Fórum dos leitores

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

O Estado de S.Paulo

30 Dezembro 2016 | 06h00

PASSAGEM DE ANO

Cada qual passa como pode. A realidade entra em nossa garganta abaixo, sem tempo de ter sido mastigada. É o que é. Então, que importa a sequência do tempo: meia noite do dia 31/12/2016, e o primeiro segundo de 1/1/2017? É um fato objetivo: transcurso do tempo, que se torna subjetivo por causa das significações da cultura popular. Pode significar "recomeço", "novos tempos, "projetos a serem implementados", "esperanças", enfim, aquele instante passa a ser carregado de valores subjetivos, segundo a conotação que cada grupo lhe confere. E aquela bruta e sufocante realidade, é esquecida na magia do instante. Penso naqueles que não têm como "embelezar" o momento. Que passam sorrindo nas ruas, parados nas estradas (em congestionamentos), trabalhando, enfim, todos os que não conseguem sequer imaginar a idílica Restinga de Marambaia, mas ainda assim choram, amontoam-se para assistir fogos de artifício, jogam flores à Iemanjá, em síntese, constroem suas particulares fantasias, talvez mais belas que factual, o verdadeiro paraíso, destino de vários presidentes e agora de Michel Temer, Marcela e Michelzinho. E ninguém que se aproxime da Restinga de Marambaia. Privacidade, exige a família.

Andrea Metne Arnaut andreaarnaut@uol.com.br

São Paulo

*

PREVISÕES PARA 2017

Na ONU não vai acontecer absolutamente nada, no Oriente Médio vai acontecer tudo o que não deveria acontecer num mundo civilizado. No Japão, Cingapura, Chile, Malásia e Filipinas haverá tremores de terra. A Venezuela fecha para balanço no segundo semestre. Donald Trump vai tentar falar mais bobagens do que Dilma. No Brasil, vão prender vários políticos corruptos, ladrões, safados e caras de pau. O cargo desses políticos será ocupado por outros políticos corruptos, ladrões safados e caras de pau sem a culpa comprovada. Lula será indiciado mais 11 vezes e não vai acontecer absolutamente nada! Lula vai processar Moro na Venezuela, fechada para balanço. Vai ser decretada a prisão de Lula e a prisão de ventre de toda a esquerda brasileira. A Avenida Paulista continuará sendo o paraíso de quem não tem o que fazer e decide fazer protestos e passeatas para prejudicar quem tem muito o que fazer. Vão morrer um artista, um cantor e um político famoso (não adianta reclamar, é um só!). Os 12 milhões de desempregados continuarão desempregados enquanto houver impunidade e delação premiada, sinônimo de perdão para ladrão de colarinho branco, canalhas da pior espécie. É só! Sem querer ser chato, mas 2016 foi um ano ótimo... 2017?

Luiz Ress Erdei gzero@zipmail.com.br

Osasco

*

ISRAEL E PALESTINOS

Israel, em visceral conflito bélico com os palestinos desde que a ONU estabeleceu um território para o povo judeu, decidiu que esse assentamento se daria em território palestino para compensar a maior dispersão já ocorrida na História e uma forma tardia de compensar o holocausto nazista. Os contendores parecem querer protagonizar o apocalíptico Armagedon que assinala a última das batalhas. Repudiado nas Nações Unidas, o governo de Israel teima em ir em frente com assentamentos israelenses em territórios ocupados por palestinos, já tendo anunciado a construção de 600 casas como parte inicial de um plano de construção de 5,6 mil casas novas. O Conselho da ONU aprovou em 23/12 condenação dos assentamentos na Cisjordânia e em Jerusalém Oriental, considerando a violação de Israel uma afronta às leis internacionais. Donald Trump, para aumentar ainda mais as nuvens sombrias que pairam sobre os EUA e por todo o mundo pressionou pelo veto da resolução da ONU e escolheu um defensor dos assentamentos como futuro embaixador em Israel. Num êxodo marcado desde o início das narrativas bíblicas, Israel para se proteger do inimigo comum palestino é obrigado a montar um dos mais poderosos aparatos bélicos, em condições de defender como atacar os que foram obrigados a se tornar seus anfitriões.

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

*

ORIENTE MÉDIO

Para avançar as negociações de paz entre israelenses e palestinos basta remover Benjamin Netanyahu do poder. Ele se gaba de ser Israel a única democracia do Oriente Médio, porém o déspota ultranacionalista está há mais de dez anos no poder, em seu terceiro mandato. Prega a retórica de negociações diretas com os palestinos enquanto avança ferozmente na construção de novos assentamentos judaicos em território palestino. Deslegitima a ONU como fórum adequado para negociações de paz, esquecendo-se de que a resolução que estabeleceu um Estado judaico e um Estado palestino na Palestina foi votada na mesma ONU que agora critica. E passados 70 anos da criação do chamado Estado de Israel, o previsto Estado da Palestina ainda não saiu do papel.

Marcos Abrão m.abrao@terra.com.br

São Paulo

*

RESOLUÇÃO DA ONU

A resolução do Conselho de Segurança da ONU exige que Israel cesse imediata e completamente os assentamentos nos territórios palestinos ocupados, incluindo Jerusalém Oriental. O primeiro-ministro de Israel disse: “Não vamos cumprir”. Em assim sendo, país que não cumpre as resoluções deve ser expulso. Ou a ONU é ineficaz.

Jorge Mema Bernaba jorgebernaba@gmail.com

Araçatuba

*

MARCAR POSIÇÃO

São poucos, ainda bem, os que ainda não acreditam que a única solução possível para a paz entre israelenses e palestinos seja a solução dos dois Estados. No entanto, o voto americano na ONU, de permitir a aprovação de resolução que exige o fim dos assentamentos israelenses, nada teve que ver com a questão. Foi mera marcação de posição pessoal do presidente Obama – em fim de mandato – contra Donald Trump, declaradamente aliado de Binyamin Netanyahu. Verdadeira bola fora do atual presidente dos EUA, que, em vez de sensatamente delegar o problema a seu sucessor, conseguiu a proeza de despertar a ira do primeiro-ministro de Israel e de Donald Trump e de desmoralizar ainda mais a já desmoralizada ONU, que, todos sabem, desde sua criação, após a 2.ª Guerra, pouca influência teve, se tanto, na complexa situação entre israelenses e palestinos. É evidente que esta resolução nunca será respeitada. Barack Obama poderia terminar seu governo sem essa. 

Luciano Harary lharary@hotmail.com

São Paulo

*

TIRO PELA CULATRA

O Conselho de Segurança da ONU aprovou na sexta-feira passada uma resolução que exige que "Israel cesse completa e imediatamente todas as atividades dos assentamentos nos territórios palestinos ocupados, incluindo Jerusalém Oriental". No Oriente Médio, as aparências quase sempre enganam. Uma resolução destas, ao invés de fomentar negociações e paz, as inviabiliza. Vejamos: Jerusalém Oriental, por exemplo, é onde fica a Cidade Velha, onde estão as ruínas do Templo Sagrado do Povo de Israel, que incluem o Muro das Lamentações, onde está o quadrilátero judeu, onde existem dezenas de sinagogas muito antigas e onde vivem 200 mil judeus. A questão de Jerusalém Oriental é a mais delicada de todas as questões nas intrincadas negociações entre israelenses e palestinos. A mesma jamais será resolvida na base da canetada. Ao tentar fazê-lo, agindo como fez o Conselho de Segurança, a única coisa que irá conseguir é radicalizar a posição palestina (pois a posição da ONU passará a ser o mínimo aceitável para eles) e isto irá afastar Israel da mesa de negociações. Se antes o espaço para um acordo era mínimo, o mesmo deixou de existir. Ou alguém acha que Israel irá entregar as áreas judias de Jerusalém Oriental para os palestinos? Além de confirmar pela enésima vez que o antissemitismo e o antissionismo prevalecem nas resoluções da ONU em todos os níveis. Isto torna claro que as Nações Unidas não constituem um organismo confiável quando se trata de questões envolvendo minorias como são os judeus. A ONU se orienta por interesses e por votos mas não por princípios. Assim sendo, ai de quem for minoria num ambiente destes. Vale também para as demais minorias. Tê-los como mediador então, nem pensar! Por outro lado, a estratégia de Obama para o Oriente Médio acumula uma inigualável série de desastres: já conseguira afastar aliados tradicionais, promover inimigos declarados, dar espaço ao radicalismo religioso, legalizar os programas nuclear e balístico iranianos, liberar as centenas de bilhões que estavam retidos para que não falte recursos a Teerã, possibilitar massacres e aumento exponencial no número de refugiados, relegar os EUA à irrelevância na região; e agora termina com chave de ouro ao abandonar Israel a própria sorte na ONU e mostrando à população israelense que confiar nos EUA é altamente perigoso. E também para as demais nações que os EUA não são um aliado muito confiável. Provavelmente contribuirá para afastar o voto judeu e dos amigos de Israel nos EUA do Partido Democrata. Imagine só um estado de NY vermelho nas proxímas presidenciais nos EUA! Se o objetivo era se opor à expansão de assentamentos israelenses, a resolução deveria ter-se atido só a isto e buscado propor uma posição de equilíbrio, passível de ser aceita por ambas as partes. Num passado não muito remoto, as partes já estiverem bem mais perto de achar uma solução. Sem falar no quanto, uma resolução destas, contribui para incentivar o terrorismo contra Israel e desestabilizar as frágeis relações que ainda tem subsistido a duras custas. 

Jorge A. Nurkin jorge.nurkin@gmail.com

São Paulo

*

DONALD TRUMP

Há males que vêm para o bem, dizia minha mãe. Deus queira que a eleição do louco Trump nos Estados Unidos sirva para abrir os olhos da elite política daquele país para as inconveniências óbvias de um sistema de governo, o presidencialismo, que põe nas mãos de uma só pessoa, o presidente da República, vastíssimos poderes. E queira Deus, mais uma vez, que o nosso país acompanhe os gringos na mudança para o parlamentarismo. 

Euclides Rossignoli euclidesrossignoli@gmail.com

Avaré

*

DO CONTRA

Já está irritante – e fora de propósito – a campanha sistemática da colunista M. L. Guimarães conta o Trump. Não existem outros temas? A maioria dos americanos o elegeu presidente. Mas a colunista se acha mais preparada para achar o que é melhor para o EUA? Não dá para ela mudar a direção para a Venezuela e seu "presidente", Nicolás Maduro?

Marco Cruz mm.cruz23@gmail.com

Vinhedo

*

FAZENDO ESCOLA !

Tudo indica que também a Argentina tem um juiz do naipe de Sergio Moro, pois vem de ser indiciada por corrupção e formação de quadrilha a ex-presidente Cristina Kirchner, companheira de Lula e Dilma. Com certeza eles foram uma escola para ela, né não?

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

E AGORA, PT?

A nossa Justiça fica enrolando, enrolando e não colocam Lula, o grande causador de todo o descalabro brasileiro, na cadeia com medo da reação dos baderneiros. Mas quem vai trancafiar o nosso bandido é o Departamento de Justiça dos Estados Unidos. Agora eu quero ver o que o Rui Falcão, o Ciro Gomes e o "carinha" da CUT vão fazer. Invadir os Estados Unidos da América? Ah, ah, ah! Obrigado, Tio Sam.

Carlos Eduardo Stamato dadostamato@hotmail.com

Guaraci

*

ESTERTORES

Com as novas denúncias, só resta à defesa acusar um complô de meio-mundo. Terminará tomando um peteleco. Do mundo todo... 

A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

PALESTRAS

Parece que Lula também fez palestras para cervejaria. Faz sentido...

Luiz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo

*

PREFERÊNCIAS E CODINOMES

Curioso o fato de que a Cervejaria Itaipava tenha remunerado o Instituto Lula com R$ 1,5 milhão por três palestras onde ocorreram elogios à cerveja de sua marca. Por que não ofereceu ao ex-presidente honorários na forma de certa quantidade da cerveja Itaipava? Merece especulação se houve temor de que o consumo dessa bebida fosse superior ao valor em dinheiro pago pelas palestras. Igualmente, deve-se questionar se o codinome "Brahma" relacionado com a Operação Lava Jato também não se refira à preferência da marca de cerveja pelo ex-presidente. Mas, mesmo assim, os qualificados advogados de defesa do ex-presidente sempre poderão alegar que após certo consumo alcoólico, independentemente da marca – Brahma ou Itaipava –, todas as cervejas tem o mesmo gosto.

Milton L. Gorzoni gorzoni@uol.com.br

São Paulo

*

ERA SÓ O QUE FALTAVA!

O "Brahma" fazendo propaganda da Itaipava! (Agora é que eu não tomo mesmo essa marca!)

Carlos Renato Napoleone crcaleidos@gmail.com

Agudos

*

ESPERANÇA É A ÚLTIMA QUE MORRE

Desejo do honesto povo brasileiro: que esta seja a última passagem de ano do Mr. Silva fora da cadeia.

Roberto Hungria cardosohungria@gmail.com

Itapetininga

*

FAMIGLIA PETRALHA

Que em 2017 os brasileiros de bem finalmente vejam o chefe da quadrilha mudar-se definitivamente para Curitiba!

Ricardo C. T. Martins rctmartins@gmail.com

São Paulo 

*

LULA ASSUSTADO

O ex-presidente Lulla afirmou com veemência que o PT deveria ser renovado e que elle não seria o seu presidente. Agora, muito assustado, percebeu que as coisas não estão correndo como imaginava, haja vista que é pentarréu, por enquanto. A alternativa é aceitar o cargo, pois essa é a única chance de se proteger da operação Lava Jato, com auxílio da claque que é paga pelo caudilho. 

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

*

AINDA A DIFERENÇA ENTRE MAU E MAL

Com o PT na Presidência, 2016 foi um ano mau, no qual a roubalheira institucionalizada causou mal a milhões de brasileiros.

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo

*

GOVERNO TEMER

R$ 7,43 bilhões para parlamentares da base... E é esse mesmo governo que quer "controlar" os gastos públicos com o PEC de Temer?

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

*

ASSASSINATO NO METRÔ

Indignação é pouco para essa barbárie amoral. Pior é imaginar que haverá um advogado a defendê-los. Prisão perpetua é pouco. Chega de impunidade!!!

Jorge Wiszniewiecki jatw@terra.com.br

São Paulo

*

PENA DE TALIÃO

Sou favorável à aplicação da pena de talião aos que espancaram até a morte o ambulante "Índio", na estação do Metrô. Pau neles, sem dó nem piedade!

Carlos Eduardo Barros Rodrigues ceb.rodrigues@hotmail.com 

São Paulo

*

HIPOCRISIA

Precisamos acabar com a hipocrisia do politicamente correto ao denominar como acusados, ou suspeitos, quando na verdade são assassinos os que mataram o vendedor no Metrô. Também o advogado, querendo a liberdade dos facínoras, causa nojo. Se fôssemos um país serio, a única dúvida estaria entre pena de morte ou prisão perpétua.

Sergio Cortez cortez@lavoremoveis.com

São Paulo

*

COVARDIA

Como podem dois jovens de 21 e 26 anos espancar até a morte uma pessoa de 54 anos que apenas tentou apartar uma briga que envolvia os dois criminosos? E o pior, os agressores chegaram a deixar o local e voltar cerca de um minuto depois para dar sequência às agressões, até a morte da vítima, que já agonizava no local. E essa barbárie acontece na noite de domingo, dia de Natal. A certeza da impunidade, as leis brandas e uma ideologia que confunde direitos humanos com o de criminosos favorecem em demasia aqueles que vivem às margens das leis. Não é por acaso que 160 pessoas são mortas diariamente no Brasil. Entra ano, sai ano, e nada acontece para mudar esse quadro de barbárie que assola o País.

Luiz Felipe Schittini fschittini@gmail.com

Rio de Janeiro

*

OMISSÃO

É impressionante a omissão e a covardia das pessoas que ficaram assistindo ao espancamento e morte desse senhor ambulante no metrô. Os agressores eram apenas dois. Será que meia dúzia de homens não poderia contê-los? Lembrei-me da frase: quando uma vida se perde em vão, toda a humanidade perde.

Elisabeth Migliavacca

São Paulo

*

FALTA DE SEGURANÇA

Assistimos via câmeras do Metrô, Estação Pedro II, a dois valentões agredirem covardemente uma pessoa naquele local e não aparecer sequer um segurança daqueles que costumamos ver normalmente, mas que em situações como essa de uma covardia imensa que resultou em morte, cadê esses? É inadmissível que uma estação do Metrô fique um momento sequer sem segurança e, depois, pessoal do sindicato entregou a administração da empresa, que segundo eles coloca uma equipe de segurança para dar cobertura a três estações. . Se verdade ou não, vale o ditado que “economia na base da porcaria não funciona”. Então a diretoria da empresa tem de ser cobrada pelo governo do Estado, pois não importa se em uma estação uma média indica nada acontecer duramente sua operação, mas quando precisar exista.

Laércio Zannini spettro@uol.com.br

São Paulo

*

BESTIALIDADE

Quando a gente imagina que a bestialidade humana atingiu seu ponto máximo no Brasil, acontece a morte de um senhor trabalhador dentro de uma estação do Metrô das mais movimentadas do país., trucidado por dois trogloditas bem vestidos, bem alimentados e pelo porte físico, frequentadores de academias que desenvolvem músculos, mas não cérebros! Agora ninguém é culpado pela morte do trabalhador: As pessoas que assistiram a tudo não esboçaram nenhuma reação em defesa da vítima; a Segurança do Metrô sempre truculenta sem necessidade não apareceu, as câmeras filmaram tudo e supõe-se que alguém da segurança estava assistindo e não tomou nenhuma providência, enfim, mais um pobre assassinado a cores e ao vivo, para deleite dos programas policialescos que inundam nossas TVs. Foi uma morte terrível, dolorosa, em que dois assassinos quebraram todos os ossos da vítima já desmaiada. Aí aparece um advogado alegando legítima defesa! Culpa de quem? Da impunidade reinante no país, de uma educação que privilegia a formação de consumidores ao invés de cidadãos, de uma sociedade que perdeu seus valores; de falsas igrejas e"religiões" que cobram o dízimo e delegam a Deus a solução de todos os problemas...Notem que uns dos assassinos usa um crucifixo pendurado o pescoço! E vai por ai afora. Logo um outro crime mais brutal levará esse ao esquecimento! Só faltou aos dois criminosos, fazerem a saudação nazista após mais uma obra realizada! 

José Milton Galindo galindo52@hotmail.com

Eldorado 

*

RIGOR POLICIAL

Adoraria ver a Polícia Civil de São Paulo agir sempre com o mesmo rigor com que agiu defendendo os vândalos canalhas que mataram sem dó nem piedade o trabalhador camelô no Metrô do Brás. É ridículo ver tanto empenho quando a insegurança é geral e irrestrita. No Brasil, matar compensa e se o assassinato for filmado, então, é melhor ainda. Só temos visto vergonha, uma atrás da outra, e a polícia faz parte disso.

Zureia Baruch Jr. zureiabaruchjr@bol.com.br

São Paulo

*

DEBOCHE

Parece bem lógica e equilibrada a recomendação da entidade que representa os policiais militaes e o corpo de bombeiros de cancelar as comemorações da virada do ano na praia de Copacabana. Com os cinco milhões que serão gastos para fazer a festa o governo poderia pagar aos militares desesperados e sem dinheiro para comprar comida. Fazer uma festa em um Estado que está na penúria não tem graça nenhuma e soa como um deboche da situação crítica de diversos setores da população. Trata-se de um desprezo pela situação dos policiais, dos aposentados e demais funcionários que não receberam seus salários e suas aposentadorias. Gostaria de ver se o governador Pezão e o prefeito Eduardo Paes terão coragem de aparecer em público no dia da comemoração do ano-novo.

Mário Negrão Borgonovi marionegrao.borgonovi@gmail.com

Rio de Janeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.