Fórum dos Leitores

Colaboração dos leitores

O Estado de S.Paulo

08 Agosto 2016 | 05h00

OLIMPÍADA

Vivendo de ilusão

A cerimônia de abertura dos Jogos Rio-2016 foi espetacular e o mundo não poupou elogios ao evento, calando os que prognosticavam um fiasco. A nota destoante foi a esdrúxula vaia dirigida ao presidente interino, Michel Temer, que, de forma minimalista, se limitou, discretamente, a declarar abertos os Jogos Olímpicos. Fico a me perguntar: por que o azedume? Será porque o interino (ainda) não acabou com a penúria de quase 12 milhões de desempregados? Quem sabe, será porque não reverteu - nestas poucas semanas de sua interinidade - os mais de 3 pontos porcentuais negativos do produto interno bruto (PIB) em 2016? Ou terá sido porque não zerou o déficit monumental deixado pelo PT nas contas públicas? Ora, quem jogou o nosso país na lama em que está - crise social, moral, ética, política e econômica - foi o desgoverno de Dilma Rousseff, a “presidenta” que incidiu em crime de responsabilidade fiscal e por isso está em via de ser afastada (definitivamente) da Presidência da República. Ir à abertura dos Jogos Olímpicos com o espírito de vaiar justamente aquele que não tem responsabilidade alguma pelo atual estado de coisas por que passa o País é patético. Michel Temer, além de nada ter que ver com o peixe, tampouco é algum tipo de David Copperfield ou Dynamo, famosos mágicos. As pessoas, parece, não querem ter no comando do País alguém minimamente sério; estão, sim, à espera de algum ilusionista que as transporte, com um passe de varinha mágica, para o mundo do faz de conta. Esquecem-se de que foi exatamente por causa desse tipo de alienação que chegamos ao fundo do poço onde nos encontramos.

SILVIO NATAL

silvionatal49@gmail.com

São Paulo

Virada

Enquanto as cinco hienas do Senado arreganhavam os dentes para manter Dilma, Lula e o PT devorando o que resta da ossada em que transformaram o País, um grupo de brasileiros, com extremo esforço, criatividade e amor ao Brasil, produzia em silêncio a magnífica abertura da Olimpíada, que emocionou e encheu de orgulho aqueles que acreditam na fênix que ressurgirá das cinzas. Falta pouco para a virada. Acredite! 

GILBERTO DIB

gilberto@dib.com.br

São Paulo

Brasil fez bonito

Dois fatos no mesmo dia, 5/8/2016, lavaram a alma do sofrido povo brasileiro, aquele que sempre paga a conta. A manchete do Estadão de sábado resume a grandiosidade do espetáculo de abertura da Olimpíada no Rio de Janeiro. Competência que transmitiu ao mundo o sentimento fraterno e alegre do povo brasileiro, ainda que mergulhado numa crise econômica e política sem precedentes na sua História. Crise esta causada por corruptos cujo chefe, já identificado por Rodrigo Janot, nos propiciou a segunda alegria do dia, ao receber a resposta ao pedido para retirar do juiz Sergio Moro as investigações sobre parte de seus incontáveis “malfeitos”. O boquirroto, que já nos havia envergonhado perante o mundo ao levar para a ONU tal questão, recebeu a merecida e dura resposta do Ministério Público, assim transcrita (6/8, A4): “Considerando os dados colhidos no âmbito da Operação Lava Jato, há elementos de prova de que Lula participou ativamente do esquema criminoso engendrado em desfavor da Petrobrás, e também de que recebeu , direta e indiretamente, vantagens indevidas decorrentes dessa estrutura elituosa”. O Brasil fez bonito! 

ANTONIO CARLOS GOMES DA SILVA

acarlosgs9@gmail.com

São Paulo

Orgulho renovado

Parabéns ao Rio de Janeiro. Resgatei o orgulho de ser brasileiro. O espetáculo proporcionado quando da abertura dos Jogos Olímpicos foi simplesmente fenomenal, considerando todas as adversidades que o Brasil enfrenta. Foi o melhor de todos os que acompanhei. Se mil vezes eu nascesse, mil vezes nasceria no Brasil. O gigante está prestes a acordar. Parabéns ao Brasil e a todos os brasileiros.

CARLOS BENEDITO P. DA SILVA

carlosbpsilva@gmail.com

Rio Claro

A maravilhosa festa de abertura dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro nos fez, depois de muito tempo, voltar a sentir orgulho de ser brasileiro. E mostrou ao mundo que temos condições de, sem corrupção e sem os maus políticos para atrapalhar, ainda ser uma grande Nação.

CELSO NEVES DACCA

celsodacca@gmail.com

São Paulo

Bom começo

Foi linda e emocionante a abertura da Olimpíada! Uma festa bem carioca, com arte, beleza, simplicidade e criatividade, que muito nos emocionou e nos deu orgulho de sermos quem somos. Parabéns a todos os envolvidos e a nós, brasileiros. Tudo tem os dois lados: temos as nossas mazelas, assim como temos também as nossas grandezas, que são muitas. Começamos com o pé direito; E que seja assim até o fim dos Jogos.

RENATO KHAIR

renatokhair@uol.com.br

São Paulo

Emoção

Apesar das nossas mancadas na preparação da Olimpíada, a abertura foi excepcional, jamais imaginada, simplesmente impressionante! Fez lembrar o orgulho de ser brasileiro. Fazia muito tempo que não me emocionava tanto, cheguei a chorar. O País mostrou ao mundo sua capacidade de realização, em especial com um mínimo de investimentos (10% do de Londres). Enfim, foi um sucesso que calou a boca de muitos - entre eles, eu.

LAERT PINTO BARBOSA

laert_barbosa@globo.com

São Paulo

Um país que encanta o mundo com uma festa bonita, sofisticada, porém humana, é capaz de vencer as suas atuais dificuldades e ocupar o seu merecido lugar entre as nações. Parabéns ao Rio de Janeiro!

OMAR EL SEOUD

elseoud.usp@gmail.com

São Paulo

Parabéns aos organizadores da Olimpíada, aos atletas, ao público maravilhoso e à segurança perfeita, que não permitiu manifestações políticas numa festa feita para o mundo! A abertura surpreendeu e encantou a todos. Vamos em frente, Brasil!

WALTER ROSA DE OLIVEIRA

walterrosa@raminelli.com.br

São Paulo

Do mestre com carinho

Espetacular e criativa a abertura da Olimpíada 2016. Parabéns à equipe, em especial ao meu ex-aluno da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP Fernando Meirelles.

BENEDITO LIMA DE TOLEDO

bltoledo@uol.com.br

São Paulo

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

O BRASIL EM CRISE

É absolutamente estarrecedora e causa de grande preocupação e inquietude a informação da Confederação Nacional do Comércio (CNC), que dá conta do fechamento de 68 mil lojas País afora só no primeiro semestre deste ano - cerca de 375 por dia (!) -, um crescimento de 143% sobre o mesmo período de 2015 (27,8 mil lojas). Acompanha os números a previsão sombria de que o comércio deverá eliminar mais de 267 mil vagas, após ter fechado 278,5 mil postos de trabalho no ano passado. Se o quadro já não fosse suficientemente aterrorizante, a Federação Nacional de Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave) divulgou que a crise econômica resultou no fechamento de 1.226 concessionárias nos últimos 15 meses, com a eliminação de 124 mil empregos. Como as previsões são de que as vendas do varejo deverão cair 10,6% este ano - resultado pior do que o de 2015, que fechou com o recuo de 8,6% -, bem como de queda de 18,2% na venda de veículos novos, só resta mesmo ajoelhar e rezar. Após os 13 infelizes anos do desastroso desgoverno lulopetista, sobretudo no de Dilma Rousseff, a que ponto chegamos!

J. S. Decol  decoljs@gmail.com

São Paulo

*

À DERIVA

Nosso país está à deriva: no primeiro semestre deste ano, 67,9 mil lojas fecharam as portas. Isso representa em média nada menos que 375 por dia. Em 15 meses, 1,2 mil concessionárias de veículos também fecharam suas portas, o que representa 80 por mês. A alegação é por causa da crise. Errado! Quem foram os responsáveis que nos levaram a atingir essa situação caótica e desastrosa, se não o PT, PMDB e partidos aliados, mediante falcatruas e maquiando números para mostrar resultados mais bonitos, ou seja, praticando corrupção, roubando, desviando e superfaturando?

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

DOIS BRASIS

O Brasil está em crise, certo? Não, errado. Justamente o topo da pirâmide salarial nacional, que não tem do que reclamar, vem aprovando reajustes nos próprios salários. Os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), por exemplo, que recebiam a miserável importância de R$ 33 mil/mês, passarão a R$ 39 mil/mês. Não sei qual de nós é brasileiro, os dois não podem ser, pois a realidade de um não bate com o teto do outro.

Ricardo C. Siqueira ricardocsiqueira@globo.com

Niterói (RJ)

*

O PLANTIO DOS PARLAMENTARES

Os senadores deram um aumento do tamanho de um elefante aos membros do STF. Desconfio de que, como os parlamentares têm foro privilegiado e só podem ser julgados pelo STF, se cometerem algum crime, trata-se de um pagamento antecipado para que os juízes do STF atuem como seus advogados. Quem viver verá.  

Mário A. Dente eticototal@gmail.com

São Paulo

*

OS ESTADOS E A LRF

Levantamento feito pelo Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) mostra que em 25 dos 27 Estados brasileiros, o Poder Legislativo e o Judiciário descumprem a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). São repassados os gastos conforme constam no orçamento. O que é o orçamento? É a previsão - vejam bem, previsão - de receitas e despesas do governo. Na prática, é uma peça de ficção. Logo, se é previsão, pode ou não ocorrer. A questão é que, quando não ocorre a receita, os gastos teriam de ser diminuídos na mesma proporção. Só que tal não ocorre. O repasse é feito tal qual consta no orçamento. O Judiciário e o Legislativo querem o deles, no melhor estilo "eu quero o meu, o resto que se dane". Daí começa a não haver recursos para as outras áreas, como as sociais, e a desequilibrar as contas públicas, dificultando o ajuste dessas contas. Por essa razão - e sejamos justos, não é a única - que os hospitais e as escolas estão sucateados, como estão também outros serviços. Estes dois poderes deveriam dar o exemplo e cumprir a LRF. Enquanto não cumprirem, a tendência é o buraco aumentar mais e mais.

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

A GRAVIDADE DO PROBLEMA

Segundo os critérios da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), os gastos com a folha de pessoal dos funcionários públicos, perto de 9 milhões no País, segundo recente pesquisa, não podem ultrapassar determinada porcentagem da receita corrente líquida, ou seja, 50% para o governo federal e  60% para Estados e municípios. A situação atual é pior do que parece, pois muitos Estados e municípios, além de não respeitarem a LRF, também não contabilizam pagamentos a terceirizados, pensões e aposentadorias, auxílio-moradia, auxílio combustíveis, etc. A ideia é simples: há que limitar os gastos com pessoal para que sobrem recursos para investimentos e custeio da máquina pública. Segundo estimativa da secretária da Fazenda de Goiás, Ana Carla Abrão Costa, os gastos com o pessoal podem superar até 80% da receita líquida. 

Edgard Gobbi edgardgobbi@gmail.com

Campinas 

*

SERÁ QUE O PSDB ACORDOU?!

Quando lemos pela imprensa que o PSDB cobra de Michel Temer austeridade e que deixe de fazer as exageradas concessões aos Estados e ao funcionalismo público federal, como no caso dos reajustes salariais absurdos em meio a uma crise fiscal jamais vista neste país, é de perguntar: será que os tucanos finalmente acordaram? Ou estão jogando somente para a plateia? É difícil de entender como um partido que tem como sua principal referência FHC, e também quadros da melhor qualidade de administradores públicos desta nação, infelizmente, não consegue ser protagonista na defesa das prioridades nacionais. Por causa desta medíocre comunicação com a nossa sociedade, e também da incompreensível falta de coragem de defender as inúmeras conquistas da era FHC, seus candidatos ao Planalto sucumbiram e perderam quatro pleitos seguidos para os demagogos e incompetentes Lula e Dilma. Portanto, será que é para valer essa advertência feita pelo PSDB ao interino presidente Michel Temer, para que privilegie a austeridade, recupere as contas públicas e a nossa economia? Estou pagando para ver...

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

INTRANSIGÊNCIA COM OS GASTOS

 

Os tucanos atuam na direção de que o governo interino de Michel Temer, após a eventual cessação de sua interinidade, o que poderá ocorrer a partir de setembro, atue de forma intransigente no controle dos gastos da União. Com efeito, têm-se verificado aumentos elevados para várias categorias de servidores públicos da União, o que, sem dúvida, provoca efeito cascata por todo o Brasil. Aliás, a postulação do PSDB está de acordo com o Plano A deste governo, exposto pelo Ministério da Fazenda. Daí que não se pode criar um plano e não executá-lo devidamente. Está, pois, na hora exata de o governo federal conter os gastos e de prestigiar o caixa da União.

José C. de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

*

A OPÇÃO DE TAXAR GRANDES FORTUNAS

A Constituição de 1988, aquela que Unisses Guimarães disse que seria ingovernável, introduziu o imposto "sobre grandes fortunas", passando a habitar a imaginação das esquerdas que viam nessa ferramenta uma forma de punir a "burguesia" numa "justiça social". Cogita-se no Senado, sob autoria do senador Antônio Carlos Valadares (PSB-SE), uma proposta que tem como alvo patrimônios superiores a R$ 2,5 milhões, em que começarão a incidir alíquotas de 0,5% até chegar a patrimônios de R$ 40 milhões. O projeto destina a arrecadação para o Sistema Único de Saúde (SUS). Na Europa, dez países aboliram essa lei por ser julgada inconstitucional. Inventa-se de tudo para aumentar a receita e esquece-se que reduzindo a despesa também se aumenta a receita.

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

*

SUBSTITUINDO PARA SOBREVIVER

As substituições provocadas pela atual crise econômica no País são: sai a cerveja e entra a cachaça, mais barata, dura mais, não vence e aquece mais rápido; saem os perfumes e o salão de beleza e entra o batom, mais barato e causa impacto imediato. Saem as carnes e entram as frutas e os legumes. Saem as compras impulsivas e entram as compras mais conscientes. E o que mudou também é que a atual crise atinge todos, está socialmente mais abrangente e com final distante. Só quem sobreviver verá os seu fim. Resista, se puder!  

Arcangelo Sforcin Filho arcangelosforcin@gmail.com

São Paulo

*

QUEM SÃO OS CULPADOS

Não se pode culpar servidores ou aposentados pela falência dos Estados e municípios, culpados, sim, são os gestores dos recursos públicos, pela incompetência ou corrupção. Servidores e trabalhadores da iniciativa privada contribuem e muito para o progresso, pagando seus impostos religiosamente. O ministro da Fazenda não deve pensar em aumentar a carga tributária, ela já pesa muito no bolso do contribuinte. Deve é recomendar ao presidente cortar gastos com mordomias e abolir de vez os tais cartões corporativos. Por favor, assumam suas responsabilidades e comecem a tomar decisões honestas e transparentes, afinal, é o contribuinte o verdadeiro dono do dinheiro que gastam.

Odiléa Mignon cardosomignon@gmail.com

Rio de Janeiro

*

REFORMA PREVIDENCIÁRIA

Que o governo utilize argumentos falaciosos para justificar a reforma previdenciária entende-se, afinal, ele usa indevidamente o dinheiro arrecadado. Agora, lamenta-se a posição da imprensa que, talvez, para não perder a verba publicitária, endossa esses argumentos. A Previdência não é deficitária!

Cláudio Caleffi claudiocaleffi@gmail.com

São Paulo

*

NA CONTRAMÃO

O Brasil está na contramão dos países desenvolvidos, tanto que "junta" um elevado déficit da Previdência. Não obstante, a proposta da reforma é otimista e esperançosa. Haja vista exemplos dos EUA e da Europa. Afinal, são eles que estão na vanguarda. 

Guilherme Rabelo guilhermerabelo@terra.com.br

Curitiba 

*

O PESO DO FUNDO PARTIDÁRIO

É vergonhoso que um país pobre como o Brasil destine quase R$ 10 bilhões ao Fundo Partidário. Conforme noticiou o jornal "Estadão", esse valor equivale ao da obra mais cara da Olimpíada do Rio: a construção da linha de metrô entre Ipanema, na zona sul, e a Barra da Tijuca, na zona oeste, com 16 quilômetros de extensão. Aproveitando a troca de presidente, nossos parlamentares deveriam ter coragem de fazer uma reforma política, abrindo mão dessa soma imensa de recursos e que cada um se vire por conta própria. Não é possível o povo pagar para que os partidos comprem aviões, helicópteros e outras mordomias com dinheiro público. A propaganda eleitoral e partidária nos rádios e nas TVs deveria ser abolida, tal qual "A Hora do Brasil". Um entulho autoritário que só serve para iludir os mais ingênuos, enquanto serviços essenciais ainda deixam a desejar.

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

POLÍTICOS EM DESESPERO 

Não foi nenhuma coincidência o fato de o ex-presidente Lula ter recorrido ao Conselho de Direitos Humanos da ONU contra o juiz Sergio Moro, no mesmo instante em que seu DNA de proprietário do sítio em Atibaia e do tríplex do Guarujá é exposto pela Polícia Federal. Na realidade, o "desespero" de ver sua prisão cada vez mais perto motivou essa inútil e vexatória tentativa, já que existe percepção geral de que as instituições aqui funcionam dentro da mais absoluta legalidade e democracia. O mesmo sentimento já tinha se apossado do presidente do Senado, Renan Calheiros, encrencado em pelo menos uma dúzia de processos na Lava Jato, ao desengavetar subitamente um antigo projeto que visa explicitamente e unicamente barrar a bem sucedida operação.  

Abel Pires Rodrigues abel@knn.com.br

Rio de Janeiro 

*

AUTOESTIMA

O verdadeiro caráter de sr. Lula foi, afinal, desnudado, e o que se viu foi desagradável, atingindo de maneira impactante toda a sociedade brasileira. Seu recurso desesperado à ONU, tentando vender a imagem vitimizada de um ser perseguido e imparcialmente tratado pela sua Justiça, mostra inequivocamente a sua enorme covardia e o seu desprezo pela imagem do Brasil no exterior, além de ressaltar seu egoísmo e aleivosia. Após a iniciativa internacional lamentável, o juiz Ricardo Leite, da 10.ª Vara de Justiça Federal de Brasília, o transformou em réu, juntamente com o ex-senador Delcídio do Amaral e outros, por obstrução ao desenvolvimento da Lava Jato, numa clara agressão ao Poder Judiciário. Esperemos que os representantes da ONU estejam bem informados sobre o que está realmente acontecendo por aqui e, ao se manifestarem, o façam com critério e cuidado, pois está em jogo a autoestima de todo um povo.

Paulo Roberto Gotaç pgotac@gmail.com

Rio de Janeiro

*

FECHANDO O CERCO

A petição do ex-presidente Lula à Comissão de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas é um sinal de que o juiz Sergio Moro e a República de Curitiba já estão fechando o cerco sobre o "capo di tutti capi". Os argumentos apresentados por sua defesa não passam de uma demonstração de desespero, um "jus sperniandi".

 

Silvano Corrêa scorrea@uol.com.br

São Paulo

  

*

LULA NÃO ESTÁ SÓ

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva virou réu por tentar obstruir a Operação Lava Jato. A decisão do juiz Ricardo Leite, da Justiça Federal do Distrito Federal, refere-se à tentativa de Lula no sentido de evitar a delação premiada de Nestor Cerveró. No dia anterior, Lula acusou o juiz Sérgio Moro de abuso de poder, na Comissão de Direitos Humanos da ONU. Lula não está sozinho nessa empreitada. Delcídio do Amaral, André Esteves, José Carlos Bumlai, Maurício Bumlai e Edson Filho também foram acusados pelo Ministério Público. Haja cadeia para todo mundo! 

José Carlos Saraiva da Costa jcsdc@uol.com.br

Belo Horizonte

*

LAMENTÁVEL

Se o autor da ação contra a Justiça brasileira (Sérgio Moro) na ONU fosse um negro e/ou pobre, até poderia ter sentido tal medida, dependendo do caso, mas a dele não tem nenhum sentido. Somente os lacaios do PT estão de acordo. E, se fosse pobre, não poderia contratar o advogado que está atuando nessa causa. Lamentável. Mais uma péssima divulgação de podres de nosso país.

M. Mendes de Brito voni.brito@gmail.com

Bertioga

*

FILOSOFIA TÍPICA

De acordo com o jornal Britânico "The Telegraph", Lula, com medo de ser preso, contratou o famoso advogado Geoffrey Roberston, que está defendendo Julian Assange, da WikiLeaks. O referido advogado apresentou queixa para as Nações Unidas porque os diretos humanos de seu cliente foram desrespeitados na Operação Lava Jato, embora essa operação esteja sendo conduzida com o máximo de cuidado com as formalidades e procedimentos jurídicos. Filosofia típica de Lula & Co.: a Justiça deve investigar e condenar os outros; chegar ao poder é democracia, usar métodos democráticos para afastar uma presidente desastrosa é golpe.

Omar El Seoud ElSeoud.USP@gmail.com

São Paulo

*

DECLARAÇÃO DE CULPA

Quem se autoproclama a alma mais honesta do Brasil, mas recorre à ONU contra um juiz de primeira instância da Vara Federal de Justiça em Curitiba, é porque realmente deve estar com muito medo dos feitos cometidos na política brasileira. Essa é a maior declaração de culpa dos últimos 13 anos.

Antônio Carelli Filho palestrino1949@hotmail.com

Taubaté

*

UM CARA DE SORTE

Falem o que quiserem de Lula, mas que ele é um cara de sorte, isso não se discute. Agora denunciado em Brasília, ele poderá usar a delação premiada para contar sua versão sobre o que falam dele.  

Walter Kovacs  kovacswalter@hotmail.com

São Paulo

*

SEMOVENTE DOMESTICÁVEL DE PRODUÇÃO

Você sabe o que essa verborragia significa? Pois é, acaba de ser publicada uma nova lei, a de número 13.330, que altera o Código Penal com a finalidade de punir os ladrões de galinhas (a galinha é um semovente domesticável), ainda que a "penosa" esteja viva ou já dividida em partes. Não li na íntegra o texto da lei, mas vou fazê-lo para matar uma curiosidade: quero saber se a pena do infrator será dada de acordo com o valor de mercado das partes roubadas, como por exemplo, só coxas, só sobrecoxa, só peito, etc. Se foram roubados só os pés, acredito que o meritíssimo juiz optará pela absolvição. Quando o Brasil vai ter dirigentes sérios? O País está a cada dia mais abarrotado de ladrões dos cofres públicos, de onde subtraem bilhões e bilhões de reais, e essa bandidagem continua na rua, rindo da nossa cara.

Humberto de Luna Freire Filho hlffilho@gmail.com

São Paulo

*

O COMÉRCIO NO SUL SOB RISCO

Depois de naufragar a Venezuela em sua desastrosa intifada esquerdista, Nicolás Maduro agora quer destruir o Mercosul. Até quando deixaremos este lunático ignóbil berrar em nosso continente?

Sérgio Eckermann Passos sepassos@yahoo.com.br

Porto Feliz 

*

POKÉMON GO

Será que os idealizadores do jogo Pokémon Go, que aporta agora também no Brasil, alertaram aos viciados que, enquanto procuram desesperadamente seus monstrinhos pelas ruas, distraídos, podem perder seus celulares? Com certeza aos costumeiros assaltantes de celulares ficará muito mais fácil, e nem precisarão empunhar uma arma. Basta pegá-lo do viciado distraído e - "pernas pra que te quero?" - fugir, claro.

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

NA VANGUARDA

Em matéria de Pokémon, o Brasil foi pioneiro. Já estamos cassando políticos há mais de um ano e em todos os aposentos.

Marcos Catap marcoscatap@uol.com.br

São Paulo

*

IMPULSO PARA A FUGA

Um jogo de celular (Pokémon Go) conseguir capturar milhares de pessoas em todo o mundo, mantê-las presas numa realidade aumentada e fazê-las correr pelas ruas mostra sinais claros de impulso para a fuga de si mesmos por parte dos jogadores.

Luiz Roberto Da Costa Jr. lrcostajr@uol.com.br

Campinas

*

CAOS

Chegou o Pokémon Go ao Brasil, com seu poder de alienação. Salve-se quem puder...

Luíz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo

*

ANALFABETISMO

Existem, segundo a Unesco, dois tipos de analfabetos: o absoluto e o funcional. O primeiro deles refere-se àquelas pessoas que não tiveram acesso à Educação, nunca puderam ir para a escola por mais de um ano. E são chamados de analfabetos funcionais os indivíduos que, embora saibam reconhecer letras e números, são incapazes de compreender textos simples, bem como realizar operações matemáticas mais elaboradas. No Brasil, conforme pesquisa feita pelo Instituto Pró-Livro, 50% dos entrevistados declararam não ler livros por não conseguirem compreender seu conteúdo, embora sejam tecnicamente alfabetizados (informação site brasilescola). Posto isso pergunto: como o jornalista Fernão Lara Mesquita, que escreveu o artigo "Abaixo essas instituições!" (5/8, A2), pretende que a "revolução" tendente a estabelecer a democracia aconteça "de baixo para cima"? Repito à exaustão: sem educação de qualidade, a todos, indistintamente, não haverá "revolução", pois o povo soberano é, em grande parte, analfabeto. Muito triste.

Andrea Metne Arnaut  andreaarnaut@uol.com.br

São Paulo

*

A JUSTIÇA E OS BADERNEIROS

Lamentável que pessoas que acessaram as melhores universidades do País tenham suas mentes invertidas para o negativo, para a distorção e para a inversão de valores, como tem acontecido sistematicamente em nossas universidades. Logo se vê que não são a maioria, mas o estrago é maior do que se fosse. São noias a serviço dos invisíveis controladores indiretos do poder mundial. Os mesmos que espalham as ideologias podres em todas nossas organizações de sociedade. Fazem isso por um poder real e para interesses de um capitalismo selvagem e brutal com os seres humanos (cada vez mais em quantidade) de pouca reflexão e informação. A ideologia divulgada é o canto da sereia (se funcionasse), mas o objetivo real são para as realezas se fartarem de dinheiro desviado e capturado em todo o mundo. Aqui, no Brasil, eles nos tiram US$ 1 bilhão por dia. Quando vamos reagir contra estes agentes traidores da Pátria em todas as suas formas de atuação?

Nelson Pereira Bizerra nepebizerra@hotmail.com

São Paulo 

*

MOTORISTA SEM CINTO DE SEGURANÇA

Gostaria de deixar uma reclamação a respeito do fato de o motorista da perua número de ordem 6-6074 - Jd. Chácara do Sol-Terminal Varginha -, que trafegava nesse sentido na quinta-feira, dia 4 de agosto de 2016, às 7h15, exercer o seu ofício descaradamente sem utilizar o cinto de segurança, em flagrante desrespeito a uma das mais elementares normas de trânsito e, mais grave ainda, à própria vida do condutor. Fico a refletir se, tendo esse motorista tamanho descaso com a sua própria existência, qual não seria sua preocupação, ou ausência desta, quanto à segurança dos passageiros que conduz. Assim sendo, gostaria de expressar minha indignação pelo fato de a população das áreas nas quais essa linha opera estar nas mãos de motoristas com esse perfil, em sua ida e vinda ao terminal rodoviário mais próximo.

Carlos da Silva carlos_dunham@yahoo.com.br

São Paulo

*

PRAÇA ANTERO DE QUENTAL

Na Praça Antero de Quental, localizada no bairro do Leblon, na cidade do Rio de Janeiro, ficou localizada uma estação da linha 4 do metrô carioca. Foi necessário fechar o espaço aos antigos visitantes e moradores locais por mais de quatro anos; eles ficaram privados de ocupar aquela área e foram sacrificados em prol da construção da linha que liga a zona sul à Barra da Tijuca. Esperava-se que, depois de tanto tempo, os moradores fossem recompensados com uma praça, no mínimo, mais arborizada que a anterior, porém o que se vê é cimento puro na maior parte da praça; as árvores que ali estavam foram dizimadas. Em suma: hoje temos uma praça com muito cimento e pouca vegetação. Melhor seria se deixassem tudo como estava ou usassem o dinheiro para implementar um projeto de paisagismo compatível com o que se gastou com o cimento.

Mário Negrão Borgonovi marionegrao.borgonovi@gmail.com

Rio de Janeiro 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.