Fórum dos leitores

LULOPETISMO

O Estado de S. Paulo

14 Setembro 2015 | 02h55

O tempo urge

O impeachment mostra-se como uma faca afiada de dois gumes ao atingir a direita em 1992 e agora a esquerda, em 2015. O País prepara-se para uma transição de três anos e deve decidir se quer continuar com o presidencialismo de coalizão (articulação política por fora do Congresso Nacional) ou ter chefe de governo (articulação política por dentro do Congresso Nacional). Não há mais tempo para evitar o naufrágio da presidente, mas devem-se encontrar meios políticos e econômicos de evitar o afundamento social do País.

LUIZ ROBERTO DA COSTA JR.

lrcostajr@uol.com.br

Campinas

Impeachment inevitável

O senador Ronaldo Caiado alega que existe um “movimento suprapartidário no Congresso” com proposta para saída da crise. Tenho dúvidas razoáveis. Inegavelmente, o Brasil apresenta um cenário péssimo, de falta de credibilidade, capacidade, honestidade, etc. Pergunto: como o Congresso, cujos principais parlamentares estão envolvidos em investigações de corrupção e outros episódios imorais, incluindo os presidentes da Câmara dos Deputados e do Senado, poderá ajudar-nos na solução da crise? E os cortes de gastos cobrados do Executivo, já estão sendo providenciados no Legislativo e no Judiciário? Será que esses Poderes não têm recursos humanos, e outros, excedentes?

CARLOS GONÇALVES DE FARIA

sherifffaria@hotmail.com

São Paulo

Perdido por perdido...

O governo enviou ao Congresso a proposta de Orçamento para 2016 com rombo de R$ 30,5 bilhões, à revelia do ministro da Fazenda, Joaquim Levy, pois com certeza ele sabia que essa confissão explícita de incapacidade do governo decretaria o rebaixamento da nota de crédito do Brasil. E não deu outra. A Standard & Poor’s tirou o grau de investimento do País e hoje os títulos brasileiros valem menos que aparas de papel para reciclagem. O selo de bom pagador foi retirado e aos olhos do mundo somos agora potenciais caloteiros. Mas isso não quer dizer nada, segundo o bravateiro Lula. Como esse governo vive à custa de mentiras e dissimulações, essa transparência repentina pode ter sido de caso pensado. “A gente” dá uma de transparente, manda a proposta com o buraco orçamentário, vamos ser punidos por agências de risco, aí, passamos a batata quente para o Congresso, que é contra o aumento da carga tributária. Se não aprovar o aumento de impostos, a culpa será toda dele pela falência total na Nação. E agora, excelências, defenderão o povo ou o governo chantagista? Que Dillema! 

SÉRGIO DAFRÉ

sergio_dafre@hotmail.com

Jundiaí

Entulho

Todo brasileiro bem informado conhece as causas deste descalabro econômico: roubalheira desenfreada e gastos exorbitantes (do governo), que qualquer dona de casa atenta ao orçamento doméstico jamais faria. Também conhece a motivação de tal descalabro: manter-se no poder a qualquer preço, cumprindo o programa do Foro de São Paulo, e ter tempo suficiente para, sufocando a imprensa livre e os críticos do PT, apagar todos os vestígios dos tais “malfeitos”. Como necessário complemento, continuar cooptando políticos venais e aparelhando o Judiciário e a máquina do governo. Ora, com todo esse envolvimento não tem condições de “cortar na própria carne”, só lhe restando impor ao esfolado cidadão o aumento da já absurda carga tributária, cuja consequência será a continuidade do déficit arrecadador por ter exaurido o pagador de impostos. Qualquer cidadão cujo rendimento advenha do comércio conhece essa realidade. Portanto, só nos resta remover esse entulho do poder.

ANTONIO CARLOS GOMES DA SILVA

acarlosgs9@gmail.com

São Paulo

Sem medo de ser feliz

A esperança venceu o medo e o lullopetismo realizou o sonho: o Brasil opera no vermelho!

A. FERNANDES

standyball@hotmail.com

São Paulo

Gestores sem moral

Muito pior que aumento da dívida, inflação, elevação de juros, baixo PIB, etc., consequência de anos de incompetência e improbidade administrativa, é a baixa estima dos gestores públicos. Pessoas que conduzem projetos do governo, analisam políticas públicas e teoricamente deviam ter vontade de inovar perderam o moral. O espírito de luta, de querer mudança, de trabalhar forte por um projeto eficiente, eficaz e efetivo está se esvaindo dos que são pagos para gerir a coisa pública. Isso, sim, é grave! 

CRISTIANO CIVITARESE

chevita@gmail.com

Brasília

Justiça feita

Felizmente, o Tribunal Regional do Trabalho fez justiça à ex-funcionária do banco Santander que, com competência e profissionalismo, alertou aos correntistas sobre os riscos da reeleição da presidente Dilma. Lamentavelmente, o banco, tomando uma medida absurda, atendeu às críticas e aos reclamos da presidente e de seu antecessor, optando por demitir a funcionária. Do episódio ficam duas lições: a analista Sinara Polycarpo Figueiredo estava absolutamente certa em suas análises e o banco Santander, ao atender às absurdas “ordens superiores”, demonstrou uma subserviência desprovida de qualquer sentido comercial e financeiro, pondo em risco a sua credibilidade como instituição financeira.

LUIZ ANTÔNIO ALVES DE SOUZA

zam@uol.com.br

São Paulo

Bem que Dilma poderia corrigir um de seus inúmeros erros, o que prejudicou e levou à demissão da ex-funcionária do Santander. Como Sinara está disponível, convidá-la para ministra da Fazenda. Afinal, ela antecipou com precisão a situação econômica em que estaria o País se Dilma vencesse a eleição, enquanto Levy não sabe até agora. 

LAERT PINTO BARBOSA

laert_barbosa@globo.com

São Paulo

Um dia...

Um dia vamos deixar a melhor ideia prosperar, a economia de mercado funcionar; vamos privatizar todas as empresas e acabar com a corrupção; vamos premiar por mérito; vamos dar educação de excelência, e não casas; vamos ter uma Justiça célere e igual para todos; vamos ter menos representantes, mas com capacidade e espírito público; vamos ter sindicatos que lutem pelos trabalhadores, protegendo as empresas e os negócios que geram empregos; vamos ter um governo como os grandes países, aqueles que nos enchem os olhos quando podemos visitar – Alemanha, EUA, Inglaterra...

RICARDO FREITAS

r.l.a.freitas@gmail.com

São Paulo

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

OBRAS ‘PREVENTIVAS’ DE HADDAD

O senhor Haddad, usando a sua “magnífica” inteligência administrativa, aproveitou o período de estiagem para realizar obras, com o objetivo de a população paulistana não passasse por muitos sofrimentos na época das chuvas. A saber: quanto à limpeza de bueiros e às obras contra as enchentes, ele fez ciclo faixas, manutenção e podas de árvores, evitando que caiam, causando grandes danos.  Fez ciclo faixas, revisão, trocas e sincronização dos semáforos, para que não ocorressem apagões... Como pudemos notar na primeira chuva, estas obras não funcionaram e digo mais: não vi nenhum ciclista pedalando nas ciclo faixas, quando estava chovendo. Senhores paulistanos, façam revisões dos seus botes, porque as ciclo faixas vão virar ciclo rios. 

 Hilo de Moraes Ferrari  hiloferrari@hotmail.com

São Paulo 

*

TRANSPARÊNCIA

O prefeito Haddad tem afirmado que sua gestão prima pela transparência. Que tal levar ao conhecimento dos munícipes o que é feito desse volume estratosférico de receitas das multas de trânsito? A cidade está um caos e eu não gostaria de suspeitar que esse dinheiro não está sendo usado  na melhoria do trânsito, como por Lei é sua obrigação. Estamos esperando seus esclarecimentos...

Luíz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo

*

PROPAGANDA A FAVOR DO PT

Certamente João Santana vai usar as imagens do gogo-boy dançando em delegacia de São Paulo na eleição do ano que vem contra os adversários de Fernando Haddad e contra Alckmin, em 2018, a favor de Luis Inácio e seus puxa-sacos. Quem viver verá!

Marcelo Cioti marcelo.cioti@gmail.com

Atibaia

*

SER PAULISTANO...

É ser multado avassaladoramente, é andar no escuro à noite, por conta da péssima iluminação das ruas, é ser assaltado e assassinado, por não ter segurança, é ter árvore caída sobre um bem seu, por falta de podas, é ter enchentes, por falta de manutenção nas vias pluviais, é ter um trânsito insuportavelmente caótico, na maioria das vezes, por conta de semáforos que não funcionam pelas fiações desencapadas, é ter seu carro detonado, por andar nas ruas esburacadas, é viver indignado com tantas falcatruas e quadrilhas levando o seu dinheiro. Ah!  Mas nós, paulistanos, temos muitas, muitas, ciclovias. 

Elaine Navarro elaine.navamaral@gmail.com

São Paulo

*

INDÚSTRIA DE MULTAS 

Não se trata de posição político-partidária. Tenho observado que há não só no âmbito municipal como no estadual uma política arrecadatória em que o contribuinte, ainda que inocente, é efetivamente condenado. Levando em conta recente reportagem de emissora de rádio paulistana, em que agentes municipais de trânsito alegam ter de cumprir metas de multas, rumores sobre golpes aplicados com multas fabricadas, e meu caso particular, que tive um veículo multado na Rodovia Castelo Branco (DER) sem nunca ter suas rodas colocadas naquela via, sugiro às autoridades competentes, em todas as áreas, inclusive no Legislativo, que tomem providências urgentes no sentido de apurar a situação, punir severamente os envolvidos, para que não caiam em descrédito geral.

 Carlos Gonçalves de Faria sherifffaria@hotmail.com

São Paulo

*

CADÊ OS VEREADORES?

Os vereadores de São Paulo sumiram? É inadmissível o que ocorre hoje na cidade de São Paulo, onde o poste denominado Haddad distribui choques de incompetência para os ordeiros e trabalhadores paulistanos. Tudo está acontecendo sob o nariz dos vereadores, que, inexplicavelmente (?), não se manifestam contra esse festival de bobagens promovido pela pior administração municipal que já vimos por aqui (e não foram poucas!). Ciclovias misturadas com passeios públicos, avenidas marginais a toque de "lêsmaslerdas", avenida Paulista (a mais importante do País!) fechada ao tráfego só para virar play ground e praia domingueira, pessoas mortas em acidentes com bicicletas, escuridão por falta de iluminação por todos os lados da cidade, "indústria" da multa no trânsito caótico, árvores caindo e matando pessoas, imposto alto, falta de autoridade com os movimentos sociais usurpadores dos bens públicos, baderna generalizada na Cracolândia. O que falta acontecer para esses vereadores se mexerem em defesa da população paulistana? Os vereadores sumiram de vez ou estão se locupletando com essa administração medonha?

Armando Stelluto Jr. armandostelluto@uol.com.br

São Paulo

*

META DE HADDAD

Prefeitura de São Paulo: fazendo o que tem de ser feito para infernizar a vida dos paulistanos!

A.Fernandesstandyball@hotmail.com

São Paulo 

*

IMPOSTOS E MULTAS 

Há muito tempo estamos querendo saber quanto a Prefeitura de São Paulo arrecada e para onde destina o valor das multas aplicadas na capital. Somente no primeiro semestre deste ano foram 6.098.229 multas aplicadas pela CET, segundo levantamento feito pelo programa Bom Dia São Paulo, da Rede Globo. Apenas dois radares, o da Av. dos Bandeirantes com a Washington Luiz e o da Marginal Pinheiros, sentido Castelo na ponte da Cidade Universitária, arrecadaram cerca de R$ 11 milhões em multas . A falta de informações deve ter motivado o promotor Marcelo Milani, da Promotoria de Patrimônio Público, a pedir uma investigação ao Ministério Público de São Paulo. Como se vê, sem novidades: só conseguimos transparência em governos do PT, se houver intervenção policial! E dá-lhe impostos e multas!

Carmela Tassi Chaves tassichaves@yahoo.com.br

São Paulo

*

MAIS UMA DE HADDAD

O Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE) informou que tivemos, na terça-feira, dia 8/9, 26 pontos de alagamento na cidade de São Paulo, quatro deles intransitáveis. Quantos milhões será que nosso alcaide empenhou para resolver esse problema, em vez de gastar uma fortuna com tinta vermelha para entupir as ruas com ciclovias, algumas impossíveis de serem transitadas pelas magrelas? 

Leila E. Leitão 

São Paulo

*

MÚSICA EM CAMINHÃO DE LIXO

Além de fazer sem nenhum critério ciclovias e colocar radares em lugares sem a menor necessidade só com o intuito de arrecadar, Haddad agora inventou  colocar uma música  horrível e irritante nos caminhões  de coleta de lixo só para encher o saco dos moradores  desta cidade.

Valdir Sayeg valdirsayeg@uol.com.br

São Paulo

*

JEITO PETISTA DE GOVERNAR

Contratos anuláveis, obras imperfeitas e sobre preço são os vícios, em síntese, de 9 apontados pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE) em  ciclovias  da Avenida Paulista e sob o Minhocão. A licitação era imprescindível, por se tratar de obras não emergenciais e inadiáveis. A imperfeição dos trajetos já provocou inúmeros acidentes com pedestres; em alguns pontos, a rota dos ciclistas ingressa em verdadeiras armadilhas para ambos. E o sobre preço de R$ 1,4  milhões, apontado pelo TCE, exige que os responsáveis recomponham os cofres municipais. Apesar de todas as turbulências, é invariável o jeito petista de governar. 

Amadeu R. Garrido de Paula

amadeugarridoadv@uol.com.br

São Paulo

*

FORA, HADDAD!

Os paulistanos precisam ir às ruas, à Justiça e reagir contra os desmandos e a indústria das multas da CET do péssimo prefeito Fernando Haddad (PT). Não é possível que milhões de pessoas, na maior cidade do Brasil e da América do Sul, agora tenham de andar a passo de cágado, com o pé no freio, a 50 Km/h, num ritmo devagar, quase parando. Ao invés de fluidez do trânsito, agilidade, movimento e rapidez - que uma cidade viva, rica, dinâmica e pulsante como São Paulo exige -, o que temos é a forçada amarração, lentidão e o nivelamento por baixo, por culpa da incompetência e da falta de noção da realidade do prefeito. 

Renato Khair renatokhair@uol.com.br

São Paulo

*

DESCOMPASSO

Não bastassem as faixas de ônibus e bicicletas, implantadas sem nenhum planejamento ou estudos, ainda foram gastos mais de R$ 800 milhões em radares para multar, enquanto os semáforos carecem de manutenção, modernização, sincronismo etc..

Waldir Cassapula waldir.cassapula@gmail.com

São Paulo

*

OPERAÇÃO ORÉGANO ASSANDO

Não sei, mas a determinação para correr em sigilo processos sobre a Lava Jato parece confirmar que a pizza foi posta no forno e mata nossa esperança de que sejam punidos os envolvidos.

Laércio Zanini spettro@uol.com.br

Garça    

*

PIADA PRONTA

"Câmara aprova doações de empresas a partidos políticos". Essa quadrilha imensa que compõe nosso cenário insiste em nos chamar de trouxas na cara, fora da época de campanha, é claro! Doar dinheiro a um partido é o mesmo que defecar fora do vaso sanitário, imediatamente as moscas tomam conta da situação. O político é um alucinado por dinheiro. Vive por dinheiro, atinge orgasmo por dinheiro. Por dinheiro ele rouba, mata e, se preciso for, vende a própria mãe. Que piada! É óbvio que a Câmara tinha de aprovar! Leonidas Ronconi ronconileonidas@gmail.com

São Paulo

*

DOAÇÕES EMPRESARIAIS

O que me deixa mais triste e desesperançado é ser obrigado a assistir diariamente ao monumental festival de hipocrisia em cartaz. Perante o brotar dos escândalos, os milhares de "chupins" do dinheiro público se digladiam e tentam sair de fininho da cena do crime. Ninguém me convence de que existiam "bobos" no Congresso, que não sabiam do real intuito das doações das empreiteiras. Afinal, que sentido teria a distribuição de pequenas fatias do bolo pelos partidos da oposição, se não fossem para "consolar" os que não participavam do banquete da situação?  Precisa ser bem ingênuo para acreditar que essas "doações" aos partidos são por pura caridade, quando existem milhares de instituições assistenciais sérias morrendo à míngua. Os partidos alegam que as verbas são para os gastos eleitorais. Até certo ponto os candidatos realmente são obrigados a gastar fortunas para "convencer" os eleitores desinteressados que só votam porque o voto é obrigatório. O voto consciente não tem preço e é temido pelos maus políticos. Portanto, não me admira que a tal reforma política tenha esfumaçado e que as doações empresarias e o voto obrigatório tenham permanecido. Não acredito em soluções baseadas apenas nas consequências e sem visar às causas.

João Carlos A. Melo jca.melo@yahoo.com.br

São Paulo

*

DOAÇÕES AO PT

Desde o início das investigações do mensalão e da Lava Jato, o PT declara reiteradamente que todas as doações recebidas são legais e declaradas à Justiça Eleitoral. Falta dizer que a sua origem é ilegal, fruto de desvio do dinheiro público, pois não? 

J.S. Decol decoljs@globo.com

São Paulo

*

IMPOSTOMANIA E IMPOSTOFOBIA

O governo sofre de impostomania. E assim ficou para a proteção do lulopetismo e da ambição de permanência no poder. Mas o povo está acometido de impostofobia, já que não  suporta mais a carga tributária (36% do PIB). Oministro da Fazenda, Joaquim Levy, ora é contra o aumento de impostos, ora é a favor. Está virando um levy e traz de dona Dilma e não está sendo coerente com as verdadeiras necessidades do País, demonstradas, aliás, pelos empresários, congressistas e a população em geral. Em resumo, o ajuste fiscal só poderá ser aperfeiçoado, se houver profundos cortes na carne.

José Carlos de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

*

MOSTRANDO A QUE VEIO

Nenhuma novidade ver que o ministro Dias Toffoli ainda faria suas lambanças no Supremo Tribunal Federal (STF). Como “otoridade” autoriza a quebra de sigilo telefônico de 30 jornalistas de São José do Rio Preto. Esta se torna a primeira jurisprudência para calar a imprensa, que até agora estava devidamente amparada por nossa Carta Magna.  Quem daqui para frente terá coragem de fazer uma delação, mesmo que seja pelo “Disque Denúncia”? Toffoli mostrou a que veio.

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo 

*

RESQUÍCIOS DA DITADURA

A abertura de investigação contra o livro do ótimo Ricardo Lisias é a demonstração clara e inequívoca de que alguns membros da Justiça, Ministério Público Federal inclusive, pasmem, ainda confundem liberdade de expressão, e nessas horas são capazes de lembrar a ditadura militar ou seus resquícios.

Marcos Barbosa micabarbosa@gmail.com

Casa Branca

*

BRASIL DIMINUÍDO  

O Brasil está diminuído pelos escândalos de corrupção do governo. Não importa quanto a gestão da presidente Dilma encolha, a oposição consegue se apequenar ainda mais. Alguém consegue imaginar se FHC fosse o presidente da República e o senador Aécio Neves fosse o presidente do conselho da Petrobras, responsáveis pelo petrolão? Lula estaria gritando sem parar no meio da rua, nu, em greve de fome, batendo panelas até sangrar as mãos. Mas a nossa oposição não se abala, nada é com ela, Aécio e sua turma vão continuar esperando a Presidência da Republica ser entregue a eles em uma bandeja de prata, sem mover uma palha. 

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

*

CHEGA DE DESCULPAS!

PT, entenda de uma vez: não queremos voltar ao que houve de ruim no passado, àquela situação que nos custou tanto sacrifício e competência para dela nos livrar. Pare de agir e de pensar dessa forma! Fora com essa obsessão de atribuir a culpa aos outros e de se desculpar com a justificativa de que sempre se roubou em todo lugar! Queremos a faxina dessa turma de pilantras que, dentro ou fora do PT, se sentiram muito confortáveis sob sua direção e com seu exemplo em meter a mão no nosso suado dinheiro, desconsiderando a falta que ele faz para os necessários investimentos que o País precisa nas áreas de infraestrutura, saúde, educação, etc. Queremos andar pra frente!

Hélio A. Ferreira  hafstruct@hotmail.com

São Paulo

*

DECRETO 8.515

Sr. Jacques Wagner, se eu fosse militar como meus antepassados tiveram a honra de sê-lo, pediria baixa no dia em que o senhor ascendeu ao Ministério da Defesa. É uma vergonha para família castrense ter um sindicalista, cutista e petista à frente de uma pasta tão honrada e que é a guardiã daqueles que zelam pela soberania nacional. O senhor ainda por cima teve a pachorra de plantar a sra. Eva Maria Chiavon, casada com um bandoleiro do MST (Chicão Chiavon), para prejudicar e esculhambar moralmente a família militar com o Decreto 8.515, sem contar outros episódios asquerosos patrocinados pelo senhor e seus subordinados pelegos. Vocês estão com os dias contados e logo estaremos livres de sacripantas da sua laia.

Frederico d’Avila fredericobdavila@hotmail.com

São Paulo

*

LOUCOS COMANDAM O BRASIL

O povo brasileiro está esperando o  pronunciamento dos comandantes do Exército, Marinha e Aeronáutica sobre o Decreto n.º 8.515, que delega ao ministro da  Defesa, Jaques Wagner,  a competência para editar os atos até então delegados  aos militares. Para o povo, esse decreto está sendo visto como mais uma estupidez de Dilma Rousseff e de seus seguidores. 

Leônidas Marques leo_vr@terra.com.br

Volta Redonda (RJ)

*

DEFESA DEVOLVE PODER A MILITARES

Sinceramente, gostaria de saber o que a presidente Dilma tem na cabeça. Estava na cara o mal estar que o seu decreto, tirando dos comandantes militares o direito de editar atos relativos ao pessoal militar, iria causar. Qualquer pessoa menos informada sabia disso. Contudo, a nossa presidenta comete mais um despautério. Fico com a nítida impressão que das três uma: ou ela assina sem ler, ou ela perdeu a noção das coisas, ou tem algum auxiliar querendo ferrá-la.

Éden A. Santos edensantos@uol.com.br

São Paulo

*

UBER

Parabéns, vereadores de São Paulo! Agora sim, com a proibição do serviço de transporte público urbano Uber, a cidade resolveu todos os seus problemas! Com mais essa medida demagógica, aliás, especialidade de vossa lavra, São Paulo acaba desprezando uma boa possibilidade de serviço a seus munícipes, além de alternativa de trabalho para muita gente disposta a trabalhar. Enfim, é isso o que temos na Câmara Municipal de São Paulo. Pêsames para nós, paulistanos!

Armando Stelluto Jr. armandostelluto@uol.com.br

São Paulo

 *

CRIA-SE O ‘REBU’

Uber invertido é “Rebu” e é o que vai ser daqui para frente, irá atrapalhar muita gente. Ou e$$a decisão da Câmara é para que o prefeito possa fazer “média” com os paulistanos, vetando-a? O serviço que a Uber presta não compete com os taxistas... Por que não se inscrevem na Uber também? Tudo uma questão de regulamentar essa atividade. 

Luiz Dias lfd.silva@bol.com.br 

São Paulo

*

NA CONTRAMÃO?

“O Uber está na contramão da história”, dito pelo nosso vereador mostra que os munícipes é que estão na contramão tendo de enfrentar ciclovias e faixas de ônibus sem planejamento. Creches, saúde e segurança, alguém sabe o que é isso?

Waldyr Sanchez waldyrsanchez@gmail.com

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.