Fórum dos Leitores

ARROCHO ORÇAMENTÁRIO

O Estado de S. Paulo

23 Maio 2015 | 03h00

Corte em saúde e educação

A PresidenTa cortou R$ 20 bilhões no orçamento da saúde e da educação, justamente os setores vitais que necessitam de mais verba. Os países que progridem jamais fizeram isso, ver a Coreia do Sul, que nos ultrapassou de longe investindo em educação. E ela ainda aumenta os impostos nos artigos que consumimos no nosso dia a dia, aumentando, assim, nosso custo de vida. Mas corte nas despesas dela e deles, jamais. Ao contrário, aumento nos respectivos orçamentos e “salários”. Realmente, o subdesenvolvimento manifesta-se em todas as oportunidades...

NELSON CARVALHO

nscarv@gmail.com

São Paulo

E as outras páginas?

A presidente Dilma Rousseff espera a aprovação do “assalto” fiscal no Congresso porque, alegou, “para o Brasil virar esta página é fundamental que nós façamos um ajuste”. Ela não tocou, entretanto, nas razões que levaram ao atual estado calamitoso do Brasil, razão do ajuste e consequência direta do jeito do PT de (des)governar o País. A pergunta que não quer calar: podemos esperar desempenho igual introduzindo reformas que viram as páginas mais importantes para o Brasil, como corrupção profunda, má administração da coisa pública e de sistema político visivelmente não funcional?

OMAR EL SEOUD

elseoud.usp@gmail.com

São Paulo


Eu viro essa página desde que seja a última do romance de horror patético do PT.

SERGIO S. DE OLIVEIRA

ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

A presidente delira

Dilma Rousseff a cada dia se supera no seu desrespeito à Nação. Não é que ela teve a coragem de dizer que o corte no Orçamento da União, de R$ 70 bilhões, não vai paralisar o governo?! Dilma ainda não percebeu que o País já está parado? Que o desemprego está em alta, a inflação se aproxima dos 9%, a maioria dos consumidores e empresas está inadimplente e o crédito, caro e restrito? Todos sabemos que esse governo incompetente e mentiroso não vai parar é com o superfaturamento nas obras, nas compras de medicamentos, etc. Tampouco vai parar de acomodar milhares de camaradas improdutivos em cargos de confiança, com altos salários e direito a desvios de recursos das estatais, etc. Ou seja, corrupção com a marca petista e com “porteira fechada”.

PAULO PANOSSIAN

paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

Ajustes

Após o ajuste fiscal o Brasil precisará urgentemente de um ajuste moral. Mas existirá um Joaquim Levy para implementá-lo? E se houver, contará com apoio político suficiente para aprová-lo?

WALTER MENEZES

wm-menezes@uol.com.br

São Roque 

LULOPETISMO

Trem desgovernado

Provocante questionamento nos traz Fernando Gabeira (22/5, A2): Para onde vai esse trem? Sabe-se que vai desgovernado, destrambelhado, perdido no denso nevoeiro da mais inacreditável e vergonhosa rede de corrupção, que jamais se viu tamanha e tão próspera por estas terras brasílicas. Ela, a corrupção, veste talar, obrigatória, no mundo da política, ora às escâncaras, ora oculta, sempre despudorada, por onde se acompadriam autoridades, de todas as cores, siglas partidárias e idades (raríssimas exceções, se é que existem, tenho cá minhas dúvidas); em que se dão as mãos políticos e autoridades, entre sorrisos e afagos, no consilium fraudis, por onde trafegam os atuais poderosos deste trem em que nós, os brasileiros, vamos embarcados. Quando não se sabe a que porto se dirigir, jamais sopram os bons ventos, dizem os navegantes. Infelizmente, no Brasil já isso não ocorre, pois os bons ventos sopram, de um tempo a esta parte, só a favor dos apaniguados do poder. Posto que agora se cosem as togas dos srs. ministros do Supremo na alfaiataria do PT, à moda e medida imposta por dona Dilma Rousseff (pelo “modelito” do chefe oculto, Lula). Assim, o descrédito em punição exemplar para essa que foi a maior roubalheira jamais vista ganha força, e vem dobrado já pela escancarada simpatia de uns pelo PT, já pelo comprometimento profissional de outros que advogaram pró-PT. Assim, pelas ardilosas manobras do Planalto, não será muito difícil concluirmos para onde vai esse trem. E agora, para desviar a atenção de que tudo vai terminar em pizza, temos os negócios da China! Como se chama mesmo “propina” em mandarim?

ANTONIO BONIVAL CAMARGO

bonival@camargoecamargo.adv.br

São Paulo


Somente um recado para Fernando Gabeira: para o que você quer, que é o que todos queremos, faltam estadistas. O Brasil hoje é um deserto de estadistas.

MARCELO GUTERMAN

margutbr@gmail.com

São Paulo

Seca-pimenteira

O PT deveria mudar de sigla para PSP, Partido Seca-Pimenteira: onde os cumpanheiros põem a mão, seca. Agora até vacina BCG está em falta. Eita, partidinho!

PEDRO PAULO DE BARROS SOUSA

eng.pedropaulo@gmail.com

Ubatuba

SEGURANÇA NACIONAL

Isonomia

O Estado de ontem noticia que o oficial da reserva da Marinha Sérgio Luiz Zorowich é investigado em inquérito da Polícia Federal (PF) por suposta violação do artigo 23 da Lei de Segurança Nacional, que prevê pena para quem incitar “subversão da ordem política ou social” ou “animosidade entre as Forças Armadas ou entre estas e as classes sociais ou as instituições civis”. Causa perplexidade que o mesmo zelo não tenha sido adotado pela PF ou pelo Ministério Público Federal em relação ao ex-presidente Lula da Silva, que reiteradamente prega a luta entre classes sociais no País e, em ato público em fevereiro, ameaçou chamar o “exército do Stédile”, líder do MST, para acabar com as pacíficas manifestações contra a corrupção nos governos petistas.

SERGIO SARAIVA RIDEL

sergiosridel@ig.com.br

São Paulo


Alô, PF, então o aposentado Zorowich não pode defender a intervenção militar e o aposentado Lula pode convocar o “exército do Stédile”? Dois pesos e duas medidas? Não entendi.

JOSÉ CARLOS THOMAZ

josecthomaz@gmail.com

São Paulo


É, se a PF enquadra o capitão Zorowich, quando vai enquadrar o Lula por ameaçar a ordem pública com o “exército de Stédile”?

MARIUS ARANTES RATHSAM

mariusrathsam@hotmail.com

São Paulo

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br



A LUTA INGLÓRIA DE LEVY  


Que tarefa inglória esta do ministro Joaquim Levy!  Convidado que foi, até a contragosto de Dilma, para tentar a última cartada para salvar ou minorar o grande estrago promovido pela presidente na nossa economia, este competente profissional amarga dificuldades para pôr seu plano de ajuste fiscal em prática. Ora, isso por causa da briga interna no PT, que segue desfigurado, da falta de chão moral perante a opinião publica e pela contenda irracional de aliados com o Planalto, também envolvidos no petrolão. Neste jogo de quem tem mais poder, sofre a nossa sociedade, e as medidas provisórias que balizam o ajuste fiscal de Levy, que dependem da votação no Parlamento, estão sendo desfiguradas. Certamente, será difícil de obter a meta de superávit primário de 1,2% do PIB em 2015. Mesmo assim, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, coloca mais lenha na fogueira das pretensões de Levy, e decide adiar a votação para junho do projeto de desoneração da folha de pagamento, prejudicando a definição do ajuste fiscal para o mercado. E o Senado não fica atrás: decide aprovar ainda em comissão um reajuste de até 78,65% para o Judiciário, o que vai onerar ainda este ano o Tesouro em mais R$ 1,5 bilhão. Renan Calheiros, atolado até o pescoço na Operação Lava Jato, ameaça não aprovar as MPs 664 e 665, do ajuste fiscal, se Dilma confirmar que vai vetar o novo sistema de aposentadoria votado na Câmara, que enterra o fator previdenciário – diga-se, com a ajuda do próprio PSDB, que não honra este importante avanço da gestão de FHC, sem o qual a Previdência iria à bancarrota. Infelizmente, esta é a estúpida classe política que se lixa para a economia parada, o desemprego crescente, a inflação alta, o tomate e a cebola a R$ 8,00 o quilo...   


Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos


*

O INFERNO DEIXADO POR DILMA


Vamos bem com este governo. Depois de Dilma ter  usado as pedalada fiscais, o ministro da Fazenda vem com as tesouradas. O corte deveria ser no governo, mas, ao contrário, quem está levando a pior são os trabalhadores que pagarão por uma conta que não fizeram. Em país sério, o governo teria caído. Aqui, vai ficar iludindo o povo e daqui a pouco estaremos como a Venezuela. O eleitor é o grande culpado por dar crédito às mentiras contadas por dona Dilma. Fez o diabo para se reeleger e nós é que estamos no inferno dos preços abusivos, juros escorchantes, inflação nas alturas, desemprego, etc.  Brasil, um país de tolos! 

 

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com 

São Paulo


*

MAIS IMPOSTOS?


Se o governo aumentar os impostos toda vez que a arrecadação cair, daqui a pouco o brasileiro não vai estar ganhando nem para pagar impostos, mesmo aqueles que estão pleiteando 75% de reajuste salarial. Alguém já assistiu a este filme: inflação aumenta, consumo cai, desemprego aumenta, arrecadação cai, imposto aumenta, consumo cai, desemprego aumenta, arrecadação cai, imposto aumenta... Será que sobreviveremos até a próxima eleição presidencial em 2018? Ou é melhor pedir ajuda às Forças Armadas?


Maria Carmen Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br 

Americana


*

O AJUSTE FISCAL

 

Nunca na história deste país os deputados e senadores tiveram tantas oportunidades de fazer trocas, acertos, achaques e outras maracutaias com dona Dilma Rousseff, cujas mentiras de campanha estão custando caríssimo para o Brasil e os brasileiros, e muito pouco para ela. Aos poucos, liberam cargos. Na primeira leva da troca, foram 75 cargos de segundo e de terceiro escalões, indo a distribuição num crescendo até o ponto em que o locupletamento atinja o máximo possível. E nunca na história deste país se viu tanto roubo, tanta discórdia e tanta imoralidade política, obviamente introduzidos pelo lulopetismo, corrente política extremamente competente para realizar maracutaias visando à permanência no poder. Os pobres? Coitados, sempre foram massa de manobra dessa canalha política!


José C. de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br 

Rio Claro


*

EDUARDO CUNHA


Eduardo Cunha (PMDB-RJ) surgiu com Collor, dirigindo a Telerj pela mão de PC Farias, ligou-se ao PPB e aliou-se ao empresário Francisco Silva, da Sara Nossa Terra, aproximando-se de Anthony Garotinho, e foi presidente da Companhia de Habitação. Virou deputado com os votos da força evangélica e, agora, preside a Câmara dos Deputados. Aparentemente, sempre com as mãos sujas, e agora a Operação Lava Jato quer limpá-la. Conseguirá?

 

Roberto Nascimento robenasya@yahoo.com.br    

São Paulo


*

INVESTIMENTO CHINÊS


A assinatura de acordos comerciais com previsão de investimentos bilionários por parte da China em vários setores da economia brasileira é um fato que merece muita comemoração. E que sirva também para dar uma injeção de ânimo positivo aos pessimistas contumazes, que sabem apenas criticar o atual governo, sem levar em consideração que nosso sistema é capitalista. E mais, estamos sofrendo agora os reflexos da crise da Europa e dos Estados Unidos, os mercados de nossa produção agrícola, das commodities e minérios, entre outros.


Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br  

Santos


*

CHINA SALVADORA


Nossa inocência e credibilidade são comoventemente pueris. Agora, quem nos vai salvar da falência econômica e do caos são os chineses. Esse povo, nossos antípodas geográficos e culturais, é um enigma que jamais um ocidental poderá decifrar. Com sua cultura multimilenar, são frios, cruéis e obstinados na consecução de seus objetivos nacionais. Melhor faríamos nos deixando “explorar” pelos ocidentais do Primeiro Mundo, ao qual pertencemos, do que pelos orientais do Segundo Mundo, com o qual nada temos que ver. Isso me lembra a piada dos soldados alemães da 2.ª Guerra Mundial (1939-1945), que, perguntados de que lado gostariam de lutar, se com os aliados das democracias ocidentais ou se ao lado dos comunistas russos, responderam preferir os russos. Surpresos, os inquiridores perguntaram por quê. A resposta foi: “Porque preferimos ser prisioneiros dos aliados”. Os alemães estavam certos. Os errados somos nós, e com atraso de mais de 70 anos.


Mário Rubens Costa costamar31@terra.com.br 

Campinas


*

FANTASIA OU REALIDADE?

 

Segundo as manchetes dos jornais desta semana: chineses vão construir base polar do Brasil; China quer produzir navios no Rio; primeiro-ministro chinês promete investir R$ 50 bilhões no Brasil; empresas chinesas vão fornecer mais de 100 trens para o Rio de Janeiro; Petrobrás levanta mais de US$ 3 bilhões com chineses. Será que essas notícias fazem parte do PEPt 2 (a “Propaganda Enganosa do PT 2”)? Diante desta maravilha, alguém poderia me informar como anda a transposição do Rio São Francisco?

  

Jorge Eduardo nudel jorgenudel@Hotmail.com

São Paulo


*

PROPAGANDA


Devem ser estratégia do sr. João Santana a rapidez e o volume de acordos firmados e mostrados pela mídia entre China e Brasil. Aliás, cabe uma pergunta: são negócios da China para eles ou para nós? Ah! Só para lembrar: o trem para o Peru sai antes ou depois do trem-bala?!


Eduardo Augusto Delgado Filho e.delgadofilho@gmail.com  

Campinas


*

SE...


A presidente Dilma e o primeiro-ministro chinês, Li Keqiang, assinaram acordos bilaterais acima dos R$ 53 bilhões, nas áreas de planejamento, infraestrutura, comércio, energia e mineração, só para citar alguns. Seria um verdadeiro “negócio da China”, se os prazos não fossem tão extensos, se o País não estivesse tão carente de propaganda positiva e, finalmente, se o histórico China-Brasil não contasse com tantas promessas que nunca saíram do papel. 


Ricardo C. Siqueira ricardocsiqueira@globo.com  

Niterói (RJ)


*

PT É PT


Diriam os petistas radicais que estamos nos rendendo ao império chinês, com os acordos assinados pelo governo Dilma? Eles não odeiam impérios? PT é PT e estamos conversados.


José Roberto Iglesias rzeiglesias@gmail.com 

São Paulo


*

NEGÓCIO PARA A CHINA


Brasil em baixa, um negócio da China... para a China!


J. S. Decol  decoljs@globo.com 

São Paulo


*

PONTO COM NÓ


Quanto será que vai custar essa “parceria” com a China? Eles não dão ponto sem nó! Logo saberemos a realidade e, como sempre, iremos pagar a conta.


Laert Pinto Barbosa laert_barbosa@globo.com  

São Paulo


*

O SIGILO DE COLLOR


O Ministério Público, que julgou Fernando Collor de Melo quando presidente da República, o inocentou por falta de provas, já que naquela época o Brasil era pobre em informática, o que impedia cruzamento de contas, sigilo telefônico, etc. Hoje, quem sabe ao ter o sigilo de sua conta bancária quebrado pela Operação Lava Jato, vamos ter finalmente provas suficientes para trancafiá-lo, já que também está envolvido no petrolão. Os brasileiros lesados pelo desastroso confisco da poupança feito em seu governo agradecem! Antes tarde do que nunca e que a justiça seja feita.


Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br 

São Paulo


*

COLLOR E JANOT


A meu ver foi irretocável, firme e esclarecedor o discurso do senador Fernando Collor salientando e repudiando as ações e a gestão do procurador-geral da República, Rodrigo Janot. Collor desmascarou a vestal grávida de Janot. Reiterou que Janot não respeita o Legislativo, agindo segundo suas conveniências pessoais, chegando ao cúmulo de escolher quais os deputados e senadores devem ser processados. No entender de Collor, parlamentares não podem nem devem dobrar a espinha para os arreganhos de Janot nem temer o que chamou de “populismo jurídico” do procurador-geral. 


Vicente Limongi Netto limonginetto@hotmail.com  

Brasília


*

O CONFISCO


Propício também seria o Supremo Tribunal Federal quebrar o sigilo bancário de Collor por ocasião da implantação do Plano Cruzado, que confiscou nosso dinheiro. Isso com a finalidade de averiguar se, entre as retenções, havia dinheiro dele, de seus parentes, familiares, amigos e políticos de seu partido e partidos aliados, né não?


Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br  

São Paulo


*

ACORDANDO O POVO BRASILEIRO


Em 1991 a imprensa denunciou a existência de uma máfia no INSS, com juízes e promotores fraudando documentos do instituto, o que provocou um rombo calculado em R$ 50 milhões. Em 1992 mais uma denúncia: Fernando Collor e Paulo Cezar Farias. Neste caso, a estimativa do desvio ficou em torno de R$ 1 bilhão. Em 1993 apareceu a Máfia do Orçamento, com desvio anunciado em torno de R$ 100 milhões. Em 1996 a imprensa passou para o povo a notícia de que Pedrinho Abraão, deputado pelo PTB-GO, tentou receber R$ 1,7 milhão de uma empreiteira para garantir recursos para uma obra do OGU. Neste mesmo ano de 1996 foram descobertas irregularidades na venda de títulos públicos emitidos para pagamento de dívidas, e o rombo foi estimado em R$ 500 milhões. Parece-nos que os esclarecimentos para esses casos citados aqui pararam no tempo. Em todas essas ilicitudes apareceram sempre nomes de alguns deputados, senadores e de seus partidos políticos. Com certeza, durante o governo militar, os atos institucionais teriam punido toda essa cambada. Depois desses casos supracitados, alguém ainda tem dúvidas de como vai ficar o caso das roubalheiras na Petrobrás? Eu não, com certeza todos vão ficar bem financeiramente, em estado de graça, em suas residências e rindo da gente. Acorda, Brasil.

 

Leônidas Marques  leo_vr@terra.com.br 

Volta Redonda (RJ)


*

‘MODUS OPERANDI’

 

É racionalmente dedutível que a lucrativa forma de operar os achaques na Petrobrás também foi praticada em outras atividades, não só na petroleira. O rendoso “modus operandi” em intermediações provavelmente aconteceu aqui e no exterior por ocasião dos empréstimos subsidiados, de pai para filho, do BNDES; ainda mais que o foram sob o rótulo de “sigilo bancário”. É até criminoso, ao constatar que o governo brasileiro, sem recursos para atender internamente às mais elementares carências básicas (saúde, segurança, educação, infraestrutura), financiar as expensas do povo brasileiro, via BNDES, “democracias de ditadores”. Tudo indica que o “modus operandi” praticado na Petrobrás também o foi no BNDES.


Humberto Schuwartz Soares hs-soares@uol.com.br 

Vila Velha (ES)


*

GOLPE DUPLO


Sempre de olho gordo no FGTS, depois de liberar 40% dos saldos para comprar ações da Petrobrás, o governo pretende, agora, “atrair” 30% dos saldos para aplicar em fundos de infraestrutura? É complicado!


Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br 

Monte Santo de Minas (MG)


*

LULA E O PROGRAMA DO PSDB


O programa do PSDB atualmente veiculado na TV provocou no ex-presidente Lula uma grande revolta. É perigoso ter na cabeça pensamentos de cólera e as mãos desocupadas. Não se faça de vítima, Lula, aceite as verdades demonstradas e as investigações da Justiça. Descarregue todo o seu ódio ocupando suas mãos: vá plantar batatas em seu sítio! 


Fábio Haddad fabhaddad@ig.com.br 

Campinas 


*

ESPERNEIO


Após o programa eleitoral do PSDB, o PT apelou para o “jus sperniandi”. Tem todo direito. É só o que lhe resta.


Luiz Frid luiz.frid@globomail.com 

São Paulo


*

TUCANOS PARTEM PARA O ATAQUE


Em cima do muro, os tucanos “pavões” empinam o rabo emplumado e grasnam como urubus, fazendo de conta que são oposição de um governo comunista que eles mesmos ajudaram a implantar. Êta paisinho de marrecos, pensando que são cisnes!


Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo


*

O TEMPO DIRÁ


O PT, esfacelador da economia e arrivista de poder, finge que governa mas se recolhe, encastelado; o PSDB, hesitante, com dinossauros a facilitarem o aparelhamento do judiciário, simula oposição; o PMDB, situação, quando convém às aspirações pessoais de seus líderes, e contra, quando estas não são atendidas; ex-presidente fantasma, com medo de panelaço, que, em ambiente fechado e controlado, esbraveja fórmulas e desfralda estandartes arcaicos que não enganam mais; esquerda cabocla, a que se diz autêntica, representada por partidos quasímodos, perdida, sem propostas, discurso parecido com o de antigos diretórios acadêmicos universitários; ajuste fiscal implorado por quem foi obrigado a criá-lo, após campanha mentirosa para reeleição presidencial  que prometia o oposto; clima de corrupção do qual a sociedade não consegue se livrar nem  atingir as reais origens. Mais mas não menos pior: taxa constrangedora de homicídios, se comparada inclusive com o número de mortes em regiões conflagradas; educação mal ranqueada em relação até a países em desenvolvimento, indigna de pertencer a uma anunciada "pátria educadora"; guerras prometidas por organizações ilegais, com projetos políticos travestidos de reforma agrária; paraíso de drogas que estão provocando a decomposição da juventude. Fim da lista?  Na verdade, o exposto é somente parte de um painel maior que precisa ser corrigido, sob risco de ser perigosamente desfigurado. Retrato pessimista?  O tempo dirá.


Paulo Roberto Gotaç prgotac@Hotmail.com

Rio de Janeiro


*

QUE OPOSIÇÃO É ESTA?


Não se uniu para impedir a aprovação de Luiz Edson Fachin para o Supremo Tribunal Federal (STF), e agora o PT agora só sai do poder se quiser, ou se for derrubado por golpe popular, com apoio do exército.

 

Roberto Moreira da Silva rrobertoms@uol.com.br 

São Paulo


*

SEM MORAL


Deveria ser unânime a aprovação de um indicado ao STF, pelo simples motivo (mas não menos importante) de o mesmo não ser postulante, mas reconhecido pessoal e profissionalmente. Esses  11 indivíduos que lá estão são quase espartanos, pois, dada sua capacidade, certamente poderiam estar lotados em grandes bancas jurídicas, com belíssimos rendimentos, menos exposição e escolhendo a dedo os trabalhos, mas, ao revés, optam por servir o País. Imaginamos (mas é impublicável) o que pensam esses sabatinados, que colocam sua reputação (e escancaram sua vida) para avaliação e validação de Renan (aquele do pagamento da pensão para a amante com dinheiro de origem duvidosa, etc.), Collor (precisa comentar?), Jader Barbalho (que renunciou ao cargo pelas acusações de desvio de dinheiro da Sudam, Banpará e Incra), Lobão (caso mais recente é a Operação Lava Jato), etc. O Senado (e todo o resto) tem moral para aprovar alguém? 


Marco Dulgheroff Novais marcodnovais@hotmail.com

São Paulo


*

MAL REPRESENTADOS


Nós estamos tão mal representados politicamente que na atual conjuntura já  não sabemos mais quem é situação ou oposição.

 

Marcos Catap marcoscatap@uol.com.br

São Paulo


*

PASMACEIRA


Tucanos pamonhas, vocês receberam 51 milhões de votos para quê?


Joaquim Quintino Filho jqf@terra.com.br 

Pirassununga


*

VIOLÊNCIA NO RIO DE JANEIRO


A propósito do assassinato do médico Jaime Gold, que passeava na Lagoa Rodrigo de Freitas (RJ) com sua bicicleta, foi viralizada nas redes sociais a infeliz opinião de uma petista chamada Lea Imperiana, que – acredite se quiser – encontrou forças para justificar o acontecido sob o argumento de que “quem não garante que o roubo da bicicleta não foi para trocar por alimentos para sua família?”. Afinal, pontificou a seguidora de Lula (ela termina suas linhas com um #Lula2018), a “elite carioca adora exibir seus bens materiais caros na Lagoa, esfregar na cara dos mais pobres sua ótima situação financeira”. E por aí foi o show de imbecilidade da desmiolada. Ora, pobreza não é nem jamais foi justificativa para tirar a vida de um semelhante. Se fosse assim, a Índia seria um lugar muito perigoso para viver, mas ocorre justamente o contrário. Ademais, é preciso acabar com essa falácia de que existe um negro criminoso, um pobre criminoso, um adolescente criminoso... e que para estes a lei tem de ser mais tolerante,  branda o suficiente para livrá-los das penas por seus atos. Quem comete crimes – e, mais ainda, crimes hediondos como este de agora – deve pagar, e caro, de preferência sendo afastado da sociedade por longo período, senão por todo o sempre, afinal é para isso que existe a prisão perpétua, infelizmente em desuso por aqui. O fato é que existem criminosos que são irrecuperáveis. Essa lenga-lenga de “ressocializar”, de “reeducar” certos indivíduos – ainda mais nessa enorme pocilga que é o sistema penitenciário – é hipocrisia esquerdista vocalizada pelos que estão interessados em acusar a sociedade “capitalista” por tudo de errado que acontece e, de quebra, justificar todas as barbaridades perpetradas por seus anjinhos de estimação – não é mesmo, deputada Maria do Rosário? Melhor que as leis fossem revistas para que se retirassem de circulação todos – sejam “di menor” ou maiores de idade – os que cometam essas atrocidades. E ponto final.


Silvio Natal silvionatal49@gmail.com 

São Paulo


*

DESPREPARO E ARROGÂNCIA


A fala do prefeito do Rio de Janeiro, de que “menor cometendo crime é problema da polícia”, demonstra o despreparo e a arrogância do atual alcaide. Quando um menor comete um crime, o problema é a insegurança generalizada do Rio de Janeiro, a educação calamitosa, programas sociais inexistentes, e o cometimento de um crime neste caso é um fim e um meio desastroso. O prefeito está precisando ler mais.


Marcos Barbosa micabarbosa@gmail.com 

Casa Branca


*

TOLERÂNCIA ZERO


De nada adianta a polícia paulista, carioca ou de qualquer outro Estado apurar com afinco somente crimes violentos cometidos contra pessoas de classe média ou alta e, portanto, amplamente divulgados pela mídia. O menor apreendido no Rio de Janeiro, suspeito de esfaquear o médico na Lagoa Rodrigo de Freitas, tem nada menos que 15 passagens pela polícia! O País precisa de política pública de segurança consistente e que deve necessariamente incluir o conceito de tolerância zero. 


Luciano Harary lharary@hotmail.com 

São Paulo


*

FALOU BOBAGEM


No meio desta violência que intranquiliza o morador do Rio de Janeiro, com assaltos, sequestros, homicídios, tiroteios, menores atacando com faca e matando pessoas, etc., o governador Luiz Pezão disse “de que adianta prender, se o desembargador vai soltar?”. Até o secretário de Segurança Pública, Beltrame, aconselhou pensar duas vezes antes de chamar a polícia. O governador generalizou ao falar em desembargador, pode ser qualquer um. Só que ele se esquece de que o desembargador está fazendo o que diz a lei. O desembargador até pode, pessoalmente, ser contra o que vai fazer, mas não pode deixar de fazê-lo. É a lei. Coisa que o governador não faz, que é cumprir a lei. Se a cumprisse, não estaria o cidadão sentindo-se inseguro em qualquer lugar ou a qualquer hora do dia. Não teríamos filas de madrugada nos hospitais estaduais para atender a população. Não teríamos cenário de guerra ao entrar num hospital com pacientes atendidos no chão. Não teríamos escolas caindo aos pedaços, enfim, não teríamos a deterioração dos serviços públicos e outras mazelas. O governador falou bobagem. Tem de fazer o dever de casa.


Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com 

Rio de Janeiro


*

OLHO POR OLHO


Um dia um policial tirou a vida de dois adolescentes envolvidos com  o tráfico de drogas. Noutro dia, menores tiram a vida de um médico. Direitos humanos, OAB e congêneres não se pronunciaram. Sinceramente, dou parabéns ao policial. Ele apenas antecipou uma medida que seria necessária futuramente. Assim ficamos livres já de dois marginais. E, quanto ao marginal que desde os 12 anos praticava crimes, pena não ter por perto aquele policial citado. Bandido bom é bandido morto.


Iria De Sá Dodde iriadodde@hotmail.com 

Rio de Janeiro


*

VIOLÊNCIA E FEROCIDADE


Entre nossos grandes problemas a necessitar de urgentes e prementes soluções está o da violência urbana nas nossas cidades. Tal prioridade de correção, em face, por exemplo, do escandaloso e brutal número de 50 mil mortes violentas em oito anos no Rio, deve merecer por parte de todas as nossas legítimas lideranças a mais atenta operacionalidade de resolução, sob pena de vermos o País cair num turbilhão de ferocidade que atingirá a todos sem distinção de classe social ou econômica. 


José de A. Nobre de Almeida josedalmeida@globo.com 

Rio de Janeiro


*

DESARMAMENTO DE FACAS JÁ!


Diante do calamitoso aumento dos crimes praticados com facas, é imperioso que se desencadeie uma imediata campanha pelo desarmamento de armas brancas. As senhoras donas de casa, os açougueiros, os chefes de cozinha e os churrasqueiros estão instados a entregar todos os seus objetos cortantes perfurantes. As ONGs, sempre ativas junto com a turma dos direitos humanos, e a mídia engajada promoverão uma vigorosa campanha. Tenho certeza de que será um absoluto sucesso. Só não sei se os bandidos vão participar, mas aí também já é querer demais.


Marco Antonio Esteves Balbi mbalbi69@globo.com 

Rio de Janeiro


*

VERGONHOSA SEGURANÇA PÚBLICA


No Brasil, a questão da segurança nacional jamais é enfrentada. Simplesmente não interessa! Nossas leis fracas e lenientes com o crime jamais são reformadas de forma efetiva e severa. Simplesmente não podemos ter uma lei de execução penal que premia o crime e passa a mão na cabeça de todo marginal. Nossa justiça, que deve e tem de sofrer profunda reforma institucional, deveria chamar-se justiça para a defesa permanente de marginais. Uma profunda reforma penitenciária, com a obrigatoriedade de o preso trabalhar, o que implicaria reforma constitucional e a criação de dotação orçamentária específica para a reforma e instrumentalização das prisões, jamais é feita. Enfim, toda a realidade legal do Brasil é feita em prol do criminoso. E, sem mudar essa mentalidade de vitimização social do criminoso, jamais haverá defesa do cidadão de bem. Pior, o governo federal jamais teve qualquer interesse nessa matéria. No Brasil, falta interesse de fazer. Apenas isso!


Paulo Alves pauloroberto.s.alves@hotmail.com 

Rio de Janeiro


*

RIO DE JANEIRO E OLIMPÍADA 2016


Será que um turista brasileiro, de bom senso, teria coragem de assistir aos Jogos Olímpicos, em qualquer cidade do planeta em que se deparasse com notícias como, por exemplo: um ciclista esfaqueado em plena luz do dia, balas perdidas matando inocentes, enfrentamento entre bando de traficantes para domínio dos pontos de vendas de drogas, arrastões nas praias, milícias agindo como mafiosos, cobrando pedágio dos moradores e comerciantes, policiais presos, ora como executores ou corruptos, políticos envolvidos com o crime organizado, além de corruptos? Tudo isso e mais alguma coisa acontece na cidade do Rio de Janeiro. Portanto, não seria mais prudente, antes desta pretensa grandeza de sediar Copa do Mundo e Olimpíada, resolver o problema da falta de segurança, não só do carioca, mais de todo o Brasil? Infelizmente, o governo petista não pensou nas consequências, como também está enterrando bilhões de reais desviados da própria segurança, da saúde e da educação. Mais uma vez vamos passar vergonha, pela falta de responsabilidade destes energúmenos.

 

Olavo Fortes Campos Rodrigues olavo_terceiro@hotmail.com 

São Paulo


*

HAITIANOS NO BRASIL


Esta remessa permanente de gente pobre e desvalida do Haiti para São Paulo é algo injustificável. O Brasil ajudaria muito mais o Haiti realizando inversões econômicas no país e ajudando na transformação da sua infraestrutura. Nós, os contribuintes brasileiros, ficarmos sustentando haitianos via Bolsa Família é um verdadeiro absurdo! Coisa própria de um governo sem rumo e que só utiliza o princípio do paternalismo da miséria como política de ganho eleitoral. O Brasil não tem a mínima condição de ficar sustentando essas pessoas e São Paulo, cidade caríssima, não pode ficar aceitando uma política federal insana e de permanente aprofundamento dos problemas sociais. 


Paulo R. da Silva Alves pauloroberto.s.alves@hotmail.com 

Rio de Janeiro


*

DESTINO BRASÍLIA


É  muito fácil  posar de boazinha, ficar com o bônus político e empurrar o ônus  para o quintal dos outros. Já que veio de Brasília a decisão de permitir a entrada dos haitianos no Brasil, é para lá que eles deveriam ir direto, e não para o Acre, São Paulo ou qualquer outro Estado da Federação.


João Manuel Carvalho Maio clinicamaio@terra.com.br

São José dos Campos


*

EM BOAS MÃOS


Em 2008 e 2009, quando a Europa derretia na pior crise em muitos anos, ninguém no governo pensou em criar uma lei que atraísse para o Brasil uma legião de engenheiros, médicos e técnicos de alto nível que tinham perdido o emprego para se transferirem para o Brasil. Agora, o Estado do Acre, governado pelo PT, resolve trazer várias centenas de pobres haitianos, despreparados, que não conseguirão se incorporar à nossa mão de obra e que, coitados, irão se integrar ao crime organizado para serem mortos em pouco tempo. É uma bela demonstração de visão e planejamento estratégico. Estamos realmente em boas mãos!


Aldo Bertolucci accpbertolucci@terra.com.br 

São Paulo


*

NOVA MODA


Esta nova moda patrocinada pelo PT, de trazer haitianos para o Brasil, me fez refletir e perguntar: por que o governo do Acre não diversifica o despacho? Tenho convicção de que Minas Gerais, por meio do governo Fernando Pimentel, irá recebê-los de braços abertos, assim como a Bahia. Por que somente São Paulo tem de arcar com esse ônus? Também acho que os países do Mercosul deveriam abrir suas portas a esses sofredores.


Ademar Monteiro de Moraes ammoraes57@hotmail.com 

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.