Fórum dos Leitores

ELEIÇÕES MUNICIPAIS

O Estado de S.Paulo

24 Setembro 2016 | 03h03

Flagrante mentira

Votei no PT até a reeleição de Lula e nunca votei em Celso Russomanno, mas o que o PT está fazendo é contar meia-verdade. Na propaganda eleitoral diz que Russomanno votou para dificultar a inscrição no seguro-desemprego, porém omite que foi o próprio PT, que era governo, que enviou esse projeto para ser apreciado pelo Congresso. Mesmo depois de prometer que não mexeria nos direitos trabalhistas, “nem que a vaca tussa”. Se não queria essa situação, não deveria mentir em campanha e maquiar a situação econômica do País para vencer a eleição de 2014, o que causou 12 milhões de desempregados, que se agarraram a esse benefício como única tábua de salvação. E ainda se diz partido dos “trabalhadores”...

SERGIO APARECIDO NARDELLI

saparecidonardelli@bol.com.br

São Paulo

Sem ilusões

Muitos brasileiros já não se iludem, pois sabem, que a maioria de nossos políticos é formada por populistas, picaretas e arengueiros e que a luta pelo bem comum não é problema deles, apenas aparece no roteiro de sua propaganda política. Brasileiros, acordar é preciso.

LENIR NOVAES OLYNTHO

lenir.olyntho@hotmail.com

São Paulo

Masoquismo político?

Mesmo após traição e tombo, o PT continua articulando e apoiando políticos do PMDB e do DEM. Vejam-se, por exemplo, os votos petistas dados a Rodrigo Maia (DEM) para chegar à presidência da Câmara dos Deputados. E, ainda, o caso gritante das coligações PT-PMDB Brasil afora nestas eleições municipais. Enfim, a cultura política e o sistema eleitoral brasileiros são tão desandados que, mesmo após sofrer um impeachment forçado pelo PMDB e pelo DEM, o PT não consegue autonomamente reencontrar o seu rumo.

WELLINGTON ANSELMO MARTINS

am.wellington@hotmail.com

Bauru

ACERVO E TRALHAS

Defesa rasa

Sobre a matéria Defesa diz que acervo de petista pertence ao povo (22/9, A7), em que o criminalista José Roberto Batochio defende Lula do libelo apresentado a Sergio Moro pelo Ministério Público Federal (MPF), considerei bem rasas as justificativas do jurista. Diz ele que a “propriedade” do famoso triplex consta como sendo da OAS no Registro Imobiliário do Guarujá e “só é dono quem registra”. Ora, estamos a falar de uma situação claramente “fora da curva”, em que não convém o imóvel “figurar” oficialmente em nome de seu verdadeiro dono, como se dá, aliás, em relação ao sítio em Atibaia, onde foram realizados, igualmente, gastos com reformas e equipamentos caríssimos bancados por empreiteiras enroladas no petrolão. No que tange à guarda do acervo presidencial, com custos bancados também pela empreiteira OAS – a proprietária formal do triplex –, Batochio alega que ele integra o “patrimônio cultural brasileiro”, sendo Lula seu mero “guardião”. Ora, será...?! Se os tais bens são “do povo brasileiro”, não deveriam, então, estar num prédio sob a guarda da União? Qual foi o ato de Estado que concedeu ao ex-presidente Lula a prerrogativa de ser guardião desse acervo? Ou foi o próprio Lula que se outorgou essa condição de “guardião”? Ao fim, diz que Lula não poderia saber de tudo o que se passava “na base da pirâmide estrutural” da burocracia estatal, para isentá-lo de ser o “comandante máximo da corrupção”. Acontece que cargos de direção na Petrobrás – empresa cujo valor patrimonial e de mercado supera o PIB de vários países –, convenhamos, estão longe de se situar nessa prosaica “base” desimportante. O MPF aponta muitas outras evidências de que Lula não poderia jamais ignorar o que acontecia no seu entorno e não serão essas desculpas esfarrapadas que sensibilizarão o juiz Sergio Moro a inocentar a “viva alma mais honesta”.

SILVIO NATAL

silvionatal49@gmail.com

São Paulo

Apropriação indébita

Não dá para entender. Ora os petistas dizem que os presentes recebidos por Lula na Presidência da República são dele, ora dizem que não, que o acervo é patrimônio público, é do Brasil. Se o dito acervo é do Brasil, deveria ser deixado onde estava, no palácio. Para que, então, o trabalho de transportar até São Paulo e ainda pedir a uma empreiteira que arcasse com os custos do armazenamento? Vejo muita incoerência nisso tudo. Se é da Presidência, não deveria sair do palácio; se foi levado para São Paulo, é porque Lula se apropriou indevidamente do acervo – ou tralhas, como ele diz.

SANSÃO JOSÉ DA SILVA

sansao@sansaojsilva.com.br

Uberlândia (MG)

Dura lex...

É vedado a todo agente ou funcionário público “receber presentes, vantagens indevidas, hospedagem, transporte ou quaisquer favores, assim como aceitar convites para almoços, jantares, festas e outros eventos sociais” – Decreto 4.081/2002, artigo 10.º (Código de Conduta Ética do funcionalismo).

ARCANGELO SFORCIN FILHO

arcangelosforcin@gmail.com

São Paulo

Levantamento

Enquanto o juiz Sergio Moro torna Lula réu sob a acusação de, entre outras coisas, armazenar bens com conta paga pela empreiteira OAS, não há nenhuma identificação desses bens e de onde vieram. Urge o exame do conteúdo desses contêineres antes que os bens sejam retirados e desviados, se já não o foram. Esses objetos certamente não são apenas “tralhas”, mas presentes de diversas nações ao Brasil, o que não dá à família Lula o direito de deles se apoderar. Eles pertencem, portanto, ao Brasil e ao seu povo e devem ser devolvidos ao Palácio do Planalto.

WALTER LÚCIO LOPES

wll@uol.com.br

São Paulo

Em quem acreditar?

No Lula que ao deixar o governo levou vários contêineres com os presentes que afirmou serem dele ou no Lula que jura não serem seus o “tripex” no Guarujá e o sítio em Atibaia? E se ele não tinha onde guardar os presentes, por que os tirou de onde estavam?

NIVALDO RIBEIRO SANTOS

nivasan1928@gmail.com

São Paulo

Socialismo

Lula é o melhor exemplo de político socialista. Tudo o que é dele “pertence” a outros.

CLAUDIO JUCHEM

cjuchem@gmail.com

São Paulo

Indício é prova

No caso do triplex no Guarujá, os “meninos” de Curitiba demonstraram que os indícios são “provas evidentes”.

JOSÉ GILBERTO SILVESTRINI

jgsilvestrini@gmail.com

Pirassununga

“Se a defesa de Lula diz que seu acervo pertence ao povo, quero a minha parte. Aceito em obras de arte”

MARCOS DE CARVALHO COSTA / SARAPUÍ, SOBRE AS ‘TRALHAS’

marcos.50@uol.com.br

“Só os não concursados podem investigar, denunciar e julgar Lula?”

OSCAR ROLIM JÚNIOR / ITAPEVA, SOBRE ‘O MAIS HONESTO’, 

RÉU NA LAVA JATO

rolimadvogado@gmail.com

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

REFORMA DO ENSINO MÉDIO

Mais um absurdo da "era Temer", a reforma do ensino médio será feita via medida provisória. Lamentável. Como se fosse possível resolver os problemas por decreto, sem discussão, sem diálogo, sem votação. Realmente, há muito que temer.

Maria Isis M. M. de Barros misismb@hotmail.com

Santa Rita do Passa Quatro

*

SERIEDADE

Em tempo: nenhuma "medida" que foi tomada ao longo dos anos na educação surtiu efeito até hoje. Vergonhosamente, a educação no Brasil nunca foi levada a sério, nunca teve o devido respeito e a devida consideração. Continuamos a caminhar às cegas.

Regina Célia R. Arini reginaraduan@yahoo.com.br

São Paulo

*

DESCABIDO

Governo com baixa legitimidade institucional e com grande rejeição popular querendo fazer reformas estruturais no País?! É o próprio desajustamento do descabido.

Wellington Anselmo Martins am.wellington@hotmail.com

Bauru 

*

SEM TEMPO A PERDER

O governo Temer, em boa hora, define que o ensino médio tenha somente como disciplinas obrigatórias Matemática, Português e inglês. E, nas demais disciplinas, o professor seguirá a escolha do aluno. Ora, se é a melhor solução, vamos saber lá na frente, já que não temos mais tempo a perder. Porém essas três disciplinas obrigatórias são básicas para o futuro do desenvolvimento do estudante. E, se o estudante dominar adequadamente principalmente a Matemática e o Português, mais o inglês, que há tempos é fundamental também para o mercado de trabalho, poderá avançar em qualquer outra disciplina. Felizmente, boa parte dos especialistas em educação recebeu bem essa decisão corajosa do governo. E, aos que criticam este projeto ter sido enviado ao Congresso por meio de uma medida provisória, sem que ocorresse um grande debate sobre a matéria, é bom lembrar que desde 2010 é que se discute um novo formato para o ensino médio. A hora, agora, é de testar este novo modelo e, se necessário, aprimorá-lo depois. Não é racional ficar apenas no debate, muitas vezes improdutivo e com objetivo apenas de jogar para a plateia, alimentando o corporativismo do setor. 

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

LIBERDADE DE ESCOLHA

Uma aragem de vento agradável parece, finalmente, ter arejado a educação brasileira, enterrada pelo primitivo Plano de Diretrizes de Bases de Garrastazu e seu ministro Tarso Dutra, nos idos de 1969. O plano foi o de criar imbecis treináveis no Brasil, distanciados das liberdades naturais de sua vocação e de suas propensões inatas, para enfrentar provas únicas, dissociadas dos futuros dos jovens e absolutamente inúteis. História da Filosofia do Direito é cultura democrática e base do pensamento crítico. A insistência de todos os governos tidos como democráticos nessa educação tosca e grosseira veio até hoje, passando pela sempre inconformada "intelligentsia". A liberdade de opções proposta por Michel Temer é um valor cultural irreprochável.

 

Amadeu R. Garrido de Paula amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

*

CORRETA

Os investimentos da educação não devem ser pautados apenas pela questão dos valores. Antes de Cristo, os filósofos ensinavam seus conhecimentos apenas com uma varinha debaixo de uma árvore. Investir em educação não deve ser somente construir prédios com computadores e tecnologia avançada, mas, principalmente investir nos professores, na disciplina, na obediência às regras, nos limites no comportamento dos alunos e dos professores, na moral, na ordem, no respeito às hierarquias acadêmicas e na escola sem viés ideológico. Os estabelecimentos religiosos de ensino devem ter explícitos o seu conteúdo programático no ato da matrícula do aluno. Está absolutamente correta a exigência da obrigatoriedade de Português e Matemática em todos os níveis. A medida provisória sobre reforma da educação deveria acrescentar um dispositivo que exigisse o diploma de curso médio a todos os políticos do País.

 

Mário Negrão Borgonovi marionegrao.borgonovi@gmail.com

Rio de Janeiro

*

UMA MAL EDUCADA MEDIDA

Aí vem mais uma terrível trapalhada causada pela politização da administração pública. Um político do DEM, Mendonça Filho, sem nenhuma experiência em educação escolar, é favorecido, por acordo interpartidário, com a nomeação de ministro da Educação. Como tal, resolve alterar completamente e de forma inconsequente um curso de grande tradição e utilidade - ensino médio -, cujo objetivo tem sido abrir para os seus alunos não apenas a possibilidade de aprovação no vestibular, mas, principalmente, as portas para o ingresso e o sucesso nos cursos superiores nas universidades. E mais ainda, tudo numa penada - uma simples medida provisória -, que propõe, entre outras barbaridades, a mudança das atuais e necessárias 13 disciplinas do ensino médio para o simples conhecimento básico de quatro matérias coincidentes com os pilares que norteiam o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), mas não coincidentes com os conhecimentos necessários para a realização bem-sucedida dos cursos superiores. Exemplo, a matéria ou pilar "Ciências da Natureza". Pode-se entender que nesse "pilar" estejam sumarizadas as atuais disciplinas Física, Química e Biologia. Uma situação absurda: um estudante de Engenharia e, consequentemente, um engenheiro necessitam de um conhecimento sólido, e não apenas básico, de Física e Química. Na mesma situação absurda estaria um estudante de Medicina com relação à Química e à Biologia. Mais ainda: na medida provisória, os estudantes teriam a flexibilidade para priorizar assuntos de seu interesse para uma extensão para o ensino técnico ou superior. Pergunta: que tipo de orientação está prevista para o estudante decidir suas prioridades? Seria, por acaso, o famoso e já atualmente necessário "cursinho"? Afinal, os governantes, nos três níveis administrativos, apregoam em altos brados significativos dispêndios em educação. Entretanto, os resultados são pífios e a evasão escolar continua elevada. Não existiria nisso tudo um elemento muito estranho e esquecido e que seria a causa central desses resultados e evasão? O professor. Infelizmente, desprestigiado pela sociedade, mal preparado, mal pago e desrespeitado pelos alunos, a quem tenta ensinar algo de útil.

Flavio Bassi flavio-bassi@uol.com.br

São Paulo

*

BRINCADEIRA?

Mal terminou a Olimpíada no Brasil, com a pífia performance brasileira, e o governo federal propõe descartar a obrigatoriedade da educação física no ensino médio das escolas públicas. É brincadeira?

Joaquim Quintino Filho jqf@terra.com.br

Pirassununga

*

NA CONTRAMÃO

Um equívoco que surpreende a modernidade educativa. A proposta do Ministério da Educação de extinguir a educação física do currículo escolar obrigatório constitui uma aberração, que vai contra a lógica da saúde, da neurociência e do processo educacional. Basta que se verifique o que vem ocorrendo nas escolas do Estado americano de Ohio, onde a educação física vem sendo devidamente praticada como disciplina obrigatória, apresentando resultados surpreendentes, colocando esse Estado em primeiro lugar no ranking de crianças e jovens com níveis de inteligência e cultural mais elevados em relação aos demais Estados americanos. Aconselho, por isso, aos nossos formuladores de políticas educacionais que façam uma visita a algumas escolas desse Estado e constatem o que acabo de relatar.

Carlos Rolim Affonso profrolim@globo.com

São Paulo

*

RETROCESSO

É um absurdo a exclusão, no ensino médio, de disciplinas essenciais à formação de um jovem, como Artes e Educação Física, como adotado pelo "golpista" governo Temer. Trata-se de mais um inaceitável retrocesso e gol contra do atual governo. Nossos estudantes devem ter uma formação holística, baseada no pensamento crítico, na reflexão, no esporte, na arte e na cultura. Artes e Educação Física - assim como a Filosofia e a Sociologia - devem ser valorizadas e incentivadas, como acontece em qualquer país que se preze e que tenha a educação como prioridade.

Renato Khair renatokhair@uol.com.br

São Paulo

*

IMPERDOÁVEL

Não acredito que um ministro da Educação, à guisa de correr contra o tempo em face da situação caótica em que se encontram o ensino brasileiro e a consequente evasão dos estudantes, pretendesse retirar do currículo do ensino médio disciplinas importantíssimas para a formação do ser. Arte? Tirar o ensino da Educação Artística é um crime imperdoável. Pelo contrário, deveriam priorizar os caminhos dos nossos pequenos, dando-lhes a possibilidade de se expressarem, seja nas artes plásticas, na dança, na música, no teatro, na fotografia, etc., interagindo com a nossa Língua - tão rica -, ou outras e, assim, possibilitar que se desenvolvam como seres criativos que são. Não podemos concordar com esse caminho ignorante e destruidor de sonhos e, consequentemente, de pessoas. Que país desejam construir? Basta! 

Glauce Clôres F. Milhazes glauceclores@gmail.com

Rio de Janeiro

*

ANOS PERDIDOS EM SEGUNDOS

Meus colegas professores estaduais, nossa vida não é fácil. Pagamos por um erro que não é nosso. Pagamos pela ingerência de políticos aventureiros que nunca entraram numa sala de aula. Pagamos pelo descaso de governadores, os verdadeiros inimigos da nossa educação. Pagamos pela falta de interesse de nossos alunos alienados nas batidas de funk, que prometem um outro tipo de ascensão social, pagamos pelo despreparo. Pagamos por não ter ensinado em nossa cátedra que essas crianças e adolescentes não são gado, que são conduzidos por aventureiros despreparados, que fazem da educação um jogo de azar. Nós pagamos pelo desinteresse de nossa classe por dias melhores, porque estamos presos na nossa ninharia que chamamos de salário e grupos de classes, ineptos de qualquer força de mobilização ou modificação, apenas pagamos, pagamos pelos nossos políticos corruptos e pelos seus erros, pagamos pelo mensalão, rombo dos correios, BNDES, pelo Porto em Cuba... Só que pagamos demais, nós, milhares de professores de Sociologia, Filosofia, Artes e Educação Física, matérias que, segundos esses magos da educação, acham dispensáveis para os nossos alunos do ensino médio, dispensáveis, a sociologia política estudava no terceiro ano do ensino médio formadora de pessoas críticas. Realmente, esta corja quer acabar com o Brasil, e simplesmente deixamos e seguimos, alienados desta mais valia educacional. Retrocedemos e vamos dar vivas à política do pão e circo de nossos atores mambembes, 15 anos de minha vida perdidos em segundos da assinatura da medida provisória... Mas não tem nada não, tenho meu violão, mas e aqueles que não têm?

Edgard Vaz de Lima edgard.vazdelima@gmail.com

Socorro

*

ELEIÇÃO E BOLSA FAMÍLIA

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) informou que beneficiários do programa Bolsa Família doaram, até aqui, R$ 15,97 milhões para as campanhas municipais deste ano. Desse total, 33% foram doações financeiras. O TSE chegou a esses números a partir de um cruzamento de dados com o cadastro do programa. Solução óbvia: exclusão imediata dos doadores do programa. Quem tem fome não doa dinheiro para campanha política, ou, se usaram os beneficiários como laranjas, que se apure. Vale a velha máxima: "follow the money" (sigam o dinheiro).

Claudio Juchem cjuchem@gmail.com

São Paulo

*

ASSALTO

Depois do assalto aos aposentados, agora é a vez do Bolsa Família.

Moises Goldstein mgoldstein@bol.com.br

São Paulo

*

FEUDOS NA CÂMARA

Como o "Estadão" publicou (22/9, A11), o vereador Wadih Mutran (PDT) reclama de que não dá mais para fazer campanha porque hoje tudo é compra de votos. Quantos projetos este senhor fez pela cidade, já que tem 32 anos ocupando o cargo de vereador? Na página A11, o "Estadão" publicou quantos são os senhores que dominam seus feudos na Câmara de Vereadores. Família Hato, 10 mandatos; Wadih Mutran, 8 mandatos; Trípoli, 7 mandatos; Gilson Barreto, 7; Arselino Tatto, 7; Toninho Paiva, 6; e Milton Leite, Antônio Goulart e Dalton Silvano, 5 mandatos cada um. Fazendo uma rápida multiplicação, só aqui temos 240 anos de vereança. Portanto, seu trabalho seria suficiente para elegê-los. Logo, não precisam praticar boas ações ou receber dinheiro para suas campanhas, que "usem seus projetos". Aviso: não sou amante de nenhum político ou partido. Amo a honestidade e a verdade.

Wilson Matiotta loluvies@gmail.com

São Paulo

*

A PRISÃO DE GUIDO MANTEGA

Como não poderia deixar de ser, petistas se uniram para chamar de "desumana" a prisão do ex-ministro da Fazenda Guido Mantega, pela Operação Arquivo X, da Polícia Federal, na quinta-feira. Na palavra dos investigadores, a prisão foi feita da melhor forma possível, para não causar constrangimentos no Hospital Albert Einstein, onde Mantega se encontrava. Apesar de o juiz Sergio Moro, diante da gravidade do estado de saúde da esposa do ex-ministro, ter revogado a prisão de Mantega, fica uma pergunta: se todos nós somos iguais perante a lei, por que a prisão dentro ou fora de um hospital importa, já que diariamente a polícia trata comuns cidadãos delituosos do mesmo jeito? Fora que, de acordo com as medidas erradas tomadas pelo ex-ministro da Fazenda e a ex-presidente Dilma, que levaram ao desemprego 12 milhões de pessoas no País, muitos cidadãos foram empurrados para o delito e estão sendo presos, fora ou dentro de hospitais diariamente. Como sempre, a gritaria do PT não passa de "projeto de vitimismo", estudado e programado, na tentativa de tocar o coração dos incautos brasileiros nas próximas eleições municipais. Haja paciência!

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

SITUAÇÃO DELICADA

O ex-ministro Guido Mantega foi preso na 34.ª fase da Operação Lava Jato. A operação da Polícia Federal foi batizada de Arquivo X. Mantega foi ministro do Planejamento, presidente do BNDES e ministro da Fazenda durante os governos de Lula e Dilma. Mantega é investigado por suposta participação em fraudes relacionadas aos contratos das plataformas P67 e P70 da Petrobrás. Por ter atuado como um dos principais membros do governo Lula, a prisão de Mantega coloca o ex-presidente numa situação delicada, mais uma vez. Não é à toa que o MPF denominou Lula como o "comandante máximo da propinocracia".

 

José Carlos Saraiva da Costa jcsdc@uol.com.br

Belo Horizonte

*

'DESUMANO'

Desumanidade, segundo o humanista petista Rui Falcão, é a interpretação do ocorrido com a prisão do ex-ministro da Fazenda Guido Mantega. A operação, segundo o presidente do PT, deveria chamar-se "boca de urna", referindo-se ao suposto objetivo de prejudicar o PT nas eleições de outubro. Sobre o pleito municipal, um pouco de lucidez mostra não serem necessárias prisões, uma vez que o PT, com seus malfeitos, afunda sozinho, ancorado em si próprio.

Mario Cobucci Junior maritocobucci@gmail.com

São Paulo

*

DOIS PESOS, DUAS MEDIDAS

Tarso Genro considerou brutal a prisão de Guido Mantega. E a devolução dos atletas cubanos ao livre regime de Fidel Castro, que Tarso e Lula fizeram, não foi brutal?

Lourdes Migliavacca lourdesmigliavacca@yahoo.com

São Paulo

*

HUMANIDADE

Para os petistas que estão querendo transformar o juiz Sergio Moro e procuradores da República em seres desumanos, porque Guido Mantega acompanhava sua mulher no hospital no momento de sua prisão, e com Lula dizendo que "qualquer tese de humanitarismo foi jogada no lixo", vale relembrar que foi no governo deste senhor, anos atrás, que a dona da loja Daslu, Eliana Tranchese, foi presa como se fosse de altíssima periculosidade, numa operação a mais "espetaculosa" já vista - com direito a helicóptero e policiais sendo televisionados ao vivo ao prendê-la -, embora soubessem que ela estava em tratamento de câncer avançado. Sem querer discutir o mérito da questão, esta senhora, que logo a seguir veio a falecer, representava para estes que tanto roubaram o Brasil a vingança por representar uma classe social que tanto atacavam, a elite paulistana - mas a que, hoje se sabe, sempre almejaram pertencer pelo tanto de luxo de que vêm usufruindo após dilapidarem o patrimônio público. Este é o PT, isto é Lula da Silva, esta é a Justiça que prezam: para os inimigos, a lei; para os amigos, os privilégios.

Eliana França Leme efleme@gmail.com

São Paulo

*

MEMÓRIA CURTA

Os dirigentes do PT, portadores de curtíssima memória e "useiros e vezeiros" em achar que a lei tem de ter "dois pesos e duas medidas", estão inconformados com o que acham ter sido uso excessivo de força no recente caso do ex-ministro Guido Mantega. Sinto muito, mesmo, que a esposa dele esteja doente de câncer, como sinto por qualquer pessoa acometida por esta ou outra doença grave. Nunca comprei na famosa loja Daslu (até porque a loja nunca coube no meu bolso, infelizmente), portanto não conheci pessoalmente sua proprietária, a sra. Eliana Tranchesi, mas acho que onde quer que ela esteja, deve estar pensando: "É, PT, pimenta nos olhos dos outros é refresco".

M. Martha Maruca de Carvalho mmarthamar@gmail.com

São Paulo

*

PRECEDENTE PERIGOSO

A revogação da prisão do ex-ministro da Fazenda Guido Mantega, por motivo humanitário - sua esposa passou por delicada cirurgia - foi justa, mas poderá abrir um perigoso precedente. Como a Operação Lava Jato segue firme e muitos foras da lei não têm foro privilegiado, vai ser uma corrida danada para internação das esposas. O sacrifício da companheira em passar uma temporada num hospital poderá valer a pena. Só espero que a sem-vergonhice não chegue ao ponto de "roubar" vagas, agendadas há no mínimo um ano por assistidos do INSS.    

Sérgio Dafré sergio_dafre@hotmil.com

Jundiaí

*

SOBRE PRISÕES E REVOGAÇÕES

Apenas um questionamento: um José da Silva, operário da construção civil, acompanhante da sua mulher, sendo operada no Hospital Sapopemba, do SUS, também teria sua prisão revogada?

Sergio Cortez cortez@lavoremoveis.com

São Paulo

*

INVESTIGADO

Tendo em vista o crítico estado de saúde da esposa de Mantega, outrora arrogante ministro "petralha", terei com ela mais consideração do que ele teve com as esposas dos militares, quando estes reivindicavam correção salarial, e não irei ironizar sugerindo que comece a trabalhar para sobreviver, caso seu marido seja confirmadamente corrupto, vá para a cadeia e tenha seus bens confiscados para quitar os desvios de verba pública que neste caso tenha ajudado a promover.

Edison Ribeiro Pereira edisonribeiro@hotmail.com

São Paulo 

*

ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA

Pela operação de quinta-feira da Polícia Federal, é claro e cristalino que não havia um governo, mas uma organização criminosa para facilitar o crime. O Supremo Tribunal Federal (STF) não pode mais ficar com cara de paisagem. As circunstâncias exigem ação com tolerâncias zero de todas as instituições e poderes, antes que os criminosos criem mecanismos de impunidade.

Nelson Pereira Bizerra nepebizerra@hotmail.com

São Paulo

*

O PAI DA NOVA MATRIZ ECONÔMICA

Guido Mantega, além do mais longevo entre os ministros da Fazenda do Brasil, foi a maior ignorância econômica que passou por aquela pasta. Como todo comunista, ignora a inversão da Curva de Lafer, desconhece o Efeito Tanzi e acredita ser aconselhável a revogação da lei da oferta e da demanda. Alguns chegam a sugerir reformas na Lei da Gravidade.

Eduardo A. Sickert P. de Melo vovonumero1@hotmail.com

Marília

*

DUPLA ARRASA-PAÍS

A nova matriz econômica de Guido Mantega-Dilma Rousseff foi uma catástrofe keynesiana que afundou o Brasil. Ela já foi. A Lava Jato chegou a ele. A Polícia Federal nos deseja um bom dia.

Elisabeth Migliavacca

São Paulo 

*

MANTENHAM A FILA

Guido Mantega, Arno Augustin, Luciano Coutinho, Jaques Wagner, Ricardo Berzoini, Gilles Azevedo, Miguel Rossetto, Aloizio Mercadante, Eduardo Cardoso, Gilberto Carvalho...

Sergio S. de Oliveira ssoliveiramsm@gmail.com

Monte Santo de Minas (MG)

*

GUIDO MANTEGA

Com tamanha roubalheira, o petista da Fazenda poderá acabar na roça...

A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

ACIMA DE QUALQUER SUSPEITA

O ex-presidente Lula, em mais um discurso eloquente em Barbalha (CE), se disse "ofendido" e "magoado" por ter, aos 71 anos de idade, a vida "futucada por uns meninos do MPF". É preciso ficar claro que, por definição constitucional, "o Ministério Público Federal (MPF) é uma instituição permanente, essencial à função jurisdicional do Estado, incumbindo-lhe a defesa da ordem jurídica, do regime democrático e dos interesses sociais e individuais indisponíveis". Lula, pejorativamente, despreza a função do MPF - dizendo-se "futucado" - e menospreza seus integrantes, chamando-os de "meninos". Se Lula se considera um cidadão intocável, acima de qualquer suspeita, é um direito que lhe assiste. Não é isso o que pensam a sociedade, tampouco o MPF, ainda bem. 

Luciano Harary lharary@hotmail.com

São Paulo

*

'FUTUCADAS'

Em Barbalha, no Cariri cearense, e do alto de sua soberba, Lula afirmou à sua claque que estão querendo acabar com o PT, mas seus cegos seguidores ainda não se deram conta de que quem "afundou" o partido foram a dupla corrupta Lula & Dilma e sua tigrada. Ora, pelo andar da carruagem, é "elle" que deve pedir desculpas pelas "futucadas" que deu no povo brasileiro.

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

*

COITADO!

O inominável ex-presidente, em viagem ao Ceará, disse estar "ofendido" e "magoado" por ter, aos 71 anos, a vida "futucada" (?!) por uns meninos (respeito é bom e todos gostamos!) do MPF. Se ele não possui nada de seu, como está pagando o batalhão de advogados para defendê-lo de acusações infundadas ou o deslocamento para os rincões do País? Ficaríamos extremamente penalizados se não soubéssemos que os canalhas também têm cãs.

Aparecida Dileide Gaziolla aparecidagaziolla@gmail.com

São Caetano do Sul 

*

INDIGNADOS

Não, ex-presidente Lula, não existe povo mais indignado que os brasileiros de bem com os políticos do Brasil. Não podemos aceitar que convencedores da população tenham atitude tão vergonhosa para com seu povo. Repense todos os seus atos e peça perdão aos brasileiros. 

Paulo Arantes paulo.mabraco@mabraco.com.br

Piraju 

*

LONGA CAMINHADA

"Só me dá vontade de andar mais e falar mais" disse Lula sobre a denúncia do Ministério Público Federal. Como a caminhada até Curitiba é longa, ele terá bastante tempo para satisfazer essa vontade.

Odilon Octavio dos Santos

Marília

*

ENROLADOS NA LAVA JATO

Senhor e senhora "Jararaca" já iniciaram sua caminhada rumo a Curitiba?

Arlete Pacheco arlpach@uol.com.br

Itanhaém

*

LULA E MARISA

A República de Curitiba, tão temida por Lula, afinal, chegou aos seus calcanhares e aos de Marisa Letícia. Há os que já dizem que incluir dona Marisa é demasiado... Mas, convenhamos, luta-se tanto para igualar direitos de homens e mulheres, mas no quesito deveres, não?  

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

*

OS GOVERNOS DO PT

  

Luís Fernando Veríssimo, em seu artigo de 21 de setembro ("A passagem"), demonstra que se transformou no personagem famoso de seus livros: a velhinha de Taubaté. Acredita fielmente na lorota contada pelo Partido dos Trabalhadores (PT) e a repete no artigo, quem sabe, para ver se ainda pega mais alguns incautos. Acho importante que um jornal como "O Estado de S. Paulo", que assino há vários anos, nos possibilite conhecer opiniões diversas, mas nosso caro Veríssimo não traz nada de novo. Todos sabemos que o que realmente trouxe ganho de renda aos brasileiros foi a derrubada da inflação, que o PT tanto lutou para recriar. Que os 12 milhões de desempregados, a inflação e a derrocada econômica jogam novamente na miséria muitos daqueles que o Bolsa Família diz ter resgatado. No fim das contas, o "neoliberalismo" do PT foi muito mais selvagem que o dos governos anteriores, e talvez futuros. É só ver quem realmente se beneficiou dos programas. Quem mais se beneficiou do Mais Médicos? Certamente, o governo de Cuba, que vende por R$ 10 mil mensais um médico que lhe custa R$ 2 mil. No Minha Casa, Minha Vida, os empreiteiros, que estão até o pescoço envolvidos com propinas a políticos de todas as siglas. Também vendem pelo preço cheio as casas e o governo arca com a diferença. Lindo! E quem paga a diferença? O povo, otário! E o acesso às universidades, particulares em sua maioria? O mesmo sistema: as empresas faturam o preço cheio do aluno e o governo paga a diferença, financiando a fundo perdido, com grande chance de não reaver esse dinheiro. Não vou repetir, pois você já sabe quem paga por isso. Espero que essa "passagem" do PT seja realmente só de ida, e não volte por muito tempo. 

Eduardo Pereira edu_pere@uol.com.br

São Paulo

*

HERANÇA MALDITA

O viés bolivariano de Luís Fernando Veríssimo, assim como de outros intelectuais brasileiros como Chico Buarque, por exemplo, tem maculado suas obras e sua imagem, pois "diga-me com quem andas e direi quem és", já dizia aquele velho ditado. Enobrecer o PT pela inclusão social e pela distribuição das benesses e até defender sua passagem pelo poder é voltar as costas para a realidade! Convido o sr. Veríssimo para uma rápida volta por São Paulo e pelo País para comprovar tais méritos de Lula e seus asseclas, e ver o povo vivendo em barracas nas praças e viadutos e cruzar com os mais de 12 milhões de desempregados desta herança maldita (esta, sim!) dos "petralhas". Em matéria de distribuição de renda e inclusão social, nada fez mais pelos brasileiros nas últimas décadas que o Plano Real, implantado pelos chamados "neoliberais" criticado por esta esquerda festiva brasileira que conhece mais de Paris que de nosso Brasil. Enquanto eu lia o artigo "A passagem", assistia pela TV à mais uma operação da Lava Jato, que prendeu um alto membro do governo do PT, Guido Mantega. Em que país vive Veríssimo?

Carlos E. da Silva Braga bragaconsu@sti.com.br

São Paulo

*

FICÇÃO X REALIDADE

Respeito muito Veríssimo, que, entre outros atributos, é um reconhecido escritor de ficção. Por isso, não sei se entendi bem a mensagem que ele passa em "A passagem", no "Estadão" de quinta-feira. Lá, ele enaltece o PT, por sua "tentativa de diminuir a desigualdade e a injustiça social que nos assolam" e, invocando economistas estrangeiros, critica a opção pela austeridade pregada pelo atual governo. Concordo plenamente com que nosso país tem urgência urgentíssima de combater a desigualdade e fomentar a inclusão. Pena que o PT não logrou fazer isso de forma sustentável e responsável. E deu no que deu. Milhões de desempregados, rombo gigantesco nas contas públicas, perda do nosso grau de investimento, corrupção desbragada, etc. Tudo isso põe em risco nosso justo anseio por melhores dias, sem retrocessos.

Flávio G. Bellegarde Nunes flaviogonzaganunes@gmail.com

São Paulo

*

'A PASSAGEM'

Demorou para Veríssimo se mostrar como realmente é: um petista. Em seu artigo de 22/9/2016, no qual rende elogios aos governos petistas, se esqueceu de relatar, também, as desgraças causadas ao povo brasileiro por este nefasto período. A grande corrupção organizada pelo partido, os 12 milhões de desempregados, as crises social, moral e econômica, e por aí vai. Também nada fala sobre a divisão do País entre "nós" (as "elites") e "eles" (os "pobres"). Nada sobres as evasões de dinheiro para os países amigos deles, a começar de Cuba. Claro que não citou que este governo efetuou o maior roubo de dinheiro público já realizado em nível mundial. Incrível este sujeito ter a oportunidade de torcer a realidade em seus artigos neste jornal. Como assinante, sinto-me agredido.

Jose Marcos Coelho jmsc1949@hotmail.com

Campinas

*

VERÍSSIMO E A SAÚDE PÚBLICA

Fiquei surpresa ao ler que a taxa de mortalidade infantil no País diminuiu em razão do programa Mais Médicos e, segundo Veríssimo, a maioria dos médicos é provinda de Cuba (22/9, C10). Procurei na internet por estudos que relacionassem as áreas de atuação destes profissionais com taxas de mortalidade infantil, antes e depois da presença destes profissionais, mas nada encontrei, nem mesmo no Portal da Saúde do Ministério da Saúde. Gostaria que o autor informasse onde obteve essa informação. Também estranhei a apologia a este programa, feito de afogadilho para privilegiar médicos cubanos: o Estado centralizador teria feito melhor se desse andamento ao Programa de Carreira de Estado para médicos brasileiros concursados. Com bons salários e progressão funcional para atrair os melhores profissionais para as áreas carentes e metas a cumprir, este programa de carreira, certamente, não seria criticado pelos neoliberais nem pelas entidades médicas.   

Eloisa Tedeschi Dauar edauar@superig.com.br

São Paulo

*

NENHUMA SURPRESA

Três em cada dez brasileiros culpam a mulher pelo estupro. Ou seja, realçar os encantos femininos estimula ataques, em que pesem estruturas legais como a Lei Maria da Penha. No entanto, o que esperar de uma sociedade cujas autoridades atribuem muitas vezes à vítima da violência cotidiana das nossas cidades, com um dos maiores número de homicídios do mundo, pelo simples fato de ela exibir telefones celulares caros e tênis de marca, a responsabilidade pelo grande índice de agressão praticado contra o cidadão, sem segurança pública eficiente, proibido de se defender? Nenhuma surpresa, pois, quanto ao dado divulgado sobre os estupros, somente uma ponta desse macabro panorama de insegurança.  

Paulo Roberto Gotaç pgotac@gmail.com

Rio de Janeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.