Fórum dos leitores

LULOPETISMO

O Estado de S. Paulo

22 Agosto 2015 | 03h00

Da arte de afundar um país

O término da Operação Lava Jato parece que se encontra ainda bem longe, mas já podemos ter uma boa ideia, pelas notícias dos meios de comunicação e pelos estragos em nossas finanças pessoais, do tamanho do prejuízo que a presidente que nos foi apresentada como gerentona deu a todos nós, passageiros de um país que navega em mar revolto e à deriva, já que o timoneiro de fato é um marqueteiro. Na quinta-feira, 20/8, o caderno de Economia & Negócios, do Estado, forneceu-nos um medonho panorama da nossa real situação, a começar da primeira página. Os Estados querem elevar impostos, como ICMS e IPVA, para superar a crise nas suas finanças, a fim de compensarem a queda dos repasses do governo federal. Logo abaixo lemos a reportagem em que o Sindicato Nacional dos Procuradores da Fazenda Nacional denuncia que o total das dívidas tributárias no País alcança R$ 1,1 trilhão – R$ 723,3 bilhões envolvendo grandes empresas que, juntas, representam menos de 1% de todas as pessoas jurídicas do Brasil. Para denunciar tal absurdo o sindicato instalou em Brasília o “Sonegomêtro”, que revela em tempo real o total de tributos sonegados no País. O presidente do sindicato informou que no ano passado os procuradores impediram a perda de R$ 500 bilhões aos cofres públicos, mas atualmente a Procuradoria da Fazenda Nacional se encontra sucateada e precisa de investimento. Informou ainda que somente neste ano mais de R$ 320 bilhões já teriam sido sonegados e se o governo federal investisse corretamente nos instrumentos de combate à corrupção não seria necessário sequer fazer ajuste fiscal. Mas, como todos sabemos, o modelo de administração em vigor está bem longe de tal diretriz. É muito mais fácil continuar fazendo propaganda enganosa e transferir os prejuízos para cada um de nós, que continuamos engolindo a seco todos esses desmandos, inépcias e desonestidade desenfreada. E como estupidez pouca é bobagem, agora o governo vai repetir a sandice de dar prioridade às montadoras de veículos, como se a população tivesse condições econômicas para adquirir algum deles, depois do estrago que esse mesmo governo provocou em nossas finanças. Por fim, à noite, o braço sindical do PT saiu às ruas em defesa da presidente Dilma e contra o ajuste fiscal que ela própria determinou! Eles demonstraram assim que não sabiam exatamente o que estavam fazendo ali. E como sempre escolheram a dedo o horário em que as pessoas estão voltando para casa depois de um dia cansativo de trabalho, o que, aparentemente, não é o caso de tais manifestantes.

GILBERTO PACINI

benetazzos@bol.com.br

São Paulo

Trapalhões vermelhos

A vida do paulistano não é fácil. Ao final de cada dia temos de percorrer longas distâncias de volta para casa, perdendo preciosas horas da nossa vida no trânsito. E os companheiros petistas acham que a melhor hora para se manifestarem a favor da presidente é durante a semana, no final da tarde. Não bastasse, caminham por vias de grande tráfego, piorando ainda mais o trânsito. O direito de se manifestar é de todos, a favor ou contra. Mas por que atrapalhar a vida de todos os outros?

EDUARDO E. AZEVEDO

eeazevedo@gmail.com

São Paulo

O Lula mobilizou seu “exército” para atrapalhar os verdadeiros trabalhadores deste país com um manifesto em pleno horário de pico, infernizando ainda mais o trânsito, em defesa do governo Dilma – alguns elementos, em São Paulo, vandalizando, como sempre. A maioria dos “manifestantes” é arregimentada com lanchinhos, camisetas, bonés e algum trocado, o restante são os agitadores profissionais dos sindicatos e centrais. E, nós pagadores de impostos, somos obrigados a aguentar isso. Não está fácil ser feliz.

ROBERTO REIS

roberresp@uol.com.br

São Paulo

Os protestos realizados no domingo contra o governo tiveram a participação de pessoas que estavam preocupadas em não perder o seu dia de trabalho, assim como não atrapalhar a vida das cidades. Já nas passeatas de quinta-feira, a favor do governo, os participantes ou estão desempregados (por problemas causados pelo governo que eles defendem), ou vivem à custa das entidades que financiaram a participação deles, sem ter um mínimo de consideração por quem trabalha, pois as cidades ficaram totalmente congestionadas.

WALTER CARVALHO

walterdc@uol.com.br

Jundiaí

Fazer ato pró-Dilma em pleno dia útil da semana realmente atrai um bando de desocupados que vive à custa do governo, provavelmente sempre os mesmos que são pagos para protestar. Peçam para eles irem aos domingos e de graça, para ver se eles saem de casa.

ORÉLIO ANDREAZZI 

orelio@andreazzi.com.br 

Suzano 

Manifestação ‘espontânea’...

A manifestação pró-Dilma e anti-Levy/Cunha foi uma clara demonstração da bipolaridade da esquerda saudosista (vide faixa “o povo unido jamais será vencido”, slogan dos anos 60/70). Enquanto no domingo os manifestantes participaram espontaneamente, boa parte dos presentes na quinta-feira não estava lá por convicção ideológica. Isso ficou claro na reportagem do Estadão de ontem em que uma “manifestante” carregando a faixa “liberdade para o Vaccari” contou que desconhecia quem era o Vaccari e só estava fazendo o que o pessoal do movimento pediu.

JOÃO PAULO MENDES PARREIRA

jpmparreira@hotmail.com

São Caetano do Sul

Em defesa do pixuleco

Ao pedirem a soltura imediata do sr. João Vaccari Neto, ex-tesoureiro do PT, e pela multidão que levaram às ruas, as manifestações de apoio ao governo na quinta-feira bem merecem o título de passeatas pixuleco.

EDUARDO A. DELGADO FILHO

e.delgadofilho@gmail.com

Campinas

Casal corrupção

Um manifestante de domingo passado carregava um cartaz que juntava Lula mensalão e Dilma petrolão, compondo um casal de sobrenome corrupção! 

LAÉRCIO ZANNINI

spettro@uol.com.br

Garça

A salvação da presidente

Agora tenho certeza que a presidente estará com todos seus problemas resolvidos, pois acaba de ter apoio explícito de duas figuras “importantes e de grande credibilidade mundial”: Nicolás Maduro e Cristina Kirchner! Quem em sã consciência precisa de um apoio desses..?

LUIZ ROBERTO SAVOLDELLI

savoldelli@uol.com.br

São Bernardo do Campo 

Cartas selecionadas para  o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

CADÊ A MORAL? 

 

Que país é este? O presidente da Câmara Federal, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), foi denunciado ao Supremo Tribunal Federal (STF) por ter recebido propina milionária. O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), tem um passado arranhado por vários desmandos. Quando é que iremos instaurar a moralidade neste país?

  

Francisco Zardetto fzardetto@uol.com.br

São Paulo

*

E OS OUTROS?

A atitude do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, é bastante louvável ao indiciar o senador Fernando Collor e denunciar o presidente da Câmara Eduardo Cunha ao Superior Tribunal Federal (STF) por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, além de exigir a devolução de US$ 80 milhões, o que não é uma simples denúncia, mais parece uma condenação e sem direito à defesa! E os outros? Ou ainda resta provar a culpabilidade dos mesmos? Já notamos que procurou atender “ao pé da letra” o “acordão” com a presidente, Dilma Rousseff, e com o presidente do Senado, Renan Calheiros, além de outros tantos interessados. O que já se tornou de conhecimento público. É também um acinte mostrar e dar a entender à população que a corrupção no País consegue “tudo”. Tudo isso só para a recondução ao cargo?      

 

Fernando Silva lfd.dasilva@2me.com.br

São Paulo

 

*

QUE DIFERENÇA FAZ?

Manchete do jornal Valor Econômico desta sexta feira, 21 de agosto: “Janot pede 184 anos de prisão para Cunha”. Não seria mais apropriado então pedir logo prisão perpétua?

Eduardo Augusto Delgado Filho e.delgadofilho@gmail.com

Campinas

*

ACERTOS ESTRANHOS

Até dias atrás, mesmo com os confortáveis 30 dias que a Dilma teve para se justificar, o Tribunal de Contas da União (TCU) cantava de galo e dava como certa a condenação das pedaladas fiscais. E o rebelde presidente do Senado, Renan Calheiros, não podia nem ouvir falar sobre a possibilidade de diálogo com o Planalto.  Certo? Não, errado! Depois de afagos da presidente para com alguns ministros do TCU, incluindo também a cúpula do PMDB, e principalmente o Renan, tudo mudou de figura, e um cheiro forte de pizza exala no ar! Já que o TCU decide dar mais 15 dias para presidente se defender das tais pedaladas, e o rebelde presidente do Senado, de bem com a Dilma, aparece inclusive como salvador da Pátria, prometendo tirar o País do atoleiro econômico em que se encontra, recomendando votar 27 projetos, dito por ele de relevantes... É como se num passe de mágica os republicanos nos EUA, declarassem amor ao governo democrata de Barack Obama, prometendo aprovar o acordo com o Irã, e Cuba...  Porém, como nesta terra tupiniquim, em que na seara política tudo tem um custo, diga-se elevado, e corriqueiramente esta classe que se julga especial, se lixa para o bem comum, um estranho e malcheiroso acordo ocorre entre o TCU, PMDB, e Renan Calheiros! Ainda mais com este senador alagoano com o pescoço completamente a sorte na Operação Lava-Jato...

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

CABRA-CEGA

Collor e Cunha foram encontrados. Já Renan, Dilma e uns e outros o procurador não acha de jeito nenhum...

A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

INTEGRIDADE DA CÂMARA 

Seria cômico não fosse trágico ver deputados defenderem já a renúncia de Cunha à Presidência da Câmara, segundo eles, para  manter a  integridade daquela casa. Se existe algo que a Câmara perdeu há muito tempo ou nunca teve é integridade. Talvez desconheçam que, com o Senado, formam o chamado Congresso Nacional, mais conhecido pelos brasileiros como “Cambalacho Nacional”.

Laércio Zannini spettro@uol.com.br

São Paulo

*

ESTRATÉGIA DO PT

O PT está tentando desviar as atenções de mensalão, do petrolão e escolheu o presidente da Câmara para denunciar e caçar o mandato. E o presidente do Senado fica de fora, porque está negociando com o PT. E os petistas denunciados que estão operando no Congresso e nas estatais?

  

Mário A. Dente dente28@gmail.com

São Paulo

*

CAÇA E CAÇADOR

O ilustre presidente da Câmara, Eduardo Cunha, deveria fazer uma errata em suas declarações para constar: “Ficarei tranquilo no sereno...”. O caçador virou caça e esperamos que seja cassado.

Marco Dulgheroff Novais marcodnovais@hotmail.com

São Paulo

*

REINCIDENTE

Quem diria, Fernando Collor (PTB-AL), ex-presidente afastado pelo impeachment, após 8 anos interditado, conseguiu se reeleger como senador. Não satisfeito com os estragos que causou ao País, envolve-se em mais corrupção, desvios e roubos, suspeito de receber R$ 26 milhões do esquema da Petrobrás. Ou seja: "pau que nasce torto, morre torto", alguém tem dúvidas?

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

DESTEMPERO

Ao ler a notícia de que o senador Fernando Collor de Melo, da Tribuna do Senado ofendeu o procurador-geral da República, atribuindo-lhe uma filiação materna, com uma conhecida palavra de baixo calão, popularmente conhecido como palavrão, pensei se tal atitude não se enquadraria em quebra de decoro parlamentar. E, se a hipótese for correta, não seria o caso de ser instaurado um processo no Conselho de Ética do Senado para uma eventual perda de mandato? Não li nada a respeito no noticiário político. Afinal de contas, soa no mínimo estranho que um senador da República, da Tribuna do Senado Federal, se dirija dessa maneira ao procurador-geral da República.

Gilberto Pacini benetazzos@bol.com.br

São Paulo

*

REBELDES SEM CAUSA 

O que realmente preocupa é ver jovens estudantes, ligados a União Nacional dos Estudantes (UNE), aquela que ajudou a derrubar Collor quando o PT era oposição, empunhar bandeiras e defender o que é absolutamente indefensável. Rebeldes sem causa ou com sedes garantidas presenteadas por Lulla. Que futuro pode ter o nosso País com jovens tão sem noção da realidade? 

Vitor de Jesus vitordejesus@uol.com.br

São Paulo

*

PASSEATA PRÓ-DILLMA!     

Os participantes da passeata pró-presidente Dillma são os 7% que, de uma forma ou de outra, se locupletam do governo federal. Basta olhar os perfis: MST, financiado pelas ONGs do PT. MTST do Sergio Boulo, aquele que sustenta que trabalhadores paguem pela moradia de quem não trabalha e recebe financiamento para tal. Funcionários públicos do governo federal e estatais. Sindicalistas da CUT que ainda sonham com uma ditadura do proletariado. Os 93% que desaprovam Dillma e o PT, protestam aos domingos, porque trabalha para sustentar essa outra que protesta nos dias de semana. Que protesto diante do eleitorado brasileiro terá mais peso?

Beatriz Campos  beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo 

*

BANDEIRA DA DEMOCRACIA

Chamou-me a atenção nos protestos de quinta-feira (20/8) dos movimentos sociais a falta da bandeira do Brasil. Que democracia eles defendem? Perguntar não ofende. 

Moises Goldstein mgoldstein@bol.com.br

São Paulo

*

MANIFESTAÇÕES ORGANIZADAS

As manifestações de 20/08/15, uma quinta-feira, não foram espontâneas e sim organizadas e remuneradas pelos instrumentos petistas de controle de poder. Representam o Exército do Stedile, que Lula prometeu colocar nas ruas. É o esquema montado pelo PT para obter o controle absoluto do poder, formando militantes de dependentes mantidos por meio do assistencialismo, em troca da prestação de serviços exigidos pelo governo. Segue o rumo da Venezuela, onde, não por acaso, a cor é o vermelho.

Ottfried Kelbert    okelbert@outlook.com

Capão Bonito

*

‘O PAU DE SELFIE NO PROTESTO’

Parabéns, professor Eugênio Bucci por sua análise (20/8, A2) das motivações dos manifestantes atuais! Participei das três manifestações, e finalmente alguém pôs em palavras o que eu observava e sentia. Não há uma unidade, um objetivo comum, uma preocupação genuína com a política brasileira nem com os destinos do País. Ninguém partilha nada com ninguém; não há um sentimento a unir as pessoas. Cada um está preocupado em tirar as melhores fotos para testemunhar a sua “atuação política”, nada mais. Que pena!

Elisa Maria Pinto Cesar Andrade elisa@spcesar.org

São Paulo

*

DE CARA LIMPA

Li o artigo do sr. Eugênio Bucci e sinceramente achei decepcionante. Ao menosprezar as manifestações do dia 16/8, reduzindo-as a pau de selfie, em vez de poder exaltar o fato de que estamos (e continuaremos) numa democracia e que as pessoas não necessitam mais esconder o rosto como na ditadura. Podem e devem se manifestar do jeito que quiserem. Parece que, como não pode ir contra tudo isto que está aí, invejosamente desdenha dos manifestantes. Antes isto do que a inércia de 10 anos sem grandes manifestações, justamente por ignorância política e acomodação.

 

Tania Tavares taniatma@hotmail.com

São Paulo

*

VESTINDO GRIFE

O sindicalista Wagner Freitas, presidente da CUT, o mesmo que na frente da presidente falou em fazer trincheiras e pegar em armas, não quer largar a moleza de receber dinheiro do governo e não prestar contas dos seus gastos, graças a Lula, sua camisa é Lacoste e o relógio, rolex.  

Celso de Carvalho Mello  celsosaopauloadv@uol.com.br

São Paulo

*

MANIFESTAÇÕES PRÓ-GOVERNO

Por que será que os petistas e aliados fizeram atos de rua num dia útil? Diante da alta impopularidade da presidente e do crescente desprestígio de Lula e do PT, inclusive entre seus eleitores, não seria previsível a baixa adesão às manifestações, independentemente do dia em que fossem realizadas? 

Odilon Otávio dos Santos  

Marília 

*

PROTESTOS GUARANÁ

Contra os protestos, o Instituto Lula realizou a “Vigília Tubaína”.

Ademir Fernandes standyball@Hotmail.com

São Paulo

*

DESCONTENTAMENTO GERAL

Quando um cliente reclama do serviço que lhe foi prestado, ele está dando uma oportunidade ao prestador de corrigir, ou melhorar o que foi feito para continuar a tê-lo como cliente. Verdadeiramente ruim para o prestador de serviço é quando um cliente não gosta tanto do que pagou para receber que, por achar que não tem mais jeito, ou por não mais acreditar na capacidade do prestador, nem se dá ao trabalho de reclamar. Esse é um cliente perdido. É com o enorme contingente de descontentes, medido como 71% dos brasileiros, e não com os que mostraram as suas caras nos protestos que Dilma deve se preocupar. Esses já desistiram tanto de acreditar na sua capacidade de governar o País, que nem se dão ao trabalho de mostrar isso nas ruas. Eles estão guardando essa demonstração para as próximas eleições. 

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

*

SAÍDA DE DILMA

É estarrecedor que o Brasil ainda discuta se existem ou não motivos para o impeachment da presidente Dilma. Se não bastar o maior escândalo de desvio de dinheiro público da história, o petrolão, onde Dilma é protagonista, temos as absurdas pedaladas fiscais, onde manipulações contábeis proibidas, criminosas, foram cometidas a mando do governo. 

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

*

PACTO TARDIO

 

Claro que agora a Dilma quer mesmo dividir o seu desgoverno. Iludiu os brasileiros com tantas mentiras para chegar ao poder que os trabalhadores, estudantes, donas de casa, etc., estão todos decepcionados. Não bastasse tudo isso, a última pesquisa mostrou menos de 8% de aprovação. Então não é “oposição”, do quanto pior, melhor, mas sim os 92% de eleitores que estão contra esse despreparo político e econômico. Agora, vem querendo apoio, quando o barco está furado e entrando água? É claro que, no passado, vocês fizeram isso, mas o povo sabe dar a resposta para esse colapso econômico, erro de condução, de corrupção generalizada.

 

Nelson Scatena nelson.scatena@hotmail.com

São José dos Campos

*

ESTRANHAS COINCIDÊNCIAS

A oposição saiu da toca ou se preferirem desceu do muro, após as declarações de Fernando Henrique Cardoso pedindo a renuncia da presidente que Dilma Rousseff. Mas, mesmo assim, não conseguiu unanimidade dos principais líderes.  Enquanto isso, Dilma Rousseff, trabalha nos bastidores e começa a respirar sem aparelhos. Conseguiu protelar no Tribunal de Contas da União (TCU) e no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) os julgamentos das pedaladas fiscais e das contas da campanha eleitoral que, ao que parecem, vão virar duas grandes pizzas. O TCU já não é mais unanimidade pela desaprovação das contas e no TSE, um pedido de vistas interrompeu o julgamento das contas da campanha presidencial, que caminhava para a derrota da presidente.  Coincidências? Ou os conchavos de Renan Calheiros com a presidente deram excelentes resultados para ambos? Para quem gosta de apostas, a segunda opção está pagando 10 por 1, verdadeira barbada.             

Sérgio Dafré sergio_dafre@hotmail.com

Jundiaí 

*

WHATSAPP

Se, para o presidente da Vivo, Amos Genish, o aplicativo WhatApp é pirataria, podemos considerar os serviços prestados pelas operadoras como clandestinos?  E o presidente irá mesmo se unir com outras operadoras contra o WhatApp e iMessenger? Ótimo!   Poderia aproveitar a oportunidade e criar planos pra melhorar a cobertura dos serviços. Ou será que ele esqueceu que, para acessar esses aplicativos já pagamos pelo serviço ou será que ele acha que acessamos internet pirata?   Pelo serviço famigerado prestado pela sua e outras operadoras, que estão entre os últimos lugares em eficiência mundial e entre os primeiros lugares com preços escorchantes, podemos considerar isso um sim.

 

Giovani Lima Montenegro giovani.limamontenegro@gmail.com

São Paulo

*

ESTATISMO

O ministro da Comunicação, Ricardo Berzoini, já enxergou a possibilidade de o governo interferir em coisas que estão funcionando, como Netflix e Whatsapp. O PT não suporta ver nada sem a interferência do Estado para atrapalhar.

Luíz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo

*

HADDAD E A DITADURA NAS RUAS

O prefeito Haddad, muito esperto, como nada quase de útil faz para o Município de São Paulo, inventa várias inutilidades para parecer que faz muito: Uma cidade que carece de tudo, ele nada faz, gastou milhões para agradar uma minoria e fez as ciclofaixas. A agora sua "grande obra", mudar nome de algumas ruas ou do minhocão por representar os tempos da  ditadura. Agora eu pergunto ao prefeito: mudar nomes de rua, fala sério, prefeito

 

Roberto Moreira da Silva  rrobertoms@uol.com.br

São Paulo

*

GESTÃO MEDÍOCRE

O prefeito Fernando Haddad seguramente dirá que a morte do aposentado atropelado por um ciclista na ciclofaixa foi mera fatalidade, tal qual o fez em relação às árvores podres e mal conservadas que caíram e mataram duas pessoas no início do ano. Será que sua gestão medíocre é também mera fatalidade?

Luciano Harary lharary@hotmail.com

São Paulo 

*

MORTE EM CICLOVIA 

A coisa só seria séria se, no lugar de um idoso comum, fosse o filho ou parente de algum político, em particular do PT.

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

*

FECHAMENTO DA PAULISTA

Era claro que o sr. Haddad iria fechar a Paulista aos domingos. Ele precisa desse factoide desesperadamente, afinal, a sua administração é um desastre sob todos os ângulos. Além disso, age de maneira autoritária, simplesmente ele e seu homem forte Jilmar Tatto decidem e ponto final. E quem achar ruim é "reacionário", "coxinha" ou nas palavras do grande pensador Tatto, "crianças que perderam o pirulito".

Alexandre Fontana  alexfontana70@yahoo.com.br

São Paulo

*

EXECUÇÕES 

Após a leitura das reportagens, nos principais jornais de São Paulo, sobre as chacinas ocorridas na Grande São Paulo, fico imaginando que, se realmente foram  vingança da polícia contra os possíveis assassinos de um policial; pois, será que alguém medianamente inteligente iria executar os crimes deixando sua identidade, ao perguntar às vítimas sobre sua eventual ficha criminal?  Assim, pergunto: não seria o caso de também investigar um possível "acerto de contas" entre marginais, que procuraram confundir as investigações policiais?

Luiz Antonio Alves de Souza zam zam@uol.com.br

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.