Fórum dos leitores

OPERAÇÃO LAVA JATO

O Estado de S. Paulo

18 Julho 2015 | 03h00

A delação de Julio Camargo

O delator da Operação Lava Jato Julio Camargo, da Toyo Setal, afirmou ter pago US$ 5 milhões em propinas ao presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB/RJ). Trata-se de uma acusação gravíssima, de grossa corrupção, que exige o imediato afastamento de Cunha do cargo. É uma vergonha para o Brasil ter uma figura sinistra como Eduardo Cunha ocupando um dos mais importantes cargos da República e dando as cartas na política nacional.

RENATO KHAIR

renatokhair@uol.com.br

São Paulo

Sem sentido

Foge à lógica admitir como inverídicas as declarações do lobista Julio Camargo, pondo em risco uma possível redução de sua pena em decorrência da delação premiada, em favor de manobras do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, e do Palácio do Planalto. Seria um caso clássico de masoquismo.

JORGE DA C. OCAMPO MORÉ JR. 

jorgemorejr@yahoo.com.br

Florianópolis

Estoque de dinamite

Ameaçado de implosão pelos desdobramentos da Operação Lava Jato, Eduardo Cunha declarou-se rompido com o governo Dilma e sinaliza para seus aliados que está estocando dinamite. “Eu vou explodir o governo”, declara em privado o presidente da Câmara. Terceira autoridade na linha de sucessão, Cunha imaginava-se portador de um destino, mas começa a perceber que virou uma fatalidade. E não parece disposto a ruir sozinho.

ANTONIO JOSE GOMES MARQUES

a.jose@uol.com.br

Rio de Janeiro

Eduardo Cunha

Aproveitando-se da inexperiência política e da incompetência da presidente Dilma, o presidente da Câmara dos Deputados tem agido de forma repreensível, faltando-lhe ética e respeito pelos demais parlamentares e pelos Poderes da República. Trata-se de um protagonismo temerário, tendo em vista principalmente as eleições de 2018. É preciso que a sociedade restitua para si a importância que lhe cabe neste cenário de incertezas.

MARIA LUCIA RUHNKE JORGE

mlucia.rjorge@gmail.com

Piracicaba

Dinheiro vivo

Na Operação Lava Jato, toda semana há novas informações, das delações premiadas, sobre pagamentos de altos valores, sempre em espécie, para este ou aquele. Até agora, nenhuma informação sobre de que bancos esse dinheiro todo foi sacado. Saques vultosos não deveriam ser informados ao órgão controlador financeiro ou à Receita Federal? 

WIENER LANGONE

mbulach@gmail.com

São Paulo

LULA

Investigação oficial

MP investiga Lula por tráfico de influência (Estado, 17/7). Investigação não é condenação, mas é excelente oportunidade para Lula mostrar aos brasileiros as contribuições ao Brasil que resultaram de suas viagens pela África e pela América Latina com a Odebrecht.

CRISTIANO WALTER SIMON

cws@amcham.com.br

Carapicuíba

Lavagem a jato

Muito bom ver, finalmente, políticos graúdos ocupando as manchetes com citações como “denunciado”, “investigado”, “alvo” de inquérito ou procedimento investigatório criminal, etc. A lavagem a jato está promovendo, sim, alguma limpeza neste mar de lama. Que continue!

ALEJANDRO PINEDO

alxpin2012@gmail.com

São Paulo

RECEITA ESTADUAL 

Exemplo pedagógico

Li neste espaço (16/7) a carta em que o dr. Andrea Calabi, ex-secretário estadual da Fazenda, a propósito de supostas irregularidades ocorridas naquela pasta e recentemente noticiadas, ressalvando ignorar qualquer ato reprovável dos seus então subordinados, afirma ser dele “a responsabilidade pela gestão da secretaria no período 2011/2014”. A atitude do ex-secretário paulista não é só corajosa. Muito mais do que isso, é expressão perfeita e acabada da maior dignidade pessoal e funcional, revelando postura ética merecedora de todo respeito e admiração, aliás, devendo servir de pedagógico e oportuníssimo exemplo a todos quantos, em qualquer esfera de governo, passaram pela administração pública ou nela atualmente estejam. Parabéns, dr. Calabi! 

MANUEL ALCEU A. FERREIRA

manuel.alceu@affonsoferreira.com.br

São Paulo

FERROANEL

No papel

Em relação ao editorial Crescimento inesperado (16/7, A3), é equivocada a afirmação de que o Ferroanel, empreendimento dos governos federal e estadual, “não saiu do papel”. Na verdade, a Dersa – Desenvolvimento Rodoviário S.A., vinculada à Secretaria de Logística e Transportes, realiza desde setembro de 2014 a compatibilização das obras do Rodoanel Norte com a futura implantação do Ferroanel Norte, visando a conservar a viabilidade da implantação da futura via férrea por meio de uma estratégia de compartilhamento da mesma faixa de domínio. Os recursos necessários, R$ 332,8 milhões, são provenientes do governo federal e são repassados ao governo estadual por meio de termo aditivo ao contrato do Rodoanel Norte. As obras de compatibilização consistem na execução de terraplenagem, drenagem e proteção de taludes e aterros, ao longo do trecho da rodovia em que a faixa de domínio será compartilhada. As intervenções seguem em consonância às do Rodoanel Norte e devem ser concluídas em março de 2017, três meses antes da conclusão do último trecho do anel viário. A Dersa também é responsável pela elaboração do Projeto Básico de Engenharia e Licenciamento Ambiental Prévio do Ferroanel Norte. A Companhia e a Empresa de Planejamento e Logística (EPL) celebraram, em 17 de abril de 2015, termo de compromisso no valor de R$ 9,95 milhões (R$ 2,86 milhões para estudos ambientais e R$ 7,09 milhões para projeto) para a realização dos trabalhos, que devem ser concluídos em 14 meses. A implantação conjunta dos empreendimentos traz grandes benefícios, pois otimiza recursos e reduz significativamente o custo (estimado em R$ 1,3 bilhão, não descontados os R$ 332,8 milhões da compatibilização), além da redução de impactos ambientais e sociais.

CARLOS ALBERTO SILVA, Assessoria de Imprensa Secretaria Estadual de Logística e Transportes

transportes@transportes.sp.gov.br

São Paulo

N. da R. – O missivista apenas confirma que o Ferroanel, propriamente, continua em fase de projeto. Não existe ainda nem sequer o projeto básico de engenharia e de licenciamento ambiental prévio, cuja elaboração foi contratada há apenas três meses.

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

UM PERIGOSO BRINQUEDO

“O governo quer me arrastar para a lama”, diz o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, ao anunciar rompimento pessoal com o governo da presidente Dilma Rousseff. Vice líder do governo na Câmara defende afastamento de Cunha do cargo (Estadão, 17/7). Esse grotesco comportamento dos congressistas e governantes parece assemelhar-se a um jardim de infantes, as crianças brincando e brigando como uma pseudo-democracia de espelho bolivariano, um destrutivo presente do lulopetismo. Esperança? O coro de milhões de vozes exigindo o fim dessas brincadeiras e a ação real dos Três Poderes, para evitar o afundamento do País, pode acabar numa utópica quimera. 

Pablo L. Mainzer plmainzer@hotmail.com

São Paulo

*

EM REDE

Cunha falará à Nação em rede nacional. Será que teremos panelaço?

Moises Goldstein mgoldstein@bol.com.br

São Paulo

*

PERDA DE POSTO

Na minha opinião, ao dizer que a ação da Polícia Federal (PF) abala a “tranquilidade institucional”, Temer, como vice presidente,  perde a condição de aspirante ao cargo de presidente, num eventual impeachment imposto à Dilma.

Sergio S. de Oliveira Sergio ssoliveira@netsite.com.br

Monte Santo de Minas (MG)

*

CINISMO INSTITUCIONAL

O cinismo de Michel Temer é ímpar. Em vez de ficar pateticamente pedindo “tranqüilidade institucional”, deveria estar aplaudindo as mudanças benfazejas que estão a ocorrer no País. Parece estar com medo do avanço das operações da PF, que está perigosamente se aproximando dos verdadeiros mandantes do maior crime de corrupção que se viu neste país. O País não aguenta mais essa farsa que se transformou o Lulopetismo e o seu corrupto presidencialismo de cooptação. Vivemos num país onde o império da lei é uma realidade e, se crimes foram cometidos, quem quer que tenha sido o autor deve responder, seja ele líder carismático, dono de lamborghinis ou presidente.

José Severiano Morel Filho morel@sunriseonline.com.br

São Paulo

*

QUE PAÍS É ESSE?

Em que testemunhamos uma sórdida chantagem do presidente da Câmara ameaçando não cumprir sua obrigação, ou seja, instalar as necessárias CPIs, caso seja investigado ou denunciado por atos de corrupção. Como se fosse alguém blindado e, pior, afrontando o artigo 5.º da Constituição que diz que todos são iguais perante a lei.

 

Luiz Nusbaum           lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

*

O ATUAL DOGMA BRASILEIRO

Impensável em qualquer regime democrático sonhar com a explícita promessa de retaliação, sem o menor pudor ou constrangimento, partindo dos presidentes do Senado e da Câmara e endereçada diretamente à presidente da República.  E isso pelo simples fato de Dilma não impedir que os dois fossem investigados pela polícia. Não há como um país progredir dessa forma. Platão teria de rasgar a sua obra A Política para reescrevê-la, seguindo o atual dogma brasileiro. 

Ataliba Monteiro de Moraes Filho ataliba@outlook.com

Araçatuba

*

DA OPEP À PAPUDA

Quando a Petrobras foi criada em 1953, no governo de Getúlio Vargas, criou-se a frase: “O petróleo é nosso”, atribuída ao presidente Vargas, mas depois de se tornar famosa historiadores descobriram que a frase tinha sido criada por Otacílio Rainho, professor e diretor do Colégio Vasco da Gama, no Rio se Janeiro. Passados 77 anos desde que o governo, em 1938, decidiu explorar um poço em Lobato, bairro de Salvador, Bahia, a história da Petrobras é envolvida em conquistas, escândalos e sonhos, como o que prometeu o presidente Lula de que o Brasil estaria no seleto clube da Organização dos Produtores e Exportadores de Petróleo (Opep), mas o que se viu foi a Petrobras ingressando, isto sim, na Opep nacional (Organização Predadora do Erário da Petrobras). O rombo foi de tal ordem que hoje a dívida da empresa ultrapassa os US$ 100 bilhões. Sanear é preciso. Lula já foi chamado de "magnata do petróleo" e "sheik do petróleo" e hoje está a poucos passos de um novo título: "Moradores da Papuda".

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

*

PREGO NO CAIXÃO DA PETROBRAS

Após anos de estupro econômico e gerencial promovido pelos petralhas, o Brasil deixou de receber centenas de bilhões em divisas e investimentos ao longo do boom do preço do petróleo. Agora, com a volta do Irã ao mercado então... Petrobras descanse em paz! 

Ricardo C. T. Martins rctmartins@gmail.com

São Paulo 

*

VELOCIDADE É COM COLLOR

O ex-presidente Fernando Collor de Melo recebeu uma ajudinha do doleiro Alberto Youssef para comprar uma Ferrari, um Porche e uma Lamborghini. Os contribuintes brasileiros, que desconheciam o que o doleiro estava fazendo com o dinheiro público, gostariam de saber onde Collor acelerava os seus potentes automóveis, já que no Brasil não existem estradas sem limite de velocidade. Collor, que foi afastado do poder por meio de um impeachment, pelo visto não sente constrangimento algum em queimar o dinheiro dos cofres públicos. Fez isso no século 20 e continua com a mesma inconveniente conduta no século 21. Seguramente Fernando Collor quer entrar para a história do Brasil como o político que gostava de se divertir com máquinas velozes e melhor ainda, gratuitas.

José Carlos Saraiva da Costa  jcsdc@uol.com.br

Rio de Janeiro

*

LIÇÃO A SER APRENDIDA

Político ruim tem De ser banido definitivamente da vida pública, na primeira vez que “pisa na bola”. Vejam o exemplo de Collor. Fez o que fez, agora reincide e ainda critica a Polícia Federal, a Procuradoria e a Justiça. Aqueles que lhe fazem coro são como lebres assustadas com a chegada dos caçadores ao campo. Merecem, pois, especial atenção da PF.  Vamos aprender a lição. Os políticos e governantes que se deram mal na Lava Jato têm  de ser extirpados para sempre da vida pública. Alimente corvos e eles lhe comerão os olhos. A corrupção é uma lagarta indesejável e faminta que devora a maçã chamada Brasil. Eis o ponto em que chegamos: Ou o Brasil acaba com a corrupção ou ela acaba com o Brasil! 

Sérgio Aranha da Silva Filho  aranhafilho@aasp.org.br

Garça

*

 COLLOR BOTARÁ A BOCA NO TROMBONE 

É mole ou quer mais? O senador Collor disse que, se for preso, botará a boca no trombone. Diz ainda que faltarão celas no País. O que nos assustam não são as palavras do senador, que um dia governou o Brasil, mas sim a certeza de sermos representados por uma corja de ladrões e malfeitores que infestaram o cenário político nacional. Uma pena! Nem Brasil e muito menos o seu povo merecem isso!

Arnaldo de Almeida Dotoli arnaldodotoli@hotmail.com

São Paulo

*

ASCENSÃO DE COLLOR

O ex-presidente Fernando Collor é um grande exemplo de ascensão patrimonial. Se em 1992 tinha um Fiat Elba, carro que qualquer cidadão de classe média pode adquirir, hoje possui uma coleção de carros que 99,9% da população não pode nem pagar o IPVA. Só uma pergunta: estes brinquedinhos estão na declaração de bens do senador?

 

Luciano Nogueira Marmontel  automat_br@ig.com.br

Pouso Alegre (MG)

*

COINCIDÊNCIAS

Somente para relembrar. As bandeiras levantadas pelo ex- presidente Collor em sua campanha e depois em seu governo não eram: Acabar com os Marajás? Vender os imóveis funcionais? Qualquer semelhança com os fatos será mera coincidência?

M. Helena. Borges Martins m.helena.martins@uol.com.br

São Paulo

*

OPERAÇÃO POLITEIA

Conforme a manchete no Estadão de 15/07, o Congresso reagiu com indignação à ação da Polícia Federal (PF), Operação Politeia, na casa de três senadores, um deputado e dois ex-deputados. Afinal, o que está errado, se essa operação da PF está respaldada em decisão de ministro do STF? Um detalhe: se o senador Fernando Collor (PTB-AL) afirma que a PF extrapolou os limites, o que falar do  confisco do nosso dinheiro, quando foi presidente do País?

Edgard Gobbi edgardgobbi@gmail.com

Campinas

*

FIM DA IMUNIDADE PARLAMENTAR

Que maravilha ver a polícia entrando legalmente na casa de um político corrupto e apreendendo sua coleção de carrões de luxo e uma montanha de dinheiro sujo. Quando o Brasil acabar com a sua ridícula imunidade parlamentar, ações como essas serão comuns. Roubar dinheiro público para o Caixa 2 do partido não é crime político, os políticos corruptos não são guerreiros da liberdade, são apenas bandidos comuns e como tal deverão ser tratados. O político que se sentir perseguido politicamente poderia requerer imunidade para o STJ, simples assim. 

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo 

*

RESPONSABILIDADE INERENTE

 

Assim como a presidente Dilma, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, também não pensa antes de proferir suas opiniões, sempre focadas na defesa do governo que representa. Em depoimento à CPI da Petrobrás, alega enfaticamente que nenhum crime atinge a presidente. Ora, a transgressão da Lei de Responsabilidade Fiscal, no momento sob o julgamento do TCU, não foi cometida pelo governo Dilma? A leniência com a corrupção, a malfadada compra da Refinaria de Pasadena, quando ela era chefe do Conselho Administrativo da Petrobras, e outros desmandos que quase levaram o País ao caos em que hoje se encontra, não exime absolutamente a nossa presidente de responsabilidades.

 

Francisco Zardetto fzardetto@uol.com.br

São Paulo

*

SEM PUDOR

“Só às paredes confesso”, disse Dilma ao ser perguntada  sobre o  que  tratou na reunião secreta em  Portugal  com o ministro da Justiça, Eduardo Cardozo, e o presidente do  supremo  Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski.

Arnaldo de Almeida Dotoli arnaldodotoli@hotmail.com

São Paulo

*

CONEXÃO PORTUGAL

A “conexão Portugal” é uma vergonha! A que ponto chegamos! A que ponto chegaremos? Quem sobreviver verá. Muda, Brasil!

J.S. Decol decoljs@globo.com

São Paulo

*

FRAUDE NA PETROBRAS 

A CGU está investigando dezenas de funcionários da Petrobras suspeitos de participação em fraudes utilizando recursos que deveriam ter sido usados na Refinaria Abreu e Lima. Pelo visto, as investigações que antes se limitavam aos diretores da Petrobras, agora poderão atingir escalões mais baixos, como, por exemplo, os gerentes. Esse colossal empreendimento está bastante atrasado em relação ao cronograma inicial da obra e o valor deverá alcançar US$ 20 bilhões, quando o orçamento inicial era de “apenas” R$ 2,5 bilhões. O contribuinte brasileiro, caso seja restituído o dinheiro roubado, poderá se sentir ressarcido, vendo parte dos tributos voltando aos cofres públicos. Para as pessoas que participaram das operações ilícitas, que seja imposta a lei e suas devidas penalidades

José Carlos Saraiva da Costa jcsdc@uol.com.br

Rio de Janeiro

*

MUDANÇAS POSITIVAS

 

As buscas e apreensões promovidas pela Polícia Federal, contando com o aval do Supremo Tribunal Federal e que atingiu vários políticos influentes, é sinal de que alguma coisa finalmente está mudando no Brasil. A PF está cumprindo sua missão e investigando quem precisa ser investigado. Como os suspeitos têm direito ao foro especial por prerrogativa de função, o conhecido “foro privilegiado”, caberá a mais alta corte do País analisar as provas e julgar o caso. Tudo, entretanto, deverá ser feito com a mais absoluta transparência e imparcialidade. As investigações mostram uma mudança significativa, mas precisamos ir além. É preciso punir e com rigor.

 

Willian Martins, martins.willian@globo.com

Guararema

*

‘CAMBALACHO’

O Congresso quer controlar o Tribunal de Contas da União (TCU)! Era só que faltava, o cambalacho nacional criar meios para controlar o TCU! Depois dessa eu desanimei de vez. 

Laércio Zannini spettro@uol.com.br

São Paulo    

*

ANALOGIA DE MAU GOSTO

Epa,Veríssimo, quer dizer que os petistas estão ameaçados de serem exterminados fisicamente só por serem petistas? Pena a sua analogia ser de tamanha infelicidade, absurda e de mau gosto!

Luíz Frid  luiz.frid@globomail.com

São Paulo

*

‘DIA DO EPA’

Uma boa data para se instituir o ‘Dia do Epa” é o dia da posse do Lullllllllla no seu primeiro mandato! 

Carlos Norberto Vetorazzi cnorbertovetorazzi@yahoo.com.br

São José do Rio Preto

*

COMPARAÇÕES ABSURDAS

A coluna de quinta-feira do senhor Luiz Fernando Veríssimo beira ao desespero. Faz uma comparação sem pé nem cabeça para chegar ao seu objetivo, que é defender o PT. Faz menção ao avanço científico, ao holocausto, ao nazismo para concluir que o mesmo panorama é visto hoje no Brasil. Percebe-se a tentativa de inculcar no imaginário coletivo que ser contra esse desgoverno do PT é como ser primata, anti-semita e/ou nazista. Enfim, demonstra claramente a estratégia que o governo está usando (mentindo) para se manter no poder. Talvez o monolito seja ele ver a besteira que está fazendo é voltar a escrever poesia.

Werly da Gama dos Santos  gama_eamsc@yahoo.com.br

Rio de Janeiro

*

DEMAGOGIA NO ZONEAMENTO

Sobre o editorial publicado no dia 12/7/2015 no Estado, no qual sou assinante sob o título Demagogia no zoneamento, queria dar parabéns ao jornal pela denúncia à dualidade empobrecedora ao debate atual na cidade sobre o zoneamento proposta pelo prefeito: pobres versus ricos. A questão é bem mais complexa. De fato, o debate está concentrado nestes 0,1% de vias, mas, não por acaso, é onde o metro quadrado pode ser muito valorizado no curto prazo, se prevalecer a entrada de comércio nas ZER nos corredores do seu entorno. A cidade não deve pensar estrategicamente apenas no curto prazo, pois há uma função interessante na manutenção desses 0,1% que transcende os residentes: o meio ambiente e a relevância da multiplicidade de estilos de vida para uma cidade como São Paulo. Mais uma vez, parabéns para o jornal pela publicação!

Alberto Milani Jr.  milani.adsl@uol.com.br

São Paulo

*

EDITORIAL ESCLARECEDOR

Parabéns pelo excelente e esclarecedor editorial  Demagogia no zoneamento.

Jacqueline Aronis jaronis@uol.com.br

São Paulo

*

PREFEITO HADDAD E O FOIE GRAS

Enquanto o prefeito Fernando Haddad se preocupa em proibir o foie gras na cidade, em razão da crueldade de gansos e patos serem obrigados a engolir goela abaixo ração para a sua engorda, os paulistanos são obrigados a engolir goela abaixo as ciclovias, as faixas exclusivas de ônibus e mais uma série de invencionices e intervencionices que, em vez de melhorar, acabam congestionando e atrapalhando o fluxo do trânsito na capital. Haja estômago!

J.S. Decol  decoljs@globo.com

São Paulo

*

CRUELDADE

Revoltante! Fiquei pasmo com a reportagem do Estadão de 15/7, A15, Caderno Metrópole e com a recomendação aos leitores para conferir na web pratos feitos com foie gras. Pela crueldade praticada ao animal, o certo seria a relação dos restaurantes (para serem execrados pelos paulistanos) que servem o prato, obtido de forma tão cruel. Também, em vez de exibir uma foto do produto feito com fígado de ganso, deveria ser mostrada uma foto com a alimentação forçada do pobre animal. Nota zero ao jornal!

Ivan Ribeiro ivanribeiro28@ig.com.br

São Caetano do Sul

*

HAJA PACIÊNCIA!

Enquanto o prefeito Haddad proíbe o consumo do patê de fígado de ganso, ele vai "comendo" o fígado dos cidadãos paulistanos.

Luíz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo

*

MUDANÇA DE VISÃO

Defensores à parte que me desculpem, mas o nosso prefeito Haddad deveria estar mais preocupado com o fígado os paulistanos do que com o fígado dos patos e gansos! 

Nelson do Nascimento Cepeda fazoka@terra.com.br

São Paulo

*

    

MORTE DE GHIGGIA

Deixo minha homenagem ao grande Alcides Ghiggia, morto aos 88 anos, campeão mundial pelo Uruguai, em pleno Maracanã, em 1950, quando foi o carrasco do Brasil no Maracanã abarrotado por 200 mil pessoas. Ele morreu exatamente 65 anos depois do dia de sua maior glória, em 16/7/1950, quando marcou o gol da virada no Brasil (1 x 2) contra o Uruguai, na final da Copa do Mundo de 1950, o trágico 'Maracanazzo'. Grande jogador do Peñarol, também jogou na Itália, pela Roma, Milan e Seleção Italiana. A verdade é que foram a dor e a decepção da derrota em 1950 no Maracanã que levaram o futebol brasileiro a se tornar penta campeão mundial.

 

Renato Khair renatokhair@uol.com.br

São Paulo

*

NÓS E ELES EM TORONTO 

Ao contrário da afirmação do histriônico Lula, que afirma “nós contra eles”, a dupla de canoagem K2 formada pelos brasileiros Edson Isaias e Hans H. Mallmann faturou a medalha de bronze.Vejam bem, dois brasileiros lutando por um único ideal, elevar o nome do País cada vez mais alto!

Hans Dieter Grandberg h.d.grandberg@terra.com.br

Guarujá 

 *

CONTINÊNCIA NO PAN

Tanta coisa negativa e vergonhosa acontecendo no Brasil e a ultra-esquerda asquerosa criticando uma ação tão pequena, mas simbólica e positiva. Se pretenderam criar rejeição na sociedade e intimidar os atletas, quebraram a cara. Os atletas mostram que "absorveram" mais que direitos. Absorveram, também, valores intangíveis que levarão consigo o resto da vida. A nação inteira aplaude!

Roberto Maciel rvms@oi.com.br

Salvador 

*

FALTA D’ÁGUA 

Em relação ao comentário feito pelo sr. Maurício Lima no Forum de Leitores (12/7), a Sabesp informa que não há registro de reclamação de falta d’água referente ao seu imóvel, na Rua João Gomes Júnior, Jardim Bonfiglioli, nos últimos 12 meses. Na vistoria técnica feita na residência, foi constatado que o cliente possui caixa d’água de 1m3, que é suficiente para uma família de quatro pessoas ter fornecimento de água garantido por um período de 48 horas, em caso de eventual desabastecimento. Não foram encontrados vazamentos. A infraestrutura hidráulica interna está conectada à reservação do imóvel.  A Sabesp verificou em sua central de atendimento 195 a situação de outros 24 imóveis na vizinhança. Em nenhum deles havia reclamação de falta de água. 

Carlos Alencar, assessor de Imprensa da Sabesp Sabespwgasino.cdn@sabesp.com.br

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.