Fórum dos leitores

GOVERNO DILMA

O Estado de S. Paulo

28 Julho 2015 | 03h00

O apoio dos governadores

Desesperada, a presidente Dilma Rousseff convoca 27 governadores para uma reunião supostamente de interesse nacional, em que se discutirão pontos do ajuste fiscal. O encontro, porém, esconde a seguinte leitura: se o Tribunal de Contas da União (TCU) condenar as “pedaladas fiscais” do governo federal em 2014, possibilitando até o processo de impeachment presidencial, eles, governadores, poderão ter o mesmo caminho. O pavor bate às portas da presidente. Mas Dilma pretende mobilizar os líderes estaduais acreditando que tal proposta será aceita. Aos que se lembram, o PT, partido da presidente, é especialista em nomear, indicar e apoiar qualquer um que lhe sirva, de corruptos a subservientes incompetentes, que, depois de pegos cometendo “malfeitos”, são abandonados – que o digam os presos e condenados do mensalão e os investigados pela Operação Lava Jato.

MARIO COBUCCI JUNIOR

maritocobucci@uol.com.br

São Paulo

Tocando o terror

A presidente Dilma Rousseff saiu novamente em defesa da regularidade das contas do Planalto em 2014, porém desta vez não se conteve em incitar o sentimento de medo generalizado. Segundo a petista, a rejeição de suas contas vai gerar um “efeito cascata” nos Estados, atingindo a maior parte dos governadores. A tática era pressionar os ministros do Tribunal de Contas da União e ganhar apoio. Contudo, talvez a presidente tenha se esquecido, mas o que é certo é certo. Que importa se outros membros do Executivo forem julgados? As leis estão aí para limitar e, quando infringidas, penalizar os atos dos administradores públicos. Fica evidente o medo. Como é sabido de antemão, quem não deve não teme.

ELIAS MENEZES

elias.natal@hotmail.com

Nepomuceno (MG)

Sem trégua

Na semana passada, circulou uma informação que, se verdadeira, escancara o esgotamento do PT em administrar a crise econômica e política vivida pelo País. O partido, por intermédio de Luiz Inácio Lula da Silva, intenta uma aproximação com o PSDB, a fim de dar trégua ao governo Dilma Rousseff. Lula estaria interessado em se reunir com seu antecessor no Planalto, Fernando Henrique Cardoso, para uma conversa sobre os rumos do Brasil. FHC, prontamente em seu Facebook, rechaçou a ideia. A oposição mantém sua estratégia e não teria motivo para mudá-la. Por que ajudar seu rival histórico das últimas eleições? Ainda, por que ajudar uma gestão que não é unanimidade nem entre os seus? Não é apelando à oposição que o PT vai conter sua sangria.

GABRIEL BOCORNY GUIDOTTI

gabrielguidotti@yahoo.com.br

Porto Alegre

Bem distante

FHC disse que o momento não é para aproximações com o governo Dilma e que encontros privados poderiam ter variadas interpretações: “O momento não é para a busca de aproximações com o governo, mas, sim, com o povo. Qualquer conversa não pública com o governo pareceria conchavo na tentativa de salvar o que não deve ser salvo”. Para ser mais claro e objetivo: finalmente, chegou o fim. Terminou, encerrou, acabou. Deu para entender, Lula e aliados?

LUIZ DIAS

lfd.silva@2me.com.br

São Paulo 

‘Nós’ contra ‘eles’

Sabem por que FHC (PSDB) não pode se reunir com Lula? Porque FHC – e quem mais se opuser ao PT – faz parte do “eles”, e não do “nós”. Então Lula que se vire com os dele. 

TANIA TAVARES

taniatma@hotmail.com

São Paulo

Armadilha

O grau de desmoralização do governo Dilma e de seu partido, o PT, além de seus integrantes, é tão devastador que não dá para acreditar minimamente na honesta disposição de buscar ajuda na oposição, em especial no PSDB. Temos ainda vivos na memória os debates da campanha presidencial de 2014. Em todos eles, Dilma Rousseff, em tom arrogante e raivoso, dizia que “FHC quebrou o País três vezes”. Agora, que nos levaram, efetivamente, à penúria na economia e na política, depois da festança descarada que fizeram na e com a coisa pública, querem passar as responsabilidades pelos reparos urgentes ao PSDB. Como disse um senador tucano, agora que a festa acabou e estão vomitando no salão querem que a oposição – entenda-se, o PSDB – trate de limpá-lo. Se o PSDB cai nessa armadilha, em 2018 a culpa pelos desarranjos cairia no colo do partido de FHC e Lula diria que precisa voltar para consertar “tudo isso que está aí”.

ANA LÚCIA AMARAL

anamaral@uol.com.br

São Paulo

A realidade

Finalmente se vê o resultado do brilhante plano econômico do PT, a “nova matriz econômica”. O partido, inconformado com o sucesso do Plano Real, criou a lambança quando no poder e lhe deu um nome, como se isso bastasse para ser bem-sucedido. São peritos em slogans e frases de efeito, como “Pátria Educadora”, “o PT não rouba nem deixa roubar” ou “herança maldita”. Mas, finalmente, a realidade se impôs. Herança maldita é o legado que Lula nos deixou, um furacão de incompetência econômica. Por que será que agora quer o diálogo com FHC?

JOSÉ EDUARDO ZAMBON ELIAS

zambonelias@hotmail.com

Marília

SEGURANÇA PÚBLICA

Ataques de 2006

A matéria do Estadão de segunda-feira (27/7, A11) está equivocada quanto a acordo das autoridades com liderança do PCC para pôr fim aos ataques dos criminosos aos agentes da Segurança em 2006. De fato, a possível negociação chegou a ser cogitada numa reunião ocorrida no quartel-general da PM com as principais autoridades da Segurança Pública e da administração penitenciária. O coronel Eliseu Eclair, comandante da PM, reagiu vigorosamente afirmando que a instituição não toleraria e não faria qualquer acordo com criminosos e que poderia reverter os ataques. Tanto não houve acordo que as Polícias Civil e Militar empreenderam vigorosa caçada aos agressores, que resultou na prisão de mais de 500 membros da facção. A única concessão acertada foi o envio da advogada para constatar a integridade física do líder da facção. Esses fatos me foram narrados pessoalmente pelo coronel Eliseu, oficial da maior dignidade e o fiador do governo na reversão daquela crise.

JOSÉ VICENTE DA SILVA FILHO, coronel reformado da Polícia Militar, ex-secretário nacional da Segurança Pública

jvslider@uol.com.br

São Paulo

N. da R. – O Estado mantém as informações publicadas na reportagem.

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br 

DESTRUINDO UM EPÍTETO

“São Paulo não pode parar”. Esse sempre foi  o epíteto da cidade de São Paulo, que representava o dinamismo de um povo e de sua cidade. Até que o Sr. Fernando Haddad conseguiu parar São Paulo.  ComPeTente, o cidadão!

Claudio Juchem cjuchem@gmail.com

São Paulo SP

*

O FUTURO DE SÃO PAULO 

A continuar nesse ritmo, brevemente Haddad irá transformar a cidade num circo! 

Laert Pinto Barbosa laert_barbosa@globo.com.br

São Paulo

*

ELEIÇÕES

Não adianta nada criticar o doutor Fernando Haddad por uma razão: graças a essa porcaria chamada segundo turno que inventaram no Brasil Haddad foi eleito.

Marcelo Cioti marcelo.cioti@gmail.com

Atibaia

*

OS ESTRAGOS DOS PETISTAS EM SP E NO BRASIL

Este incrível prefeito, que é mais um dos postes que Lula colocou na nossa frente (e que eleitores sem noção elegeram), não se cansa de nos proporcionar surpresas. Todos os dias são novidades mais que aterradoras. Agora, lá de Roma, avisou que a decisão de diminuir a velocidade nas marginais poderia ser revista e reavaliada. Isso quer dizer o seguinte, segundo ele: se não funcionar, volta tudo como antes. Mas as placas e as sinalizações, pagas por todos nós, paulistanos cansados de suas ideias e propostas sem pé nem cabeça, sem estudos e sem projetos, iriam para onde? Quer dizer então que somos meros instrumentos de pesquisa? A vida em São Paulo está muito pior do que quando ele assumiu, basta avaliar o aumento de mendigos e pedintes espalhados por toda a cidade. A vida no país piorou sensivelmente porque estamos sendo governados por petistas incompetentes e inconsequentes.

Maria Tereza Murray terezamurray@hotmail.com

São Paulo

*

HADDAD E SEUS EXPERIMENTOS

O prefeito Haddad deveria saber que brincar de experimentos numa metrópole como São Paulo tem um alto custo para o contribuinte. No caso da redução da velocidade em várias vias da cidade, além do custo, a medida conseguiu piorar o já caótico trânsito da cidade. Por favor, senhor prefeito, pare de criar factóides e seja mais técnico em medidas que afetam milhões de munícipes.

Luigi Petti pettirluigi@gmail.com

São Paulo

*

GESTÃO PÚBLICA

Chega a ser risível a forma como somos governados seja em qual esfera for. No que diz respeito à municipal, andando pela Marginal do Rio Pinheiros, a 50 km por hora, me veio à cabeça aquela história do marido ciumento que retira o sofá da sala para a mulher não ter oportunidade de traí-lo. Na realidade, ao invés de diminuir a velocidade, bastaria fiscalizar e punir os transgressores das leis criadas aos borbotões. Há uma lei que proíbe motociclistas de transitarem na pista expressa. Pois é, eles continuam por lá e a maioria em altíssima velocidade. Qualquer pessoa que trafega pelas Marginais vê muitos caminhões transitando em horário proibido, e o que é pior, um monte de carros velhos, isentos de IPVA e provavelmente pendurados em montes de multas, correndo muito, mas muito acima dos limites de velocidade. Há também alguns outros automóveis que desconhecem o que é limite de velocidade. Provavelmente seus motoristas corrompem alguém para sumir com as multas, coisa muito praticada no Brasil, não é? Dificilmente se vê nas Marginais uma blitze para fiscalização de documentação de automóveis e motoristas e recolhimento de carros, que, caindo aos pedaços, estão impróprios para uso. Realmente seria muito civilizado termos uma cidade como Amsterdã: plana, com muitas ciclo faixas, transporte público de primeiríssima, apenas 800 mil habitantes e no Primeiro Mundo.

Paula de Ribamar e Silva paula.ribamar@gmail.com

São Paulo

*

FALTA DE COERÊNCIA

Desde o início do seu mandato o prefeito Fernando Haddad tem demonstrado verdadeira ojeriza a veículos de passeio como parte integrante do seu projeto obsessivo daquilo que chama "mobilidade urbana". Ciclo faixas, a maior parte delas mal planejadas e mal feitas, e corredores exclusivos para ônibus reduziram as vagas de estacionamento e pioraram o trânsito. O prefeito demonstra intenção de fechar definitivamente o Minhocão, sob a alegação muito duvidosa de que isso não prejudicará o trânsito na região e, a cereja do bolo, até agora, pelo menos, é a absurda redução da velocidade das Marginais, que foram criadas justamente para melhorar a mobilidade urbana da cidade! Coerência não é a marca desta gestão municipal e seguramente não deixará boas lembranças. 

Luciano Harary lharary@hotmail.com

São Paulo 

*

INTERVENÇÕES URBANAS

Graças às intermináveis invencionices e intervencionices esdrúxulas do prefeito Fernando Haddad na cidade, sem que haja qualquer espécie de consulta popular, muito em breve se obterá maior velocidade no trânsito pedalando! Haja paciência e estômago para mais 18 meses de mandato!

J.S. Decol decoljs@globo.com

São Paulo

*

MARGINAIS X AUTOBAN

Gostaria conhecer o índice de acidentes nas Autoban alemão (sem limite de velocidade) comparado ao das Marginais. O comparativo irá demonstrar se a medida do nosso Prefeito é de boa fé ou mais um artifício arrecadatório para esfolar o cidadão paulistano.

Frederico d'Avila fredericobdavila@hotmail.com

São Paulo

*

INFLANDO DADOS 

Além de tudo que tem falado do nobre alcaide de São Paulo, o petista Haddad agora foi pego inflando dados de obras nunca realizadas. Talvez ele como bom malandro afinal e petista de longa data deve ter confundido ciclovias com creches... 

Antonio Jose Gomes Marques a.jose@uol.com.br

Rio de Janeiro

*

SÓ PARA ENTENDER

Prefeito Haddad, o motorista que mais sofre acidente de trânsito e morre é o de moto. Por que não há o mesmo interesse em normatizar seu modo de dirigir e seus limites de velocidade?  

Luíz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo

*

SÓ NA PRÓXIMA

Quando vejo nos jornais a rosto estampado do nosso atual ministro da Justiça, tenho a nítida certeza de que ele está pensando com seus botões: Por que é que não continuei sendo apenas deputado federal? Reposta: agora é tarde! Só na próxima!

José Piacsek Neto bubanetopiacsek@gmail.com

Avanhandava 

*

O POVO QUER SABER

Por que será que o patriotismo acabou e a política só atrai malfeitores, que fazem da política profissão e não idealismo? Por onde andarão o "fio de bigode" de outrora, o rubor da face e a coragem de tomar decisões sem pensar em prestígio político?

ARNALDO DE ALMEIDA DOTOLI arnaldodotoli@hotmail.com

São Paulo

*

QUADRO DE HORROR 

A turma do “deixa disso” diz que não há crise já que as instituições estão funcionando. Mas se estão funcionando por que chegamos a esse quadro de horrores? Algo está errado!

Gilberto Dib gilberto@dib.com.br

São Paulo      

*

UNIVERSIDADE DA CORRUPÇÃO

As acusações mútuas que aconteceram neste ano na Câmara e no Senado da República sobre quem recebeu ou não dinheiro em forma de propina das empreiteiras ou da Petrobras para “campanhas eleitorais” nos faz afirmar que transformaram o recinto do Congresso Nacional numa Universidade de “Corruptologia” e estão formando os melhores “corruptólogos” do universo. As aulas acontecem às terças, quartas e quintas-feiras. Precisamos de alguém para mudar ou fechar essa universidade com urgência.

Leônidas Marques  leo_vr@terra.com.br

Volta Redonda (RJ)

*

DINHEIRO FANTASMA

Uma pessoa que não trabalha na Suíça e não mora lá só pode ter aberto uma conta nesse país para esconder dinheiro do Caixa 2 ou sonegar impostos. O mesmo raciocínio vale para uma empresa que não tem sede nem filiais na Suíça. Intrigante é o volume de dinheiro sujo que saiu da Petrobras, passou pela Suíça e voltou para os partidos políticos brasileiros e ex-diretores da estatal sem chamar a atenção de nenhum órgão fiscalizador. Esse dinheiro fantasma passou diante dos olhos do departamento financeiro da Petrobras, do Tribunal de Contas da União, do Tribunal Superior Eleitoral e ninguém percebeu nenhuma irregularidade nas milionárias campanhas políticas.

José Carlos Saraiva da Costa jcsdc@uol.com.br

Rio de Janeiro

*

LAVA JATO

O cerco está se fechando. José Dirceu, envolvido no Mensalão, não gostou do estágio na Papuda e agora, envolvido no Lava Jato, quer, a qualquer preço, não mais ser preso. João Vaccari Neto viu que o tesoureiro Delúbio Soares, mesmo de bico fechado, foi o mais apenado dos mensaleiros, daí vai que Vaccari queira, com delação premiada, aliviar a sua barra. O executivo da OAS, Léo Pinheiro, está em vias de soltar a língua e o mesmo pode acontecer com Marcelo Odebrecht. É nítida a preocupação de Lula nas fotos. As fotos falam sozinhas. A preocupação não é a de o Brasil ir ladeira abaixo, mas consigo mesmo, com sua própria pele, por causa dos malfeitos aflorados quando presidente e também na gestão da sua sucessora. Suas feições são de apreensão e elle, estrategista nato, percebe que a qualquer momento poderá ficar seriamente comprometido a ponto de não conseguir se safar.

Humberto Schuwartz Soares hs-soares@uol.com.br

Vila Velha (ES) 

*

REFLEXÃO

A família de Paulo Roberto Costa está sensibilizada com as dores em seu tornozelo por causa da tornozeleira eletrônica. Estou pensando o que poderiam fazer os bilhões de reais desviados pela corrupção e quantas pessoas poderiam não sofrer pelas mortes de seus familiares em portas de hospitais públicos por falta de atendimento.  Tudo uma questão de ponto de vista.

Luíz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo

*

TRAGÉDIA

O procurador da República, Deltan Dallagnol, fala em tragédia, quando se reporta ao montante desviado dos cofres públicos na Lava Jato. O termo, absolutamente preciso, reforça a gravidade dos crimes praticados e exige, em contrapartida, penas duríssimas para os envolvidos. 

Ricardo C. Siqueira ricardocsiqueira@globo.com

Niterói (RJ)

*

EXEMPLO

Acredito estar representando a gratidão de todos os brasileiros de bem.  Agradeço à Polícia Federal, ao juiz Federal Sergio Moro, ao procurador Deltan Dallagnol, ao Ministério Público Federal (MPF) e a todas as autoridades envolvidas nessas operações, que serão realmente um marco de moralização tão necessária ao nosso país.  Ainda faltam conclusões e pontualidades para punir severamente essas pessoas, principalmente políticos envolvidos que tanto mal nos fazem.

Alessandro Lucchesi timtim.lucchesi@hotmail.com

São Paulo

*

PASÁRGADA

Com tantas evidências sobre a existência de uma rede criminosa capitaneada por Marcelo Odebrecht, sendo apenas uma questão de tempo a comprovação de sua culpa, para onde ele fugiria do Brasil? Só se for para Pasárgada e se ele for amigo do rei de lá. 

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro   

*

INGENUIDADE

Dilma, como presidente do Conselho da Petrobrás, não sabia nadinha do que denunciou o MPF? 

Eugênio José Alati eugeniojalati@gmail.com

Campinas 

*

ESCRAVIDÃO 

Em vista dos valores astronômicos dos políticos em atuação no comando do Brasil, em comparação ao que recebem os brasileiros assalariados, aposentados e atuantes de carteira assinada ou não, estes vivem em estado de extrema pobreza e escravidão, pois não sobra nada depois dos gastos com sua sobrevivência. Já em relação aos roubos nas estatais, isso mostra que ainda vivemos na Idade Média em regime feudal: grandes senhores (grandes empresas corruptas) e inúmeros vassalos (políticos desonestos, relapsos e bajuladores de riquezas).

José Penteado Neto jsopnx@gmail.com

Araraquara 

*

BRASIL, EFETIVAMENTE RICO

Efetivamente o Brasil é um país rico, pois mesmo possuindo cerca de 5,8  mil ações na Justiça por crimes financeiros, que incluem lavagem de dinheiro, ocultação de bens, corrupção generalizada e desvios de verbas públicas, não está com sua economia em estado terminal. Urge, entretanto, que a atual onda de apurações de tais ações ilícitas seja aprimorada e intensificada, com punição rigorosa de todos os seus responsáveis, sem distinção, para que possamos efetivamente construir a tão sonhada grande nação democrática que temos condições de ser.     

José de Anchieta Nobre de Almeida josedalmeida@globo.com

Rio de Janeiro

*

QUEM NÃO DEVE NÃO TEME

Quem é o sócio oculto destas empresas escolhidas a dedo para se transformar em mega empresa com dinheiro do povo via BNDES. Seria o partido dos petralhas?

Nelson Pereira Bizerra nepebizerra@hotmail.com

São Paulo

*

TRISTE PAÍS

Muito triste. Dilma é a grande contribuição que o PT e Lula deram ao Brasil, eles não precisavam nem roubar os bilhões que roubaram para nos deixar pasmos, porque Dilma rouba mais ainda, rouba a dignidade intelectual do povo brasileiro.

Francisco José Sidoti Carneiro carneiro.jcc@uol.com.br

São Paulo 

*

AGORA A CASA CAI

 Se for verdade e não notícia "fake e o FBI entrar mesmo na investigação, aí não tem "jeitinho" brasileiro para esconder as falcatruas, como comprar o STF, pedir ajuda a FHC... Agora a casa cai!

Roberto Moreira da Silva rrobertoms@uol.com.br

São Paulo

*

PROFISSÕES NO BRASIL

No Brasil, temos futuros cientistas querendo ser jogador de futebol, excelentes manicures no funcionalismo público, executivos que dariam ótimos cantores, e, no topo das inversões, bandidos fazendo política para facilitar as coisas...

Ricardo C. Siqueira ricardocsiqueira@globo.com

Niterói (RJ)

*

QUEDA DA BOLSA

Jornais informam que ajuste chinês pode afetar a Bolsa de ações de São Paulo. Não precisa: o governo federal já a afetou muito. Ela vem caindo, caindo.

Mário A. Dente dente28@gmail.com

São Paulo

*

PIOR DO QUE A GRÉCIA

Diante de tantas notícias ruins aliadas à crise econômica já instalada pelo desgoverno do PT, que atitude deve tomar a atual presidente? Como o Brasil não faz parte da zona do euro, como sairmos da zona que nos deixaram? A queixa e reclamação do povo brasileiro são gerais. Dona Dilma, coloque o boné e decida o seu destino enquanto pode, ou terá de acompanhar os companheiros da corrupção e roubalheira que aguardam a condenação, ou algo pior... Muito pior do que a Grécia!

Luiz Fernando Dias da Silva lfd.silva@2me.com.br    

São Paulo

*

DÍVIDA E CALOTE

Quem diria que o Brasil daria um calote de US$ 120 milhões ao Fundo do Mercosul, quando o PeTelulismo sempre se vangloriou em ter zerado a dívida do País com o Fundo Monetário Internacional (FMI)? Na realidade ele a transformou numa gigante dívida interna, que hoje atingiu a cifra de R$ 2,3 trilhões.

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.