Fórum dos leitores

DESGOVERNO LULOPETISTA

O Estado de S. Paulo

26 Outubro 2015 | 03h00

Pêsames

Hoje faz um ano que Dilma foi reeleita presidente. Data fúnebre. Antes da eleição, a candidata esnobou otimismo, partiu para o confronto com os adversários, apagou Marina no pleito, acusou Aécio de cortar os programas sociais, fez o diabo com os números e ganhou o apoio da população. Foi uma campanha eleitoral milionária, em que o governo jogou todas as fichas para se manter no poder. Perto da eleição, 31% dos eleitores achavam que a inflação iria subir e 26%, que haveria desemprego; o País iria piorar para 15%. Pois hoje os brasileiros amargam terrível ressaca. Com aprovação de cerca de 8%, Dilma agoniza no poder. O eleitorado bovino deixou-se levar por promessas e paga a conta da incompetência petista. Dona Dilma, meus pêsames! O grande convidado para comemorar esse aniversário é o diabo.

IZABEL AVALLONE

izabelavallone@gmail.com

São Paulo

A Nomenklatura 

Ótimo o artigo A libertação está nos fatos, de Fernão Lara Mesquita (24/10, A2). A estrutura montada pelo PT (e partidos de apoio ao desgoverno petista) é assustadora, em número de pessoas e custos envolvidos na “festa”. É verdade que isso sempre existiu, mas nunca antes na História deste país com tanta ênfase e cara de pau. Uma limpeza dessa máquina, eliminando excessos, cobriria - com sobra - a receita pretendida com a CPMF, além de o País funcionar com maior agilidade e menos burrocracia. Mas para isso há que fazer uma releitura do País e de seus governantes. Começando pelo eleitor, que pôs essa turma no poder.

GERALDO R. BANASKIWITZ

geraldo.banas@gmail.com

São Paulo

Letargia

Lúcido, claro, contundente o artigo de Fernão Lara Mesquita. Parece que todos estamos em estado letárgico, que contagiou até a imprensa. Porém compreensível ante a avalanche de notícias tão estarrecedoras que perdemos a capacidade de indignação e já nem sabemos distinguir normal de anormal. Triste herança nos será legada, PT e camarilha se assemelham a um bando de malfeitores que juraram destruir o Brasil. Senhor, olhai por nós!

LAERTE DE CARVALHO

laerte@drogariatotal.com.br

Ribeirão Preto

Crime contra a Nação

Já que ainda não pediu demissão, sugiro a Joaquim Levy que leia o artigo de Fernão Mesquita, verifique a reportagem citada e desista de criar ou mesmo aumentar impostos. Cada vez fica mais claro que o buraco nas contas públicas é fruto do patrimonialismo lulopetista (além do assistencialismo populista) e sacrificar ainda mais a economia do País e sua população para manter essa situação é um crime contra a Nação! O imprescindível é cortar na própria carne e eliminar as gorduras do aparelhamento do governo. Isso é o que tem de ser proposto e aprovado.

JORGE ALVES

jorgersalves@gmail.com

Jaú

PEC DA BENGALA

Veto de Dilma

A decisão da presidenta Dilma de vetar a aposentadoria compulsória aos 75 anos, em vez de aos 70, para os servidores públicos é surpreendente. Será que ela entendeu que trabalhar até os 75 é uma escolha, não obrigação? Que com o aumento da expectativa de vida teremos cada vez mais pessoas com condições, energia e vontade de trabalhar após os 70, 80 e até 90 anos? Que o custo para o Estado de sustentar uma pessoa produtiva em casa é o mesmo de mantê-la ativa e contribuindo com a força do trabalho para o crescimento do País? Que não se trata de estender a idade de aposentadoria, mas, ao contrário, de permitir a quem não quer aposentar-se continuar trabalhando? Que isso geraria uma enorme economia para o Estado? Qual é a lógica de permitir a um parlamentar exercer sua profissão e até ser presidente da República sem limite de idade e proibir um professor, um cientista ou um médico de continuar na ativa depois dos 70 anos, se é esse o seu desejo?

MAYANA ZATZ, professora da USP

mayazatz@usp.br

São Paulo

DOMINGO ‘ILEGAL’

Na Avenida Paulista

Parabéns ao Ministério Público por multar a gestão Haddad pelo absurdo de fechar a Paulista aos domingos, privando o cidadão do direito constitucional de ir e vir, com prejuízo da circulação de carros para ir a um hospital em caso emergencial de saúde.

JOÃO ROCHAEL

jrochael@ibest.com.br

São Paulo

Prefeito infrator

Em razão da existência de Termo de Ajustamento de Conduta assinado em 2007, de conhecimento do atual prefeito, e mesmo sendo alertado pelo Ministério Público (MP), ele desrespeitou e desacatou um e outro. O que motivou a multa de R$ 50 mil pela desobediência. Mas é injusto os munícipes arcarem com o pagamento. Afinal, o MP multou a Prefeitura para responsabilizar e punir o prefeito infrator! 

FERNANDO SILVA

lfd.dasilva@uol.com.br

São Paulo

No DNA

O problema nem é o prefeito Fernando Haddad ter de pagar os R$ 50 mil de multa por fechar a Paulista aos domingos - aliás, somos nós que pagamos -, mas, sim, o simples desrespeito às leis. Como sempre, é esse o modo PT de governar.

LUÍZ FRID

luiz.frid@globomail.com

São Paulo

Alternativas

O burgomestre ciclista, em vez da Paulista, poderia fechar, por exemplo, as Avenidas Carlos Caldeira Filho, Corifeu de Azevedo Marques, Águia de Haia, Sezefredo Fagundes, General Edgar Facó... Apenas me ocorre um porém: talvez ele nem saiba onde elas ficam.

PEDRO GALUCHI

pgaluchi@gmail.com

São Paulo

ANOS DE CHUMBO

Herzog, Helu e Marin

Brilhante o artigo do Marcelo Rubens Paiva, no Estadão de sábado, sobre a morte de Vladimir Herzog, principalmente considerando o “alzheimer” que domina a sociedade brasileira e faz com que exista até gente que deseje a volta dos militares ao poder. Fica patente também a eterna ignorância da classe dirigente do futebol. Foram justamente dois deputados ligados ao futebol, Wadih Helu e José Maria Marin, que discursaram pedindo providências das autoridades da época contra a TV Cultura, que, segundo eles, só fazia reportagens mostrando a miséria, e não os fatos positivos do regime. Helu deve estar no inferno, sendo revirado lentamente num espeto e aguardando a chegada do seu colega Marin.

NESTOR R. PEREIRA FILHO

rodrigues-nestor@ig.com.br

São Paulo

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

PRAZOS E MAIS PRAZOS

O Tribunal de Contas da União (TCU), julgando as contas do governo de 2014, por unanimidade condenou as "pedaladas" fiscais que foram feitas. Antes do julgamento final, o TCU deu 45 dias de prazo para a defesa de Dilma Rousseff. Esta não foi convincente. Agora, Renan Calheiros (PMDB-AL), presidente do Senado, concedeu prazo de até 45 dias para que Dilma apresente no Congresso sua defesa ao parecer do TCU. Ora, direis, por que tanto prazo para defesa, se está provado que as pedaladas são indefensáveis? Na CPI da Petrobrás, o relatório apresentado pelo petista Luiz Sérgio (PT-RJ) não apresentou nenhum indiciamento de político já indiciado pelo Operação Lava Jato - além de João Vaccari Neto, que já está preso. Fiel ao "tudo o que seu mestre mandar faremos todos", Luiz Sérgio isentou Dilma, Lula, Foster e Gabrielli. Ao invés de CPI, deveria ser CPB, Comissão de Proteção ao Banditismo. Que os deuses do Olimpo protejam a Olimpíada no Rio de Janeiro.

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

*

PORTEIRA ABERTA

Se atender programas sociais é a justificativa do PT para burlar a Lei de Responsabilidade Fiscal, mediante inverdades e as chamadas "pedaladas", então, durante a campanha presidencial, também a oposição, qualquer que fosse ela, teria o direito de fazer promessas mirabolantes, sem justificar a fonte dos recursos para isso, e ganhar as eleições. Onde está a oposição para combater esse comportamento? Não está claro que isso simplesmente não está correto? Não é questão de rixa entre partidos e ideologias; é simplesmente uma questão de ordem legal, de que isso não é permitido perante a lei do País. E como isso fica? Não há punição ou consequências para os políticos e partidos que agem dessa forma? Se assim for, a porteira está escancarada para a irresponsabilidade fiscal em todos os níveis da administração pública: municipal, estadual e federal; e os burladores da hora não poderão ser punidos, porque o precedente para a sua defesa virá do mais alto patamar da Nação. Isso é simplesmente inadmissível. Em que país vivemos? Um país sem leis sérias, que, como tal, não precisam ser cumpridas? E quanto às consequências desses atos para a população, como as terríveis que hoje estamos experimentando? Não há responsabilização? Se não houver consequências, eu e certamente milhões de outros brasileiros ficaremos com vergonha (ainda maior) do nosso país. Com a palavra, as altas Cortes do Brasil.

 

Lenke Peres 

Cotia 

*

PIOR IMPOSSÍVEL

O ministro Joaquim Levy, literalmente, comprou gato por lebre quando aceitou este importante cargo da nossa República. Mal informado pelo Planalto da real situação das contas públicas, Levy, iniciou sua gestão prometendo superávit primário de 1,2% do PIB para 2015. Depois que se deu conta da existência das horríveis pedaladas fiscais de 2014, reduziu o superávit para 0,15%. E, com o agravamento da crise política e a economia se deteriorando, a arrecadação idem, o ministro é informado pelo TCU de que neste ano também o governo cometeu o crime das pedaladas fiscais em mais de R$ 40 bilhões. Sem alternativa, este fracassado governo deve anunciar que em 2015 terá déficit fiscal de R$ 50 bilhões. Porém, o mercado estima que este rombo ultrapasse os R$ 70 bilhões... Ou seja, pior impossível.

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

BARCO À DERIVA

Dilma Rousseff deve fechar contas com rombo de R$ 50 bilhões. Pelo visto, 2016 promete.

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com 

Jandaia do Sul (PR)

*

A PARTILHA DA CPMF

Nem definida, muito menos aprovada, a Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF) já cria discórdias e desavenças na sua partilha. Prefeitos das principais cidades divergem sobre como será efetuada pelo Planalto. Tanto, que avisaram Dilma Rousseff de que os recursos obtidos deverão ser repartidos entre municípios, Estados e União e destinados à Saúde. Só assim a apoiarão. Ou seja, os políticos brasileiros só sabem impor condições e receber vantagens. E a única decisão definitiva é que, como sempre, o rombo só será pago por nós, a população, né não?    

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br 

São Paulo

*

SALVADOR DA PÁTRIA

Justa, justíssima a recriação da CPMF, pois isso salvará parte da economia já fracassada do pais chamado Brasil. Cumpre ressaltar que em tempos idos tivemos a fase "doe ouro para o bem do Brasil". E foi um sucesso, mas para quem? Lula, continue, pois você é e sempre será o salvador da Pátria. Candidate-se e meu voto é seu, pois tenho de louvar um torneiro mecânico. Eu, que tenho essa mesma profissão, nada consegui nesta vida.

Idaberto das Neves avenidaautoescola@gmail.com 

São Paulo

*

SOBRE A CPMF

A fim de resolver o "rombo" da Previdência privada, por que não se cobra provisoriamente 1% dos futuros beneficiados e alguma coisa do agronegócio, para custear o déficit que resultou da inclusão dos trabalhadores rurais pela Constituição de 1988? Assim, primeiro o dinheiro iria de fato para a Previdência e não se perderia no cofre do Tesouro Nacional; segundo, que o agronegócio tem de dar alguma coisa ao País em troca do que tira, e não ficar favorecendo apenas meia dúzia de latifundiários e populações estrangeiras para quem exportam nossa água e nossas riquezas.

Amaury Cesar Moraes acmoraes@usp.br 

São Paulo

*

SACRIFÍCIOS

Presidente Dilma, na Suécia: "A CPMF é crucial para o País". Cortar as despesas do governo, nem pensar... Ora, ninguém aguenta mais!

Luíz Frid luiz.frid@globomail.com 

São Paulo

*

DE DUAS, UMA

De duas, uma. Ou bem fica Dilma ou se aprova a CPMF. As duas coisas juntas não dá! Colocar um aporte de dinheiro deste volume nas mãos ávidas do governo petista de Dilma Rousseff, tutelada por Lula da Silva, sob o argumento de recuperação econômica do País, é inadmissível, ideia insuportável e de uma burrice crassa. Já que chegam os anéis que se foram... salvemos os dedos!

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

*

CONDESCENDENTE CONSTITUIÇÃO

2015 está sendo um ano bastante difícil para a grande maioria dos brasileiros. Apenas alguns escândalos de corrupção vieram à tona e um insignificante número de prisões foi decretado pela Polícia Federal. Está clara para todo o povo brasileiro a ineficiência do Estado brasileiro. Os Três Poderes não se entendem, usando uns aos outros para retardarem processos cujo único intuito é defender os interesses do Brasil. Os interesses dos políticos são colocados em primeiro lugar, respaldados por uma Constituição falha e condescendente. Pelo andar da carruagem, Dilma iniciará o ano de 2016 despachando do gabinete de presidente da República, apesar de ter cometido crimes de responsabilidade fiscal. Cunha, por sua vez, continuará ocupando o cargo de presidente da Câmara, embora tenha alguns milhões de dólares em contas no exterior, abastecidas por dinheiro desviado da Petrobrás. Os brasileiros, que não fazem parte da corte, continuarão lutando sozinhos contra a inflação e o desemprego, vendo o País regredir cada vez mais rápido. 

José Carlos Saraiva da Costa jcsdc@uol.com.br 

Belo Horizonte 

*

TRANSPETRO

A Transpetro substituiu o diretor pastor Rubens Teixeira, suspeito de envolvimento em corrupção nos contratos da diretoria administrativo financeira. O mais interessante é a manutenção dos gerentes que atuavam diretamente com o diretor nos serviços compartilhados. Será que o diretor atuava sozinho? Dizem as más línguas que, caso percam os cargos, os gerentes regionais irão abrir a boca. É esperar para ver. Com a palavra, a Polícia Federal.

 

Hosana Martins martinshosana2015@bol.com.br 

São Paulo

*

OPERAÇÃO LAVA JATO 

Aqueles que acreditam que a enxurrada de delações premiadas, no âmbito da Operação Lava Jato, envolvendo o presidente (ele é) Lula e seus familiares teria o condão de, enfim, condenar o ex-presidente e jogá-lo na  cadeia, esqueçam! Só duas situações seriam capazes disso: o aparecimento de gravações telefônicas ou de vídeos que mostrem claramente ele em conluio com os delatores. A  segunda, se os militares saírem do silêncio e da imobilidade atual e colocarem ordem na casa. Não há terceira via. 

Laércio Zannini spettro@uol.com.br 

São Paulo

*

CHARADA FÁCIL

É nora para cá e nora para lá, e ninguém sabe o nome da nora do ex-presidente Lula, aquela do apartamento da delação do sr. Fernando Baiano. Está bem fácil! Basta que o juiz Sérgio Moro convoque o pecuarista-amigo para um "estágio" em Curitiba e rapidamente o nome "famoso" da nora "desconhecida" surgirá, e assim a charada será liquidada. 

José Piacsek Neto bubanetopiacsek@gmail.com 

Avanhandava

*

AMIZADE ABALADA

Mais uma vez a história se repete: toda vez que alguma delação aproxima-se do sr. Lula, ele diz que não sabe de nada, não conhece, etc. Só que o pecuarista em questão, sr. José Carlos Bumlai, era das raríssimas exceções que tinham acesso a seu gabinete sem nenhuma cerimônia ou necessidade de agendamento. Além do mais, este cidadão cedeu em seu mesmo endereço uma sala contígua à sua para o filho do ex-presidente tocar sua empresa de marketing esportivo, empresa desconhecida, mas de grande sucesso financeiro, não se sabe bem como. Atenção, senhor Bumlai, Lula já disse que você usou de sua amizade indevidamente - o que sabemos que não é verdade -, mas como ele tem um histórico de fritar ex-companheiros, vide José Dirceu, Palocci e outros, também certamente vai esquecer os churrascos e whiskies do melhor que você lhe ofereceu.

Luiz Roberto Savoldelli savoldelli@uol.com.br 

São Bernardo do Campo 

*

AS ÚLTIMAS DE LULA

Pode-se catalogar como históricas as três últimas do ex-presidente Lula: ingerência em favor do mandato de Eduardo Cunha, presidente da Câmara dos Deputados; a confirmação de que recebeu R$ 400 mil por palestra realizada, e da Odebrecht; e, finalmente, que o ministro da Fazenda tem "prazo de validade". A defesa de Eduardo Cunha confirma o dito popular: "lé com cré e cré com lé". O preço cobrado por palestra pelo inculto metalúrgico, além de absurdo e incabível, é a prova de que a ignorância é a mãe do atrevimento e talvez da corrupção. E o prazo de validade do ministro da Fazenda vem demonstrar que deseja sempre a confusão nas coisas confusas, como outrora. Na verdade, o PT não merece mais que esse tipo de gente.

José C. de Carvalho Carneiro carneiro.jcc@uol.com.br  

Rio Claro

*

É MUITO DINHEIRO

A Odebrecht pagar ao Lula, alguém que nunca sabe ou viu nada, R$ 4.000.000,00 ou U$$ 1 milhão de dólares por palestras dá para especular.

 

Tania Tavares taniatma@hotmail.com 

São Paulo

*

PALESTRAS

Lula  tem auferido tanto lucro com "palestra" que o Palmeiras já pensa em reavivar seu outrora glorioso nome.

Leonel Lucas Lucariello Filho leonellucariello@gmail.com 

São Paulo

*

HAJA FÔLEGO

O ex-presidente Lula fez, entre 2011 e 2015, 70 palestras no Brasil e no exterior. Muito estranho, e seria o caso de perguntar: quem assistiu a uma dessas palestras, que levante as mãos. Porque haja fôlego e saúde, para um homem da quarta idade, próximo a completar 70 anos.

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br 

São Paulo

*

NÃO HÁ INOCENTES NO PLANALTO

 

"Quem roubou não pode chamar o PT de ladrão", afirma Lula, no Piauí ("Estado", 23/10, A10). Risível, não fosse profundamente lamentável a fantástica desculpa encontrada pelo gran-mestre do PT para a gatunagem generalizada. Dos políticos cuidam alguns que prestam grandes serviços à Pátria, como ele, Lula ("eu tenho consciência de que poucos fizeram pelo povo o que eu fiz") e se derramam em autoelogio quando, em verdade, não arredam pé do seu deus: eles próprios. Que semelhantes são todos os gatunos, quer os "petralhas" como os irmãos "metralhas", que o crime praticado é o mesmo e na rapinagem para que vieram e aí estão são todos da mesma laia. Todos voltados e prostrados no altar-mor, em adoração permanente ao deus "egoísmo". A primeira jura ao subirem os degraus do Planalto é a de: para "mim e aos meus" tudo; para a Nação e para o povo, uma sonora banana! Serviços à Pátria e olhos para os mais pobres não passam de miragem hipócrita, artificial, tecida na imaginação maquiavélica, quer do PT do seu Lula como dos outros partidos. Promessas de palanque, (cuja credibilidade é nenhuma) com dois claros objetivos (estes, sim, verdadeiros): massagear a megalomania do "deus egoísmo" e pespegar mentiras para nós, os idiotas que lhes cremos na ficção. Inexplicável como ainda se crê nas mentiras de político, dando-lhe o crédito do voto. Qualquer dos políticos que aí está, não sei se fui claro, disse qualquer um, de A a Z, se consultasse o povo, ou a sua consciência (se a tivesse), certamente destas duas malhas (povo e consciência) não escaparia um só. O travo amargo desta conclusão é a de que,  que nos adianta a grita dos gigantes juristas em busca do "impeachment"? Se, na substituição de uma criminosa presidente, virá um bandido presidente? Pois qual dos presidenciáveis que aí está levantou a voz (a tempo e ao público) contra a derrocada espetacular da Petrobrás? Não participou (direta ou indiretamente) do "propinoduto" que corre à solta pelos corredores do Planalto? Por acaso eles (políticos), comendo do mesmo pão e bebendo do mesmo vinho, dia e noite, não sabiam? Não foram, por acaso, não uma, senão várias vezes procurados para repartir a traça do crime? Quem dos políticos que aí está pode lavar as mãos e dizer-se inocente contra o criminoso PT; e seus filhos e afilhados "petralhas"? Ora, não sejamos ingênuos, pois que pelos corredores do Planalto todos sabem, a uma, donde surgem as propinas; quem são os "doadores-para-campanha"; receita criminosa dos partidos. Certa a confissão do seu Lula: "(...) roubou a vida inteira"! Não há nem ingênuo, nem inocente no Planalto. Todos se merecem. E isso é triste. Sr. Lula, usando linguagem bem compreensível, "que má lhe pergunto", se quem "roubou a vida inteira" e rouba não pode chamar o PT de ladrão, como lhe deveria chamar? De "caro colega"? Ou de "cumpanheiro"? Todos farelo do mesmo saco! 

 

Antônio Bonival Camargo bonival@camargoecamargo.adv.br

São Paulo

*

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CORRUPÇÃO

"Deus, oh Deus, onde estás que não respondes?" Se sois brasileiro, clamamos por tua presença. Que venhas o quanto antes, acompanhado por teus anjos, por termo nesta hipocrisia e corrupção deslavada que lastra neste país. Ao que tudo indica, nossos dirigentes e "representantes" no Congresso se formaram na Universidade Federal de Corrupção, tal a desenvoltura que têm quando se trata de receber ou oferecer propinas, o famoso "toma lá da cá". Fomos governados por oito anos pelo grande reitor desta universidade, dotado de uma grande inteligência e faro político, totalmente voltados para seu próprio beneficio, excelente ilusionista, conseguiu extasiar a plateia de milhões de brasileiros com sua mágica aparentemente perfeita, que veio somente agora mostrar tamanha fragilidade. Infelizmente, nosso reitor-ilusionista hipócrita e demagogo manipula sua marionete-poste, conduzindo o nosso Brasil para um buraco aparentemente sem fundo. A política atual virou caso de polícia e, para onde quer que a vista alcance, vemos somente corrupção e vantagens mútuas entre os corruptos, vide o exemplo do grande acordão entre nosso referido reitor e o atual grande legislador brasileiro, com diversas contas na Suíça e também nos Estados Unidos: "Salvemos  a nós todos e o Brasil que se salve sozinho". Vergonha inacreditável. Estou com mais de 80 anos, bem vividos e trabalhados, vivi na ditadura de Getúlio, nos anos dourados de JK, no desgoverno de Jango, na ditadura militar, nos chamados anos de chumbo. Porém jamais vi tamanha desordem e desfaçatez como a que presencio hoje. A  ditadura militar lutou contra os mesmos que hoje tentam implantar o socialismo do século 21 no País, estes "socialistas que também mataram, torturaram, sequestraram e hoje recebem inúmeras benesses do Estado, enquanto suas vítimas da "direita" estão entregues à própria sorte, transformados em vilões. Até mesmo na ditadura tínhamos muito mais esperança no futuro, pois tínhamos quadros políticos maduros e relevantes, sérios e preocupados com o Brasil. Hoje, na minha velhice, minha única esperança é no Judiciário, mais precisamente na 13.ª vara federal de Curitiba, onde a honradez ainda resiste aos "pixulecos" e onde, com a ajuda de Deus e da Justiça, a grande universidade será desativada, seu reitor vestirá a toga branca e preta dos condenados e sua mágica não iludirá mais ninguém. Que assim seja!

Ronaldo Reis Teixeira reservas@hotelcarajas.com.br 

Varginha (MG)

*

A COMPRA DOS CAÇAS

Notícia recente da revista "Aviation Week": "Pentágono espera que o preço da unidade aumente em USD 1 milhão, caso Canadá deixe o programa do caça F-35". Se o F-35 tem previsão de fabricação (USAF mais vendas, como Reino Unido, Holanda, Austrália, Canadá, Itália, Dinamarca, Noruega, Turquia, Israel e outros) de mais de 2.500 aeronaves, imaginem quanto não vai custar essa brincadeirinha da Dilma Rousseff de desenvolvimento conjunto do Saab Gripem NG, sendo o Brasil praticamente o único cliente, para duas dúzias de aeronaves?

 

Ulysses Fernandes Nunes Jr. Ulyssesfn@terra.com.br  

São Paulo

*

DEU A LOUCA NO BRASIL

O Brasil realmente perdeu as estribeiras. O Supremo Tribunal Federal (STF) manda confiscar o dinheiro sujo do presidente da Câmara dos Deputados na Suíça, mas nada impede que Eduardo Cunha assuma a Presidência da República, caso Dilma Rousseff e Michel Temer se ausentem. Alguém se arriscaria a investir num país que dá posse a um presidente da República com dinheiro de corrupção confiscado pela mais alta corte da Nação? 

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br 

São Paulo

*

TRISTE DISTRAÇÃO

Apesar das acusações sobre existência de contas na Suíça, Eduardo Cunha consegue ser simpático para uma grande parte da população, talvez por ser contra Dilma Rousseff ou pela sua ironia e deboche das trapalhadas da presidente. O duelo entre os dois tornou-se uma ópera bufa. Diariamente as pessoas acompanham o dueto como se estivessem acompanhando uma novela. É a triste distração de quem perdeu a esperança de ver o País crescendo sem problemas de inflação, como aconteceu quando surgiu o Plano Real. Hoje existe uma apreensão sobre o futuro, sobre o emprego e, enfim, sobre a sobrevivência, principalmente dos jovens.

 

Mário Negrão Borgonovi marionegrao.borgonovi@gmail.com 

Rio de Janeiro 

*

GRAÇA

"'Acho graça pedir minha renúncia e não a de Dilma'" (Eduardo Cunha, em entrevista ao "Estadão" de 23/10). Engraçado não é mesmo. Mas é uma necessidade, para o bem do País, tanto a sua renúncia quanto a da presidente Dilma. 

Luciano Harary lharary@hotmail.com 

São Paulo

*

O PAULO MALUF CARIOCA

Concordo plenamente com  o leitor  Boris Becker  ("Fórum dos Leitores", 23/10) sobre  os caras de pau da nossa política, como Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que insiste em que não tem conta bancária no exterior e que não irá renunciar, apesar  das evidentes provas ao contrário. Na minha opinião, Eduardo Cunha até poderia ser chamado de Paulo Salim Maluf (PP-SP) "carioca"; e mais, como o poder é fascinante e embriagante!   

     

Edgard Gobbi edgardgobbi@gmail.com 

Campinas 

*

DESMORALIZADO

O cargo importante como a presidência da Câmara federal exige de seu ocupante um comportamento que ultrapassa os limites normais. Como entender, então, as denúncias que o deputado Eduardo Cunha  está recebendo de abrir contas em bancos no estrangeiro usando, inclusive, "laranjas internacionais"? E mais, tem ele o direito moral de decidir se pauta ou não os pedidos de impeachment de Dilma Rousseff formulados por oposicionistas oportunistas e incoerentes? Que parecem interessados em abafar as acusações que ele está recebendo? 

Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br 

Santos

*

NA MARRA

Como é possível um indivíduo enredado até o pescoço com a polícia estar presidindo a Câmara e fazendo leis? Acho que, como nada se resolve, o povo deveria invadir o recinto da Câmara e arrancar de lá este tremendo pulha. O mesmo deveria ser feito no Palácio do Planalto para retirar de lá esta vergonha nacional que nem sequer consegue juntar dois pensamentos e a cada dia que passa continua enterrando o País numa crise insuportável. Já que os impeachments não saem, o povo tem de resolver isso. Na marra!

Nelson Penteado de Castro pentecas@uol.com.br 

São Paulo

*

DEPUTADO ÚTIL

Acompanho diariamente com interesse e aprovação os conteúdos dos editoriais do "Estadão", com exceção do de 22/10 ("É hora de despedir Cunha"). Entendo que, assim como Roberto Jefferson caiu no lamaçal da corrupção do mensalão, prestou grande serviço ao Brasil, denunciando o danoso esquema, a partir do qual o povo brasileiro acordou, também Eduardo Cunha, sabidamente corrupto, deve ser tolerado enquanto está prestando necessária pressão pelo impedimento da presidente Dilma e, oxalá, do vice Michel Temer. Cunha não poderá ficar impune, mas deve-se adiar seu processo até que seu serviço seja eficaz. Defendo, ainda, que, tanto um quanto o outro tenham suas penas abrandadas em razão dos serviços prestados ao País.

João Ferreira Mota  jfmota@ig.com.br 

São Paulo

*

SE A MODA PEGA...

Há cerca de um mês, manifestantes ucranianos agarraram à força um deputado quando este se retirava do Parlamento e o lançaram  num depósito de lixo em praça pública, impedindo-o de lá sair por algum tempo. O motivo da manifestação está ligado ao fato de que o político é autor de um projeto de lei que restringe o direito da população de protestar contra o governo. Levando em consideração a demanda reprimida de alguns próceres governistas no sentido de controlar os meios de comunicação e a qualidade geral dos nosso homens públicos, odiosamente pragmáticos, desatentos ao interesse público, em nome do qual foram eleitos, e capazes de formular projetos igualmente indignos, conclui-se que, se a moda pega por aqui, não bastará um depósito, mas será necessário um enorme lixão. 

Paulo Roberto Gotaç pgotac@gmail.com

Rio de Janeiro

*

DILMA X  CUNHA

O bate-boca entre Dilma Rousseff e Eduardo Cunha só denigre mais a imagem de ambos. O prejuízo de tamanha baixaria é do Brasil, em nível interno e externo, pois tais acontecimentos rodam o mundo. As agências de classificação de risco estão de olho. O melhor que ambos fariam pelo País seria um acordo em que os dois renunciassem. O dólar cairia, a Bolsa subiria, o risco país cairia, a atividade econômica seria retomada e o povo ficaria extremamente feliz. Com certeza, seria o melhor Natal de todos os tempos. Que Deus ilumine os dois.

Paulo H. Coimbra de Oliveira ph.coimbraoliveira@gmail.com 

Rio de Janeiro

*

RENÚNCIA

Finados é um bom dia para a renúncia de um governo que já nasceu morto.

José Paulo Cipullo j.cipullo@terra.com.br 

São José do Rio Preto

*

LOTÉRICAS EM FESTA

Faltam escolas, moradia popular, hospitais, saneamento básico, transportes, segurança, empregos, transparência governamental e vergonha na cara, mas sobram estádios e, agora, lotéricas. O laborioso Congresso Nacional deixou para depois tudo o que se refere aos interesses da população, mas trabalhou arduamente para aprovar o texto da lei que permite o funcionamento, sem licitação, de todas as lotéricas do Brasil e ainda garante a renovação automática das permissões por 20 anos. O Tribunal de Contas da União (TCU) foi contra, mas a gerentona deu mais uma "pedalada" (para não sair de forma), foi a favor e referendou o texto. Se a CPMF não sai porque ninguém a quer, por ser uma medida antipática, então criamos outro tipo de exploração do povo, mas com algo que ele adora fazer: tentar a sorte. E continuamos ganhando, sem ter de abrir mão das mordomias e nem de se livrar da grande produtividade dos "cumpanheros" em seus cargos comissionados! Não sabemos, ainda, quanto o pessoal do Congresso lucrou. Tudo tão simples neste país, tão fácil de arranjar, que dá mesmo para Lula dormir sossegado, sem ter com o que se preocupar. Quem não consegue dormir tranquilamente somos todos nós, que pagamos as contas, nossas e deles!

Carmela Tassi Chaves tassichaves@yahoo.com.br 

São Paulo

*

MANUTENÇÃO DO SISTEMA VIÁRIO

Nosso prefeito, Fernando Haddad, é muito preocupado com as ciclovias e as faixas exclusivas de ônibus e, de forma arbitrária, sem nenhuma consulta, implementa novos limites de velocidades nas principais vias de acesso no nosso município. Temos cadastrado no Denatran, para o município de São Paulo, 5,3 milhões de automóveis, 1 milhão de caminhonetes e equiparados e 200 mil motos e equiparados. Somente em alguns municípios da grande São Paulo temos 2,4 milhões de automóveis, 300 mil caminhonetes e equiparados e 600 mil motos e equiparados - e muitos deles circulam em nossa cidade. Nossas vias públicas, por sua vez, estão um "caos". Remendos e buracos são o que mais encontramos nelas. Sem falar nos semáforos que, basta as nuvens aparecem, que os danados ficam embandeirados. Os marronzinhos estão tomando uma medida bem prática: fecham os cruzamentos com cavaletes e fitas amarelo e preto. Por falar em semáforos, sincronização é um termo que está fora do dicionário do DSV. Tantos engenheiros lá e pouquíssimo bom senso. Deveriam ir a Buenos Aires conhecer a "onda verde" das principais avenidas de lá. Há dinheiro para investir em radares de última geração. Por que não há para os semáforos inteligentes? O que o nosso alcaide tem feito na manutenção das vias públicas? Absolutamente NADA. Qual o controle sobre as empresas de manutenção tipo "tapa buracos"? NENHUM. Qual o controle que há sobre as concessionárias que abrem as crateras nas vias públicas e efetuam "remendos" de péssima qualidade? NENHUM. Quando você viaja para outros países, na América Latina e na Europa, você não encontra os "remendos" que, aqui, mais parecem uma lombada. Seria possível melhorar, "e muito", o nosso trânsito se as nossas vias públicas recebessem a mesma atenção do alcaide que ele dispensa para as ciclovias e os corredores de ônibus. Com essa falta de manutenção, recaem sobre o contribuinte o desgaste e a manutenção do veículo para mantê-lo de forma segura. Senhor prefeito, deixe de hipocrisia e olhe para a população do seu município que depende de seu veículo para se locomover e trabalhar com mais segurança.

Eduardo Ambrosini Eduardo_ambrosini@yahoo.com.br

São Paulo 

*

DETERIORAÇÃO FUNCIONAL

As multas de trânsito na cidade de São Paulo se transformaram num martírio para os motoristas, porque praticamente não há ninguém que dirija diariamente e ainda não tenha sido autuado. Alguns cidadãos conscientes, ao contrário do que considera o prefeito Fernando Haddad, que os mede pela sua régua moral, já acumulam inúmeras infrações por excesso de velocidade depois da redução irracional dos limites. Mas externo, aqui, apenas a minha opinião, assim como farei com meu voto nas eleições vindouras. O que me leva a fazer esta reclamação é que os sites de atendimento aos contribuintes da Prefeitura (todos) estão sofrendo uma deterioração qualitativa inadmissível, um descalabro de ineficácia, como já tive a oportunidade de expor nas colunas de reclamações. Agora mesmo uma multa de trânsito foi cancelada e não consigo reaver o dinheiro porque o site não responde. Espero que as multas não sejam desviadas para outras finalidades, o que seria imoral.

Ademir Valezi adevale@gmail.com 

São Paulo 

*

SÃO PAULO PAROU

Alguém deveria avisar ao prefeito Fernando "Raddard" que o efeito inercial dificulta muito conservar o carro a 50 km por hora. Ele já conseguiu parar São Paulo, o que mais ele pretende?

Ivan Bertazzo bertazzo@nusa.com.br

São Paulo

*

CIDADE ABANDONADA

São vergonhosas as atitudes demagógicas do alcaide "poste" da nossa abandonada cidade. Os esgotos públicos não estão sendo desentupidos; as árvores estão caindo por não receberem cuidados; os faróis não funcionam com a chuva (os radares, sim...); o serviço funerário é um desrespeito ao parentes dos mortos; faltam crematórios; centenas de pequenas obras viárias estão paradas; os  piscinões estão sem manutenção; a indústria das multas é cada vez maior; as calçadas estão em petição de miséria; as deficiências na gestão dos processos administrativos na Prefeitura são revoltantes; os funcionários municipais, desmotivados e relaxados; etc. Mas o alcaide "poste" continua gastando dinheiro com sua demagogia eleitoreira nas ciclovias e no fechamento de ruas e avenidas. Será que todos os vereadores foram "comprados" e por isso não há oposição? Na próxima eleição haverá o troco.

João Cesar Ribeiro cesar.ribeiro8@hotmail.com 

São Paulo

*

TRABALHO QUE É BOM...

Não me lembro de coisa igual. Um momento. Lembro-me, sim: também aconteceu na gestão da ex-prefeita Marta Suplicy. Toda noite eu e meus vizinhos recebemos a visita de um enxame de mosquitos. Moro no 10.º andar de um prédio na zona sul de São Paulo. O número de mosquitos que depois das 19 horas invadem meu apartamento é sempre superior a 13. Em dias mais quentes, minha família contou 52 mosquitos que conseguimos abater. Quando mortos, deixam um rastro vermelho de sangue nas paredes, nas mãos e em tudo mais que temos para matá-los. Fechar a Avenida Paulista aos domingos, pintar ciclofaixas de vermelho geram notas nos jornais, que ampliam a visibilidade do atual prefeito. Ações de marketing garantem o nome do prefeito nos noticiários. Agora, deixar a brocha da pintura da ciclofaixa e pegar o inseticida para repelir os mosquitos, isso provavelmente o prefeito não quer. Trabalho não dá notícia, ações de marketing, sim.

José C. de Oliveira jccinellilobo@hotmail.com 

São Paulo 

*

MULTA

O Ministério Público do Estado decidiu multar a Prefeitura de São Paulo em R$ 50.101,49 por causa da abertura da Avenida Paulista para lazer no domingo. A Promotoria de Justiça de Habitação e Urbanismo alega que a administração municipal descumpriu o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), firmado em 2007, que previa o fechamento da via para carros somente três dias por ano. Ou seja, o prefeito "Malddad", além de mal assessorado, adora queimar dinheiro dos munícipes.

Antonio Jose G. Marques a.jose@uol.com.br 

Rio de Janeiro

*

MORTES NAS CICLOVIAS

O prefeito Fernando Haddad devia pintar as ciclovias de roxo.

 

Cláudio Moschella arquiteto@claudiomoschella.net 

São Paulo

*

PEDALADAS

Agora entendi por que Haddad está pintando tantas ciclovias: o PT gosta de pedaladas.

F.Gasser gasser_gpax@terra.com.br 

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.