Fórum dos Leitores

.

O Estado de S.Paulo

18 Outubro 2016 | 04h05

PREVIDÊNCIA

Privilégios adquiridos

No editorial Freio nos privilégios (17/10, A3) o Estadão expõe uma situação que passou a ser, literalmente, insustentável. Não é mais possível que 10 milhões de servidores públicos continuem a ter seus salários, mais penduricalhos e aposentadorias escandalosos bancados por 100 milhões de trabalhadores da iniciativa privada, ou melhor, 190 milhões de contribuintes não servidores, a maioria dos quais vivendo em situação de penúria. Essa situação, acobertada por falácias do tipo “direitos adquiridos” e “cláusulas pétreas”, tem de acabar. Na verdade trata-se de “privilégios adquiridos” por “cláusulas escandalosas” criadas pelos beneficiários dessa pouca-vergonha. Não dá mais!

JOSÉ CLAUDIO MARMO RIZZO

jcmrizzo@uol.com.br

São Paulo

O rombo

Finalmente alguém esclarece parcialmente o porquê da diferença entre a aposentadoria dos funcionários públicos e da empresa privada (Diferenças a considerar, 15/10). Enquanto o recolhimento do funcionário público é de 11%, mais 2% para assistência médica, sobre o salário bruto, o empregado da iniciativa privada paga 11% sobre o teto máximo de R$ 5.189,82, independentemente de ganhar R$ 5 mil, R$ 20 mil ou mais mensalmente. Caso o recolhimento do empregado da empresa particular fosse igual ao do funcionalismo, com certeza o alardeado rombo seria muito menor, além de a arrecadação aumentar substancialmente. Também deveria ser terminantemente vedada a utilização, sem retorno, de verbas arrecadadas pelo INSS para a construção de obras gigantescas como a ponte Rio-Niterói, a Transamazônica, Itaipu, etc.

FREDERICO FONTOURA LEINZ

fredy1943@gmail.com

São Paulo

Fraudes

Conforme publicado pelos jornais, após passar um pente-fino nos benefícios concedidos pelo INSS, o governo constatou irregularidades em oito de cada dez auxílios-doença analisados. Ou seja, são pessoas que recebem o benefício, mas continuam a trabalhar e contribuindo para a Previdência, o que não é permitido. Segundo a Associação Nacional dos Peritos Médicos do INSS, já foram feitas 5 mil revisões do auxílio e 4 mil (80%) benefícios foram cancelados. Diante desse cenário, o governo estima que poderá economizar até R$ 11 bilhões por ano com o fim das fraudes. Agora só nos resta torcer para que o presidente Michel Temer tenha sucesso na proposta de reforma da Previdência que em breve será enviada ao Congresso Nacional.

EDGARD GOBBI

edgardgobbi@gmail.com

Campinas

PREFEITURA PAULISTANA

Enchentes e trânsito

Disse o prefeito eleito, João Doria, que já nomeou uma equipe para acompanhar as ações antienchentes do atual prefeito, Fernando Haddad. Os cinco auxiliares escolhidos serão supervisionados por Júlio Semeghini, que decerto terá pouco a fazer, pois praticamente nada foi realizado para acabar de vez com as constantes inundações que atingem a cidade de São Paulo. Mas isso vem de várias administrações municipais, os prefeitos anteriores também não se preocuparam em apresentar um projeto para solucionar o problema na capital paulista. E existe solução, até nem tão difícil. A cidade de São Paulo está a 750 metros de altitude e ao lado da Serra do Mar, ao contrário de Tóquio, por exemplo, que se encontra no nível do mar, mas essa cidade é idêntica à nossa nos seus problemas, e lá eles foram resolvidos brilhantemente. João Doria que faça uma visita à capital japonesa e constate como ali foi resolvido o problema de enchentes. E também do trânsito.

BENONE AUGUSTO DE PAIVA

benonepaiva@gmail.com

São Paulo

CET destroçada

Um alerta ao prefeito eleito. Como é hábito do PT, a primeira providência quando assume o poder é aparelhar tudo o que for possível. Daí que a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) está destroçada, os funcionários capazes e experientes foram encostados. Faça, por favor, as coisas voltarem ao lugar.

IVAN BERTAZZO

bertazzo@nusa.com.br

São Paulo

Velocidade nas marginais

Interessante o anúncio do futuro prefeito paulistano de que manterá trechos nas avenidas marginais com a limitação de 50 km/h (que na prática é de 55 km, porque existe uma tolerância de 10% para aplicação de multas). Nas vias onde a velocidade permitida for mantida reduzida, serão constatados resultados surpreendentes, pois a vazão do tráfego de veículos nos horários de pico é maior. Esse paradoxo se dá pela necessidade de serem mantidas, por segurança, distâncias maiores entre os veículos em movimento quando a velocidade do fluxo de veículos é mais elevada. Porém isso depende também de outras condições, tais como situação da via, composição da frota e até mesmo a forma como os motoristas dirigem. São esses os principais fatores que devem influenciar na escolha de qual a melhor velocidade numa via urbana ou rodovia,

aspectos que os técnicos conhecem bem, embora nos escapem pela sua peculiaridade, na nossa compreensão como cidadãos.

ROGERIO BELDA

r.belda@terra.com.br

São Paulo

Fiscalização

A polêmica da velocidade nas áreas urbanas vale todo esse frisson? Para mim, sim, tem de baixar mesmo para tornar a cidade melhor, mais segura e agradável. Só que a mobilidade urbana faz todos supervalorizarem um único lado do problema dos acidentes, enquanto outros aspectos fundamentais e decisivos, como a inspeção obrigatória (por lei) dos itens de segurança dos veículos, a megaevasão do licenciamento da frota brasileira em circulação (30% – e 50% para motos) e o comportamento dos motociclistas, não são sequer mencionados nos cruciais debates e manifestações públicas dos ícones da política, do trânsito e da mídia. É neste exato momento em que a bola está pingando na área que temos de entrar com nossa cunha e aprofundar o debate. Não consigo compreender esse frisson monotônico obsessivo só em cima dos limites de velocidade. Eu e mais dois gatos-pingados especializados, que muito respeito, ficamos martelando essas megacalamidades injustificáveis durante anos por onde andamos e os que estão confortavelmente sob os holofotes não dão um pio sobre essas questões cheias de arestas e espinhos, que demandam soluções bem mais difíceis que uma simples troca de placa de rua – que, isoladamente, pouco resolve. O Brasil é campeão mundial de mortes em acidentes. Temos de arregaçar as mangas, é dose pra leão essa passividade dos pseudoinfluenciadores e tomadores de decisão.

OLIMPIO ALVARES

olimpioa@uol.com.br

Cotia

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

ERA SÓ O QUE FALTAVA...

Há tempos investigado e bem próximo de se tornar também réu na Operação Lava Jato, o senador Renan Calheiros está mexendo seus pauzinhos no Planalto para que em 2017 seja guindado ao posto de ministro da Justiça. Uma afronta! Um escárnio! Se o presidente Michel Temer se curvar a esse pedido de Renan, certamente seu governo perderá sua ainda reduzida credibilidade e o povo brasileiro voltará às ruas e avenidas deste país para protestar e demonstrar sua indignação. O povo não deseja ver o hoje presidente do Senado, um político sem cumplicidade com a ética, ocupando mais um honroso cargo nesta República.

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

RENAN NO MINISTÉRIO

A raposa no galinheiro. 

 

Robert Haller robelisa1@terra.com.br

São Paulo

*

VOU-ME EMBORA

Chega, assim já é demais! Parem o caminhão, que eu quero descer! Renan Calheiros ministro da Justiça seria a maior aberração que poderia acontecer na política brasileira. Seria a mesma coisa que botar cabras para tomar conta de hortas. Deus me livre e guarde, mas, se um absurdo deste acontecesse, realmente, eu - diferentemente de Chico Buarque e daquele deputadozinho falastrão, que disseram que iriam embora do Brasil caso a ex-presidente Dilma Rousseff fosse impedida de governar o País - iria mesmo embora, pois viver num país sem um pingo de dignidade judicial é o que há de pior para um cidadão minimamente esclarecido.

Arnaldo de Almeida Dotoli arnaldodotoli@uol.com.br

São Paulo

*

VELHOS TEMPOS?

Só falta alguns políticos apresentarem o nome de Renan Calheiros para presidente em 2018. Será que não entenderam que o Brasil mudou? O futuro dele será definido pela Justiça, se não houver prescrição, claro.

Luíz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo

*

GOVERNO INSANO

A formação do governo por Temer trazendo alguns parlamentares com processos (não condenações) foi, afinal, aceita pelo fato de que obteria um bom apoio parlamentar. Isso ocorreu como se viu na votação da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 241. O site do "Estadão" anunciava no fim de semana que Renan Calheiros seria levado ao Planalto e, eventualmente, assumiria a Presidência, pois Temer convidaria o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, para acompanhá-lo em viagem. O presidente Temer, que tem sido bastante apoiado também pela opinião pública, se permitir Renan no Palácio do Planalto, perderá apoio por aproximar o que é tido como o maior bandido do Senado Federal, com inúmeros processos no STF, inclusive por roubos, e um acordo com o Supremo pelo qual ele e Romero Jucá não podem ser processados. Ninguém tem noção do que possa ser esse acordo, mas, aparentemente, ele existe.

 

Fabio Figueiredo fafig3@terra.com.br

São Paulo

*

VIAGEM

Será que o presidente interino sr. Calheiros, não vai dar um pulinho a Mombaça?

Harry Rentel harry@citratus.com.br

Vinhedo

*

ABUSO DE AUTORIDADE

Dois parlamentares investigados pela Operação Lava Jato pretendem reativar projeto que altera a Lei de Abuso de Autoridade. Talvez coubesse tal pretensão ser defendida por pessoas mais qualificadas para este mister, o que ninguém acredita. Senhores parlamentares, lembrem-se de 1964.

Lígia M. Venturelli Fioravante ssantos_marcia@hotmail.com

São Paulo

*

SENADORES DENUNCIADOS

Nenhuma novidade que o senador Romero Jucá, investigado na Operação Lava Jato, tenha afirmado que colocará em votação proposta sobre "abuso de autoridade", que com certeza calará a Operação Lava Jato. É claro que existe por trás dessa tramoia Renan Calheiros, presidente do Senado, já que a Lava Jato fez contra ele nove denúncias. Mas é de admirar que até agora o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki não tenha investigado, denunciado e julgado estes dois - Renan e Jucá -, retirando-os do cargo. Eles continuam emporcalhando a política nacional. É urgente a limpeza desta lama malcheirosa que nos últimos anos tomou conta da República. Eduardo Cunha presidente da Câmara já foi. Por que tanta "proteção" contra estes investigados do Senado? Se Teori não tem capacidade para julgá-los, que se declare incompetente, repassando o caso a outro colega. O que não dá é no mundo globalizado, com as redes sociais a mil, a internet cruzando tudo e todos, suportarmos essa morosidade no STF. O Brasil tem pressa.

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

DETALHE

Agora, que está chegando a vez de Romero Jucá e de Renan Calheiros, eles estão querendo novamente legislar em causa própria, como já o fizeram na divisão da decisão do impeachment. Só estão se esquecendo de um pequeno detalhe: combinar com a Nação.

Marcos Catap marcoscatap@uol.com.br

São Paulo

*

PICARETAS

Senador Jucá corrobora declaração do ex-presidente Lula dada há 22 anos, quando afirmou: "O Congresso Nacional tem mais de 300 picaretas".

 

José Roberto Niero jrniero@yahoo.com.br

São Caetano do Sul

*

PODER PARALELO

Com relação ao Judiciário, já existe o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que analisa abuso de poder, assim como outros órgãos. É totalmente inoportuno (ou muito oportuno - vejam Renan, etc.) o Senado querer estabelecer um poder paralelo. Temos (nós, o povo) de fazer um manifesto contra isso. Temos hoje mais um grande trunfo: as redes sociais.

 

Ulysses Fernandes Nunes Jr Ulyssesfn@terra.com.br

São Paulo

*

AUTOINCRIMINAÇÃO

Lei do abuso de autoridade. Iniciativa absurda e extemporânea da dupla Renan Calheiros-Romero Jucá. Todos os políticos, a dupla maligna citada e os senadores que irão defender a malcheirosa lei estarão se autoincriminando. Quem roubou quer se blindar, a caçada aos desonestos não pode ser obstada. Chega de sacanagem!

Mario Pacheco Fernandes mmpfa@uol.com.br

São Paulo

*

'AVANÇOS E RECUOS'

Fiquei feliz em ler o artigo de Eliane Cantanhêde no "Estadão" de domingo ("Avanços e recuos", A8). Porém, como muitos brasileiros, estou indignado por que damos ainda a Renan Calheiros e a Romero Jucá o direito de tentar acabar com a Lava Jato. Justamente eles que têm processos parados STF.  Renan Calheiros tem ainda 12. Nunca poderemos nos esquecer de que em abril de 2016 já prescreveu um contra ele. Temos ainda as protelações dos que atingem a família de Romero Jucá. Parabéns, Eliane Cantanhêde.

Wilson Matiotta loluvies@gmail.com

São Paulo

*

IMPUNIDADE

O "Estadão" de domingo (16/10), pela manchete e pelas reportagens políticas de Brasília, dá força a esta conclusão do artigo de Eliane Cantanhêde: "Moral da história: 'conter abuso de autoridades' pode ser pretexto para embutir algo bem menos nobre, como facilitar desvios e garantir a velha conhecida impunidade que sempre reinou nesta República".

Luiz Ernesto Kawall vozoteca@terra.com.br

São Paulo

*

DICOTOMIA NO CONGRESSO

A colunista Eliane Cantanhêde ("Estadão", 16/10, A8) reforça o sentimento de alerta para as manobras que estão em fase de urdimento e para a que o Congresso, da parte da Câmara dos Deputados, tem avançado com a Comissão Especial que analisa as 10 Medidas contra a Corrupção. O mesmo não se pode dizer do Senado, onde Romero Jucá e Renan Calheiros atuam como dois zagueiros míopes. Enquanto Jucá teve passagem meteórica no Planejamento, Renan tece loas à Lava Jato, enquanto o Supremo já instaurou sete inquéritos sobre sua participação no botim da Petrobrás. Agora que a paz aparente envolve a Câmara Federal, não se pode minimizar o atrevimento de Renan, bastando para isso recordarmos do verdadeiro "golpe" aplicado pelo presidente do Senado, mancomunado com o presidente do STF, na ocasião presidente da sessão do impeachment de Dilma Rousseff, que, contrariando a letra viva da Constituição de 1988, garantiu à defenestrada direitos que lhe são negados pela Carta Magna de 1988. Olho vivo e faro fino com esta gentalha.

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

*

O IPEA E A PEC 241

Estudos do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) mostram que a PEC 241 irá reduzir os recursos da área social em 50%. Com os anos, chegará a ínfimos 0,7% do PIB. O Brasil já tem uma imensa dívida social e o valor gasto em saúde e educação per capita muito abaixo do dos países desenvolvidos. Estão criando uma bomba-relógio, com nefastas consequências para o já esgarçado tecido social, que só irá piorar e se deteriorar ainda mais. Enquanto o andar de cima comemorar, com os rentistas e o mercado financeiro fazendo a festa, a grande maioria dos brasileiros irá pagar um preço altíssimo. É um verdadeiro crime contra o Brasil e o povo brasileiro, que precisa reagir e rápido.

Renato Khair renatokhair@uol.com.br

São Paulo

*

VAMOS EM FRENTE

Qualquer família, e as assalariadas em particular, sabe que a sensatez indica que não se pode gastar mais do que se recebe, para evitar o desequilíbrio de caixa e as sucessivas dívidas que vão se tornando impagáveis. Todos, menos os petistas, cuja mentalidade ainda está presa no século 19 aos enunciados do "Manifesto Comunista" e de "O Capital", de Karl Marx. O olhar fixo no próprio umbigo impede que vejam a dinamicidade histórica, cujas realidades vão se alterando e, dialeticamente, novas necessidades vão surgindo. Impede, inclusive, que percebam a própria realidade de seu governo - agora inexistente - de Dilma Roussef, a que tanto se apegam, cujo ministro da Fazenda Nelson Barbosa disse, em fevereiro deste ano, que "a recuperação da estabilidade fiscal depende do controle do crescimento do gasto público, do gasto com pessoal e da reforma da Previdência". Então, a pantomima encenada pela esquerda na aprovação da PEC 241 só se explica pela total ignorância histórica, e/ou pela alienação da lógica, comum a esses grupos, e/ou pelo quanto pior melhor, e/ou por todas as alternativas anteriores conjugadas. Assim, a tendência natural é ignorá-los e seguir em frente. 

Carmela Tassi Chaves tassichaves@yahoo.com.br

São Paulo

*

VELHO CHAVÃO

Um grupo de pessoas estava numa canoa chamada Brasil, quando alguém percebeu que a água entrava por um buraco numa das extremidades. Todos se mobilizaram, imediatamente, para tirar a água, que ameaçava afundar a embarcação. Todos não, quase todos. Um sujeito, petista de carteirinha, sentado bem na ponta, continuou tranquilo, apreciando a paisagem, sem se importar com a aflição dos companheiros. Questionado, respondeu: "Por que me preocupar? O buraco é lá do outro lado". Ou seja, tudo para o PT é "golpe" no governo Dilma e "Fora Temer". O PT está se "lixando" para as crises econômica e política que eles criaram para o País, e até na votação da PEC 241 para tirar o País do atoleiro o PT e aliados votaram contra (111 votos). 

 

Edgard Gobbi edgardgobbi@gmail.com

Campinas

*

TRABALHO, DIGNIDADE E PAZ

Missa de Nossa Sra. Aparecida. Igreja lotada. Gente de todas as raças, idades, escolaridades, níveis econômicos. Serenidade, tranquilidade. No momento de oração individual, silêncio total. Fico curioso para saber o que cada um tem na mente, no coração e nas mãos. Durante o Pai Nosso, todos de mãos dadas. Apesar das diferenças, a paz e o respeito são possíveis. Diferentemente do que ouvimos nos últimos anos, quando imbecis pregavam o ódio, a violência e a corrupção como forma de vida. As pessoas de bem querem trabalho, dignidade e paz. Só assim será possível construir uma sociedade de progresso e justa. Precisamos agora ter os líderes certos para conduzir nosso país.

André Coutinho arcouti@uol.com.br

Campinas

*

UMA LUZ NA PETROBRÁS

Nem bem Pedro Parente, presidente da Petrobrás, esquentou a cadeira e eis que vemos o resultado de sua curta gestão. Ações da estatal sobem, gasolina tem uma pequena redução, assim como o diesel, o que sinaliza uma grande diferença de gestão. Enquanto o governo do PT preocupou-se em roubar a Petrobrás, o governo Temer dá mostras de que os brasileiros ainda verão a Petrobrás voltar a ser o orgulho nacional, uma luz que reacende. Com esses resultados, o que se espera é que aqueles que chamaram o governo atual de golpista enfiem a viola no saco e vão cantar em outra freguesia, bem longe daqui. Não sem antes de pagarem por seus crimes. 

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

ALVÍSSARAS

A Petrobrás cortou o preço da gasolina (3,2%) e do diesel (2,7%) nas refinarias, o que pode representar, de acordo com a região de distribuição, redução nas bombas (varejo) de R$ 0,03 R$ 0,05 de economia por litro. Parece pouco, mas é de grande valia para o mercado e para os consumidores, que há tempos, sete anos, não sentiam esse gostinho. E algo ainda mais importante: esse corte vai dar um pequeno refresco à inflação, o que praticamente força o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) a reduzir a taxa básica de juros, a Selic, estacionada desde julho do ano passado em 14,25% ao ano. E não param por aí as boas novas. A empresa diz que mensalmente vai refletir os valores dos combustíveis e a cada 60 dias explicar as decisões ao mercado. Isso deverá acelerar a confiança do mercado interno e externo, pois a petroleira está sob nova direção, administrada por homens íntegros e capazes, que praticam "jogo limpo", ao contrário do bando que se apossou da companhia nomeado única e exclusivamente para praticar o jogo sujo, mancomunado e subserviente a um governo corrupto e sem escrúpulos. 

Sérgio Dafré Sergio_dafre@hotmail.com

Jundiaí

*

ESMOLA

A baixa do preço da gasolina nos postos (de até R$ 0,05 por litro) não passa de uma esquálida esmola.

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo

*

CARADURA

O governo federal deveria no mínimo se envergonhar ao anunciar com toda pompa o miserável desconto de R$ 0,03 no preço da  gasolina. Quer enganar quem? Fala sério! 

Sara May sara-may@bol.com.br

São Paulo

*

SEMPRE PAGAMOS A CONTA

Com a redução dos preços da gasolina e do diesel, o etanol deverá ficar menos competitivo. Não será de estranhar que, para aliviar tal situação e socorrer as usinas de álcool, seja determinado um novo aumento do porcentual na gasolina nesse combustível.

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

BANCOS

As notícias da semana sobre os absurdos juros bancários brasileiros, culpando a inadimplência, me lembraram frase do escritor americano Mark Twain (1835-1910): "Os banqueiros são aqueles caras que te emprestam a sombrinha quando o sol brilha e te tomam o guarda chuva quando começa a chover".

Luiz Henrique Penchiari lpenchiari@gmail.com

Vinhedo

*

MARIN E A JUSTIÇA

Senhores procuradores da Justiça e Receita Federal, como é possível isto? O suposto corrupto José Maria Marin compra uma casa por R$ 13 milhões e o valor venal é de R$ 24 milhões? Não é óbvio que passou a escritura por valor menor e pagou a diferença por fora com dinheiro sujo? O que precisamos fazer para abrir um processo contra tal meliante? O seu apartamento de R$ 15 milhões continua vago no Condomínio Edifício Campos Elíseos, na Rua Padre João Manoel... A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) não ganha dinheiro público? E ele lá, na Quinta Avenida, em Nova York, podendo dar passeios diários à farmácia e a médicos! Será que paga o IPTU? Aposto que não. 

Conrado Niemeyer cmn60@icloud.com

São Paulo

*

EM RETIRO

Após correrem boatos na internet de que a Operação Lava Jato faria prender Lula na madrugada de domingo para segunda-feira, uma multidão de 20 militantes, junto com alguns jornalistas blogueiros, se postaram defronte do prédio onde Lula mora no ABC, no intuito de protegê-lo da violência da prisão coercitiva, mas, se ele estava em sua casa, ninguém sabia. Ironizei, mas é sabido com que agilidade esses 20 manifestantes se multiplicariam após comunicar ao resto da tropa, caso a prisão acontecesse. De qualquer forma, não seriam eles que impediriam a prisão de Lula. Mas a Polícia Federal pode mudar o horário... e, desta forma, os militantes vão ter de aparecer com suas tendas para se arranchar na calçada do prédio, vão fazer seus lanches ali mesmo, e o banheiro improvisado pode ser no bueiro da rua. E os vizinhos de Lula terão um motivo a mais para se irritar com a proximidade do ex-presidente. P.S.: Lula está em retiro, num silêncio sepulcral, alguém sabe, por favor, por onde ele anda?

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

*

TRÊS EM UM

Primeiro comentário:  vigilantes fazem vigília na frente do prédio de Lula, depois da corrida de notícia na internet de que ele seria preso. A pergunta que não quer calar é: em qual prédio? No Edifício Solaris, no Guarujá? Segundo comentário: beneficiário do Bolsa Família doou R$ 75 milhões na campanha eleitoral. A pergunta que não quer calar é: doação através do caixa um ou do caixa dois, ou não contabilizada, como disse Delúbio "Piada de Salão" Soares, o matemático que queria porque queria ser presidente do BNDES? Terceiro comentário: ministro da Justiça anuncia plano de combate ao crime organizado. A pergunta que não quer calar é: plano autorizado de "anunciamento" pelas milhares de "quadrilhas de crimes organizadas" ou plano diferente?

Arthur de Lucca arthurcaiolucca@gmail.com

Goiânia

*

PRENDER OU NÃO PRENDER, QUESTÃO DO JUDICIÁRIO

 

O boato de que o ex-presidente Lula seria preso nesta segunda-feira mobilizou aqueles que ainda o apoiam, mas não aconteceu nada do que foi espalhado pelas redes sociais. Deveriam as autoridades apurar a origem da falsa notícia e responsabilizar os seus autores por falsa notícia e incitação contra a ordem pública. A questão de Lula e de todos os que têm seus nomes envolvidos em denúncias é judicial. Favoráveis e contrários à prisão devem aguardar o andamento das investigações, torcer para que elas sejam as mais isentas e, com base nas suas conclusões, a Justiça se pronuncie. Não há por que condenar ou absolver previamente ou forçar os acontecimentos através de atos públicos. O que tem de prevalecer é a coleta de provas e o exercício da ampla defesa dos acusados. Não há mobilização popular capaz de mudar os fatos. Quem tiver informações que possam interessar ao processo, que as encaminhe a quem de direito, mas não fiquem cansando a paciência do brasileiro, que precisa de tranquilidade para trabalhar e sair da crise.  

Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br

São Paulo

                                                                                                     

*

BAITA CONTRADIÇÃO

 

Em menos de três meses, três ações penais abertas contra Lula por violação a vários preceptivos do Código Penal. Outras investigações estão "no forno", esperando a vez de virem a constituir novas ações. Ao menos nas aparências, uma baita contradição para quem se diz a viva alma mais honesta do País. 

 

Silvio Natal silvionatal49@gmail.com

São Paulo

*

LULA JÁ É TRI

Lula, na semana que passou, alcançou o "tri", desta vez atuando em campo próprio: Brasília, longe do Paraná e sem interferência do juiz. Se continuar jogando no mesmo esquema e com a mesma avidez, logo virão o tetra, o penta, o hexa e, talvez, o hepta, tão ansiados pela torcida brasileira.

Luiz Carlos Tocalino lctn13@gmail.com

Campinas

*

NAVEGAR É PRECISO

 

O Brasil tem pressa. Além de colocar na prisão os bandidos - travestidos de políticos e sindicalistas - que roubaram e devastaram as finanças do Estado, é preciso que isso não mais aconteça. A privatização e a fixação de regras apolíticas que garantam a profissionalização dos quadros públicos, como fazem os países do Primeiro Mundo, se impõem. É esta forma moderna e ética de governar que o povo viu nas propostas do prefeito eleito de São Paulo, João Dória. Que no plano estadual e federal surjam outros nomes dessa estirpe.

Nilson Otávio de Oliveira noo@uol.com.br

Valinhos

*

CARTA AOS CORRUPTOS

Os corruptos brasileiros deveriam ter aprendido algumas lições com os desdobramentos da Operação Lava Jato. A primeira lição é de que nada dura para sempre, o mandato acaba, o jogo que estava ganho vira, o companheiro da quadrilha se torna delator, ninguém é grande o bastante para ficar impune para sempre, nem Lula. Outra importante lição é de que mais vale um milhão limpo que um bilhão sujo, sem origem, que não pode sequer ser depositado num truste. A lição mais importante que a turma de Palocci e de Cunha deveria aprender é parar enquanto está ganhando, depois que você já desviou dinheiro suficiente para cinco gerações não há motivo algum para continuar se arriscando na carreira do crime. Sei que é difícil, contrário à natureza do corrupto, mas em algum momento o melhor seria que o corrupto simplesmente parasse de roubar, procurasse outra coisa para fazer na vida, um hobby, uma terapia ocupacional. Não há nada que o corrupto faça com um bilhão que ele não possa fazer com 100 milhões, a maioria dessa tigrada da Lava Jato está engasgada por conta da gula cega, nunca nada é o bastante, sempre querem mais, e é isso que o corrupto brasileiro tem de aprender a controlar. O País agradece.  

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo 

*

'ENFADONHO'

Em reportagem de domingo no "Estadão" (16/10, A10) com o ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), como diferente não poderia ser, o entrevistado disse que as sessões daquela Casa são por demais enfadonhas. Que seus pares não precisam mostrar o quanto sabem do Direito, mas, sim, deveriam somente aplicar o Direito ao jurisdicionado. O fato já é seguido nos julgamentos de Barroso, Toffoli, Teori, Fachin, Cármen Lúcia e Fux. Já os outros ministros... Afinal, já há um quórum de 6 a 5 na proposta. É só materializar.

 

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

*

NÃO SE GOVERNA COM O JUDICIÁRIO

Como bem disse o ministro Luís Roberto Barroso, do STF, não se governa com o Judiciário. A governança da Nação está entregue ao Executivo e ao Legislativo, cabendo a este a aprovação dos projetos enviados. Por melhor que o Judiciário atue, não conseguirá tapar as falhas emergentes da política ocorrente nos demais poderes da República. Daí que precisa haver uma reformulação ética total no âmbito político, como modo e meio de aperfeiçoar a gestão da coisa pública. Faz-se necessária, então, uma nova escola de decência no trato da coisa pública, com mais força que o Código Penal, com suas brechas e oportunidades. Em resumo, o Brasil precisa passar por um novo processo de renovação ética de valores nos moldes do que passaram outros países dominados pela corrupção e pela indignidade.

José C. de Carvalho Carneiro carneirojcc@uol.com.br

Rio Claro

*

SANTO DE CASA

Na edição de 12/10 do "Estadão", o deputado estadual Pedro Tobias, presidente do PSDB-SP, se vangloria de que o seu partido pretende, na região do ABC, acabar com o cinturão vermelho, ou seja, prefeituras historicamente ligadas ao PT, aproveitando a onda azul da vitória de João Dória na capital. O deputado só se esqueceu de mencionar que na cidade onde reside e tem a sua principal base eleitoral, Bauru (SP), munícipio estratégico do centro oeste paulista, cidade com mais de 240 mil eleitores, não houve a onda azul, ao contrário do que ocorreu no Estado de São Paulo e no resto do País, pois o PSDB nem sequer conseguiu eleger um vereador, fato este que considero um retumbante fracasso, além de o PSDB Bauru não ter concorrido com um candidato majoritário para prefeito, ficando com uma vaga honrosa de vice do PV. Enquanto isso, a velha máxima continua valendo: santo de casa não faz milagre.

Pili Cardoso pili@cardoso.adv.br

Bauru

*

ANTISSEMITISMO NA UNESCO

A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) decide que o povo de Israel não possui conexão com o Monte do Templo e o Muro das Lamentações. Parece piada de mau gosto, mas foi notícia dias atrás. Trata-se de um atentado contra a História, contra a "Bíblia" e contra os judeus. Seria como dizer que os índios nada têm que ver com o Brasil e o continente americano e os negros idem com a África. Israel suspendeu sua cooperação com a Unesco. Outras nações e pessoas de bem deveriam fazer o mesmo. Imaginar que algo tão importante como a educação possa ficar na mão de quem pratica um ato antissemita desta magnitude é um absurdo. 

Jorge A. Nurkin jorge.nurkin@gmail.com

São Paulo

*

REESCREVENDO A HISTÓRIA

É estarrecedora a capacidade ignóbil de tentar mudar a História mais que consagrada e documentada da estreita conexão de Israel e do povo judeu com Jerusalém. Diariamente pedimos, "ano que vem em Jerusalém" e rezamos em nosso local mais sagrado, o Muro das Lamentações, mas os experts da Unesco, instigados por "exemplos" de democracias como Sudão, China e Egito, entre outras, com o vergonhoso apoio do Brasil se igualando ao que há de pior neste mundo, decidem que não, que Israel e os judeus não têm essa conexão, que a "Bíblia" judaica, o novo testamente, incluso Jesus, não sabem nada, que os milhares de achados arqueológicos, os documentos milenares não servem de nada, quem sabe mesmo é a Unesco. Lastimável!

Ariel Krok arielkrok@gmail.com

São Paulo

*

FATOS

Com a votação na Unesco sobre  Jerusalém, que diz que "o povo de Israel não possui conexão com o Monte do Templo e o Muro das Lamentações", gostaria de mencionar alguns fatos: 1) na "Bíblia", o nome Jerusalém é citado mais de 800 vezes, e no "Velho Testamento", quase 700, além dos inúmeros apelidos com os quais a cidade é mencionada. 2) Os judeus fazem suas rezas voltados simbolicamente para Jerusalém. 3) No "Corão", Jerusalém não é mencionada, exceto através de um apelido, e os muçulmanos fazem suas preces voltados para Meca, não para Jerusalém. 4) As mesquitas mais importantes e sagradas do Islã encontram-se em Meca e Medina, sendo Al Aksa, em Jerusalém, a terceira em importância e, coincidentemente, construída em cima das ruínas do Templo de Jerusalém, citado na "Bíblia", do qual apenas sobrou um muro externo, o Muro das Lamentações, o lugar mais sagrado para os judeus, onde se congregam aos milhares diariamente para suas preces. A resposta sobre qual povo é mais ligado à cidade de Jerusalém é óbvia e a decisão da Unesco lamentavelmente não é nada construtiva e apenas ajuda acirrar os ânimos na região. Triste que o voto brasileiro foi a favor da decisão, enquanto o arrazoado para o voto parece justo reconhecer o direito dos judeus sobre o Monte do Templo. Este, na melhor das hipóteses, deve ser compartilhado entre as duas religiões.

Arrigo Terni arrigot@gmail.com

São Paulo

*

PRÊMIO NOBEL 2016

Não havia nenhuma mulher entre os 11 laureados com o Prêmio Nobel deste ano. Esta poderia ser novamente a principal polêmica, se não fosse a discussão sobre o ganhador do Nobel de Literatura. Desde 1901, 590 Prêmios Nobel científicos foram entregues e entraram neste grupo apenas 18 mulheres. Portanto, 97% dos ganhadores são homens. Há claramente um problema de representatividade no comitê do Nobel e um histórico de discriminação em relação às mulheres. Por exemplo, em Medicina, a francesa Emmanuelle Charpentier e a norte-americana Jennifer Doudna poderiam ganhar pelo desenvolvimento da técnica de edição genômica CRISPR, que revolucionará o tratamento de doenças; em Química, a norte-americana Carolyn Bertozzi poderia levar o prêmio pelas ferramentas para manipular processos no interior das células; em Física, a dinamarquesa Lene Hau poderia ser laureada por reduzir a velocidade de um raio de luz até os 17 metros por segundo.

Luiz Roberto Da Costa Jr lrcostajr@uol.com.br

Campinas

*

NADA NOBRE

Aparentemente, o ganhador do Nobel da Literatura 2016, o cantor  e compositor Bob Dylan, não está dando a mínima para o prêmio. Acho que vai dar uma de Marlon Brando, que em 1973 não foi receber seu Oscar por Vito Corleone em "O Poderoso Chefão". Em seu lugar, mandou uma índia representá-lo. Se fosse eu, também não iria. Tem gente bem mais merecedora do prêmio. Com ironia, por favor!

Luís Fernando luffersanto@bol.com.br

Laguna (SC)

*

HORÁRIO DE VERÃO

Pela primeira vez não vou reclamar do horário de verão, que me rouba uma hora e prejudica o sono: na penúria em que se encontra o País, será mais uma contribuição minha para a redução do déficit público, com os ditos R$ 147,5 milhões economizados. 

 

Eduardo Britto britto@znnalinha.com.br

São Paulo

*

Adiante o seu relógio e ganhe mais uma hora longe dos governos petistas incompetentes e corruptos.

Sergio S. de Oliveira ssoliveiramsm@gmail.com

Monte Santo de Minas (MG)

*

ENTRA 1, GASTA 10

Horário de verão: excelente projeto, que visa a fazer o povo economizar até R$ 150 milhões para o País. Teto de gastos de Michel Temer: projeto golpista de austeridade (austeridade para uns!). Temer, só no último aumento salarial com que presenteou o Judiciário, elevou os gastos em R$ 1,7 bilhão para o País.

Wellington Anselmo Martins am.wellington@hotmail.com

Bauru

*

BANDEIRA ELEITORAL

Na próxima eleição, vou votar num parlamentar disposto a acabar com este inútil horário de verão. 

Jose Domingos Bosnardo j.bosnardo@gmail.com

São Paulo

*

PALHAÇOS MACABROS

Esta onda de palhaços a assustar os cidadãos pelas ruas em vários países já é antiga aqui, no Brasil: os estúpidos pichadores estão à solta há muito tempo. O que se passa na cabeça desses indivíduos? Nem Freud explicaria...

Luiz C. Bissoli lcbissoli46@gmail.com

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.