Fórum dos Leitores

CORRUPÇÃO

O Estado de S.Paulo

06 Julho 2016 | 03h00

‘Lava Jato sob ameaça’

Sob o título acima o Estado publicou ontem excelente editorial (A3) tratando do intuito dos políticos suspeitos de crimes contra a res publica de se entenderem para acabar com as investigações, deixando-os livres de qualquer penalidade. Contra tal torpe procedimento da classe política o jornal aventa “a justa indignação das pessoas de bem do País expressa num clamor popular contra essa obscenidade”. Se nossos políticos tivessem vergonha na cara, a atitude popular seria eficiente. Infelizmente, essa não é a realidade de nossa decadente e putrefata República.

MÁRIO RUBENS COSTA

costamar31@terra.com.br

Campinas

Infelizmente, a esperança de alguns partidos em via de extinção e seus cabeças na cadeia está se esvaindo, mas em contrapartida estamos desvelando como as estatais podem ser assaltadas oficialmente. As organizações do Estado da administração direta são violadas pelo loteamento político, resultando em serviços públicos precários em educação, saúde, segurança, transportes, saneamento, etc. A ligação das indicações políticas para os cargos de confiança e em comissão com a precariedade dos serviços públicos “está em investigação desde a República Velha, mas nada foi confirmado”. A disputa honrosa dos partidos (quadrilhas?) pelas organizações do Estado (federais, estaduais e municipais) esgota a capacidade de contribuição do Congresso, das Assembleias Legislativas e das Câmaras Municipais. É necessária legislação que evite a exaustão dos partidos e seus políticos.

DARCY ANDRADE DE ALMEIDA

dalmeida1@uol.com.br

São Paulo

Aquele abraço

Parece que nada ficou livre da roubalheira patrocinada ou facilitada pelos desgovernos petistas. Agora se sabe por que um dos últimos atos de Lula “em defesa” do pré-sal e da Petrobrás foi o abraço dele, do pessoal da CUT, da UNE, da FUP, do MST, etc., à sede da empresa no Rio de Janeiro, às vésperas das eleições de 2014. O ex-presidente, os sindicalistas e demais cumpanheiros apenas defendiam mais um “ganha-pão” dos corruptos que assolaram e destruíram o País. É isso que mostra a 31.ª fase da Lava Jato, a chamada Operação Abismo. Os políticos de bom senso que se apressem e nos livrem logo de Dilma, Eduardo Cunha, Waldir Maranhão e outros mais que ajudaram a promover ou facilitaram a derrocada do Brasil.

ÉLLIS A. OLIVEIRA

elliscnh@hotmail.com

Cunha

Diferente de tudo

Lula sempre disse que o PT nasceu para ser diferente. E é, ao longo de sua existência transformou sindicalistas medíocres em poderosos políticos. A última “agradável” surpresa foi descobrir que o deputado federal Marco Maia (RS), também ex-torneiro mecânico, está envolvido em corrupção pesada (ap. em Miami). Lula, o sumido, tem razão, o PT é diferente: rouba na caradura, coloca juízes em todas as instâncias para favorecer o partido, apresenta-se como vítima de perseguição e continua a ser o partido dos pobres... otários!

JOSÉ ROBERTO IGLESIAS

rzeiglesias@gmail.com

São Paulo

Baticundum

Os petistas não se deram conta de que incluir no desfile uma ala de ladrões atravessaria o samba.

A. FERNANDES

standyball@hotmail.com

São Paulo

LULOPETISMO

Deletério Foro de São Paulo

Cumprimentos pelo editorial (Do que o País vai se livrar, 4/7, A3) sobre a ligação entre o PT e o Foro de São Paulo. Mas há outros partidos e entidades bancados pelas esquerdas brasileiras que participam do Foro. Assim, seria de bom alvitre fazer esse alerta à sociedade brasileira. Aparentemente estão mortos, mas podem-se comparar a vampiro: para ter a certeza de estar morto é preciso cravar uma estaca no peito, bem no coração!

MARCO ANTONIO ESTEVES BALBI

mbalbi69@globo.com

Rio de Janeiro

Pavor

Assisti a um vídeo em que Lula enaltece a atuação do Foro de São Paulo nas últimas décadas, no sentido de consolidar a democracia e promover a ascensão social dos pobres da América Latina, mencionando ainda uma ameaça à sua continuação vinda de segmentos, segundo ele, golpistas de vários países da região, com ênfase no processo em curso envolvendo Dilma Rousseff, que, ressaltou escandindo as sílabas, não cometeu crime algum. Esquecendo-se de citar o aparecimento por aqui, após essas décadas, da enorme massa de desempregados, da miséria em expansão, dos tétricos esquemas de corrupção, da bancarrota econômica e do aparelhamento de instituições e estatais com o objetivo explícito de concretização de poder, num ataque frontal à democracia, essa fala constitui a maior peça de cinismo exibida nos últimos tempos. É apavorante!

PAULO ROBERTO GOTAÇ

prgotac@hotmail.com

Rio de Janeiro

Malabarismo

O ex-ministro da Justiça e ex-advogado-geral da União José Eduardo Martins Cardozo luta desesperadamente para que Dilma Rousseff reassuma o poder. Para tanto ele está se tornando um verdadeiro professor Girafales do Direito, fazendo uso de pirueta retórica (expressão criada pelo próprio Cardozo). Essa batalha tem dois objetivos: Dilma presidente e ele outra vez ministro da Justiça.

J. A. MULLER

josealcidesmuller@hotmail.com

Avaré

JOGOS DE AZAR

Leviandade

A pretendida liberação dos jogos de azar no Brasil está sendo tratada de forma leviana. Cifras assombrosas desfilam, com os interessados diretos falando em quantos empregos serão criados e quantos investimentos serão realizados. Todavia falta dizer a verdade. Como em tudo o que diz respeito a jogo, somente a banca ganha. Assim, apenas os donos de cassinos ficarão ricos, com uns poucos empregos mal pagos criados, eis que ninguém abre um bingo ou mantém uma lotérica aberta para perder dinheiro. O custo dos jogos de azar no nosso país será pago por dezenas de milhões de famílias iludidas, que gastarão o seu dinheiro suado na esperança de sair da miséria. Pais de família contrairão dívidas monstruosas, acabarão ficando viciados na jogatina e perderão suas casas, seus carros... Alguns se suicidarão ou se entregarão a outros vícios e verão sua família destruída. O dinheiro do jogo fará falta no Brasil que trabalha e produz. Apelo a esses políticos irresponsáveis: não cometam esse crime contra o povo brasileiro!

LUIZ AUGUSTO MÓDOLO DE PAULA

luaump@yahoo.com.br

São Paulo

 

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

FARRA COM O DINHEIRO PÚBLICO

 

A impunidade estava tão disseminada antes do advento da Lava Jato que até escola de samba contou com dinheiro público endereçado a um centro do pré-sal, no Rio Grande do Sul, graças ao apoio do ex-tesoureiro do PT, cuja responsabilidade com a coisa pública foi plenamente demonstrada com esse ato. Não há dúvidas de que tais cidadãos precisam ser denunciados publicamente por nossa intimorata imprensa, especialmente pelo corajoso Estadão, além se sofrer o devido processo legal. Pouco a pouco o Brasil vai sendo passado a limpo.

José Carlos de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

*

PROTELANDO O COMBATE À CORRUPÇÃO

A Operação Lava Jato já avançou a 31.ª fase de investigação das ações criminosas do desgoverno petista. Enquanto isso, os juízes de primeira instância têm decidido e condenado os corruptos sem foro privilegiado e o Supremo Tribunal Federal vem protelando o combate à corrupção sistêmica no País, sem nem sequer prender preventivamente os políticos, com foro privilegiado, envolvidos em desvios de dinheiro público. É hora de o povo voltar a sair às ruas, exigindo as punições desses corruptos, antes que haja um acordão para livrá-los da cadeia, conforme alerta o editorial do Estadão desta terça-feira, intitulado “Lava Jato sob ameaça”. 

José Wilson de Lima Costa jwlcosta@bol.com.br

São Paulo 

*

‘LAVA JATO SOB AMEAÇA’

O editorial de ontem foi claro ao descrever as circunstâncias da ameaça de descontinuidade da Lava Jato pelos gatos gordos do Senado, Renan e Jucá à frente. Mas para mim é a contumaz a lentidão do Supremo Tribunal Federal (STF), que atrai todo tipo de manobra contra a Operação.

Ademir Valezi adevale@icloud.com

São Paulo 

*

CONTRADIÇÃO 

Triste contraposição: enquanto o juiz paranaense Sergio Moro pode ser considerado um verdadeiro paladino da Justiça, como há muito não se via no País, um bando de juízes do mesmo Estado, ao verem seus salários vultosos divulgados pela imprensa, reagem de forma despropositada, vingativa e rasteira contra os jornalistas responsáveis pela divulgação. Os magistrados fariam melhor pela honradez da sua toga e do seu Estado, se procurassem explicar de forma convincente seus generosos proventos. 

Luciano Harary lharary@hotmail.com

São Paulo

*

ROUBALHEIRA BRASIL

Dinheiro para grêmio recreativo, escola de samba e para propina petista... Olha os ladrões aí, gente!

A. Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

AS ‘PRIMAS’ DO PT

A Rose do Lula não é lá grande coisa, mas a Viviane do "cumpanheiro" Paulo Ferreira nada a declarar. Os tesoureiros passaram a perna na liderança.

Augusto César Furtado furtadocesar@hotmail.com

São Paulo

*

MORO PARA TUDO

A cada dia vemos uma nova denúncia da Lava Jato; parece que é a única investigação que funciona. Sugiro a Temer que nomeie Moro ministro da Justiça, chefe da Policia Federal (PF) e o indique a candidato à Presidência na próxima eleição. O povo está cansado de ser roubado pelos políticos. Chega!

Mário A. Dente eticototal@gmail.com

São Paulo

*

MUITO CUIDADO!

O povo brasileiro (honesto) subsiste hoje com duas crescentes preocupações. A primeira delas é a grande ameaça ao “status quo” da Lava Jato e de outras investigações, na medida em que grandes figurões políticos vão sendo atingidos por delações. O Estadão (5/7) denuncia com clareza um movimento no sentido de parar esse processo, por meio de acordos espúrios de uma espécie de leniência, o que não pode ser descartado ainda, de maneira alguma. Outra preocupação é um movimento de enfatizar o “golpe” (sic) mormente na imprensa internacional, que tem a intenção de garantir a volta da “presidenta Dilma”, ou de Lula em 2018. Este, no entanto, felizmente parece muito menos factível. Temos ainda o grande desserviço prestado por uma colunista, que, além de “inoportunamente”, criticar a tábua de salvação do governo Temer, diz nas entrelinhas, entre outras coisas, que “o crime compensa” para a delação premiada, que é exatamente o mote usado por Jucá para travar, impedir ou até anular as investigações em andamento e as que estão por vir.

 

Ulysses Fernandes Nunes Jr ulyssesfn@terra.com.br

São Paulo 

ESPERANÇA COM A LAVA JATO

Após três tentativas seguidas e infrutíferas, Lula conseguiu se eleger presidente. Em 2003, ao tomar posse, começou a formar sua base de apoios no Congresso e, em vez de procurar conversar com o PSDB para formar uma aliança programática, preferiu o apoio dos trezentos picaretas que havia encontrado no Congresso. Mas eis que surge milagrosamente a Lava Jato e a limpeza está apenas começando. Resta-nos poiar o juiz Sérgio Moro e torcer para que os corruptos desta vez não escapem. E viva a República de Curitiba!

Nivaldo Ribeiro Santos nivasan1928@gmail.com

São Paulo

*

HERÓIS X BANDIDOS

Os brasileiros estão desesperadamente buscando heróis, quando o País é assaltado pelos bandidos de todas as matizes sociais e políticas e pelo Judiciário. Já elegeram o juiz Moro como herói, assim como o ministro Joaquim Barbosa. Coisa inédita numa democracia. Mas eleger ministros do STF como bandidos está sendo uma novidade. Afinal, que Brasil e este?

Jair Nisio jair@smartwood.com.br

Curitiba

*

TOGA DESMORALIZADA

O Brasil está saudoso dos tempos em que nossos homens da toga preta impunham respeito, seriedade e credibilidade.  Suas decisões eram tidas como sábias, impolutas e de enorme probidade. Mas o que se vê hoje é um Judiciário comprometido com a política e com as ações que envergonham qualquer cidadão por conta de pareceres altamente suspeitos, que escancaram negociatas e comprometimentos com poderes podres e combalidos, mas que ainda esparramam seus tentáculos perniciosos em busca de proteção aos seus crimes e malfeitos. Nossa Justiça está em xeque. Respeitem a toga, senhores ministros, respeitem a si mesmo e ao País que vocês deveriam defender. Suas decisões unilaterais estão muito acintosas e afrontam os cidadãos de bem desta Nação.

Elias Skaf eskaf@hotmail.com

São Paulo

*

RECAÍDA DE TOFFOLI    

 

Poderíamos perguntar qual terá sido a motivação para a recaída do ministro Dias Toffoli, do STF, para aceitar  diretamente o habeas-corpus de Paulo Bernardo. Estranho...

 

Edméa Ramos da Silva paulameia@terra.com.br

Santos 

*

FORA, TOFFOLI!

Alguém no STF precisa avisar a figura que não é assim! Não é como o PT quer!

Ricardo Muniz ricmuniz45@me.com

São Paulo

*

O GOLPE

Excelente texto de Arnaldo Jabor, síntese dos crimes dos governos PT.  Crimes, sim, pois causar danos é crime. Merece aplauso.  O cidadão comum está atônito e já perdeu a conta diante da imensidão dos desatinos.  Muitos justificam o impeachment e as punições exemplares dos autores, antes do conjunto da obra, mesmo os que não estiverem tipificados.  A tecnicidade da tipificação não importa aos lesados.   

Harald Hellmuth hhellmuth@uol.com.br

São Paulo

*

RENAN, O MACUNAÍMA DO SENADO

O presidente do Senado, Renan Calheiros, alvo de 12 inquéritos no STF, sendo nove deles de corrupção na Petrobrás, deseja votar com urgência dois projetos que ele acha importante para melhorar o cenário atual de crise política e econômica no País: criação de cassinos e a diminuição da atuação da Lava Jato, a qual, para ele,  anda cometendo atos abusivos. Em suma, Renan lembra muito Macunaíma que sempre encontrava um “jeitinho” para tudo. 

Edgard  Gobbi edgardgobbi@gmail.com

Campinas 

*

PROTAGONISTAS

Hoje (5/7) o Estado nos brindou na mesma página com fotos fulgurantes de figuras proeminentes no cenário nacional: Fernando Cavendish, Carlinhos Cachoeira, alvos da Operação Saqueador. E ainda vimos o nobre deputado Waldir Maranhão, presidente interino da Câmara, entre outras coisas, protagonista, em desvios de fundos de pensão. Ninguém merece!

J. Perin Garcia - jperin@uol.com.br

São Paulo

*

IMORAIS HONORÁRIOS

É muito estranho o atual movimento de entidades do Judiciário buscando aumentar escandalosamente sua remuneração, como mostra o Editorial “Imorais honorários" (3/7, A3), abordando a questão tratada no inoportuno Projeto de Lei 4.254. Como bem exposto no artigo "O Judiciário mais caro do mundo", de autoria do vice-presidente do TRF/2.ª Região, Reis Friede (30/6, A2). Segundo o artigo, Enquanto nos países desenvolvidos a estrutura de Justiça mal consome 0,2% do PIB, aqui vai além de 1,35% do nosso PIB, ou seja, 6 vezes mais! Mas parece que a fome dos gafanhotos não tem mesmo limites!

José Elias Laier joseeliaslaier@gmail.com

São Carlos 

*

PERSEGUIÇÃO A JORNALISTAS

Não entendi a ira dos juízes e promotores paranaenses sobre publicar o salário das Excelências. Não faz parte da lei mostrar transparência em relação aos salários dos funcionários públicos, ou alguns juízes se acham acima da lei? O ato de processar jornalistas por si só é uma clara evidência de que o direito à liberdade não está sendo respeitado justamente por aqueles que deveriam resguardar as leis. Felizmente, a ministra Rosa Webber suspendeu todas as ações de juízes do Paraná contra jornalistas do jornal Gazeta do Povo.  Com a decisão, os casos estão paralisados até o julgamento do mérito pelo Tribunal. Espera-se que haja bom senso dos ministros, pois não está proibida a divulgação dos salários e a notícia não causa espanto, porque o que se sabe essa categoria ganha muito bem.  O Supremo Tribunal Federal (STF) reiterou entendimento de que é constitucional a veiculação da remuneração de servidores públicos na internet. De maneira unânime, os ministros da corte consideraram legítimo o registro de nomes dos contratados pela administração pública e dos valores de salários, gratificações e demais benefícios por eles percebidos, inclusive com publicação nos sites dos respectivos órgãos. Então, por que a grita, seria perseguição aos jornalistas?

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

SUPREMO E A ÉTICA

O protagonismo do STF esta destruindo o que restava de valores éticos e morais na sociedade brasileira.

Francisco José Sidoti fransidoti@gmail.com

São Paulo

*

CÁSSIO CUNHA LIMA

Sem comentários o que disse o líder do PSDB no Senado, Cássio Cunha Lima, reprovando as buscas efetuadas pela Polícia Federal no apartamento funcional da senadora Gleisi Hoffman (PT-PR), em Brasília: “Apesar de políticos, somos gente”. Acredite se quiser!

J.S. Decol decoljs@gmail.com

São Paulo

*

MÁGICA 

Gostaria de dar parabéns ao colega advogado Eduardo Cardozo, posto que, se as acusações contra sua cliente Dilma Rousseff, segundo suas palavras não passam de "contorcionismos jurídicos", a sua defesa não passa de mera apresentação de picadeiro ou ainda um show de mágica ao tirar de sua cartola coelhinhos abstratos que não existem, ainda que abundem reais lebres peludas em seara do petismo!

Paulo Boccato pofboccato@yahoo.com.br

São Paulo

*

INTERINIDADE

Todos os brasileiros torcem para que o País vença os  obstáculos ora vividos e evolua para um novo patamar. Não é concebível que o processo de transição da Presidência ocorra a passos de tartaruga, emperrando a Nação, quando o momento exige ação. Este modelo não é sustentável. 

Sergio Holl Lara jrmholl.idt@terra.com.br

Indaiatuba 

*

INGLATERRA

Lendo o Aliás do último domingo (3/7) percebi a enrascada que a Inglaterra se meteu, quando a maioria dos eleitores metidos a nazistas votaram pela saída do país da União Europeia. Isto não é uma vitória, mas uma vergonha! Será igual para nós, se o  impeachment da Dilma for rejeitado e os petralhas voltarem ao poder, para nossa desgraça! Espero que nos EUA os eleitores votem em Hillary contra o nazista Trump, se tiverem vergonha na cara pra isso, pelo menos!

Marcelo Cioti marcelo.cioti@gmail.com

Atibaia 

*

EDUCAÇÃO

Sem dúvida, absolutamente procedente e oportuno o editorial "A formação do professor". No entanto, não concordo quando se diz que é premente a formação com "excelência dos futuros professores". Como disse acima, a educação no Brasil está muito aquém do mínimo que se espera. No entanto, creio que, antes da escola, deve vir a família. A cada dois dias, um professor é agredido fisicamente por um aluno nas escolas estaduais de São Paulo. Entre janeiro de 2014 e abril de 2015, a Secretaria de Estado da Educação registrou 295 casos de violência contra docentes em todo o Estado (uma ocorrência a cada 39 horas, em média). Então, antes do "aprendizado de excelência", não seria necessária a revisão da família brasileira? O aluno que promove agressão física contra seu professor, não cessará sua atitude acaso seu professor tenha uma sólida base de sociologia e filosofia da educação.  Transferir toda a responsabilidade à escola é simplificar uma questão muito mais ampla, que envolve preciosamente, a primeira célula social: a família. 

Andrea Metne Arnaut andreaarnaut@uol.com.br

São Paulo

*

FORMAÇÃO DO PROFESSOR

Apesar do esforço do Conselho Estadual de Educação de São Paulo para melhorar a formação do professor, a realidade mostra o contrário. Professores mal preparados e alunos mal formados e vice-versa. Tenho uma banca de jornal próxima a uma escola estadual e fico horrorizada quando os estudantes param aqui e tentam ler as revistas. Além de terem dificuldade para ler, muitas vezes não conseguem interpretar nem uma chamada de revista de fofoca. Adolescentes que mal sabem ler. Além das inovações é preciso resgatar o ensino tradicional, principalmente de língua portuguesa e matemática, que são as áreas mais carentes de professores hoje nas escolas públicas. Aliás, estes deveriam ter uma remuneração maior, pela importância em nossa formação. Falar e escrever bem e fazer cálculos são essenciais, mas, atualmente, uma coisa básica como esta se tornou um diferencial ante a carência destes conhecimentos. A formação dos professores é outro drama neste País.  Formam-se professores por cursos de pedagogia semipresenciais.  Os sindicatos da categoria só sabem reivindicar por melhores salários. A qualidade do que eles levam às salas de aula não têm a menor importância. É um círculo vicioso. Aluno mal formado que vira professor mal formado que vai formar mais alunos mal preparados e o País continua neste marasmo. Sem educação de qualidade este País vai continuar patinando num mar de ignorância e mediocridade.

Elisabete Darim Parisotto beteparisotto@gmail.com

São Paulo 

*

RIO DE JANEIRO

O Rio de Janeiro está uma bagunça! Parece que nada funciona nesse Estado. Desgovernado, gastou o que não tem, e agora depende de ajuda do governo federal até mesmo para pagar salários. Na capital, o resumo das mazelas: a segurança pública há muito é uma piada de mau gosto e o tráfico de drogas é o maior símbolo da capital. Ruas repletas de pivetes, que cometem seus roubos à luz do dia, na certeza da impunidade, eles também drogados, desde a mais tenra idade. Tiroteios nas principais vias, hospitais sem condição de funcionamento e escolas “ocupadas” completam o quadro triste de uma cidade abandonada aos ratos. O carioca acostumou-se com o absurdo e com ele convive sem muitas reclamações. Neste quadro de total anomia, nenhum poder se mostra atuante. Portanto, não surpreende a decisão de um desembargador do Tribunal Regional Federal, no Rio, que mandou para casa, menos de 24 horas depois de sua prisão na Operação Saqueador, os já conhecidos Adir Assad, Carlinhos Cachoeira e Fernando Cavendish, convertendo uma mais que necessária prisão preventiva em simples prisão domiciliar. Até mesmo os tribunais no Rio estão infectados pela desídia e pela condescendência com o crime. É o horror! 

M. Cristina Rocha Azevedo crisrochazevedo@hotmail.com

Florianópolis

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.