Fórum dos Leitores

.

O Estado de S. Paulo

23 Dezembro 2016 | 03h04

CORRUPÇÃO

US$ 1 bi em propinas

Acordo de leniência feito com a Justiça dos EUA mostra que a construtora Odebrecht e a Braskem pagaram US$ 1 bilhão (R$ 3,4 bilhões) em propinas no Brasil e em mais 11 países desde 2001. Por aí se vê como a Justiça norte-americana funciona, é rápida, eficiente e transparente, como deve ser. A Justiça brasileira, ao contrário, protege corruptos ricos e poderosos com sigilo, morosidade e impunidade.

RENATO KHAIR

renatokhair@uol.com.br

São Paulo

Tipo exportação

A maior “campeã nacional” da era petista, a Odebrecht, faz o Brasil figurar como um país exportador de corrupção no mais alto grau. Uma “empresa” que dispõe de um “departamento de propinas” jamais poderia continuar existindo. Permitir a Odebrecht no Brasil é endossar os atos dessa organização criminosa. Se nossa percepção da realidade já não estivesse tão toldada pela inacreditável desfaçatez dos governos petistas e seus “campeões”, talvez agora sentíssemos vergonha e pedíssemos perdão aos outros 11 países roubados. O que se vê, todavia, é o País, suas autoridades, sua imprensa e seu povo completamente anestesiados e incapazes de compreender a magnitude dos crimes da Odebrecht. Quem investirá num buraco destes?

MARIA CRISTINA R. AZEVEDO

crisrochazevedo@hotmail.com

Florianópolis

Multinacional

Conhecendo o valor da propina paga pela Odebrecht e pela Braskem no Brasil e no mundo, podemos encher o peito e dizer que temos, sim, uma multinacional brasileira a serviço da falcatrua e das maracutaias.

ZUREIA BARUCH JR.

zureiabaruchjr@bol.com.br

São Paulo

Do Brasil para o mundo

A Odebrecht exportou todo o seu know-how de pagamento de propinas a outros 11 países, no que é considerado o maior esquema de corrupção do mundo. Isso, sim, é globalização. Como se desculpar com cada brasileiro que sofreu ou morreu na fila do SUS, por falta de dinheiro para a saúde pública? Como se desculpar com os milhões de desempregados Brasil afora?

MÁRIO ISSA

drmarioissa@yahoo.com.br

São Paulo

US$ 1 bilhão seria suficiente para instalar 100 salas para cirurgias robóticas, por exemplo! Como se qualifica uma roubalheira dessas?

EDUARDO DE PAULA RIBEIRO

epr@vribeiro.com.br

São Paulo

Em troca

Já perdemos a conta de quantos bilhões em multas e em propinas foram pagos pela Odebrecht. É de imaginar os benefícios que essa empresa recebeu na contrapartida. Alguém arrisca?

MARIA ELISA AMARAL

marilisa.amaral@bol.com.br

São Paulo

Vergonha e humilhação

O procurador Deltan Dallagnol, que publicou em rede social uma mensagem sobre o acordo bilionário de leniência da Odebrecht e da Braskem, deveria se concentrar no excelente trabalho que faz na força-tarefa da Operação Lava Jato e deixar de lado os microfones e holofotes. Não se dá conta de que, ao gabar-se de que “o maior caso de corrupção internacional no mundo foi descoberto pelas autoridades brasileiras” – recorde mundial que inclusive supera os alemães da Siemens –, nós, brasileiros, temos de longe muito mais motivos para vergonha e humilhação do que os 7 a 1 que tomamos dos alemães no futebol?

ROGERIO TEPERMAN

rogerioteperman@yahoo.com.br

São Paulo

Recordes

O Brasil, que tem o maior rio, a maior floresta e o maior cajueiro do mundo, só poderia ter a maior propina, o maior ressarcimento da história mundial, o partido mais corrupto e o maior mentiroso do mundo.

CARLOS R. GOMES FERNANDES

crgfernandes@uol.com.br

Ourinhos

Ileso

Odebrecht pagou propina de R$ 3,4 bilhões em 12 países, menos para o Lula!

EUGÊNIO JOSÉ ALATI

eugenioalati13@gmail.com

Campinas

Odebrecht e Lula, a junção perfeita da fome com a vontade de comer.

ELIANA FRANÇA LEME

Efleme@gmail.com

São Paulo

CRISE NOS ESTADOS

Sem contrapartidas

A decisão da Câmara dos Deputados de aprovar a renegociação das dívidas dos Estados sem contrapartidas para a União faz jus ao que dizia o economista e jornalista francês Claude Frédéric Bastiat (1801-1850): “O Estado é a grande ficção através da qual todo mundo se esforça para viver à custa de todo mundo”.

JOSÉ ELIAS LAIER

joseeliaslaier@gmail.com

São Carlos

A Câmara agiu irresponsavelmente ao postergar a dívida dos Estados em crise sem que haja contrapartida séria que reverta ou, ao menos, amenize a crítica situação financeira que eles vivem. A decisão só vai agravar o problema, herança maldita a ser administrada a partir de 2019 pelos próximos governadores.

HUMBERTO SCHUWARTZ SOARES

hs-soares@uol.com.br

Vila Velha (ES)

Cigarra e formiga

Estados-cigarra, que gastaram alegremente com eventos esportivos, benesses a funcionários públicos, isenções fiscais, shows, corrupção generalizada, etc., agora querem que os Estados-formiga, que trabalharam duro para manter suas contas sadias, arquem com sua quebra financeira. É injusto e, se Michel Temer não vetar o que foi aprovado na Câmara, será o maestro desta ópera-bufa. Veta Temer!

DAIRON TULMANN

dtulmann@uol.com.br

São Paulo

BOAS-FESTAS

O Estado agradece e retribui os votos de feliz Natal e próspero ano-novo de Apae de São Paulo – Felipe Clemente Santos (diretor-presidente), Cocal Energia Responsável, Ernesto Caruso, Henrique Brigatte, Jose Claudio Bertoncello, Luiz Fernando Dias da Silva e Maria Teresa Amaral da Silva, Palavra Bem Escrita, Santander, SOS Mata Atlântica, The Colleman Group – Maria Priscila, Uriel Villas Boas e Vervi Assessoria e Comunicações.

“Pecado capital: a maldita gula de propinas sem fronteiras”

ALESSANDRO LUCCHESI / CASA BRANCA, SOBRE O US$ 1 BILHÃO PAGO EM PROPINAS EM 12 PAÍSES POR ODEBRECHT E BRASKEM

timtim.lucchesi@hotmail.com

“Sinceramente, será difícil de imaginar a Odebrecht sem propina...”

LUCIANO HARARY/ SÃO PAULO, IDEM

lharary@hotmail.com

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

A PROPINA DA ODEBRECHT

A construtora Odebrecht admitiu ter pagado propina de R$ 3,4 bilhões em 12 países desde 2001. Fico aqui imaginando o montante do superfaturamento e do roubo dos cofres públicos - isso tudo sem contar com outras empreiteiras que não agiram nada diferentes da Odebrecht. Acredita-se que os valores sejam tão altos, mas tão altos, que resolveriam praticamente todos os problemas relacionados à saúde pública do Brasil. 

Arnaldo de Almeida Dotoli arnaldodotoli@uol.com.br

São Paulo

*

CAMPEÃO MUNDIAL

Fato inédito: o Brasil foi considerado campeão mundial no quesito propina. Só a Odebrecht dispendeu quase R$ 3,5 bilhões em propinas aos corruptos. Agora, quer aparecer na "foto" como uma empresa acima de qualquer suspeita. Corruptos e corruptores deveriam ser alijados do País. Cadeia para todos e decretação de "persona non grata" à empresa. Lamentavelmente, nossas leis são muito lenientes com esta gente. Muda, Brasil!

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

*

US$ 1 BILHÃO?!

A Odebrecht pagou US$ 1 bilhão em propinas para 12 países desde 2001. Antes de Lula ou já com Lula em 2002, com sua malfadada "Carta ao Povo Brasileiro"? Canalhas! Crápulas! Criminosos! Facínoras! Inimigos do povo! Faltam adjetivos para qualificar um ex-presidente empresário que está preso e outro ex-presidente petista que está solto. Qual deles é pior? Qual deles ainda quer voltar para roubar mais? Cadeia para eles é pouco.

 

Gilberto Dib gilberto@dib.com.br

São Paulo

*

PIADA

A Odebrecht acaba de concordar em devolver R$ 3,4 bilhões em corrupção. O maior caso de corrupção do planeta. Agora falta Lula afirmar que todo dinheiro que recebeu dá empresa foi legal e declarado à Justiça (risos).

 

Luiz Frid  luiz.frid@globomail.com

São Paulo

 

*

VIGILÂNCIA CONSTANTE

 

A Odebrecht atuou com propinas em 12 países, usando R$ 3,4 bilhões para conseguir seus intentos. Trata-se, pois, de uma empresa perigosa e que, doravante, apesar do acordo de leniência realizado, precisa ser objeto de vigilância constante. Diz um dito popular que o uso do cachinho deixa a boca torta, querendo isso dizer que, acostumada a agir com as armas da corrupção e das propinas, dificilmente abrirá mão de usá-las nas suas contratações ou participações em concorrências públicas e privadas. O tempo, no entanto, dirá mais!

José C. de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

*

PAÍS EM CRISE

Na década de 1990, como um verdadeiro bando de gafanhotos, eis que surgiram os anões do Orçamento, que sem dó nem piedade sangravam os cofres da União. Ainda nos anos 90, eis que surge um jovem político que se tornou presidente da República do Brasil com promessas de que iria exterminar todos os "marajás" do nosso País. Seu governo foi tão desastroso que logo sofreu impeachment. Nos anos 2000, eis que surge um metalúrgico prometendo que governaria para todos os brasileiros, porém não passou muito tempo e eis que descobriram que aquele que iria governar para todos, embora sempre afirma que não sabia de nada, fez surgir o mensalão, que novamente esvaziou os cofres públicos. Já em 2010 surgia outro bando de gafanhotos, cujo alvo eram os cofres da Petrobrás, e o assalto foi tamanho que desestabilizou a economia do nosso país. Conclusão: vamos iniciar 2017 com uma crise nunca antes vista na história do nosso país... Feliz Natal e feliz 2017.

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

OS CORRUPTOS DA MADRUGADA

Cumprimento o brilhante advogado dr. Modesto Carvalhosa, por seu, como sempre, brilhante artigo "O STF barra os corruptos da madrugada" ("Estadão", 21/12, A2), em que trata da molecagem de 313 deputados federais que, no silêncio da madrugada, desfiguraram torpemente o projeto de iniciativa popular conhecido como "Dez Medidas contra a Corrupção", iniciativa que obteve mais de 2,5 milhões de assinaturas de cidadãos. No mesmo artigo, o sr. Carvalhosa aplaude a medida do ministro Luiz Fux, que devolveu à Câmara o referido projeto, para que seja tratado como determina a lei para os projetos de iniciativa popular, revendo suas nulidades e inaceitáveis deturpações. Vergonha àqueles que defendem um tão execrável Legislativo. Para o bem da Nação, instituições repugnantes deveriam ser desinfetadas. 

Mário Rubens Costa costamar31@terra.com.br

Campinas

*

REPÚBLICA SAQUEADA

Em seu claríssimo artigo "O STF barra os corruptos da madrugada", o jurista Modesto Carvalhosa pôs os "pingos nos is" sobre a controvérsia criada em torno da decisão monocrática do ministro Luiz Fux, que houve por bem mandar devolver à Câmara dos Deputados o projeto de lei das "Des Medidas" contra a corrupção, que foi tristemente desfigurado naquela Casa, convertendo-se num abjeto estelionato legislativo e transformando-se num projeto "pró corrupção", em cabal deturpação ao seu espírito original e em franco menosprezo às 2,5 milhões de assinaturas que o apoiaram - pessoas que, como eu, sonharam em ver um país com mais ética, mais respeito à coisa pública e menos exposto à gatunagem que infelizmente campeia em todos os setores desta República saqueada, aparentemente com o aval de boa parte do Poder Legislativo.  Parabéns ao atilado advogado por seu artigo, que deveria ser lido em plenário e registrado nos anais daquela que um dia - bons tempos! - foi chamada de "Casa do Povo".

 

Silvio Natal silvionatal49@gmail.com

São Paulo

*

'ESTADÃO' DE 21/12

 

Jamais nos esqueceremos de "O STF barra os corruptos da madrugada", do advogado Modesto Carvalhosa.

Antonio Claudio Canto acgcanto@uol.com.br

São Paulo

*

LUZ

Mais uma vez o professor Modesto Carvalhosa (21/12, A2) nos brinda com seu artigo colocando luz nas trevas que são nossos Senado e Câmara, deixando nas entrelinhas que os "brilhantes" deputados, regiamente pagos para fazer leis, não entendem nada do oficio e que nosso ministro Gilmar Mendes, agora julgando seus pares como se fosse a "última bolacha do pacote", também não sabe muito do seu mister, carecendo ler um pouco mais a Constituição federal, fazendo-a seu livro de cabeceira. Parabéns ao ministro Luiz Fux. Já havia gostado de sua decisão, mas tinha dúvidas quanto à sua eficácia.

M. Mendes de Brito mdebritovoni@gmail.com

Bertioga

*

NÃO ME REPRESENTAM

Alegria imensa lendo o artigo de Modesto Carvalhosa "O STF barra os corruptos da madrugada". Realmente, o ministro Fux recolocou as coisas no lugar e os deputados malucos na condição de perturbadores da ordem constituída, de pseudoignorantes da Constituição (que eles conhecem muito bem!) e de gente que despreza profundamente o povo. O povo disse uma coisa, eles entenderam muito bem e fizeram outra. Esta gente não tem caráter nem compostura para representar ninguém! Chega de chicana! Falta agora um belo artigo sobre a falta de vergonha dos vereadores de São Paulo: a crise pede uma coisa, o povo (que aperta o cinto!) quer contenção de despesas, mas eles aumentam seus próprios salários. Aqui, como lá, esta gente não me representa! Só me dá nojo!

Regina H. de Paiva Ramos reginahpaiva@uol.com.br

São Paulo

*

MINISTRO

Meu candidato a ministro do Supremo: dr. Modesto Carvalhosa, este, sim, tem notório saber jurídico e reputação ilibadíssima. 

    

William Carvalho williamcarvalho@terra.com.br

São Paulo

*

BILHÕES PARA AS OPERADORAS

Como noticiou o "Estado" no dia 21/12, à página B14, "Nova lei pode dar R$ 87 bi a operadoras". Quer tirar do nosso dinheiro para dar às campeãs de reclamações no Procon? O País está quebrado e querem tungar mais uma vez os pobres aposentados? Michel Temer que se cuide!

Jair Nisio jair@smartwood.com.br

São Paulo

*

ESTADOS ENDIVIDADOS

A ajuda econômica que o governo federal vai dar aos Estados falidos da Federação é não apenas errada, como perigosa. Ao invés de punir, premia e incentiva quem gasta mais do que arrecada, quem não paga suas dívidas e quem não respeita a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). É mais um retrato da inversão de valores e de como as coisas são feitas de forma irresponsável e inconsequente no Brasil. Aqui, quem é honesto, sério e cumpridor das leis é um otário e tratado com o rigor da lei. Já quem pisa na bola e faz tudo errado é premiado, protegido e apoiado.

Renato Khair renatokhair@uol.com.br

São Paulo

*

IMPUNES

Perguntar não ofende: na ceia natalina do governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, e na de seu vice, Francisco Dornelles, não faltará nada? Vergonha. Que país é este? Que leis têm este país onde um gestor quebra um Estado, deixa seus funcionários sem pagamento e não lhe acontece nada?

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

A CRISE ATUAL

Dificilmente o Brasil vai sair da atual crise. Enquanto houver este egoísmo exagerado pela população, atingida por algum sacrifício, sem pensar na comunidade. Esta situação é passageira. Este egoísmo prejudica eles próprios, haja vista que os funcionários públicos, muito poucos, vão receber o 13.º salario.

Ronald Martins da Cunha ronaldcunha@hotmail.com

Mote Santo de Minas (MG)

*

O REAJUSTE DOS VEREADORES

Enquanto em muitas importantes cidades do País seus vereadores estão suspendendo até por quatro anos qualquer reajuste de seus proventos, os 55 edis da Câmara de São Paulo, insensíveis à situação dos 12 milhões de desempregados e à crise econômica que ajudaram a criar, elevaram seus salários em 26,3%, passando de R$ 15.031,76 para R$ 18.991,68. Cada vereador de São Paulo, incluindo seus excessivos 17 assessores, representa uma despesa anual de R$ 2,1 milhões. E, não satisfeitos, ainda vão inflar o orçamento da Câmara Municipal em 2017 em mais R$ 30 milhões. Trabalhar é o que menos fazem! Não fiscalizam as promessas do prefeito. A Capital tem ainda vergonhosos córregos a céu aberto transmitindo todo tipo de doenças, ruas e avenidas esburacadas, calçadas uma lástima, caos do transporte público, etc. Para que servem estes 55 vereadores?

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

COMA

       

Trabalhadores de São Paulo, socorro! A Câmara Municipal está em coma: só enxerga numerais a favor dos edis. Vamos trabalhar, pessoal!

 

Jonas de Matos jonas@jonasdematos.com.br

São Paulo

*

CÂMARA OU CAMARILHA?

 

A Câmara de São Paulo, no apagar das luzes de 2016, crava o sinete de sua verdadeira intenção: assaltar o povo. De fato. O gesto dos parlamentares da Câmara de São Paulo, em sinal de união entre eles e os novos "para-alimentarem-se", foi de decretar o aumento do próprio salário. Vergonhoso. Em vez de parlamentares, pelo que fazem e pelo que são de fato, bem melhor lhes cabe aquele epíteto. E, melhor ainda, em vez de Corpo Legislativo, outro não é que "camarilha de assaltantes" aninhados na Câmara. Esse aumento de salário pode ser legal, mas é absolutamente imoral. A lei, para ser lei, tem de estar fundamentada na moral e na ética. O maior senão e uma das maiores falhas da "democracia" é a de permitir "mutatis mutandis" que o empregado possa fixar, de seu livre alvedrio, o próprio salário! O que seria das empresas, se assim se permitisse? Basta por prova a experiência que nos entra olhos adentro a simples contemplação da situação de miserabilidade em que se encontram Estados e municípios, em contrapartida os "para-alimentarem-se" engordam a si e a conta bancária de maneira obcessiva. Basta por prova essa simples verificação, que de nada mais se precisa. Todos os que votaram favoravelmente ao aumento do próprio salário deveriam, de pronto, ter seus mandatos cassados. Quem votou a favor dessa excrescência nauseabunda deveria, ao menos por pejo, perguntar a si mesmo: é essa a vontade de meus representados? Mas, safadamente, ao serem investidos no poder, automaticamente despem-se da vergonha, desnudam-se da moral, debulham-se da ética, mudam até de nome: o feio; o lambança; o gordo; o chupa-cabra... simplesmente vergonhoso. Será que os Paulistas merecemos essa "camarilha", que, pela falácia de "salário digno" golpeiam de mil e uma forma o erário. Urge que aprendamos a votar!

 

Antonio B. Camargo bonival@camargoecamargo.adv.br

São Paulo

*

SACANAGEM

Será que não existe uma maneira de a população paulistana reverter o aumento dos vereadores que eles próprios aprovaram na calada e sumiram do mapa? Poucos usaram de bom senso num momento como o que atravessamos e rejeitaram a barbaridade. Com a palavra, o Ministério Público, o prefeito e a população. De preferência, todos.

Ademir Valezi adevale@gmail.com

São Paulo

*

ANULAÇÃO

Na semana passada o Supremo Tribunal Federal (STF) anulou a votação da Câmara dos Deputados sobre as Des Medidas contra a Corrupção, projeto que naquela Casa Legislativa foi totalmente modificado de sua pauta inicial. Não poderia também o STF anular essa votação vergonhosa em proveito próprio dos vereadores de São Paulo aumentando seus próprios salários?

Paulo Corrêa Leite paulocleite@bol.com.br

São Bernardo do Campo

*

INADMISSÍVEL

Vergonhosa, absurda, indecente e verdadeira canalhice a atitude imoral tomada pelos vereadores de São Paulo ao aprovarem na calada da noite, desconsiderando totalmente a crise por que o Brasil passa, um aumento salarial incoerente, injusto e sórdido, agredindo a população que votou nesta corja para defender nossos interesses honestos e legítimos. Utilizaram um argumento insólito ao afirmar que "o gigantismo de São Paulo, com problemas sociais, econômicos, políticos e culturais, exige dos vereadores envolvimento e dedicação". Considerando que nada fazem em prol da população, acreditamos que querem maior espaço para terem mais sombra e água fresca, e para tanto recebem atualmente R$ 15.031,76 mensais, mais vantagens, benefícios, mordomias e despesas de gabinete. Não satisfeitos, aprovaram para si mesmos um reajuste de 26,39%, e a partir de 1.º de janeiro de 2017 passam a receber R$ 18.991,68 mensais, com mais uma agravante: não satisfeitos, criaram também um "gatilho" para revisão anual de seus salários. A cada dia que passa nos enojamos e desiludimos com este exército de políticos corruptos e sujos que nos escorcham, manipulam e dizimam. Aí vai parte dos R$ 2 trilhões de impostos pagos por nós, só neste ano, para sustentar esta máquina podre.

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

UM ACINTE

Mais uma vez somos surpreendidos com notícias que nos deixam pasmos. É absolutamente inacreditável que um "bando" que nos diz representar, cujo objetivo deveria ser proporcionar melhores condições de vida a seus munícipes, se reúne na calada da noite e reajusta seus salários com um "insignificante" aumento de 26,3%. Com mais essa benesse, o custo anual de cada vereador para a cidade será de R$ 2,3 milhões. E qual o retorno que o munícipe tem? Desemprego próximo de 13 milhões no País, famílias tirando seus filhos de escolas particulares, cancelando seus planos de saúde, e os "nobres" colegas se juntam e agridem uma sociedade que vem sofrendo diariamente por não mais poder proporcionar às suas famílias um mínimo de condições de sobrevivência. É um acinte, um desrespeito e uma aberração. Por isso é que cada vez mais a sociedade considera o poder político como sendo uma casta, a ser extinta, com sérios riscos à democracia. 

Roberto Luiz Pinto e Silva robertolpsilva@hotmail.com

São Paulo

*

FANTASMAS NA LIMPEZA PÚBLICA

Senhores promotores de Justiça, há quase um mês a Subprefeitura da Sé não consegue localizar os responsáveis pela concessionária de serviços municipais Anastácio - para a limpeza de galeria por hidrojateamento na Praça da Bandeira, 69 (área pública). O problema numa boca de lobo diferenciada vem causando constantes alagamentos e transtornos sobre a passarela que liga a Câmara Municipal ao gabinete do prefeito. Peço providências ao Ministério Público no sentido de saber quantas bocas de lobo esta empreiteira limpou em 2016 e o valor recebido da Prefeitura de São Paulo para tanto. Suspeito de "fantasmas" na limpeza pública paulistana - empresas que recebem por serviços não executados e fiscalizados.

Devanir Amâncio devaniramancio@hotmail.com

São Paulo

*

CHUVAS DE VERÃO

O verão mal começou e chuvas torrenciais deixaram a maior cidade da América Latina em situação de calamidade: arvores caídas, fiação elétrica partida, bueiros entupidos e ruas alagadas. Administrar uma cidade não é só fazer obrar, mas manter a infraestrutura em ordem para enfrentar as adversidades.

Marcos Abrão m.abrao@terra.com.br

São Paulo

*

COMBATE AO TRÁFICO

O novo secretário de Segurança do Rio de Janeiro diz que quer entender como entram armas e drogas no País. Que argumento mais fantástico! Digno de autoridade que vai resolver o problema! Problema tão antigo quanto... a história de acreditar em Papai Noel. Quando vão colocar nas cabeças descerebradas que o problema não são os traficantes? Traficante existe porque existem consumidor e produtor. A menos que queiram acabar com os traficantes para os consumidores comprarem diretamente do produtor. Aí, é outro papo! Ou, então, com o projeto do deputado Jean Wyllys, para o traficante passar a ser o Estado. Aí, é mais outra história!

Arthur de Lucca arthurcaiolucca@gmail.com

Goiânia

*

INDULTO DE NATAL

A novela de impunidade se repete a cada final de ano. Saídas de Natal e outros indultos, com o aumento de crimes e explosões a bancos, demonstram a falácia que é o principio da progressão da pena e da ressocialização do preso.  Juristas garantistas deveriam deixar de ser hipócritas ao defender que criminosos contumazes e habituais são passíveis de recuperação, entre eles os políticos e empresários corruptos que fazem do crime um meio luxuoso de vida. A ciência já definiu que apenas criminosos ocasionais e passionais são passíveis de recuperação: o resto é impunidade e desordem social. Até mesmo o suposto combate à superlotação carcerária é uma mentira, pois liberdades antecipadas apenas aceleram o infinito ciclo de prisão, liberdade e cometimento de novos crimes, aumentando o trabalho policial e judicial; a impunidade e a insegurança social, num verdadeiro "enxuga gelo".

Edenilson Meira merojudas@hotmail.com

Guareí

*

TERRORISMO NA EUROPA

Em 2015 a União Europeia, capitaneada pela Alemanha, recebeu 1,1 milhão de refugiados. Não foram poucos os que buscaram abrigo na Europa, apesar de rejeitarem radicalmente a cultura europeia. Hoje é notória a existência inúmeros indivíduos e de grupos de oração espalhados por toda a Europa que sentem ojeriza por tudo o que o Ocidente representa. Incorporá-los à sociedade europeia é uma missão nada fácil. E, se isso já não bastasse, há a incitação a favor do terrorismo vinda de fora e a regularmente gerada em comunidades radicais anteriormente radicadas em solo europeu. Monitorar isso é mais ou menos como monitorar a internet. Perguntem para a China, para o Irã e para Cuba quão fácil isso é. Na Europa, é algo impraticável. Mais difícil ainda é proteger cada local onde a população se agrupa - estádios, shopping centers, restaurantes, mercados, meios de transporte, etc. Perguntem a Israel quão fácil isso é. A violência é crescente e recorrente, pois cada ato praticado motiva o aparecimento de outros. Então, o que fazer? Só posso dizer o que não fazer: não votar nos partidos nacionalistas, xenófobos e neonazistas, que irão perseguir não só a minoria radical, como também a maioria dos imigrantes que não tem culpa alguma nisso e que precisa desesperadamente de acolhimento e de ajuda. 

Jorge A. Nurkin jorge.nurkin@gmail.com

São Paulo

*

GUERRA NA SÍRIA

Quando se fala da necessária intervenção da ONU na Síria, fica a pergunta: o que ela poderia fazer numa terra de ninguém? O governo só está lá porque a Rússia está intervindo, senão outro governo também não conseguira se formar. Isso acontece porque a Síria é um país onde o povo está acostumado a ter no governo a sua salvação. Eles não estão acostumados com a democracia, onde um depende do outro e o governo apenas mantém as instituições funcionando, com regras, justiça e Parlamento que efetivamente os representem. O problema é esse e a procura por outro cacique salvador hoje será em vão. Assim, até que eles tomem consciência de que terão de ser eles próprios e unidos que terão de resolver o problema, ainda vai morrer muita gente. Países desenvolvidos só chegaram aonde estão porque a consciência de democracia impera sobre a intervencionista. Gostem ou não, isso é o conservadorismo, ou coisa que a direita mais defende e que a social-democracia tem como base de sustentação dentro dos seus planos sociais. Aqueles que insistem em poder central forte ficam para trás. Os países árabes só se mantêm tendo nos cheques, nos califas e nos emires seus governantes porque o petróleo está bancando estes caras. O povo fica adormecido e despreparado para qualquer mudança de regime, muito menos o da verdadeira democracia (não a brasileira, que no fundo é um arremedo de socialismo e de jogo de interesses). Quando faltar petróleo e uma mudança econômica e, consequentemente, política for necessária, fatalmente irá acontecer isto que hoje acontece na Síria.

Miguel Pellicciari mptengci@uol.com.br

Jundiaí

*

AO VIVO

Quando assisti no cinema ao filme "A lista de Schindler", não tenho vergonha de dizer que chorei. Mas será que hoje ninguém, nenhum órgão internacional, a ONU, consegue dar fim ao holocausto do conflito sírio, transmitido ao vivo para o mundo? Quanto tempo ainda teremos de presenciar o sofrimento daquelas crianças, sem nada poder fazer?

Arnaldo Luiz de O. Filho arluolf@hotmail.com

Itapeva

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.