Fórum dos Leitores

Participação dos nossos leitores

O Estado de S.Paulo

14 Julho 2016 | 03h00

LULOPETISMO

A ‘viagem’ de Dilma

Dentre as inúmeras notícias de terça-feira, uma me chamou a atenção. Li e reli, pois não pude acreditar nas informações ali contidas. Cheguei a pensar em (caso pudesse) pedir autorização para Lewis Carrol, autor de Alice no País das Maravilhas, mudar o título de seu livro para Dilma no País das Maravilhas. Isso porque, no texto a que me refiro, a presidente afastada afirma que a inflação está abrandando por causa da ação do governo dela! E, ainda, que as condições para a inflação cair foram construídas durante o seu governo... Sonhando mais alto, fez previsões para quando voltar ao poder, alegando ter a missão de arrumar a casa. Nem Carrol, no maior de seus delírios, teria capacidade para tamanhos devaneios.

JORGE EDUARDO NUDEL

jorgenudel@hotmail.com

São Paulo

13 anos de caos

Está claro para todos que os petistas não souberam administrar o Brasil nos últimos 13 anos. A inflação anual de 10% voltou a assombrar o nosso país, que está com a economia estagnada. As escolas estão abandonadas, assim como os hospitais. As indústrias estão diminuindo a produção, em especial as montadoras de automóveis. O País acumula mais dívidas a cada ano que passa e os Estados estão quebrados. Os grandes empreendimentos foram paralisados ou nem saíram do papel. O desemprego aumenta sem parar, batendo o recorde de 11,4 milhões de trabalhadores sem trabalho, causando aumento significativo na inadimplência. Nunca se viu tanta corrupção nas empresas estatais, que foram gerenciadas por incompetentes políticos. Lula e Dilma Rousseff deixaram essa herança de miséria para os brasileiros, que acreditaram nas mentiras trombeteadas em palanque durante as campanhas eleitorais.

JOSÉ CARLOS SARAIVA DA COSTA

jcsdc@uol.com.br

Belo Horizonte

Que loucura!

Disse o homem mais honesto do planeta que ele só não será candidato à Presidência da República em 2018 se o Brasil der certo... Preliminarmente, é de perguntar: o que essa criatura entende por dar certo? Acaso dar certo significa corrupção institucionalizada e generalizada? Recomenda-se que seja imediatamente recolhido a um hospício, pois deu para achar que é Deus.

ARLETE PACHECO

arlpach@uol.com.br

Itanhaém

Então, Lula, como declarou, só será candidato em 2018 se o Brasil não tiver sido consertado?! Até onde eu entendo, se o País precisa de conserto, é porque foi desconsertado nos pouco mais de 13 anos em que o partido de Lula (PT) esteve no poder. Mas antes de sair candidato esse senhor ainda precisa se encontrar com a Justiça do País e provar que é o honesto que diz ser, ainda que todas as evidências apontem o contrário.

ÉDEN A. SANTOS

edensantos@uol.com.br

São Paulo

Com sua pretensiosa soberba, Lulla ainda não percebeu que ele e toda a sua tigrada são os protagonistas da maior “draga política e econômica” imposta ao povo. Disse ele também que “política é como uma boa cachaça, você começa e não quer parar mais”. Pensando bem, é melhor que ele continue na cachaça.

JÚLIO ROBERTO AYRES BRISOLA

jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

Culpa de FHC

“Temer privatiza porque não sabe governar”, sentenciou Lula na Bahia. Recentemente, rodovias, aeroportos e elétricas foram privatizados, mas é o cartão corporativo que envolve “segurança nacional”. Será por culpa de Michel Temer, presidente há dois meses, que a Caixa e a Petrobrás estão em dificuldades? Ao que parece, Lula teme que as galinhas dos ovos de ouro sejam privatizadas. Nunca houve tantas “doações legais” da nossa petroleira a partidos políticos. A culpa é de FHC, que privatizou a Vale, mas não a Petrobrás – daí é que a patota se fartou, sob diversas formas, de tungar a petroleira.

HUMBERTO SCHUWARTZ SOARES

hs-soares@uol.com.br

Vila Velha (ES)

Impeachment

Fico indignada quando tomo conhecimento da alegação abjeta de que o impeachment é culpa dos “brancos de olhos azuis”, por estes se sentirem incomodados com a melhoria de vida dos pobres, que puderam até andar de avião... Como é que pode uma pessoa ter ocupado o mais alto cargo da República e falar algo tão despropositado? Jamais conheci alguém que se aborrecesse com o progresso dos mais pobres, quando houve – e não foi no governo Dilma, porque tudo foi uma falácia, um faz de conta. Infelizes ficamos quando nos demos conta de que os pobres, que consumiram mais por algum tempo, voltaram à situação anterior de pobreza, quando não de miséria. A má distribuição de renda no Brasil teria sido resolvida se o lulopetismo se tivesse dedicado de corpo e alma a oferecer educação de qualidade, gerando oportunidades, além de saúde, saneamento e segurança a esses que iludiu com o aumento de consumo e com o voto de cabresto via Bolsa Família sem portas de saída. Isso, sim, é torcer para que os pobres continuem pobres, porque com a estratégia de fomentar a ignorância e a esmola eles imaginaram perpetuar-se no poder, roubando o que podiam desse povo que dizem ter sido excluído pelos malvados brancos de olhos azuis. Malvados são Lula, Dilma e a tigrada toda, agora desmascarados pela Lava Jato, verdadeiros lobos em pele de cordeiro.

ELIANA FRANÇA LEME

efleme@terra.com.br

São Paulo

Formigas devastadoras

É como disse um antigo agricultor na minha cidade: o Lulla e a Dillma parecem um casal de saúvas. Lembrando o que sempre repetia o meu avô, ou o Brasil acaba com a saúva ou a saúva acaba com o Brasil.

ROBERTO HUNGRIA

cardosohungria@gmail.com

Itapetininga

CÂMARA DOS DEPUTADOS

Eleição

O Brasil deve ser o único país do mundo em que os eleitores preferem que os políticos façam uma eleição indireta com votação secreta e, depois, o eleito para presidente da Câmara dos Deputados estabeleça em negociações qual a pauta de votação e a agenda política nacional. Algo inadmissível em qualquer país da Europa, por exemplo. Não seria melhor a população votar para primeiro-ministro e ser tudo mais transparente?

LUIZ ROBERTO DA COSTA JR.

lrcostajr@uol.com.br

Campinas

O novo presidente da Câmara dos Deputados haverá de ser “mão limpa”.

HARALD HELLMUTH

hhellmuth@uol.com.br

São Paulo

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

 

EFEITO ‘ORLOFF’

 

Em nova tentativa descabida de se salvar, o deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) foi à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) para tocar o terror. “Há investigados nesta sala. Hoje sou eu. É o efeito Orloff. Vocês amanhã”, declarou o ex-presidente da Câmara. Que tal ameaça se confirme e novos mandatos sejam caçados observando a Constituição, as leis e o regimento interno da Casa – como está ocorrendo no caso em questão. O que o deputado chama de “efeito Orloff” nada mais é do que o funcionamento natural da Câmara. O destino de Cunha é o mesmo de Lula: seus processos serão remetidos à 1.ª Instância e é de lá para o xilindró.

 

Elias Natal Lima de Menezes elias.natal@hotmail.com

Nepomuceno (MG)

 

*

‘CAPO DI TUTTI CAPI’

 

A atitude e o pronunciamento de Eduardo Cunha na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara, ameaçando os colegas com "hoje sou eu, amanha, vocês"   faz lembrar cenas de filmes da máfia, em que o chefão (capo di tutti capo), vendo-se ameaçado,  intima os colegas mafiosos a não prejudicá-lo. Pobre Brasil, tem um Legislativo repleto de mafiosos no lugar de verdadeiros  legisladores, preocupados com o destino do País.                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                  

 

Paulo Boin boinpaulo@gmail.com

São Paulo

 

*

EIS A DIFERENÇA

 

Enquanto o primeiro-ministro britânico David Cameron se despede do cargo, aqui no Brasil Eduardo Cunha não quer largar o osso nem com reza brava...

 

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

 

*

BUSCANDO CARNIÇA

 

Dezesete (17) candidatos para suceder o Cunha por sete meses!

Urubus em busca de carniça putrefata!

 

Carlos Alberto Roxo roxo_7@terra.com.br

São Paulo

 

*

ELEIÇÕES NA CÂMARA

 

Deserto de percepção social e caos político: não há partidos no sentido de grupos de cidadãos orientados para uma forma de promover o bem-estar social. Só há indivíduos que se reúnem para cuidar de interesses pessoais. E, com a maior desfaçatez, indivíduos investigados por crimes contra o patrimônio público se candidatam à presidência da Câmara dos Deputados. Isto não deve ter precedentes. Como encontrar um rumo para a sociedade e para o País?

 

Harald Hellmuth hhellmuth@uol.com.br

São Paulo

 

*

SÓ QUERIA ENTENDER...

 

Por que deputados reconhecidamente honestos raramente se candidatam e nunca estão entre os mais cotados para assumir a presidência da Câmara?

 

Ricardo C. Siqueira ricardocsiqueira@globo.com

Niterói (RJ)

 

*

EFEITO ORLOFF

 

O ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, afastado de suas funções por denúncias de envolvimento em malfeitos ligados ao megaesquema de corrupção do petrolão, quebra de decoro parlamentar e manutenção de contas ocultas no exterior, ao depor na Comissão de Constituição e Justiça ameaçou seus colegas dizendo que “há investigados nesta sala. Hoje sou eu. Amanhã serão vocês. É o efeito Orloff. Nenhum dos 117 deputados (investigados) sobreviverá nesta Casa...”. Posto isto, cabe perguntar como levar a sério um país diante de tal absurdo e descalabro?! O Brasil virou terra de ninguém. Salve-se quem e como puder!

 

J.S. Decol  decoljs@gmail.com

São Paulo

 

*

A CULPA É NOSSA

 

Li no Fórum dos Leitores (13/7): “Nunca seremos uma grande nação. E a culpa é nossa, que só votamos em trastes”. Isso me faz lembrar que, com os meus votos, já foram eleitos ladrões e bandidos. Isso tem ocorrido porque o meu candidato não foi eleito e meu voto migrou para outra pessoa, sem o meu consentimento. A solução seria o voto distrital. Porque ninguém se movimenta para pedir o voto distrital, como fizeram com o aumento da passagem de ônibus?

 

Jayme Maia maiajayme@gmail.com

São Paulo

 

*

 

MAUS REPRESENTANTES NO CONGRESSO

 

De quem á a culpa que elege maus representantes no Congresso Nacional? A culpa é de todos nós, eleitores, que não sabemos distinguir os "bons" representantes dos "maus". A maioria nem se lembra em quem votou nas últimas eleições para deputado federal, estadual e senador, sem saber se eram suspeitos ou acusados de crimes. Ocorre que alguns são alvos de investigação no Supremo Tribunal Federal (STF), outros respondem a inquéritos ou ação penal e, ainda, há os que já são réus na Suprema Corte. Daí a razão para sermos mais cuidadosos e conscientes  na hora de votar em nossos representantes. A parte final do editorial desta terça-feira (12/7, A3) do Estadão, “A crise de representatividade” orienta bem o eleitor que se esqueceu em quem votou nas últimas eleições, dizendo: “O eleitor pode escolher os candidatos que o representarão adequada e corretamente no Congresso. Basta, para isso, examinar as listas de candidatos e fazer a triagem dos melhores”.

 

José Wilson de Lima Costa jwlcosta@bol.com.br

São Paulo

 

*

ELEIÇÃO PARA PRESIDÊNCIA DA CÂMARA

 

Serão os nossos políticos oportunistas ou o pluripartidarismo que é nefasto?

 

Marcos Catap marcoscatap@uol.com.br

São Paulo

 

*

A VARA

 

No atual quadro político brasileiro, nem mesmo o “Zé dos Porcos” pode pôr ordem no chiqueiro!

 

Carlos D. N. da Gama Neto delphim@ibl.com.br

Santos

 

*

COMEÇO DA REMOÇÃO DO ENTULHO

 

Excelente “O entulho começa a ser removido” (Editorial do Estadão do último domingo, 10/7), cujo conteúdo, conciso e claro, comunga com os anseios de todos os brasileiros de coração verde amarelo, que aguardam a remoção desse entulho político  para iniciar a “construção de uma pátria livre, próspera e justa”. Quanto a desfaçatez, Eduardo Cunha, na iminência de ser cassado, e dona Dilma, a próxima da fila, competem pelo campeonato brasileiro de cinismo. Aquele porque nega ter contas bancárias no exterior, já comprovadas, e ela baseia sua honestidade por não tê-las.  Por acaso só as contas no exterior escondem dinheiro de falcatruas? Dinheiro sujo não pode ser mantido em contas ocultas no Brasil? Finalmente o Estadão põe uma pá de cal na ladainha de dona Dilma, quando pergunta: “como acreditar que seja uma ‘mulher honesta’ quem passou mais de seis anos na chefia de um governo que surge como o mais corrupto de que se tem notícia na História do Brasil?”

 

Antonio Carlos Gomes da Silva acarlosgs9@gmail.com

São Paulo

 

*

LULA E O IMPEACHMENT

 

“Derrotar o impeachment hoje está mais fácil”. Quem disse isso foi o Lula, esse mesmo que escapou de ser impeachado no mensalão porque FHC e o PSDB ficaram com peninha dele e porque achavam que não seria bom para a recente democracia em nosso país ter o primeiro presidente operário colocado na rua. Ou na cadeia. Quem disse isso foi o Lula, o mesmo que no seu governo e sob a sua orientação acabou com a Petrobrás em benefício próprio como maneira de se perpetuar no poder. Quem disse isso foi o Lula, o mesmo que inventou a Dilma, que nos levou a esse caos que estamos vivendo. Quem disse isso foi o Lula, que para ganhar o foro privilegiado ia assumir a Casa Civil no governo da incompetente Dilma. Quem disse isso foi o Lula, que trama nas sombras para que a Dilma volte, se transforme na rainha da Inglaterra (desculpe, rainha) e ele volte a comandar o País, aí sim, num golpe sem precedentes na nossa história. Ainda bem que colocar o Lula na cadeia hoje está mais fácil. Quem diz isso são as notícias que vêm de Curitiba.

 

Luiz Gonzaga Tressoldi Saraiva lgtsaraiva@uol.com.br

São Paulo

 

*

ÔNUS DA PROVA

 

Mais uma suspeita de desvio de dinheiro, desta vez caixa 2 na campanha de Dilma. Estamos fartos de tantas suspeitas e de se ter de provar que ladrões roubam... Por que não inverter a lógica? Declare-se como desviados 10% de todas as despesas dos 13 anos do governo do PT com qualquer tipo de fornecedor, prendendo todos que tiverem sido governadores e prefeitos do PT e todos os ministros, diretores e administradores de estatais com alçada orçamentária durante os 13 anos, até que eles provem sua inocência. Só invertendo o ônus da prova um dia nos livraremos da gatunagem crônica que assola o País!

 

Gilberto Dib gilberto@dib.com.br

São Paulo

 

*

‘MULHER NÃO RENUNCIA’

 

A presidente afastada Dilma Rousseff, diante da renúncia do seu desafeto Eduardo Cunha, teve o desplante de ironizar dizendo que “mulher não renuncia”. Foi aí que morou o perigo, porque sua teimosia levou o País à falência. Dillma, que já lutou com armas nas mãos e foi duramente punida por isso, pelo jeito não aprendeu nada e agora na Presidência está pagando pelo mesmo erro, sendo retirada à força pela porta dos fundos da direção do País. Sua teimosia e incompetência nesse caso mataram as esperanças de todos nós brasileiros. Ela sairá apenas com sua pequena e polpuda malinha, já que seu alto salário foi pago também pelos desempregados. Não existe nenhum demérito ao renunciar, mas persistir no erro, sim.

 

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

 

*

VAQUINHA

 

Li no Estadão que, em poucos dias, a presidente afastada recebeu doações, substanciais para passear pelo combalido Brasil. Estou necessitando de doações urgentes para uma causa mais nobre do que passear. Pequeno empresário, hoje menor ainda (assim como tantos outros) diante do desastre do governo petralha. Preciso urgentemente de verbas para salários atrasados, matérias primas, energia cortada, etc. Faço um apelo a este jornal para que veicule meu apelo. Contato por este e-mail.

 

Benedito Antonio Turssi turssi@ecoxim.com.br

Ibaté

 

*

CORRUPTOS COMBATENDO CORRUPÇÃO?

 

A quantos congressistas o salário basta ou dele nem precisam? Uns 100 nas duas Casas?  A grande maioria está lá ou para - com remuneração específica - defender interesses de grupos que diferem dos de seus eleitores, ou para enriquecer, ou ambos. Não nos iludamos. “Aux rues, citoyens...”

 

Cássio Mascarenhas de Rezende Camargos

cassiocam@terra.com.br

São Paulo

 

*

LOUVORZÃO DOS ANTIÉTICOS

 

Para um Estado laico como o nosso, ocupar um recinto público como estão fazendo parte dos vereadores de São Paulo, na Câmara Municipal, transformando parte do dia em templo evangélico é uma afronta!  E, como cristão, faço minhas as críticas do professor Roberto Romano, como publicadas em artigo no Estadão (11/7, A2), com o título “Rumores do inferno”.   Não há limites! Tampouco cumplicidade com a ética! E pelo balcão de negócios espúrios que regularmente transformam o nosso Parlamento, esses vereadores querem mascarar suas ilegalidades institucionais com esse também ilegal “louvorzão”! Que até Cristo deve repudiar... 

 

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

 

*

IGREJA E BARULHO

 

Muito oportuno o artigo de Roberto Romano sobre a "música" e cantoria nas missas católicas. Tudo o que os fiéis querem é silêncio e oração, e são submetidos a toda sorte de acompanhamento e, por que não dizer, de tortura musical.

 

Elisabeth Migliavacca

São Paulo

 

*

RUMORES DO INFERNO

 

Excelente o artigo de Roberto Romano (pág. A2). Que bom se a Igreja Católica obedecesse a suas origens litúrgicas e continuasse pregando sua cultura. Todos, indiscriminadamente, ganhariam.

 

Adilson Mencarini  adilsonmencarini@uol.com.br

Guarulhos

 

*

MENOS DIREITOS E MAIS OBRIGAÇÕES

 

Antes de exigir faróis acesos durante o dia, seria conveniente que policiais rodoviários, federais e estaduais, fiscalizassem os veículos automotores que trafegam durante a noite. Vão constatar que uma elevada porcentagem desses veículos trafega ora com excesso de faróis, ora com faróis desregulados, ora com um dos faróis dianteiros apagado, ora com lanternas traseiras também apagadas, pondo em risco a vida de milhões de brasileiros que ainda insistem em viajar à noite por essas estradas mal conservadas e mal sinalizadas.

 

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

 

*

GASTOS

 

Detentos libertam um refém da penitenciária de Hortolândia. O dinheiro de nossos impostos em vez de ser utilizado para as obrigações constitucionais, atividades fim do Estado, está sendo desviado (e desperdiçado) em todas as áreas às quais é destinado. As penitenciárias não podem continuar a ser simples “depósitos” de presos, que, muitas vezes, nem sequer deveriam estar lá, em estruturas sem condições de abrigar a quantidade existente: 40% são presos provisórios (ainda não foram condenados) e muitos já deveriam ter saído! A um custo absurdo (em 2009, a despesa média mensal por preso era de R$ 1.300, conforme dados do Cepen à CPI do Sistema Carcerário)  de forma geral não oferecem condições mínimas para ressocialização dos detentos!

 

Jorge Alves jorgersalves@gmail.com

Jau

 

*

HOMENAGEM AOS POLICIAIS

 

Como policial civil do Estado de São Paulo, ao assistir no Jornal Nacional a homenagem do presidente norte-americano a cinco policiais mortos na cidade de Dalas, e ao saber do tratamento dado aos policiais paulistas pelo governo de São Paulo, que está aí há mais de 20 anos, tenho certeza de que o caos vivido no Brasil tem o porquê. Quanta mentira e enganação!

 

Edmar Augusto Monteiro eamonteiroea@hotmail.com

São Paulo

 

*

SOBRE OS POLICIAIS ATACADOS

 

Dois policiais foram atacados na terça-feira (12/7), um foi morto no ato e o outro está em estado grave. A esquerda festiva e os defensores dos direitos humanos se manifestarão, a exemplo do que fazem na morte de um bandido? Detalhe, não sou e não tenho nenhum parente militar nem policial.  

 

Sergio Cortez cortez@lavoremoveis.com

São Paulo

 

*

O GANSO VAI EMBORA

 

Parece que o São Paulo conseguiu vender o Ganso para o Sevilha, da Espanha. Fica a pergunta: ele terá sucesso na disputa do campeonato espanhol? Para ter sucesso, o boleiro tricolor terá de mudar radicalmente sua forma de jogar, forma essa na qual ele fica os 90 minutos numa boa em faixa de campo dando toquinhos para os parceiros e, de vez em quando, é óbvio, coloca algum na cara do gol ou até mesmo marca como ultimamente, mas, mesmo no campeonato espanhol  ­- que é menos corrido e duro do que o italiano, alemão e inglês, nos quais os meias como ele têm a obrigação de correr o tempo todo apoiando atacantes e ajudando na marcação -, se ele não se enquadrar nessa forma de jogar, dura apenas uma temporada na Europa.

 

Laércio Zannini  spettro@uol.com.br

São Paulo

 

*

TOURADAS

 

A primeira morte em combate de um toureiro espanhol no século 21 ganhou ampla repercussão mundial por se tratar da Europa. A primeira morte de um toureiro mexicano no século 21, que ocorreu no mês passado, após ele ficar um mês hospitalizado, foi completamente ignorada pela mídia internacional, por se tratar da América Latina.  Houve um violento confronto de opiniões antagônicas na Espanha, com ameaça de morte contra o jornalista do El Pais, o que é um contrassenso em defesa dos animais.

 

Luiz Roberto da Costa Jr. lrcostajr@uol.com.br

Campinas

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.