Fórum dos leitores

GOVERNO LULOPETISTA

O Estado de S. Paulo

14 Junho 2015 | 03h00

Olha a onda...

Em Bruxelas, onde participou da reunião de cúpula entre União Europeia e Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (Celac), a presidente Dilma Rousseff reiterou a tese do seu guru inventor de que em 2008 a crise econômica mundial foi sentida como uma marolinha aqui, no Brasil; e, ressalvou, ela foi se acumulando até virar uma onda. Só nos resta rezar para que não vire tsunami. Que ridículos presidentes elegemos nos últimos anos!

ABEL PIRES RODRIGUES

abel@knn.com.br

Rio de Janeiro

Marolinha x tsunami

Será que o Lula tem noção de que o tsunami econômico que enfrentamos agora se deve a ele ter transformado o verdadeiro, de 2008, em marolinha?

CÁSSIO DE REZENDE CAMARGOS

cassiocam@terra.com.br

São Paulo 

Borrasca

A marolinha virou onda, diz Dilma. E o barco adernado de tanto fazer água está afundado, ecoa pela Pátria. Coitados de nós, com a borrasca a que chegamos.

PAULO BUSKO

paulobusko@terra.com.br

São Paulo

Pega na mentira

A presidente mentiu de novo, desta vez na Bélgica. Em entrevista para a mídia declarou que o Brasil vai bem, mas o que atrapalhou um pouco foram a seca e a alta do dólar. Essa pseudodirigente é cara de pau, falsa, péssima gestora e zero de humildade. O Brasil todo sabe que foram ela e o PT quem destruiu o País.

ROBERTO HUNGRIA

cardosohungria@gmail.com

Itapetininga

Enganação

Não bastassem as agruras infligidas à grande maioria da sociedade brasileira predominantemente nos últimos oito anos de governo do PT, ofende a inteligência dos menos incautos abrir as páginas do noticiário político e ler detalhes da pregação da “presidenta” atribuindo a atual crise econômica a “fatores internacionais” e à seca. A seca que existiu foi de ideias. Foi o rompimento deste desgoverno com o tripé macroeconômico estabelecido desde o governo FHC (metas fiscais com obtenção de superávit primário para pagamento dos juros da dívida pública, de controle da inflação e câmbio flutuante), solenemente ignorado em nome de uma tal “nova matriz econômica”, que literalmente fez ruir todo um arcabouço econômico que se mostrava promissor no longo prazo, e não problemas relacionados à situação internacional e à estiagem, o que nos conduziu para o buraco em que nos encontramos. Foi pura falta de competência. Foi o uso e abuso do populismo que resultou numa gastança desenfreada e irresponsável, na escolha dos ditos “campeões nacionais” e outras escolhas equivocadas, em desastrosas intervenções no setor elétrico e na Petrobrás, tudo isso misturado a um caldo inimaginável de desvio de dinheiro público feito nas barbas do predecessor e de sua “gerentona” - que nunca souberam de nada. O discurso de Dilma é, seguramente, o que o “guru” João Santana determinou que fosse dito e repetido em todas as instâncias do governo e pelo PT (a propaganda oficial vem batendo nisso) na tentativa de camuflar da parcela menos informada da população os reais motivos do desastre que agora presenciamos. E pensar que ainda somos obrigados a ouvir tudo isso...!

FERNANDO CESAR GASPARINI

phernando.g@bol.com.br

Mogi-Mirim 

Rapinagem

Socializaram a rapinagem e nós, democraticamente, arcamos com o prejuízo.

OSCAR ROLIM JÚNIOR

rolimadvogado@ibest.com.br

Itapeva

Culpa de FHC

Dilma diz que não é responsável pela crise. Então quem é, Fernando Henrique?

SILVIO LEIS 

silvioleis@hotmail.com

São Paulo

Inflação atípica

Dillma - que voltou antes de Bruxelas só para ir à convenção do PT - diz que a inflação de maio é atípica. Ora, por que todas as lambanças de seu governo são atípicas? Ou será culpa de FHC?

JÚLIO ROBERTO AYRES BRISOLA

jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

Fracasso

A inflação oficial, medida pelo IPCA, chega a 8,47% em 12 meses. Isso mostra o fracasso da política econômica do (des)governo petista. E ainda há alienado que insiste em dizer que a inflação está sob controle... Além disso, por incapacidade administrativa, o Brasil está com dívida estratosférica, desemprego, juros altos e falta de credibilidade, sacrificando os contribuintes, que não aguentam mais, enquanto o (des)governo não cogita de reduzir os seus gastos. Felizmente, não há mal que sempre dure.

JOSÉ WILSON DE LIMA COSTA

jwlcosta@bol.com.br

São Paulo

Afinando a guitarra 

A inflação está sem freio. O IPCA nos últimos 12 meses atingiu 8,47%, a maior alta desde 2003. E de janeiro a maio deste ano já chegou a 5,34%. Todos nós sabemos que inflação é a alta dos preços, é o poder de compra diminuindo. Entre os vilões da alta estão os alimentos, cujos preços dispararam: o tomate chegou a custar R$ 10/kg e a batata, R$ 9. Mas o grande vilão é a energia elétrica, que subiu este ano 41,94% e nos últimos 12 meses, 58,47%. Ou seja, quem pagava R$ 100 de conta de luz hoje paga R$ 158,47 pelo mesmo consumo. Infelizmente, o Brasil passa por enorme recessão econômica, aliada a corrupção e inércia administrativa. Reflexão: eu, como consumidor, afirmo que a nota de R$ 100 perdeu 40% do seu valor nos últimos 16 meses. Está na hora de a Casa da Moeda produzir notas de R$ 200.

ALEX TANNER

alextanner.sss@hotmail.com

Sumaré 

Penúria

E Dilma ainda diz que os brasileiros têm de continuar consumindo cada vez mais. “Presidenta”, com que dinheiro?

VIRGÍLIO MELHADO PASSONI

mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

Como se pode isentar a presidente da volta da inflação a níveis inaceitáveis? Medidas demagógicas e privilégios, gastança descontrolada, tolices em parceria com Guido Mantega empurraram de volta à penúria milhões de pessoas. Se a sra. Dilma tivesse um pingo de humildade, pediria a bolsa e se despediria do cargo, que tão mal exerceu.

ANDRÉ C. FROHNKNECHT

caxumba888@gmail.com

São Paulo

"Dilma diz que a marola virou uma onda. 

Pena que nem ela nem 

seu antecessor 

aprenderam a surfar. Estamos afundando"

LUIZ NUSBAUM / SÃO PAULO, SOBRE A CRISE ECONÔMICA OBRADA PELO LULOPETISMO

lnusbaum@uol.com.br

"A onda de Dilma está prestes a nos afogar. A nós, os 'brasileiros comuns'"

MARIA DO CARMO ZAFFALON LEME CARDOSO / BAURU, IDEM

mdokrmo@hotmail.com

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

MENTIRAS SEM FIM

O ex-presidente Lula tinha agendado reunião com o ex-diretor da Petrobrás Paulo Roberto Costa, o "Paulinho", para tratar da compra da Refinaria de Pasadena, nos EUA, em 6 de maio de 2006. O prejuízo do Brasil nessa compra foi de mais de R$ 1 bilhão - e Lula continua dizendo que na tal reunião não se tratou do assunto Pasadena. O Instituto Lula recebeu da Camargo Corrêa R$ 3 milhões de 2012 a 2013, e o instituto informa que foi uma doação legal e que nada tem que ver com a Petrobrás. O lulopetismo sabe investir, só que em mentiras aos milhões.

Celso de Carvalho Mello celsosaopauloadv@uol.com.br 

São Paulo

*

LULA E A IMPRENSA

Mais uma vez Lula expõe seu verdadeiro pensamento retrógrado contra a nossa maior riqueza, a imprensa livre. No Congresso do seu Partido encerrado ontem, em Salvador, destilou seu veneno dizendo, entre outras abobrinhas, que "neste mês de junho, completam-se dez anos que a imprensa começou a decretar a morte do PT". Sem se dar conta de que há mais tempo o PT só dá motivos para estar em todas as mídias, entre os assuntos criminais, com companheiros julgados culpados e tendo sua liberdade privada. Luiz Inácio Lula da Silva por vezes nos toma como tolos.

Leila E. Leitão

São Paulo

*

CREDIBILIDADE

Lula disse que as pessoas não querem mais ler as mentiras (da mídia) que publicam. O problema é que a mídia, especialmente o "Estadão" (e o FHC), continuam com credibilidade total. Enquanto isso, Lula, Dilma e PT têm credibilidade zero. 

 

Julian White julwhite@yahoo.com 

Campinas

*

PROPAGANDA GRATUITA

As mídias, principalmente a televisiva, são responsáveis pelos desgovernos que tivemos e temos, porque exibem, diariamente, as caras de Lula, Dilma e sua turma. Isso vai fixando essas caras na memória dos eleitores, que não sabem ler e não analisam as notícias dos prejuízos à população que eles causam.

Mário A. Dente dente28@gmail.com

São Paulo

*

O CONGRESSO DO PT

Como sempre, a demagogia e o apelo ao emocional dominaram o tom do congresso em Salvador. Dilma enfatizou a necessidade do "assalto fiscal", sem reconhecer sua responsabilidade e sem dizer qual é seu projeto para o Brasil, além de sair do sufoco financeiro. Lula atacou a imprensa, dizendo que ela quer derrubar o PT, e acha que o povo trabalhador necessita de seu partido. O que o povo trabalhador necessita sé de verdadeiras reformas que corrijam os problemas bem conhecidos do Brasil, mas que não são introduzidas por falta de interesse dos políticos, chefiados pelos de seu próprio partido.

Omar El Seoud ElSeoud.USP@gmail.com

São Paulo

*

O AJUSTE FISCAL DE DILMA

Dilma Rousseff afirmou, no congresso do PT em Salvador, que "não mudou de lado". Isso só confirma que sempre esteve e continua do lado errado.

Ely Weinstein elyw@terra.com.br 

São Paulo

*

AVISOS

Dona Dilma avisou: "Não mudei de lado". Aviso aos contribuintes: azar o nosso...

A.Fernandes standyball@hotmail.com 

São Paulo

*

DESCULPAS

Dilma deveria pedir desculpas à Nação por ter feito um governo tão desastroso em seu primeiro mandato. Agora ela pede apoio ao próprio partido e diz que não mudou de lado. Como assim? A arrogância e o desprezo pela humildade fazem-na uma mulher sem liderança e repudiada pela maioria da população. Até os seus próprios eleitores não assumem mais que votaram nela, parece que sentem vergonha. É uma pena, pois creio que ela poderia redimir a economia com o ministro Joaquim Levy, o apoio do povo e do Congresso.

 

Mário Negrão Borgonovi marionegrao.borgonovi@gmail.com 

Rio de Janeiro 

*

'A MAROLINHA VIROU ONDA'

A crise econômica está mais para tempestade. Tomara que seja apenas tropical.

Luigi Vercesi luigiapvercesi@gmail.com  

Botucatu

*

DA MAROLINHA À ONDA

Agora o PT acordou que aquilo que diziam ser uma marola era uma onda que afundou o País!

Laert Pinto Barbosa laert_barbosa@globo.com

São Paulo

*

TÁBUA DAS MARÉS

Como marolinha começou,

Em onda virou,

O mar não serenou,

Em tsunami se transformou,

O Brasil atolou.

Mario Aldo Barnabé mariobarnabe@hotmail.com 

Indaiatuba

*

PROMESSAS VAZIAS

É impressionante o que estamos vendo hoje no nosso Brasil. Há alguns meses, era comum aparecer na tela da nossa TV Dilma Rousseff fazendo promessas e pedindo aos brasileiros que dessem a ela, nas urnas, um voto de confiança, pois ela faria um governo melhor do que o seu primeiro mandato. O povo foi às urnas e a elegeu para mais quatro anos. Passaram-se apenas seis meses do seu segundo mandato, e hoje o que estamos presenciando é um país totalmente desestruturado, onde, além da inflação que aumenta e corrói o salário dos trabalhadores, milhões de pais de família perdem seu emprego, para a maioria das famílias a única fonte de renda. Não bastasse tudo isso, ainda temos de ouvir do ex-presidente Lula que seus adversários políticos temem sua volta em 2018.

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com 

Jandaia do Sul (PR)

*

O ELEFANTE

A presidente Dilma Rousseff declarou, indignada, em recente entrevista à TV France 24, não se considerar ligada às irregularidades ocorridas na Petrobrás e que lutará até o fim para provar tal fato, apelando inclusive para o legado histórico que carrega. Afirmou, também, não concordar com que a estatal esteja, como um todo, propriamente envolvida em escândalo, em face da atuação errada de apenas cinco funcionários. Ora, diante da divulgada magnitude da corrupção relacionada às manobras ilegais de desvio de dinheiro, de cunho político, visando à manutenção do poder partidário, e do fato de Sua Excelência ter exercido a presidência do respectivo Conselho de Administração no período em que a maioria das manipulações ocorreram, o que na verdade propõe é que se acredite, à guisa de analogia, em relato segundo o qual um elefante louco adentra uma lojinha de quinquilharias chinesas e cristais, assume o controle do local, circula por lá várias vezes, devasta tudo, sai e, após o caos resultante, já fora, brada não ter responsabilidade pela destruição, por ter, afinal, um passado respeitável, adiantando que a desordem deixada não pode ser considerada tão escandalosa como propalam, já que a culpa foi somente do proprietário do estabelecimento.

Paulo Roberto Gotaç prgotac@Hotmail.com

Rio de Janeiro

*

PRESIDENTE ACUADA

Incrível como Dilma Rousseff foge da sua responsabilidade ao afirmar para uma TV francesa que nunca foi acusada de desvios e alegar que as campanhas de todos os partidos receberam verbas de empresas sob suspeita. Para impressionar - como sempre sem convencer - e acuada pelo povo brasileiro, a presidente concluiu: "Lutarei até o fim". É verdade que a presidente por enquanto não foi denunciada de ter desviado recurso público. Mas, como chefe da Nação, pesa sobre os seus ombros a responsabilidade pela corrupção na Petrobrás e em outras estatais, porque manteve verdadeiros vigaristas como petistas e aliados nos cargos vitais dessas empresas. Apesar disso, desrespeitando seu próprio povo, não assume a sua responsabilidade. Quanto ao "lutarei até o fim", é bom lembrar que o seu retrospecto de "luta" como presidente, nos pouco mais de quatro anos de gestão, não lhe confere crédito algum: tem sido na base das múltiplas mentiras de campanha, como também sobre a compra da Refinaria de Pasadena, de que "não sabia de nada" sobre o petrolão e de que a desconstrução total da nossa economia é culpa da crise americana e da zona do euro.

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

LEITURA ATENTA

"Nós viramos uma página", disse Dilma sobre a Petrobrás. Nós ainda não saímos do prefácio!

Robert Haller robelisa1@terra.com.br 

São Paulo

*

A MESMA LADAINHA

"Página virada", quantas vezes isso não foi pronunciado só este ano? Plano de R$ 198 bilhões em concessões? Ó, cara-pálida, e o dinheiro vem de onde? Este pacote recém-anunciado pelo governo Dilma não passa de mais um factoide para desviar a atenção dos ignorantes que a levaram ao poder. E com direito a uma plateia de papagaios de pirata. A mim a presidente não engana.

Iria De Sá Dodde iriadodde@hotmail.com 

Rio de Janeiro

*

RECEITA PARA O ATRASO

Lula não lia, Dilma só fala em virar as páginas, ou seja, ninguém aprende nada. Quer melhor receita para o atraso?

Claudio Juchem cjuchem@gmail.com 

São Paulo

*

DILMA FALA

Por que será que Dilma Rousseff coração valente só fala à TV francesa, e não mais à TV brasileira?

Nilson Simas nss.2006@hotmail.com

São Paulo

*

O DOLEIRO YOUSSEF NÃO GOSTOU

O PT destruiu o Brasil de norte a sul. Pior que panelaço e vaia aos autores da implosão é o povo estar chamando a presidente de Dilma Youssef...

Roberto Hungria cardosohungria@gmail.com 

Itapetininga

*

PROCURA-SE O PILOTO

 

Já há algum tempo a aeronave "Brasil" está sem piloto. Graças à competência do copiloto (ministro Joaquim Levy), a aeronave continua voando. Dizem à boca pequena que a pilota (sra. Dilma Rousseff) foi vista andando de bicicleta por aí. Outros dizem que a viram em algum lugar prometendo fundos e mundos em investimento. Quem a vir, por favor, avise-a para retornar ao seu assento e conduzir a aeronave para um aeroporto seguro. O povo brasileiro agradece.

 

Jorge Eduardo Nudel jorgenudel@Hotmail.com

São Paulo

*

AGENDA POSITIVA

Na desesperada tentativa de criar uma agenda positiva que tire o governo do foco da transparente incompetência e sistemática corrupção em que se meteu, a presidente Dilma Rousseff lançou o novo Programa de Investimento em logística (PIL), que contém obras requentadas, uma, inclusive, que parece irmã gêmea do trem-bala (a ferrovia até o Peru) e outras como herança para o seu sucessor tocar a partir de 2016. Assim, esse PIL é uma autêntica peça de teatro, do tipo que se destina somente para inglês ver.

Abel Pires Rodrigues abel@knn.com.br                                    

Rio de Janeiro 

*

A VEZ DO PT DE PRIVATIZAR

No dia 9 de junho, momento em que a aprovação do governo Dilma era de apenas 8%, o governo anunciou o pacote de concessões prevendo investimentos de R$ 198,4 bilhões. O governo precisa agir rapidamente, detalhar os editais licitatórios e providenciar linhas de crédito para financiar esses empreendimentos. Os critérios de fiscalização também serão muito importantes para garantir o cumprimento dos contratos realizados nas concessões. O primordial é tirar o Brasil da estagnação, gerar empregos e retomar o caminho do crescimento econômico. É interessante observar que em nenhum momento a palavra "privatização" foi utilizada pelo governo, que preferiu PIL, Programa de Investimentos em Logística. Há 20 anos o governo FHC foi duramente criticado pelo PT, pois pretendia privatizar mais empresas estatais, além da Vale do Rio Doce, Usiminas, Telebrás e Eletropaulo. Finalmente, Dilma vai passar para a iniciativa privada a administração e o gerenciamento de rodovias, portos, ferrovias e aeroportos.

José Carlos Saraiva da Costa jcsdc@uol.com.br

Rio de Janeiro

*

GOVERNO FELIZ

O governo anuncia todo feliz um programa bilionário de concessões. Fazendo as contas: 3% de R$ 198 bilhões significam que o governo deve ganhar R$ 5,9 bilhões de propinas. Nada mal! Governo feliz é governo que faz obras. O melhor de tudo é que a propina é paga no início da obra, que nem precisa ficar pronta, melhor ainda se tiver de fazer nova "licitação" para terminar, dá para ganhar mais uma propinazinha. Viva o Brasil!

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br 

São Paulo

*

PARA INGLÊS VER

A presidenta Dilma nos brindou com mais um embrulho (pacote). Agora serão quase R$ 200 bilhões de investimentos, para ver se o País sai desse marasmo em que o PT nos colocou. Quando um governante brasileiro anuncia um investimento, pode estar certo de que não cumprirá o prometido dos R$ 200 bilhões, mas somente uns R$ 120 bilhões serão investidos, sem contar os R$ 12 bilhões ou R$ 20 bilhões que desaparecerão nas maracutaias e propinas que fazem parte da cultura nacional. Foi muito oba-oba para inglês ver. Dilma está, na realidade, tentando salvar o restinho de governo que tem pela frente.

José Roberto Iglesias rzeiglesias@gmail.com 

São Paulo

*

EMBRULHO

De pacote em pacote, o que o governo pretende, de fato, é nos embrulhar.

Eduardo A. Delgado Filho e.delgadofilho@gmail.com 

Campinas

*

HERANÇA DE LULA

 

É elementar, minha cara Dilma. Esqueça o que seu professor Lula lhe ensinou. Quando se gasta mais do que recebe, acontece o déficit. Tungar cinco meses do trabalhador sob a forma de impostos é muita coisa, suficiente para manter a casa em ordem. Mas a péssima administração faz com que sobrem migalhas para investir. É simples a solução: basta cortar despesas. Mas tia Dilma teima em manter 39 ministérios e nem sequer cogita reduzir a ineficiente e dispendiosa máquina pública. Daí ferrovias, rodovias e aeroportos serem privatizados, pela absoluta falta de recursos para mantê-los e ajustá-los à nova realidade. Tenha em mente que Lula foi um mau professor.

Humberto Schuwartz Soares hs-soares@uol.com.br 

Vila Velha (ES)

*

SEM PERDÃO

Dilma não tem perdão, o estrago que foi feito na economia do País deve-se a sua incompetência e irresponsabilidade. Milhares de famílias hoje se encontram na penúria e na insolvência, graças aos malfeitos praticados, e a única forma de se desculpar seria renunciando, o que fará, com certeza, bem para o Brasil.

Valdir Sayeg valdirsayeg@uol.com.br 

São Paulo

*

TRAGICÔMICO

Na condução da economia do Brasil, Dilma e Joaquim Levy são Dom Quixote e Sancho Pança em edição atualizada da obra de Cervantes.

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br 

São Paulo

*

MAIS IMPOSTOS

 

Na busca frenética e quase paranoica por aumento de arrecadação, o governo da presidente Dilma Rousseff (PT) trabalha pela volta da CPMF e já se discute uma eventual tributação sobre as grandes fortunas e heranças. A incapacidade gestora é algo que impressiona qualquer um. Temos um Estado totalmente aparelhado, sem independência, no qual as leis são votadas por meio de acordos, conchavos e termos nebulosos. O governo te dá um cargo em X estatal e o grupo Y vota a favor de determinada medida, mesmo sabendo que prejudicará o eleitor, ou seja, aquele que lhes deu uma "procuração" para representá-lo no poder público. Somos um dos países com a maior carga tributária do planeta e com uma das piores devoluções através de serviços e bem-estar social. Agora o PT vem falar de mais impostos? Isso é assumir a incompetência e jogar a conta para o cidadão.

 

Willian Martins martins.willian@globo.com 

Guararema

*

SEM NOÇÃO

O líder do PT demonstra sua burrice ao tentar ressuscitar a em boa hora finada CPMF, o imposto mais burro do mundo.     

Gustavo Guimarães da Veiga ggveiga@outlook.com 

São Paulo

*

TRIBUTAÇÃO DE FORTUNA

 

Ao vir em defesa da tributação sobre fortuna o sr. Rui Falcão me faz lembrar da piada das duas galinhas: na conversa entre dois petistas um indaga ao outro "se você tivesse dois carros, você daria um deles para nossa causa?". Ao ouvir a resposta afirmativa, perguntou novamente: "E se tivesse dois iates também daria um deles para nossa causa?". Novamente a resposta foi afirmativa e, finalmente, ele perguntou e se tivesse duas galinhas também daria uma delas. Tendo um não como resposta, o petista quis saber do outro petista por que a galinha ele não daria. E teve como resposta: "Não daria pois neste caso eu tenho duas galinhas". Moral da história: quando não se tem é fácil dividir.

 

Jorge Eduardo Nudel jorgenudel@hotmail.com

São Paulo

  

*

LULA, PT E IMPOSTOS

 

Mais uma vez, o inculto ex-presidente Lula disse que o PT não está morto, mas ferido. Não. Na verdade, o PT está agonizando e, então, deseja afogar a nação em novos tributos, tais como os elencados pelo seu presidente, deputado Rui Falcão: CPMF e fortunas. É bom lembrar o ilustre metalúrgico e o dirigente socialista que a nação não mais tolera impostos e aumento da absurda carga tributária, ressaltando-se que o imposto sobre fortunas não surtiu nem efeitos e nem rendimentos nos países onde foi implantado, via trabalho desastrado e superado de um socialismo falecido e sepulto. De outro lado, dona Dilma disse que não está contra o PT. Se realmente estivesse, deveria fazer tudo ao contrário do que o PT deseja. Decerto seu governo alcançaria mais popularidade e o povo ficaria mais feliz e contente. Dentro em pouco tempo, o PT vai tornar-se doença grave, compelindo todos a fugir dele!

José Carlos de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br 

Rio Claro

*

DESGOVERNO

 

Coragem é o que eles (PT) não têm para apurar os desvios, os desmandos e as malversações no próprio partido; nem para taxar grandes fortunas, especuladores e principalmente os banqueiros, sempre abastados. E sacrificam sempre o trabalhador, tirando de seu suor os seus benefícios, em nome do pseudocrescimento, quando, na verdade, eles além do desemprego, carestia, inflação, não têm culpa desse desequilíbrio administrativo. Mas estão tentando encontrar um culpado, que é sempre aquele que levanta cedo, cumpre jornada, enfrenta trânsito caótico, instabilidade, etc.

Chega de demagogia e deixem de prejudicar aquele que produz riquezas e nem usufrui as mesmas. Tá na hora de um basta a tudo isso! Vamos para as ruas para lutarmos por dias melhores!

 

Nelson Scatena  nelson.scatena@hotmail.com 

São José dos Campos

*

AS CONTAS DE DILMA

Se perguntar não ofende, o que faz o advogado geral da União, sr. Luis Inácio Adams, percorrer gabinetes dos ministros do Tribunal de Contas da União (TCU) tentando garantir a aprovação das contas de Dilma em 2014? Isenção de opiniões e lados não é requisito básico aos juízes da União?

Ruth Moreira ruthmoreira@uol.com.br 

São Paulo

*

MILAGRES

O vice-presidente Michel Temer considera Joaquim Levy como Jesus Cristo. Tomara que dê tempo de ele fazer os milagres antes de ser crucificado.

Luiz Frid luiz.frid@globomail.com 

São Paulo

*

O JUDAS A SER MALHADO

Joaquim Levy é o anjo bom, que veio para tentar salvar o País da danação da recessão e da inflação. Judas é o PT, que traiu covardemente seus eleitores com falsas promessas de campanha e, por 30 moedas, envolveu-se até o pescoço nos mais sórdidos e nefastos casos de corrupção da história do País. Merece ser malhado até o seu fim! 

J. S. Decol decoljs@globo.com 

São Paulo

*

SONHO

Um dos 39 ministros de Dilma, Armando Monteiro Neto, profetizou em palestra que "houve nos últimos anos confusão entre política anticíclica e política industrial. Agora, queremos ter foco maior na questão da produtividade". Mas, logo após, o despertador tocou e ele percebeu que estava sonhando...

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

*

NEGÓCIOS NO BRASIL

"É extremamente difícil fazer negócios neste país, pois a complicada e burocrática legislação brasileira coloca barreiras únicas no mundo para quem quer investir ou empreender. Há práticas fiscais e logísticas, além de leis protecionistas exageradas, que não são vistas em nenhuma outra nação. Nesses quesitos negativos, o Brasil é incomparável" (depoimento de Hugo Barra, vice-presidente Internacional da empresa Xiaomi). A declaração de Barra merece ser publicada e divulgada! Um país que atrapalha e dificulta a vida de investidores e empreendedores está fadado ao subdesenvolvimento permanente. 

Luiz Magalhães lemaga@gmail.com 

São Paulo

*

NÚMEROS QUE NÃO ME CONVENCEM

Não entendi: Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) tem queda de 1 milhão de inscritos e, segundo o Ministério da Educação, a redução se deve às novas regras que inibem candidatos faltosos. Apesar de a taxa para prestar a prova ter ficado mais cara, número de pagantes aumenta neste ano. Enfim, o número de inscrição cai, mas o número de pagantes aumenta. E, mesmo assim, a prova custará ao governo R$ 534 milhões, enquanto a arrecadação será de aproximadamente R$ 215 milhões. Será que o custo não está superado? Qual foi a taxa de sucesso (propina) que alguém está ganhando nessa "licitação"? Será que estou delirando?

Maria Carmen Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br 

Americana

*

ACABAR COM A DENGUE, UMA TAREFA

 

O Ministério da Saúde investiu R$ 4,2 milhões no combate à dengue entre 2010 e 2014. No quatriênio citado, morreram 2.544 brasileiros atacados pela dengue e, de janeiro a 9 de maio deste ano, o número soma 290 mortos. Declarado extinto em 1958 no Brasil e em mais dez países da América Latina, o mosquito Aedes aegypt, transmissor da dengue, reapareceu nos anos 70. Em 1976 já havia dengue em vários pontos do País, em 1982 registrou-se a epidemia com mais de 1 milhão de doentes no Rio de Janeiro e alastrou-se. As sucessivas mudanças no processo de enfrentamento do mosquito são, seguramente, responsáveis pelo estado de epidemia que hoje enfrentamos. A imprevidência dos governos que não adotaram medidas eficientes e a falta de consciência da população, cujos maus hábitos facilitaram a proliferação do inseto, nos trouxeram à grave situação, que consome elevadas somas de dinheiro público e impõe o sofrimento e perdas ao povo. Só agora é que surgem trabalhos com mosquitos transgênicos que, se derem certo, poderão eliminar a infestação rompendo o ciclo de reprodução. Todo esforço para eliminar o mosquito é fundamental, principalmente porque, além da dengue, ele também transmite as febres chikungunya e zika, outros males já presentes em território nacional.

Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br

São Paulo

Mais conteúdo sobre:
Fórum dos leitores

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.