Fórum dos Leitores

FACHIN NO STF

O Estado de S. Paulo

21 Maio 2015 | 03h00

Amigo de fé

O Senado aprovou o nome do advogado Luiz Edson Fachin para assumir uma cadeira no Supremo Tribunal Federal (STF). Diante disso, teremos a sua posse solene. O cerimonial responsável por sua formalização não poderá esquecer de convidar João Pedro Stédile, general do exército vermelho, agraciado recentemente com a Medalha da Inconfidência Mineira.

ALOISIO PEDRO NOVELLI

celnovelli@terra.com.br

Marília

Representante do MST

A exemplo de outros segmentos da política dos PeTralhas, agora o MST, graças ao conluio dos políticos, “ganhou” um representante no STF. Dessa forma, o aparelhamento ideológico segue firme e forte. O mais novo representante da mais alta Corte brasileira até já defendeu interesses de outro país no mesmo tribunal que vai ocupar. Durma-se com um barulhos desses. Acorda, Brasil!

CARLOS B. PEREIRA DA SILVA

carlosbpsilva@gmail.com

Rio Claro

Redução

Agora com o STF acintosamente dominado pelo PT, o Brasil passa a ter só dois Poderes.

GERALDO SIFFERT JUNIOR

siffert18140@uol.com.br

Rio de Janeiro

Mal comparando...

Nicolás Maduro deve estar morrendo de inveja de Dilma Rousseff. Nem a Venezuela tem um tribunal desses.

A. FERNANDES

standyball@hotmail.com

São Paulo

Ideologia do atraso

O Senado apresenta atestado de que tudo é combinado antes em conluio nos gabinetes, favorecendo a impunidade e prejudicando o futuro do Brasil por uma ideologia do atraso.

NELSON PEREIRA BIZERRA

nepebizerra@hotmail.com

São Paulo

Paladar

Parabéns ao PT pela indicação para o STF e pela eficiente compra dos “senadores”. Pêsames, Brasil. A boa notícia é que brasileiro adora pizza.

MARCELO L. Z. BERNABE

zbernabe@hotmail.com

São Paulo

Preço vil

Custou barato o passeio de avião para a aprovação do dr. Fachin. E qual a novidade?

GUTO PACHECO

jam.pacheco@uol.com.br

São Paulo 

Tucano vira-casaca

O senador Álvaro Dias (PSDB-PR), enquanto na oposição, sempre afirmou que as decisões da presidente Dilma Rousseff contrariam os interesses do Brasil. No caso da indicação de Luiz Fachin mudou de ideia como por encanto. Dá para confiar?

LUIZ FRID

luiz.frid@globomail.com

São Paulo

Degradação

A aprovação do nome do novo ministro do STF é mais uma frustração para os que ainda faziam força para acreditar que este país pudesse sair do atoleiro moral, político e econômico a que o levaram a mediocridade e a falta de homens de escol na condução da Nação. É uma pena ver que a degradação permeia as entranhas da administração pública e que o nível ético, moral e cívico de nossos homens públicos está cada vez mais rasteiro e torpe. Um país sem excelência é um país condenado à insignificância e ao desprezo. Tenho vergonha de nossos políticos e de nossos dirigentes. A nata de nossa sociedade é uma espuma turva e degradada.

MÁRIO RUBENS COSTA

costamar31@terra.com.br

Campinas 

CORRUPÇÃO

Nos três Poderes

O tripé Executivo, Legislativo e Judiciário, base do nosso sistema democrático, está completamente bambo, não resiste a ventos mais fortes. A corrupção está minando sua sustentação, todo dia temos novidades de descobertas de “malfeitos” em todos os Poderes. Corrupção não é só o roubo desenfreado do dinheiro público, mas também o aparelhamento do Executivo e do Judiciário com o beneplácito do Legislativo. Essa corrupção do aparelhamento é mais nefasta do que o roubo propriamente dito. Ela corrompe os valores, os direitos, a cidadania e, pior ainda, o crédito nas instituições. Tal desarrumação leva o povo a ter vergonha do próprio país, o que é muito grave, pois a quebra da esperança resulta na apatia, robotizando as pessoas.

PAULO TUDE

petude@hotmail.com

São Paulo

PSDB NA TV

FHC no ataque

“Nunca se roubou tanto neste país” – o autor dessa frase é o nosso ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. A maioria dos brasileiros confirma, mas desconfia: por que é tão difícil apurar, julgar e condenar os responsáveis? Os três Poderes atendem a um único comando, pois, como dizem, estão “aparelhados”. Mas quem comanda? Será que Fernando Henrique sabe? Por tudo o que ouvimos, lemos e assistimos até nos arriscaríamos a dizer, se fôssemos perguntados... Resolve? Os representantes dos três Poderes também sabem, mas não querem perder a “boquinha”. Quando alguma instituição chega perto, logo se afasta e se cala... I$$o, i$$o! Ninguém duvida, que covardia!

FERNANDO SILVA

lfd.dasilva@2me.com.br

São Paulo

Campanha suja?!

O PT não gostou do programa do PSDB na TV. Que pena. Não deveria gostar também do mensalão, da corrupção vergonhosa na Petrobrás, dos mais de 100 mil empregos para a cumpanheirada levar uma grana sem fazer nada, etc., etc. Os petistas que se toquem, a coisa está feia e ainda vai piorar mais para eles. Afinal, nunca antes neste país um partido se mostrou tão corrupto e tão canalha com a Nação brasileira. Eles deveriam é sair de fininho, pois faz tempo que não estão agradando a ninguém. Nem aos mais fanáticos.

ASDRUBAL GOBENATI

asdrubal.gobenati@bol.com.br

São Paulo

Exceção da verdade

O PSDB não usou o horário político para fazer campanha, apenas retratou a realidade dos fatos! Ou não houve corrupção na Petrobrás? Ou aquelas gravações não eram da Dilma? Ou não voltou a inflação? Ou não houve o aumento dos preços? Ou não está havendo a restrição de direitos trabalhistas?

EUGÊNIO JOSÉ ALATI

eugeniojalati@gmail.com

Campinas

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

O PT APOSTA NA CHINA

Agora vai! O Planalto está em festa! O primeiro-ministro chinês, Li Kegiang, visita o Brasil e assina 35 acordos nos quais promete investir entre nós US$ 53 bilhões, ou R$ 160 bilhões. Uma dinheirama para um governo que está caindo pelas tabelas... e para a população também, já que na esteira dos frangalhos da nossa economia ela está com o bolso vazio. Há que se destacar que, diferentemente deste nosso governo petista que gasta muito e mal, e até o que não tem, o governo da China não dá ponto sem nó. Ou seja, nestes prováveis recursos que os chineses aparentemente querem aportar no País, como em ferrovias, energia, mineração e até na Petrobrás, certamente não vão investir sem que haja condições especialmente vantajosas. E o que nós, brasileiros, esperamos é que Dilma, angustiada por falta de recursos e com seu capital político no fundo do poço, não venda o Brasil na bacia das almas.

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

FORA DA CURVA

Dilma Rousseff disse que fará o corte necessário para que as contas entrem nos eixos. Só lamentamos que essas medidas não tenham sido anunciadas com suas promessas de campanha.

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com 

Jandaia do Sul (PR)

*

VERDADE INESCONDÍVEL

Jigme Wangchuck, rei do Butão, ao criar o índice de Felicidade Interna Bruta (FIB), o guindou às conquistas espirituais, afirmando que a riqueza material não trazia felicidade, o que o ajudou a desviar a atenção do povo da miséria crescente em seu país. Durante sua campanha eleitoral pela reeleição, Dilma Rousseff, pouco afeita a enlevos não materialistas e com o mesmo objetivo de esconder as misérias do País, criou o pacote das bondades federais reduzindo a conta de luz e o preço da gasolina, com o eterno discurso de marquetagem explícita que perdura até hoje. O que não perdura são as bondades, pois o efeito da esmola com chapéu alheio é devastador. Depois de reeleita, foi preciso abrir a janela da verdade inescondível: o Titanic Brasil afundou, e lá vão “elles” nos transformar em guindastes para tentar desafundá-lo. Qualquer governinho medíocre sabe que a primeira atitude para desafogar as contas públicas é reduzir despesas, adequando-as às receitas. Em “Notas & Informações” de 19/5 lemos que “quanto menor a redução de despesas, maior terá de ser a elevação de impostos e contribuições”. E não é que este último item foi a opção, já que “madama” não sabe o que quer dizer equilíbrio financeiro ou governar com eficiência, conservando os seus 39 ministérios e todos os aspones e correligionários de plantão? Não bastasse a falência pelo roubo da Petrobrás, ainda nos impõem um ajuste “levyano” com elevação de tributos e extinção de direitos trabalhistas adquiridos. Haja FIB!

Carmela Tassi Chaves tassichaves@yahoo.com.br 

São Paulo

*

AUMENTO DE IMPOSTOS

Brasil 2015, 2016... “Sangue, suor e lágrimas”. Salve-se quem puder!

J. S. Decol decoljs@globo.com 

São Paulo

*

ORÇAMENTO SEM ADMINISTRAÇÃO

O ministro Joaquim Levy propõe um corte no Orçamento da União em torno de R$ 80 bilhões. Apenas para citar um exemplo recente, a Copa de 2014 custou R$ 40 bilhões ao Brasil. A Fifa faturou R$ 16 bilhões com o mundial. Em 2007, o então presidente Lula garantiu isenções fiscais para a Fifa e demais associações que participaram do evento. Atualmente, seis estádios da Copa estão com sérios problemas para se financiar. O gerenciamento do dinheiro dos contribuintes brasileiros é desastroso. Três sucessivos incompetentes governos do PT dizimaram qualquer possibilidade de estabilidade econômica. Os governos gastaram sem coerência, de forma incessante.

José Carlos Saraiva da Costa jcsdc@uol.com.br

Rio de Janeiro

*

PERSPECTIVAS

O ministro Joaquim Levy tomou como base para o ajuste fiscal o montante de gastos efetuados no País em 2013. Pergunta: o que foi feito em 2014 para que gastos deste ano fossem rejeitados em sua decisão? Parece que o destino do segundo mandato da presidente Dilma foi selado neste ano de sua reeleição. A premissa da manutenção do poder continua a falar mais alto. Assim, cortes de orçamento para diminuir o montante da dívida interna do País se fazem sem critério transparente. São acertados em “petit comitê”, em reuniões em que o apoio político na forma do toma lá dá cá, o populismo das ações, fala mais alto. Consequentemente, as perspectivas do País ficam realmente sombrias, já que a educação perdendo verbas perde qualitativamente, a saúde naufraga numa epidemia de dengue, a indústria não encontra soluções que viabilizem sua retomada, a área social míngua com desempregos e lay-offs, obras de infraestrutura são paradas. Em contrapartida, os impostos sobem. O cidadão e o País regridem. Já que fracassa sob perspectiva interna, resta ao governo a esperança de fazer o “negócio da China” para tentar apresentar um simulacro de esperança futura diante daqueles que ainda confiam nele.

Sergio Holl Lara jrmholl.idt@terra.com.br 

Indaiatuba

*

APRENDIZADO

O “professor” Joaquim Levy vai cortar R$ 80 bilhões do Orçamento. É a “Pátria Educadora” ensinando como ovelhas são tosquiadas...

A.Fernandes standyball@hotmail.com 

São Paulo

*

O CAMINHO MAIS FÁCIL

 

É evidente que, para a efetividade do ajuste fiscal, a conta poderá recair, como sempre, sobre nós, pagadores de impostos. O ministro Joaquim Levy proporá à presidente Dilma um plano para aumentar tributos via decretos. E a nossa presidente, desde o início de sua gestão, teima em não diminuir o absurdo de manter os 39 ministérios, a custos elevadíssimos. Esse é apenas um exemplo de uma excrescência. Fica claro que enxugar despesas não é assunto deste governo. A estratégia utilizada é sempre a mesma: aumentam-se os impostos. E estamos conversados.

  

Francisco Zardetto fzardetto@uol.com.br 

São Paulo

*

O PATO DO GOVERNO

Caro ministro Joaquim Levy, por que sempre SÓ a população paga o pato? Sugestões: o governo deve dar o exemplo cortando o número de ministérios e mudando a aposentadoria do funcionalismo. 

Jorge Wiszniewiecki jatw@terra.com.br 

São Paulo

*

TAPA-RALOS

 

Para evitar um contingenciamento ou corte de despesas da ordem de R$ 78 bilhões, a equipe econômica bate na tecla inaceitável de aumentar impostos por decreto, complementando-se assim o corte ou contingenciamento, se em escala menor. Diante da enorme carga tributária que consome a atividade produtiva no País, podendo atingir, agora, perto de 40% do produto interno bruto (PIB), todas as classes da Nação não aceitam a pretendida elevação tributária. Na verdade, o povo não deu causa aos rombos de caixa, não podendo, pois, sofrer, quando a responsabilidade precisa ser assumida exclusivamente pelo governo. Porque os brasileiros não podem ser compelidos a tapar os ralos que o próprio governo permitiu, deixando à solta a corrupção neste país.

José C. de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br 

Rio Claro

*

NOTA

Por acaso alguém já notou que o custo da má gestão na Petrobrás corresponde a mais da metade do que o ministro Joaquim Levy pretende arrecadar para iniciar o arranjo das finanças do País?

 

Ulysses Fernandes Nunes Jr. Ulyssesfn@terra.com.br  

São Paulo

*

NÃO VAI SOBRAR NADA

Até quando teremos de pagar pelas burradas do PT? Nesse ritmo, acabarão com o Brasil antes do término do governo Dilma!

Laert Pinto Barbosa laert_barbosa@globo.com

São Paulo

*

‘LEVYANDADE’

Propor aumento de impostos para equilibrar o Orçamento da União é uma “levyandade” do nosso ministro da Fazenda.

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo

*

JOAQUIM LEVY

Lembram-se do menino que se oferecia para furar os olhos dos passarinho? Ele cresceu e virou ministro da Fazenda.

Francisco Jose Martini fjmartini@gmail.com 

Jundiaí

*

TESOURADA NA MORADIA

O governo pode vir a cortar verbas do programa habitacional Minha Casa, Minha Vida. Trata-se, agora, do “Meu Palácio, Minha Vida”.

 

Cláudio Moschella arquiteto@claudiomoschella.net

São Paulo

*

CRISE?

Toda vez que o País entra em compasso de recessão, ganha quem fabrica as placas “vende-se” e “aluga-se”.

Paulo Seiji Isewaki isewaki@superig.com.br 

Sao Bernardo do Campo

*

ATO IRRESPONSÁVEL

Ao analisarmos o atual momento de crise vivenciado no País, onde o governo vem tentando a todo custo implementar medidas de corte de gastos, contingenciamento do Orçamento, mesmo que seja através de aumento de impostos e corte de benefícios, mas nem pensa em cortar ministérios e os milhares de cabides de emprego, vem o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), sr. Ricardo Lewandowski, defender novo reajuste salarial para magistrados e serventuários judiciais, alegando que precisam fazer frente aos reajustes de preços. Imaginem se eles, que têm salário superior a R$ 30 mil, estão com problemas. Que tal defender os aposentados e quem ganha salário mínimo? Na verdade, trata-se de mais um ato irresponsável de uma autoridade que não sabe honrar o cargo que ocupa.

Luiz Roberto Savoldelli savoldelli@uol.com.br 

São Bernardo do Campo

*

COMO EXPLICAR?

Determinadas coisas nos deixam indignados. Não quero, aqui, dizer que os funcionários do Judiciário não mereçam aumento, porém temos de analisar determinadas questões pelo senso da igualdade, já que todos são iguais perante a lei. Ouço há alguns anos que os funcionários tiveram aumentos para repor as perdas e, no mais alto escalão do Judiciário, até “auxílio terno” teria sido concedido. Vejo, agora, uma nova declaração (que acredito ser apenas para ganhar popularidade) do ministro Lewandowski falando do aumento (novo?): “Nós precisamos sempre (da recomposição de perdas por inflação). Quem é que não precisa pagar o supermercado, já que houve aumento dos produtos?”. Ora, senhor ministro, concordo com V.Exa., porém quem está pagando o aumento não são apenas os servidores da Justiça, mas, sim, todo o povo brasileiro, especialmente os aposentados, que, quando entram com processos contra a Previdência pedindo a recomposição do poder aquisitivo de suas aposentadorias, esta câmara de Justiça e V.Exa. negam provimento alegando que os aumentos seguem a lei e que não há defasagem a ser recomposta. Então como explicar dois pesos e duas medidas?

 

Claudio Mazetto cmazetto@ig.com.br 

Salto

*

À (BAIXA) ALTURA

O Judiciário brasileiro nunca deixou de estar à altura do nosso Legislativo e Executivo, e essa confirmação sempre se deu pela luta por melhores salários, seus, como faz agora o presidente do STF, e também pelo ineficiente serviço prestado à população, a pobre.

Marcos Barbosa micabarbosa@gmail.com 

Casa Branca

*

O PAÍS DO CIRCO

O governo vende sua piada de redução de despesas, quando na realidade está aumentando impostos, e o outro palhaço do STF está aumentando os custos do Judiciário aumentando salários. É o país dos palhaços! Tiririca que se cuide, terá pouca chance neste circo.

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

*

JUDICIÁRIO SEM BRIO

A recente escolha do mais novo membro do Supremo Tribunal Federal (STF) mostra bem que o Poder Judiciário não tem nenhum compromisso com o País. Um ministro da mais alta Corte é escolhido por um governante medíocre e aprovado por uma entidade mercenária (Senado). Tivessem brios, tais ministros jamais aceitariam isso, e, sim, deveriam ser escolhidos pelos seus pares. E para mostrar o quanto o Judiciário está distante da Nação, sem compromisso com a sociedade e o País, foi aprovado um aumento para os funcionários desse poder que vai dobrar seus salários em três anos. Isso porque os juízes passaram a receber recentemente um “auxílio moradia” de R$ 4.300,00 por mês. Que vergonha! O Poder Judiciário não merece nenhum respeito da população, e seus juízes devem ser vistos com desconfiança.

 

André Coutinho arcouti@uol.com.br

Campinas 

*

ESTÁ CONSUMADO

Na terça-feira, exatamente às 19 horas, encerrou-se no Teatro do Congresso o segundo ato da ópera-bufa “Vem ni mim que eu sou Fachin”. Disse um senador que na votação não houvera nenhuma ingerência política. O pior cego é aquele que não quer ver. O agora ministro Fachin foi indicado pela presidente Dilma, apoiou-a na reeleição para presidente, é admirador do “exército do Stédile” (MST) e o que mais precisaria o senhor Fachin para se constituir em mais um defensor do PT e do governo no STF? O Congresso precisa urgentemente mudar as regras da escolha do ministro, para que não tenhamos outros espetáculos burlescos como o desta semana.

 

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com 

Vassouras (RJ)

*

A APOSENTADORIA DOS MAGISTRADOS

Espanta-me e muito a discussão sobre os ministros do STF terem prazo de validade, assim como me assusta a passividade da sociedade quanto à alteração das regras ora vigentes, a extensão da idade da aposentadoria compulsória de 70 para 75 anos é muito bem-vinda, pois a longevidade chegou à Suprema Corte e faz um bem enorme para o País ter sábios ministros. É só olhar através de nossas fronteiras e veremos que em todos os países bolivarianos a Suprema Corte é submissa ora ao Poder Executivo, ora ao Poder Legislativo, seus membros não são vitalícios. Quem tiver dúvidas é só olhar a Argentina, onde o Congresso pode destituir qualquer juiz da Suprema Corte que ouse fazer frente ao “establishment” político. Acorda, Brasil, caso os membros da Suprema Corte passem a ter prazo de validade, estaremos pavimentando o caminho para seguir os combalidos passos da Argentina.  

Márcio M. Pascholati marcio.pascholati@gmail.com 

São Paulo

*

UM ABSURDO

É absurdo ouvir do governo que deve haver aumento de impostos em razão da queda do fator previdenciário (que este governo sempre foi contra e nada fez durante todos os anos no poder). Cadê a redução das despesas do governo e de nossos políticos, estes os mais caros do mundo? Por que não abrir a caixa preta da Previdência, mostrar todos os pagamentos de aposentadorias e ver quem está recebendo acima do teto? Quem são estes brasileiros mais merecedores que os demais trabalhadores? Temos muito dinheiro girando de forma errada e irresponsável. 

Marcelo de Moura mdemoura@globo.com 

São Paulo

*

ASSALTO AOS VELHINHOS

Um questionamento simples a dona Dilma Rousseff e ao sr. Joaquim Levy: não identifiquei na Medida Provisória 664 as cláusulas que reduzem à metade o aluguel, o IPTU, o valor do condomínio, das contas de luz, água e gás, o preço da gasolina, etc., quando da morte do pensionista. Ou seria essa uma decisão proposital para que a viúva tenha sua vida abreviada? Aí, sim, teria de concordar com que ambos são gênios. Infelizmente, do mal.

                

Antonio Carlos Pimentel ancarpim@terra.com.br 

São Paulo

*

POBRE MARANHÃO

Uma família do Maranhão entrou na Justiça para que seu filho tenha o direito de ser atendido em São Paulo, por um caso grave de saúde. É uma vergonha para a família Sarney, que ficou no comando do Estado por 50 anos e não tem clínica de urgência médica nem hospital. Todos eles (Sarney), até por uma unha encravada, pegam o avião e vêm para o Sírio-Libanês aqui, na capital paulista, comportamento próprio do coronelismo. Deveriam bancar os custos do atendimento médico do menino, pois são os responsáveis pela falta de estrutura naquele Estado, o pior do 27 Estados da Federação em todos os setores.

Celso de Carvalho Mello celsosaopauloadv@uol.com.br 

São Paulo

*

CRISE NAS UNIVERSIDADES FEDERAIS

A reportagem do “Estadão” (17/5, A22) sobre a crise nas universidades federais indica a urgência de uma política de gestão dessas instituições. O desenvolvimento social depende de um sistema universitário forte, produtor de ciência e formador de quadros. Isso tudo está ameaçado e apenas uma administração profissional e bem articulada poderá sanar. 

Pedro Paulo A. Funari ppfunari@uol.com.br 

Campinas

*

‘PÁTRIA EDUCADORA’

Universidades federais têm até risco de desabar. Instituições fluminenses, UFF, Unirio e UFRRS vivem crise, com aulas em jardins e em “contêineres”; também há relatos de roubos e estupros. É o que se leu na página A22 do “Estadão” de 17/5 corrente. Imagine-se o risco que correríamos se, em vez de vivermos numa “Pátria Educadora”, vivêssemos numa pátria governada por corruptos e incompetentes marginais...

Mário Rubens Costa costamar31@terra.com.br  

Campinas

*

CONTÊINER PEDAGÓGICO

Prédios condenados, obras abandonadas, falta de equipamentos. Aulas em contêineres ou nos jardins das universidades. Estupros e assaltos dentro e no entorno dos campi. Eis aí um brevíssimo quadro dos problemas que enfrentam as universidades federais do Estado do Rio de Janeiro – responsabilidade do governo da presidente Dilma – neste início de 2015. Não bastasse o drama apontado, o programa federal de financiamento estudantil (Fies) é alvo de “contingenciamento” por falta de recursos públicos, deixando milhões de estudantes que acreditaram nas promessas eleitorais do PT sem o aguardado apoio para seus estudos de 3.º grau em instituições particulares. Para concluir o show de horror, há pouco foi veiculada a notícia de que o Brasil caiu de 58.º para o 60.º posto no ranking mundial de Educação segundo divulgado pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), ficando entre as nações com pior desempenho entre as 76 de que participam da avaliação anual. As cinco melhores colocações deste rol ficaram – claro – para os países asiáticos, Cingapura, Hong Kong, Coreia do Sul, Japão e Taiwan, na sequência. Nenhum deles tem governo populista ou esquerdista; nenhum deles tem o dístico “Pátria Educadora”.

Silvio Natal silvionatal49@gmail.com      

São Paulo

*

LUCRO DA PETROBRÁS MAQUIADO

Então a Petrobrás maquiou dados para inflar o lucro da companhia e não há uma punição? Na Operação Lava Jato, “pedalada fiscal” é vista como um ato ilegal, mas no balanço da Petrobrás pode? Neste país está cada dia mais difícil de saber o que é considerado crime e o que não é, pois depende muito de quem faz a pedalada. Embora alguns consultores cheguem a dizer que essa malandragem usada pela Petrobrás é criatividade pura, o ato não é ético e fere o princípio contábil, conforme disse Welinton Mota, diretor da Confirp. A Petrobrás foi saqueada pelo governo do PT e aliados. Como é uma companhia altamente rentável, colocaram a raposa para tomar conta do galinheiro. Aldemir Bendine nada vai deixar vazar. Assim, a estatal blindada pelo governo segue tapeando os brasileiros, pois muitos apostam na valorização das ações e na sua recuperação. Como confiar numa empresa que se serve de manobras para esconder seus erros, roubos, prejuízos e rombos?

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com 

São Paulo

*

COLLOR

Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) quebra sigilo bancário de Fernando Collor de Melo. Por que não quebram os sigilos de Lula, Dirceu, Vaccari e todos os figurões importantes do PT, do PMDB e do PP denunciados por doleiros e altos funcionários da Petrobrás?  O “cappo” Lula vai continuar se livrando de tudo? Só no Brasil, mesmo.

Mário A. Dente dente28@gmail.com

São Paulo

*

QUEBRA DE SIGILO

Só espero que na quebra de sigilo de Collor não encontrem “aquilo roxo”.

 

Marcos Catap marcoscatap@uol.com.br

São Paulo

*

INCOERÊNCIA

Alguém acredita em sã consciência que o senador e ex-ministro de Minas e Energia Edison Lobão (PMDB-MA) confirmará ao Supremo Tribunal Federal ser sócio oculto de holding nas Ilhas Cayman? Só para quem acredita em Papai Noel, coelho da Páscoa ou cegonha, né não?

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br 

São Paulo

*

OS FORNECEDORES DA PETROBRÁS

Por tudo o que se lê no jornal sobre a Petrobrás e seu projeto de corrupção para promover partidos políticos, em poucas oportunidades são comentados pela imprensa a avalanche de consequências que estes atos corruptos geram, não só para os acionistas que viram suas ações virarem água ou o povo em geral, que assistiu à joia da indústria petroquímica nacional ir parar na coluna policial, mas às empresas de médio e de pequeno portes que prestavam serviços à Petrobrás. Esses fornecedores, empresas brasileiras, que empregam um grande contingente de também brasileiros, foram lesados pela Petrobrás e seus consórcios pelo não pagamento por serviços prestados, alguns já com sérios problemas financeiros à beira da falência e que, com certeza, deverão contribuir para o aumento do número de desempregados pela falta de condições de manterem suas folhas de pagamento e a diminuição de crédito na rede bancária. Só lemos sobre isso nas colunas das páginas A2, e não em manchetes e reportagens.

Marta Walsh Siefer martasiefer2@hotmail.com 

São Paulo 

*

CORRUPTOS

Todo ladrão é burro e, geralmente, tem complexos de inferioridade. Complexo de pobre, de inculto, de incompetente, etc. Infelizmente, nossos políticos sofrem desse mal. Alguns nem sabem que política por definição é uma luta pela causa pública, e não pela causa própria. Com tanta riqueza que a natureza deu ao Brasil, como eles conseguem fazer chegar à situação em que estamos?

Aldo Matachana Thomé aldo@projex.com.br 

Ourinhos

*

ALUCINAÇÕES

Credo! Ando tendo alucinações porque toda vez que tomo conhecimento de denúncias de corrupção e delações envolvendo a Petrobrás, vejo sempre o espectro de Lula pairando no ar sobre todas elas. Por que será? 

 

Eliana França Leme efleme@terra.com.br 

São Paulo

*

MUDANÇAS NO PT

Diz-se que, quando o navio que sai do porto vai afundar, por uma premunição instintiva, os ratos fogem. Deve ser verdade. Veio de ser noticiado que o ex-presidente Lula está propondo a mudança da direção do PT recém-formada. A coisa não deve estar boa, porém. Para compor a nova direção, sugeriu nomes como Luiz Dulci, Gilberto Carvalho, Marco Aurélio “top-top” Garcia, Ricardo Berzoini, Edinho Silva e outros. E, pasme-se, é o que está noticiado: “Todos já foram sondados para dirigir o PT, mas declinaram” (“O Estado de S. Paulo”, 18/5). Estão faltando umas palavras de Lula a respeito dessas surpreendentes recusas.

Pedro Luís de Campos Vergueiro pedrover@matrix.com.br

São Paulo

*

FÁCIL

Lula quer urgente indicação de dez nomes para substituição na Executiva Nacional do PT. Essa indicação é fácil, Lula! É só perguntar ao doleiro Youssef.

 

Marcelo L. Z. Bernabe zbernabe@hotmail.com 

São Paulo

*

AÍ TINHA...

É notório que o apresentador Jô Soares amaciou suas críticas ao governo Dilma no retorno do seu programa a partir deste ano. Inclusive passou a defender a presidente no confronto com as suas “meninas”, sendo, inclusive, motivo de surpresa e até de um leve puxão de orelha por uma das integrantes do grupo. Agora se noticia que Jô foi chamado para um bate-papo com ninguém menos que dona Dilma em Brasília. Logicamente, tudo “off the records”. Jô deve estar envaidecido porque várias vezes convidou Lula para o seu programa e, a única vez em que ele aceitou, deu uma entrevista antes, em outro canal, o que fez Jô “desconvidá-lo”. 

Claudio Juchem cjuchem@gmail.com 

São Paulo

*

SENADO REJEITA GUILHERME PATRIOTA

O Senado federal recusou o nome do indicado pela presidente Dilma, Guilherme Patriota, para representar o Brasil na Organização dos Estados Americanos (OEA). Guilherme, comprovadamente de perfil bolivariano, a favor de diálogo com o Estado Islâmico, participando inclusive da reunião do Foro de São Paulo em 2013, indicado por Marco Aurélio “top top” Garcia, foi barrado. O Senado federal, se por retaliação ao governo federal ou opção acertada, usou de sua soberania constitucional. Parabéns!

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br 

São Paulo

*

NÃO BASTA SER PATRIOTA

O Senado federal, ao rejeitar a indicação de Guilherme Patriota para embaixador na Organização dos Estados Americanos (OEA), mostra que não é simplesmente um chancelador de nomes indicados pelo Poder Executivo.

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br 

Monte Santo de Minas (MG)

*

HAITIANOS NO BRASIL

Não é racismo, discriminação, apenas uma pergunta: por que os haitianos só vêm para a cidade de São Paulo? Belo Horizonte, Brasília, Salvador, Porto Alegre não servem? Só existe emprego em São Paulo? Na verdade a cidade de São Paulo tem um índice altíssimo de desemprego. Alguém pode responder? Quem sabe o ministro das Cidades? Ou o Instituto Lula? Atenção, o rei, a rainha e toda a realeza estão nus, pelados. Alguém reparou?

Luiz Ress Erdei gzero@zipmail.com.br

Osasco

*

COISAS DO PT

Já que a distância que os haitianos têm de percorrer até o Acre é de quase 9 mil km, e eles chegam sem nenhuma condição financeira, quem paga a conta destes milhares de imigrantes para chegarem até aqui?

Temos condições financeiras e planejamento para recebê-los? Não parece. Coisas do PT...

Luiz Frid luiz.frid@globomail.com 

São Paulo

*

REFUGIADOS

Os países da Europa tiveram a coragem de confessar que não há condição de receber os refugiados africanos com dignidade e respeito, pois não há como oferecer trabalho, emprego, comida e até uma cama para abrigar os refugiados. Talvez o governo brasileiro devesse ter a mesma coragem para confessar isso aos refugiados haitianos que chegam ao País, ao invés de mandá-los clandestinamente para São Paulo. Essa é uma boa oportunidade para o ministério dos Direitos Humanos atuar efetivamente como um Ministério de Estado.

Vagner Ricciardi vbricci@estadao.com.br 

São Vicente 

*

VIOLÊNCIA NO RIO DE JANEIRO

Mais uma morte da Lagoa Rodrigo de Freitas. E vai acontecer o quê? Nada. Com todo o respeito à família e às palavras da filha postadas numa rede social, vai ser mais uma estatística do ISP. Estes ataques vêm acontecendo há tempos e não se toma nenhuma providência. Colocam, nos primeiros dias após um ataque, viaturas e policiais nas ruas. Depois os retiram. Vão afastar o comandante do batalhão do Leblon. A culpa é dele? Claro que não. Sente a falta de recursos, humanos e de material, com os cortes do governo. Este governo corta onde não deve. É míope. Olhem como este governo faz segurança pública. Helicópteros da PM estão parados num hangar, ou por falta de manutenção/peças ou por economia mesmo. Este governo não tem a mínima ideia do que é e como se faz segurança pública. Quando é que a população vai dar um basta? Até quando vai durar a paciência da população?

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com 

Rio de Janeiro

*

MENORES CRIMINOSOS

A diminuição da idade para efeito de criminalizar menores de idade pode ser uma providência importante, porém, mais do que isso seria criminalizar os pais do menor. Os pais são os verdadeiros responsáveis pelos crimes cometidos pelos menores de idade. Onde estão os pais dos bandidos esfaqueadores da Lagoa Rodrigo de Freitas, do Rio de Janeiro? Se a polícia fosse atrás dos pais, muitos menores não seriam o que são: bandidos cruéis e irônicos. Eles riem depois de cometerem os crimes, depois de esfaquearem os turistas, ciclistas e demais vítimas que caem em suas garras.

 

Mário Negrão Borgonovi marionegrao.borgonovi@gmail.com 

Rio de Janeiro

*

CICLISTA ESFAQUEADO

O Rio de Janeiro involuiu para a barbárie. Muito em breve, teremos todos de ir trabalhar com um facão na cintura. O que aguardam as autoridades? Que a violência bata às suas portas?

Ricardo C. Siqueira ricardocsiqueira@globo.com 

Niterói (RJ)

*

AS CICLOVIAS DE SÃO PAULO

O prefeito Fernando Haddad (Malddade) veio para barbarizar a vida dos paulistanos. Sua obsessão por infernizar a vida dos que usam o automóvel por absoluta necessidade é incontestável. Cidade dinâmica, centro nacional do comércio, da produção de bens e da saúde, não mereceu nenhuma atenção deste bárbaro para mitigar a sofreguidão dos motoristas causada pelo trânsito caótico que os deixa em débito com seus compromissos. Preferiu pintar faixas, vermelhas como sua atrasada ideologia, para dar espaço, retirado dos automóveis e das motos, para beneficiar uma mínima parcela da população, naturalmente atleta e capaz de vencer os montanhosos obstáculos de São Paulo.  Vamos a um dado de 19/5/2015. Perdi 13 minutos nos 1.200 m da Rua Vergueiro onde há ciclovia. Portanto, “andei” a 5,5 km/h. Admitindo um espaço de 8 m por carro com apenas uma pessoa, nestes 1,2 km com três faixas congestionadas havia 450 pessoas estressadas em veículos poluidores de uma atmosfera já imprópria para a saúde. Haja hospitais! Porém nestes 13 minutos apenas 5 (cinco) ciclistas usaram a tal de ciclovia. É ou não é bárbaro este “Malddad”?    

 

Antonio C. Gomes da Silva acarlosgs@uol.com.br 

São Paulo

*

HAJA PACIÊNCIA!

Transito diariamente pela Avenida Joaquina Ramalho, em Vila Guilherme, zona norte de São Paulo. Passo por ela entre 6 horas e 6h30 para ir trabalhar, entre 11 horas e 11h30 para ir almoçar, entre 12 horas e 12h30 para voltar ao trabalho e, finalmente, entre 17 horas e 17h30 para voltar à minha casa após o trabalho. Foi feita uma gigante ciclovia nesta rua, em toda a sua extensão (será que houve uma pesquisa para a realização de tal obra?). Pois bem, nesses horários em que passo por essa rua, NUNCA vi um só ciclista usando a tal ciclovia. Gostaria que o prefeito Haddad e seus assessores fossem até este local para constatar a veracidade de minha informação. E tem mais: a cada dia estão “incrementando” mais a tal ciclovia, instalando olhos de gato, vários postinhos de meio metro de altura, não sei para quê. Agora só falta colocarem cobertura e sistema de aquecimento para os dias frios! Poxa, sr. Haddad, pare com isso! Estamos carentes de piscinões, de escolas, de creches, de hospitais, de segurança! E o senhor pensando em ciclovias! Haja paciência!

Paschoal L. Paione paione@cantareira.br 

São Paulo

*

SAQUE DO PASEP SUSPENSO

Na segunda-feira, dirigi-me a uma agência do Banco do Brasil para efetuar o saque do Pasep, em razão de aposentadoria, e tive duas surpresas: a primeira, o valor do saldo, e a segunda, ao me informarem que por determinação do Estado o saque estava suspenso por tempo indeterminado. Gostaria de saber se até para receber o Pasep o funcionário terá de ingressar na Justiça e esperar mais 20 anos até sair uma sentença favorável definitiva e mais 10 anos para pagamento via precatório. 

Wilson Rossi wilson.prossi@gmail.com 

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.