Fórum dos Leitores

SOB NOVA DIREÇÃO

O Estado de S.Paulo

20 Setembro 2016 | 03h01

Temer na ONU

O presidente Michel Temer tem muito a corrigir dos 13 anos de petismo. O prejuízo do regime lulopetista para a diplomacia brasileira foi severo. Sob Lula e Dilma Rousseff, nosso país apoiou republiquetas bolivarianas, ditaduras esquerdistas, governos terroristas, rebeldes sem causa, anarquistas. Chega de Venezuela, Bolívia, Cuba, Angola, Palestina. E chega de Foro de São Paulo. É hora de acenar para os investimentos americanos, para o mercado europeu, para a tecnologia israelense e para os avanços do Japão. É hora de voltarmos a ser defensores da democracia, e não tendenciosos financiadores dos interesses de Lula e sua trupe. O Brasil é maior que o petismo. Esperamos que Temer nos represente bem!

SÉRGIO ECKERMANN PASSOS

sepassos@yahoo.com.br

Porto Feliz

Página virada

Após os contatos na China, não merecem resposta as intervenções feitas na ONU com alegações de golpe. Temer tem a consciência tranquila de que a Constituição da República foi cumprida integralmente e no processo de impeachment de Dilma Rousseff não houve ilegalidades, mesmo porque contou, no Senado, com o comando de Ricardo Lewandowski, então presidente do STF. O tema “golpe” deve ser tratado como página virada.

JOSÉ CARLOS DE C. CARNEIRO

carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

Partido desmoralizado

O PT aguardou o afastamento definitivo de Dilma Rousseff para deflagrar as manifestações sistemáticas que pedem “fora, Temer” e “diretas já”, duas reivindicações meramente vingativas e frontalmente inconstitucionais. Nenhuma surpresa. Desmoralizado e sem rumo, ao partido só resta a baderna.

LUCIANO HARARY

lharary@hotmail.com

São Paulo

Boca no trombone

Quando é que Temer vai, em cadeia nacional, botar a boca no trombone, dizer como encontrou o País, falar dos trunfos que já conseguiu e de como precisa do apoio de todos os brasileiros?

TINA IAKI

tindalb@uol.com.br

São Paulo

Por favor, presidente Temer, fale. Defenda as pessoas que entendem que o longo processo para a sua posse foi absolutamente constitucional. Os antigos governos levaram-nos à beira do precipício. Cabe ao senhor nos tirar de lá e nos conduzir aos campos férteis da economia robusta, saúde espraiada, educação florescente. Conte a todos nós a verdade. A parte bonita e a parte feia. Saberemos entender e apoiar suas medidas para que possamos, até 2018, estar fortes o suficiente para eleger pessoas de bem.

RENATA PIMENTEL DE OLIVA

renataoliva54@uol.com.br

São Paulo

Dizer o que tem de ser dito

Michel Temer é um político maneiroso, diplomata, por isso chegou aonde chegou. Foi presidente do PMDB, o maior partido do País e também o mais heterogêneo, amorfo, e é por isso que lá cabe tudo, esquerdistas, direitistas, centristas, corporativistas e, sobretudo, oportunistas. Para poder governar como deseja Temer tem de ser um malabarista exímio, saber lidar com todos eles, mesmo assim encontra resistência dentro do seu próprio partido entre aqueles que querem uma boquinha, o célebre toma lá e dá cá: “Quanto é que eu levo nisto?”. Haja paciência! Para fazer o melhor governo possível Temer quer a pacificação política, mas sabe que jamais obterá a paz com o PT, que enquanto a companheirada tiver ânimo repetirá à exaustão o “fora Temer”. O presidente precisa ter a mesma coragem de fazer o que já fez, isto é, declarar ser contra o aumento dos proventos dos ministros do STF por produzir efeito cascata e, assim, repetir o que disse o procurador da República no Paraná Deltan Dallagnol: “Lula era o comandante máximo do esquema de corrupção identificado na Lava Jato”. A ruptura com Lula e o PT já existe e não tem mais conserto. Então, é aproveitar para dizer em alto e bom som que toda a crise, a maior da História, pela qual o Brasil está passando – desemprego, inflação, etc. – se deve ao governo desastrado do PT nos últimos 14 anos. Chega de panos quentes. Guerra é guerra.

JOSÉ CARLOS DE CASTRO RIOS

jc.rios@globo.com

São Paulo

Sabedoria

Duas frases de Disraeli bem adequadas aos dias que correm no Brasil: “O momento exige que os homens de bem tenham a audácia dos canalhas” e “o maior mal para um país é um governo fraco – ainda que de homens de bem –, pois não consegue impor boas medidas e consente que lhe imponham más”.

PAULO ROBERTO SANTOS

prsantos1952@bol.com.br

Niterói (RJ)

PREVIDÊNCIA SOCIAL

Corrida à aposentadoria

Enquanto o governo titubeia e não define de vez as verdadeiras regras da reforma da Previdência Social, principalmente no que se refere à aposentadoria por tempo de serviço, os viúvos de madame Rousseff vão espalhando de forma terrorista que Temer será para os futuros aposentados uma espécie de dr. Mengele. Por isso está havendo uma corrida precipitada aos guichês das agências do INSS. Quanto mais Temer procrastina, mais munição estará dando aos perturbadores da ordem social. O presidente definitivo deve considerar que alguns gnomos e duendes ainda habitam o Tribunal Superior Eleitoral.

JAIR GOMES COELHO

jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

Ineficiência

No artigo Previdência – injusta, insustentável e ineficiente (17/9, A2), o autor cita vários fatores que fazem pender negativamente o fiel da balança: de um lado, os aposentados e, de outro, os contribuintes – dando a entender que os velhos são uma carga para os jovens. Eu contribui sobre 20 salários por mais de duas décadas, até ter sido reduzido para 10. O autor esqueceu-se de citar ou analisar como essas contribuições são investidas para resultarem na retribuição quando o contribuinte chega à idade de se aposentar. Sem esse resultado a situação será sempre deficitária, gastando-se o que entra. Justifica-se que há corruptos que solapam esses fundos, legislações que obrigam o desvio desses recursos, inflação, etc. Porém há entidades previdenciárias do exterior que vêm ao Brasil, que é líder global de juros, para auferir bons lucros em benefício dos seus contribuintes. Alguém pode explicar isso? Certamente alguém tem de começar com essa poupança no governo. A poupança individual particular citada pelo autor nada tem que ver com o que estamos tratando.

LOURENÇO NAMPO

ieh.santo.andre@gmail.com

São Paulo

“A parte burra da esquerda brasileira vive indo às ruas gritar ‘fora, Temer’, mas nunca grita ‘abaixo 

os ladrões das estatais’...”

EUCLIDES ROSSIGNOLI / AVARÉ, SOBRE A CHIADEIRA 

DA TURMA DA BOQUINHA

euclidesrossignoli@gmail.com

“O ‘fora, Temer” virou tema de desocupados. Um grito vazio e sem sentido, Temer está cumprindo integralmente os termos da nossa Constituição. 

E fim de papo!”

ARCANGELO SFORCIN FILHO / SÃO PAULO, IDEM

arcangelosforcin@gmail.com

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

PROPAGANDA ELEITORAL

Quando determina que seus candidatos utilizem o horário eleitoral gratuito de rádio e televisão para a defesa do ex-presidente Lula, o Partido dos Trabalhadores (PT) promove um inaceitável desvio de finalidade. O espaço de rádio e TV tem finalidade específica: promover as candidaturas devidamente registradas para o próximo pleito. Defender (ou atacar) personalidades alheias à postulação dos votos não constitui propaganda eleitoral, e espera-se que os juízes impeçam essa anomalia. O horário eleitoral é a janela de que o candidato tem para se apresentar ao eleitor e a oportunidade que o eleitor tem para conhecer os postulantes e fazer a sua escolha. Utilizar esse espaço para outra finalidade é uma grave violação ao direito dos candidatos e dos eleitores. Se for permitido o uso do horário gratuito para a apologia ao "golpe" ou a defesa de acusados, o grande prejuízo será da sociedade, que verá o processo eleitoral atropelado por momentâneos interesses de grupos. Eleição é coisa séria e não pode admitir violações ao seu livre curso.

Dirceu Cardoso Gonçalves  aspomilpm@terra.com.br

São Paulo

*

CARTAS MARCADAS

Você não se dá conta, mas o prefeito da sua cidade já foi escolhido, a você caberá apenas o papel coadjuvante de escolher entre os escolhidos pelos partidos políticos. O povo brasileiro tem um papel secundário na escolha de seus governantes, quem escolhe de verdade são os partidos políticos. O povo brasileiro é, na verdade, um figurante sem fala no processo eleitoral, só abre a boca para escolher entre os escolhidos pelos partidos, que governam em forma de cartel, dividindo cargos e territórios para evitar a concorrência e maximizar os lucros. Depois das eleições, o povo não aparece mais nem como figurante. O Brasil está muito longe de ser um país democrático. Aqui o povo não manda em nada, nunca mandou, quem manda são as verdadeiras organizações criminosas que se apresentam como partidos políticos.

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

*

O VOTO NA FUNDAÇÃO CASA

O "Estadão" de sexta-feira (16/9) deu conta de que haverá uma sessão eleitoral improvisada na Fundação Casa, a fim de que votem os meninos "entre 16 e 21 anos incompletos, submetidos à medida socioeducativa de internação ou ao programa de internação provisória". Mas, afinal, que importância isso faz? Garantir a esses garotos o direito ao voto significa admiti-los como cidadãos, ou seja, é das formas mais importantes de tirá-los da margem e inseri-los na sociedade, no destino de seu país. No momento em que o menino "marginalizado", que roubou um carro, deixa de ser segregado, ele é incluído - repito, sai lá da margem e deposita a sua vontade, ou seu protesto, ou o seu sonho, na urna.

Andrea Metne Arnaut andreaarnaut@uol.com.br

São Paulo

*

DEBATES

Só gostaria de observar que o formato dos debates em geral não dá oportunidade ao público para conhecer melhor os candidatos. O tempo para as respostas é muito exíguo, de modo que pouco podem esclarecer como executarão suas propostas. Fica tudo na superficialidade, permitindo que só façam promessas genéricas do que pretendem fazer, sem explicitar como pensam executar o que estão prometendo. Fácil, então, fica enganar o povo com propostas sobre o que mais preocupa a população em geral, mas o tempo escasso não os obriga a explicar melhor como as cumprirão. Assim, os candidatos espertos tiram partido dessa escassez de tempo, afinal não precisam explicar quase nada, bastando soltar frases de efeito. O mesmo acontece com o tempo dado para as respostas entre os candidatos, coisa até inútil, porque só criam "pegadinhas" uns para os outros. Enfim, o formato empobrece o debate, negando a nós, eleitores, um maior conhecimento da competência de cada um. Que pena! No fim, acaba conquistando mais votos quem tem experiência mediática, transformando-se a eleição num concurso de sedução. Creio que muito mais producente seria dar mais tempo para cada resposta, exigindo mais abrangência por meio das perguntas formuladas sobre os temas que mais preocupam a população e reduzindo o número de perguntas. Não é senão por debates deste tipo que muitos candidatos bem assessorados por marqueteiros acabam sendo eleitos sem nenhum preparo para a função que irão exercer. É só observar nosso passado bem recente, o desastre que aconteceu, verificado já no dia seguinte às eleições. Nossa população, em sua grande maioria, não tem outra forma de conhecer os candidatos, infelizmente, e acaba seduzida pela aparência, e não pela seriedade dos propósitos dos candidatos. A meu ver, isso acaba empobrecendo sobretudo a qualidade de nossa democracia, ainda em processo de consolidação.

Eliana França Leme efleme@gmail.com

São Paulo

*

AINDA O 'GOLPE'

A candidata a prefeita de São Paulo Luiza Erundina (PSOL) passou por papel vexatório no debate de domingo, ao insistir em que, num processo previamente aprovado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) e também por este presidido, houve um "golpe" no Brasil. Agora questiono: se a senhora for eleita, por meio do mesmo ordenamento jurídico que a senhora chama de "golpista", teremos uma Prefeitura ilegítima em São Paulo?

Felipe da Silva Prado felipeprado39@gmail.com

São Paulo

*

PELA PORTA DA FRENTE 

Impressionante a capacidade de falar besteira de certos candidatos. Tem um, que já foi até ministro da Educação, entre cujas "promessas" ele diz que vai incluir cursos profissionalizantes de forma que os alunos das periferias possam entrar nos empregos "pela porta da frente". Como assim? Ah, já entendi, ele pensa que todo mundo é como ele, que, sem competência, foi "escolhido" e ocupou certos cargos entrando pela porta dos fundos, né?!

Aparecida Dileide Gaziolla aparecidagaziolla@gmail.com

São Caetano do Sul 

*

TEMER E A UNIÃO DO PAÍS

Em vídeo publicado na internet, o presidente Michel Temer pede a "unidade de todos". Mas o que ele entende por união? Quando Temer se aliou à chapa de Dilma Rousseff, ele concordou em unir esforços e recursos pela vitória nas urnas. Mas, passada a eleição, Temer parece ter-se esquecido de que, em qualquer contrato assinado, cada parte precisar zelar por todos os direitos e deveres do acordo. No final da eleição de 2014, o brasileiro se viu diante de dois projetos de governo, com Dilma Rousseff, à esquerda, e Aécio Neves, à direita. Temer, que estaria no centro, foi eleito como vice para, junto com Dilma, pôr em prática o programa eleito nas urnas. Mas Temer decidiu ser "unido" apenas no que dizia respeito a seus deveres, sem abdicar de seus direitos. Ao romper oficialmente com Dilma, mantém seu direito à vice-presidência, mas deixa de lado o dever de apoiar sua então companheira política, criando outra proposta de governo que não aquela eleita. Como pode um político exigir da população união, quando este não consegue respeitar tais princípios com aqueles com quem ele fez alianças? 

Dudlei Floriano de Oliveira dudleioliveira@hotmail.com

Cachoeirinha (RS)

*

E O 'FORA TEMER'?

Por onde anda o "Fora Temer"? Despontou para o anonimato?

Luciano Harary lharary@hotmail.com

São Paulo

*

FORA MAMATA!

Quem está impressionado com as manifestações violentas denominadas "Fora Temer" demonstra ingenuidade ao pensar que se trata de um movimento espontâneo e com propósito voltado ao bem comum. As constatações seguintes explicam os fatos: 1) segundo o ministro Eliseu Padilha, somente em Brasília há 45 mil "pescadores" que estão  recebendo o seguro-defeso (pago durante a Piracema), instituído pelos petistas; cerca de 500 mil, no Brasil todo. É muito "pescador", hein? 2) O famigerado MST (que não tem nem CNPJ) recebeu, nos últimos seis anos, cerca de R$ 268 milhões dos cofres públicos. 3) A não menos famosa UNE, só em 2011 e 2012, recebeu R$ 44 milhões, a título de "compensação pelas perseguições sofridas durante a ditadura". 4) A CUT (dispensa apresentações) recebeu, de 2008 a 2015, cerca de R$ 345 milhões, dinheiro público, é claro! 5) O Bolsa Família contabilizou fraudes, somente no período 2013-2014, no valor aproximado de R$ 2,5 bilhões. Havia cerca de 584 mil funcionários públicos inscritos no programa, recebendo... 6) Em julho, foram demitidos, pelo governo Temer, 2.010 servidores comissionados pelo governo Dilma, todos petistas e ocupando "cargos de confiança". Os salários variavam entre R$ 8.554,00 e R$ 24.535,00. Nenhum era concursado. E por aí vai... Entenderam agora quem são esses insufladores do "Fora Temer" e qual é a sua real motivação? Coloquem-se no lugar de quem mamava desse jeito, nas tetas do erário, desde 2003. Muita gente! É compreensível a raiva que sentem, diante da perspectiva do fim de tanta moleza.

 

Eraldo Bartolomeu Cidreira Rebouças real742@yahoo.com.br

Poços de Caldas (MG)

*

DO VENENO AO ANTÍDOTO

Conselho ao presidente Michel Temer: convoque o marqueteiro João Santana, proponha-lhe um acordo de leniência, contrate-o e acabe com esta confusão no seu setor de comunicação.

Sergio S. de Oliveira ssoliveiramsm@gmail.com

Monte Santo de Minas (MG)

*          

O BRASIL NA IMPRENSA MUNDIAL                                                                                          

Por Lula não ser o Brasil, o Brasil não pode ser chamado de país corrupto.

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo

*

CERCO FECHADO

Conforme noticiado recentemente, o ex-presidente Lula foi denunciado na Operação Lava Jato por corrupção e lavagem de dinheiro, ou seja, a acusação do Ministério Público Federal (MPF) é baseada na afirmação, com provas, do ex-presidente da empresa OAS Léo Pinheiro, de que o apartamento tríplex do Guarujá reformado para Lula, o homem "mais honesto" do País, era parte da propina dada ao PT em troca de contratos com a Petrobrás. No momento, só nos resta aguardar o andamento da denúncia encaminhada ao juiz Sérgio Moro. 

Edgard Gobbi edgardgobbi@gmail.com

Campinas 

*

POR QUE NÃO?

Sé é para ficar brigando tanto sobre de quem são o sítio em Atibaia e o apartamento no Guarujá, que não têm donos e não são "delle", então por que não pode ser meu? Eu juro que o condomínio vou conseguir pagar. E pode falar que é meu...

Percival Neves Panao brindesmagnus@terra.com.br

Adamantina

*

FALTAM EXPLICAÇÕES

Creio que ao eminente advogado de Lula faltou explicar à plateia por que somente em abril de 2016 dona Marisa Letícia, mulher de Lula, decidiu cobrar da construtora os valores pagos no citado apartamento, cujo contrato ela rescindiu em 2009. Será que foi para criar mais fato para explicar o inexplicável? Outra coisa que intriga é quem está pagando aquele escritório de advogados. Mistério.

Ademir A. Rodrigues rodriguesalonso@uol.com.br

Santos

*

RESPEITO

 

Quanto ao envolvimento de Lula na "propinocracia" anunciada pelo procurador da República Deltan Dellagnol, numa das falas o ex-presidente disse: "Só quero que sejam honestos comigo, que respeitem a dona Marisa". Acho que o ex-presidente tem memória curta e se esqueceu do affair com Rosemary Noronha às expensas do povo brasileiro. 

Humberto Schuwartz Soares hs-soares@uol.com.br

Vila Velha (ES)

*

PROPRIETÁRIO

Fernando Bittar é o verdadeiro dono do sítio em Atibaia, juro por Deus (com dois beijos sobre os dedos cruzados nos lábios). Embora não possua renda compatível, ele conseguiu bancar tudo graças não só à sua proeminência, mas à vastíssima amizade de que desfruta entre os empresários da construção civil. Insiste o homem que é mais honesto e popular que Jesus Cristo...

José Sergio Trabbold jsergiotrabbold@hotmail.com

São Paulo

*

QUEM PODE CALCULAR?

Difícil de entender: o tríplex e o sítio de Atibaia são mencionados como um "imenso roubo" praticado por Lula e sua quadrilha, mas e quanto ao Estado brasileiro todo, que sofreu o ataque continuado desta quadrilha de criminosos, durante mais de uma década - alguém será capaz de calcular as perdas?  Não só as perdas com o desmantelamento da Petrobrás e de todas as outras instituições tradicionais do País, como pela total desconsideração da moral e da ética! Quanto tempo levará para sanearmos estes "roubos"?

Annikki Lehto Gomes nickylehto@uol.com.br

São Paulo

*

LULA E A DENÚNCIA

"Provem uma corrupção minha que eu irei a pé ser preso", disse Lula após ser denunciado pelo MPF. Essa bazófia é lastreada por uma análise jurídica que se apoia na falta de documentos diretamente assinados. Como é óbvio, quem é mestre em malfeitos não assina recibos nem tem nada em seu nome, mas é impossível evitar testemunhos sob juramento de pessoas que privaram de sua intimidade, evidências objetivas coletadas em buscas e apreensão legais e "favores de amigos", estes, sim, fartamente documentados e comprovados. Acresce-se a estes fatos o rápido enriquecimento, sem nenhuma possibilidade de contestação, de seus familiares. A sociedade brasileira espera a aceitação da denuncia e, após o devido processo legal, a condenação merecida. Desta forma, para que ele comece a se preparar para a caminhada, sugiro que se inspire na rota mais popular do Caminho de Santiago (Caminho Francês com quase 800 km até Santiago de Compostela, que pode ser percorrido em pouco mais de 30 dias). A caminhada até Curitiba (408,4 km, via BR-116) poderá ser cumprida em cerca de 15 dias, os últimos em liberdade e suficientes para uma autoanálise profunda dos malfeitos cometidos nos últimos anos e suas consequências para os brasileiros.

Francisco Paulo Uras francisco.uras@uras.com.br

São Paulo

*

 'O CARA' DE PAU

Em ato do Partido dos Trabalhadores (PT) na semana passada, Lula, o "mais honesto" homem do País, repudiou o Ministério Público Federal (MPF), que em coletiva de imprensa disse que Lula era o comandante da organização corrupta na Petrobrás, controlando ou indicando os cargos na estatal. Lula, no estilo vítima, disse que o MPF promoveu um espetáculo mediático e de ódio ao PT. E que, se provarem corrupção dele, ele iria a pé para a cadeia. Lula, com lágrimas nos olhos (lágrimas de crocodilo), concluiu: "Só Deus pode me parar". Na esfera terrestre, os seres humanos, de sorte que mortais, criaram regras ou leis, e por tal não será Deus que fará isso, e, sim, a Lei e os exemplares homens da Justiça, no planeta Terra, Brasil. O cara de pau sonha em voltar ao poder, acredita em contos de fada, mesmo. Espero que os petistas honestos e bons que no passado acreditaram no metalúrgico e sindicalista Lula reflitam sobre a sua outra face e tudo o que vem acontecendo com o seu "poder", quando amigos e pessoas de confiança e empresários associados à corrupção estão todos presos. Lula é "o cara", mesmo, no caso, o cara de pau.

Alex Tanner alextanner.sss@hotmail.com

Sumaré

*

A PÉ PARA CURITIBA

Como eu moro também em São Bernardo, gostaria que Lula nos avisasse quando pretende começar a caminhada para Curitiba. Por ser muito longa, posso levar-lhe um marmitex e um par de tênis reserva. Mas, conhecendo os gostos luxuosos e as mordomias com que ele se acostumou, certamente vai querer ir de jatinho fornecido por algum amigo empreiteiro - isso se sobrou algum amigo a esta altura. Epero também que não vá sozinho e leve consigo Paulo Okamotto.

Luiz Roberto Savoldelli savoldelli@uol.com.br

São Bernardo do Campo 

*

DIGNO DE HOSPÍCIO

 

O "espetáculo midiático" promovido por Lula no discurso em que pretendeu inverter a ordem das coisas e acusar os seus acusadores do Ministério Público Federal (MPF) foi algo digno de quem se candidata não a um cargo eletivo, presente ou futuro, mas a ser paciente num centro para tratamento de enfermidades mentais. O ex convocou como sua testemunha na defesa que fez contra as invectivas do MPF ninguém menos do que Jesus Cristo: "Só ganha de mim aqui no Brasil Jesus Cristo" - vociferou a petistas e aliados, e, após ter-se comparado a vultos de nossa História como Getúlio Vargas e Juscelino Kubitschek, lembrou Tiradentes: "Não adianta matar, esquartejar, as ideias ficaram no ar e 30 anos depois conquistamos a independência". Só não disse, evidentemente, que as "ideias" e a "ideologia" que em geral animam a grei petista nada têm que ver com o ideal libertário, democrático e republicano dos inconfidentes. Estão mais para os princípios coletivistas e totalitários que inspiraram Lenin na Revolução Russa de 1917 ou Fidel Castro na tomada de Havana em 1959. Fora isso, e depois de vomitar a sandice de que os políticos têm, entre todas, "a profissão mais honesta" - na contramão do que pensam 9 em cada 10 brasileiros (alô, alô,  Eugênio Bucci!) -,  Lula jurou ter ele tirado da sala "(...) o tapete que escondia a corrupção deste país", vendendo aos desavisados - infelizmente numerosos - dever-se a ele (justo a quem!) o mérito pela persecução penal que a Operação Lava Jato e outras importantes iniciativas contra o crime estão desenvolvendo. Lula, que só faltou vestir-se de Napoleão - como no cliché do hospício -, só reafirmou o sentimento exacerbado de onipotência que o caracteriza, além de corroborar a convicção geral de que, ao contrário do que prega, ele se julga o "inimputável da República".

 

Silvio Natal silvionatal49@gmail.com

São Paulo

*

COISA DE MALUCO

Primeiro, "elle" se comparou a Jesus Cristo. Depois, a Tiradentes, e, finalmente, disse mais uma de suas pérolas ao afirmar que os políticos têm a profissão mais honesta. Poupe-nos de ouvir tanta asneira, apedeuta de São Bernardo.

Paulo de Tarso Abrão ptabrao@uol.com.br

São Paulo

*

LULA E TIRADENTES

O ex-presidente Lula, ao comparar-se impropriamente a Tiradentes, demonstrou não conhecer suficientemente a biografia de Joaquim José da Silva Xavier. O Tiradentes, depois de ocupar-se em diversas profissões, ingressou no Regimento de Dragões de Vila Rica. Foi contemporâneo de Joaquim Silvério dos Reis, este alçado ao posto de Coronel de Cavalaria. Um dos motivos que teria levado o delator Silvério a maximizar o papel de Tiradentes na rebelião, considerando tratar-se Xavier de um modesto alferes (posto correspondente ao de segundo-tenente na atualidade), numa conjura que envolvia e comprometia as maiores patentes militares da Capitania na revolta que se concertava, pode ter sido o fato de que Tiradentes combatia vigorosamente o descaminho do ouro pela Estrada Real, o que prejudicava interesses de opulentos negociantes da Capitania, entre os quais o próprio Silvério dos Reis. Remover Tiradentes da Estrada Real atenderia, assim, a duplo interesse: a obtenção da simpatia das autoridades da Metrópole e a substituição de um servidor correto e incorruptível, que atrapalhava os negócios escusos que naquela região se praticavam.

Luiz E. Pesce de Arruda luizeduardoarruda@yahoo.com.br

São Paulo

*

CABEÇA ERGUIDA

Lula, nascemos de cabeça erguida, não precisamos "conquistar esse direito". Ele é natural, não depende de cor, religião, gênero e dinheiro. O ex-presidente acreditou que algo impedia que sua cabeça se erguesse e, em determinado momento de sua história, lançou-se numa bravata "ergue cabeça", que bobagem! Viu mais longe, sim, todos concordamos, mas não porque sua cabeça se ergueu, e sim porque subiu mais alto na montanha: viu o mundo e conviveu com os poderosos. Mas durou pouco, sua clone tomou seu lugar e desenvolveu vida própria. Que grande bobagem Lula cometeu, não?  Nunca mais chegará ao topo, suas lágrimas são compreensíveis... Num último esforço ao pé da montanha, quase num buraco, tenta abaixar a cabeça das nossas instituições brasileiras para sentir que a sua é mais alta. Outra bobagem! Compara-se a Jesus Cristo e a Tiradentes? Mais bobagem! Divide os brasileiros entre bandidos e mocinhos, bobagem infantil. E assim, de bobagem em bobagem, ele mesmo é quem está abaixando a cabeça que nasceu erguida.

Sandra Maria Gonçalves sandgon@terra.com.br

São Paulo

*

RISÍVEL

Num pronunciamento bestialógico (pleno de sandices, em cujo conteúdo, entre outras necedades, fez a apologia de políticos ladrões, a condenação de agentes públicos concursados, além de ombrear-se a Tiradentes em amor ao País e em honestidade a Jesus Cristo), o nosso mais afamado morubixaba tupiniquim, ícone da nossa mais avançada e progressista classe artística, além de líder inconteste da tigrada nacional usufrutuária de recursos públicos (lícitos e ilícitos), rebateu furiosamente as acusações dos meninos concursados do MPF assacadas contra ele. O risível disso tudo foi a avaliação feita por analistas políticos (do canal de TV por assinatura mais assistido do País) de que o líder petista fez um discurso político, em tom marcadamente emocional, que só o ex-presidente tem a habilidade e a vocação profissional para fazer. Perderam a chance de observar as caras e bocas (além dos tremeliques nervosos do narizinho cirúrgico) de uma senadora do PT, enquanto o morubixaba discursava, a exibir seu novo look de cabelos mais negros que as asas da graúna, a despedir-se da figura que a afamou como a "Barbie das Araucárias". Rara oportunidade jornalística típica em que "um homem mordeu um cão", e não o contrário, conforme devem ter aprendido nos cursos de Jornalismo.

Ruy Tapioca ruytapioca@gmail.com

Rio de Janeiro

*

A RESPOSTA E AS LÁGRIMAS

 

Até chorar Lula chorou, embora lágrimas de crocodilo. Mas o discurso da semana passada era para dar resposta à Operação Lava Jato, e não para fazer comício aos integrantes do PT. As delações premiadas de Pedro Corrêa (ex-PP-PE) e de Delcídio Amaral (PT-GO e ex-líder do governo Dilma no Senado), juntamente com outras provas coletadas pela Lava Jato, são suficientes para a denúncia e condenação de Lula. Saliente-se que agora ele está no chão, parando de voar nas alturas, onde se achava intocável. Cabe, aqui, ainda, o verso de Fernando Pessoa: "O poeta é um grande fingidor, finge tão completamente que chega a pensar que é dor a dor que deveras sente".

José C. de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

*

PROVAS CIRCUNSTANCIAIS

Na denúncia recente formulada pelos procuradores do Ministério Público Federal (MPF) contra o sr. Luiz Inácio Lula da Silva, a referência a "convicções" não creio ter sido a ideal. Melhor seria "provas circunstanciais", as que se baseiam em indícios e deduções. E essas são muitas. Na vida legal o cidadão correto trabalha, produz, é remunerado, compra imóvel em seu nome, paga suas instalações e decoração, transfere para lá seus bens e usufrui, com o merecido orgulho, de sua nova residência ou local de descanso. Já o cidadão que quer esconder a origem de dinheiro obtido irregularmente arranja um "laranja" de sua confiança para assinar e constar na escritura do imóvel. Daí para a frente, passa a usufruir do mesmo como se proprietário fosse. Só ele e família usam o imóvel; o "laranja" nem chave tem e pede licença para adentrá-lo; toda a decoração, inclusive cozinha Kitchens de luxo, é escolhda pelo "usofrutuário enganador"; objetos comprados para a piscina, como pedalinhos, trazem o nome de netos; parte dos bens valiosos retirados (?) do  Planalto é transportada para esse imóvel, etc. Mas o "esperto" sempre declara que não é seu proprietário. Essas são ou não provas circunstanciais de um grande esquema de lavagem de dinheiro? Só não percebe quem não quer, ou tem interesse em participar do esquema.  Faz-nos lembrar a história do pato: faz barulho de pato, nada como pato, é seguido por muitos patinhos, mas o "esperto" insiste em que não é pato.  Na verdade, patos somos nós, que assistimos a todo esse circo de patacoadas e malandragens e, no fim, teremos de pagar o pato de toda essa roubalheira.  Felizmente, a Operação Lava Jato está agindo para acabar com esse "circo de mentiras". Provas circunstanciais é que não faltam!

Silvano Corrêa scorrea@uol.com.br

São Paulo

*

NÃO É NADA MEU

Quem aceitar a argumentação de Lula de que o tríplex e o sítio de Atibaia não lhe pertencem, e que a reforma, a cozinha gourmet, o elevador privativo e tantas outras caríssimas intervenções feitas pela OAS e pela Odebrecht nos imóveis foram uma inexplicável coincidência, deveria aceitar a argumentação de Eduardo Cunha a respeito daquelas contas na Suíça, que, também, não nunca foram dele.

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro 

*

BANCOOP

Como uma entidade tão ciosa dos direitos dos seus sindicalizados vende cotas de um apartamento para um ex-metalúrgico por apenas 10% do valor, enquanto a maioria dos bancários amarga o calote da cooperativa habitacional?

Edvaldo Angelo Milano e_milano@msn.com

Limeira 

*

'ILUSIONISMO'

A imprensa toda, o Ministério Público, a Polícia Federal, os delatores, os donos de construtoras, 95% da população estão errados e Lula está certo. Isso, sim, é uma ilusão. Boa sorte na caminhada a Curitiba.

Jose Claudio Bertoncello jcberton10@hotmail.com

São Paulo

*

PETROBRÁS USADA E ABUSADA

Finalmente, entendi por que Lula e o PT nunca quiseram a privatização da Petrobrás.

Silvio Leis silvioleis@hotmail.com

São Paulo

*

PETROLÃO

Esquema supostamente utilizado por alguns políticos brasileiros e investigado pela Polícia Federal por ter se aperfeiçoado no governo do ex-presidente Lula, que teve em seu governo uma verdadeira máquina de corrupção. A história dirá.

Mara Mendes maraherdade@gmail.com

São Paulo

*

LÁGRIMAS DE ARREPENDIMENTO

Lula chorou. Desta vez não foram lágrimas do maior artista e demagogo que o Brasil testemunhou. Foram sinceras. Mas foram de arrependimento. Ele arrependeu-se de sua opção pelo poder eterno. Por sua arrogância e por se achar maior do que realmente era. Por ter optado por envolver-se com ditadores cubanos e africanos, pelos malucos bolivarianos, e não pelos países em desenvolvimento e pelas democracias livres. Por não ter ouvido FHC, Mario Covas, Geraldo Alckmin e outros políticos liberais e democratas, nem ter solicitado conselhos de Jorge Paulo Lemann, Paulo Skaf, Claudio Bardella e outros grandes empresários. Por ter optado por receber conselhos de José Dirceu e ter se envolvido com empresários de construção corruptores, acostumados aos bons vinhos e à mordomia, por se aliar a Renan, Collor e Paulo Maluf. Por ter perdido a chance de se tornar personagem glorioso da História e passar a se tornar personagem entre os vilões da História. O poder entorpece e corrompe. Foram lágrimas de arrependimento pela escolha da menina maluquinha. Caso perdesse as eleições em 2014, teria voltado em 2018 como o grande líder que foi. Só os grandes homens é que conseguem não se embriagar com o poder. É a força negra do filme de George Lucas. Fostes fraco, Lula, agora é começar a cumprir sua última promessa e espero que esta seja verdadeira. Comece sua caminhada até a Papuda. Vá devagar e peça perdão aos desempregados, aos que morreram nas portas dos hospitais, aos que perderam seus lugares nos aviões, aos que perderam seus carros novos e suas casas novas, aos pequenos, médios e grandes empresários industriais que perderam empresas com histórias centenárias. Peça perdão a sua família, a minha e a de todos os brasileiros. E não chore mais. Pernambucano macho não chora! Arrependa-se, para o bem do Brasil. Talvez arrependendo-se, acharemos um cantinho bom nos livros de História. Um breve e pequeno parágrafo.

Jose R. de M. Soares  joserubens@jrmacedoadv.com.br

São Paulo

*

A HONESTIDADE DOS CONCURSADOS

Se Lula fosse um cidadão sério e respeitoso com outras áreas da atividade humana, não teria dito que "a profissão mais honesta é a do político". E o ex-presidente, que com suas desconexas afirmações só sabe afrontar a nossa inteligência, não mediu palavras também para, sem rodeios, ofender os funcionários públicos concursados ao dizer que, como burocratas, estes impedem avanços das ações de governo. Um absurdo! Este soberbo e demagogo Lula é o mesmo que jamais agiu como estadista quando por oito anos presidiu este país. E não seria agora que, sem popularidade e longe do poder, este cidadão de Garanhuns, atolado que está até o pescoço em denúncias de corrupção, iria se mostrar ético e servir de bom exemplo para a sociedade brasileira. Porém, perverso, parte para o ataque, critica adversários políticos e até o nosso Judiciário, mas foge da sua responsabilidade não explicando os ilícitos praticados, como a compra, reforma e decoração do apartamento do Guarujá (SP), muito bem detalhadas as irregularidades pelo Ministério Público Federal. E, se Lula realmente acha que "a profissão de político é a mais honesta" (o que não é verdade), ele e seus camaradas do PT jamais poderiam fazer parte desta classe, porque em tempo algum privilegiaram a ética e o respeito às nossas instituições.  

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

SINDICATO

Perguntar não ofende: onde está o sindicato dos funcionários públicos concursados, que não contesta o ex-presidente?

Moises Goldstein mgoldstein@bol.com.br

São Paulo

*

SUA EXCELÊNCIA, O POVO

Nos últimos anos temos visto e ouvido muitas pessoas se referirem ao "povo brasileiro" em diversos discursos como se fossem seus legítimos representantes e conhecedores profundos dos sentimentos e desejos do povo brasileiro. Apenas para citar os mais recentes discursos em nome do "povo brasileiro", o professor e jornalista Eugênio Bucci disse: "Golpe é o que o povo decide chamar de golpe". E Vagner Freitas, diretor da CUT: "O povo brasileiro defenderá em trincheiras com armas na mão". João Pedro Stédile, líder do MST, em Caracas, em comício com Nicolás Maduro: "O povo brasileiro está do seu lado". E Rui Falcão, presidente nacional do PT: "O povo brasileiro ama o Lula". Evidentemente, o diversificado povo brasileiro (felizmente) é formado por heterogênicos grupos sociais, políticos, ideológicos, religiosos, etc., etc., portanto seria muito conveniente que estas pessoas públicas identificassem em seus oportunistas e não oportunos discursos a parcela do povo brasileiro à qual se referem. Desta forma evitam colocar todo o povo brasileiro no seu próprio e exclusivo balaio. Como não me enquadro em nenhum destes "povo brasileiro" citados acima, confuso, me sinto um estrangeiro na minha própria Pátria Amada. Portanto, solicito encarecidamente à presidente da Suprema Corte, ministra Cármen Lúcia Antunes Rocha, esclarecer a quem se referiu em sua posse como "Sua Excelência, o Povo".

Vagner Ricciardi vb.ricciardi@gmail.com

São Vicente 

*

RECADO

Para Rui Falcão e Dilma Rousseff: não existe "perseguição a Lula com o objetivo de impedir sua candidatura em 2018". O que existe é uma luta do povo e das instituições brasileiras para colocar na cadeia toda a quadrilha e seu chefe inconteste. A inabilitação para concorrer em 2018 será a consequência dessa luta. 

Nelson Penteado de Castro pentecas@uol.com.br

São Paulo

*

'GOLPE' CONTRA LULA 2018?

Levando em consideração que em recente pesquisa 71% dos eleitores brasileiros nunca mais votariam em Lula, e que as "esquerdas revolucionárias jurássicas" todas juntas não conseguiram reunir mais do que dois quarteirões na Avenida Paulista em São Paulo contra o impeachment de Dilma, e diante, ainda, das denúncias do MPF, fica difícil de acreditar que existe uma trama diabólica "para que Lula não se candidate no longínquo 2018". O povo pode não ter noção do que sejam R$ 42 bilhões que escorreram para a corrupção, mas sabe os malefícios que ela provocou e ainda provocará no País! A lista dos malfeitos e dos não feitos é tão grande que poucos acreditarão. Contra todas as evidências apresentadas pelo MPF, as desculpas esfarrapadas com a mesma cantilena de "golpe" dá uma canseira danada! 

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

PRISÃO

  

Prezado companheiro Lula, o "Japonês da Federal" está ansioso para te conduzir ao presídio de segurança máxima em Curitiba, onde você terá muito tempo para refletir sobre suas futuras palestras aos demais presos.

Boris Becker borisbecker@uol.com.br

São Paulo 

*

INFERNO ASTRAL

Não sei o que é pior: ser acusado de ser o "comandante máximo" do esquema de corrupção e lavagem de dinheiro pelo Ministério Público Federal ou ver o Corinthians perder para o Palmeiras no Itaquerão. Realmente, a vida de Lula não está nada fácil. Quem sabe uma temporada na Papuda, junto com o amigão Zé Dirceu, não ajude a passar essa fase?

Maria C. Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana

*

'A VEZ DOS PARASITAS'

"A vez dos parasitas", artigo de Fernão Lara Mesquita (16/9, A2), deveria ser leitura obrigatória em todas as escolas brasileiras, do fundamental às faculdades e universidades civis e militares. Nosso país passa por momentos que dificilmente alguém em sã consciência possa continuar alimentando as feridas provenientes da enfermidade crônica, da metástase política inconsequente, do corporativismo público que humilha nós todos, enfim, da falcatrua, do "meu" primeiro, do direito adquirido, do foro  privilegiado e de tantas outras artimanhas criminosas que corroem as entranhas morais, sociais e humanas do nosso sofrido país. "A vez dos parasitas" coloca o dedo na ferida, aquela que para ser extirpada necessita de uma cirurgia invasiva profunda, para retirar de vez o tumor maligno parasitário que infesta nosso país. O doente está na UTI e uma equipe altamente capacitada está tentando licitamente fazê-lo retornar ao quarto normal, para recuperá-lo o mais breve possível. O hospital situa-se em Curitiba e a equipe médica é conhecida como Lava Jato.

Aloisio De Lucca aloisiodelucca@yahoo.com.br

Limeira 

*

DESCASO

Uma das atribuições do Supremo Tribunal Federal (STF) é julgar um ato normativo federal ou estadual. Alguns governadores dos Estados já sancionaram leis proibindo o uso de máscaras em manifestações públicas. Entidades como a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e movimentos sociais se posicionaram contra, alegando serem inconstitucionais. Os atos estão se tornando cada vez mais violentos, podendo advir um óbito, tanto do lado dos manifestantes quanto do da polícia. Às vezes se faz necessário reavaliar uma decisão já deliberada. Será que a Suprema Corte está esperando que ocorra uma tragédia para, então, se posicionar? É o velho ditado popular prevalecendo: depois da porta arrombada é que se lembram de colocar o cadeado.

Luiz Felipe Schittini fschittini@gmail.com

Rio de Janeiro

*

PARALIMPÍADA RIO-2016

Magnífica, espetacular, engrandecedora são alguns dos adjetivos que qualificaram a Paralimpíada Rio 2016, encerrada no domingo, e com muita realidade. Parabéns a todos: organizadores, atletas, voluntários, juízes e, principalmente, torcedores. Uma verdadeira festa brasileira com a alegria carioca transbordando. Mesmo com nosso país passando por séria crise financeira, política e ética, o resultado final, além de todos os recordes alcançados, confirmando que o limite está na cabeça de cada um, e também das medalhas abocanhadas com muito choro de alegria, será fundamental para uma melhor avaliação do Brasil no exterior, bem como para trazer de volta a todos nós o orgulho de ser brasileiro. Avante, Brasil!

Antônio Carelli Filho palestrino1949@hotmail.com

Taubaté

*

CONSAGRAÇÃO

Ficou plenamente consagrada a Paralimpíada do Rio de Janeiro. As várias modalidades esportivas atraíram multidões de pessoas do mundo todo e a audiência pelas televisões e pela mídia em geral - cuja cobertura deixou a desejar, é verdade - não foi menor. Resta agradecer aos atletas que deram lições de preparo, espírito esportivo, motivação e superação. Parabéns a todos os participantes e que continuem a nos ensinar que os seres humanos, quando motivados, podem tudo.

Ademir Valezi valezi@uol.com.br

São Paulo 

*

VIRAMOS A PÁGINA

Impossível não perceber o volume de acontecimentos positivos ocorridos recentemente no Brasil, e acredito que o fim da Paralimpíada representa um bom momento para fecharmos essas fase com chave de ouro. O Brasil deu uma aula! A Olimpíada do Rio de Janeiro demonstrou o poder do nosso país e que nosso povo faz muito e é competente quando se propõe a algo grandioso e de visibilidade internacional. Desde a abertura até o encerramento, foi um show de organização, qualidade e beleza. Show nas areias, espetáculo nos tatames, nos gramados e muito choro nas quadras. O futebol emocionou novamente. E o que dizer da canoagem? Baianos fantásticos. Estamos, sim, nos superando. Nada está fora da ordem, é tudo realidade. O Brasil mudou. Esta é a nova ordem. O Brasil está virando a página. Na semana passada, assistimos à ampla denúncia do MPF e à defesa do advogado de Lula, tudo de forma muito profissional. Não quero, aqui, julgar os fatos, se culpado ou inocente, o convite aqui é outro, o convite é avaliar tudo isso do alto e enxergarmos que prevaleceu o debate aberto e franco, prevaleceu a troca de opiniões. Somos o país do debate, do atrito e do calor. Esse atrito gera movimento e o movimento faz o País caminhar, andar para a frente. O Brasil é país do movimento e do momento. Na Paralimpíada, aí, sim, tudo se explica. Brasil, o país da superação! O país da inclusão! Somos medalhistas no atletismo, na natação, no ciclismo, na bocha. O que dizer de Daniel Dias? E de Evânio da Silva, com 210 kg no halterofilismo? Aliás, vale registrar o iraniano Siamand Rahman, que levantou 310 kg em sua categoria. Colossal! Maior ainda foi o Rio de Janeiro, que suportou todo esse peso com tamanha leveza e maestria. E a organização paralímpica, que criou condições de inclusão, narradores para cegos e rampas com inclinações de 5% (o padrão passa de 8%). Demos um show de arquitetura e organização! O Brasil virou o país da organização, do planejamento e das boas surpresas. Por fim, aproveitar tudo isso é "ler o jogo" e entender que estamos atravessando um período de transformação. Estamos no meio desse processo. Na transição para algo melhor. Estamos dando uma aula de energia e vamos seguir assim. A juventude já observa todos esses bons exemplos. Tudo está acontecendo para o melhor e nada, absolutamente nada, está fora da ordem, pois definitivamente o vento que bate aqui é esse mesmo. É forte, é intenso e, melhor, tem direção. Vamos em frente, Brasil. Eu acredito! 

 

Clayton de Argolo c.argolo@hotmail.com.br

São Paulo

*

GRAFIA

Ao encerrarmos o festival esportivo do Rio de Janeiro, poderíamos prestar homenagem ao "Aurélio", grafando e pronunciando, acertadamente: Paraolimpíadas. Houve redes de TV e jornais que optaram, desde o início, por essa grafia e pronúncia. Assim também estações de rádio e revistas. O que teria encantado os demais para se aproximarem de "paralamas"?

Aloísio Kuhn Aloisio.Kuhn35@gmail.com

Curitiba

*

CAMPANHA NACIONAL DE TRÂNSITO

Ao fim da Paralimpíada - anglicismo barato nada eufônico -, em que o Brasil obteve melhor posição no quadro de medalhas do que na Olimpíada, cabe, por oportuno, citar dados preocupantes da Campanha Nacional de Trânsito, que começa nesta semana, dando conta de que a cada 12 minutos morre uma pessoa em acidente de trânsito no Brasil e que nada menos do que um terço dos atletas paraplégicos dos Jogos foram vítimas desse tipo de ocorrência. A pesquisa também informa que 39% dos casos acontecem por falta de atenção do motorista, ao passo que dirigir falando ao celular aumenta em 400% (!) a chance de ocorrer um grave acidente.

J. S. Decol decoljs@gmail.com

São Paulo

*

MÉRITO E COTAS

O genial (ou genioso) José Goldemberg, professor emérito da USP, ex-ministro da Educação, conseguiu a proeza de revolucionar a lógica em seu artigo "Mérito na Olimpíada, cotas nas universidades?" (19/9, A2): "Na Olimpíada não há distinções entre ricos e pobres, classes sociais, religiões e cor da pele, mas premiação dos melhores; não importa de onde venham, Etiópia, França ou Brasil: vencem os melhores. A riqueza de países como EUA ou Inglaterra permite preparar mais atletas, mas não é uma garantia de sucesso". Então, quer dizer que (regra n.º 1: não vale usar o quadro de medalhas para contradizer - tipo, cadê os africanos?!), os países mais ricos (e os que mais investem em esporte) galgam as melhores posições gerais na Olimpíada não porque são mais ricos, mas porque são mais competentes. Logo, ricos porque mais competentes. Seguindo o "mérito" desse raciocínio, os negros, que concentram a menor renda no País (isso é IBGE, gente), não são mais pobres porque são negros, são negros porque são mais pobres.

Diego Oliveira Diego diego.oliveira@ufpr.br

Curitiba

*

DOMINGOS MONTAGNER

O falecimento do ator Domingos Montagner comoveu o Brasil. Confesso que chorei. Nasci e cresci na beira do Rio São Francisco, na pacata cidade de Paratinga (BA), vizinha a Bom Jesus da Lapa. Quando criança, atravessei esse rio em plena época da cheia, várias vezes escondido da minha saudosa mãe, dona Maria Natalina, que sempre na volta me recepcionava com uma bela surra. A correnteza do São Francisco é muito forte, seu remanso também. Talvez se houvesse uma só placa naquele local onde o ator desapareceu, sinalizando o risco iminente, teria salvo a vida do excepcional ator Domingos Montagner. Ele foi um ator brilhante, um bom pai, um grande cidadão e, com certeza, será acolhido no reino divino. À família enlutada e seus colegas da novela "Velho Chico", que aceitem as minhas condolências. Descanse em paz, Domingos Montagner. O Brasil o ama.

 

Vasco Vasconcelos vasco.vasconcelos@saude.gov.br

Brasília

*

A CORRENTEZA DO VELHO CHICO

A correnteza petrificada e mortífera do "Velho Chico", com suas caudalosas águas, enlutou a classe televisiva artística brasileira e a novela da TV Globo de mesmo nome, levando para o fundo do Rio São Francisco o artista, que prestigiava com suas representações a novela, Domingos Montagner, que não resistiu ao impacto fluvial da ingrata e forte corrente aquática que o levou para o fundo do rio, e morreu por afogamento. Mais uma vez, a ironia do destino, sarcasticamente, prega mais uma das suas malévolas peças: o enaltecedor que exaltou e engrandeceu a bela obra da natureza, no caso, o aludido rio, é por ele tragicamente morto. O destino, com este triste acontecimento, foi implacável e inexorável para com os admiradores do falecido artista. Tem toda e completa razão a atriz Denise Fraga ao dizer, entre outras considerações, que "o mundo acaba de perder uma pessoa rara". Espero que a alma do falecido artista esteja junto com as eleitas, na morada divina, porque, como diz a máxima latina, "palpiniano - cum sit difficjllimum, iustum dolorem temperare" (como é difícil conter uma justa dor!).

Antonio Brandileone abrandileone@uol.com.br

Assis

 

*

MORRER, A DOÇURA

  

É doce morrer no mar ou num rio?

Salgado no mar, doce no rio.

Nunca deve ser doce, mas disse o poeta

É doce morrer no mar, que todos os dias era seu.

Navegar é preciso, viver não é preciso. 

É impossível viver sem navegar.

Águas que sempre estarão conosco, a fonte de nossas lágrimas.

Hoje, poeta, um santo morreu num rio: morrer é um sonho doce.

 

Amadeu Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.