Fórum dos leitores

CRISE NA GRÉCIA

O Estado de S. Paulo

04 Julho 2015 | 03h00

Dilma e Tsipras

Parece que o DNA político da nossa presidente e do primeiro-ministro da Grécia, Alexis Tsipras, é o mesmo! Demagogos, não enxergam a realidade de suas economias e mentiram igualmente em suas campanhas eleitorais. Dilma afirmava sem ruborizar que a inflação estava sob controle e nada havia a mudar na condução da política econômica, e deu no que deu. Tsipras bradava em sua campanha que não iria humilhar seu povo com mais sacrifícios de aperto fiscal. Tampouco se curvar às exigências da Comissão Europeia, e do FMI, em troca da tão necessária ajuda financeira. Coincidência ou não, tal como Dilma, que tentou e, felizmente, não conseguiu concluir a farsa de um plebiscito para definir algumas reformas, preocupada com as manifestações populares de 2013, o primeiro-ministro grego esnobou um inadiável acordo com os credores, mesmo com a economia grega no fundo do poço, e anunciou um plebiscito para domingo, jogando nas costas do seu povo a decisão de se submeter ou não às regras de austeridade indicadas pela Comissão Europeia. Em troca o incompetente Tsipras impõe humilhante e inédito calote ao povo grego.

PAULO PANOSSIAN

paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

Dicas ‘espertas’

Dadas as atuais circunstâncias da economia grega, arrisco-me a dizer que o primeiro-ministro Tsipras ouviu atentamente os conselhos de Lula e Dilma, seguindo-os à risca. Em 2012 Tsipras veio ao País conhecer a experiência daqueles que arquitetaram o “exemplo” de gestão. Certamente, se o primeiro-ministro tivesse mais conhecimento sobre o caso da Terra brasilis, creio eu, jamais pisaria em solo tupiniquim. Consolidadas as ideias nos ares “progressistas” do lulopetismo, logo a Grécia abandonou a política de austeridade fiscal. Fica a indagação: quem se recupera primeiro, Brasil ou Grécia? Façam suas apostas!

ELIAS MENEZES

elias.natal@hotmail.com

Nepomuceno (MG)

Situação geral

Pelos fatos que estão ocorrendo no nosso país, parece-nos que é a Grécia que está ensinando o caminho.

JORGE MEMA BERNABA

jorgebernaba@gmail.com

Araçatuba

Voz do povo 

Imaginem se Dilma, como vão fazer domingo na Grécia, fizesse uma consulta popular para saber se a população aceitaria os ajustes fiscais propostos por ela para consertar a economia que ela mesmo destruiu...

SILVIO LEIS

silvioleis@hotmail.com

São Paulo

BRASIL-EUA

Caíram na real?

Vejo, com surpresa, o governo federal (na viagem de Dilma aos EUA) tentando atrair capitais norte-americanos para ferrovias, estradas, portos e aeroportos. Há 12 anos isso era tachado de “entreguismo” por esse mesmo grupo. O que foi que mudou?

NÍVEO AURÉLIO VILLA

niveoavilla@terra.com.br

Atibaia

Livre-comércio

Com o perigo do impeachment rondando o Palácio do Planalto e submissa ao desastrado Mercosul, Dilma agora aspira ao livre-comércio com os EUA?! É a tentativa desesperada de criar agenda positiva, mesmo contra suas convicções esquerdistas. Para ela, os fins justificam os meios – assim foi na década de 1970 e assim é hoje, com a promessa de “fazer o diabo”. Enquanto isso, Lula procura outra sombra onde amarrar o seu burro e posar de inocente para 2018.

OTTFRIED KELBERT

okelbert@outlook.com

Capão Bonito

LULOPETISMO

O ‘Barba’ em ação

Ele continua o mesmo. A mais nova prova do Lula traiçoeiro foi ter convocado os líderes na Câmara, na ausência de Dilma (em visita aos EUA), para tratar de assuntos que envolvem o governo dela. Mesmo afastado ele não quer perder o poder! 

LAERT PINTO BARBOSA

laert_barbosa@globo.com

São Paulo

Salve-se quem puder

De fato, engana-se quem acha que Lula foi a Brasília tentar salvar a dona Dilma, seus ministros e o governo. Ele foi é tentar salvar a própria pele do esguicho da Lava Jato.

FREDERICO D’AVILA

fredericobdavila@hotmail.com

São Paulo

Preparando 2018

Insisto com minha tese: o criador está se descolando da criatura e vai criar um novo partido para 2018 com os fiéis que ainda o acompanharem. Dilma que se cuide, vem chumbo grosso da parte do PT que ainda é comandada por Lula. Ele, como sempre, vai trair os “cumpanheiros” e entregá-los às feras. É um sem caráter notório. E covarde.

GERALDO R. BANASKIWITZ

geraldo.banas@gmail.com

São Paulo

CORRUPÇÃO

Lula vai à luta

Lula tenta recompor a linha de ataque e a coesão da defesa da refrega em que se insere. Preocupa-se com seu futuro mais do que com a salvação de sua protegida. O plano é salvar a pele de uma possível e provável chamada a explicar à Nação a natureza de sua eventual participação no esquema Petrobrás. As delações premiadas vão apertando o cerco das provas. Pela pressa do protagonista hors-concours em azeitar a máquina, falta pouco.

SERGIO HOLL LARA

jrmholl.idt@terra.com.br

Indaiatuba 

Delação premiada

A cada nova acusação que vem à tona no enorme esquema de corrupção montado pelo PT em conluio com as empreiteiras, a desculpa oficial é sempre a mesma: foram doações legalizadas de campanha... Na delação premiada do sr. Ricardo Pessoa, presidente da UTC, sobrou para todo mundo: PT, PSDB, Fernando Haddad, etc. Duvidando da inteligência da maioria do povo brasileiro, novamente todos dão a mesma justificativa: doações legalizadas. Na época do mensalão foram essas mesmas palavras usadas pela defesa dos réus, que foram condenados e viraram “guerreiros do povo brasileiro”. E agora, será que teremos mais condenações e as mesmas homenagens aos condenados ou o único condenado por corrupção será o sr. Pessoa? O tempo dirá.

HENRIQUE SCHNAIDER

hschnaider4@gmail.com

São Paulo

Já está ficando chata essa desculpa esfarrapada. Mudem o disco.

PAULO HENRIQUE C. DE OLIVEIRA

ph.coimbraoliveira@gmail.com

Rio de Janeiro

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

JOSÉ DIRCEU E A LAVA JATO

Quem pode pode! E dinheiro é que não deve estar faltando para José Dirceu (PT). Ele esnoba: contratou uma bancada de seis renomados advogados, que assinaram um pedido surpreendente de “habeas corpus” preventivo, no Tribunal Regional Federal (TRF) da 4.ª região, em Curitiba. Isso para que o já réu do mensalão e ex-ministro da Casa Civil de Lula não seja preso no curso da investigação da Operação Lava Jato. Subentende-se, assim, que a consciência de Dirceu deve estar muito pesada, já que denúncias contra ele são fartas. Mais ainda agora, que seu dileto amigo apontado como operador de propinas da Engevix, Milton Pascowitch, depois de 39 dias preso, solicitou delação premiada, que foi aceita, e já afirmou ter repassado ao ex-ministro recursos ilícitos adornados sob o manto de falsas consultorias feitas por Dirceu. É desse jeito que Zé Dirceu quer recuperar sua imagem?

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

INSTINTOS PRIMITIVOS

José Dirceu é, sem dúvida, uma figura controversa, que na época da ditadura fez treinamento de guerrilha em Cuba e depois voltou para o Brasil, casou-se e escondeu da esposa sua verdadeira identidade e lutou pela “democracia”. Foi condenado no julgamento do mensalão e virou “guerreiro do povo brasileiro”, e manteve o punho erguido, considerando-se, assim como seus companheiros petistas, um “injustiçado”. Pouco tempo depois, pela “indulgência” do ministro Luis Roberto Barroso, obteve a liberdade. Mas parece que agora, pouco tempo depois, está novamente encrencado, numa situação complicada e temendo ser preso novamente. Por isso o pedido de “habeas corpus”, para não ser preso. E agora faço a pergunta: outra vez “injustiçado”? Como afirmou outro condenado, Roberto Jefferson, anos atrás, parece que José Dirceu desperta nas pessoas os instintos mais primitivos.

Henrique Schnaider hschnaider4@gmail.com 

São Paulo

*

INÉDITO

Pelo que entendi, se José Dirceu voltar ao cárcere, será o primeiro brasileiro (como já está em prisão domiciliar) a ser re-preso.

Eduardo Augusto Delgado Filho e.delgadofilho@gmail.com 

Campinas 

*

‘HABEAS CORPUS’

Os seis advogados do condenado na Ação Penal 470 (mensalão) Zé Dirceu, do PT, entraram com pedido de “habeas corpus” preventivo, para defendê-lo da “iminência de sofrer constrangimento ilegal” por parte das autoridades da Operação Lava Jato (Petrolão). Depois de vários meses preso e sem exercer cargo político há anos, quem conseguiria pagar seis advogados, entre eles um dos mais caros do País, dr. Roberto Podval, à frente da defesa? Parece que os delatores que pagaram os serviços de assessoria a Zé Dirceu sabem de mais coisas importantes...

Antônio Carelli Filho palestrino1949@hotmail.com

Taubaté

*

CONSULTORES POLIVALENTES

Estivesse viva a velhinha de Taubaté, nem mesmo ela acreditaria que os pagamentos por “consultorias” prestadas por vários ex-membros do governo não se tratavam de tráfico de influência e/ou propina.

 

Luiz Nusbaum lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

*

O CRIME COMPENSA?

Vendo todas as prisões envolvendo ladrões da Petrobrás e do PT, é de imaginar se o crime compensa. São noites sem dormir, estratégias para lavar o dinheiro, prisões constrangedoras com tornozeleiras nas pernas e a vergonha de encarar os filhos. Que belo exemplo de subir na vida! E, ao fim, quem fica com a maior parte do roubo são os advogados de defesa.

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com 

São Paulo

*

PROVÉRBIOS

 

Como o juiz Sérgio Moro está levando a sério sua função e não brinca em serviço, “é melhor prevenir do que remediar”. O ex-presidente que diz não saber de nada, mas sabe de tudo, em razão da prisão de gente graúda da Odebrecht, astutamente prevenido, está sob “habeas corpus” preventivo. Para quem tem a consciência limpa, “quem não deve não teme” – o oposto de “é melhor prevenir do que remediar”. “Para quem sabe ler, um pingo é letra.”

Humberto Schuwartz Soares hs-soares@uol.com.br 

Vila Velha (ES)

*

DELAÇÕES PREMIADAS

O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), afirmou que nunca viu tantas delações e que espera que elas tenham sido espontâneas. O que quis dizer o ministro? Que os denunciados sofreram tortura psicológica e/ou foram instados a fazer as delações? Melhor seria que os ministros do STF guardassem suas elucubrações para a hora do julgamento.

Gerson S. Monteiro gersufn@uol.com.br

São Paulo

*

SEM RESPOSTA

A delação premiada, de certa forma, deixa algumas questões sem a devida resposta. E começa com a consideração do delator como o dono da verdade. Em princípio, suas informações servirão para ajudar na apuração de fatos, mas o que se nota é que os nomes citados pelos delatores já estão sendo condenados “a priori”, sem o direito democrático da defesa. E se for comprovada a má-fé do delator, como o acusado vai apagar as acusações que sofreu? De forma objetiva, que se façam investigações, se apurem as verdades, se montem os processos e sejam feitos os julgamentos, mas com o amplo direito de defesa. Para que determinadas situações não sejam caracterizadas como verdadeiros linchamentos, com uma conotação de caráter político.

Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br 

Santos

*

ATO CÊNICO

Este desgoverno imoral em que viemos é uma piada mesmo. Existe uma delação premiada prevista em lei. Os delatores são ouvidos, contam com detalhes datas e nomes dos que receberam propina, mas nada vale, ou, se não tem outro jeito, a propina “foi legal”, sempre temperada com as lágrimas de crocodilo, que não comovem mais ninguém, dos contos de carochinha do regime militar. Então pergunto: para que todo este ato cênico caro e custeado pelo nosso dinheiro? Será que não bastam os inúmeros atestados de “bobos” que nós, brasileiros, já recebemos? Isso é uma deslavada imoralidade!

Leonidas Ronconi ronconileonidas@gmail.com 

São Paulo

*

DILMA E OS DELATORES

Então tá, a Lei n.º 12.850, em vez de “delação premiada”, diz “colaboração premiada” e foi sancionada pela mesma “presidenta gerenta incompetenta” Dilma Rousseff, que disse não respeitar delator. Delação e cooperação, em si, são a mesma coisa! A exemplo de privatização e concessão, delação e cooperação não passam de sinônimos. Por favor, se existe um assessor de imprensa da “presidenta”, demitam-no imediatamente, porque não adianta posar de bacana, falando duro diante da imprensa estrangeira. Precisa ser verdadeira, para não cair no ridículo. Melhor fazer cara de paisagem do que continuar mentindo.

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br 

São Paulo

*

COMO?

Só mesmo no país do samba do crioulo doido a presidente da República declara, em alto e bom som, não respeitar delatores, esquecendo-se de que foi ela própria quem sancionou a lei da delação premiada, em 2013. Como é que pode?!

J. S. Decol  decoljs@globo.com 

São Paulo

*

SILÊNCIO DA AUTORIDADE MÁXIMA

A presidente Dilma Rousseff não concluiu o Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), a Refinaria Abreu e Lima, a Usina de Belo Monte, a transposição do Rio São Francisco, rodovias, ferrovias, ou seja, metade das obras do PAC está atrasada e superfaturada. Dilma não respeita os prazos contratuais dos empreendimentos e muito menos o dinheiro dos contribuintes. Os equipamentos já foram adquiridos e estão parados, sem manutenção e perderam a garantia dos fornecedores. O prejuízo é enorme, pois o dinheiro foi devorado pelas empresas e partidos políticos, que estão sendo denunciados, como na última semana, na delação de Ricardo Pessoa, que não é respeitado pela presidente. Dilma respeita a maquiagem dos números gerada pelas pedaladas, as mentiras que proferiu durante as campanhas eleitorais e a utilização da máquina do governo para fazer campanha. Dilma está se escondendo, saindo pela porta de trás, como fez no Copacabana Palace outro dia, para evitar as perguntas dos jornalistas. Presidente, respeite a opinião pública e permita as entrevistas, esclareça ao povo brasileiro as graves denúncias feitas durante as delações, pois é o mínimo que se espera da autoridade máxima do Poder Executivo do País.

José Carlos Saraiva da Costa jcsdc@uol.com.br

Rio de Janeiro

*

DENÚNCIA, DELAÇÃO, TRAIÇÃO

Confessa, desgraçado, quem o ajudou matar a sua própria mãe?

Confessa, seu tarado, qual é o nome dos outros cinco que estupraram a garota de 12 anos?

Confessa, traficante de merda, quem está escondendo a cocaína?

Confessa, seu bandido, quem o ajudou a detonar o caixa eletrônico da Caixa Econômica?

Se o senhor nos disser para quem entregou esse dinheiro desviado da Petrobrás, poderemos, com a aprovação do STF, incluí-lo no benefício legal da delação premiada, que lhe poderá dar uma chance de redução de pena. O que o senhor acha? Há interesse? Quer um prazo para pensar? Aceita um cafezinho?

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br 

Monte Santo de Minas (MG)

*

‘LULA, O FILHO DO BRASIL’

Tortura cruel: após serem obrigados a assistir ao filme ininterruptamente, os presos da Lava Jato confessarão todos os seus crimes.

Ricardo C. T. Martins rctmartins@gmail.com 

São Paulo 

*

MARCOS VALÉRIO, HERÓI MINEIRO DO PT

  

Por coerência e fidelidade às suas crenças e valores, a presidente Dilma deveria passar a criticar Tiradentes, que se rebelou com a derrama de impostos, e propor ao governador Pimentel a honraria de uma medalha da Inconfidência a Marcos Valério, que, ao contrário de Joaquim Silvério dos Reis, se sacrificou por Lula e ao PT.

Nilson Otávio de Oliveira noo@uol.com.br

Valinhos 

*

PROFISSÃO ERRADA

Como economista, título que a presidente Dilma diz ter, ela seria uma excelente química! Em viajem a Washington, a onde foi pedir arrego aos americanos, misturou a Inconfidência Mineira com “pau de arara” da ditadura militar e a delação premiada, que para seu desespero tenta separar a “misturança” do dinheiro público envolvendo o petróleo, cimento e areia. Recentemente, ela criou, ainda, uma nova espécie evolutiva de seres humanos, a “mulher sapiens”. Afinal, como é que o “homo sapiens” iria viver sem a sua Eva? Meteu o dedo também na agricultura, quando promoveu a mandioca a “uma das maiores conquistas do Brasil”. Até que acertou, pois, se não fosse esse tubérculo, muitos brasileiros, principalmente do Norte e Nordeste, já teriam morrido de fome. Se o folclórico Vicente Matheus ainda vivesse, suas pérolas perderiam de dez a zero para as proferidas pela presidente petista. 

Sérgio Dafré sergio_dafre@hotmail.com 

Jundiaí 

*

ESTELIONATO ELEITORAL

Na campanha eleitoral, acusava-se Marina Silva de ter “déficit cognitivo”. Mas não sabíamos que Dilma Rousseff o tem. E disso “não resta a menor dúvida”. Ou seja, mais um estelionato eleitoral.

Ney José Pereira neyjosepereira@yahoo.com.br 

São Paulo

*

O RACIOCÍNIO DE DILMA

Está difícil de entender o raciocínio da presidente Dilma. Ela diz que não respeita delator. Não entendo como uma presidente não respeita as leis do seu próprio país, até porque a lei que prevê a delação premiada foi sancionada por ela. Isto é, a lei só vale para outros e, quando diz respeito a ela e seus comparsas, Ricardo Pessoa teria de ter “aguentado firme”. Será que ela o respeitaria, se ele tivesse ficado calado?

Angela Maria de Souza Bichi angela_bichi@hotmail.com  

Santo André

*

MISTÉRIOS

Qual será o verdadeiro motivo para o petelulismo aprovar resolução em defesa das empreiteiras envolvidas nos escândalos de corrupção apurados na Operação Lava Jato? Ainda mais sabendo, conforme informações de dirigentes do próprio partido, que a defesa é um pedido do ex-presidente Lula.

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br  

São Paulo

*

NEM QUE A VACA TUSSA

A presidente Dilma não admite insinuações quanto à legitimidade das doações de sua campanha eleitoral. Faltou completar: “Nem que a vaca tussa”.

Jose E. Bandeira de Mello josedumello@gmail.com 

Itu

*

DOAÇÃO LEGAL OU EXTORSÃO?

 

O cenário político nacional convulsiona-se com as denúncias dos empreiteiros sobre o pagamento de propinas a políticos e partidos. Esses informes vêm provocando uma série de explicações por parte dos recebedores que, em vez de esclarecer, levam ainda mais dúvida ao assunto. Os beneficiários classificam o dinheiro recebido como doações legais de campanha, devidamente informadas à Justiça Eleitoral. Para ter a questão clara, se a doação foi lícita ou não, temos de aguardar as apurações da Justiça, do Ministério Público e da Polícia Federal, que já questionam com a devida seriedade e rigor a origem do dinheiro e as condições em que o doador decidiu transferi-lo a este ou àquele político ou grupo eleitoral. Os recursos para doação jamais poderão ser oriundos de superfaturamento de obras ou se tornarem moeda de troca para a corporação doadora obter novos contratos de trabalho. O dinheiro das obras – escolas, estradas, hospitais, hidrelétricas e outras – é público, proveniente dos impostos pagos pela população. As concorrências e licitações têm a finalidade de contratar sua execução pelo menor preço disponível no mercado. Se funcionam os cartéis e a máquina pública está poluída por recebedores de propina, todo o cuidado que o legislador teve para obter o melhor preço nos empreendimentos torna-se letra morta. Aí o processo não passa de pura e criminosa corrupção. A sociedade acredita na Justiça...

 

Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br                                                                                                      

São Paulo

*

O BEM E O MAL

Gostaria de acrescentar ponderações ao lúcido artigo “Época sem eixo e sem brilho”, de Marco Aurélio Nogueira, publicado no “Estadão” de 27/6. São elas: dois homens neste século 21 salvaram o Brasil, Joaquim Barbosa e Roberto Jefferson. Um, probo e honesto, exemplo ético a ser seguido. O outro, ganancioso e desonesto. Um lutou pelos seus honrados princípios. O outro, pela ausência desses princípios. E o destino da História, pelo tecer aleatório das parcas, os tornou aliados no imponderável. É a dicotomia da vida que a rege irracionalmente. E, às vezes, eclode em ação política benéfica, flutuando entre o “bem” o “mal”.

Fabio Porchat fabioporchat@gmail.com 

São Paulo

*

VISITA DE ESTADO BRASIL-EUA

Se há alguém no governo brasileiro que seja antiamericano, é Marco Aurélio Garcia. A figura dele nos remete à Coreia do Norte, à Venezuela de Nicolás Maduro e a tudo o que se relaciona com um socialismo antiquado e medonho, como no tempo de Stalin. Por isso pareceu estranho, extremamente inadequado, o referido encontrar-se sentado à mesa de negociações em Washington, durante a visita de Estado de Dilma Rousseff aos EUA. Fica-se imaginando qual conselho poderia este elemento superesquerdista ter dado à nossa comitiva que lá se encontrava. Até o presidente Barack Obama deve ter estranhado esse assessor do governo, que certamente desvaloriza toda a equipe presente. É uma pena a presidente Dilma misturar-se com esse tipo de elemento que só depõe contra o governo. É o chamado Marco Aurélio “top top” Garcia, conhecido pela famosa reação ao acidente aéreo que matou dezenas de pessoas carbonizadas. Assim como Dilma, ele odeia americanos. Uma afronta levá-lo na comitiva.

Fabio Figueiredo fafig3@terra.com.br 

São Paulo

SEM MOTORISTA

Dilma fez um passeio de 20 minutos em veículo da Google guiado sem motorista. Grande coisa: o Brasil caminha sem comandante há 12 anos!

 

Cláudio Moschella arquiteto@claudiomoschella.net

São Paulo

    

*

PAÍS FORA DE RUMO

O Brasil, como um todo, está à deriva em todos os sentidos. Contas de luz com aumentos de mais de 77% somente em 2015, como é no caso da ineficiente e a nós devedora Eletropaulo ¬– em razão dos R$ 626 milhões de nós cobrados ilegalmente por compras de cabos de alumínio jamais feitas, e que o desgoverno Dilma deixou passar em brancas nuvens –, alimentos com aumentos exorbitantes, o mesmo se aplicando a tudo o que se refere às atividades públicas e privadas, jogando toda a população em um vortex (redemoinho) sem fim. A popularidade deste desgoverno está ao rés do chão e vai cair ainda mais com as besteiras que ainda são feitas e ditas por Dilma e seus asseclas de plantão. Estamos nos encaminhando a passos largos para uma Venezuela (tão admirada pelo PT) ou, agora mais em moda, uma Grécia. Lula, dissimulado e dissimulando, agride sua criatura e seu PT para poder ainda se manter de pé com a triste ilusão de poder se eleger em 2018. Reúne-se com líderes do Congresso, do PMDB, etc., etc. e tal com o firme intuito de alinhavar suas tramoias para suas vãs aspirações de 2018. Este “senhor”, que com sua impopular criatura afundou o Brasil na miséria, ainda tem pretensões de ser presidente novamente, para poder nos afundar mais um pouco e meter a mão em nossos bolsos um pouco mais. Estes seres desumanos estão acabando com toda uma população, à exceção dos parlamentares de Brasília e a eles próprios, que já enriqueceram à nossa custa o bastante. Nossos nobres parlamentares ainda têm o descaramento de querer erguer o Parlashopping com um dinheiro que nos pertence, para que possam fazer suas comprinhas nas horas de gazeta, que são a maioria de seu tempo, pois nada fazem a não ser legislar em causa própria, o tempo todo. São uma vergonha para a população! Deveriam ser quase todos cassados e colocados a ferro por no mínimo 30 anos, sem direito à liberdade antecipada, para daí aprenderem a ser honestos, e não este bando que se elege, na grande maioria, por meio da compra de votos dos mais incautos. Todos, sem exceção, do Executivo ao Legislativo – e até alguns do Judiciário – têm de ser investigados, pois sobre eles há suspeitas de certas condutas que têm gerado revolta na população, principalmente a parcela mais esclarecida desta. Senhores e senhoras dos Três Poderes, ponham suas barbas de molho e passem a agir de maneira mais coerente com as leis vigentes no País.

 

Boris Becker borisbecker@uol.com.br  

São Paulo

*

‘E SEGUE A CRISE’

O economista Roberto Macedo concluiu (“Estadão”, 2/7, A2) que, se a economia afundar mesmo, será por culpa dos políticos e outras autoridades. De fato, os sucessivos voos de galinha que a economia do País tem sofrido, sem dúvida, são devidos ao loteamento político das organizações do Estado, administração direta e indireta (federais, estaduais e municipais), tornando-as ineficazes, ineficientes e corruptas. Existe algum partido político, algum político que combate a indicação para cargos de confiança e em comissão nas organizações do Estado, isto é, o loteamento político das organizações? A nossa Constituição (título III, capítulo VII, seção I, artigo 37, itens II e V) herdou da época colonial a permissão para indicação para cargos de confiança e em comissão nas organizações do Estado, o que não é permitido nos países desenvolvidos. E que estimula, no Brasil, a criação de partidos. Enfim, o loteamento político mostra que os partidos mais se assemelham a quadrilhas de parasitas do Estado.

Darcy Andrade de Almeida dalmeida1@uol.com.br 

São Paulo

*

REAPROXIMAÇÃO EUA-CUBA

Notamos a aproximação da Cuba da família Fidel e do Porto de Mariel ao “grande satã” americano. O programa Mais Médicos, que contemplou os “profissionais” cubanos, enviando grandes somas à ilha, e foi bandeira de campanha na reeleição de Dilma, exauriu-se. Nós éramos a ponte para os EUA, não somos mais. Vamos ver, doravante, quais os “companheiros” que visitarão a ilha. Em tempo: a Venezuela de Maduro está a caminho do enlace.

J. Perin Garcia jperin@uol.com.br 

São Paulo

*

A CUBA DE AMANHÃ

Um mecânico mexendo num Chevrolet 1949 e noutro 1948, em frente a duas casas, com certeza, ainda da época dos espanhóis. Esse é o cartão postal que turistas não verão em Cuba – sem contar as carroças russas que com certeza já se acabaram. E os “neguinhos” do PT querem transformar o Brasil numa Cuba! Que tal mandar para lá os comunistas e petistas?

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com  

São Bernardo do Campo

*

DILMA E O REFLORESTAMENTO

O Brasil, representado pela sua “presidanta” Dilma, prometeu restaurar e reflorestar 12 milhões de hectares de florestas até 2030 e adotar políticas para eliminar o desmatamento ilegal. Com certeza, Barack Obama acreditou em suas promessas, como acreditaram os seus eleitores quando, na última campanha eleitoral, Dilma afirmou que a inflação estava sob controle e que não iria mexer em direitos trabalhistas. Se até para os brasileiros ignorantes Dilma não tem mais credibilidade, imagine para o presidente dos EUA e empresários. Tanto Obama como os eleitores que não votaram em Dilma sabem que o desmatamento ilegal vai continuar, pois isso rende no mínimo 3% de taxa de sucesso (também conhecida como propina) para o partido de Dilma e para aliados.

Maria Carmen Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br 

Americana

*

DESMATAMENTO

“Desmatamento ilegal zero até 2030”, disse a presidente. E como fica o desmatamento legal? Continua?

 

Marcelo L. Z. Bernabe zbernabe@hotmail.com 

São Paulo

*

REDUÇÃO DA MAIORIDADE PENAL

 

De acordo com novas propostas e com estratégia de Eduardo Cunha (PMDB-RJ), presidente da Câmara dos Deputados, a redução da maioridade penal para 16 anos foi aprovada para crimes hediondos, mas com alterações pertinentes na forma de cumprimento da pena por parte dos condenados até agora menores. Sem dúvida que foi uma vitória para os 87% de brasileiros ouvidos em pesquisas e que desejavam a redução. Ressalte-se que o fato social se encontra em plena efervescência, exigindo, por isso mesmo, uma lei para contemplá-lo, o que foi feito. As providências quanto ao cumprimento prisional podem ser feitas posteriormente, porque primeiro vêm os reclamos da sociedade e, depois, o encontro da fórmula mais satisfatória de cumprir a lei. A aprovação da lei já é um aviso aos menores e a seus mentores: acabou a festa da impunidade.

José C. de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br 

Rio Claro

*

O ARTICULADOR

Cumprimento o presidente da Câmara dos Deputados, que, mais uma vez, demonstrou ser um articulador político de grande porte e respeito entre seus pares. O povo agradece e está ao seu lado, pode crer. Realmente, lugar de bandido, maior ou menor, é na cadeia, a menos que os deputados que votaram contra, do PT e outros, os levem para sua casa para ressocializá-los. A Petrobrás está à disposição mesmo.

Arnaldo Luiz de Oliveira Filho arluolf@hotmail.com 

Itapeva

*

DEPUTADO DE ATITUDE

Graças a Deus surgiu um macho que enfrenta o Planalto e nada teme, passando confiança em suas atitudes. Esperamos que o deputado Eduardo Cunha continue não baixando a cabeça e não se intimidando por ameaças.

Valdir Sayeg valdirsayeg@uol.com.br

São Paulo

*

BOM PARA QUEM?

A aprovação da redução da maioridade penal pela Câmara foi boa para o Brasil ou para Eduardo Cunha?

Luciano Harary lharary@hotmail.com 

São Paulo

*

PEDALADA NO REGIMENTO

 

De pedalada a pedalada, lá vai o Brasil descendo a ladeira. A presidente pedala, pedaladas ilegais nas contas públicas, e agora pedalada regimental ocorrida na votação da Câmara federal sobre a maioridade penal.

 

Francisco Zardetto fzardetto@uol.com.br 

São Paulo

*

IDEOLOGIA DE GÊNERO

Levando às últimas consequências esta discussão ideológica sobre o ensino da ideologia de gênero nas escolas do Brasil, ou seja, a de que a criança somente quando adulta deve escolher o seu próprio gênero, o mesmo princípio pode ser aplicado quanto à cor?  

Eugênio José Alati eugeniojalati@gmail.com 

Campinas

*

MAIS UMA BURRADA

O ministro Guilherme Afif Domingos recentemente alardeou que “comprou a briga” da criação da Empresa Simples de Crédito como forma de combater as altas taxas de juros cobradas pelos bancos de pequenas e médias empresas. Ministro, não há falta de concorrência para a concessão de crédito para esse segmento. O que ocorre é que, além de serem operações pequenas para serem operacionalizadas (o que encarece proporcionalmente a taxa final), existe uma quantidade enorme de golpes de estelionato aplicados por empresários legítimos, mas desesperados. Isso só ocorre porque, principalmente nos grandes centros, essa modalidade de crime é recebida com descaso pelo aparato judicial, frequentemente sem nenhuma punição. Resultado: mais uma vez, o empresário correto paga pelo estelionatário. Precisamos de mais justiça, não de mais leis.

Oscar Thompson oscarthompson@hotmail.com  

Santana de Parnaíba

*

MÁRIO DE ANDRADE

Confesso não estou entendendo toda a celeuma criada em torno da divulgação de uma correspondência enviada pelo escritor e poeta Mário de Andrade a Manoel Bandeira, na qual estaria uma possível confissão de sua homossexualidade. Segundo consta, essa carta foi entregue à Fundação Rui Barbosa com uma recomendação de sigilo; todavia, um movimento de intelectuais (?) chegou a exigir, por meio da Justiça, sua divulgação, que pouco ou nada revelou a respeito. No meu entender, a opção sexual em nada altera o status do autor de “Paulicéia Desvairada” e “Macunaíma”. Continua a ser um dos nossos maiores escritores. Entretanto, o que nos causa espécie é que essa curiosidade absurda não partiu de um grupo de trogloditas, mas de um grupo de intelectuais, escritores e pesquisadores.

Luiz Antônio Alves de Souza zam@uol.com.br 

São Paulo 


Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.