Fórum dos Leitores

RENÚNCIA DE CUNHA

O Estado de S.Paulo

08 Julho 2016 | 03h00

Até o microfone!

Eduardo Cunha finalmente renunciou à presidência da Câmara. Antes do anúncio surgiu um último aliado, o microfone. Companheiro de tantos anos de vida pública, não havia cristão que o fizesse ecoar as últimas palavras de Cunha. Foram cinco longos minutos de espera, causando apreensão em repórteres e parlamentares, que se perguntavam: será que o Eduardo “fez a cabeça” até desse objeto inanimado? Mas não resistiu e transmitiu a renúncia, engasgada na garganta de milhões de brasileiros.

SÉRGIO DAFRÉ

sergio_dafre@hotmail.com

Jundiaí

Sucessão

A renúncia de Eduardo Cunha à presidência da Câmara, debulhado em lágrimas de crocodilo, põe nas mãos dos atuais deputados federais – que não são melhores – a possibilidade de colocar à frente da Casa alguém com conduta inatacável. Existe?

MARCOS BARBOSA

micabarbosa@gmail.com

Casa Branca

Lágrimas

Nenhum brasileiro esclarecido e informado se emocionou com as lágrimas de Cunha ou de qualquer desses políticos que tanto mal fizeram à Nação. Essas lágrimas lembram as de Sérgio Cabral, que depois foi visto com Cavendish num restaurante caríssimo em Paris. Quantos brasileiros não estão chorando a morte de seus entes queridos graças a essa roubalheira desatada? Estas lágrimas, ocultas, sofridas e desconsideradas pelas autoridades, é que devem ser valorizadas.

MÁRIO ISSA

drmarioissa@yahoo.com.br

São Paulo

Entranhas maléficas

Graças ao deputado Eduardo Cunha, notadamente quando na condição de presidente da Câmara, ao exercer a autonomia do Poder Legislativo, é que as entranhas maléficas do Poder Executivo vieram à tona e muito foi e está sendo esclarecido de malfeitos nos bastidores do governo. Devemos muito a Eduardo Cunha, embora mereça condenação pelo que aprontou.

HUMBERTO SCHUWARTZ SOARES

hs-soares@uol.com.br

Vila Velha (ES)

Enrolação

Ao entrar com o pedido de impeachment de Dilma Rousseff, Eduardo Cunha achou que ganhara o apoio da sociedade e relaxou. Na verdade, apenas obteve um tempo para enrolar os bobos de plantão. Aproveitando esta fase otimista, quando é que o Lula será preso?

MARIA LUCIA RUHNKE JORGE

mlucia.rjorge@gmail.com

Piracicaba

Vai tarde

Alianças políticas são regidas pelo “dize-me com quem andas e te direi quem és”. Eduardo Cunha (PMDB-RJ) é a prova cabal dessa máxima. Envolvido até a raiz dos cabelos na Lava Jato, réu no Supremo e com processo de cassação em trâmite na Câmara, a tropa de choque do peemedebista baixou as armas e o aconselhou a renunciar. Dito e feito. Apesar de tratamento diferenciado no STF, Renan Calheiros (PMDB-AL), presidente do Senado, não está imune a tal regra. Que caiam Dilma Rousseff, Renan, Cunha e quantos mais mereçam. E sejam punidos juntamente com o chefe da quadrilha, o sr. Luiz Inácio Lula da Silva. Fique registrado: nenhum defensor do impeachment (de Dilma) está na rua em defesa de Cunha.

ELIAS MENEZES

elias.natal@hotmail.com

Nepomuceno (MG)

IMPEACHMENT DE DILMA

O canto do cisne

A carta da presidente afastada aos senadores da comissão encarregada do seu mais do que certo impeachment se assemelha a um borrado script de ópera-bufa. Pincelada com alguns tons emocionais, Dilma Rousseff repetiu frases usadas no discurso de 12 de maio, quando o Senado autorizou a abertura do processo de sua impugnação, realçadas pela voz empostada do seu advogado de defesa. Para que o espetáculo fosse mais tragicômico a (ainda) presidente Dilma poderia ter deixado cair o pano do seu pronunciamento parafraseando a carta-testamento de Getúlio Vargas: “Saio da minha boa-vida para entrar na péssima história do meu desgoverno”.

LUÍS LAGO

luislago2002@hotmail.com

São Paulo

Lenga-lenga da inocência

Lá veio outra vez a dona Dilma com a conversinha de que é honesta. Preliminarmente, seu processo de impeachment não trata de roubalheiras, que seriam outros quinhentos. Saiba ela que, para os brasileiros que leem e não estão comprometidos com o projeto criminoso de poder, pairam muitas dúvidas sobre seu real comportamento nas roubalheiras da Petrobrás, impossíveis de ser negadas depois que réus confessos devolveram dezenas de milhões de dólares aos cofres públicos. Ao bradar inocência diante de tantos assaltos ao patrimônio público sob suas barbas, isto é, enquanto ministra das Minas e Energia, presidente do Conselho de Administração da Petrobrás, chefe da Casa Civil e presidente da República, só podemos acreditar na sua candura ao admitirmos que essa senhora é uma tremenda incompetente. Acho, então, que deveria parar com essa lenga-lenga, pois só restaria a hipótese de incompetência, que é motivo mais do que suficiente para seu impeachment.

ANTONIO CARLOS GOMES DA SILVA

acarlosgs9@gmail.com

São Paulo

Confissão de ‘erros’

Em sua carta de defesa na comissão do impeachment, Dillma confessa que cometeu “erros”. Então vamos deixar de lero-lero, vitimismo, golpismo e vamos ao que interessa? Em qualquer empresa, da menor à maior, o futuro de qualquer CEO incompetente é o olho da rua. Não esquecendo que ela não quebrou apenas uma lojinha de R$ 1,99, quebrou o País inteiro, que hoje leva nas costas 11,4 milhões de desempregados. Errar realmente é humano, mas não dá para continuar com uma gestora dessas.

BEATRIZ CAMPOS

beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

Com veemência, Dillma afirma que errar é humano. Só se esqueceu de dizer que persistir eternamente no erro é burrice total.

JÚLIO ROBERTO AYRES BRISOLA

jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

Golpe baixo

O sr. Lulla está pretendendo ser primeiro-ministro, com a Dilma fazendo o papel dela, de fantoche. Elle é muito atrevido ou está com sérios problemas neurológicos. Melhor fazer tratamento médico, pois isso, sim, é golpe – e dos mais baixos de que já ouvi falar!

CELSO DE CARVALHO MELLO

celsosaopauloadv@uol.com.br

São Paulo

 

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

RENÚNCIA ESPERADA

Eduardo Cunha morre para a presidência da Câmara agarrado ao cargo de deputado e à imunidade parlamentar. Lágrimas de crocodilo...

Ricardo C. Siqueira ricardocsiqueira@globo.com

Niterói (RJ)

*

CUNHA SAI, MAS O CONGRESSO FICA! 

A novela Eduardo Cunha como “presidente da Câmara dos Deputados” chega finalmente ao fim, mas o duro foi ouvir o comentário dos parlamentares, após o pronunciamento do deputado, como se o fim do mundo fosse apenas ter o Cunha na presidência da casa. Esqueceram que sai um bode expiatório da sala, mas ela continua cheia deles, porque infelizmente ontem o governo interino de Michel Temer, que lançou o primeiro plano de contenção de despesas, sofreu uma derrota acachapante na Câmara, que aumentará mais ainda as despesas do País. Ao se recusarem a votar medida de contenção de despesas dos Estados perdulários, eles estavam pensando no Brasil ou em seus próprios interesses? Francamente, em 2018 esse atual Congresso inteirinho precisa ser trocado. Não é apenas louvar a saída do Cunha, não!

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

ATÉ QUANDO?

O Brasil encarecidamente agradece. Sai Cunha. Mas a pior eminencia parda (Renan) permanece. Quando os nossos serviçais do Supremo Tribunal Federal (STF) vão tomar alguma atitude? Está na hora de eles entenderem que estão lá (regiamente remunerados) a serviço do povo. Só esperamos que cumpram o dever de casa!

 

Ulysses Fernandes Nunes Jr ulyssesfn@terra.com.br

São Paulo     

*

DEMOROU, MAS SAIU

Finalmente o presidente da Câmara Eduardo Cunha renunciou a seu mandato! Já vai tarde!

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

MUDA, BRASIL!

Eduardo Cunha já foi tarde! Dilma já vai tarde! Renan Calheiros quando vai? Basta!

J.S. Decol decoljs@gmail.com

São Paulo

*

DEMISSÃO E LIMPEZA

Tamanha nobreza ao pedir demissão poderia vir acompanhada da humildade de poder entregar o bando todo. Aí, sim, o Brasil começaria a respirar aliviado.

Roberto Castiglioni rocastiglioni@hotmail.com

Santo André

*

A LAVA JATO E A HISTÓRIA PENAL

Sem medo de errar, o jurista poderá, doravante, dividir a história penal do Brasil em dois períodos ou épocas: antes da Lava Jato e depois dela. Antes, apreciava-se a impunidade e se tinha a crença de que altas figuras da República, mesmo corruptas, eram intocáveis e, pois, não sujeitas a punições. Depois dela, viu-se que os assaltantes da coisa pública, renomados ou não, podem ser apenados e jogados à execração pública. Em seu trabalho de limpeza e de renovação ética, a Lava Jato e derivadas conseguiram demonstrar que podem passar o Brasil a limpo. E assim os Cunhas, Renans, Machados, Delúbios, Dirceus e outros vão ocupando seus verdadeiros lugares: as celas de nossas penitenciárias.

José Carlos de Carvalho Carneiro carneiro.jcc@uol.com.br

Rio Claro

*

AS 10 MEDIDAS CONTRA A CORRUPÇÃO

A pergunta que não quer calar: "Por onde andavam os 473 deputados que não marcaram presença na Câmara no dia 22/6/2016 durante o debate das 10 Medidas Contra a Corrupção? Dormiram demais, estão envolvidos em ilicitudes e têm medo da Lava Jato ou estão se lascando para do povo que colocou na Câmara mais de 2 milhões de assinaturas pedindo socorro para combater a corrupção? De uma coisa temos certeza, os deputados Antônio Carlos Mendes Theme, Ruben Bueno, Darcísio Perondi, Chico Alencar, Pauderney Avelino, que falaram em defesa das 10 medidas, mandaram um recado para os senhores que estavam ausentes. Esperamos que Vossas Excelências se liguem não só no que disseram os deputados supracitados, mas também no que disseram os procuradores da  Justiça, Júlio Marcelo Oliveira, Roberson Pozzobon e Roberto Livianu. Eles disseram justamente o que o povo acha que está acontecendo com os políticos e o que esperam deles daqui pra frente.

Leônidas Marques leo.marquesvr@gmail.com

Volta Redonda (RJ)

*

LEGALIZAÇÃO DO JOGO

Ninguém tem dúvidas de que nesta pressão pela legalização do jogo alguém está levando algum!

Paulo Roberto Santos prsantos1952@bol.com.br

Niterói(RJ)

*

CORRUPÇÃO E BANDIDAGEM

Políticos corruptos são tão bandidos quanto traficantes, assassinos e estupradores. Os políticos matam silenciosamente muitos brasileiros ao desviar dinheiro que poderiam ser aplicados na saúde, educação, segurança e na criação de novos postos de trabalho. A sociedade não pode aceitar alterações na Operação Lava Jato em benefício de Renans, Jucás, Collors, Lulas e muitos outros que já estão na mira do juiz Sergio Moro. Se os bandidos políticos conseguirem modificar a Operação Lava Jato, será uma derrota e um nocaute no povo que sustenta este País. 

José Roberto Iglesias rzeiglesias@gmail.com

São Paulo

*

DILMA, A VALENTONA COVARDE

Dilma, a valentona covarde, não compareceu na comissão do impeachment. Não teve a coragem de se defender pessoalmente. Só aparece em ambientes de pelegos.

Eugênio José Alati eugeniojalati@gmail.com

Campinas 

*

A PRÓPRIA FARSA

A quadrilha do PT não quer e não sabe perder... Quer mesmo é subestimar ao extremo o povo brasileiro. De que adianta a presidente afastada encaminhar carta ao Senado dizendo que é vítima de uma farsa ‘jurídica’ e política? Para os brasileiros, a presidente afastada foi e é a própria farsa e já deveria ter sido afastada de vez... A sua imagem e sua fala nos irrita por demais, nos poupe! A sua arrogância, prepotência e incompetência não lhes permitem uma atitude de altivez e patriotismo com a renúncia? Não aguentamos mais! 

 

Fernando Silva lfd.dasilva1940@gmail.com

São Paulo

*

CUSTO LULA

    

De longa data o tema Custo Brasil é tratado nas páginas de economia dos jornais. Parabéns ao Estadão, que, em Notas e Informações de 24/6 indica que isto agora virou também assunto de polícia. Após explicar detalhadamente o tema o editorial conclui que o custo Brasil poderia também ser chamado de custo PT. Quem busca a excelência na gestão sabe que, uma vez eliminada a causa, cessam os problemas – sublata causa, tollitur effectus. Neste sentido o custo Brasil deveria ser também chamado de custo Lula e se torna urgente a continuidade, sem interferências, da Lava Jato, com a esperada prisão do referido.

Francisco Uras francisco.uras@uras.com.br

São Paulo

*

SUGESTÃO DE VIAGEM

Senhores, aproveitando as últimas manifestações do sr. Ciro Gomes e da sra. Marilena (odeio a classe média) Chauí, proponho a criação de uma "vaquinha",  a fim de bancar pacote único de uma viagem, só de ida, buscando asilo ao ex-presidente Lula (no caso de decretação de sua prisão, certamente por ordem do FBI), onde todos eles estariam juntos (acredito que o Maduro lhes concederá asilo). As únicas condições que proponho seriam: 1) o avião que viajariam não poderia parar em qualquer lugar da pista; 2) nenhuma das autoridades no voo poderia levar a sogra por conta da "vaquinha".

Marcelo Falsetti Cabral mfalsetti2002@yahoo.com.br

São Paulo

*

MARILENA CHAUÍ

Só esqueceram de avisar o FBI... (sobre a entrevista delirante de Marilena Chauí).

Luciano Harary lharary@hotmail.com

São Paulo 

*

É NOSSO

A Polícia Federal (PF) poderia explicar aos cidadãos brasileiros o que foi feito dos containers de souvenires que Lula surrupiou do Palácio da Alvorada e que faz parte do patrimônio brasileiro?

Luíz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo

*

CARGO NO INCRA PARA OS ‘ALTÍSSIMOS’

Quando vamos proclamar a República para os Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário? Os caras vivem numa corte à custa do povo. Será conde Paulinho ou duque Paulinho ou lorde Paulinho? Ou coroné mesmo? No Recife filhos do Campos. No Rio, filhos do Cabral, no Brasil afora filho de qualquer Maranhão. Eles acabam ocupando cargos sem experiência alguma com salários exorbitantes. Enquanto isso a plebe estuda, se prepara, começa de baixo adquirindo experiência, ganha sempre menos do que merece e engolindo muitos sapos. Para, no final, entrar na lista dos 12 milhões de desempregados. 

Nelson Pereira Bizerra  nepebizerra@hotmail.com

São Paulo

*

IMPARCIALIDADE JUDICIAL

Sobre o artigo Fantasmas ou celebridades, Estadão (6/7, A2), o que foi dito merece muita atenção. Em síntese trata de uma "conditio sine qua non" para o exercício da magistratura: a imparcialidade. Ainda hoje, os jornais todos publicaram que, tendo em vista a relação do desembargador Ivan Athié com o advogado de Fernando Cavendish, Técio Lins e Silva, o magistrado, reconsiderou sua decisão (que transformou em domiciliar as prisões dos réus envolvidos nesta fase da operação), declarando-se impedido, nos exatos termos do que dispõe o artigo 144, inciso III e parágrafo primeiro do novo Código Processual Civil, e mediante as consequências previstas artigo 228 do Regimento Interno do Tribunal Regional Federal da Segunda Região: "ter-se-ão por nulos os atos por ele praticados, após o fato que causou o impedimento ou a suspeição" (Redação dada pela Emenda Regimental no 34, de  04/03/2016).  É fato, a imparcialidade do juiz é a essência da Justiça. "Juiz parcial" são vocábulos  incompatíveis entre si. Então, realmente dói aos ouvidos assistir a politização do Poder Judiciário. 

Andrea Metne Arnaut  andreaarnaut@uol.com.br

São Paulo

 

*

O STF E O TRÁFICO DE DROGAS  

Atuo no Tribunal do Júri de Votorantim. Muito raro é o homicídio que vai a julgamento que não tenha, na sua origem, o tráfico de drogas. Também a maioria dos furtos, roubos e latrocínios é cometida com a finalidade de quitar dívidas com traficantes. Não obstante, na quinta-feira, 23 de junho de 2016, o Supremo Tribunal Federal (STF) protagonizou um vexame jurídico histórico. Ficou decidido que o traficante primário, com bons antecedentes, qualquer que seja a quantidade de drogas com que venha a ser preso, não comete crime hediondo. A hipótese passa a ser vista como sendo do chamado “tráfico privilegiado”, que permite ao indivíduo progredir de regime tão logo cumpra 1/6 da sua pena. Isso significa que o traficante não ficará mais de três meses em regime fechado, já que a pena para o mercador de desgraça que seja primário  é  hoje de 1 ano e 8 meses (menor do que a de um furto qualificado consumado). A decisão do STF foi tomada num caso de dois bons samaritanos que foram flagrados transportando a bagatela de 772 quilos de maconha.  772 quilos de maconha!! Um erro colossal!! E o mais grave é que, do erro do STF, não temos a quem recorrer, pois o STF erra por último, como disse Rui Barbosa lá em 1914. O tráfico de drogas é uma usina formidável de produção de dinheiro sujo. Um quilo de pasta base de cocaína, misturado a outros produtos químicos, gera, miseravelmente, três quilos de cocaína em pó, a um custo médio de R$ 15 mil. Cada quilo de cocaína em pó coloca em circulação 4 mil porções individuais do entorpecente. Esses três quilos que custam R$ 15 mil podem fazer circular 12 mil papelotes. Cada um deles é vendido ao preço de R$ 10. Portanto, a partir de um investimento inicial de R$ 15 mil , o narcoempresário consegue movimentar R$ 120 mil, obtendo um lucro líquido de R$ 105 mil, em pouquíssimo tempo. Daí porque o tráfico devasta lares, desventura famílias, destrói a juventude e arruína o sistema público de saúde.  Mas, para o STF, nada disso importa. Há de ser dada maior atenção ao traficante que, por ser primário, não será mais condenado. Receberá um voto de louvor, por ser primário. Como se o mal provocado pelo traficante primário fosse menor, diferenciado, menos devastador que aquele propiciado pelo reincidente. A ciranda da traficância não para nem tem fim.  Não bastasse o Brasil estar vivendo em cativeiro, refém de uma parcela da pior classe política que já brotou por aqui, agora é Justiça (?) que afaga o traficante, abençoa o narcotráfico e dá as costas à família brasileira.  Pobre País. Salve-se quem puder! Chegue logo, aposentadoria!! O crime venceu!! 

Welington dos Santos Veloso ngton@terra.com.br

Votorantim 

*

ESTADO ‘LAICO’

Assim como uns matam em nome de um Deus, outros roubam em nome de outro Deus.  A maioria dos políticos ganha muito bem e nada produze para o País, caracterizando assalto aos cofres do erário. Com vários exemplos de políticos religiosos corruptos, os vereadores da capital de São Paulo, que, em geral, nada produzem, aprovam o projeto de lei que instituí o "Dia do Combate à Cristofobia". Eles tentam vender a imagem de que os ateus são os vilões da sociedade. É muito escárnio! Haja intolerância!

Oswaldo Baptista Pereira Filho oswaldocps@terra.com.br

Campinas 

*

PAÍS LAICO

O recinto da Câmara Municipal de São Paulo tornou-se a filial do Templo de Salomão.

Antonio Carniato antoniocarniato@gmail.com

Santa Rita do Passa Quatro 

*

UNIÃO CONTRA MADURO

Mostras evidentes de que o Ministério do Exterior, tendo à frente José Serra, ganhou sobrevida ao defender em reunião com o presidente do Uruguai, Tabaré Vasquez, presidente temporário do Mercosul, uma  reestruração desse importante órgão. O Brasil e a Argentina, que já não era sem tempo, aumentam pressão sobre Maduro, que pretende assumir a presidência do Mercosul. A presença da Venezuela no bloco sempre foi repulsiva e a vitória de Maurício Macri, na Argentina, e o afastamento de Dilma da Presidência reforçam o isolamento de Maduro do bloco do Mercosul e, sem dúvida, um "jab" na ponta do queixo do bolivarianismo sul-americano.

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

*

DIPLOMACIA

Serra e FHC viajam ao Uruguai para evitar que a Venezuela lidere o Mercosul. Vão discutir se o governo do bolivariano Maduro, que acabou de vez com o país, levando os venezuelanos a uma situação extrema, de falta de alimentos e de bens básicos e  ainda mantém presos políticos e se manobra para evitar a realização de um referendo convocado pela oposição. E o direito de um punhado de humanos se sobrepondo ao direito de mais de 30 milhões de humanos.

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

  

*

EDUCAÇÃO

Em resposta ao comentário da leitora sra. Elisabete Darim Parisoto, publicado no Fórum dos leitores nesta terça-feira (6/7), a Secretaria da Educação do Estado lamenta a generalização e esclarece que, entre os estados do País, São Paulo lidera os resultados de escrita, matemática e leitura. A cada 10 alunos da rede estadual paulista, 8 sabem ler e escrever adequadamente. Outro ponto importante que precisa de esclarecimento diz respeito à formação do professor. Comparando novamente com os outros estados brasileiros, São Paulo é o que mais incentiva a evolução profissional, valoriza o tempo de serviço e melhor paga o educador (piso salarial). A Pasta oferece planos de carreira com bonificação por mérito, por tempo de trabalho, e ainda mantém o piso salarial 13% maior do que o decretado pelo MEC.

 

                                          

Em relação ao comentário da leitora sra. Andrea Metne, publicado no Fórum dos leitores nesta terça-feira (6), a Secretaria da Educação do Estado lamenta o número de casos de agressões e concorda que o enfrentamento às situações de vulnerabilidade deve ocorrer em diversas frentes, que englobam famílias e sociedade civil. A Pasta acredita no diálogo e em medidas transformadoras, como o treinamento de professores mediadores, profissionais capacitados em justiça restaurativa e mediação de conflitos. Desde o início do projeto, em 2010, a Pasta já formou mais de 5 mil professores mediadores. 

Ronaldo Tenório, coordenador da assessoria de imprensa Imprensa@educacao.sp.gov.br

São Paulo

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.