Fórum dos leitores

LULOPETISMO

O Estado de S. Paulo

15 Julho 2015 | 03h00

Presente de casamento

Pedro Barusco, ex-gerente, e Paulo Roberto Costa, Nestor Cerveró, Renato Duque, dentre outros, todos estes ex-diretores da Petrobrás, indicados por partidos políticos e envolvidos no maior caso de corrupção de todos os tempos, logicamente, foram afastados. Mas, e seus substitutos? Foram também indicados pelos partidos? Conhecendo este Brasilzão, seu povo, seus usos e costumes, desconfio que, infelizmente, esses novos diretores também foram objeto de indicação política. Para que servem essas indicações? Certamente não elevam o nível de competência das estatais e dos órgãos envolvidos. Exemplo disso é a notícia publicada no Estadão de 11/7 de que o líder do PMDB no Senado, Eunício Oliveira, emplacou o genro na diretoria da Agência Nacional de Aviação (Anac). E parece que tal nomeação foi uma espécie de presente de casamento do tal Ricardo Fenelon Júnior com a filha do senador, realizado há menos de um mês. Pode ser que o genro do senador venha a revelar-se um gênio e revolucione o nosso transporte aéreo, mas acho que sairia bem mais barato para o contribuinte se o presente de casamento fosse algo mais tradicional, como uma geladeira ou até mesmo um carrinho popular, por exemplo. Não aprenderam a lição?!

NESTOR R. PEREIRA FILHO

rodrigues-nestor@ig.com.br

São Paulo

A cadeira não lhe pertence

Ao ludibriar o mercado financeiro e especialistas em contas públicas com as chamadas “pedaladas fiscais”, a presidente Dilma Rousseff cometeu crime de responsabilidade, segundo o TCU, e isso teve por consequência a manutenção de sua popularidade em alta em 2014, levando-a à reeleição por mais quatro anos. Significa que a presidente Dilma está sentada numa cadeira que não lhe pertence, cometeu um crime para estar lá e, portanto, deve se afastar. Se a presidente tiver um pouco de dignidade, deve renunciar, assim como fez o presidente Richard Nixon no caso Watergate. Caso contrário, um processo de impeachment deverá ser instaurado.

JOSÉ CARLOS DEGASPARE

degaspare@uol.com.br

São Paulo

As leis e o golpismo

A Presidência da República, neste país, submete-se aos ditames da Constituição e das leis vigorantes. Assim, todas as providências que sejam tomadas tendo esses diplomas legais como suporte são legítimas e não podem ser chamadas de golpismo. A acusação de golpe feita pelo PT significa uma defesa com suporte em apelo ideológico, mesmo porque a legenda nunca respeitou os ditames legais para levantar e agitar a bandeira do golpe, como foi no caso de Fernando Collor. A interrupção do mandato de dona Dilma torna-se ainda mais factível com o próximo julgamento pelo TCU das pedaladas fiscais, além das verdades delatadas na Lava Jato sobre verbas de propinas entregues para a sua campanha. Eis que, ainda, o Congresso tem por obrigação inarredável processar os pedidos de interrupção de mandato, ou de impeachment, uma vez que estão em consonância com os desejos nacionais. Quem conta com 9% da opinião pública pode falar em nome dela?

JOSÉ CARLOS DE C. CARNEIRO

carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

Nas cordas

A presidente clama que a oposição lhe aplica o golpismo. O que se pode entender de uma presidente que prepara um encontro com um ministro do STF em país estrangeiro? Nesse contexto se depreende que ambos os protagonistas dão pouca importância à relevância de seus cargos para se prestarem a uma atitude tão desrespeitosa para com os cidadãos. A conduta imprópria dá margem a quaisquer tipos de ilação. Ao mesmo tempo, numa atitude populista, aumenta-se o crédito consignado, mesmo tendo a informação de que o maior nível de inadimplência de pagamento de dívidas se localiza na faixa das pessoas com idade superior a 60 anos. Uma impropriedade, uma incoerência financeira, que empurra para baixo quem já está no fundo do poço. Essas atitudes incoerentes fazem o governo parecer um boxeador acuado nas cordas: boxeia por inércia, já que lhe faltam os sentidos.

SERGIO HOLL LARA

jrmholl.idt@terra.com.br

Indaiatuba

Perguntar não ofende

Quando a “presidenta” Dilma Rousseff declarou “eu não vou cair, isso é moleza”, a reunião não agendada na cidade do Porto, em Portugal, com os ministros Lewandowski e Cardozo já havia sido marcada?

WILSON LINO 

wiolino@yahoo.com.br

São Paulo

Receita de destruição

Ricardo Lewandowski mostra a que veio. Há menos de 60 dias criticou o ministro Gilmar Mendes, dizendo que ele estaria fazendo um julgamento político e o STF é para analisar direito, e não possibilidades políticas. Ele foi à cidade do Porto fazer contatos e julgamentos de direito? Realmente, dá ânsia ter juristas dessa estirpe na mais alta Corte do País. Quando o Brasil esperava o contrário. Igualmente o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, que, juntamente com Dilma, é contrário à justiça e ao Brasil. Eles têm a receita de como destruir um país.

CELSO DE CARVALHO MELLO

celsosaopauloadv@uol.com.br

São Paulo

GRÉCIA E BRASIL

Cavalaria prussiana

Como explica sucinta e sobriamente Celso Ming, austeridade e sacrifício, e não bravatas ao vento, são a única saída para se tentar sobreviver a uma crise financeira. Nós conhecemos bem o fenômeno: populismo barato de esquerda para a plateia e fórmulas neoliberais nos bastidores. A Grécia tem 1.743 funcionários públicos para cuidar de um lago seco e 50 motoristas para cada carro oficial. Não sei se lá também se pagam prostitutas e outras maracutaias com dinheiro público, ou se o consumo financiado alimenta a crença na ascensão social. Mas não posso deixar de comparar o rigor da cavalaria prussiana com a ilusória e mentirosa cena nacional, em que o PIB de São Paulo (na ordem de 24%, salvo erro) nos é devolvido na casa dos 2% (se não me engano)... E ainda somos obrigados a ouvir reiteradamente a expressão, que é por si só um insulto, “dívida paulista”. Quem nos dera uma Angela Merkel! Só quem paga a conta pode bater na mesa. Ou não?

MARLY N. PERES

marly.lexis@gmail.com

São Paulo

Tsipras e os fatos da vida

Depois da humilhante rendição incondicional do primeiro-ministro Alexis Tsipras, eu me pergunto: por que será que nenhum político esquerdista consegue dar certo?!

SERGIO DIAMANTY LOBO

diamanty18@gmail.com

São Paulo 

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

PORTO DOS CORRUPTOS

É inacreditável o que aconteceu na cidade do Porto, em Portugal. A madame, sim a madame, agora vou chamá-la assim, ela não é presidente de uma República nem muito menos minha presidente, não me representa, pois pertenço a  uma cepa de cidadãos honestos, enquanto ela faz parte de uma quadrilha. Voltando à cidade portuguesa: lá há poucos dias foi palco de uma aberração política, moral e constitucional promovida pela cúpula dirigente desse pobre Brasil. A madame marcou encontro, fora da agenda oficial, com o representante da mais alta corte do País, além de seu ministro da Justiça, para tramar contra as leis e as instituições nacionais. Uma verdadeira "suruba" política ultramar. A sociedade de um país sério jamais aceitaria tamanha falta de respeito, e os protagonistas dessa podridão seriam cassados de suas funções e apodreceriam na cadeia. Infelizmente, temos uma sociedade desinformada e semi-alfabeta, para não falar de uma apreciável faixa da população que não passa de beneficiários desse sistema viciado e corrupto, que há 13 anos tomou conta da nação, comandado por um crápula que surgiu do esterco e que até hoje contribui para a destruição do País, usando o espaço deixado por uma oposição inerte e que, a cada dia, demonstra ser extremamente covarde.   

Humberto de Luna Freire Filho hlffilho@gmail.com 

São Paulo

*

TRAIÇÃO

O povo com certeza está se sentindo totalmente desprotegido com a notícia do encontro de Dilma com Lewandovski - ao saber que o Congresso quer controlar o Tribunal de Contas da União (TCU). Os políticos, pelo visto, não conseguem ver outra linguagem a não ser a linguagem das ruas. Então, por que não começar a convocar novamente um movimento maciço? Quem sabe para o dia 23/8? Tempo suficiente para se organizar. Tempo suficiente para nossos dirigentes repensarem seus atos.

 

Maria do Carmo Zaffalon Leme Cardoso mdokrmo@hotmail.com

Bauru 

*

A DILMA E O BALANÇO

Os saudosistas devem se lembrar de uma antiga brincadeira de rua da garotada nos anos 60. Trata-se do balança caixão. “Balança caixão, balança você, dá um tapa na bunda e vá se esconder.” Os petralhas ressuscitaram essa velha brincadeira. Estão escondidos e quando aparecem tentam justificar a roubalheira jogando a culpa nas zelites e na mídia golpista. Oxalá o TCU e o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) coloquem fim no governo mais corrupto da história brasileira! 

J.A.Muller Jose josealcidesmuller@hotmail.com 

Avaré

*

FIM DOS TRIBUNAIS

Petistas, já que vocês querem acabar com o TCU, aproveitem e acabem com o STF e com os demais tribunais, implantando a República sindicalista que tanto referenciam.

  

Olavo Fortes Campos Rodrigues olavo_terceiro@hotmail.com 

São Paulo 

*

O ‘S’ DO SUPREMO

Parece que mais uma trapaça está sendo urdida. E regada a Vinho do Porto! Teorizando que pode faxinar o malfeito, levando o fato pelo barroso chão onde viceja a rosa, o governo (sic) se debate tentando desqualificar o TCU ao apelar para o Supremo Tribunal Federal (STF), alegando pré-julgamento por parte do ministro Nardes. Se tal vier a se concretizar, veremos qual o real caráter do atual "S" da sigla: Supremo ou Submisso?

Ricardo Hanna ricardohanna@bol.com.br 

São Paulo  

*

CARDOSO E LEWANDOWSKI

Por que Cardoso e Lewandowsky estavam em Portugal? Ao curioso que pergunte o que foram fazer em Portugal os ministros Cardoso, da (in)Justiça, e Lewandowsky, do STF, já é sabido que se reuniram com a presidente Dilma. O motivo não é difícil imaginar: armar uma maracutaia, pois é quase certeza de que o TCU recusará as contas do governo, que recorrerá àquele que seria o nosso maior órgão de Justiça, caso não fosse composto pela maioria petista.

 

Laércio Zannini spettro@uol.com.br 

São Paulo 

*

FÚRIA DA DILMA

Crise política faz Dilma ter explosão de fúria, diz jornal. Vai um Lexotan, dona Dilma?

  

Robert Haller robelisa1@terra.com.br 

São Paulo

*

CUSTOS ALTOS

Sinais antes preocupantes, agora evidentes, após o encontro não agendado da presidente Dilma, em Portugal, com o presidente do STF, Ricardo Lewandowski! Conforme divulgado pelo Estadão (pag. A4), a presidente Dilma “planeja ir ao STF, caso o TCU rejeite suas contas”. Nem precisamos adivinhar qual será o acerto. Ela não vetará o aumento ao Judiciário de 75% e, em troca, o STF julgaria procedentes as suas contas. O PT já vem comprando o Legislativo há doze anos, agora o Judiciário? Segurem os bolsos, povo brasileiro, porque o custo será altíssimo!

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br 

São Paulo

*

PRECIPITAÇÃO 

 

Muito estranha essa atitude do ministro Augusto Nardes, do Tribunal de Contas da União (TCU), em alardear seu voto antecipadamente, mesmo rejeitando as contas do governo que serão fiscalizadas e avaliadas pelo referido Tribunal. Ao proceder dessa forma, deu chance para o governo Dilma, em caso de condenação de suas pedaladas, recorrer ao Supremo Tribunal Federal. Consagra-se assim uma dúvida. Será que o governo Dilma sofrerá condenação por seus ilícitos fiscais?

  

Francisco Zardetto fzardetto@uol.com.br 

São Paulo

*

NA CALADA

Mènage à trois à parte; não entendi a forma furtiva do encontro entre Dilma e seus colaboradores.

 

Marcos Catap marcoscatap@uol.com.br

São Paulo

*

PACTO NACIONAL

Prezado Michel Temer, supondo que o governo federal pudesse contar a partir de amanhã com os 513 deputados federais e com os 83 senadores da República, qual seria a proposta para a retomada do crescimento? Apresentem para a Nação uma proposta com “pé e cabeça”, submeta-a à apreciação da sociedade, diga-se de passagem, quem elegeu os digníssimos representantes, e a pressão geral será pela execução. Chega de blá, blá, blá, é hora de mostrar serviço, se ofereceram seus préstimos remunerados, façam por merecer!

Manoel Braga manoelbraga@mecpar.com 

Matão 

*

RECURSO

O governo planeja ir ao STF, caso o TCU rejeite suas contas. Logo, perguntem ao ministro Lewandowski, que é totalmente “imparcial"...

Luíz Frid luiz.frid@globomail.com 

São Paulo

*

O QUE FALTA?

Dilma já foi aos EUA, depois à Europa e já voltou. Enquanto isso, muita gente perdeu o emprego, os preços subiram e ainda não se sabe se vai ou não haver impeachment. Explicações, pediu o TCU. Provas, quer o TSE. O tempo passa, a vida continua, e nada muda. Falta ousadia. Falta decisão. Falta coragem e determinação. Em síntese, falta liderança. Lamentavelmente só existe um líder no Brasil que se chama Lula e que Chico de Oliveira já disse não ter caráter. Instituições? Com as brechas das leis sempre será possível inventar "embargos infringentes" para evitar as decisões mais duras. O caso Dilma é único e nenhum sistema legal pode cobrir singularidades. Então, o que falta? Falta emoção. Falta inteligência. Falta ação! O Brasil está definhando e a solução é óbvia. Fora, Dilma!

Gilberto Dib gilberto@dib.com.br

São Paulo

*

IMPUNIDADE

Lula, com o dinheiro pago a LILS pela empreiteira, Dilma, com as pedaladas fiscais no TCU e nós ficamos com a conta!

Francisco José Sidoti fransidoti@gmail.com 

São Paulo

*

OPERAÇÃO LAVA JATO – IMPÉRIO DA LEI

Sem dúvida, a posição firme do diretor-geral da Polícia Federal, Leandro Daiello, é alentadora: “Nós investigamos fatos, aonde os fatos vão chegar é consequência da investigação, doa quem doer. A  Polícia Federal é controlada pela lei e ninguém vai aceitar ingerência política aqui”.(“Império da lei”– 11/7, A3).  Em suma, para os políticos e empresários envolvidos, e que estão insatisfeitos com as investigações da operação Lava Jato, é bom ficarem cientes de que não vai dar para passar por cima da lei e ponto final! 

Edgard  Gobbi edgardgobbi@gmail.com 

Campinas 

*

ATITUDE NECESSÁRIA

Os parlamentares que sofreram mandado de busca e apreensão da Polícia Federal dizem que eram desnecessárias. Desnecessárias para eles, mas necessárias para a dignidade  e futuro do Brasil.

Luíz Frid  luiz.frid@globomail.com

São Paulo

*

A CASA VAI CAIR

O senador Fernando Collor de Mello, os ex-ministros do primeiro governo Dilma Rousseff e os políticos do PP foram alvos de nova fase da Operação Lava Jato. Como Collor sempre se achou o cara e dizia que tinha aquilo roxo, quero ver agora ele dar uma de macho e pedir ajuda do seu grande amigo Lula. Collor se prepare! A casa da Dinda vai cair e você pode se machucar.

Mustafa Baruki mustafa-baruki@bol.com.br

São Paulo

*

COLLOR EM TEMPOS DE LULLA

Frases do “caçador de marajás” sendo cumpridas. “Duela a quien duela!”, mesmo que seja eu.  “Não me deixem só!” Na Papuda?  Agora é a hora de mostrar se tem ou não “aquilo roxo”.  

 

Luiz Nusbaum     lnusbaum@uol.com.br

São Paulo 

*

TRUCULÊNCIA POLICIAL CONTRA COLLOR

A meu ver foi desnecessária, truculenta, afrontosa e covarde  a ação policial na casa e na empresa do senador Fernando Collor, em Maceió.  Medidas arrogantes e arbitrárias da manada de paladinos de barro jamais intimidarão o ex-presidente e senador Collor. 

Vicente Limongi Netto limonginetto@hotmail.com

Brasília 

*

REPUDIO VEEMENTEMENTE

O sr. Lula da Silva institucionalizou a corrupção no País. Só hoje vimos Color de Mello, Aníbal de Souza, Dr. Thiago Cedraz, filho do presidente do TCU, Fernando Bezerra Coelho (PSB-PE) e mais 20 ou 30 envolvidos em corrupção com as frases “repudio veementemente” ou “estamos colaborando com a Justiça”. Se todos forem condenados, só por hipótese, teríamos que construir mais Papuda II, Papuda III e Papuda IV – é o Brasil 2015 com 13 anos de PT no poder!

Celso de Carvalho Mello celsosaopauloadv@uol.com.br 

São Paulo

*

PARALELO RIDÍCULO

 

Soa ridículo o senador Delcídio Amaral, do PT, dizer que o clima nas votações do Senado lembra a “Alemanha nazista”. Naqueles idos, de triste memória, havia um Estado totalitário, um partido hegemônico (o Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães) e um líder forte e muito carismático - o “füher” Adolf Hitler - de quem ninguém se atrevia a dissentir. Já aqui temos um governo com frágil base parlamentar liderado por uma pessoa sem nenhum carisma com ameaça de até perder o mandato de tão fraca que é! Logo, o paralelo escolhido por Delcídio é descabido e infeliz.  No mais, o senador, estando familiarizado com as práticas petistas, não tem moral para reclamar da ação de “bate paus”, já que seu partido – historicamente intransigente, dono da verdade, acostumado a se impor pelo grito, “unha e carne” com ditaduras de todos os matizes e mestre na arte do patrulhamento ideológico – sabidamente se vale, em sua ação política, de “bate paus” próprios e terceirizados, entre outros expedientes do tipo rotineiramente vistos nos tempos do III Reich.

Silvio Natal silvionatal49@gmail.com  

São Paulo

*

SENADO NAZISTA?

Delcídio Amaral (PT), líder do governo no Senado, apesar de seu bom trânsito com a oposição, deixa de ser coerente, quando diz que o senado lembra a “Alemanha nazista” de Hitler, só porque hoje vota e aprova projetos contra a orientação do Planalto!  E o corredor polonês a que Delcídio se refere existir na Casa, e que bota (como fazia Hitler) os bate-paus para constranger todo mundo, o mesmo fez também Lula, que constrangeu 200 milhões de brasileiros comprando a peso de ouro seus camaradas e aliados, entregando as nossas outrora eficientes estatais nas mãos de verdadeiras quadrilhas. E o senador Delcídio Amaral em momento algum se prestou a criticar o governo, que representa, pelos graves equívocos macroeconômicos e também pelo protagonismo dos escândalos de corrupção, que talvez até o senador tenha se beneficiado com verbas ilícitas, que seu partido sempre recebeu...  E este precário cenário político, ético e econômico que vivemos está na esteira da total falta de credibilidade do governo petista.  E este mesmo senado que no parecer de Delcídio lembra a “Alemanha nazista”, pelo menos se desloca do Planalto, assume um protagonismo raro e trabalha prá valer...

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

DEMISSÕES NAS INDÚSTRIAS

Mesmo percebendo que a crise estava se agravando em 2014, as indústrias tentaram evitar as demissões, pois isso acarretaria altos custos. Mas não resistiram à crise e estão demitindo e, ao que tudo indica, terão de continuar demitindo. A culpa é da própria indústria, dos empresários e dos administradores que não tiveram a mesma inteligência e coragem que teve a sra. Sinara Polycarpo Figueiredo, funcionária demitida do Banco Santander, a pedido de Lula. Se tivessem seguido o exemplo dela e avisado seus empregados, fornecedores e população do risco que seria votar em Dilma, com certeza muitas demissões e muitos custos estariam sendo evitados e todos estariam mais felizes.

Maria Carmen Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br 

Americana

*

TRÊS PODERES

Até ontem os "dois poderes" estavam completamente "aparelhados" pelo Poder Executivo, agora o "Poder Legislativo" começa a se "desligar" do aparelhamento e o Judiciário ainda continua "solidário", principalmente no STF sob a presidência do petista Lewandowski.

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo 

*

Dilma no TCU

A melhor justificativa de Dilma sobre as comprovadas irregularidades apontadas pelo TCU seria, lembrando Jânio da Silva Quadros, “Fi-lo porque qui-lo”.

ROBERTO TWIASCHOR rtwiaschor@uol.com.br 

São Paulo

*

BOCA LIVRE

Quem já esteve em Brasília sabe que a distância entre o Palácio do Planalto e o Supremo Tribunal Federal (STF) não passa de 500 metros. A presidente Dilma Rousseff, que tem dado suas “pedaladas” nos arredores do Palácio, poderia, em uma dessas saídas, passar na Suprema Corte, tomar café da manhã com o ministro presidente, Ricardo Lewandowski, e resolver suas pendengas com o Tribunal de Contas da União (TCU) e com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que não as deixam dormir nos últimos dias. Mas, Coimbra do Choupal, vinhos do Porto, hotéis luxuosos (Ritz e Tivoli) e restaurantes caríssimos são muito mais interessantes, nem que o regime “vá para a cucuia”, afinal, a boquinha livre patrocinada pelo povo não pode ser desperdiçada, vai que a festa termine mais cedo!  Pode a oposição protestar, coisa que muito pouco faz, a população ficar indignada e a imprensa divulgar as extravagantes despesas com as hospedagens e comilanças internacionais, que as denúncias viram em nada.  A presidente conta com um poderoso aliado no planalto, basta apenas um toque para mantê-la impune: um maldito carimbo arquive-se, pronto, as despesas foram aprovadas! 

Sérgio Dafre Sergio_dafre@hotmail.com

Jundiaí 

*

Dilmandowski

Quem foi pra Portugal perdeu o lugar...

Gilberto Dib gilberto@dib.com.br

São Paulo

*

MÁS INTENÇÕES

 

O governo de plantão espera um julgamento "técnico" do TCU sobre os seus crimes cometidos em relação à responsabilidade fiscal! A pergunta pertinente para essa abominável intenção é esta: até quando abusarão da paciência do povo brasileiro?

   

Francisco Zardetto fzardetto@uol.com.br

São Paulo

*

REUNIÃO EM “PORTO” ABERTO

Quer dizer que em Brasília, a poucos metros do STF, a presidente resolve se reunir com o presidente do STF na cidade do Porto, em Portugal, e a oposição?

Wilson Lino wiolino@yahoo.com.br 

São Paulo

*

OPERADORAS DE LAVAGEM DE DINHEIRO

Espera aí, é isso mesmo que estou entendendo: operadoras de lavagem de dinheiro receberam R$ 126 milhões em suas contas de abril de 2010 até o mês passado, entre elas a consultoria do ex-ministro José Dirceu? Francamente não sei se chamo essa cambada de petistas de cara de pau ou corajosos por continuarem roubando e/ou desviando dinheiro público em plena operação lava jato.

ARNALDO DE ALMEIDA DOTOLI  arnaldodotoli@hotmail.com

São Paulo

*

MALFEITOS

Como pode o sr. José Dirceu ainda estar solto? Sua asquerosa atuação no âmbito dos “malfeitos” não cessa de se mostrar. Que espécie de preparo tem a JD para prestar serviços em Portugal (e no Peru)? É evidente o embuste. O mau cheiro já chegou ao nordeste, felizmente.

Andre Frohnknecht caxumba888@gmail.com

São Paulo

*

LIMITE PARA O CONSIGNADO

Ao subir o limite para o empréstimo consignado, de 30% para 35%, o governo não tem como objetivo aumentar o crédito, mas conter a inadimplência, “ferrando” ainda mais os incautos aposentados e pensionistas.

Sergio S. de Oliveira ssoliveira@netsite.com.br 

Monte Santo de Minas (MG)

*

JUROS BANCÁRIOS

 

Aprendi na escola que agiotagem é ‘empréstimo de dinheiro a juros superiores à taxa legal; usura’. Se o que fazem os bancos cobrando juros extorsivos não é agiotagem, o que é, roubo?

 

Cláudio Moschella arquiteto@claudiomoschella.net

São Paulo

*

CONSIGNADO

O limite do consignado sobe de 30% para 35%, desde que seja para quitar as dívidas com o cartão de crédito. Quer dizer, tira do aposentado, desde que use para pagar o cartão de crédito. Se for para pagar remédios ou consultas, não poderá usar os 5%. Ao invés de facilitar a vida dos aposentados, quer o governo (ou o PT) facilitar a quitação das dívidas com os cartões de crédito. Temos de dar um basta nos juros extorsivos dos cartões. Por que o governo não toma providências sobre esse abuso? Só quer ficar bem com os bancos! Ajude esse povo que não tem de onde tirar dinheiro para pagar suas contas!

CARMINE MARIO BUONFIGLIO krminegoodson@gmail.com

SANTOS

*

TRAGÉDIA GREGA

A tragédia econômica vivida pela Grécia, longe do colapso sugerido pelo ex-ministro Yánis Varoufákis, que renunciou recentemente à pasta das Finanças do governo radical-esquerdista de Aléxis Tsípras, expõe mais a fragilidade da União Europeia, enquanto bloco continental político e econômico, do que propriamente o risco de uma recessão global em decorrência da saída dos gregos da zona do euro. Certamente que as tensões e as expectativas dos mercados no mundo todo têm aumentado, principalmente após o vencimento, no mês passado, da parcela de € 1,6 bilhão da dívida da Grécia com o Fundo Monetário Internacional (FMI), configurando a situação de default (calote) no qual o País se encontra – com sua gigantesca dívida de € 323 bilhões (cerca de R$ 1,12 trilhão) com vários outros países e bancos da Europa. À primeira vista o cenário pode ser assustador! O desmoronamento desse castelo de cartas talvez esteja, para aqueles mais pessimistas, a um passo de acontecer. Entretanto, os ensinamentos deixados pela literatura grega e pelo bom senso aristotélico, ainda que diante das dificuldades de acordo nas negociações entre os líderes europeus e os gregos, podem, no final das contas, revelar (quem sabe?) o fim não de uma tragédia, mas, sim, o fim apenas de uma longa novela...

Emanuel Angelo Nascimento emanuellangelo@yahoo.com.br  

São Paulo

*

NAS MÃOS DOS DEUSES

Ironia da história: a Grécia, berço da cultura helênica, que inventou a democracia, a filosofia e a tragédia, vive o caos em sua gravíssima tragédia econômica. Daqui por diante, seja o que os deuses quiserem.

J.S. Decol decoljs@globo.com 

São Paulo

*

ACORDO DA GRÉCIA

Mais 80 bilhões de euros contra a "promessa" de reformas, que, quando entrarem outros caciques, que se dane o acordo! Em outras palavras, os banqueiros conseguiram “adiar” a crise da União Europeia à custa de juros, que serão evidentemente pagos aos banqueiros. Daqui a pouco serão Portugal, Irlanda, Espanha, Itália etc. etc. Se a Grécia não retornar às manchetes. Assim funciona a “mentira dos governantes”, cujo lucro é sempre dos banqueiros.

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

*

EU SOU VOCÊ, AMANHÃ

Não que a Grécia tenha uma influência econômica capaz de abalar os alicerces do Euro na União Europeia (UE), mas as consequências da crise grega diante da possibilidade de um calote das ilhas pode desestruturar a economia, provocando um rombo financeiro de difícil manuseio pelo montante do temeroso calote. A situação econômica da Grécia já começa a produzir efeitos colaterais, quando se observa o aumento do número de emigrantes, com o encolhimento da população grega em 1%, passando de 11 milhões para l0 milhões. Em 2014 o Chipre liderou a perda populacional, informa a Eurostat. Mesmo não tendo ainda atingido a crise instalada na Grécia, no Brasil, aqueles que possuem condições econômicas também estão optando por deixar o País, num completo desânimo e desesperançosos na perspectiva de ter que regurgitar por mais três anos e meio um desgoverno que vê o circo pegar fogo, o navio na procela sem timão, sem bússola e sem timoneiro, enquanto a madame Dilma se auto presenteia com um tour pelos continentes desse planeta, fazendo ouvidos moucos para a voz que vem das ilhas gregas: “Eu sou você, amanhã”.

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com 

Vassouras (RJ)

*

SOBRE O ARTIGO "NÃO CRESCI SOZINHO"

Assino embaixo o “Não Cresci Sozinho”, do Presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo, desembargador José Renato Nalini (Estado, 13 de julho) e acrescento que a miséria pré-falencial da Justiça estadual (que também julga causas federais) nasceu e se agravou depois que os governadores de Estados deixaram de ser processados e julgados criminalmente pelos respectivos tribunais estaduais de Justiça, isto é, os governadores perderam o temor reverencial, para dizer o mínimo. 

Paulo Restiffe Neto    paulorestiffeneto@yahoo.com.br 

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.