Fórum dos leitores

Ano novo

O Estado de S.Paulo

01 Janeiro 2017 | 05h00

ANO-NOVO

Feliz 2018

O ano de 2016 já passou. Ufa! Foi um ano difícil, de muita intranquilidade, com emoções à flor da pele. E como tudo passa e o tempo não espera, 2017 está se iniciando com sua carga de esperança e insegurança. Mas o essencial vai depender de nós e da seriedade para enfrentarmos o período difícil atual. Será que nossos políticos estão conscientes do importante papel que têm na correção de rumo para a recuperação do País? Será que vai prevalecer o bom senso do interesse nacional sobre as improvisações e o jeitinho do corporativismo? Será que, unidos, vamos assumir com coragem os sacrifícios necessários para pôr a casa em ordem, depois de mais de 13 anos de gestões irresponsáveis, demagógicas e populistas? O trabalho mais duro tem de ser feito em 2017, pois 2018 será ano de eleição. Não podemos continuar nessa toada repetitiva que se tornou o processo judicial: delações premiadas e ações inconsequentes que declaram réus, prendem, soltam, colocam tornozeleiras e as tiram, etc. Chega! Que se punam devidamente os culpados, se passe uma esponja e se comece a trabalhar na reconstrução do Brasil. Se continuarmos carregando o peso do passado, sem definições conclusivas e saneadoras (leis duras contra a impunidade, voto distrital, voto não obrigatório, etc.), dificilmente construiremos um bom futuro. Que 2017 seja o ano da virada de verdade. O Brasil merece um novo ano melhor, ainda que seja somente visando 2018!

SILVANO CORRÊA

scorrea@uol.com.br

São Paulo

Como será?

Como 2017 será lembrado no futuro? Como o ano da tão ansiada virada, que poderá reverter a corrente de desemprego e iniciar a recuperação da economia, arrasada por uma série de governos petistas carregados de populismo irresponsável? Ou como o que consolidou a queda do País numa espiral sem fundo que terá imposto enormes sacrifícios e dificuldades às gerações seguintes? A realidade é que o desejável primeiro cenário só se concretizará se forem aprovadas várias PECs de salvação nacional, o que permite afirmar que 1988, ano da promulgação da “cidadã”, pode ser lembrado hoje como um dos mais desastrados da História contemporânea do Brasil.

PAULO ROBERTO GOTAÇ

prgotac@hotmail.com

Rio de Janeiro

Virando a página

Tivemos um ano de muito sofrimento, portanto, esqueçamos o mal por amor ao bem, que há de vir. Tenhamos a certeza de que em 2017 aquele irmão que vai à frente vai nos puxar e o que vem atrás será puxado por nós, numa irresistível corrente de superação. Feliz ano-novo!

RICARDO C. SIQUEIRA

ricardocsiqueira@globo.com

Niterói (RJ)

O que é preciso

Para este ano peçamos aos nossos governantes só o que é preciso: inteligência, transparência, decência, prudência, coerência e uma boa dose de juízo. De nossa parte, não acreditemos no que a maioria deles apenas promete e trabalhemos. Só assim poderemos ter um feliz 2017.

EDUARDO A. DELGADO FILHO

e.delgadofilho@gmail.com

Campinas

Presidente reformista

Não é fácil chegar ao maior posto de um país, a Presidência da República. E feliz do presidente que encontra um sentido para a sua obra. No começo do seu mandato, Lula parecia havê-lo encontrado. Mas perdeu-o logo depois... Declarando-se um presidente reformista, Michel Temer encontrou o sentido para o seu curto mandato. Ao menos uma boa notícia – e agora podemos enterrar 2016, o ano que parecia infinito, com esperanças. Somente entendendo o seu papel na História poderá o presidente Temer superar toda sorte de obstáculos para fazer as coisas certas – e enfrentar a liderança maligna da jararaca, que já encontrou o bordão para continuar enganando o povo ingênuo: “Só cortes, cortes, cortes...”. Felizmente, Temer encontrou o sentido para sua obra, e isso é mais forte do que qualquer veneno de cobra. Feliz ano-novo para todos!

GILBERTO DIB

gilberto@dib.com.br

São Paulo

Mensagem à Nação

Em 3/1/2016 o Fórum publicou minha indignação com a covardia da então presidente da República, que não se dignou a dirigir-se à Nação naquele fim de ano, para passar uma mensagem de esperança e fé aos brasileiros. Um ano depois, tenho a satisfação de poder dizer que o País tem um verdadeiro líder, que não tem medo de enfrentar as dificuldades, não se esconde, além de demonstrar respeito ao povo e planos para um futuro melhor. Parabéns, Temer!

RICARDO LORENZI

ricardo.lorenzi@gmail.com

São Paulo

Algo está melhorando

Se hoje temos uma expectativa melhor para 2017, o que se deve às decisões tomadas na área econômica pelo governo Temer, conforta saber, como divulga a Associação Brasileira de Supermercados, que o setor vendeu, descontada a inflação, 5% mais em novembro, relativamente ao mesmo mês de 2015. E nos 11 meses do ano o aumento foi de 1,51%. Considerando que em dezembro o consumo das famílias com alimentação é maior, esse setor pode fechar o ano com bom resultado, deixando para trás o péssimo desempenho em 2015, quando amargou queda de 1,9%. Em meio a esta grave crise econômica, essa notícia não deixa de ser um alívio...

PAULO PANOSSIAN

paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

BOAS-FESTAS

O Estado agradece e retribui os votos de boas-festas e próspero ano-novo de Adriano Julio de Barros Vicente de Azevedo, Alerta Security, Andrea Matarazzo, Aninha Make-up Artist, Associação Comercial de Ubatuba, Ayni Saúde Integrada, C & M Software, Conselho Federal de Fonoaudiologia, Francisco José Sidoti – FJS Consultoria de Infraestrutura, Ives Gandra da Silva Martins, Juan Carlos Marroquín – Nestlé do Brasil, Leandro Palmarini, vereador, Lehmann, Warde & Monteiro de Castro Advogados, Loplast, Luiz Alberto Olivi, Luiz Carlos de Oliveira, Luiz Fernando Rangel de Camargo Fidelis, Luiz Henrique Penchiari, Marcelo Leonardo Advogados Associados, Márcia Cavallari Nunes – Ibope Inteligência, Marcos Luiz Mattos Penna, Mario Ernesto Humberg – CL-A Comunicações, Martins Fontes – selo Martins, Marwann Habib Castro, Maxxima, Memorial Saúde, Mundiware, multifocopress, Myrian Macedo, palavra bem escrita, Panayotis Poulis, Paula Bellizia, Paula Marinho de Moraes e equipe, Paulo Bassetti – Ternium Brasil S.A., Paulo Roberto Girão Lessa, PMR Labelling Machines, Reynaldo Barros – Crea-RJ e Ricardo C. Siqueira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.