Fórum dos Leitores

.

O Estado de S. Paulo

25 Dezembro 2016 | 03h13

NATAL 2016

Esperança

Neste difícil ano que termina, os desafios não foram poucos para nós, brasileiros. E, se estamos em pé, sãos e salvos, por que não reservar a esperança de um ano melhor em 2017? Deus nos deu esta preciosa vida também para suportar provações, e certamente hoje estamos mais fortes e experientes do que um ano atrás. Longe das lamúrias, neste ambiente festivo de final de ano temos de comemorar. E que não nos faltem o pão, a água, o sal e o sol. Feliz Natal!

PAULO PANOSSIAN

paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

Num ano de tantas delações e revelações, como foi 2016, quantos de nossos homens públicos dormiram de consciência limpa na noite em que nasceu o Menino Jesus?

EDUARDO A. DELGADO FILHO

e.delgadofilho@gmail.com

Campinas

OPERAÇÃO LAVA JATO

Sono tranquilo

Que ninguém se engane: as 77 delações de executivos da construtora Odebrecht, já devidamente encaminhadas ao Supremo Tribunal Federal (STF) pela Procuradoria-Geral da República, não serão processadas com a urgência que o Brasil espera. Longe disso, saíram das mãos do juiz Sergio Moro, podem esquecer, agora é que a coisa não anda mesmo. Desta forma, os senhores envolvidos podem dormir sossegados – ou, melhor, podem preparar suas rotas de fuga e se escafederem sem nenhuma pressa. Com ironia, por favor!

LUÍS FERNANDO

luffersanto@bol.com.br

Laguna (SC)

A medida da corrupção

Relatórios do Departamento de Justiça dos EUA revelaram que a Odebrecht e a Braskem destinaram mais de US$ 1 bilhão a propinas mundo afora, para obter contratos de obras públicas, sendo este considerado o maior caso de corrupção internacional até hoje. A maior empreiteira do País virou sinônimo de maior propineira do mundo.

J. S. DECOL

decoljs@gmail.com

São Paulo

Plano audacioso

O plano da Odebrecht foi muito audacioso. Segundo consta, houve até a compra de um banco na ilha de Antígua para a distribuição das propinas. Quando a coisa foi descoberta e ficou preta, a construtora tentou subornar o premiê de Antígua para que este não enviasse ao Brasil a documentação que alimentaria a Operação Lava Jato. Ou seja, graças à Odebrecht, o Brasil ficou conhecido no mundo como campeão mundial do propinoduto. Parabéns à sem-vergonhice, Odebrecht!

JÚLIO ROBERTO AYRES BRISOLA

jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

Sem saída

Não consigo imaginar a Odebrecht vendendo seus serviços em qualquer lugar do mundo, inclusive no Brasil. Creio que, para preservar seu corpo de funcionários e experiência, a empresa deveria ser vendida de fato, pois seus dirigentes não merecem a mínima confiança. Lembram-me o sr. Sebastião Camargo e seu início, corrompendo (ou sendo corrompido por) o então governador Adhemar de Barros.

ANDRÉ C. FROHNKNECHT

caxumba888@gmail.com

São Paulo

Devolução

Será que a Odebrecht e a Braskem acham mesmo que devolver R$ 6,9 bilhões a Brasil, EUA e Suíça, na Operação Lava Jato, vai apagar o maléfico estrago causado a toda uma geração que está tendo seu futuro comprometido por falta de empregos, saúde, educação e segurança públicas, etc.? Isso não tem preço, só teve catastróficas consequências. A cadeia é pouco!

TANIA TAVARES

taniatma@hotmail.com

São Paulo

Desproporcional

Que pena merecem Emílio e Marcelo Odebrecht? Em minha opinião, prisão perpétua. Como essa punição não existe no Brasil, eles deveriam cumprir no mínimo 30 anos. Quanto à empresa, o governo deveria desapropriá-la e entregá-la a uma multinacional do ramo. Assim seriam mantidos todos os funcionários, de engenheiros a faxineiros. Por todo o mal causado pela dupla – pai e filho –, não deveriam poder nunca mais atuar nesse ramo de negócios nem ter contatos com órgãos públicos. As penas pecuniárias que estão sendo impostas serão cobertas por margens que foram acrescentadas aos superfaturamentos das obras públicas, aprovadas com a distribuição de propinas. Esse castigo é desproporcional aos males causados ao País.

ADALBERTO AMARAL ALLEGRINI

adalberto.allegrini@gmail.com

Bragança Paulista

R$ 50 milhões

Você, aí, que insiste em defender a honestidade de Dilma Rousseff e de Lula, isentando-os de qualquer culpa pelo caos em que o Brasil se encontra, leia com atenção: “Documentos do Departamento de Justiça dos EUA indicam repasse de R$ 50 milhões da Odebrecht, por meio do setor de propinas da empresa, para a campanha presidencial de Dilma Rousseff em 2010”. O pagamento teria sido feito a pedido do então ministro Guido Mantega (Fazenda), em troca de benefício à Braskem, braço do setor petroquímico da Odebrecht. Como sempre, e nada diferente dos petralhas envolvidos em falcatruas, Mantega nega. A declaração da Justiça americana seria também mentirosa?

ARNALDO DE ALMEIDA DOTOLI

arnaldodotoli@uol.com.br

São Paulo

O impoluto

A julgar pelo ritmo arrastado com que se desenvolvem as Operações Lava Jato e congêneres com relação à pessoa do ex-presidente Lula, de duas uma: ou ele é realmente inocente, no que só a Velhinha de Taubaté acredita hoje em nosso país, ou ele é “o criminoso perfeito”, ou seja, aquele que não deixa pistas ou provas. O pior dessa situação é que o referido réu continua se manifestando pela imprensa nacional e internacional, pelas redes sociais, ridicularizando e denegrindo as autoridades brasileiras constituídas, além de conspirar para derrubar o atual presidente e provocar novas eleições, para as quais julga ser favorito. E talvez seja mesmo!

JOSÉ CLAUDIO MARMO RIZZO

jcmrizzo@uol.com.br

São Paulo

BOAS-FESTAS

O Estado agradece e retribui os votos de feliz Natal e próspero ano-novo de Alberto Fossa – Abrinstal, Antonio Carlos Gomes da Silva, Associação Comercial de Sorocaba, Clia Brasil, Equipe Alfapress, Instituto dos Advogados de São Paulo (Iasp), Marcus Zulian Teixeira, Rotas Comunicação e Topbooks.

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

 

NATAL

No dia 25 de dezembro é comemorado o dia de Natal, do nascimento de Jesus Cristo. Oficialmente, não existem provas sobre o dia exato, e que em séculos passados cada povo ou região festejavam em dias diferentes. Mas a poderosa e sempre influente Igreja Católica no início do século IV, por meio da astrologia (equinócio ou mudanças das estações), oficializou a data. A história do cristianismo é interessante e de muitos debates. O certo é que o comércio se fortalece e vende mais do que em outras datas festivas. É a data "oficial" de dar presentes, de comer e beber mais, de reunir a família e amigos, quando a maioria se torna mais emotivos, amáveis, sentimentais, distribui abraços e beijos aos montes. Até parece um mundo perfeito. Contudo, este sentimento de amor e paz nas festividades rapidamente é esquecido, e os seguidores ou devotos do cristianismo abdicam do que ensinou o homem de Nazaré. Não é verdade? 

Alex Tanner alextanner.sss@hotmail.com

Sumaré

*

O Natal é a celebração do nascimento. Disse alguém que o rumo da vida da família muda de direção, completamente, à razão de três acontecimentos: nascimento, casamento, morte. Se existe tempo em que a sementeira das emoções, por ventura ou por desgraça, se nos eclode em todo o vigor, é exatamente nestes tempos natalinos. As sensações (boas e más) vêm-nos aos olhos, por mais pétreos sejamos, não há quem, por instantes, feche os olhos para enxergar! Sim, pois os olhos sempre estão a ver; quando abertos veem para fora; se fechados, veem para dentro. Mas sempre veem. E assim fechados abrem às escâncaras as janelas da memória e bisbilhotam, ano por ano, todos os nossos Natais idos e vividos. Da mais tenra infância ao mais adiantado quadrante da vida, esses benditos olhos debruçam-se na memória e nos trazem à tona, emoções, familiares mil, o "bom velhinho" ao lado de entes queridos que já se foram, enfim, cada um de per si, e de seu jeito vê, apalpa algo que para uns não é nada, e, para nós é o mundo que se desaba e põe a alma em soluços. Natal! Enquanto os sinos bimbalham lá ao longe, as luzes pirilampejam em fascinantes coloridos, celebramos, cada qual à sua maneira, o "seu Natal". Aplicando esta experiência geral ao particular, podemos todos festejar pois que, sempre haverá algo de bom a festejar à nossa volta; sempre, à nossa volta a vida se renova. Se não tivermos nenhum presente a dar, demos um sorriso, ele não custa nada, mas ele muda tudo à nossa volta. Feliz Natal a todos!

 

Antônio B. Camargo bonival@camargoecamargo.adv.br

São Paulo

*

Com o fim do ano se aproximando, é inexorável fazermos um balanço do que foi a nossa vida neste complicado ano que se encerra. Quanto à semelhante avaliação das realidades do País, um forte sentimento de perplexidade temeroso nos domina. Urge, porém, que não desanimemos e nos engajemos numa corrente positiva, que nos ajude a encontrar melhores caminhos para nossa vida pessoal, bem como colaborar coletivamente rumo às soluções de nossos angustiantes problemas, que ajudem na construção da grande nação com que tanto sonhamos e temos condições de ser.

José de A. Nobre de Almeida josedalmeida@globo.com

Rio de Janeiro

*

Votos para que 2017 traga mais amor, menos desamor; mais verdade, menos mentira; mais esperança, menos desalento; mais solidariedade, menos intolerância; mais ação, menos omissão; mais gentileza, menos grosseria; mais energia, menos covardia; mais pão, menos exploração; mais alegria, menos tristeza; mais caráter, menos covardia; mais dignidade, menos egoísmo; mais lealdade, menos hipocrisia. 

Vicente Limongi Netto limonginetto@hotmail.com

Brasília

*

LULA PRESIDENTE

"PT lança Lula candidato à Presidência no início de 2017" ("Estado", 24/12, A4). Como pode um indivíduo que é réu em cinco processos, está sendo investigado em inúmeros inquéritos por ter cometido dezenas de crimes, com todo o seu passado sobejamente conhecido, ultrarrejeitado, querer lançar novamente sua candidatura à Presidência da República? Que país é este?

Carlos E. Barros Rodrigues ceb.rodrigues@hotmail.com

São Paulo

*

NEM PENSAR...

Luiz Inácio Lula da Silva, o réu, quer ser o salvador do Brasil. Socorro!

Luiz Frid  luiz.frid@globomail.com

São Paulo

*

PPSB

Se a Justiça norte-americana solicitar a prisão de Lula à Interpol, ele poderá fundar um partido juntamente com Paulo Maluf para as eleições de 2018: O PPSB, Partido dos Proibidos de Sair do Brasil.

Ely Weinstein elyw@terra.com.br

São Paulo

*

O VICE

O problema da candidatura de Lula à Presidência é a escolha do vice: o PT está entre Fernandinho Beira-Mar e Marcola.

Eugênio José Alati eugenioalati13@gmail.com

Campinas

*

INDIGESTA MENSAGEM

O ex-presidente Lula faria um grande favor à Nação se permanecesse de boca fechada. Em vídeo com mensagem de fim de ano divulgado nos últimos dias, meteu o pau na política econômica do atual governo, cobrou a antecipação das eleições presidenciais de 2018 e, na maior cara de pau, disse que o País está parado, como se ele e o "poste", Dilma Rousseff, não tivessem nada como isso. Enfim, falou um monte de asnices, e a maior de todas: que o País precisa restabelecer a democracia ("Estado", 23/12, A5). Se esse sujeito tivesse aproveitado o tempo das vacas gordas para implantar as reformas que o hoje presidente Temer tenta aprovar, não estaríamos nessa penúria. Mas não, preferiu o populismo desavergonhado e posar de estadista, coisa que nunca foi, e viajar e se gabar como o presidente que acabou com a pobreza no Brasil - entre tantas, a maior mentira da história. A verdade é que está obcecado pelo poder, e isso está lhe tirando o sono, portanto, senhor Lula, vá dormir, de preferência lá pelos lados de Curitiba, em acomodações oferecidas pelo juiz Sérgio Moro, e deixe-nos em paz.          

Sérgio Dafré sergio_dafre@homail.com

Jundiaí 

*

AS PRESCRIÇÕES DE LULA

 

O ex-presidente Lula - que responde a cinco processos na Justiça criminal - achou-se com moral para dar as caras e apresentar sua receita de dias melhores ao País. "Primeiro nós sabemos que é preciso restabelecer a democracia (e isso) chama-se voto na urna, portanto é preciso antecipar o processo eleitoral. É preciso que o povo volte a eleger um presidente pelo voto direto" - disse, simplificando tudo e olvidando que esse mesmo povo - na constituinte de 1988 e, anos depois, mediante consulta plebiscitária - foi quem escolheu e ratificou o atual sistema presidencialista, o qual prevê que o vice assuma na vacância do titular. Quer dizer: o que o próprio povo escolheu (lá atrás) já não vale agora? Mas o pior nem é isso. Como se sabe, Lula apoia o regime venezuelano e certa vez disse que ali se goza de "excesso de democracia". Como se sabe, a Venezuela está longe de ser uma democracia e, de quebra, vive uma crise econômica sem precedentes, o que derrubou a popularidade de seu presidente Nicolás Maduro. A Constituição "bolivariana" prevê que, atendidas certas condições, pode-se pedir um referendo revocatório para o povo poder "antecipar eleições" presidenciais.  Só que o queridinho de Lula usa de todas as manobras lícitas e ilícitas para frustrar a vontade do eleitorado local, enquanto mantém na cadeia vários de seus opositores políticos. E Lula - que recentemente se confraternizou (em Cuba) com o referido mandatário - mantém a boca fechada, como se nada estivesse acontecendo ali ao lado. Esperto ele, não?

 

Silvio Natal silvionatal49@gmail.com

São Paulo

*

LULA E A ECONOMIA

"Lula pede eleições e ataca economia." Lula tinha razão, quando disse "se quiseram matar a jararaca, não bateram na cabeça". Agora, em nome do PT, partido que governou o País por 13 anos, até final de agosto deste ano, conclama a população para "juntos recuperar o País economicamente e politicamente", culpando o presidente Temer pela derrocada do Brasil. Seria bem melhor se o ex-presidente fosse convencido de que a era PT acabou. Conforme análise feita após o resultado das urnas nas últimas eleições, o PT perdeu seis em cada dez votos em relação a 2012, inclusive em berços eleitorais. Uma perda significativa, que fez o PT encolher 60,9%. Lula pode até ser candidato em 2018, ou 2017, como ele gostaria, mas, diante do quadro caótico em que a legenda se meteu, bem como dos resultados das últimas eleições, dificilmente Lula venceria a eleição para presidente. O melhor a fazer é "sair à francesa", e deixar o velho e conhecido discurso de lado. Eu não votei no presidente Temer, mas torço, torço muito, para ele tirar o Brasil do atoleiro e o povo voltar a ser feliz.

Mirna Machado mirnamac@uol.com.br

Guarulhos

*

ELEIÇÃO JÁ?

Lula critica Temer, o que não é novidade, porque criticar o atual governo não requer nenhum grau de inteligência. Sugere que se realizem eleições antecipando o calendário de 2018, defendendo uma possível volta ao poder, acreditando nas pesquisas do Datafolha, esquecendo de que foi na sua primeira eleição, em 2002, que se instalou a mais organizada quadrilha, aliada às maiores empreiteiras do País, que detonou a maior crise econômica e política que o mundo já conheceu. O Brasil abomina candidatos do porte de Lula, Dilma, Marina e Ciro Gomes. Vade retro!

 

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

*

NOS EUA

O Alto Comissariado da ONU inquiriu o governo brasileiro sobre reclamação de perseguição política postulada por Lula. Bastava, apenas, solicitarem informes da vida pregressa do querelante ao Departamento de Justiça do EUA, onde nas delações de leniência da Braskem e da Odebrecht, é conhecido como "Brazilian Official 1" e seu poste como "Brazilian Official 2", pelo recebimento de R$ 50 milhões de propina na eleição de 2010, dentre outras falcatruas.

Arnaldo Ravacci arnaldoravacci05@gmail.com

Sorocaba

*

NUNCA ANTES...

A Justiça dos EUA bateu o martelo: alma honesta coisa nenhuma, muito menos mulher acima de qualquer suspeita. A lista com nomes de presidentes, ministros, senadores e deputados, desce a rampa do Planalto. A indecência rompeu fronteiras, a vergonha tem suas portas abertas ao mundo. E saber que ainda temos caixas de pandora para abrir...  Resta-nos a esperança, porque o dinheiro que levaram (e lavaram) naufragou no mar da corrupção, naquilo que se intitula como "maior caso de suborno da história".

Ricardo C. Siqueira ricardocsiqueira@globo.com

Niterói (RJ)

*

EUA X BRASIL

Como pode ser que o Departamento de Justiça dos EUA chegue a Lula e a Dilma antes que os órgãos brasileiros diretamente interessados em esclarecer o maior caso de corrupção da história da humanidade, que lamentavelmente aconteceu no Brasil? Ora, a legislação deles não protege corruptos. Aqui, condenações podem levar longos anos para acontecer. Isso se no meio tempo os crimes não prescreverem. Cabe comentar que, nem por isso, os EUA constituem um país menos democrático. Muito pelo contrário. Nossos parlamentares deveriam meditar a esse respeito.

Jorge A. Nurkin jorge.nurkin@gmail.com

São Paulo

*

FILÃO

O Brasil, por meio de suas empresas multinacionais, descobriu um novo filão no mercado internacional globalizado: a exportação de corrupção. Já contava com 11 clientes internacionais e liderava esse segmento de mercado em que moral e ética são requisitos plenamente dispensáveis. A empreiteira Odebrecht, que comandava a corrupção interna e externa, tinha seu próprio know-how, até criou um departamento dentro da empresa com a única finalidade de cuidar da distribuição do dinheiro roubado do contribuinte. É uma vergonha para o cidadão brasileiro o que está repercutindo na imprensa internacional partindo da Justiça americana. Esta funciona, diferentemente da nossa, que só vê ou ouve o que quer. Essa empreiteira deveria ser extinta, e não só abrir mão de 10% do que roubou e continuar em atividade. Está na hora de modificar um pouco a imagem que se tem da justiça em todo o mundo. Nos países do Primeiro Mundo, poderá manter a venda; na nossa é melhor retirar para que ela possa ver a podridão que tomou conta do País. Nossa Justiça com venda é pressuposto, estereótipo.

Humberto de Luna F. Filho lunafreire@falandodebrasil.com.br

São Paulo 

*

SERIEDADE

Fosse este um país sério, a Odebrecht já estaria fechada.

Laert Pinto Barbosa laert_barbosa@globo.com

São Paulo

*

VERGONHA NACIONAL

Os procuradores americanos, no caso da Braskem, revelam com exatidão o que todos já sabem: as propinas pagas pela Odebrecht configuram o maior caso de corrupção de toda a história da humanidade. Essa empresa deveria ser impedida de funcionar para sempre. Vergonha nacional divulgada aos quatro cantos! E seu grande beneficiário foi o "Amigo". Muy amigo...

Elisabeth Migliavacca

São Paulo 

*

SEM INTERMEDIÁRIO?

A sorte da Odebrecht é que José Dirceu e Antonio Palocci estão presos, caso contrário, eles tentariam negociar o acordo de US$ 2,8 bilhões que a Odebrecht pagou nos Estados Unidos referente às multas por corrupção.

Claudio Juchem cjuchem@gmail.com

São Paulo 

*

SUBSTITUTA À ALTURA

 

A dra. Gabriela Hardt é a juíza substituta da 13.ª Vara Federal de Curitiba. Com as férias de Sergio Moro, é ela quem vai dar prosseguimento às tramoias que espocam pelo País, com a Operação Lava Jato. Agora será a vez do arrecadador de propinas do PT, Paulo Ferreira, réu confesso, apesar da tentativa do partido de negar o recebimento de recursos "clandestinos". Sabe-se que a juíza, além de atleta, também tem repulsa e não pactua com corruptos. Novos acontecimentos para os próximos dias.

 

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

*

SEGURANÇA

Segundo o jornalista Esmael Moraes, do Paraná, a esposa do juiz Sérgio Moro, condutor da Operação Lava Jato, Rosângela Wolff Moro, já se mudou da capital paranaense, Curitiba, para os Estados Unidos por "motivo de segurança". Esse fato é uma constatação vergonhosa e até humilhante para o Brasil. A que ponto de desprezo pela honra, pela verdade, pela honestidade dos cidadãos direitos nos levaram os Três Poderes constituídos da Nação, não cumprindo condignamente a sua missão de proteger os cidadãos de bens da pátria brasileira. E, se não bastasse a inoperância dos Três Poderes, as Forças Armadas parecem estar dormindo em berço esplêndido, sempre esperando um grande presente do Papai Noel, sem arriscar sua vida em defesa da pátria, conforme determina a Constituição.

Benone Augusto de Paiva benonepaiva@gmail.com

São Paulo

*

DE MAL A PIOR

Todo dia um novo escândalo atinge em cheio o ainda presidente Michel Temer: assessores denunciados por receber milhões em dinheiro vivo. As denúncias contra o governo Temer já são muito mais graves do que tudo o que provocou o impeachment de Dilma Rousseff. Curiosamente, ainda não houve pedido formal de impeachment contra Michel Temer, que não tem inimigos no governo, muito diferente de Dilma, que enfrentou e perdeu feio a briga com o inimigo declarado, Eduardo Cunha. Talvez isso explique por que Cunha continua sendo membro do partido de Temer, embora esteja preso há meses. A gestão Temer é muito melhor que a gestão Dilma, o País vai se livrando do estorvo ideológico que guiava Dilma e os deputados e senadores parecem bastante felizes em terem um presidente da República de mentirinha, que não manda mais em nada, uma espécie de rainha da Inglaterra, figura decorativa que não tem voz no governo. Parece uma solução que satisfaz a todos, Temer fica no cargo com toda a pompa e circunstância que ele tanto ama e os políticos fazem o que bem entenderem, aumentam seus salários, perdoam suas dívidas e assim o Brasil seguirá feliz até o dia em que acabar de vez o dinheiro, como aconteceu na Grécia. 

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

*

TEMER REFORMISTA

 

O "Fora Dilma" funcionou e o vice, Michel Temer, assumiu e é a nossa esperança por um Brasil melhor, enxuto (sem a dispendiosa e ineficiente máquina pública). No início Temer extinguiu ministérios, todavia sem a visibilidade de reduzir significativamente o quadro funcional e suas despesas, mas numa coisa temos de tirar o chapéu para ele: finalmente alguém propôs reformas para o bem do Brasil, sem se importar com as críticas da oposição e o estrago em sua popularidade.

Humberto Schuwartz Soares hs-soares@uol.com.br

Vila Velha (ES)

*

CRENÇA NO GOVERNO

Não dá para aceitar o resultado de pesquisas encomendadas aos institutos de pesquisas, que só mostram resultados com índices de avaliação dos entrevistados muito baixos em relação ao governo de Michel Temer. Dá a impressão de que nessas pesquisas há imprecisão, engano, fraude ou má-fé. O público tem conhecimento, pela imprensa escrita e falada, que o seu governo avançou nestes seis meses pelas medidas adotadas para melhorar a educação, saúde, economia, programas sociais, infraestrutura, relações internacionais e diálogos com o Congresso Nacional, o que não acontecia antes, conseguindo aprovações como a da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) do teto dos gastos públicos. Depois do desastre dos governos petistas, vamos acreditar, sem pesquisas, que este governo é mais sério e capaz de tirar o Brasil da crise em que se encontra, baixar a inflação, os juros e melhorar a economia.

José Wilson de Lima Costa jwlcosta@bol.com.br

São Paulo 

*

DE ARREPIAR

Sensacional a foto de Michel Temer na primeira página do "Estadão" de sexta-feira (23/12), com os cabelos arrepiados... Imagine nós, o povo, estamos de cabelos em pé com seu governo e sua equipe de "colaboradores".

João B. Vieira joaobvieira@yahoo.com.br

Sertãozinho 

*

CRISE NATALINA

A foto de capa da edição de sexta-feira do "Estadão" foi emblemática: até gente com Mercedes Benz largou os shoppings de luxo para comprar na 25 de Março. Êta!

J. S. Morel Filho zzmorel@icloud.com

Santos

*

MELHOR PRESENTE

Neste Natal, vamos pedir ao Papai Noel o melhor presente para todos nós: paz para acabar com os conflitos que existem na Terra. Afinal, somos todos irmãos.

Vidal dos Santos vidal.santos@yahoo.com.br

Guarujá 

*

TERRORISMO

O suspeito de ataque em Berlim foi morto a tiros pela polícia italiana. Ainda bem que lá não tem uma Maria do Rosário para defender este terrorista criminoso nem ONGs de direitos humanos falando baboseiras. Este terrorista nunca deveria ter sido solto após cumprir pena de quatro anos na Itália por incêndio criminoso. Como é que você solta um cara desses? Que pena mais ridícula é essa? O cara comete um incêndio criminoso, cumpre sua pena, sai e pronto, está regenerado e reintegrado à sociedade? Ainda bem que a Itália corrigiu o erro.

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

ALEPPO

Bashar al-Assad, presidente da Síria, que nestes últimos seis anos enfrentando o Estado Islâmico (EI) e rebeldes destruiu grande parte de seu país, ainda é capaz de afrontar o mundo festejando ao lado de seus asseclas seguidores a retomada da cidade de Aleppo! Isso, mesmo depois das atrocidades cometidas, como a de ter matado mais de 300 mil pessoas do seu próprio povo e a de outros 5 milhões que humilhados tiveram de fugir para não morrer - e hoje vivem em condições sub-humanas como refugiados em países vizinhos. Déspota que é, Assad ainda teve o desplante de comparar esta retomada da cidade de Aleppo a grandes momentos da História, como do nascimento de Jesus Cristo, as revelações de Maomé e a queda da União Soviética. Ou seja, o crápula precisa ser julgado de forma implacável como criminoso de guerra.

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.