Fórum dos Leitores

.

O Estado de S.Paulo

04 Outubro 2016 | 03h06

RESCALDO ELEITORAL

Não decepcione, prefeito!

É corrente entre os jovens a ideia de que, com a vitória de João Doria para a Prefeitura de São Paulo, quem perde é a cidade. Alguns chegam a dizer, tão decepcionados que estão, que não entendem a identificação de grande parte dos paulistanos com o prefeito eleito, acreditando que quem o elegeu vive no mundo da fantasia, é alienado, iludido, sem malícia... Tenho jovens em casa. Então, que Doria comprove com sua capacidade gerencial que esses jovens estão enganados e conquiste com sua experiência de gestor essa parcela da população hoje literalmente decepcionada. Que, ao lado de empresários, com quem tem trânsito fácil, melhore a vida dos paulistanos, sempre muito dura. Tarefa árdua, mas, com boa vontade chega lá. Ah, o sr. Doria agora, além de gestor, é um político. Que não entre para a gama dos políticos malvistos pela sociedade de São Paulo. Faça por merecer os mais de 3 milhões de votos recebidos. Parabéns pela conquista! E saiba: teve meu voto.

MYRIAN MACEDO

myrian.macedo@uol.com.br

São Paulo

No Estado do Rio

A vitória em primeiro turno de João Doria, em São Paulo, foi tão surpreendente quanto a vitória do candidato Rafael Diniz, derrotando o candidato dos Garotinhos, em Campos dos Goytacazes, também em primeiro turno, com uma votação acachapante.

CARLOS FABIAN S. DE OLIVEIRA

seof_dr@hotmail.com

Campos dos Goytacazes (RJ)

Cobrança de promessas

O prefeito Doria que se prepare para as cobranças, vamos começar pelos 800 médicos e por aquela infinidade de creches para 104 mil crianças, conforme prometeu. Será preciso começar a construí-las logo em janeiro. Nós, paulistanos, confiamos 53% dos votos a Doria, agora vamos cobrar as promessas de campanha. E não vamos aceitar desculpas. Caso não as cumpra, fique sabendo: da mesma forma que o elegemos, o tiraremos da cadeira de prefeito. Pode acreditar.

ARNALDO DE ALMEIDA DOTOLI

arnaldodotoli@uol.com.br

São Paulo

O prefeito será obrigado a cumprir pelo menos uma das 999 promessas feitas na campanha.

FAUSTO FERRAZ FILHO

faustofefi@ig.com.br

São Paulo

Troca de postes

O recado, claro, que emerge das urnas em todo o Brasil, mas principalmente da eleição do empresário João Doria (PSDB), em primeiro turno, para a Prefeitura da maior cidade do País, derrotando um prefeito do PT, é o reconhecimento do mal que o lulopetismo fez a toda uma nação, deixando uma herança maldita difícil de superar, roubando a utopia e as honradas bandeiras das esquerdas ao longo do tempo. Está provado que onde os petistas pisam nem grama nasce mais. Como os ventos mudaram de direção, saiu um poste do Lula e entra um poste de Geraldo Alckmin, na maior, mais rica e politizada capital do Brasil.

LUIZ THADEU NUNES E SILVA

luiz.thadeu@uol.com.br

São Luís (MA)

Alckmin não é tudo isso

O governador Alckmin não queira tomar como obra apenas dele a vitória tucana, porque, na realidade, foi o paulistano a mostrar vontade de escorraçar o PT da Prefeitura de São Paulo que levou à escolha do Doria, ajudada também pela rejeição à traidora petista Martaxa e ao “cavalo paraguaio” Russomanno. Prova disso está no fato de a soma de votos em branco, nulos e abstenções ( 3.096.000) ter sido maior que a dos válidos (3.085.000) que elegeram Doria. Este terá que mostrar na prática se tem a necessária capacidade e honestidade para o cargo. Alckmin que não abra suas penas como um pavão vitorioso porque como governador está devendo muito!

LAÉRCIO ZANINI

spettro@uol.com.br

Garça

Sujismundo

Agora que Celso Russomanno tem muito tempo livre, espero vê-lo apanhando os milhares de santinhos que seus apoiadores militantes jogaram na minha rua, como confetes, no dia anterior à eleição.

JOHN FITZPATRICK

johnfitz668@gmail.com

São Paulo

Exercício de futurologia

O próximo e grande embate político nacional será entre PSDB e PMDB, ou seja, entre João Doria Júnior e Paulo Skaf, pela governança do Estado de São Paulo.

JOSÉ PIACSEK NETO

bubanetopiacsek@gmail.com

Avanhandava

Nós x eles

A vitória esmagadora do candidato João Doria na capital nos traz uma reflexão: a tentativa do sr. ex-presidente de dividir o País em “nós” e “eles” foi totalmente por terra, pois, como se verificou, a periferia de São Paulo teve grande responsabilidade na vitória do candidato tucano. O que vem provar que: 1) pobre sabe escolher aquele que entende ser o melhor e não precisa de cabresto; 2) o ex jamais conseguirá dividir o País, como ficou demonstrado pelas derrotas acachapantes de seu partido. Portanto, o grande derrotado nesta eleição não foi somente o PT, mas principalmente o sr. Lula da Silva.

ROBERTO LUIZ PINTO E SILVA

robertolpsilva@hotmail.com

São Paulo

Desempregados do PT

Vai faltar prefeitura para abrigar os desempregados do PT (candidatos a prefeito e vereador e asseclas), porque perderam em todas as grandes cidades. Nem a máquina do governo do Ceará conseguiu eleger a candidata Luizianne Lins, feito realizado somente por Tião Vianna, do Acre. Acho que agora podemos jogar uma pá de cal nas esperanças de Lula para 2018. Graças a Deus!

ROBERTO REIS

roberresp@uol.com.br

São Paulo

Partido em crise

O PT amarga uma impopularidade quase impensável em razão dos graves erros de seus dirigentes. Vai ter de mudar muito para tentar reagir, em especial fazer a “militância” entender que boquinhas, empregos em gabinetes e estatais não serão mais viáveis. Que cada um procure o seu espaço. Para ser de fato um Partido dos Trabalhadores, essa turma vai ter de aprender a trabalhar. E se não repensar a prática atual, o destino do PT será o desaparecimento. O povo acordou.

ADEMAR MONTEIRO DE MORAES

ammoraes57@hotmail.com

São Paulo

Pé-frio

Nesse quesito, Lula e Dilma deram uma lavada em Mick Jagger.

CANDIDA L. ALVES DE ALMEIDA

almeida.candida@gmail.com

São Paulo

“Parabéns a dona Dilma, sua magna obra foi merecidamente coroada com a derrocada do PT”

ARY NISENBAUM / SÃO PAULO, SOBRE A ACACHAPANTE REJEIÇÃO

DOS ELEITORES AOS CANDIDATOS DO PARTIDO, BRASIL AFORA

aryn@uol.com.br

“Cada vez mais me 

orgulho de ser paulista”

ABELARDO VILLAS-BÔAS / SÃO PAULO, SOBRE A VITÓRIA DE DORIA NO PRIMEIRO TURNO

abevillas@gmail.com

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br  

AMANHECER  

Segunda-feira, 03 de Outubro de 2016. O Brasil amanheceu mais verde e amarelo do que nunca, enquanto Lula, Dilma e o PT, mais vermelhos do que nunca, de raiva, de ódio de tudo que cheire a virtude, a mérito. Agora não funcionam mais os vícios, as promessas, as mentiras, os engodos, as desculpas, as manobras e as manipulações. A palavra agora é Gestão. E Lula na prisão!  

Gilberto Dib www.dib.com.br

São Paulo

*

A VITÓRIA EM SÃO PAULO  

A vitória acachapante de Joao Doria para a prefeitura de São Paulo no primeiro turno,  deu várias pistas: o povo cansou de quem está aí, portanto, do velho, os votos brancos e nulos revelam o silencio das urnas e necessita uma reflexão dos diversos partidos e a punição ao PT, sem precisar de violência como incendiar o país, pois a democracia foi exercida nas urnas. Bom lembrar que não foi Alckmin quem empurrou Doria, foi o antipetismo e o desencanto com os políticos que livrou a cidade de São Paulo das garras petistas. Quanto ao governador Alckmin, restam-lhe dois anos para terminar obras e não ser citado na Lava Jato. Somente assim, poderá pensar em 2018.  

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

DORIA VENCE NO PRIMEIRO TURNO!

João Doria vence no primeiro turno em São Paulo. Indicado e apoiado pelo governador Alckmin, esperamos que seu poste seja mais iluminado e competente do que o indicado pelo ex-presidente Lulla, Fernando Haddad, que com certeza não nos deixará saudades. As indicações em São Paulo costumam ser muito cobradas, a exemplo de Maluf que indicou o Pitta e foi um tremendo fiasco. Inclusive com vários processos de corrupção, que levaram por terra os sonhos do Maluf de concorrer à presidência!  Independente de tudo, ficaremos de olho. Queremos trocar incompetência, por competência e os paulistanos não costumam reeleger incompetente. Portanto que a aposta do governador, tenha sido em benefício de todos nós paulistanos, senão adeus sonho de presidência para Alckmin.

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

DORIA ELEITO PREFEITO DE SAMPA  

A eleição de João Dória (PSDB) para prefeito de Sampa, no 1o turno, escancara a alienação, o conservadorismo e a despolitização dos paulistanos. Votaram maciçamente num milionário, sem a menor experiência política ou de administração pública, que irá governar para os ricos e tratar a cidade como um grande balcão de negócios. Pobre Sampa!

Renato Khair renatokhair@uol.com.br

São Paulo

*

VOTO TUCANO  

Pois é, a “zelite” paulistana deu uma verdadeira lição  de cidadania e de  amadurecimento politico.  

Valter Gali vgali@concili.com.br

São Paulo

*

NANICO  

O fato palpável  é que o PT sai dessas eleições municipais como um partido nanico!  

Francisco José Sidoti fransidoti@gmail.com

São Paulo

*

SICOFANTAS DERROTADOS

Perda acachapante do PT em todo o Brasil nas eleições municipais.   Em São Paulo perdeu de capote. No Brasil 2/3 das prefeituras.   Finalmente os eleitores abriram os olhos.   O "mimimi"  da quadrilha  já está apontando culpados, mas nunca olham no espelho. Chega dessa

Gentalha. Creio que agora o Brasil vai começar a sair do buraco negro em que Lula e seus asseclas nos colocaram..  

Carlos E. Barros Rodrigues ceb.rodrigues@hotmail.com

São Paulo

*

PURGAÇÃO  

Democraticamente o povo brasileiro, em votação fatiada, extirpou e expurgou do cenário nacional o cancro que se instalara no País.  

Paulo Busko paulobusko@terra.com.br

São Paulo

*

BOMBA ATÔMICA!  

Estas eleições mandaram uma mensagem dos eleitores muito clara a todos os políticos deste País, independente de partidos : nós   temos o gatilho da bomba atômica nas nossas mãos e ela se chama internet/redes sociais. Roube e nós acabamos com você, como fizemos agora com o PT.  

Paulo Sérgio Pecchio Gonçalves

São Paulo

*

DORIA, UMA SURPRESA INTRIGANTE  

Avaliações diversas de jornalistas dizem que Doria venceu por representar o antipetismo ou por ter conseguido colar seu discurso de não ser político. Será que isto explica tudo? Talvez fosse bom levar em conta sua grande capacidade de persuasão, conseguindo ao mesmo tempo compreender e interpretar corretamente os anseios da população que nada têm a ver com ideologias, mas com o desejo de ter alguém na Prefeitura que governe com eficiência e energia, entrega necessária e capacidade de trabalho suficientes para melhorar a vida do cidadão. Encontraram em Doria a personificação desses atributos, enquanto os demais candidatos não conseguiram, de modo algum, passar a mesma confiança e firmeza de que seriam competentes o suficiente para corresponder às necessidades dos eleitores como o fez o prefeito escolhido em primeiro turno. Ouso dizer que, se o Doria fosse candidato do PT, assim mesmo teria sido eleito, por ter o perfil que se encaixa no que o povo desta cidade dinâmica e complexa, mais ansiava.  

Eliana França Leme efleme@gmail.com

São Paulo

*  

BAR DO ALEMÃO  

Nesta eleição, o Alemão derrotou o Russo...  

Sergio A. Monteiro samvilar@uol.com.br

São Paulo  

*

ALVISSARAS  

Temos novo prefeito. Gestor, não político.  Entenderam ou querem que os paulistanos desenhem? Haddad que volte a dar aulas, mas usando bicicleta. Marta que siga dançando  em nova freguesia. Erundina pode se dedicar ao tricô e ao crochê. E Suplicy não queria ser vereador? Que seja...  

Eliana Pace pacecon@uol.com.br

São Paulo

*

ASNEIRA DE LULA

Ao falar ou escrever o emissor supõe um receptor e para ele orienta sua mensagem, escolhendo as palavras e idéias que o outro possa compreender. Dentro dessa lógica , Lula supõe que seus ouvintes receptores são pessoas de baixo nível intelectual, sem o mínimo poder de análise do discurso, enfim, incapazes de pensar pela própria cabeça. Só assim se explica "Só há um jeito de eles tentarem me parar: evitar que eu ande pelo Brasil"", entre outras asneiras ridículas. Basofia vazia e mentirosa. Quem se parou foi o próprio Lula esmagado pelo assalto petista ao dinheiro público e pelo peso da crise econômica provocada pelo "governo pelos pobres", realidade que ele não pode admitir. Ele andará muito até Curitiba para alegria da maioria dos brasileiros.

Cloder Rivas Martos closir@ig.com.br

São Paulo

*

DIVIDIR É COM O PT  

João Doria foi eleito de forma acachapante e espetacular. Venceu no primeiro turno, fato inédito em São Paulo. Mas a declaração de que vai visitar Lula em Curitiba é extemporânea, desnecessária e pueril. São Paulo e o Brasil precisam de lideranças que se preocupem em somar, em agregar e em unir forças. Como tem feito o presidente Michel Temer. Essa conversa ridícula e segregacionista do "nós contra eles", pertence ao bisonho e finado lulopetismo. Acelere, prefeito, mas com inteligência!

Leão Machado Neto lneto@uol.com.br

São Paulo

*

O RECADO DAS URNAS  

A eleição de João Dória Junior à Prefeitura de São Paulo, já em primeiro turno,  merece séria reflexão do atual sistema político. O povo resolveu tomar as rédeas do poder e deixou de ouvir aqueles que insistem falar em seu nome. O desejo de mudança está carimbado nas urnas de todo o país. O eleitor não quer mais governos aparelhados por militantes políticos ou apadrinhados de parlamentares. Dória, os prefeitos eleitos nesse 2 de outubro e aqueles que ficaram para o segundo turno têm de ouvir essa potente voz que vem do eleitorado. Precisam levar ao povo propostas sinceras e executáveis, considerando que o eleitor de hoje lê jornais e tem canais para receber, analisar e discutir aquilo que lhe é dito. Acima de partidos e ideologias, é preciso seriedade. Prefeitos são eleitos para administrar e vereadores têm a missão de legislar e fiscalizar as ações do governo sem dele fazer parte ou ter interesses que possam tolher seus deveres de eleição.

    

Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br

São Paulo

*

GERALDO ALCKMIN PARA O PLANALTO.



A vitória retumbante de João Dória, no primeiro turno, para Prefeito da capital paulista, sem dúvida, coloca Geraldo Alckmin, governador deste Estado, como candidato à Presidência da República, pelo PSDB ou outro partido, desde que a sua liderança passa a ser incontestável em nosso Estado e no Brasil, valendo salientar que ele elevou o nome do PSDB, merecendo, pois, o apoio do partido para o Planalto em 2018. Certamente, João Dória, longe das práticas petistas, fará um bom governo para a capital paulista. Assim, o PT e Lula já eram no país, como demonstraram os resultados nas principais prefeituras do Brasil.  

José Carlos de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

*

APADRINHAMENTO  

O governador Alckmin acaba de parir um fortíssimo concorrente na eleição para presidente da República em 2018.  

Sergio S. de Oliveira ssoliveiramsm@gmail.com

Monte Santo de Minas (MG)

*

AÇÃO E REAÇÃO  

Como as leis de Newton se aplicam, também ao "todo poderoso" ex-presidente -  o grande molusco - ocorreu uma ação que gerou uma reação. A ação foi o pronunciamento do grande molusco ontem, após saber que o PSDB derrotou o seu "partidinho" PT em São Paulo.

Senão, vejamos: Abre aspas, "São Paulo elege o aventureiro Doria como elegeu o FHC, fecha aspas"

Reação do aventureiro, abre aspas," o ex-presidente Lula sabe que vou visitá-lo em Curitiba". Pobre povo brasileiro.  

Tanay Jim Bacellar tanay.jim@gmail.com

São Caetano do Sul 

*

PLUS

Eleição é o melhor exercício da democracia, além de chance imperdível de se votar contra o PT...

A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

BYE, BYE

Adeus Haddad, até nunca mais!

Leda Terezinha Marchiori ledaterezinhamarchiori@gmail.com

São Paulo

*

Tchau, Haddad, Russomanno e Marta. Venceu a esperança.

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br

São Paul

*

A EX

Dona Dilma, aonde estão os seus 51 milhões de eleitores?! Em cruzeiros marítimos em Cuba?!  

José Gilberto Silvestrini jgsilvestrini@gmail.com

Pirassununga

*

VIÚVA NEGRA

Analisando o resultado das eleições, concluo que Lula quase igualou as atitudes da viúva negra, a única diferença é que ela não mata seus filhotes.

Mario Ghelllere Filho marinhoghellere@gmail.com Mococa

*

NÓS E ELES UNIDOS

A união do Nós e Eles (Sudeste e Nordeste ) nestas eleições, serviu para derrotar Ele e Ela (Lula e Dilma) mostrando que o pão e circo não pode prosperar em nenhum recanto deste nosso verde amarelo, Brasil.  

Jorge Peixoto Frisene jpfrisene@zipmail.com.br

São Paulo

*

FIM DE FEIRA

Preocupantes os três meses finais de desgoverno da prefeitura petista. Mesmo com a esperança de reeleição já era temerária e cheia de surpresas desagradáveis, agora, já definido o “fim de feira”, não faço ideia do que poderá acontecer. Vamos ficar atentos.

Ivan Bertazzo bertazzo@nusa.com.br

São Paulo

*

BRASIL PÓS-PT

Ainda sob o impacto avassalador do resultado das eleições neste primeiro turno, que acabou por nos desvendar um PT quase nanico, tenho consciência de que o povo brasileiro , nestes últimos anos , foi o grande agente transformador , capaz de colocar uma barreira no caminho previamente  traçado pelo PT e pelo Foro de São Paulo, que nos conduziria fatalmente a um destino semelhante ao da Venezuela. E tudo pelos caminhos democráticos, sem golpismos! Mas o povo só despertou para as ruas movido pela exaustão de ver nosso país sendo roído pela corrupção adotada pelo governo como método de trabalho. A indignação  nos impulsionou, e de certa forma, devemos isso ao PT, que através de treze anos nos conduziu como gado ...certos de nossa mansidão tradicional .e de que jamais ousaríamos nos levantar contra o deus Lula. Mas acordamos e devemos isso ao PT, grande mestre da corrupção! A crise econômica e social , que fechou milhares de empresas e criou 13 milhões de desempregados foi o golpe final. Mas tudo isso não teria este desfecho histórico nas urnas, não fosse um grupo de jovens idealistas , promotores e policiais federais do Paraná, que investigaram os crimes de corrupção como prioridade para salvar este país das mãos de uma organização criminosa que só visava a manutenção do poder e a satisfação do enriquecimento ilícito como meio de praticar um alpinismo social de maneira rápida. Contavam com a impunidade. Creio que o novo Brasil que se avizinha precisa de todos nós. Nunca mais seremos omissos e acomodados. Esta foi a grande lição que tiramos de tudo isso.  

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

*

NOVOS PARTIDOS POLÍTICOS

A cúpula do PSDB em São Paulo Fernando Henrique Cardoso, José Serra, Alberto Goldman, Aloysio Nunes Ferreira. José Aníbal foram contra a indicação de João Dória por Geraldo Alckmin, eles queriam um da panelinha. Por isso corre solto que José Serra quer deixar o PSDB e voltar para o PMDB a fim de assim poder se candidatar a presidência da republica contra Geraldo Alckmin. Cada um só pensa em si mesmo. Agora que se fala em reforma política seria oportuno aproveitar que se dissolvessem todos atuais partidos e que se formassem apenas cinco partidos com ideologias e programas definidos: um de centro, um de centro esquerda, um de centro-direita, um de esquerda e um direita. Porque atualmente quase todos eles se confundem, não têm nem ideologia em programas bem definidos.  Agora os partidos se distinguem pelos seus caciques.

José Carlos de Castro Rios jc.rios@globo.com

São Paulo

*

Abuso de poder?

Sr. Goldman, abuso de poder não seria acumular aposentadorias milionárias e sobrepostas desviando para si dezenas de milhares de reais  que deveriam ser empregados para ajudar a reduzir a miséria em que vive milhões de Brasileiros?      

Milton Bonassi mbonassi@uol.com.br

São Paulo

*

TSC TSC TSC

O comportamento de FHC e Serra, não celebrando a vitória de Dória não só é uma vergonha, como também expõem o racha dentro do PSDB de forma escancarada, enfraquecendo o partido. Esses dois dinossauros, muristas, precisam ser substituídos por lideranças novas, com novas posturas e mais conectados com a população.  

Oscar Thompson OscarThompson@hotmail.com

Santana de Parnaíba

*

O OCASO DA ESTRELA

Enfim, o primeiro “round” das eleições terminou, com surpresas não muito surpreendentes, afinal, dado os últimos acontecimentos envolvendo o Partido dos Trabalhadores era de se esperar esse resultado de perdas significantes, e perda de sua hegemonia, inclusive, em seu berço político o ABC paulista. É um momento muito triste para “a esperança que venceu o medo” anos atrás. O erro do PT foi acreditar que todos os homens eram vendáveis, e que para fazer um bom governo só era possível comprando todos eles. O PT não estava totalmente errado, mas, felizmente, em cada dez homens um não é vendável, e esse um pode fazer toda a diferença para o equilíbrio da governabilidade. Para o Brasil dar certo é preciso acabar com essa divisão que se instalou por aqui,  petistas e não petistas, criada com o único objetivo de mostrar quem é mais forte politicamente. Ao povo, não interessa quem é mais forte politicamente. Ao povo, interessa comida na mesa, emprego, saúde, educação, seja lá quem quer que seja o poder. O momento é de fazer um mea-culpa, e não de pensar em fazer uma “oposição ferrenha”. Com o tempo, os gritos de “Fora Temer” acabarão por implodir dentro do próprio PT, para a sobrevivência da sigla, o PT precisa varrer os radicais de seus quadros, ainda, que esses radicais sejam líderes. Os exemplos da ineficiência do radicalismo político estão por todo o mundo, para quem quiser comprovar.  “Somos todos Brasil”, e exigimos que ele seja respeitado por todos os políticos, de A a Z . Não queremos um "salvador da Pátria, isso já sabemos que não existe, queremos bons governantes. Só isso.

Mirna Machado mirnamac@uol.com.br

Guarulhos

*

JÁ CAIU EM SÃO BERNARDO

Uma grande estrela caiu essa semana  em São Bernardo do Campo? Depois de tanta falta de direção, ela caiu no próprio berço onde nasceu. Milhares de trabalhadores que um dia aplaudiram seu nascimento e a levaram orgulhosos para o topo da nação, decidiram ontem tombar o seu próprio berço. Deixaram o candidato do partido estrelado à prefeitura dessa importantíssima cidade, em terceiro lugar. A estrela já tinha perdido o brilho, ou o mandato, em Brasília, e agora perde a posição por quase todo o País. Mas perder o voto, depois de oito anos, do povo lutador de São Bernardo do Campo que a viu nascer, é uma demonstração de que a estrela não conta mais com a admiração, a confiança, a esperança e o brilho de antes. Como diria John Green, no título de seu famoso livro, "A Culpa é da Estrela".

Gilberto dos Santos world.gibasan@uol.com.br

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.