Fórum dos leitores

CORRUPÇÃO

O Estado de S. Paulo

29 Maio 2015 | 03h00

Semelhanças e coincidências

Pipocam na mídia notícias e declarações sobre o escândalo da hora, em que mais uma vez, para vergonha dos brasileiros, vemos nosso país envolvido em tenebrosas transações. José Maria Marin, ao ser preso, diz: “Por que só eu? E os outros?”. E lá do México nossa digníssima presidenta (que só dá declarações no exterior para poupar as panelas) diz que, se vão investigar a Copa no Brasil, que se investiguem todas (ato falho?). Autoridades europeias defendem a saída de Joseph Blatter do comando da Fifa, alegando ser “impossível reconstruir a entidade com o suíço no cargo”. O presidente da federação inglesa diz que, “se ele não renunciar por conta própria, será preciso encontrar uma terceira via”. Nestes tempos em que o tédio já se manifesta ante as notícias de vergonhosos escândalos que os jornais estampam todas as manhãs, a gente até se confunde. A simples substituição dos nomes da Fifa e de seu presidente por Brasil e Dilma nos leva a constatar que qualquer semelhança não é mera coincidência.

ANGELA CARACIK

angelacaracik@terra.com.br

São Paulo

*

O fifão

Os conselheiros da Fifa Ricardo Teixeira e José Maria Marin pisaram feio na bola. Joseph Blatter, o chefão, não sabia nem desconfiava de nada e agora provavelmente se sente traído pelos “companheiros”. Qualquer semelhança é mera coincidência. 

OMAR EL SEOUD

elseoud.usp@gmail.com

São Paulo

*

Crime benéfico?!

Dilma Rousseff afirmou que a investigação sobre a corrupção na Fifa será benéfica para o nosso país. Ora, ora, desde quando um país pode ser beneficiado com assaltos ao dinheiro público?

VIRGÍLIO MELHADO PASSONI

mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

Copa no Brasil

A Dilma dizer que o escândalo da Fifa será benéfico para o futebol brasileiro é puro oportunismo, já que, se não ela, o PT é o responsável por todas as mazelas da Copa realizada no País, inclusive com estádios elefantes brancos caríssimos, para não dizer outra coisa.

OSWALDO B. PEREIRA FILHO

oswaldocps@terra.com.br

Campinas 

*

Será que compraram o direito de realizar a Copa no Brasil com dinheiro do petrolão?

LUIZ RESS ERDEI

gzero@zipmail.com.br

Osasco

*

Petrolão e seleção 

Dilma declarou em recente entrevista que a Petrobrás é tão importante para o Brasil quanto a seleção de futebol. Com a prisão do cartola José Maria Marin e a devassa da roubalheira na Fifa e na CBF, finalmente entendemos a comparação feita por Dilma. Ela quis dizer que o petrolão é tão importante quanto a seleção... para os donos do poder!

EDUARDO SPINOLA E CASTRO

esc@scvs.adv.br

São Paulo

*

Laboratório

O laboratório da Fifa é aqui mesmo, no Brasil. As pesquisas foram desenvolvidas com o mensalão, o petrolão. Outras brevemente serão divulgadas.

JOSÉ ROBERTO CICOLIM

jrobcicolim@uol.com.br

Cordeirópolis

*

A hora da verdade

Agora já sabemos por que os estádios para a Copa de 2014 tinham de ser padrão Fifa...

MARCOS CATAP

marcoscatap@uol.com.br

São Paulo

*

E agora concordo que temos um governo padrão Fifa!

NÍVEO AURÉLIO VILLA

niveoavilla@terra.com.br

Atibaia

*

Padrão Fifa

Investigações americanas estão levando a cúpula da Fifa para trás das grades. Tomara que identifiquem também todos os que se lulocupletaram na Copa do Mundo, mas continuam afirmando que não sabem de nada.

JÚLIO ROBERTO AYRES BRISOLA

jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

*

EUA por fim no futebol

Parece que os americanos resolveram adotar também o futebol. E começaram de cima pra baixo!

ARIOVALDO BATISTA

arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

*

Os intocáveis

Sonho de uma noite de outono: sonhei que a Justiça dos EUA, após apreciar os vários processos movidos por investidores americanos contra a Petrobrás, tanto pessoas físicas quanto fundos de pensão, encontrou provas cabais contra criadores e crias aqui havidos como intocáveis. Sem hesitar, foi acionado o FBI, que chegou ao Brasil com ordem de prisão e avião pronto para levar todos para prisões nos EUA, onde foram fazer companhia aos intocáveis da Fifa! 

ARLETE PACHECO

arlpach@uol.com.br

Itanhaém

*

Justiça

O que nos dá tranquilidade acerca do caso de corrupção no futebol mundial é que foi uma investigação operada pelo FBI e o julgamento será feito pela Justiça suíça, e não pelo nosso STF.

MARCOS BARBOSA

micabarbosa@gmail.com

Casa Branca

*

Bolivarianos na mira do FBI

Agora ficou claro por que o Lula e o Itamaraty, sob o comando do Marco Aurélio Garcia, odeiam tanto os EUA.

NILSON OTÁVIO DE OLIVEIRA

noo@uol.com.br

Valinhos 

*

Culpa de FHC, claro

A corrupção na Fifa já existia na Copa da França, em 1998, durante o governo de FHC, apontam alguns petistas.

VAGNER RICCIARDI

vbricci@estadao.com.br

São Vicente

*

Trampa

As ratazanas esportivas, políticas e empresariais estão caindo na ratoeira e isso nos dá a esperança de voltarmos a ser o país do futuro.

ANTONIO CLAUDIO SALCE

rcampos@papirus.com

Indaiatuba

*

FIFÃO

A pedido dos Estados Unidos, a Suíça prendeu sete dirigentes da Fifa, entre eles José Maria Marin, ex-presidente da CBF, que estavam reunidos em Zurique para a eleição do novo chefe da Federação Internacional de Futebol. Além destes, outros sete executivos foram indiciados e 25 são suspeitos da prática de corrupção. Segundo o Federal Bureau of Investigation (FBI), a corrupção está instalada na entidade há 24 anos e movimentou US$ 150 milhões. A linha de investigação mira a compra de votos para a realização da Copa de 2010, na África do Sul, e para apoiar a reeleição de Joseph Blatter em 2011. Será que Blatter vai usar o manjado álibi "eu não sei de nada", sobejamente conhecido aqui, na terrinha, e vai se safar dessa? Vai usá-lo com certeza, mas sem sucesso, pois a Justiça nos Estados Unidos é rigorosa em casos de corrupção e os inúmeros "I know nothing" serão ignorados.  

Sérgio Dafré sergio_dafre@hotmail.com  

Jundiaí

*

CORRUPÇÃO NO FUTEBOL

Cumprimento o FBI e a polícia suíça. Até que enfim a bandidagem do futebol mundial, a máfia que se infiltrou tanto na Fifa quanto na Confederação Brasileira de Futebol (CBF) aqui, no Brasil, está se desfazendo. E os culpados pela corrupção, bandidos que, mediante propinas, decidiram pela Fifa que as Copas do Mundo de 2018 e de 2022 seriam na Rússia e no Catar, respectivamente. Entre os presos pelo FBI está o ex-presidente da CBF e ex-governador de São Paulo José Maria Marin. Que vergonha, um político brasileiro que já governou o Estado de São Paulo, hoje com mais de 90 anos, preso nos EUA pelo FBI! Ao senhor Marco Polo Del Nero, atual presidente da CBF, só nos resta dizer: "Te cuida, que vem chumbo grosso por aí".

Arnaldo de Almeida Dotoli

arnaldodotoli@hotmail.com 

São Paulo

*

SACO DE GATOS

O gato do Marin caiu do telhado. O de Del Nero está subindo. Considerando o retrospecto, bem como as "sábias" palavras do nobre senador Romário, é recomendável cuidar do felino. Coisa feia.

J. Perin Garcia jperin@uol.com.br

São Paulo

*

DEFESA

O atual presidente da CBF, Marco Polo Del Nero, sair em defesa de Marin seria como Fernandinho Beira-Mar saindo em defesa de Marcola.

Oswaldo Baptista Pereira Filho

oswaldocps@terra.com.br 

Campinas

*

PRISÃO ADEQUADA

Diz a notícia que José Maria Marin, ex-presidente da CBF, está encarcerado numa prisão-modelo na Suíça. Para bem de todos e felicidade geral dos brasileiros, já não deveria ele estar cumprindo pena na Papuda?

Francisco Zardetto

fzardetto@uol.com.br 

São Paulo

*

OPERAÇÃO

Vem aí a "Lava Jato" do futebol.

Márcio Roberto Lopes da Silva

marcioped.itu@gmail.com 

Itu

*

EXECRAÇÃO PÚBLICA

Foram aprisionados o ex-presidente da CBF José Maria Marin e mais seis cartolas na Suíça, a pedido dos EUA, dado que estão envolvidos com o recebimento de propinas em diversas atividades esportivas, inclusive na Copa no Brasil. Muito feio para o Brasil, especialmente porque Marin exerceu o cargo de governador do Estado de São Paulo. Entretanto, é muito salutar que a providência se alastre e se mantenha como atitude efetiva, porque ela joga o cidadão à execração pública, impondo temor e receio a muitos que lesam o patrimônio público ou que se dedicam a receber propinas em detrimento da ordem legal e constitucional. É uma punição que apaga a impunidade sempre esperada pelo delinquente.

José C. de Carvalho Carneiro

carneirojc@ig.com.br    

Rio Claro

*

A PRISÃO DE MARIN

O ex-presidente da CBF José Maria Marin foi preso em Zurique, na Suíça, acusado, entre outras coisas, de ter recebido propinas milionárias em esquema de corrupção no futebol. A prisão foi efetuada a pedido da Justiça dos Estados Unidos da América, para onde os suspeitos poderão ser extraditados. O episódio vem de encontro à reportagem publicada recentemente pelo "Estadão" sobre a "venda" da seleção brasileira para uma empresa sediada num paraíso fiscal, no que o dirigente ora detido também estaria envolvido. O Brasil é o único país pentacampeão mundial de futebol e já revelou ao mundo um sem-número de jogadores excepcionais, entre eles o Rei Pelé. Entretanto, a qualidade do nosso futebol tem decaído há anos e, para muitos, como eu, isso é em decorrência de seus péssimos dirigentes, em todos os níveis, muitos envolvidos acintosamente em negociatas escusas. Nossos jovens jogadores são negociados cada vez mais jovens por importâncias irrisórias e vão para o exterior propiciar aos seus novos clubes lucros vultosos pela sua qualidade futebolística acima da média. Nossos campeonatos estaduais estão em constante declínio, pois a renda de seus jogos não é suficiente para que os clubes possam manter seus atletas e desenvolver novos craques, principalmente os times do interior dos Estados, outrora celeiro de craques. Com isso, os meios de comunicações passaram a se interessar cada vez mais em transmitir os torneios de outros países, em detrimentos dos nossos jogos, que a cada ano despertam menos interesse. Todo esse contexto é decorrência direta das más administrações e das negociatas ilegais efetuadas pelas verdadeiras quadrilhas que se apoderaram do nosso esporte nacional. Agora, com a interferência da Justiça norte-americana no esporte, podemos ter a esperança de que esses criminosos finalmente paguem pelos seus crimes. Afinal de contas, pelas altas quantias envolvidas em torno do futebol e, principalmente, pela paixão da população pelo esporte, ele poderia propiciar uma significativa fonte de empregos e de recursos para o País. Entretanto, ao contrário, trouxemos a Copa do Mundo de 2014 para cá e deu no que deu: hoje temos 4 das 12 arenas transformadas em elefantes brancos, com muito dinheiro público aplicado nelas e em função delas. O Corinthians Paulista construiu a sua arena segundo os ditames da Fifa e hoje está atolado em dívidas.

Gilberto Pacini

benetazzos@bol.com.br  

São Paulo

*

A COPA NO BRASIL

Trabalhei como motorista da Fifa na Copa de 2014. Minha função era buscar as pessoas que vinham para a Copa e levá-las para o hotel. Numa das vezes em que fui ao Aeroporto de Cumbica, busquei uma passageira da Suíça que veio para o congresso da Fifa. Ela falava bem o português. Não me lembro seu nome, mas não importa. O que importa é que ela falava sobre o que mais saía na imprensa sobre o seu país: corrupção. Ficou horrorizada como a corrupção era gigantesca aqui, e não se fazia nada. Não tinha ninguém preso. Disse-me que Ricardo Teixeira tinha uma conta na Suíça de US$ 30 milhões. Agora leio a notícia da prisão, não no Brasil, mas na Suíça, de José Maria Marin. Fico pensando e não consigo imaginar o quanto se roubou nessa Copa! Quando vão prender Lula, Andrés e toda a corriola que participou das construções dos estádios? Aliás, diziam que a Fifa pagou quatro vezes mais o nosso salário. Quem será que ficou com os outros três?

Marcio Roberto Ferraz

marciorobertoferraz@yahoo.com.br 

São Paulo

*

CARTÃO VERMELHO

O esporte mais popular, mais praticado e de maior audiência no mundo não pode continuar sendo dirigido e comercializado por um bando de bandidos. Cartão vermelho e expulsão de campo para a corrupção "padrão Fifa" de futebol. Basta!

J. S. Decol

decoljs@globo.com 

São Paulo

*

IRREGULARIDADES

Padrão Fifa, só dentro das quatro linhas...

Delpino Verissimo da Costa

dcverissimo@gmail.com 

São Paulo

*

PADRÃO FIFA

Dona Dilma Rousseff deve estar orgulhosa do Brasil. Como lembrou Antero Greco, o Brasil alcançou o padrão Fifa. Aquilo que a presidente tanto almejava aconteceu: o Brasil não só alcançou, como superou a Fifa. Enquanto esta teve somente cerca de uma ou duas dúzias entre presos e envolvidos, o Brasil atingiu centenas com o "mensalão" e o "petrolão". Neste último, nunca saberemos o número exato, porque não foram descobertos todos, alguns enrustidos, principalmente funcionários da Petrobrás. Esteja certa, presidente, embora a senhora seja injustamente reconhecida como incompetente e irresponsável, agora atingiu um patamar não atingido por qualquer outro presidente deste país.

Fabio Figueiredo

fafig3@terra.com.br 

São Paulo

*

CORRUPÇÃO GENERALIZADA

Hoje, desmascarado, padrão Fifa é a cara do governo brasileiro.

Roberto Twiaschor

rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo

*

COINCIDÊNCIA OU MÁ-FÉ?

Tudo indica que a ação policial que deteve José Maria Marin é uma retaliação contra a Fifa, já que os Estados Unidos perderam a disputa para sediar a Copa de 2018 para a Rússia. No início, acusaram o Comitê Executivo da Fifa por vender a vaga para a Rússia e a Copa de 2022, para o Catar. Convenhamos, justamente na antevéspera das eleições na Fifa, nas quais o candidato de oposição é apoiado pelos Estados Unidos, o escândalo vem à tona em Zurique? Forte coincidência ou má-fé?

Vicente Limongi Netto

limonginetto@hotmail.com  

Brasília

*

ENTIDADE PRIVADA

Futebol é algo particular, privado e envolve entidades de direito privado. Por isso, salvo ocorrências fiscais e de "lavagem de dinheiro", não é competência do poder público interferir em tais organizações e nos negócios que elas realizam. Se alguns dirigentes tiraram dinheiro a mais, compete a integrantes das entidades que se sentirem prejudicados recorrer pessoalmente à Justiça. Tendo em vista tais fatos é que se estranha, agora, a intervenção pública na Fifa. A federação não é organismo público nem recebe aportes públicos e, como dito, somente em casos de crimes de "lavagem de dinheiro" e evasão fiscal poderia o poder público intervir via Judiciário. O poder público não pode interferir no fato de a entidade escolher o país "X" ou "Y" como sede de Copa do Mundo, mesmo pelo fato de alguns dirigentes terem recebido quantias por fora - salvo se tais quantias sofrerem "lavagem" ou sonegação de impostos. Eles escolhem os países que bem entenderem e as confederações e os atletas que também quiserem.

Heitor Vianna P. Filho

bob@intnet.com.br  

Araruama (RJ)

*

CONTROLE NECESSÁRIO

A prisão de um ex-presidente da CBF, juntamente com dirigentes esportivos de vários países, acusados de trapaças utilizando a força dos cargos das entidades que comandavam, mostra que a "indústria do esporte" exige o devido controle. Não dá para aceitar que o montante das verbas colocadas nas rendas dos jogos, na publicidade e no apoio governamental fique à disposição de grupos ou de pessoas que fazem manipulações de acordo com o interesse pessoal ou de grupos. Que esta investigação da polícia norte-americana repercuta em todos os países e que medidas punitivas sejam aplicadas. O futebol merece o devido respeito.

Uriel Villas Boas

urielvillasboas@yahoo.com.br   

Santos

*

MENSALÃO, PETROLÃO E FIFÃO

Cá e lá, más fadas há. Lembram-se da alegria e dos pulos que Lula deu quando o Brasil foi sorteado para patrocinar a Copa do Mundo em 2014? Dinheiro na mão é tentação. Um consolo, em matéria de Fifão, o petrolão dá de 7 a 1.

Geraldo de Paula e Silva

eraldodepaula@ibest.com.br   

Teresópolis (RJ)

*

ESCÂNDALOS

Mensalão, petrolão, futebolão...

Omar El Seoud

ElSeoud.USP@gmail.com 

São Paulo

*

QUEM RI POR ÚLTIMO

Assistindo a um documentário de 60 minutos sobre a trajetória do sr. Joseph Blatter, aliás, Sepp Blatter, presidente quase vitalício da Fifa, fiquei assustado com as semelhanças entre sua trajetória e a de nosso ex-presidente Lula. Ambos são oriundos de povoados pequenos e famílias pobres. Ambição desmedida, narcisismo, "modus operandi", desrespeito à fidelidade dos amigos (para eles, caminho de mão única) e uma incrível competência para evitar que algo de mal cole neles. Usam da inteligência para fins escusos, são dissimulados e conseguem de qualquer maneira a subserviência de um séquito de vestais venais que corrompem sistematicamente e de todas as maneiras. Blatter está na Fifa desde 1992, tendo sucedido seu mestre e mentor João Havelange. Lula perseguiu o poder por muito tempo e, sendo eleito, não se afastou um só segundo dele, mesmo depois de ter feito sua sucessora. E quer voltar a ser o número um. Lula esteve e está envolvido em escândalos, e nunca sabe de nada, tudo são conspirações das "zelites". Blatter se apoia nos feitos à frente da Fifa e, com as benesses que distribui aos seus membros, parece justificar os injustos e injustificáveis atos que vive a praticar. Mesmo agora, com tantas cabeças rolando no mundo do futebol em decorrência da operação do FBI, ele continua inatingível. No íntimo, creio que ambos se consideram "grandes estadistas". Pelas costas, à socapa, certamente riem, e muito, de nós todos. Como consolo, resta uma pergunta: quem rirá por último?

Eduardo A. Delgado Filho

e.delgadofilho@gmail.com 

Campinas

*

O LULA DA FIFA

Joseph Blatter é o Lula da Fifa. Não sabe de nada, não viu nada, não larga o osso e reafirma que todos os pagamentos foram legais. Seus cupinchas já estão presos e sendo processados. Mas tanto Blatter quanto Lula não estão presos. Ainda.

Claudio Juchem

cjuchem@gmail.com 

São Paulo

*

IMPEDIDO

Se Marin, por roubar alguns milhõezinhos, foi preso no exterior, imagino que Lula não possa viajar para fora do País por uns 30 anos...

Jorge E. Gonella Zambra

jorgegonella@hotmail.com  

São Paulo

*

PRESTÍGIO

Os principais envolvidos no escândalo da Fifa pertencem ao reino - América Latina e África - onde reinava (reina), como figura ímpar e mito, o abominável Luís Inácio. Prestígio é isso aí!

Alexandre de Macedo Marques

ammarques@uol.com.br 

São Paulo

*

ESCÂNDALO NA FIFA

É só a Justiça americana botar o dedo que o bicho come.

Sergio S. de Oliveira

ssoliveira@netsite.com.br 

Monte Santo de Minas (MG)

*

A CASA CAIU

A caixa preta foi aberta? Na vida as coisas são assim, quando menos se esperava, veio a notícia de que um grupo de cartolas foi pego com as calças na mão quando dormia o sono dos inocentes num hotel de luxo em Zurique, na Suíça. Os cartolas foram acordados pela polícia com mandados de prisão da Justiça americana por vários crimes. Ao todo, sete gatunos do futebol mundial foram levados para o xilindró. A corja de larápios corrupta que comanda o futebol mundial agora vai ver o sol nascer quadrado nas mãos da Justiça do Tio Sam. Como sabemos, lá não tem o famoso jeitinho brasileiro, ricos e famosos não têm regalia, vida mansa, mofam na cadeia quando são pegos com a mão na botija. Esta é uma semana para ser comemorada pelos amantes do futebol: depois de tantos desmandos, de CPIs que não deram em nada, enfim, a casa caiu para o ex-presidente da CBF e atual vice José Maria Marin, mais conhecido como "Zé das medalhas". O que temos a lamentar é que outra ratazana do nosso futebol, o ex-presidente da CBF Ricardo Teixeira, também não tenha sido preso junto com seus pares de conluio no comando do esporte mais popular do planeta. Teixeira está foragido do País há meses, porém, como se sabe, quem planta vento colhe tempestade e sua hora também vai chegar. É mais uma vergonha para o Brasil, que há meses está atolado em escândalos de corrupção envolvendo políticos, empreiteiras e a Petrobrás. 

Turíbio Liberatto

turibioliberatto@hotmail.com 

São Caetano do Sul

*

DELAÇÃO PREMIADA

Que tal Marin "negociar" a delação premiada nos EUA? Por via das dúvidas, dizem que Ricardo Teixeira nem mora mais em alguma mansão de Miami, agora é "morador" do Uruguai, como também aconteceu com Leonel Brizola, governador do Rio e residente no Uruguai. 

Ariovaldo Batista

arioba06@hotmail.com 

São Bernardo do Campo

*

FALTA GENTE

José Maria Marin, um filhote da ditadura, foi preso em Zurique, resultado de uma investigação do FBI. Será extraditado para os EUA, mas ainda falta muita gente que se apropriou indevidamente do futebol mundial. No Brasil, é uma vergonha sem tamanho.

Marcos Barbosa

micabarbosa@gmail.com 

Casa Branca

*

LADRÃO DE MEDALHA

A prisão de Marin se refere ao caso da medalha ou ao do "gato d'água"? Apenas para ficar claro.

José Piacsek Neto

bubanetopiacsek@gmail.com 

Avanhandava

*

AUTORIDADES BRASILEIRAS

Os EUA vão pedir a ajuda das autoridades brasileiras nas investigações da Fifa. Alô, FBI! Não dá para pedir ajuda a outras autoridades, que não as brasileiras, não?

Panayotis Poulis

ppoulis46@gmail.com 

Rio de Janeiro

*

CORRUPÇÃO GERAL E IRRESTRITA

Dilma Rousseff, sobre a Fifa: "Ufa, não é só no PT que tem corrupção!".

Silvio Leis

silvioleis@hotmail.com 

São Paulo

*

BANCO SANTOS

Recebi a notícia da anulação da sentença de Edemar Cid Ferreira, ex-controlador do falido Banco Santos, com certo alívio. Pensava que só os participantes do mensalão e da Petrobrás recebiam penas leves, e a maioria sem devolução do dinheiro roubado, mas agora vejo que é um consenso da Justiça também para qualquer tipo de devassa financeira.

Mario Biseo

mario@biseo.com.br

São Paulo

*

JUSTIÇA

Depois de nove anos, a Justiça anula a condenação de Edemar Cid Ferreira (Banco Santos). Vai levar mais nove anos para nova sentença. Viva a Justiça brasileira!

Luiz Frid

luiz.frid@globomail.com 

São Paulo

*

DECISÃO CORRETA

Tribunal acerta ao inocentar o banqueiro Edemar Cid Ferreira, um homem que deu o azar de fazer parte de um tempo parecido com o da saudosa empresária Eliana Tranquese, ambos vítimas dos fogos de artifício do governo Lula, que queria posar de "paladino da Justiça" e usou seu poder e sua credibilidade da época para prender empreendedores milionarios, que eram milionarios por trabalho forte, de peso, empregadores. E, no caso de Edemar Cid, ainda um fantástico divulgador da cultura, vítima do falso moralismo dos verdadeiros ladrões da pátria.

Roberto Moreira da Silva

rrobertoms@uol.com.br 

Sao Paulo

*

OS FUNDOS E A PETROBRÁS

Os fundos de investimento e de pensão de oito países entraram com um novo processo contra a Petrobrás na Corte de Nova York. Eu pergunto: e os fundos brasileiros? Será que não aplicaram na Petrobrás? Ou será mais uma ação entre amigos, igual ao caso do Postalis, dos Correios, em que os funcionários terão de pagar a conta?

Oswaldo Baptista Pereira Filho

oswaldocps@terra.com.br 

Campinas 

*

A (NECESSÁRIA) REFORMA POLÍTICA

Naufragou a primeira tentativa de reforma política no Congresso Nacional. O "distritão", defendido pelo PMDB, e o custeio das campanhas continuaram na mesma. A reforma política, no entanto, é imperativo nacional. O País não pode continuar convivendo com um sistema em que os candidatos aplicam em campanha mais do que vão receber durante todo o mandato. Isso demonstra que algo está errado. Ninguém, em sã consciência, aplica mais para receber menos e, quando o faz, certamente praticará a corrupção. É preciso encontrar o meio em que o custo da campanha possa ser explicado sem se transformar em escândalo e os eleitos não precisem praticar o escambo de votos e cargos. Difícil de dizer o que seria mais adequado, mas urge encontrar um meio para retirar toda a classe do permanente estado de suspeição. Antes dos parlamentares e dos governantes filiados, os partidos deveriam tomar posição clara sobre os assuntos de interesse nacional e divulgá-las à comunidade, dizendo o porquê aprovar ou não aprovar. Isso ajudaria a termos agremiações e políticos mais respeitados e em condições de efetivamente representar os interesses da sociedade, longe de serem vistos como defensores apenas de seus próprios interesses.

Dirceu Cardoso Gonçalves

aspomilpm@terra.com.br

São Paulo

*

NA CONTRAMÃO DA LEGALIDADE

Fernando Collor tinha razão quando pretendia fechar o Congresso, ineficiente e corrupto, mas foram mais espertos e, por causa de um carro velho, arrumaram uma maneira de tirá-lo do poder. Esta semana, em votação pela reforma política, tão desejada pelo povo, votaram em favor da ilegalidade. Como está, continuaremos com os Tiriricas e Romários criando nossas leis, continuarão as verbas sujas para financiamento de campanha e, depois, sabemos o que acontece, uma troca cruel. Tantas manifestações em todos os lugares deste país e nossos políticos não se mancam? Aumentam cadeiras, subsídios, tantos direitos que, em breve, receberão pedradas se ousarem andar pelas ruas. É para onde caminhamos.

Julio Jose de Melo

julinho1952@hotmail.com  

Sete Lagoas (MG)

*

DISTRITÃO REJEITADO

Parabéns para uma boa notícia. Esta que nos proporcionaram os 267 votos dos parlamentares que leram Marx ou Lenin e puderam entender as bases do comunismo do leste europeu. No século passado, quando o comunismo estava ainda com todo o seu poder de destruição da família, o nosso primeiro presidente militar, Castelo Branco, rejeitou a igual  proposta comunista. Naquela ocasião, felizmente, só havia dois partidos políticos, Arena e MDB. Dom Evaristo Arns, na ocasião, pregava uma frase aplaudida no mundo inteiro: "A família é a base da sociedade". E o comunismo mais uma vez foi rejeitado. É isso aí.

Flávio Prada

flavioprada39@gmail.com  

São Paulo

*

TEATRO NA CORTE

Nos anos 70, ouvi de um diplomata: "Politicos? Inimigos públicos, amigos de cama". Infelizmente, só confirmam essa sentença.

Adilson Mencarini

adilsonmencarini@uol.com.br   

Guarulhos 

*

ENEM PARA POLÍTICOS

Sugestão para a reforma política: todo político deve ter no mínimo 450 pontos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e não ter zerado na redação, para ser elegível a qualquer cargo público.

Vagner Ricciardi

vbricci@estadao.com.br    

São Vicente 

*

O SENADO E O AJUSTE FISCAL

Lamentável que o Senado federal tenha aprovado a medida provisória que restringe o acesso ao seguro-desemprego e ao abono salarial. Cada vez mais vemos a aprovação de medidas neoliberais, que beneficiam os empresários e banqueiros e que vão contra os direitos e interesses dos trabalhadores e da maioria da população brasileira. É impressionante o momento de retrocesso que estamos vivendo hoje no Brasil, em vários campos e setores. Ao invés de avançarmos, estamos andando para trás.

Renato Khair

renatokhair@uol.com.br  

São Paulo

*

DESCRÉDITO PARA OS SENADORES

É possível afirmar que a sessão do Senado que tratou do ajuste fiscal no dia 26 de maio colocou a maioria absoluta daquela Casa num descrédito irreversível com os trabalhadores e aposentados. Dominaram, barbarizaram, atropelaram e nos colocaram com os pés na cova. Mesmo surrupiados em nossos direitos já conquistados, continuamos vendo aquele espetáculo inverossímil na TV,  esperançosos de que por lá aparecesse alguém com a dignidade e a coragem de um Adauto Lúcio Cardoso, ministro do STF que, em 1971, ao ver os demais juízes aprovarem a lei de censura prévia, levantou-se da cadeira, arrancou a toga e a jogou no meio do plenário. Nunca mais voltou. Lembrei-me, ainda, destas palavras de Maximin Isnard direcionadas aos seus pares no Parlamento da França em 1791: "Nós nos encontramos entre o dever e a traição, entre a coragem e a covardia, entre a estima e o desprezo. Nos reconhecemos que eles são culpados e, se não os punirmos, é porque sejam príncipes? É a longa impunidade dos grandes criminosos que transforma o povo em carrasco... Eu  lhes digo que é preciso vigiar. As nações que dormem, ainda que por um instante, acordam acorrentadas... Se queremos ser livres, é necessário que só a lei governe". Com certeza, depois das covardias dos nossos "senadores", o melhor que fiz foi relembrar as decisões dignas e corajosas de Adauto e Isnard.

Leônidas Marques

leo_vr@terra.com.br 

Volta Redonda (RJ)

*

RETROCESSO INEVITÁVEL

O Brasil vai mal. As debilidades na economia, na política, na saúde, na segurança, na educação e na Justiça são alguns dos sinais vitais de uma doença que vem se agravando. Ou se corta o mal pela raiz ou nem nossos bisnetos terão um país melhor. A raiz é a gestão. Dos Três Poderes, só o Poder Executivo tem constitucionalmente os recursos, a capacitação, os instrumentos e, acima de tudo, o dever de gerir a máquina estatal para produzir o desenvolvimento do País que permita uma melhora contínua e segura da qualidade de vida dos seus cidadãos. O presidente da República é o chefe do Executivo e sua competência é a raiz da gestão. FHC tinha competência para gerir o País. Já Lula só tinha competência para gerir um sindicato e Dilma, nem uma loja de R$ 1,99. Ambos conseguiram destruir o País em 13 anos. Ou se muda essa gestão imediatamente, seja da maneira que for, ou o retrocesso será inevitável.

Gilberto Dib

gilberto@dib.com.br 

São Paulo

*

TORRANDO CAIXA

Como é que um governo tem a cara de pau de realizar uma Copa do Mundo, torrando caixa com estádios inúteis e deixando de investir em saúde, educação e segurança, continuar torrando - agora para a Olimpíada de 2016 - e, simultaneamente, cortar o orçamento exatamente das já tremendamente combalidas e mal tratadas saúde, educação e segurança? Corja de políticos e burocratas sem-vergonha e despreparados que aprova tudo isso descaradamente! Onde estão nossas lideranças honestas para evitar um descalabro desses? Será que ainda existem? Por que o Ministério Público não se mexe decisivamente? Haverá algum resquício de autoridade para agirem no Brasil contra essa insensatez vergonhosa a que o mundo inteiro está assistindo e nós, sentindo?

Antonio C. Queiroz Cardoso

acardoso@acardoso.com  

São Paulo 

*

MAFIOSO PRESO

Foi preso no Recife (PE) o mafioso considerado chefe da Camorra Napolitana, Scotti Pasquale, foragido há quase 30 anos, julgado e condenado na Itália à prisão perpétua, por ter matado mais de 20 pessoas. Só falta, agora, o governo brasileiro se recusar a extraditar o mafioso, só porque no Brasil não existe prisão perpétua. Veremos a deputada Maria do Rosário e o ex-senador Eduardo Suplicy visitando o mafioso na prisão e fazendo lobby contra a extradição. A conferir.

Beatriz Campos

beatriz.campos@uol.com.br 

São Paulo

*

NOVA POLÊMICA

O mafioso Pasqualli Scotti, foragido da Justiça italiana, foi capturado dias atrás na cidade do Recife, onde vivia com falsa identidade. Logo foi transferido para Brasília, onde aguardará o julgamento pelo Supremo Tribunal Federal (STF) da extradição a ser reivindicada pelo governo italiano. Este caso nos remete  ao pedido de extradição do inglês Ronald Biggs, foragido da Justiça inglesa e que aportou no Brasil décadas atrás. Não custa lembrar que, não obstante existir condenação na Inglaterra, por crime de roubo a um "trem pagador" e ser ele foragido de um presídio inglês, a extradição foi negada pelo STF, sob o pretexto de ser Biggs pai de uma criança brasileira. Considerando que Pasqualli Scotti, membro da terrível Camorra, é acusado de nada menos que 20 assassinatos e já condenado pela Justiça italiana a cumprir "prisão perpétua", certamente sua extradição não será autorizada. Não porque o limite imposto pela lei brasileira seja de no máximo 30 anos de reclusão, mas, sim, pelo entendimento pretérito do STF no caso de Ronald Biggs. As duas situações são semelhantes, visto que Pasquali também aqui constituiu família e, segundo noticiado pela imprensa, é pai de dois filhos brasileiros. Nova polêmica será estabelecida com o governo italiano - lembram-se dos casos de Cesare Battisti e de Henrique Pizzzolato? Desta vez, acredito que o governo brasileiro se fará de morto, deixando o Supremo descascar o abacaxi - cabendo-lhe, na esfera administrativa, apenas cumprir a decisão emanada daquela Corte, seja ela qual for.

Noel Gonçalves Cerqueira

noelcerqueira@gmail.com 

Jacarezinho (PR)

*

PRÉSTIMOS

O PT já deu amparo a Cesare Battisti, condenado na Itália, que tal aproveitar os préstimos de Pasquale Scotti, ex-chefe da máfia italiana, que só foi condenado por 26 assassinatos, agora preso no Recife? Cairia bem no 40.º ministério, fecharia os 40 com chave de ouro, sentido figurado (se não some), se o povo "idiota" aceitar; ou até como tesoureiro do Partido dos Trabalhadores (PT). Iria aprender coisas do "arco da velha", que nunca imaginou em sua vida. Petista brasileiro é muito "bonzinho" com o dinheiro do povo. Ou querem retribuir a extradição de Henrique Pizzolato? Para gente "boa" de$$e nível, no PT, tem vaga sempre...

Fernando Silva

lfd.dasilva@2me.com.br 

São Paulo

*

EXTRADIÇÃO DE SCOTTI PASQUALE

Será que Lula e o STF permitirão?

Marcelo L. Z. Bernabe

zbernabe@hotmail.com 

São Paulo

*

AJUDANDO O 'COMPANHEIRO'

Parece brincadeira, mas o ex-presidente Lula pediu R$ 8 bilhões para ajudar a reeleição do prefeito paulistano Fernando Haddad. O dinheiro seria utilizado em obras do PAC, o mesmo programa que sofreu corte de mais de R$ 25 bilhões, e ajudaria na recuperação da imagem do petista em São Paulo, tornando-o competitivo para as eleições de 2016. O problema, entretanto, é que nem os brasileiros e muito menos o governo federal estão dispostos a fazer essa loucura. Acho que não vai dar para ajudar o "companheiro".

Willian Martins

martins.willian1@uol.com.br 

Guararema

*

PÊLO EM OVO

Absurda a decisão do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) de convocar os ginastas brasileiros pelas "injúrias raciais" feitas ao também ginasta Assumpção. Pior se forem levados a julgamento. Pelas imagens do fato, podemos ver, claramente, que tudo não passou de uma brincadeira de jovens, a "injúria" em questão não existiu. O STJD tem muitas coisas para julgar bem mais importantes, então por que perder tempo e dinheiro com uma simples e inocente  brincadeira?

Laert Pinto Barbosa

laert_barbosa@globo.com

São Paulo

*

'A CELEBRIDADE E SEU SENTIDO'

Eugênio Bucci, mais uma vez, nos brinda com sua genialidade ("A celebridade e seu sentido", 28/5, A2). Com clareza, bem define as celebridades que são fabricadas no "curtíssimo prazo". Se me permite, eu acrescentaria: fabricadas, principalmente, por a uma hegemônica rede de televisão, a quem muito interessa fabricá-las.   

Alceu Landi

alceuweb@terra.com.br 

São Paulo

*

COITADOS DE NÓS

Eugenio Bucci, sempre surpreendente. Mais um texto imperdível: a vida das celebridades alimenta o vazio dos que habitam a realidade. Mais ainda: as celebridades são signos universais que organizam as formas de representação das emoções, nos ensinam como nos comportar, o que sentir. Coitados de nós, pautados pelas celebridades.

Sylvia Loeb

sylvia.loeb@gmail.com 

São Paulo

Mais conteúdo sobre:
Fórum dos leitores

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.