Fórum dos leitores

APOSENTADORIAS

O Estado de S. Paulo

27 Junho 2015 | 03h00

Reajuste x contas públicas

Todo ano a desculpa é a mesma: os cofres da Previdência sofrerão um abalo sísmico de tantos bilhões de reais. Este ano, segundo o ministro Carlos Gabas, o rombo seria de cerca de R$ 9,2 bilhões. Após a aprovação na Câmara dos Deputados da emenda, incluída na MP 672, que vincula o mesmo reajuste de quem ganha até um salário mínimo a todas as aposentadorias, indistintamente, logo começou a gritaria com as costumeiras “justificativas”. Ora, vamos ser sinceros e honestos com quem contribuiu para o País durante tantos anos, cumprindo a nossa Constituição, que assegura a todos os mesmos direitos. É só o governo economizar nos juros pagos na dívida pública, este ano estimados em R$ 70 bilhões. É só controlar melhor os gastos públicos, não desperdiçando recursos em maus projetos. É só reduzir os ministérios a um número factível e administrável. E, acima de tudo, é só reduzir as perdas com a corrupção. Vão sobrar recursos ainda para a saúde e a educação! Portanto, srs. deputados e senadores, cumpram a sua obrigação, honrem o mandato que lhes foi outorgado pelo voto e, realmente, representem o povo brasileiro, respeitando-o e assegurando o que lhe é de direito.

JOÃO M. VENTURA

joãomv@terra.com.br

São Paulo

*

Previdência em risco

Já repararam que tudo põe em risco a Previdência? Desconfio que ela é a única entidade que sustenta as finanças públicas. Tudo o mais, a roubalheira generalizada, os salários acima do teto, as viagens sem controle dos ministros e funcionários, os 39 ministérios, os diretores e funcionários do trem-bala (que não existe, mas tem servidores!), os milhares de petistas empoleirados no governo e nas empresas públicas, tudo isso pode. Já socorrer os aposentados, cujos salários a cada ano tendem ao mínimo – ou seja, a intenção é pagar a todos o salário mínimo, não importa com que remuneração se aposentaram depois de cumprir com todas as exigências legais –, isso não pode. Não deixa de ser ridícula tanta discussão para ver qual o momento adequado para se aposentar, quando em pouco tempo a remuneração é barbaramente reduzida pela lógica de redução de tudo ao mínimo.

ADEMIR VALEZI

adevale@gmail.com

São Paulo

*

Para os ‘incomuns’, tudo...

A Câmara passou do limite com a correção maior das aposentadorias, disse o presidente da Casa, Eduardo Cunha. Incrível a sensibilidade desse senhor! A mesma Câmara aprovou o aumento dos salários da presidente, do vice e dos ministros de Estado, em dezembro, em 15,7% (de R$ 26,7 mil para R$ 30,9 mil). Na mesma data os salários do STF, que servem como base para o teto salarial do funcionalismo público, aumentaram 14,6% (de R$ 29,4 mil para R$ 33,7 mil). Já os dos aposentados aumentaram só 6,23% em janeiro. Ou seja, para os parlamentares, ministros, presidente e vice, tudo; mas para quem trabalhou a vida toda e agora depende de remédios caros e assistência médica (plano de saúde), uma migalha basta...?! Isso, sim, é administrar em causa própria!

JOSÉ CARLOS ALVES

jcalves@jcalves.net

São Paulo

*

Passou da conta?

Eduardo Cunha afirma que a Câmara passou da conta ao aprovar o aumento igual ao do salário mínimo para os demais aposentados. Isso porque esse senhor e seus coleguinhas congressistas jamais vão receber aposentadorias pelo INSS. Se assim fosse, ele nunca faria tais lamentáveis comentários!

BORIS BECKER

borisbecker@uol.com.br

São Paulo

*

É chacota!

Num país onde o governo se recusa a cortar ministérios inúteis, autarquias de papel e cargos em comissão usados para empregar parentes e amigos; onde a Câmara vai construir melhores acomodações para seus deputados, incluindo um shopping exclusivo; onde os parlamentares definem seus próprios salários e as mordomias que lhes convêm; chamar de irresponsável o reajuste de aposentados pela regra do mínimo é chacota com a classe.

ABEL PIRES RODRIGUES

abel@knn.com.br

Rio de Janeiro 

*

Criminoso e degradante

Diante das declarações de Eduardo Cunha, de que vai tentar impedir o reajuste dos aposentados, pode-se avaliar o grau de individualismo e indiferença que ele dispensa aos idosos, sempre com o mesmo chavão do eterno “déficit” previdenciário. Pura balela, pois só sabem alardear prejuízo nessas ocasiões, nunca sobre as falcatruas na entidade, como o recente caso em Goiás com desvio de milhões de reais. Como também nunca falam contra o desregramento do Executivo com seus cartões corporativos, as mordomias do Congresso, os aumentos do Judiciário... Mas quando se fala em INSS, botam a boca no trombone. Ora, o setor privado é o único segmento da sociedade gerador de recursos para sustentar todos os gastos e mordomias desses privilegiados da Nação, que nos desprezam. É egoísmo, individualismo e indiferença com quem trabalhou e contribuiu dentro de um sistema e, de repente, foi jogado no lixo. É desumano, é deboche sobre os menos favorecidos. É criminoso e degradante.

JOÃO ROBERTO GULLINO

jrobertogullino@gmail.com

Petrópolis (RJ)

*

ANS

Esclarecimento

É incorreta a afirmação de que a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) vai tomar como base os tratamentos ofertados pela rede pública para definir a cobertura obrigatória dos planos de saúde (Para onde vai a ANS?, 25/6, A3). A atualização do Rol de Procedimentos segue critérios técnicos como segurança e efetividade dos procedimentos e disponibilidade de rede prestadora de serviços para os beneficiários. As avaliações feitas pela Conitec são apenas um dos parâmetros utilizados para inclusão ou exclusão de procedimentos. A proposta de revisão que está em consulta pública amplia a cobertura, com a inclusão de 11 procedimentos médicos e de um medicamento para câncer de próstata, diretriz clínica para avaliação geriátrica ampla, mais sessões/consultas com profissionais de saúde e indicações para diagnóstico e tratamento de 16 síndromes genéticas. O medicamento Everolimo não será excluído do rol, permanecendo com indicação para tratamento de tumores no pâncreas, e quem o utiliza para tratamento de câncer de mama continuará tendo acesso ao medicamento. A ANS lamenta as manifestações públicas de entidades que tentam desqualificar a agência reguladora e reforça que sempre agiu pautada por qualidade da assistência, amplo acesso aos planos de saúde e proteção ao consumidor.

ISABELLA ECKSTEIN, assessora de Comunicação da ANS

Silvia Cavichioli

silvia.cavichioli@ans.gov.br

Rio de Janeiro

*

'HABEAS CORPUS' PREVENTIVO

"Alguém" protocolou no Tribunal Regional Federal da 4.ª Região um "habeas corpus" preventivo em favor do ex-presidente Lula, para que o juiz Sergio Moro não possa decretar sua prisão por "lavagem ou ocultação de bens, direitos ou valores oriundos de corrupção". Quem não deve não teme. Já quem deve...

Eduardo Spinola e Castro

esc@scvs.adv.br

São Paulo

*

QUEM NÃO DEVE...

Chegou à Justiça Federal do Paraná um pedido de "habeas corpus" preventivo para o ex-presidente Lula. A assessoria do Instituto Lula logo se apressou em colocar panos quentes no caso, alegando o desconhecimento do ex-presidente. Tratou, ainda, de formular duas hipóteses para o ocorrido: ou a ação partiu de um petralha entusiasta ou de um opositor - o já habitual complexo de perseguição do PT. Ecoam nas redes sociais, nos jornais e em conversas informais a possibilidade de Lula estar se antecipando ao inevitável - lembrando das suas ligações com a Odebrecht. De qualquer forma, foi um grave erro estratégico, pois trouxe seu nome para o centro das investigações. Lula, quem não deve... não teme. Será que a carapuça serviu?

Elias Menezes elias.natal@hotmail.com 

Nepomuceno (MG)

*

PROVÉRBIOS

Como o juiz Sérgio Moro está levando a sério sua função e não brinca em serviço, "é melhor prevenir do que remediar". O ex-presidente, que diz não saber de nada, mas sabe de tudo, em razão da prisão de gente graúda da Odebrecht, astutamente prevenido, está sob "habeas corpus" preventivo. Para quem tem a consciência limpa, "quem não deve não teme", que, na realidade, é o oposto de "é melhor prevenir do que remediar". "Pra quem sabe ler um pingo é letra".

Humberto Schuwartz Soares

hs-soares@uol.com.br 

Vila Velha (ES)

*

ATÉ PROVA EM CONTRÁRIO

Ninguém entra com "habeas corpus" prematuramente, como o impetrado pelo advogado Maurício Ramos Thomaz, contra prisão do ex-presidente Lula pela Operação Lava Jato, a não ser que tenha havido vazamento da informação de uma prisão iminente. Se não houve vazamento, houve excesso de zelo do "companheiro". Mas, em qualquer das possibilidades, enterra de vez na testa de Lula um "sou culpado até prova em contrário"!

Beatriz Campos

beatriz.campos@uol.com.br 

São Paulo

*

PORTA DE BOTECO

Há que reconhecer que esta história de "habeas corpus" em favor do ex-presidente Lula, para não lhe causar maiores problemas pessoais e à sua reputação no caso Lava Jato, não passa de mera balela. Anunciar e alardear tal fato baixa o nível do debate da disputa política. Trata-se da mais pura fofoca de porta de boteco. Não é por aí!

José Piacsek Neto

bubanetopiacsek@gmail.com 

Avanhandava

*

É A LÓGICA

Senhor ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, por que será que nós, os Zé Manés (os que trabalham e que pagam impostos), não temos necessidade de um "habeas corpus" preventivo?

Marcos Catap

marcoscatap@uol.com.br

São Paulo

*

CORPO FECHADO

O medroso e palavroso ex-presidente Lula, em vez de pedir "habeas corpus" preventivo, devia procurar um feiticeiro "Antonico" qualquer, para fazer um trato, igual àquele do Manuel Fulô, personagem de "Sagarana", de Guimarães Rosa, para "fechar-lhe o corpo". Se não tiver uma mula como a Beija-Fulô para dar em pagamento, que improvise um "jumento" qualquer da tropa do PT.

Sergio S. de Oliveira

ssoliveira@netsite.com.br 

Monte Santo de Minas (MG)

*

OPERAÇÃO LAVA JATO

Os "barões" das empreiteiras corruptas e corruptoras vêm a público, nas páginas dos jornais, publicando "comunicados" em que mostram indignação pela maneira como as estão tratando algumas autoridades sérias e responsáveis desta nação. Essa ira, hipócrita e descabida, com que tentam embair a opinião pública só aos inocentes e ignorantes pode sensibilizar. Melhor farão em calarem-se e recolherem-se em obsequioso silêncio, não agredindo a cidadania que já tem opinião formada sobre suas turpitudes. Que, acolhidos na Papuda, cumpram sua pena com um pouco de dignidade.

Mário Rubens Costa

costamar31@terra.com.br   

Campinas

*

PÚBLICO-ALVO

Andrade Gutierrez e Odebrecht, com as notas de esclarecimento publicadas nos veículos de comunicação, querem atingir quem? Faltou dizer que a corrupção que praticam e praticaram é nobre, que tem objetivos sociais. Poupem-nos, por favor.

José Roberto Iglesias

rzeiglesias@gmail.com 

São Paulo 

*

SANTIDADE

Lendo as notícias sobre a Operação Lava Jato, constatamos que todos os indiciados se proclamam inocentes. Também os recentes informes das empreiteiras, publicados nos jornais, declaram a absoluta inocência de seus diretores e executivos, exaltando a ilibada conduta de todos. Com isso, nos próximos meses, o tribunal do Vaticano ficará assoberbado com tantos processos de canonização de toda esta santidade.

Sergio Cortez

cortez@lavoremoveis.com.br  

São Paulo

*

VALE PARA TODOS

A Polícia Federal deveria ter deixado a fase "Erga Omnes", da Operação Lava Jato, reservada para quando o incansável Sergio Moro colocar na cadeia o verdadeiro comandante da elitizada quadrilha que promoveu o maior assalto aos cofres públicos do País. É quando finalmente acreditaremos que realmente a justiça é para todos.

Abel Pires Rodrigues

abel@knn.com.br                                    

Rio de Janeiro 

*

CUSTA ACREDITAR

Com larga vivência na área de Engenharia, custa acreditar que a Odebrecht e a Andrade Gutierrez precisem recorrer a propinas para efetuar negócios com a Petrobrás. Como duas das maiores empreiteiras do País, é natural que obras de grande porte viessem a ser concedidas a elas naturalmente. Estariam elas concorrendo com empresas do exterior, que precisariam deslocar funcionários, equipamento pesado, construir infraestrutura? 

Abdias Ferreira Filho

abmetall@terra.com.br

São Paulo

*

'ÓDIO'

Lendo o artigo "Ódio", de Luiz Fernando Veríssimo (26/6, C8), fico imaginando como são tacanhas as verdades de cada um, inclusive a minha. Defender o PT e seu líder, Lula, dizendo que essa agremiação e seu líder tiraram da miséria milhões de brasileiros e diminuíram a desigualdade social, dizendo serem estes os grandes feitos deles, é de menor importância. Estas milhões de pessoas que saíram da miséria estão, agora mesmo, voltando para ela. A dita diminuição da desigualdade já não existe mais. Milhões de pessoas já não conseguem, ao menos, pagar sua conta de luz. Na minha opinião, independentemente de qualquer partido ou ideologia, um país tem de fazer planos seculares. Este partido e seu líder fizeram planos para as próximas eleições. Obras bilionárias estão inacabadas e siglas com orçamentos bilionários de inclusão social, tais como Fies, Prouni, entre outras, se esgotaram. Tudo por falta de planejamento. Penso que, se a maior parte desse dinheiro tivesse ido para a educação fundamental, teria sido melhor. Eu vi a festa de posse de Lula quando do seu primeiro mandato e pensei que ali estava o homem que poderia fazer as grandes mudanças exigidas pelo Brasil. As reformas política, pública, fiscal, tributária. Todas elas. Este homem tinha o povo nas mãos. Vi, quando foi discursar em Curitiba, se não fosse posto num carro por seguranças, teria ido nos braços do povo. Este homem e seu partido podiam ter mudado para melhor o rumo do nosso país. Dizer que houve melhora do povo por somente dez anos é muito pouco.

Alfredo Yazbek Neto

alyaz@terra.com.br 

Curitiba

*

NA CONTRAMÃO DA UNANIMIDADE

Cumprimento o "Caderno 2" por editar Luis Fernando Veríssimo, talvez hoje a mente mais brilhante da imprensa tupiniquim, sem perder jamais a ternura e o humor. Como colaboradora desde 1968, por 35 anos,  do jornal dos Mesquita, na área cultural, como crítica de teatro e tendo recebido em 2013 o Caboré da APCA como intelectual do ano, ouso discordar da unanimidade notável - (leia-se Nelson Rodrigues) - das missivas ao "Fórum dos Leitores". Como exemplo do que escrevi, o texto "Resistência à Besta Apocalíptica", de minha autoria, publicado no "Estadão" em 1979, desafiava um regime ditatorial, que prendeu e torturou Dilma Rousseff pelo "crime" de garantir hoje, aos que a odeiam, a liberdade de vilipendiá-la. E a Jô Soares, o livre arbítrio permitido pela Constituição de 1988 para entrevistar quem quiser, respeitando opiniões diversas. Se esta carta for publicada, o que duvido, por ser ovelha negra na linha do "Fórum", agradeço a atenção dispensada.

Ilka Marinho de Andrade Zanotto

ilkamazanotto@gmail.com

São Paulo

*

O PITORESCO VERÍSSIMO

No seu artigo de 26/6 (C8), o senhor Luiz Fernando Veríssimo fala sobre a "matéria jornalística" que Jô Soares fez com Dilma Rousseff, enaltecendo as qualidades de homem civilizado, sintonizado com o seu tempo, que respeita a diversidade de opiniões e o direito dos outros de expressá-las e dizendo que Jô fez uma matéria jornalística importante e correta. Eu e muitas outras pessoas discordamos totalmente da sua opinião, senão vejamos: por que o programa foi gravado no Palácio do Planalto, e não nos estúdios da Globo, e sem o quarteto, que era sexteto e, por causa da crise, dois foram cortados? Seria por falta de coragem de dona Dilma, "mulher sapiens", de enfrentar a plateia? Por que em nenhum segundo Jô disse as palavras corrupção, mensalão, petrolão e mentiras na eleição? Ou as perguntas seriam previamente combinadas com dona Dilma, "mulher sapiens", para não contradizê-la? Por que Jô não faz o mesmo programa com alguém da oposição, para que não haja a dúvida do contraponto e ambos os lados tenham a mesma chance, a fim de que a dúvida de programa "chapa branca" seja eliminada? Portanto, como também o senhor Veríssimo levanta duvida sobre se o PT foi assassinado ou suicidou-se, não temos a mínima duvida de que, depois de execrar nos palanques políticos os adversários Maluf, Sarney, Collor e Barbalho, o seu PT, quando chegou ao poder, fez a pior coisa que alguém honesto poderia fazer: aliou-se aos nefastos e abraçou-os em sua própria casa, portanto, o PT suicidou-se. Continuarei lendo os artigos de Veríssimo no "Estadão", são muito divertidos e pitorescos.

Antônio Carelli Filho

palestrino1949@hotmail.com

Taubaté

*

DATA VÊNIA

Permitam-me um contraponto à crônica "Ódio" (25/6, C8). Concordei com boa parte do texto, exceto quando questiona como o PT morreu, se por suicídio ou assassinato. Digo que nem uma coisa nem outra, pois ele morreu ou está morrendo de morte morrida.  Não há um ditado que diz que quem destila o ódio ateia fogo no próprio coração? Pois bem, o PT não fez outra coisa senão destilar, destruir, desconstruir quem quer que cruzasse seu caminho discordando. Eles poderiam mesmo ter sido uma alternativa, mas o que fizeram foi fazer com que retornemos 20 anos no tempo e com uma enorme conta para eu, minha família, meus netos e quiçá bisnetos pagarmos. Não é conservadorismo raivoso, não, muito pelo contrário, receberam o poder civilizadamente com as bases lançadas e todos, ou pelos menos a grande maioria, acreditaram em Lula lá, inclusive a oposição. É uma história muito triste, sim, e o PT, Lula, Dilma & Cia devem agradecer por não existir outro PT na oposição, porque aí seria o caos definitivo e sem retorno. Finalmente, gostaria de dizer que não devemos nada, absolutamente nada, a eles, porque foram contratados com altos salários, vantagens, regalias para fazer o trabalho que não fizeram, apenas distribuíram dinheiro aos pobres e aos mais necessitados - corretamente - apenas e tão somente de olho em 40 milhões de votos. E não sou eu quem digo isso, mas o honrado e honesto dr. Hélio Bicudo, que deixou o PT justamente pelas traições, cujas palavras ouviu da boca do também "honrado" José Dirceu. Fazer o que agora? Infelizmente, começar de novo, recolher os cacos, engolir todo este engodo retomando os cargos, o dinheiro roubado - como confessado em público pelo próprio Luiz Inácio - e, como disse, sorte deles, pois se fosse "raivosismo", como falou Veríssimo (aliás, não passamos de otários nas mãos deles), as coisas não estariam pacíficas como estão. Continuo leitor de Veríssimo, com muito respeito ao seu rico trabalho, apenas que ele me permita a devida vênia.

Edson Gomes

edsoncontec@uol.com.br

São Paulo

*

SUICÍDIO

Jô foi muito diferente do que é entrevistando a presidente Dilma. Eu assisti à entrevista, posso afirmar; Veríssimo não, só presumir. Quanto à morte do PT, se foi suicídio ou assassinato, o editorial de quinta-feira do "Estadão" deu a resposta: quem implanta uma nova matriz econômica com amargos efeitos, combinada com uma miopia ideológica, só pode praticar o suicídio.

Percival C Neves

percivalcorrea@bol.com.br 

Sao Paulo

*

CONQUISTAS

Depois de ler o artigo "Ódio", cheguei à conclusão de que Veríssimo morreu e não sabe. Realmente, o Brasil obteve muitas conquistas com o PT no poder, a começar pela inflação projetada para 2015, de 9% ao ano, o recuo no PIB...

Pedro Felice Perduca

pfperduca@terra.com.br 

São Paulo 

*

RESSACA

O ministro Joaquim Levy disse que o Brasil "enfrenta uma espécie de ressaca, daquelas que deixam o mar agitado". Disse, ainda, que o reajuste da conta de energia, a diminuição na arrecadação de impostos e a economia em marcha lenta seriam a causa da ressaca. A taxa de desemprego na Região Metropolitana de São Paulo alcançou 12,9% em maio. O Banco Central prevê uma inflação de 9% para 2015. Para tirar o País da marcha lenta, precisamos de novos empreendimentos no País, gerando milhares de postos de trabalho, que foram extintos, e possibilitando o gradual aumento do consumo. Taxas de juros mais baixas também estimulam os consumidores. Deste modo, poderemos engatar a primeira marcha e tirar o País desse estado estacionário. 

José Carlos Saraiva da Costa

jcsdc@uol.com.br

Rio de Janeiro

*

DEPOIS DO PILEQUE

Preocupado com o exemplo de uma ressaca marítima, que vai e vem, para justificar a situação econômica atual, o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, omitiu a impiedosa ressaca imposta ao povo brasileiro depois de 12 meses e 174 dias de embriaguês petista.

Sergio S. de Oliveira

ssoliveira@netsite.com.br 

Monte Santo de Minas (MG)

*

'LEI DO CALOTE', O INÍCIO DA RESSACA

O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, disse na terça (23/6) que o Brasil enfrenta uma espécie de ressaca, pela perda de arrecadação e, principalmente, pela economia em marcha lenta. A verdade, mesmo, é que a ressaca teve início quando o Planalto aprovou em 2014 a chamada "Lei do Calote", que permitia à presidente Dilma economizar menos para pagar os juros da dúvida pública, sem sofrer as consequências da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). A partir daí, a confiança dos investidores e do empresariado em geral foi para o espaço, resultando na atual estagnação econômica.

Edgard Gobbi

edgardgobbi@gmail.com 

Campinas 

*

ESPERTOS

Poderosos empresários criticam desequilíbrio fiscal e a incompetência geral do governo, mas não veem nada de errado quando esse mesmo governo lhes concede energia elétrica subsidiada até 2037 ("Estado", 24/6, B5).

Fernando Moreno

frodg434@hotmail.com

São Paulo

*

CARGAS EXPLOSIVAS

O esquadrão antibomba não rastreou direito a denúncia de bombas esta semana, em Brasília. Examinadas, as três malas deixadas nos portões do Palácio do Planalto não revelaram perigo algum, quando a "mala" com a bomba verdadeira está instalada no 5.º andar palaciano desde 2010, momentaneamente com meia carga ou quase nada, mas o suficiente para destruir quase todo o Brasil. Além desta, outros filhotes de artefatos foram estrategicamente ajeitados em estatais, autarquias e ministérios, e já começaram a "pipocar". O primeiro estrondo destruiu a Petrobrás e a Polícia Federal já rastreia outros que podem explodir a qualquer instante. Na mira estão o Banco do Brasil, a Caixa Econômica Federal e o BNDES. E o "Lulabomber", responsável por essas destruições, continua por aí, se preparando para voltar a agir em 2018.

Sérgio Dafré

Sergio_dafre@hotmail.com

Jundiaí

*

HERANÇA MALDITA

Péssima administração pública e gigantesca criminalidade na política. Essa é a herança maldita do PT. O partido configura-se no maior estelionato jamais sofrido pelo povo brasileiro. Nunca na história deste país o povo foi tão tripudiado por vivaldinos sem caráter na política. Impeachment para Dilma, fora PT e adeus, Lula, que declarou: "Vamos botar o exército do Stédile nas ruas". Por um Brasil honesto e democrático.

Ottfried Kelbert

okelbert@outlook.com 

Capão Bonito

*

POBRE BRASIL

O Brasil, graças ao PT, ao populismo de Lula e à incompetência tanto política quanto administrativa de Dilma, caminha para um leito de UTI. O quadro clínico pode tornar-se terminal, caso não apareça um cirurgião com especialização em atos de improbidade da presidente para estancar a grave doença, eliminando todos os sintomas.

Olavo Fortes C. Rodrigues

olavo_terceiro@hotmail.com 

São Paulo

*

FEBEAPÁ TURBO

Com o fim do governo Lula, embora lamentando a continuidade do ciclo petista, muitos de nós ao menos pensávamos ter-se encerrado a rotina de "pérolas" presidenciais, já que, desta feita, assumia alguém com curso superior. Ledo engano. Com Dilma Rousseff, a ungida do "ex", seguimos brindados quase que diuturnamente com novas pataquadas dignas de uma nova edição, revista e atualizada, do Febeapá - o Festival de Besteiras que Assola o País, do imortal Sergio Porto (Stanislaw Ponte Preta). Na Conferência do Clima em Copenhague, por exemplo, Dilma nos assegurou que o meio ambiente era "...uma ameaça (sic) ao desenvolvimento sustentável". Em outro evento, ufanou-se de que "...a inflação foi uma conquista (sic) desses dez últimos anos do governo do presidente Lula e do meu governo". De fato, pelos dados do IPCA, não há como contestá-la. Outras contribuições não menos hilárias a estas se juntaram ao longo dos anos, assim como, por exemplo, aquela de que a Zona Franca de Manaus era a "capital da Amazônia", ou, então, a história das crianças que também nos fazem lembrar dos... cachorros, e outra em que S. Exª manifestou grande "respeito" pelo ET de Varginha. No firme propósito de superar as estatísticas de Lula no quesito "produção de abobrinhas", Dilma também contou-nos o que sabe sobre a atuação feminina: "As mulheres abrem o negócio, têm seus filhos, criam os filhos e se sustentam, tudo isso abrindo o negócio". É possível que a "presidenta", nesse caso específico, estivesse se referindo a um tipo especial de mulher, quem sabe (?) à "mulher sapiens" a que acaba de se referir no Piauí num discurso em que assegurou à Nação que a "mandioca" é uma grande conquista dos brasileiros. E, depois, ainda tem quem fique se indagando por que estranha razão um país com tantas potencialidades como o nosso está do jeito que está.

Silvio Natal

silvionatal49@gmail.com    

São Paulo

*

PARTIDO DA MANDIOCA

Depois da "saudação à mandioca" feita pela presidente Dilma na abertura dos Jogos Indígenas, não resta outra opção senão a de ser pedida a interdição judicial da "mulher sapiens", nomeando-se um curador e providenciada a internação em clínica psiquiátrica, com uso obrigatório de camisa de força. Se isso não for providenciado com urgência, a "mulher sapiens" pode querer fundar o PM, o Partido da Mandioca, e um bordão: Mandioquetes unidas jamais serão vencidas! Ninguém merece!

Arlete Pacheco

arlpach@uol.com.br 

Itanhaém 

*

LÓGICA

Se é aceitável "mulheres sapiens", também o é "seras humanas".

Carlos Renato Napoleone

crnapoleone_50@itelefonica.com.br 

Agudos

*

SUGESTÕES AOS REPRESENTANTES DO PT

Batalhem para que o Dia Nacional da Mandioca se torne feriado nacional. Iniciem uma coleta, entre os correligionários, para a construção de um Memorial da Mandioca, na Praça dos Três Poderes, dando o crédito à "mulher sapiens", nossa "presidanta". O mundo se curvará novamente ao PT.

Jose Carlos Amaral

jc-amaral@bol.com.br

São Paulo

*

ELA MERECE

Ao vencedor, as batatas; e, para Dilma, a mandioca. 

Ademir Valezi

adevale@gmail.com 

São Paulo 

*

UM RECADO A DONA DILMA

Vá plantar mandiocas!

Ariovaldo Batista

arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

*

ASSIM NÃO DÁ!

Será que a Constituição não tem uma "brecha" para que o presidente em exercício tire uma licença de seis meses? Seria o tempo ideal para a "mulher sapiens" sair do noticiário e da piada do dia. Pelo bem das mulheres deste país, dê um tempo, Dilma Rousseff, um bom tempo...

Luiz Ress Erdei

gzero@zipmail.com.br

Osasco

*

PRECONCEITO SEXUAL

Em entrevista ao "Washington Post", a presidente Dilma produziu mais uma de suas pérolas ao afirmar-se vítima de "preconceito sexual". É verdade que ela não é nenhuma Brastemp, mas a chilena Michele Bachelet e a alemã Angela Merkel também não são, e nunca posaram de mal amadas. Como diz o ditado, desculpa de aleijado é muleta, mas a "presidenta" mostrou que não tem mais por onde apelar.

Hélio de Lima Carvalho

hlc.consult@uol.com.br

São Paulo

*

CONSERVADORISMO?

O ex-presidente Lula e o presidente do PT, Rui Falcão, conversaram sobre a "ofensiva conservadora voltada contra" o PT. Desde quando praticar justiça significa conservadorismo?

Luciano Harary

lharary@hotmail.com 

São Paulo

*

VOLUME MORTO

Na semana passada Lula, criticando sua sucessora, dizendo que ela e o PT (este abaixo) estão no volume morto, inclusive ele também, demonstrou ao povo brasileiro o quanto o nosso Brasil está politicamente numa situação caótica, confusa e desordenada. Volume, no caso, que dizer grandeza, competência, poder, etc. Morto, também politicamente, tem o significado de deixar de existir. Simbolicamente, a última reserva política prestigiosa (Lula) que o petismo tem e que irá a Brasília para reunir-se com as bancadas do Senado e da Câmara do seu partido para que saiam da defensiva em relação à Operação Lava Jato, da Polícia Federal, felizmente, veio tarde demais. 

Antonio Brandileone

abrandileone@uol.com.br 

Assis

*

O SALVADOR DA PÁTRIA?

Lula reconhece que ele é o próprio volume morto ("a presidente Dilma Rousseff está no volume morto e o PT está abaixo do volume morto"). Ora, ele colocou um "poste" na Presidência e agora vem, com a maior cara de pau, afirmar que o "poste" não aceita suas orientações? Na verdade, pretende pavimentar o caminho para a sua volta ao Planalto como "salvador da pátria".

Júlio Roberto Ayres Brisola

jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

*

DESAPROVAÇÃO AO GOVERNO

O inventor de postes devia saber que governo de posta só podia dar nisso...

César Garcia

cfmgarcia@gmail.com 

São Paulo 

*

FUTURO

Quando o sr. Lula fala de "volume morto", está correto, estamos no volume morto desde 3/1/2003. Com relação a projetos e planos para 2018, seria melhor esperar a evolução da Operação Lava Jato.

Celso de Carvalho Mello

celsosaopauloadv@uol.com.br 

São Paulo

*

LULA E DILMA

Afinal, Lula acertou uma! Volume morto é falta de credibilidade política. Armazenado bem abaixo do ponto de vista ético e moral. Só pode ser captado por marketing eleitoreiro e mendacidade.

Arnaldo Ravacci

arnaldoravacci05@gmail.com  

Sorocaba

*

PIMENTEL NA MIRA DA PF

O governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), ex-ministro de Dilma, desde que prefeito de Belo Horizonte, deixou algumas denúncias de ilícitos praticados contra si, mas ainda não esclarecidas ou bem investigadas. Agora volta ao noticiário, envolvendo até a sua mulher em suposta empresa fantasma em que aferiram verbas ilegais para sua campanha eleitoral de 2014, como indicou a 1.ª fase da Operação Acrônimo, da Polícia Federal (PF). Com a 2.ª fase da mesma operação (25/6), a PF, ao fazer busca e apreensão de documentos, computadores, etc. num hangar de aeroporto e no escritório de uma agência de publicidade em Belo Horizonte que atende o PT, a situação e a imagem do governador se complicam. Já que, se as investigações estão prosseguindo, é porque a PF tem informações importantes para recolher provas de supostos ilícitos que podem comprometer o futuro político de Pimentel. O que evidencia mais uma vez que a maioria das notórias figuras do PT, infelizmente, vem assumindo o poder, seja municipal, estadual ou federal, como no caso da Operação Lava Jato, mais para dilapidar os cofres públicos deste país...

Paulo Panossian

paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

MISSÃO VENEZUELA

A nova comissão de parlamentares brasileiros que visita a Venezuela deve dizer que os presos de lá são tratados a "caviar e champanhe". É o que Henrique Pizzolato gostaria de encontrar em nossos presídios.

Luiz Frid

luiz.frid@globomail.com 

São Paulo

*

ESQUERDISTAS

O que foi fazer na Venezuela esta nova comitiva de parlamentares esquerdistas? Bater palmas para o ditador gastando dinheiro dos contribuintes brasileiros? E as leis no Senado? Em italiano, esquerda é "sinistra".

Mário A. Dente

dente28@gmail.com 

São Paulo

*

POLICIAL X LADRÕES DE MOTOCICLETA

Prenderam um herói, o policial militar que teve peito de ir sozinho arriscar sua vida para nos proteger, ganhando uma merreca, e, ao vencer a bandidagem, com toda adrenalina de ter arriscado sua vida, é criticado pela imprensa e pelo comando da PM, querendo que naquele momento tenso tivesse regularidade de atitude. Só quem não teve ainda um 38 apontado para si e sua família por bandidos que nada têm a perder pode ser cretino para criticar a atitude deste heróico PM, que deveria ser condecorado. Assim a bandidagem vence sempre, por ser protegida pela sociedade dita politicamente correta.

Ronaldo Rossi

ronaldo.rossi1@terra.com.br 

São Paulo

Mais conteúdo sobre:
Fórum dos leitores

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.