ORLANDO

Não resolve nada dizer que o Islã proíbe matar inocentes, como não adianta o argumento da NRA (Nacional Rifle Associativo) de que é o homem quem puxa o gatilho. O matador de Orlando era um muçulmano e a extrema facilidade de comprar armas nos EUA, inclusive rifles pesados (AR-15!), foi decisiva para provocar este e outros massacres. 

Omar El Seoud elseoud.usp@gmail.com

São Paulo

*

BARBÁRIE NOS EUA

A propósito de massacres como este, Paulo Francis já dizia nos anos 80 que os EUA são um país maravilhoso, mas têm muito louco solto. O lobby da indústria de armas no Congresso americano vai bem, obrigado. 

Luiz Henrique Penchiari lpenchiari@gmail.com

Vinhedo

*

EDUCAÇÃO SEXUAL

O Cardeal Arcebispo de São Paulo, Dom Odilo Scherer, perguntou em seu artigo (11/6, A2): “Educação Sexual: quem fala hoje dessas coisas?” O Cardeal falou! E falou com tanta competência, lucidez e profundidade crítica, que seu artigo oferece material para uma grande reflexão a respeito. Confesso que comecei a ler imaginando que encontraria a mesmice com que se trata esse assunto, de modo geral, na mídia, mas fui fortemente surpreendida pela abrangência crítica e pela coragem de assim manifestar-se. Os intelectualmente honestos, ao menos, reconhecerão a força de seus argumentos. Efusivos parabéns ao Estadão que proporcionou ao Cardeal espaço para tais ponderações. 

 

Sueli Caramello Uliano scaramellu@terra.com.br

São Paulo

*

PERU DERROTOU ‘NO BRAÇO’  A SELEÇÃO 

Não há discussão sobre o escandaloso o gol de braço feito pelo boleiro peruano que derrotou e provocou a saída da seleção brasileira da Copa América, mas, quem esperava algo dos badaladíssimos Lucas Lima e Gabigol  caíram do cavalo! A rigor  parece ter se salvado apenas o Gil como um “xerife” ali na zaga central, onde barrou quase todas as investidas peruanas. Quanto ao Dunga, depois de tomar o gol fez uma substituição errada e  deixou duas no bolso sem tentar mudar as coisas! Nesta semana provavelmente a mídia esportiva gritará pela saída do Dunga e trocar por Tite, que eu apoio porque acho que seu tempo no Corinthians já passou. Para nós corintianos o domingo foi de decepção dupla, porque conseguimos perder um jogo no qual a teimosia do Tite prevaleceu como sempre, quando mantém um Luciano que igual a Romero e André não passam de momentos de "brilhareco"  numa partida para ficar dez outras apagadas. Porque não cobrar  o clube para que  Pato venha treinar e jogar, já que recebe um salário altíssimo para fazer nada? Também passa da conta sua teimosia em recorrer ao Danilo, outro de brilho também raríssimo, mas que ele julga ser um talismã.  Até   hoje, a teimosia de Tite só recuperou um boleiro, Jadson, mas este tinha cacife. O duro foi  ouvir o comentarista de o Sportv reclamar  a entrada do André como solução! Meu Deus, quanto mais assisto a futebol parece que menos entendo quando ouço  um desses comentaristas sair com tal besteira!

Laércio Zanini  spettro@uol.com.br

São Paulo

*

É HORA DE JUNTAR OS CACOS

Depois do fiasco é hora da natural e justa indignação. Entrelaçadas por opiniões sensatas, ressentidas, tolas e rasteiras. É hora de juntas os cacos. A cólera da paixão exagerada e a rispidez da emoção, não podem tomar o lugar da análise equilibrada e isenta. O debate precisa ser engrandecido e valorizado com argumentos precisos e sugestões qualificadas. Evidentemente que, se o Brasil continuasse disputando a Copa América, ninguém estaria perplexo nem revoltado com Dunga. A vitória e o sucesso geralmente contribuem para anestesiar os erros. Até mesmo os mais acentuados. No futebol não é diferente. Nas vitórias da seleção ninguém lembra ou exalta os esforços da CBF.  Nas derrotas, todavia, a CBF é madrasta do rosário de insucessos da humanidade. Seguramente que a CBF não vai insistir com Dunga. Errar faz parte de quem objetiva acertar. Insistir nos erros é burrice. Espera-se que Neymar comece a jogar bem na seleção. Já passou da hora. Por enquanto é apenas um melancólico falastrão das redes sociais, digitando baboseiras contra jornalistas, por não endossarem suas bazófias. Muito menos são culpados, se até agora se mostrou apenas um medíocre de luxo com a camisa amarelinha. 

Vicente Limongi Netto limonginetto@hotmail.com

Brasília

*

VAI, BRASIL!

A julgar pela apresentação da seleção (será mesmo?) brasileira de futebol e andamento das obras, alguém tem dúvidas de que o País está pronto para sediar as Olimpíadas?

Marco Dulgheroff Novais marcodnovais@hotmail.com

São Paulo

*

PERU E BRASIL

O Peru perderá por goleada hoje por causa da fraude cometida pela junção do crime organizado entre todos os políticos corruptos que tem medo de Fujimori. O fraco deles é o futebol e assim como Lula do Brasil não ganhou um título em 14 anos de pé, o Peru não passará para a segunda fase desta Copa América. Os corrompidos não merecem comemorar. Faz mal para o povo.

 

 

Anyo Maru inacioinostroza@zipmail.com.br

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.