Fórum dos leitores

OLIMPÍADA 2016

O Estado de S. Paulo

06 Agosto 2015 | 03h00

Chute sem direção

Mais uma para os anais dos políticos mentirosos e fracos deste país: a um ano do início da Olimpíada de 2016, o governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, diz que a Baía de Guanabara, um esgoto a céu aberto, estará limpa em 2030. Antes, Pezão tinha afirmado que a Baía teria 80% de suas águas limpas até os Jogos Olímpicos do ano que vem. Alguém deve ter cochichado em seu ouvido, agora, que isso seria impossível. Ou seja, tudo aqui, no Brasil, é feito na base do improviso e do chute sem direção. E o que foi gasto até agora, foi para sujar mais a Baía?

ANTONIO JOSE G. MARQUES

a.jose@uol.com.br

Rio de Janeiro

Derrotados

É lamentável que a um ano do início do Jogos o Brasil já tenha perdido a Olimpíada. O País prometeu e não cumpriu despoluir as águas da Guanabara – o que seria a maior vitória para o País e para o mundo nos Jogos. Perdemos a chance de despoluir um dos lugares mais maravilhosos do planeta. Não importa quantas medalhas nossos atletas ganhem, o Brasil perdeu antes mesmo de entrar em campo.

MÁRIO BARILÁ FILHO

mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

A história se repete

Desconfio de que em 2016 iremos passar atestado de incompetência e torrar verbas em obras atrasadas e malfeitas, além dos desvios para os cofres de empreiteiras e os bolsos de políticos – que o digam as obras dos Jogos Pan-Americanos e da Copa de 2014. Dizem que a “festa” da Olimpíada custará R$ 38 bilhões, mas acaso se esqueceram da propina embutida no orçamento? Esta será de pelo menos 10%, e, não fosse a Lava Jato, seria até mais.

LAÉRCIO ZANNINI

spettro@uol.com.br

São Paulo

CORRUPÇÃO

Transparência

Em boa hora o Ministério Público Federal (MPF) inicia uma campanha coletando assinaturas para um projeto de lei contra a corrupção no País. Além dessa proposta, é necessário modificar a Lei Geral de Licitações (Lei n.º 8.666/93). Algumas sugestões do que deveria ser feito: 1) publicar na internet, obrigatoriamente, gratuitamente e sem impedimento para download, os editais completos e todos os anexos (projeto básico, planilhas orçamentárias, cronograma físico-financeiro, composição de custos unitários, minuta de contrato, etc.), para que qualquer cidadão interessado analise e possa ajudar a fiscalização do processo licitatório. 2) Obrigar a administração a pagar em dia os serviços e obras medidos, sob sanção e multa, evitando o pagamento de comissão que ocorre, geralmente, no recebimento das faturas – atrasa-se o pagamento para obrigar um acerto. 3) Publicar completos também os aditivos aos contratos, suas planilhas de composição de custos e suas justificativas e origem dos recursos. Esses pontos tornariam públicos e verificáveis imediatamente os atos praticados e, em decorrência disso, engenheiros, advogados, contadores, técnicos em geral e partidos políticos se tornariam, efetivamente, os fiscais pro bono do dinheiro público, evitando o prejuízo no nascedouro. Nos Estados e municípios, isso reduziria em torno de 15% os custos terceirizados da administração.

FRANCISCO CARLOS MOSS

franciscomoss@gmail.com

Manaus

O dinheiro de volta

Em tempos de escândalos de corrupção e de revelações sobre contas bancárias em instituições estrangeiras nas quais estão depositados recursos não declarados no país de origem, pretendem, a título de fazer caixa, “legalizar” tais valores mediante a módica contribuição de 30% incidentes sobre os valores a serem repatriados (4/8, A2). Fico a pensar que empresário “seriíssimo” precisou mandar para fora recursos auferidos aqui, no Brasil. Eu, que vivo de salário e não tenho sobras para mandar para fora – e mesmo se tivesse deixaria aqui mesmo –, tenho descontado na fonte o Imposto de Renda no porcentual de 27,5%. E como pretender não ter de provar a origem dos depósitos? E como separar valores de origem lícita dos de origem ilícita? O dinheiro não tem cheiro, não é? Há sempre os que ganham sempre, inclusive nas crises. Falta de ética está mudando de nome...

ANA LÚCIA AMARAL

anamaral@uol.com.br

São Paulo

Um excelente negócio

Por que alguém com recursos (lícitos ou ilícitos) depositados no exterior se sujeitaria a pagar um imposto de 35% para repatriá-los ao País? Se lícitos, mas não declarados, trata-se de taxa bastante elevada, que dificilmente incentivará o processo planejado no Projeto de Lei n.º 298. Certamente, o dinheiro ficará onde está, ainda que rendendo menos do que em aplicações no Brasil. Se ilícitos (a imensa maioria), os 35% seriam a taxa extra a ser futuramente aplicada às propinas e demais ilicitudes como custo para “esquentar” o fruto das mais variadas falcatruas. Para quem se locupletou com propinas oriundas de negócios com a Petrobrás, a Eletrobrás, o BNDES, do tráfico de drogas e fraudes no INSS (lembram?), pagar 35% de imposto e ficar com o resto seria um excelente negócio. Sem dúvida, um belo incentivo à roubalheira, em flagrante prejuízo aos milhões de contribuintes honestos.

JORGE LUIZ DE ANDRADE

seugonca252@gmail.com

Jandira

OPERAÇÃO LAVA JATO

O PT e José Dirceu

A nota dos petralhas sobre a prisão de José Dirceu é uma verdadeira obra de ficção, confissão e abstração. Ficção, ao declarar que as “doações” recebidas pelo partido são legais e devidamente declaradas à Justiça Eleitoral (para eles, não importa de onde vem o dinheiro). Confissão, pois, ao “legalizarem” o dinheiro escuso, tornam-se uma verdadeira lavanderia (atenção, Ministério Público, o que estão esperando para enquadrar toda a quadrilha?). E abstração total no que se refere ao outrora “guerreiro do povo brasileiro”. Nem uma palavra, nenhuma menção ao seu nome. Nada. Só um enorme silêncio sepulcral. Dirceu, descanse em paz.

RENATO OTTO ORTLEPP

renatotto@hotmail.com

São Paulo

Os bobos da corte

Milhares de petistas se propuseram a fazer uma vaquinha para arrecadar os R$ 971 mil da multa imposta pelo Supremo na condenação de Zé Dirceu no processo do mensalão. Enquanto isso, ele degustava bons vinhos, voava em jatos particulares e reformava sua casa com dinheiro de propinas – o que agora começa a ser desvendado. Pergunto: os bobos da corte farão nova vaquinha ou se convenceram da burrada cometida?

ANTONIO BOER

toboer@uol.com.br

Americana 

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

70 ANOS DA BOMBA EM HIROSHIMA

Neste 6/8/2015 se completam tragicamente os 70 anos da explosão da bomba atômica em Hiroshima, no Japão. Estive em Hiroshima em 2014 e fiquei chocado e perplexo diante da barbárie e estupidez humanas praticada em 6/8/1945, pelos EUA. É uma página negra na história recente da humanidade, que jamais poderá ser esquecida para que nunca mais se repita. Mais de 120 mil pessoas foram mortas em Hiroshima e outros tantos milhares em Nagasaki, dois dias depois. Os EUA têm uma mancha negra na sua história e uma dívida eterna com o Japão por conta disso. Nada justifica o bombardeio de duas cidades e o assassinato de milhares de civis inocentes, homens, mulheres, idosos e crianças que nada fizeram de errado. Sob todo e qualquer ponto de vista, é uma atrocidade que só traz vergonha e dor para a espécie humana. Nossa homenagem a todas as vítimas da bomba de Hiroshima e que nunca mais tenhamos algo nem sequer parecido no mundo.

Renato Khair renatokhair@uol.com.br

São Paulo

*

MAQUIAGEM DE AUSTERIDADE

Com certeza D. Dilma está encomendando esse estudo a alguma empresa do consultor do Bradesco x HSBC, o político Zé Dirceu, agora de nova como hóspede de alguma cadeia. E com certeza haverá alguma empreiteira providenciando o polpudo pagamento pela consultoria do petista.

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com

São Paulo

*

CRISE IRREVERSÍVEL

A intenção da presidente Dilma Rousseff de cortar ministérios e cargos é, em sua natureza, o gesto ideal de um governante nos momentos de crise. Contudo, apenas um gesto de última hora, sob forte pressão, não irá resgatar a credibilidade do brasileiro em sua governanta. A verdade é que a petista se negou a dividir essa conta, a do ajuste, com o povo - conta esta, aliás, que o próprio governo criou. Vendo sua popularidade despencar, acompanhada do desapoio dos parlamentares e a concretização de mais um movimento em defesa de seu impeachment, Dilma agiu tardiamente. É um tiro no pé, pois as relações com o Congresso não andam nada boas e cortar cargos de aliados é o mesmo que amarrar uma pedra no calcanhar e se jogar na água. O PT sempre demonizou a ideia de um Estado mínimo, que atenda às deficiências do mercado. Ao que me parece, esse navio afundou há muito. Mas que não levem o País com eles! O PT é uma coisa, o Brasil é outra bem diferente (ainda bem).

Elias Natal Lima de Menezes elias.natal@hotmail.com

Nepomuceno (MG) 

*

CORTES

A presidente Dilma Rousseff vai cortar Ministérios. Acredito que só lhe resta cortar o resto de seu mandato. Chega de remendos!

Luíz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo

*

DIMINUIR MINISTÉRIOS

Presidente Dilma Rousseff, depois da casa arrombada não adianta colocar tramela. Embora necessário o corte de ministérios, isso nada mudará ou alterará no que diz respeito à sua credibilidade, pois nem os seus bolsistas acreditam mais no PT e muito menos em você. 

Arnaldo de Almeida Dotoli arnaldodotoli@hotmail.com

São Paulo

*

REFORMA MINISTERIAL

Mais fora do que dentro do governo, Dilma decidiu reduzir o número de ministérios. Conhecendo a sua competência, não é de estranhar que ela já decidiu manter as insignificantes secretarias de Igualdade Racial, Mulheres e Direitos Humanos. Está em estudo o fim da Secretaria da Micro e Pequena Empresa, e aí o traidor de São Paulo, Guilherme Afif Domingos, perderá o seu carguinho. Agora, quem precisa tomar muito cuidado para não ser demitida com a extinção de seu ministério, é a ministra da Agricultura, Kátia Abreu, que, apesar da crise, tem feito um bom trabalho e isso pode causar inveja e ciúmes em Dilma. Mas, sinceramente, não seria melhor deixar a reforma administrativa para o próximo presidente?

Maria Carmen Del Bel Tunes Goulart carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana

*

FALTA SIMPLICIDADE 

A presidente Dilma resolveu reduzir os ministérios para dar sinal de austeridade. Foi preciso o País entrar em crise, o Congresso mostrar-se contrário às suas reivindicações, a saúde e a segurança pública ficarem em estado de penúria, a corrupção nas alturas, entre outros problemas. Basta seguir Oscar Niemeyer e deixar um ministério em cada prédio que existe para este fim em Brasília. A presidente deveria seguir o exemplo do ex-presidente do Uruguai José Pepe Mujica e viver com mais simplicidade, de acordo com a situação de seu povo, que, certamente, apesar dos erros, ela melhoraria muito sua aprovação pelo eleitorado.

Mário Negrão Borgonovi marionegrao.borgonovi@gmail.com

Rio de Janeiro

*

PROGRAMA DE GOVERNO?

Dilma, elogiando o encontro com governadores, referiu-se à sua responsabilidade de cumprir, neste mandato de 4 anos, seu programa de governo. A que programa de governo ela se refere? Nem no primeiro nunca ouvi falar de algum!

Zilá Camargo Pires da Silva zilkpsil@yahoo.com.br

São José do Rio Preto

*

CORTE NO PRIMEIRO ESCALÃO

A presidente, embora tardiamente, entendeu que precisa cortar despesas, levantando a bandeira do exemplo. Irá cortar ministérios, mas vai preservar os da área social para não desagradar ao PT. É um começo, mas o corte precisa ser na carne, a fim de que o povo acredite nas boas intenções do Planalto. De um lado, prisões e mais prisões pela PF, como foi o caso de José Dirceu, novamente detido, o que impõe mais descrença no governo. De outro, a máquina estatal entupida, enquanto dona Dilma hesita nos cortes necessários. Na realidade, deveria ter feito isso tudo antes que o dia 16 chegue e ela sinta, ainda mais a força da rejeição contra seu governo.

José Carlos de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br

Rio Claro 

*

TRATAMENTO DIFERENCIADO

Por que o sr. José Dirceu não foi no mesmo avião que levou os demais acusados? Por que não foi algemado e os outros estavam algemados? Por que este tratamento diferenciado ou não é um cidadão comum? É um condenado do mensalão que cumpre prisão domiciliar, logo deveria ser algemado. São atitudes como essa que transmitem para a sociedade a imagem de que a lei não é igual para todos. E pensar que ainda fizeram vaquinha para ele pagar a multa imposta pelo STF no processo do mensalão, com acusação de ter recebido R$ 26 milhões. Desculpem-me, são uns otários. 

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

LULA E DIRCEU

É claro que o Lula não sabe e não sabia nada sobre toda essa corrupção, mas eu queria realmente saber a sua opinião sobre a prisão do José Dirceu.

Silvio Leis silvioleis@hotmail.com

São Paulo

*

LULLOPETISMO

A prisão de Zé Dirceu não tem mais volta. Cerre os punhos Zé, levante-os bem alto, mas para vestir as algemas!   Logo será a vez do chefão, isso tudo não pode ficar por isso mesmo. Viva a Justiça, Viva o juiz Sérgio Moro, viva a Pátria!

Edson Gomes edsoncontec@uol.com.br

São Paulo

*

ARGUMENTO VAZIO

Os petistas repetem como um mantra: “Só nós somos acusados, só nós somos presos; os outros também roubam e não vão para a cadeia”, etc. Como é habitual, a argumentação é mentirosa e desonesta. A Justiça não age movida por opiniões políticas, mas por fatos descobertos e apurados pela Polícia Federal. E nesses doze anos e meio de poder, representantes do lulopetismo agiram de forma criminosa e agora esses atos estão sendo descobertos. Nenhum juiz prenderia figuras destacadas do partido no poder sem o respaldo dos fatos e da lei.

Cloder Rivas Martos closir@ig.com.br

São Paulo

*

FALA, ZÉ DIRCEU!

Novamente atrás das grades, Zé Dirceu tem oportunidade de revelar ao País quem estava no comando dos mega-esquemas de corrupção do mensalão, petrolão e eletrolão dos governos Lula e Dilma. O Brasil é todo ouvidos.

J.S. Decol decoljs@globo.com

São Paulo

*

ATESTADO DE TROUXA

O estupendo esquema de corrupção que assola o País por obra e arte do PT tem lances que beiram o surreal. Muitos são os exemplos de como age a cúpula “socialista” deste partido, socializando a roubalheira para cima dos próprios trabalhadores. Entre outros, o golpe de Vaccari no Bancoop, os estragos nos fundos de pensão das estatais e vai por aí. Agora a operação Lava Jato traz mais um exemplo desta forma de agir, desta vez vitimando a própria petralhada. A operação Lava Jato mostra ter José Dirceu faturado R$ 39 milhões com a corrupção. Não faz muito tempo que, condenado no mensalão, José Dirceu pagou a multa de quase R$ 1 milhão graças a uma "vaquinha" para a qual contribuíram, certamente, muitos militantes sem condições de fazê-lo. Ou seja, num linguajar bem popular: “passaram atestado de trouxas”. Acordem, petistas!

Lazar Krym lkrym@terra.com.br

São Paulo

*

E AGORA, JOSÉ?

E agora José? Cadê o chefe? Tudo o que você fez foi pra ele. E ele nada por você faz! Que tal uma delação premiada?

José Roberto Iglesias rzeiglezias@gmail.com

São Paulo

*

DÚVIDA

Na condição de reincidente (depois do mensalão agora no petrolão), vivendo em prisão domiciliar e na condição de "represo" (coisa ainda não vista na história deste país), José Dirceu continuará a ser aclamado pelos companheiros como "guerreiro do povo brasileiro"? Terá coragem de levar mais alguém consigo? Se não o fizer, será por respeito ou por medo?

Eduardo Augusto Delgado Filho e.delgadofilho@gmail.com

Campinas

*

HOMEM-BOMBA

Na sede da Polícia Federal (PF) José Dirceu chorou e disse: “Desta vez não vou segurar o pato sozinho!” Será que vai se livrar do pato ou vai detonar uma verdadeira bomba nuclear?  Aguardemos o desfecho (que já viria tarde).

Silvano Corrêa scorrea@uol.com.br

São Paulo

*

QUADRILHA NÃO É PARTIDO

O presidente da Câmara, Eduardo Cunha, excluiu o PT do comando de todas as Comissões Parlamentares de Inquérito (CPIs) que serão instaladas nos próximos dias. Em vista disso, para não ficar calado e justificar os "pixulecos" e dólares na cueca, o líder do governo, José Guimarães, vomitou: "Era só o que faltava, a segunda maior bancada ficar fora da CPI”. Nobre deputado, acho que sua professor do ensino fundamental, não lhe ensinou o verdadeiro significado da palavra "quadrilha".

Humberto de Luna Freire Filhohlffilho@gmail.com

São 

*

LAVA JATO

Estão chegando nelle! Será que a dona Marisa foi na frente usando seu passaporte europeu?

Milton Bulach mbulach@gmail.com

Campinas

*

MUDANÇA NECESSÁRIA

Não há justificativa para a existência do Senado e da Câmara dos Deputados, pois os nobres parlamentares não assumem absolutamente nada. Eles não têm culpa de nada. Eles nunca foram punidos por nenhum erro que cometeram. Estão muito distantes da realidade do País. O poder precisa ser descentralizado e cada Estado precisa zelar pelo seu próprio cofre. A centralização do poder favorece a corrupção descontrolada, como sempre aconteceu no País. O Brasil poderia funcionar como uma confederação, sendo cada Estado responsável por seu sucesso ou fracasso. A máquina federal brasileira está completamente emperrada, ineficiente e ineficaz. O dinheiro do contribuinte é queimado sem dó com o objetivo de garantir votos nas próximas eleições e enriquecer banqueiros e empreiteiros.

José Carlos Saraiva da Costa jcsdc@uol.com.br

Rio de Janeiro

*

TRABALHO DIFÍCIL

Graças a Deus ainda temos juízes no Brasil. Juízes como  Sergio Moro e outros da mesma estirpe, que sem dúvida a grande maioria da sociedade brasileira apoia. Bravos homens que cumprem seu dever em um trabalho digno, honrado e sabemos difícil.

José Joaquim Rosa jjrosa1945@yahoo.com.br

São Paulo

*

FECHADO PARA BALANÇO

O Brasil precisa fechar para balanço o brasileiro de bem, que é a maioria, e não aguenta mais esta situação. É só roubalheira por todos os lados e em todas o PT tem suas digitais! Esperamos que sejam banidos da vida pública desde seus caciques  até os petistas de mais baixo escalão para  que o Brasil retorne  a ser  respeitado perante o mundo.

Valdir Sayeg valdirsayeg@uol.com.br

São Paulo

*

DIVAGAÇÕES

E se Marcelo Odebrecht, lembrando o seu tempo de Oficial do Exército (CPOR), decidir honrar o juramento solene de defender as instituições brasileiras a qualquer custo? E se Catta Preta, dispensada das obrigações com os ex-clientes, resolver falar tudo que sabe e pode, certamente, provar? E se  provar que este ataque ao Instituto Lula foi coisa dos aloprados, cuidadosos em não deixar vítimas e poucos danos materiais? E se Eduardo Cunha, aloprado de direita, resolver investir à vera - e não apenas ameaçar - na pauta bomba? E se o MP for atrás dos rastro dos matadores de Celso Daniel? E de Lulinha, hein? Aguardemos as respostas até o dia 16 de agosto.

Roberto Maciel rvms@oi.com.br

Salvador 

*

FIM DE UM PARTIDO POLÍTICO

A história está mostrando o triste fim de um partido político (PT), onde seus líderes acreditavam que o crime compensava. Graças à Polícia Federal, ao Ministério Público Federal e à atuação do juiz federal Sérgio Moro, esses ladrões inescrupulosos (políticos e empreiteiros), sem princípios e traidores da pátria estão sendo colocados na prisão por terem, descaradamente, roubado bilhões de reais do sofrido contribuinte, para satisfazer os seus bolsos e o partido político. Enquanto isso, milhões de brasileiros estão enfrentando filas em hospitais públicos, não têm segurança, educação e saneamento básico. Vamos mostrar a nossa indignação indo para a rua no de 16 de agosto, que pode ser o início do fim deste governo petista.

José Wilson de Lima Costa jwlcosta@bol.com.br

São Paulo 

*

ERRO DE FHC

Admiro e chego a ter uma ponta de inveja da inteligência e cultura do ex-presidente Fernando Henrique, mas ele cometeu um erro grave. Ao dizer que Dilma é pessoa honrada, ofende milhões de brasileiros que vivem de forma decente. Sim, ainda existe muita gente ética no País, que não faz parte da organização criminosa petista.

André Coutinho arcouti@uol.com.br

Campinas 

*

DIÁLOGO ENTRE FHC E LULLA

A quem interessa esta aproximação? Nada justifica este diálogo. FHC deve manter-se o mais distante possível do chefe de todos os escândalos vergonhosos, que estão acontecendo neste país.

Heloisa Ribeiro da Silva novorumo.helo@uol.com.br

São José dos Campos  

*

A OPOSIÇÃO QUE O GOVERNO QUER

A dubiedade dos oposicionistas, com especial atenção aos políticos do PSDB, deixa o desconfiômetro ligado pelas atitudes e frases que todos os dias enfeitam os noticiários. Fernando Henrique Cardoso, o ex-presidente mais apedrejado pelos petistas, acusado de ter cometido todos os pecados cometidos pelo governo petista, disse simplesmente que "Dilma não tem culpa no cartório", estando com sua possível doença de Alzheimer a merecer uma reavaliação. O governador do maior Estado do Brasil afirmou que o impeachment de Dilma não favorece a Democracia. 

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

*

BRADESCO X HSBC

Pagou barato. Não é todo dia que o mercado oferta lojas de fazer dinheiro prontinhas, com 5 milhões de clientes embutidos nesse universo das 20% de grandes fortunas.  Em tempos de crise, quem tem cash faz excelentes negócios. Some-se que, estando a economia em declínio, preços e valores despencam. Na alta, gastaria o dobro Perde o Santander oportunidade única de expandir.  

Arnaldo Cordeiro Montenegro ac.montenegro@uol.com.br

São Paulo

*

BANCO OU CARTÓRIO?

Para se contrapor à cara de pau de um Lulla, só mesmo a caradura do banqueiro Trabuco estampada no Estado de hoje, onde se diz "otimista com o futuro do País". Senhor Trabuco, este País só terá futuro de conseguir desmontar seus dois enormes tumores, que lhes sugam as energias: o Estado balofo, improdutivo, e o enorme cartório bancário, seu sócio nas artes de parasitar o pobre povo brasileiro. O sistema "bancário" brasileiro, sr. Trabuco, é uma arma mortal apontada para o peito do Brasil! 

Renato Pires repires@terra.com.br

Ribeirão Preto

*

SONHO OU PESADELO CARIOCA 

Cada vez mais próximo está aquele evento que o carioca sonha e conviverá quando sua cidade sediar: uma Olimpíada. Tomara que tudo corra bem, mas desconfio que vamos passar atestado de incompetência, além de torrar verbas em obras atrasadas, mal feitas e desvios para bolsos de empreiteiras e de políticos. Que o digam as obras do Pan-americano e da Copa, porque a “festa” de agora dizem que custará R$ 37 bilhões, mas se esquecem da propina embutida no orçamento. Será pelo menos uns 10% e, se não fosse a Lava Jato, seria mais! 

Laércio Zannini spettro@uol.com.br

São Paulo


Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.