Fórum dos leitores

.

O Estado de S. Paulo, O Estado de S.Paulo

23 Outubro 2016 | 04h00

OPERAÇÃO MÉTIS

De cabo de esquadra

Quando pensamos que já vimos tudo na vida, deparamos com ocorrências que chegam a ser estarrecedoras. Para lembrar, a Lava Jato corria solta e os corruptos, como ratos no porão, escarafunchavam desassombrados nos meandros do crime em busca de mais alimento – no caso, dinheiro. De outra parte, a mentira deslavada tornou-se o escudo de todos eles. Contra todas as evidências, os caras de pau não sabiam, foram mal assessorados, nunca tiveram conta no exterior, diante de pelo menos um deles só Jesus Cristo é mais honesto, e por aí vai... Contudo não ficamos apenas nisso. A última é de cabo de esquadra: a Polícia Federal prendendo policiais do Congresso, que estavam ocultando ou destruindo provas. Pode? E os políticos beneficiados ainda fazem cara de paisagem. Mas isso não vai acabar? O que nos falta para sentirmos mais vergonha diante das nações civilizadas e amigas? Ainda veremos mais infâmias? Ouço em emissoras de rádio jornalistas chamando uns e outros de ladrão, sem-vergonha, canalha, dando nome aos bois, e não vejo ninguém sendo contestado. A ética, a honestidade, a honradez teriam desaparecido? Se desapareceram, foi para eles, porque nós, o povo, ainda temos noção muito clara dessas virtudes. Esse pesadelo precisa ter fim.

Éden A. Santos

edensantos@uol.com.br

São Paulo

Judiciário x Legislativo

Essa ocorrência de mandar prender quatro agentes da Polícia Legislativa do Senado, sob a acusação de obstruírem a Lava Jato por terem feito operações de rastreamento de possíveis escutas em casas de senadores, é algo sem sentido. Que crime existe quando contratamos uma empresa ou um especialista para verificar se há escutas em nosso domicílio? É um direito de qualquer cidadão e os equipamentos, que não são transmissores, e sim receptores sensíveis e de múltiplas frequências, não necessitam de licença da Anatel ou outro órgão oficial. Quanto ao fato de esses servidores não poderem executar tais atividades fora do Congresso, é assunto administrativo interna corporis, e não criminal. Parece que há uma guerra do Judiciário contra o Legislativo, quem sabe por causa da protelação dos reajustes de magistrados e procuradores federais, via aumento do subsídio de ministros do STF? Isso vai acabar em estado de sítio.

Heitor Vianna P. Filho

bob@intnet.com.br

Araruama (RJ)

Senhores feudais

É repulsivo para qualquer brasileiro constatar que o Senado se transformou num feudo, obrigando-nos a pagar seus supersalários, complementos extraordinários, aluguéis, assessores, viagens, assistência médica e odontológica, carro, motorista, segurança, aposentadoria privilegiada – R$ 10 bilhões ao ano, R$ 123 milhões por senador! Não bastasse esse abuso medieval, seu presidente desprezou atribuições constitucionais do Ministério Público e da Polícia Federal ao resolver atribuir à Polícia Legislativa a indevida função de contrainteligência, para vasculhar grampos em suas residências, ou melhor, castelos, evidenciando o comportamento feudal desses pseudolegisladores, raras as exceções. De nós exigem o custeio de seus luxos, caprichos e extravagâncias, só para seu interesse pessoal, como se fôssemos servos, não cidadãos. Basta! Isso tem de mudar, e já!

Honyldo R. Pereira Pinto

honyldo@gmail.com

Ribeirão Preto

Polícia Legislativa

Meu Deus! Será que existe alguma coisa parecida no resto do mundo? Quanto dinheiro dos nossos impostos jogado no lixo!

Vanderlei Zanetti

zanettiv@gmail.com

São Paulo

CORRUPÇÃO

A reforma prioritária

A Nação assiste, estarrecida, à grande quantidade de escândalos de roubalheira e corrupção praticadas por funcionários públicos, políticos e dirigentes do País. A absurda quantia envolvida daria para resolver grande parte das nossas necessidades. Isso vem ocorrendo há muitos anos e já poderia ter sido resolvido, mas só agora temos a prisão de alguns deles. Como pôde a Receita Federal deixar passar tanta coisa? Vai um assalariado errar sua declaração em valores de aluguel para ver o que acontece. E por que o STF não tem coragem de pôr grandes criminosos na cadeia? A Operação Lava Jato mostra muito mais do que aparece na mídia. Mostra que boa parte do empresariado nacional só consegue sucesso à custa da corrupção absoluta do funcionalismo público e que temos instituições inúteis, perdulárias, parasitas. Urge uma reforma do País, de suas instituições, que tem de vir primeiro que a da Previdência e a do ensino.

André Coutinho

arcouti@uol.com.br

Campinas

Desmoralizar é preciso

Pondo de lado a corrupção endêmica que contaminou praticamente todos os partidos – situação e oposição, de ontem e de hoje – e, portanto, sem poupar quem quer que seja, observamos importantes quadros partidários e seus inúmeros agrega dos de toda espécie, verdadeiras quadrilhas de colarinho branco, a fazer acrobacias para escapar das garras da lei, abrigadas sob o manto protetor de um batalhão de caros advogados peritos em firulas jurídicas. Os populistas lulopetistas, de A a Z, maiores responsáveis por nossa catástrofe econômica, recém-desmamados da teta ubérrima do erário e do propinoduto tupiniquim, dedicam-se diligentemente à tarefa de desmoralizar o Brasil Nota, 19/10, C2, e Lula quer desmoralizar o Brasil, 20/10, A3). Para eles desmoralizar é preciso, ter vergonha não é preciso...

Arnaldo A. Ferreira Filho

amado1930@gmail.com

São Paulo

Rota de fuga

Lula diz que Garanhuns é o único “país” do mundo ao qual pediria asilo. Temos a convicção de que os cidadãos honrados de Garanhuns não o concederiam.

Ely Weinstein

elyw@terra.com.br

São Paulo

ENEM

Invasão de propriedade

Espero que o sr. ministro da Educação faça cumprir o calendário e aplique as provas do Enem conforme o programado, nas escolas previstas e nas datas corretas. Acione a Justiça pela reintegração de posse das propriedades públicas invadidas por vândalos travestidos de estudantes. A polícia registre eventual estado de deterioração pós-desocupação e se lavre boletim da ocorrência para abertura de inquérito, identificar os responsáveis para serem intimados a depor e, se for o caso, denunciados. UNE/PCdoB e Ubes/PT devem responder pela manipulação política da situação.

Marco Antonio Esteves Balbi

balbi393@gmail.com

Rio de Janeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.