Fórum dos leitores

ELEIÇÃO SOB SUSPEITA

O Estado de S. Paulo

16 Agosto 2015 | 03h00

CPI das urnas eletrônicas

A situação econômica do governo federal a cada dia fica mais grave e a presidente Dilma Rousseff, à falta de opções para evitar um possível impeachment, agarra-se ao fato de ter vencido a eleição e, assim, achar que ganhou o direito de presidir o País até o fim de seu mandato, haja o que houver. Acontece que o resultado da última eleição foi muito suspeito. Basta lembrar que no início das apurações o Tribunal Superior Eleitoral, sob a presidência do ex-advogado de José Dirceu que hoje é ministro, suspendeu a publicação dessas mesmas apurações e só dias depois permitiu que o povo verificasse os resultados das urnas apuradas. Essa parada inédita levantou uma suspeita no sentido da ocorrência de algum arranjo eletrônico para transferir uma porcentagem de votos para a candidata à reeleição nos milhares de urnas eletrônicas. É oportuno lembrar que hackers já descobriram e alteraram até segredos importantes do FBI, a polícia federal americana; hackers chineses têm agido da mesma forma. E é fato sabido que tudo o que tem base eletrônica é passível de alteração. Os americanos, mais os alemães, ingleses, franceses e todos os demais europeus votam em cédulas de papel, que são guardadas para esclarecerem possíveis dúvidas sobre o resultado apurado. Será que só o Brasil, no mundo, tem aparelhos a salvo de manipulações? A Câmara dos Deputados tem criado várias comissões de inquérito para investigar numerosos assuntos. Seria muito oportuno criar uma comissão de inquérito para verificar se as nossas urnas são realmente inalteráveis. Com a palavra o presidente Eduardo Cunha ou outros deputados federais.

WALDOMIRO B. DE CARVALHO

waldomiroxuca@globo.com

Itapetininga

ÀS ARMAS

Crimes em palácio

Em solenidade no Palácio do Planalto na quinta-feira, o presidente da CUT, Vagner Freitas, ameaçou partir para o confronto com quem clama pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff, com os movimentos sociais formando o “exército” que vai enfrentar essa “burguesia”, “entrincheirados” e “de armas na mão”. Ao assim se expressar, o sindicalista afrontou o artigo 23 da Lei de Segurança Nacional, que prevê pena para quem incitar “subversão da ordem política ou social” ou “animosidade entre as Forças Armadas ou entre estas e as classes sociais ou as instituições civis”. Tal fato se reveste de maior gravidade por ter ocorrido na presença da presidente Dilma Rousseff e esta, omitindo-se de qualquer atitude, haver incorrido em crime de responsabilidade, conforme previsto na Constituição federal, que assim define em seu artigo 85, inciso IV, os atos do presidente da República que atentam contra a segurança interna da Nação, e no inciso VII, os atos contra o cumprimento das leis e das decisões judiciais.

SERGIO SARAIVA RIDEL

sergiosridel@ig.com.br

São Paulo

Dilma não reagiu

O fato de o presidente da CUT ter cometido um crime na sua frente é a maior prova da inaptidão de Dilma para o cargo.

EUGÊNIO JOSÉ ALATI

eugeniojalati@gmail.com

Campinas

Democracia petista

Dilma não anda escolhendo bem seus parceiros. Sem contar os mensaleiros, Renan Calheiros e seus aliados, seus pares no Conselho de Administração da Petrobrás no caso Pasadena, Zé Dirceu, que se referia a ela como “camarada de armas” e urrava no palanque “eles têm que apanhar nas urnas e nas ruas”, agora é o presidente da CUT que, discursando na sua frente sem que ela nada falasse a respeito, conclamou os movimentos sociais (sociais?) a irem para a “rua, entrincheirados, com armas na mão, se tentarem derrubar a presidente”. Com armas?! Como na “democracia” da Venezuela? Como sugere o Foro de São Paulo, pela presença de organizações terroristas como as Farc? Parte da resposta será dada hoje. 

LUIZ NUSBAUM

lnusbaum@uol.com.br

São Paulo

Pior a emenda...

O presidente da CUT anda assistindo muito a programa humorístico e solta a franga. “Porque eu sou é bandiiidaaa!” Depois tenta corrigir e piora mais ainda. Como todo petralha.

NELSON PEREIRA BIZERRA

nepebizerra@hotmail. com

São Paulo

LAVA JATO

Grampeado por tabela

Como era bastante previsível, dada a gigantesca dimensão das descobertas da Operação Lava Jato, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi grampeado pela Polícia Federal, ainda que por tabela, ao falar ao telefone com um executivo da Odebrecht cujo telefone estava grampeado com autorização da Justiça. Segundo o relatório, o ex-presidente estava preocupado com “assuntos do BNDES”. Acredito que ele tenha muito com que se preocupar acerca do banco estatal. Como já foi fartamente publicado pelo Estadão, o BNDES durante seu governo fez vários empréstimos a países dirigidos por governantes do seu agrado, a maioria para que realizassem obras de infraestrutura, a juros abaixo do mercado, com empresas brasileiras, notadamente a Odebrecht, como o porto de Mariel, em Cuba, o metrô de Caracas, na Venezuela, etc. O singular desses empréstimos é que no caso de os países não honrarem seu compromisso, além de algumas garantias intermediárias, o avalista final é o Tesouro Nacional do Brasil. Ou seja, se os irmãos Castro não saldarem os empréstimos do BNDES a Cuba, no frigir dos ovos quem pagará à Odebrecht seremos nós, por meio dos impostos que pagamos compulsoriamente. E a população nem sequer foi consultada, provavelmente porque a administração petista entendeu que os brasileiros aceitaram ser os avalistas dessa beleza de empréstimo ao elegerem o presidente Lula e posteriormente a presidente Dilma Rousseff. O que me entristece é que eu poderei arcar com uma parcela dessa dívida e nem votei neles.

GILBERTO PACINI

benetazzos@bol.com.br

São Paulo

EXPURGO URBANO

Anistia unilateral?

Na mesma semana em que a presidente Dilma Rousseff presenteou os moradores de Maricá, no Rio de Janeiro, com o condomínio Carlos Marighella, o prefeito de São Paulo (Fernando Haddad, do PT) arrancou o nome do marechal Artur da Costa e Silva do minhocão, como parte do projeto “Ruas da Memória”, que promete alterar o nome de 21 logradouros relacionados à ditadura. Os abusos da ditadura militar no Brasil não merecem nenhuma homenagem, evidentemente. Mas será que líderes da esquerda, igualmente anistiados pelos crimes que cometeram, merecem? 

EDUARDO DE ASSIS PIRES

eduardoapires@uol.com.br

São Paulo

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

POVO NAS RUAS

Dependendo do sucesso do movimento de oposição ao governo da presidente Dilma neste domingo (16/8), as instituições próprias da república reagirão. A democracia está trabalhando independentemente dos problemas econômicos e políticos do País. O povo mostrará o caminho e esse movimento funcionará como se fosse uma nova eleição. A voz das ruas é muito forte e é maior do que os conchavos políticos que possam existir para defender o mandato da presidente.

Mário Negrão Borgonovi marionegrao.borgonovi@gmail.com

Rio de Janeiro

*

E DEPOIS?

A manifestação que está sendo anunciada e que talvez seja realizada em duas centenas de cidades brasileiras é mais uma demonstração de oportunismo. Por que os pretensos líderes desses movimentos não elaboram um projeto que sirva de base para motivar a população das mais diferentes classes sociais a lutarem por um Brasil melhor? O que acontecerá nas manifestações, ou seja, os desabafos emocionais e a agressividade contra o atual governo federal não ajudam em nada a construir a sociedade que transformaria o Brasil numa potência, com programas educacionais de alto nível, saúde e segurança pública adequadas, projetos habitacionais e soluções para a mobilidade urbana. Mas isto não está na programação, que vai terminar com os gritos e ameaças contra a atual presidente. E depois?

Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br

Santos

*

PROPOSTAS DE ‘NOTÓRIOS’ ALIADOS

Sugerir a privatização da Petrobrás, da Caixa Econômica Federal ou do Banco do Brasil nem passa pela cabeça dos notórios aliados deste governo. Limitar a um terço o número de indicações pelo Executivo ao Conselho de Administração de estatais, conforme prática comum em Países do Primeiro Mundo, aí nem se cogita. Por quê? A resposta, com certeza, está na Lava Jato e também estará nas ruas hoje!

Nilson Otávio de Oliveira  noo@uol.com.br

Valinhos

*

 VOCABULÁRIO PRESIDENCIAL

Diálogo não é pauleira, diálogo é diálogo e pauleira é pauleira! Só faltou Dilma dizer: “Eu sou eu e jacaré é um bicho”!

Virgilio Melhado Passoni

mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

REUNIÃO DA PRESIDENTE DILMA

A presidente Dilma Rousseff, durante reunião no Planalto (13/8) com integrantes sociais que apoiam o seu “desgoverno”, falou em diálogo, enquanto o presidente da CUT, Vagner Freitas, falou em pegar em armas! Resumindo, o País não merece tanta mediocridade!

Edgard Gobbi edgardgobbi@gmail.com

Campinas

*

JOGO SUJO

Wagner Freitas (CUT) mostra a verdadeira cara do PT ao dizer: “Ir às ruas de armas na mão”. Depois do exército do Stedille citado por Lulla, nada mais resta ouvir desses “democratas” que tanto dizem ser!

Laert Pinto Barbosa

laert_barbosa@globo.com

São Paulo

*

CUT DEFENDE A VIOLÊNCIA

Dentro do Palácio do Planalto, um prédio público, representantes de movimentos sociais bradavam gritos de guerra contra Joaquim Levy, como se fosse ele o causador da imensa crise em que o Brasil se encontra.  Completamente errados, como se fosse ele, o ministro da Fazenda, o causador desta horrorosa situação em que os governos Lula e Dilma nos colocaram. Como se não fosse a própria Dilma quem o convidou para ver se consegue arrumar a bagunça em que ela mesma nos colocou, com suas teses ultrapassadas e erradas de um socialismo que provou até a exaustão que não é possível gastar mais dinheiro do que se ganha. E o chefe da Central Única dos Trabalhadores (CUT) convoca os seus seguidores a pegarem em armas contra quem bradar a favor da saída da presidente. Também dentro de um prédio público! Espero que o Ministério Público os interpele ou o vale-tudo continuará a ameaçar quem divergir de suas teses. Nos prédios que pertencem ao Estado brasileiro, isso que aconteceu não deve ser permitido, afinal, se ela quer receber seus amigos socialistas, que o faça na sua própria casa e não às nossas custas. Dilma não está acima da lei!

Maria Tereza Murray terezamurray@hotmail.com

São Paulo

*

INCITAÇÃO AO CRIME

Os integrantes dos movimentos sociais, pelo jeito não estão sentindo os efeitos estarrecedores da crise econômica brasileira.  Enquanto grande parte da nossa população está gastando a sola do sapato procurando emprego, eles estão viajando para Brasília no intuito de assustar os defensores do impeachment da presidente Dilma.   Parece que bateu Mesmo o desespero na turminha que jogou o Brasil no caos.  Já se fala até em empunhar armas para defender o mandato ameaçado.    É uma pouca vergonha o que estamos presenciando.   Será que a nossa Justiça não vai considerar que o presidente da Central Única dos Trabalhadores, Vagner Freitas, em seu discurso em defesa da presidente Dilma estava incitando, publicamente, à prática de crime.  Art. 286 do Código Penal Brasileiro.    Do jeito que a coisa vai, logo seremos uma republiqueta.                                              

Jeovah Ferreira jeovahbf@yahoo.com.br

Taquari (DF)

                                    

*

DESAFIO

Senhor Vagner Freitas, presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT). Como cidadão brasileiro vou lhe fazer um desafio público. O senhor usou as dependências do Palácio do Planalto para, sob a saia da anta que é “sua presidenta”, ameaçar a sociedade brasileira, caso o cidadão vá às ruas para exercer seus direitos constitucionais e tentar restaurar a moralidade do País, pondo para fora essa quadrilha, que há 13 anos se instalou no poder à custa de enganações aos menos esclarecidos e de compra de votos com falsos programas de inclusão social do tipo Bolsa-Família. Será que o senhor também iria para as ruas com uma arma na mão ou ficaria embaixo da cama esperando o resultado de sua imoral proposta? Eu o desafio a um encontro comigo. Meu e-mail está aí, além de estar em muitas outras publicações que faço contra a sua quadrilha. Garanto o sigilo. Não vou usar o termo macho, porque outras espécies têm machos e não passam apenas de meros reprodutores, como por exemplo, cachorros e ratos, então pergunto: o senhor seria “homem” suficiente para aceitar meu desafio?  Peço que vá só, não leve a sua quadrilha. Eu irei sozinho.

Humberto de Luna Freire Filho

São Paulo

*

OPOSIÇÃO

O que faz o maior partido de “oposição”, o PSDB, enquanto monta em Brasília a maior armação para salvar o governo Dilma? Será que está discutindo quem será o candidato à Presidência do Brasil?

Luíz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo

*

OPOSIÇÃO IDEAL

Qual governo não gostaria de ter uma oposição como a do Brasil? Depois de tanta barbaridade com a ética e com o dinheiro dos outros, o PT e seus aliados tem novamente, assim como no mensalão, a chance de se reerguer. E o motivo é o mesmo: oposição fraca e inoperante.

Mario Issa drmarioissa@yahoo.com.br

São Paulo

*

OPERAÇÃO ‘FAIR-PLAY’

Mais uma operação foi lançada pela Lava Jato, batizada de Fair-Play,  que investiga mais fraudes envolvendo a já encrencada empreiteira Odebrecht. Com essa operação, a Polícia Federal vai investigar um suposto esquema de superfaturamento de R$ 42 milhões nas obras da Arena Pernambuco, Grande Recife. Ai, ai, será que essa investigação também vai apurar fraudes nas obras da Arena do Corinthians, em São Paulo, time de coração do deus Lula?

Maria Carmen Del Bel Tunes Goulart carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana

*

CAMARADAGEM

O Tribunal de Contas da União (TCU) deu mais 15 dias para a presidente Dilma Rousseff se “explicar sobre as pedaladas”. Bom, não? Será que o TCU entrou no “esquema” do Supremo Tribunal Federal (STF) e da Procuradoria-Geral da União (PGU), com um acordão para livrar a cara das inúmeras autoridades envolvidas nos diversos ilícitos conhecidos? Que camaradagem! Será que a presidente merece isso depois dos infindáveis danos causados ao País e aos brasileiros? Cujo povo já vem passando por inúmeras dificuldades pelos elevados preços, falta de emprego e muitos já passando fome. De total e inteira responsabilidade do PT, alguém duvida? Será que ainda vamos ter de aguentar e$$a quadrilha até 2018?

Luiz Dias lfd.silva@2me.com.br

São Paulo

*

BENÉVOLO TCU

O misericordioso Tribunal de Contas da União presenteou a presidente Dilma Rousseff com mais 15 dias, para explicar as pedaladas fiscais de 2014. Nenhum presidente teve um prazo de 224 dias para explicar a lambança contábil do ano anterior. Aproveite o ensejo e explique tudo bem detalhado, certo Dilma? O contribuinte brasileiro tem o direito de saber como foi utilizado o dinheiro arrecadado em tributos, pois sabemos que não foi utilizado para a educação, saúde, infra-estrutura, enfim, para o bem da sociedade.

José Carlos Saraiva da Costa jcsdc@uol.com.br

Belo Horizonte

*

SEIS POR MEIA DÚZIA

A mídia tem atacado o governo Dilma. Com efeito, é um desastre. Merece as críticas e caneladas que tem levado. A presidente tem-se mostrado de uma incompetência inimaginável, além de ter mentido durante a campanha presidencial. Não está cumprindo nada do que prometeu. Mas como mentir passou a fazer parte do escopo do político, o povo não se surpreende mais. Por outro lado, esta mesma mídia tem, algumas disfarçadamente e outras escancaradamente, mostrado o senador Renan Calheiros e o vice-presidente Michel Temer como os salvadores da pátria. Se os salvadores são esses, deixem quem está aí. É trocar João por Joãozinho e num grau bem pior. Estes dois e mais o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, fazem a bomba de Hiroshima parecer bombinha de festa junina. A solução é outra eleição, mas no regime presidencialista é difícil.

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

RENAN, O TRAIDOR DO POVO BRASILEIRO

É profundamente lamentável que o senador Renan, líder dos políticos fisiologistas (leia-se de todos os partidos), tenha se vendido à corrupção liderada por Lulla, também conhecido como Brahma, aderindo sem o menor pudor à quadrilha que dilapida os recursos do povo brasileiro. Qual será o valor dos pixulecos que receberá? Uma coisa é certa, será muito, mas muitíssimo maior do que os valores pagos por uma construtora a título de alimentos ao filho bastardo e “otras cositas más” que certamente ainda virão à tona. Hoje o nome dessa cabra sem vergonha será lembrado como mais um corruPTo da política brasileira!

Carlos Benedito Pereira da Silva carlosbpsilva@gmail.com

São Paulo

*

ALIADO DE DILMA

Conhecendo o histórico e as artimanhas do Sr. Renan Calheiros, que sempre busca benefícios pessoais e não para o País, fico imaginando qual terá sido a moeda de troca que a presidente Dilma Rousseff lhe ofereceu para que ele mudasse tão repentinamente de inimigo a aliado. Aí tem!

Luiz Roberto Savoldelli savoldelli@uol.com.br

São Bernardo do Campo

*

FALTA DE CREDIBILIDADE

Para conter a crise instaurada, a primeira versão da agenda elaborada pelo presidente do Senado, Renan Calheiros, e por colaboradores do PMDB tinha 29 pontos. Após a reunião desta quarta-feira (12/8), subiu para 43. Poderá nos próximos dias subir para 100 ou 1.000. Nada deve adiantar! Na teoria, tais propostas parecem funcionar a contento. Na realidade, fracassam pelo simples fato de falta de credibilidade dos seus formuladores. Quem mentiu para se eleger, continua mentindo para se manter no poder. A população brasileira não acredita mais nos Poderes constituídos e exige novos rumos.

José Carlos Degaspare degaspare@uol.com.br

São Paulo

*

SOBREVIDA À DILMA

Ao dar esperança e sobrevida ao governo Dilma, Renan Calheiros, juntando-se à escória da esquerda brasileira, deixará de se redimir de seus pecados perante a opinião pública.

Jose Eduardo Zambon Elias

zambonelias@estadao.com.br

Marília

*

JUNTA CIVIL

No passado, o Brasil foi governado por uma junta militar. Atualmente, somos governados por uma junta civil: Dilma, Renan e Lula.

Ary Marino Filho arymarino@gmail.com

Garça

*

MEDIOCRIDADE

Ouvir o que Lula tem a dizer indica o nível de mediocridade daqueles senhores, vice-presidente incluído! Ou tramam um movimento definitivo ou são absolutamente néscios.Cadeia neles!

Valter Prieto Jr. valter.prieto@gmail.com

São Paulo

*

MALFEITOS                  

Renan ajuda Dilma, Cunha ataca Dilma, Temer sempre em cima do muro, ora para cá, ora para lá. Oposição anêmica. STF quer elevar seus salários, outros órgãos do governo também. Pergunta: O Congresso Nacional, nos últimos tempos, já fez algo de positivo para o povo brasileiro?

Károly J. Gombert kjgombert@gmail.com

Vinhedo

*

MARINHEIROS DO PMDB

Deixa ver se eu entendi: o PMDB zero, do Michel Temer, faz cara de paisagem; o PMDB um, do Renan Calheiros, adere ao governo; e o PMDB dois, do Eduardo Cunhado, faz oposição! Eis aí o velho PMDB, colocando os marinheiros nos três barcos. Como sempre.

Renato Pires repires@terra.com.br

Ribeirão Preto

*

BALCÃO DO SENADO

Conhecemos o Senado, que sempre atuou como um grande balcão de negócios. Agora se tornou também uma "casa de misericórdia". A figura que preside a casa deveria dar um tempo. Cai fora, Renan!

J. Perin Garcia  jperin@uol.com.br

São Paulo

*

JUSTIÇA (DIVINA)?

Enquanto o Ministério Público Federal, com a Polícia Federal, conduz a 18.ª fase da Lava Jato no Paraná, na PGR, incluindo o STF e o STJ, não há notícias. O Juiz Federal Sérgio Moro já sentenciou várias e várias ações e nada nas instâncias superiores. Será que o combate à impunidade só vai acontecer para os que não têm foro por prerrogativa de função? O mensalão nada mudou e o petrolão parece ir o mesmo caminho. Justiça que nós cidadãos podemos esperar é só a Divina?

Ana Lúcia Amaral anamaral@uol.com.br

São Paulo

*

CÍRCULO, MAIS QUE VICIOSO

Maravilha! Dilma escolhe Janot, que deixa de investigar Renan, que apoia prorrogação do prazo para Dilma no STE e deverá apoiar a escolha de Janot. Triangulação entre amigos (sic)?

Ulysses Fernandes Nunes Jr. ulyssesfn@terra.com.br

São Paulo

*

PRESSÃO CONTRA MORO

Lendo o Estadão surpreso fiquei ao ver que a Associação dos Magistrados Brasileiro (AMB) permitirá "qualquer tentativa de pressão" contra Moro. Esses caras estão de brincadeira! Se isso acontecer e  Sergio Moro for pressionado e não tiver respaldo de ninguém para continuar essa limpeza, estamos perdidos, ai vira baderna, vamos acreditar em quem?

Celso Cesar Gonçalves celso_cesar@yahoo.com.br

São Paulo

*

INCOMPETÊNCIA E CORRUPÇÃO

O Brasil vive preso num ciclo ruinoso de corrupção e incompetência que está levando o País à ruína. A corrupção vem sendo combatida com resultados animadores pela polícia, mas nada se faz para diminuir a incompetência sistêmica do governo. O Brasil é hoje uma grande obra, na qual os pedreiros mandam muito mais que os engenheiros e arquitetos e os mestres de obra tem a última palavra, sempre. O triunfo absoluto das nulidades criou um império de incompetentes em praticamente todo o governo. O Brasil precisa iniciar um combate à incompetência com tanta firmeza e determinação quanto se está combatendo a corrupção, os resultados serão um País muito melhor e mais justo para todos.

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

*

DESESPERO DO GOVERNO

Fazer do dia para a noite o Senado Federal e seu presidente tornar-se unicameral (estão tentando desconsiderar a Câmara dos Deputados) e tábua da salvação, respectivamente da crise em que estamos metidos (política/moral, etc. etc.), é um misto de desespero e despreparo de todo o governo de plantão. É coisa no mínimo ridícula!

José Piacsek Neto bubanetopiacsek@gmail.com

Avanhandava

*

NOME AOS BOIS

Lula disse que Dilma não é responsável pela crise, isso nós sabemos, pois você sempre esteve atrás disso tudo no comando do País. Deverá aparecer alguém nesse meio com coragem suficiente para abrir o jogo e dar os verdadeiros nomes dos capatazes que dirigiram e manipulam a boiada.

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

SUGESTÃO A LULA

Lula diante da crise alardeou que vai percorrer o Brasil de ponta a ponta para manter contato com o povo e reverter a peja negativa da sua pessoa e também da presidente Dilma. Como o ex-presidente se identifica com a massa, creio que não carece andar por aí em caros vôos fretados, mas em vôos de carreira e a bordo dialogar com os demais passageiros, afinal, hoje todas as classes sociais viajam de avião. Outro detalhe é que poderá, de forma prática e econômica, começar o contato com o povo, perante uma platéia autêntica, sem arranjos contra ou a favor, quase no quintal da sua casa; basta frequentar a Arena Corinthians e torcer pelo Timão, seu time do coração – daí mata dois coelhos numa cajadada só, na verdade três coelhos, pois a Arena é na cidade onde Lula mora.

Humberto Schuwartz Soares hs-soares@uol.com.br

Vila Velha

*

LULA, ODEBRECHT E ITAQUERÃO

Alguma relação? Estou em dúvida. Para a imprensa, sei que é um assunto incômodo por mexer com a emoção de milhões, porém acima de tudo a verdade.

Claudio A S Baptista clabap45@gmail.com

São Paulo

*

ASSASSINATOS EM SÃO PAULO

É inaceitável que ao menos 20 pessoas tenham sido assassinadas numa madrugada, na Grande São Paulo. Ao que parece, seria uma retaliação da Polícia pela morte de um policial militar. Seja o que for, é um triste retrato da barbárie em que vivemos e da incompetência da política de segurança pública do governador Geraldo Alckmin (PSDB). Vinte anos de governos tucanos no Estado mais rico e populoso do Brasil nos levaram a isso. Violência, assassinatos, chacinas, uma polícia despreparada e que mete medo na população. Ao invés de cidadania e direitos humanos, o que temos são brutalidade e violência crescentes. Lamentável!

Renato Khair renatokhair@uol.com.br

São Paulo

*

CRIMES SEM SOLUÇÃO

Como acaba de acontecer em São Paulo, concordo que uma chacina é grave, principalmente porque nela morrem muitos que apenas estavam no lugar errado e momento errado e precisa urgentemente ser investigada. Mas gostaria de ver a mesma disposição da mídia para comentar chacinas, quando o crime aconteceu a um pai, filho, mãe de família que são assassinados diariamente, cujo crime jamais será devidamente investigado e só servirá como estatística. Nem 5% dos crimes são solucionados no Brasil. Queremos solução e punição aos executores de todos os crimes, e não apenas àqueles que chamam mais atenção da mídia.

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.