Fórum dos leitores

CONSPIRATA LULA-CUNHA

O Estado de S. Paulo

08 Novembro 2015 | 03h00

REPÚBLICA DE BANANAS

A Operação Lava Jato foi enfraquecida pelo STF no momento em que as investigações em torno da ex-ministra Gleisi Hoffmann e seu marido, Paulo Bernardo, começaram a incomodá-los: foram desmembradas e nada mais se ouviu sobre o assunto. A juíza Célia Regina Bernardes foi “substituída” pelo titular, Vallisney de Souza Oliveira, tão logo ousou expedir mandado de busca e apreensão nos escritórios de outro filho de Lulla e também empresário genial, o Luiz Cláudio Lula da Silva. Jaques Wagner e Renan Calheiros (outra vez!!!) fotografados juntos na entrega da “defesa” da mentirosa e incompetenta presidenta Dilma. Agora tomamos conhecimento da manobra entre Eduardo Cunha, Renan Calheiros e novamente Lulla para evitar a ida de papai e filhinho à CPI. E querem que acreditemos que nossas “instituições” são sólidas? Com a quadrilha ramificada nos três Poderes? Cuide-se, Sergio Moro... Lembre-se de Celso Daniel!

HELEO POHLMANN BRAGA

heleo.braga@hotmail.com

Ribeirão Preto

*

QUEM NÃO DEVE...

... não precisa articular bloqueios para impedir que investigados sejam ouvidos e esclareçam os fatos. Eis a situação do Lula: diz nada temer e nada dever, mas articula com seu partido e asseclas forma de se blindar e a seus familiares, ex-ministros e comparsas, de forma que as CPIs - hoje claramente “Covis de Perjurados Institucionais” - não convoquem para depor os que estão envolvidos nas falcatruas e no roubo do nosso país. Haja vista que a juíza que se atreveu a mandar prender alguns e fazer o caçula depor já foi substituída. Penso que a imprensa deve publicar um perfil completo do sucessor da juíza para a Nação saber qual o comprometimento do titular da vara com a verdade.

LUIZ LUCAS CASTELLO BRANCO

whitecastel.castellobranco@gmail.com

São Paulo

*

DE NOVO, A CORRUPÇÃO

A que ponto chegamos! Que vergonha ler a notícia de que “pacto com Cunha e Renan poupa Lula e filho em CPIs”. A corrupção agora é descarada, nem se tenta mais escondê-la. E elle ainda teve a coragem de dizer em entrevista ao SBT que Fernando Henrique Cardoso tem “soberba” e inveja delle porque o seu governo “deu certo”. Pode?

ANNA CAROLINA MEIRELLES

annacmeirelles@gmail.com

São Paulo

*

ZELOTIPIA

Se na próxima encarnação Lula e FHC pudessem voltar como Lula ou FHC, qual seria a escolha de cada um?

HELENA R. ODARTE C. VALENTE

helenacv@uol.com.br

Rio de Janeiro 

*

O sr. Lulla da Silva disse que FHC tem inveja do sucesso dele. Bom, só se for pelo sucesso que o Lulla faz nos noticiários com os escândalos do mensalão, dólares na cueca, Rosemary Noronha, PeTrolão (Lava Jato), além do sucesso financeiro e imobiliário, com as propriedades no Guarujá (apartamento tríplex) e em Atibaia (sítio). Coitado do FHC, que para aparecer na mídia tem de lançar livro atrás de livro, o que dá um trabalho danado!

ANTÔNIO CARELLI FILHO

palestrino1949@hotmail.com

Taubaté

*

PIXULECO JÚNIOR

Quer dizer que o filhinho do papai, grande empresário do setor de marketing esportivo, recebeu o “pixulequinho” por conta de trabalho feito para a Copa de 2014 e a Olimpíada de 2016? Agora entendi as lágrimas de emoção do papai quando o Brasil foi escolhido para sediar a Olimpíada! Bem que desconfiei...

APARECIDA DILEIDE GAZIOLLA

aparecidagaziolla@gmail.com

São Caetano do Sul

*

PASSOU DA CONTA

Quando vemos que Eduardo Cunha “atribui dinheiro na Suíça a negócio com carne enlatada”, quando se lê que “pacto poupa Lula, seu filho e três ex-ministros em CPI”, isso significa que está mais do que na hora de o povo voltar às ruas para reagir a tamanho cinismo e denunciar esses conchavos que visam a salvar a pele de implicados.

LUIZ CAPUANO

lcapuano@uol.com.br

Santo André 

*

A CARNE É FRACA

O dinheiro de Eduardo Cunha na Suíça é proveniente da venda de carne. Realmente, a carne é fraca. Não deu para não se vender. Está explicado.

RONALDO GOMES FERRAZ

ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

*

PECADO CAPITAL

Será que Eduardo Cunha vai ser absolvido, sem penitência, pela Justiça Divina no julgamento dos pecados da carne?

SERGIO A. MONTEIRO

samvilar@uol.com.br

São Paulo

*

NA LATA

Eu acredito piamente na sinceridade do Eduardo Cunha quando diz que o dinheiro vem da venda de carne enlatada. Agora só falta dizer que essa carne vem do frigorífico do Lulinha, transportada pelo trenó do Papai Noel e o dinheiro foi depositado na Suíça pela cegonha.

MARCOS CATAP

marcoscatap@uol.com.br

São Paulo

*

Cunha ganhou dinheiro enlatando os bois comprados do Renan, que geraram lucros para este pagar despesas de namorada. Alguém duvida?

CARLOS ALBERTO ROXO

roxo_7@terra.com.br

São Paulo

*

LOGÍSTICA DO PMDB

Agora acho que entendi! O finado Quércia confiscou os bois no pasto, passou-os ao Renan, que os vendeu ao Cunha. Este os enlatou e os exportou para a África. Tudo bem explicadinho!

NÍVEO AURÉLIO VILLA

niveoavilla@terra.com.br

Atibaia 

*

FINAL FELIZ

A Operação Carne Enlatada, criada por Eduardo Cunha para justificar o dinheiro depositado na Suíça, lembra muito o esquema da Operação Uruguai do ex-presidente Collor. A História já nos mostrou como terminou o processo do Collor. Vamos torcer para que o processo do Cunha tenha um desfecho parecido.

JOSÉ PILI CARDOSO

pili@cardoso.adv.br

Bauru

*

PETROLÃO

Em condições que protejam nossos interesses, não passou da hora de privatizar a Petrobrás? Passado e presente não o exigem?

ANDRÉ C. FROHNKNECHT

caxumba888@gmail.com

São Paulo

*

DIREITO DE RESPOSTA

Na última semana, o Senado Federal, diferentemente da Câmara dos Deputados, deu um golpe na liberdade de imprensa: aprovou projeto de lei do radical senador Roberto Requião (PMDB-PR) que trata do direito de resposta. Trata-se de um projeto em causa própria, porque nossos parlamentares não sabem conviver com as críticas. Assim, se se sentirem ofendidos por algum veículo de comunicação em sua honra, reputação, imagem ou intimidade, terão o direito de exigir uma resposta no mesmo formato de destaque dado na matéria, seja ela televisiva, falada ou impressa. Exemplo: Lula, na sua imagem como "Pixuleco", pode pedir reparação. Pode? Ou, ainda, se os nossos parlamentares reajustam - como ocorre há tempos - seus proventos e suas estranhas regalias bem acima dos índices inflacionários e são tachados de legisladores em causa própria, podem se sentir ofendidos e também terem o direito de resposta no mesmo formato da notícia. Na realidade, estes senadores que aprovaram tal projeto absurdo não são cúmplices da democracia e não sabem, como servidores públicos que são, conviver com as críticas. Porém a responsabilidade para reparar essa excrescência está nas mãos da presidente Dilma Rousseff. E, se a presidente se lembrar dos "anos de chumbo", em que diz ter sido até torturada, precisa vetar o projeto.  

PAULO PANOSSIAN 

paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

CENSOR

O sr. senador Roberto Requião (PMDB-PR), autor da lei do direito de resposta, que nos poupe. Com tantos assuntos importantes, gasta o nosso dinheiro querendo censurar a imprensa? A ditadura acabou.  É lamentável, também, o projeto de lei da deputada Soraya Santos (PMDB-RJ) que prevê prisão de até seis anos para quem criticar políticos na internet. O povo na Ucrânia, enfurecido com políticos, reage de maneira visceral com o desrespeito, jogando parlamentares em caçambas de lixo. Se a moda pegar, haja caçambas!

 

TANIA TAVARES 

taniatma@hotmail.com 

São Paulo

*

ASSIM NÃO

A aprovação pelo Senado do direito de resposta seria recomendável, mas não como está redigido o texto, pois intimidará a imprensa e porá em risco a liberdade e a própria divulgação de fatos e atos relevantes em prol da moralidade e da transparência da gestão pública. A sanção deve vir com vetos para não tornar o direito de imprensa refém dos poderes econômico e político, sob pena de se cercear a democracia e violar nossa Constituição federal.

 

CARLOS HENRIQUE ABRÃO 

abraoc@uol.com.br 

São Paulo

*

CORTINAS DE FUMAÇA

Não é preciso ser vidente nem ter bola de cristal para prever polêmicas que entram em cena. Quando a coisa aperta, eles recorrem às gavetas para encaminhar pautas controversas que criem cortinas de fumaça em meio a votações. Tiro e queda, vêm porte de arma e, depois, aborto. Mais um pouco e vem a pena de morte. Se o aperto demorar muito, virão eutanásia e retirada de símbolos religiosos de espaços públicos. Desta vez, censura à imprensa foi substituída pelo direito subjetivo de resposta. E a gente vai levando.

JOSÉ ROBERTO SANT'ANA 

jrsantana10@gmail.com 

Rio Claro 

*

HONORÁVEIS, SINÔNIMO DE 'BANDIDOS'

Alguma novidade que o Senado federal, sob a batuta de Renan Calheiros (PMDB-AL), criador dos bois mais perfeitos e caros do planeta, aprovar Lei de Regulamentação de Direito de Resposta? Faz 13 anos que eles querem calar a imprensa, e por meio desta lei começaram a comer pelas bordas. Daremos graças a Deus se, até a sanção pela presidente Dilma, não houver alguns "contrabandos", como sempre fazem. De hoje em diante, o sinônimo de ladrão, para nós, brasileiros indignados, será "honorável fulano", "honorável beltrano". Ainda bem que os brasileiros são criativos.

BEATRIZ CAMPOS 

beatriz.campos@uol.com.br 

São Paulo

*

CENSURA

Ficou assim: não fale mal de um político, ele pode infernizar sua vida. Viva o controle da mídia!

LUIZ FRID 

luiz.frid@globomail.com 

São Paulo

*

ENXURRADA DE LAMA

Enquanto mata pobres trabalhadores em Mariana (MG), por descaso das autoridades incompetentes, a enxurrada de lama política que ocorre em Brasília fere a alma e o bolso dos brasileiros, pelas "pedaladas", os pactos para poupar políticos e seus parentes de investigações, os depósitos na Suíça que viraram "carne enlatada", etc. Até quando isso vai acontecer nesta terra sem líderes de caráter e honestos? Já desconfiamos de que as urnas eletrônicas fraudáveis não vão dar o troco. Muito mal para nosso país.

HÉLIO NOGUEIRA 

helio.nogueira@icloud.com 

São Paulo

*

TRAGÉDIA

Em Mariana (MG), a mineradora. Em Brasilia, a política. A mesma lama não é simples e mera coincidência.

A. FERNANDES 

standyball@hotmail.com

São Paulo

*

O BRASIL NO CAMINHO DA VENEZUELA

A cada dia que passa nós, cidadãos comuns deste país, ficamos indignados e revoltados com o noticiário nacional. Para ficar em apenas três exemplos, vejamos: primeiro, o ministro Jaques Wagner, com aquele sorriso irônico e sarcástico, debochando da população, entrega ao sr. Renan Calheiros - de histórico nada recomendado - a defesa da presidente para que o presidente do Senado "cuide" das "pedaladas" do governo Dilma Rousseff; segundo, a substituição da juíza Célia Regina, da Operação Zelotes, simplesmente porque expediu mandado de busca e apreensão na sede das empresas do filho do ex-presidente Lula, que continua julgando-se acima do bem e do mal; e, por último, o caso do sr. George Owen Prince, cidadão venezuelano, legalmente estabelecido no Brasil e trabalhando como executivo, que teve sua prisão decretada a pedido do déspota venezuelano Nicolás Maduro, prontamente atendido pelo ministro Edson Fachin, o último escolhido a dedo pela presidente Dilma para o Supremo Tribunal Federal (STF) e que certamente pactua com os mesmos princípios ideológicos do PT e sua turma. Isso enquanto abrigamos o sr. Cesare Battisti, assassino confesso (aliás, quem paga suas despesas aqui, no Brasil?). 

LUIZ ROBERTO SAVOLDELLI 

savoldelli@uol.com.br 

São Bernardo do Campo 

*

A DEFESA DE DILMA ROUSSEFF

Ridícula a cerimônia de entrega da defesa de Dilma Rousseff ao Senado. Não bastaria que o dossiê fosse entregue no protocolo do Senado e fim?

 

ROBERT HALLER 

robelisa1@terra.com.br 

São Paulo

*

AS 'PEDALADAS' DO GOVERNO

As conclusões dos tribunais de contas, órgãos auxiliares dos Poderes Legislativos, são de cunho eminentemente técnico, e é nesse terreno que elas devem ser discutidas. Não sendo assim, com relação a elas cabem apenas justificativas, que, estas, sim, ao contrário do afirmado pela deputada Rose de Freitas, só podem ser levadas em consideração na área política, jamais na área técnica. Daí que, se o Congresso acolher a conversa de enxugar gelo dos poderosos da hora e consagrar a opinião leiga dela e do ministro Jaques Wagner, seria o caso de fechar as portas do Tribunal de Contas da União (TCU). E entregar as chaves ao Palácio do Planalto.          

HOMERO VIANNA JR. 

homeroviannajr@hotmail.com 

Niterói (RJ)

*

TCU

Fica, aqui, uma sugestão aos ministros do TCU: caso as pedaladas da presidente Dilma sejam aprovadas pelo Congresso, depois de terem sido recusadas por essa corte, pendurem suas becas e o último que sair do tribunal apaga a luz.

  

OLAVO FORTES CAMPOS RODRIGUES 

olavo_terceiro@hotmail.com 

São Paulo

*

CORRESPONSÁVEL

Alguém pode me dizer por onde anda o ex-ministro da Fazenda sr. Guido Mantega, um dos maiores corresponsáveis pelas famigeradas pedaladas, enquanto vê o circo pegar fogo?

 

WALTER DIAS DE CARVALHO 

walterdc@uol.com.br 

Jundiaí

*

JOGATINA

Dilma Rousseff agora apela para a volta da jogatina no País. Objetivo: legalizando os jogos de azar, conseguirá recursos para cobrir os "buracos" deixados pela corrupção de seu desgoverno.

JÚLIO ROBERTO AYRES BRISOLA 

jrobrisola@uol.com.br

São Paulo                                                              

*

GOVERNO E CONTRATISTAS

Albert Sánchez Piñol, antropólogo de formação, escreveu um livro cujo título é "Victus - A Queda de Barcelona", da editora Alfaguara, que relata a queda de Barcelona no início do século 18, para os bourbonistas no reinado de Felipe V, neto de Luis XIV da França. O autor recria com um texto realmente envolvente o cerco de Barcelona em 1714. Num determinado trecho do livro, ele expõe o sistema utilizado à época nas construções: "(...) A imaginação humana é gratuita até o momento em que se depara com os contratistas. Construir defesas de uma cidade sai muito caro. Toneladas de material, milhares de pedreiros, carpinteiros e operários, dezenas de especialistas locais ou, mais frequentemente, estrangeiros, que recebem salários astronômicos. Os fornecedores surrupiam, saqueiam e defraudam as finanças do governo. As obras se dilatam no tempo, o orçamento se multiplica por três ou por quatro. E, uma vez iniciadas as obras, como suspendê-las? (...) O progresso das obras está à vista de todos e isto significa uma pressão enorme sobre os governantes. Estes acabam aceitando a corrupção. Os representantes fazem conluio com os técnicos; os primeiros entregam remessas inadequadas e os outros assinam o recibo em troca de uma 'comissão' ilícita (...)". Parece atual? Como são denominados hoje aqueles contratistas? Os governos de hoje são diferentes daqueles outros?

MAURO LACERDA DE ÁVILA 

lacerdaavila@uol.com.br 

São Paulo

*

AINDA TEM JEITO?

É de espantar a total irresponsabilidade com que as estatais, lotadas por funcionários apadrinhados pela situação, torram nosso dinheiro por causa da incompetência administrativa - isso quando a verba pública não alimenta contas dos velhacos de plantão. A notícia de que o Tribunal de Contas da União abriu investigação sobre o papel do Conselho de Administração da Petrobrás, então chefiado pela senhora Dilma Rousseff, na escandalosa drenagem de recursos e atraso nas obras das refinarias Premium I e II (inacabadas, paralisadas e sem perspectivas de término) é um alento aos que pagam essa farra. Segundo o balanço fiscal de 2014, a petrolífera teve um prejuízo de R$ 2,8 bilhões com as referidas obras (!). Até quando será aceitável prometerem faraônicos projetos por um preço inicial xis, com o tempo levado a 10 xis, atrasado e interminavelmente inacabado para favorecerem interesses escusos? A crise é de tal sorte que é de esperar uma reedição do caso das "pedaladas fiscais"': a infração é grave, mas, com a cooptação do Congresso, o processo é amenizado e esquecido. Cada vez que penso que a farra do lulopetismo foi descoberta, novamente me decepciono com a indiferença geral e o "jeitinho brasileiro" para resolver as coisas. Será que o País ainda tem jeito?

ELIAS MENEZES 

elias.natal@hotmail.com 

Nepomuceno (MG)

*

TRABALHO ÁRDUO

Pelo visto, o TCU não dará conta de analisar todos os prejuízos que Dilma e o PT estão dando ao País. Vimos em 4/11, no "Estadão", que a corte do tribunal analisará - de novo - a responsabilidade de Dilma em prejuízo de R$ 2,8 bilhões na Petrobrás, que ocorreu enquanto ela presidia o conselho da estatal. Dilma presidiu o conselho por oito anos, o prejuízo ocorreu durante sua gestão, mas o TCU ainda está verificando a sua responsabilidade? Mas não para aí: na coluna de Cláudio Humberto, lemos que o TCU apontou que nas fronteiras do País há uma sonegação fiscal em torno de R$ 100 bilhões aos cofres públicos, por causa do contrabando. Esse valor dobrou a "meta" do déficit previsto para 2016! Em suma, nossas fronteiras estão abertas para o que der e vier e entra quem quiser, já que, pela política do toma lá dá cá, implantada no Brasil pelo PT, o incompetente Aldo Rebelo é o ministro da Defesa, que deveria ter a atribuição de defender as nossas fronteiras, mas está neste posto só para defender os seus interesses e os do desgoverno ao qual ele é subserviente. E o que estamos sabendo é só a ponta do iceberg. Sabe-se lá quanta coisa oculta há ainda por descobrir, por mais que os corruPTos tentem barrar as investigações, interferindo no STJ, no STF, na Operação Zelotes e em tudo o mais que os condena! Então, que o sr. Joaquim Levy não fale mais em impostos "levyanos" e jamais mencione novamente a sigla CPMF! E que Lula & Cia. saibam que vamos usar todos os meios legais para frustrar o seu plano de poder eterno à nossa custa.

CARMELA TASSI CHAVES 

tassichaves@yahoo.com.br  

São Paulo

*

RESPONDENDO AO MINISTRO

 

Contrafeito com a resistência à recriação da CPMF, o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, sugeriu que a imprensa fizesse uma enquete nos seguintes termos: "Por que você não gosta da CPMF, é por que é transparente? Por que todo mundo paga, por que é fácil de recolher ou só por que é mais um imposto?".  Meu caro ministro, como diria o famigerado "Chico Picadinho", vamos por partes. A carga tributária brasileira, de 36% do PIB, já é excessivamente elevada para um emergente como o Brasil. Que país, em iguais condições, pratica uma carga dessas? A CPMF apenas agravará esse quadro e... para quê? Seria para tapar os "rombos" do desgoverno do PT? Seria para cobrir os desvios, os roubos, os projetos megalomaníacos e superfaturados deste desgoverno? Ou seria para compensar as desonerações criminosas feitas por Lula e Dilma aos chamados "campeões nacionais" - algumas sob investigação da Polícia Federal e do Ministério Público Federal (MPF)? O senhor tem razão, ninguém gosta de pagar tributos - acredito que nem o senhor -, mas a CPMF, dada sua cumulatividade, se infiltra por toda a cadeia produtiva de bens e serviços (efeito-cascata), onerando ainda mais os custos e tornando o País ainda menos competitivo. E, então, sua proposta redentora é agravar esse quadro? Não precisamos de mais impostos, e, sim, de mais honestidade nas ações do Poder Executivo. Não adianta dizer que a CPMF é transparente, se o governo que se propõe a arrecadá-la é opaco e suas ações estão sob o crivo da Polícia Federal e do MPF! Melhor faria o governo do PT, ao qual o senhor serve, se trabalhasse duro não para criar, recriar ou aumentar tributos, mas para diminuir o mastodôntico tamanho do Estado, que drena os recursos da Nação para, literalmente, nada! É o que todos esperamos, com todo o respeito.  Menos é mais, ministro.  

 

SILVIO NATAL

silvionatal49@gmail.com     

São Paulo

*

À EXUMAÇÃO

Na sexta-feira eu ouvia, numa emissora de rádio, parte da fala do ministro Joaquim Levy defendendo enfaticamente, e usando o Bolsa Família para isso, a exumação da famigerada CPMF. Balbuciante, como se estivesse tentando lembrar-se do que lhe foi mandado dizer. Parece-nos que nem mesmo ele acredita no que diz! E vamos à exumação, com foguetório dos incomuns abraçados numa reverência ao diabo. E o povo? Oras, que relaxe, goze e pague!

APARECIDA DILEIDE GAZIOLLA 

aparecidagaziolla@gmail.com 

São Caetano do Sul 

*

PETIÇÃO DE DIREITO

Sou contra a CPMF. Tenho o direito de me negar a pagar este imposto, apesar de estar representado pelos deputados no Congresso. No século 17, o rei da Inglaterra Charles inventou que todos deveriam pagar um imposto de somente 20 xelins. Naquele ano, 90% da população o pagou; dois anos depois, somente 20%. No nosso caso, o imposto a ser criado é para cobrir o rombo econômico do País e empregar na saúde pública. Ledo engano, o povo continuará sem assistência médica e a Previdência continuará com rombo insustentável. Temos o direito de usar a linguagem de petição de direito.

YOSHIO ASANUMA  

yasanuma2002@hotmail.com 

São Paulo

*

COBRANÇAS ILÍCITAS

 

Nas prateleiras dos supermercados, os preços dos produtos estão legíveis e, às vezes, até em destaque nas promoções, contudo, quando passamos pelo caixa, os preços são diferentes, sempre a cobrança tem valor muito maior, vai de centavos ate vários reais. Este ano procurei pelo Procon e fui bem-sucedido em vários casos, e recuperei quase R$ 70 de cobrança ilícita. Mas, infelizmente, as cobranças continuam, faço compras semanais em três supermercados, e em dois deles fui lesado novamente: o preço na prateleira na promoção de óleo de milho marcava R$ 3,98, mas no caixa eram R$ 4,98; e na oferta de bolinho de bacalhau, o preço de prateleira era de R$ 9,99, já no caixa foi de R$ 11,99. Enfim, muitos supermercados abdicaram dos empacotadores e das sacolas para compras, o que dificulta ou impossibilita os consumidores de conferir os preços naquele momento, além do que, memorizar o preço de todos os produtos é impossível. No caso das cobranças ilícitas, o dinheiro deveria ser devolvido multiplicado por dez, se não a ilegalidade no setor vai se perpetuar mesmo. 

 

ALEX TANNER 

alextanner.sss@hotmail.com 

Sumaré

 

*

PAC, PEC E O PIC?

Certo dia, em sessão do Supremo Tribunal Federal (STF), os brasileiros foram informados pelo então juiz presidente de que a Constituição de 1988 continha dispositivos não apreciados pelo poder constituinte. O informante fora o próprio relator da Constituição Cidadã, a fraudada. Certo dia de 2009, nas preliminares da campanha presidencial de 2010, os brasileiros souberam que o currículo apresentado por Dilma Rousseff era falso: a candidata de Lula não tinha, não tem pós-graduação de mestre nem de doutora em Ciências Econômicas pela Universidade de Campinas (Unicamp). Cursou Ciências Sociais. Certo dia, o então presidente Lula da Silva, por deliberado capricho, indicou o nome de um ex-advogado do PT para compor o STF. Não havia como ser aprovado no Senado nem tolerado no Supremo, a menos que lixo e letra da Constituição Federal fossem a mesma coisa. Eram. São, para Brasília, se assim for da conveniência do poder. Agora, sabemos que o filho caçula do ex-presidente Lula da Silva é corretor para compra e venda de medida provisória. Tradução: proteção jurisdicional paraguaia. Mais fraude no arcabouço jurídico do País. Nas presidências da Câmara federal e do Senado, o ar moral é irrespirável. Renan Calheiros e Eduardo Cunha personificam a visibilidade do delito amplo, irretocável. Brasília está a brincar com o desespero das massas iludidas pelas mentiras da campanha presidencial. E o faz com deboche. São tantas as patifarias no varal que há de se perguntar como este país chegou a tanto. Como um investidor sério pode aplicar seu capital em território onde as inseguranças física, econômica e jurídica dominam o cenário e o noticiário? De gigantesco e incompetente empregador, o Estado age como o grande infrator. Pouco se lhe dá o tamanho das pedaladas flagradas pelo TCU, em ano de eleição e grana para o maior projeto de compra de voto do mundo, o Bolsa Família.  O poder exala desvio de conduta. O País está em ruínas. A Pátria, de educadora, não tem nada. A julgar pelo mensalão e pelo petrolão, Brasília se esmerou em montar a pátria educadora de corruptos, a PEC, para a perenização no governo central dos ladrões do PT associados aos do PMDB e do PP. Lula proclamou Dilma a mãe do PAC, aparentemente para acelerar o crescimento da corrupção. A sensação é a de ter sido cuidada a Pátria Educadora de Corruptos (PEC). Em suma, a mãe do PAC nas teias da PEC. Senhoras e senhores, cuidado com... o PIC. 

JOSÉ MARIA LEAL PAES 

josemarialealpaes@gmail.com  

Belém

*

RENÚNCIA OU IMPEACHMENT

Produção caindo, inflação aumentando, salários defasados, desemprego aumentando, povo empobrecendo, País à beira da recessão, políticos e autoridades sem credibilidade, Justiça lenta e desacreditada, corrupção, impunidade, tudo isso por causa de um governo petista incompetente e sem moral, presidido por uma governante que ainda insiste em permanecer no poder. Já passou da hora de a presidente renunciar ou de o presidente da Câmara pedir a abertura do impeachment. Só assim haverá esperança de dias melhores.

JOSÉ WILSON DE LIMA COSTA 

jwlcosta@bol.com.br 

São Paulo

*

OS INTERESSES DO PAÍS

A mais importante lição que o ano de 2015 nos ensinou foi que a falta de rumo é o maior problema da nação brasileira. O País não pode se dar ao luxo de ficar parado, esperando questões pessoais dos governantes serem decididas. A presidente Dilma Rousseff precisa sair da zona de conforto e ir ao Congresso Nacional, trabalhar junto com os parlamentares, para aprovar projetos importantes para o Brasil neste momento. Questões importantes precisam ser discutidas e postas em prática, principalmente aquelas relacionadas aos cortes nos gastos do governo e captação de recursos para novos investimentos no Brasil. A presidente, os ministros, os senadores e deputados trabalham para o povo brasileiro e têm a obrigação de defender os seus interesses, acima de qualquer questão político-partidária que possa existir.

JOSÉ CARLOS SARAIVA DA COSTA 

jcsdc@uol.com.br 

Belo Horizonte 

*

CONVERSA PARA BOI DORMIR

Reunião para discutir a reforma pretendida pelo governo ainda não aconteceu. A extinção de 3 mil cargos comissionados não aconteceu. O corte de 20% nos gastos de custeio não aconteceu. O limite de gastos com passagens e estadia aos ministérios não aconteceu. Afinal, Dilma Rousseff também vai continuar não acontecendo?

JÚLIO ROBERTO AYRES BRISOLA 

jrobrisola@uol.com.br 

São Paulo

*

ESTAMOS CANSADOS

Estamos cansados de ver na mídia que brasileiros sofrem crimes de todos os tipos, cometidos por bandidos a qualquer hora do dia, em qualquer lugar. Justamente revoltadas, pessoas pintam suas camisetas com os rostos das vítimas covardemente atacadas e saem por aí impedindo o trânsito em grandes ruas, queimando ônibus, quebrando o patrimônio público e particular. Porém fecha os olhos quando um crime horrível está sendo cometido contra a Nação. O PT, o PMDB e outros partidos de aluguel se uniram, esquecendo-se de suas obrigações, para que o presidente da Câmara, a presidente da República e familiares de políticos já "mortos pela opinião pública" não sejam julgados, condenados e presos pelos crimes que cometeram. Infelizmente, até ministros os defendem, enquanto o Brasil, deitado em berço esplêndido, agoniza.  Quantos rostos terão de pintar os que sobrarem depois disso em suas camisetas? 200 milhões? 

WILSON MATIOTTA 

loluvies@gmail.com 

São Paulo

*

EXTREMA UNÇÃO

No andar da carruagem, só falta mesmo alguém em Brasília convocar algum cardeal para ministrar a extrema unção ao governo, que sucumbe como moribundo.

ARIOVALDO BATISTA 

arioba06@htotmail.com

São Bernardo do Campo

*

A SAÍDA PARA A CRISE

O Brasil caminha a passos largos para a maior crise de sua história, com possibilidade de danos irreparáveis para sua economia e credibilidade. Sua única saída, neste momento, é a renúncia ou o impeachment da presidente da República, levando consigo o que há de pior em termos de gerenciamento e governabilidade. Nunca antes na história deste país tivemos um governo tão incompetente e sem a menor moral para continuar comandando os destinos desta nação. A sua insistência em permanecer no cargo e a falta de atitude de nossos congressistas vão piorando, cada vez mais, a nossa já precária situação. A recuperação econômica e de credibilidade deste governo é irreversível. Será que os homens que escolhemos para nosso Congresso e a nossa Justiça maior ainda não se aperceberam disso? Estamos esperando o que para uma decisão rápida? Senhores patriotas de plantão, o Brasil precisa de ações urgentes, e não pode esperar mais fisiologismos, principalmente dos partidos aliados do governo. Ou decidimos rápido ou este país sucumbirá de vez. Chega de blindagens, senhores parlamentares. Honrem os votos que lhes foram dados.

ELIAS SKAF 

eskaf@hotmail.com 

São Paulo

*

INSUSTENTÁVEL

O Brasil vai ficar de tal maneira insustentável que o impeachment de Dilma será a toque de caixa, se não renunciar antes. 

EUGÊNIO JOSÉ ALATI 

eugeniojalati@gmail.com 

Campinas

*

PAÍS SEM FUTURO

O Brasil é um país que não deu certo, vivemos uma guerra civil há muitos anos, todos os Estados sofrem violência urbana em níveis inadmissíveis. Os governos que se vêm sucedendo estão mais preocupados em roubar o erário. Precisamos dar um basta nesta situação. Já cansou ver manifestações neste espaço cobrando resultados e nada muda. Provavelmente na hora em que políticos influentes começarem a sofrer a violência que o brasileiro comum vem sofrendo tenhamos esperança de mudanças.

JOSÉ ROBERTO IGLESIAS 

rzeiglesias@gmail.com 

São Paulo

*

JÁ AGUENTAMOS DEMAIS

Em todas as minhas sete décadas de vida, jamais vivenciei o Brasil numa situação política tão absurda, incluindo o período das ditaduras de Getúlio Vargas e a militar. Estou indignado e sinto vergonha dos governantes que, de uma maneira ou de outra, colocamos no comando do nosso país. Já nem se preocupam mais em disfarçar seus desmandos, virou um escracho geral. Enquanto a economia nacional piora dia após dia e a população vai se defrontando novamente com índices de inflação que nos remetem para um período anterior ao Plano Real, a presidente da República e o presidente da Câmara dos Deputados manobram para evitarem ser afastados dos seus cargos por sérias infrações à legislação vigente. A chefe do Executivo, por desobedecer à Lei de Responsabilidade Fiscal, pelo torpe motivo de garantir a sua reeleição. Aliás, a sua candidatura foi às alturas em matéria de mentiras, a ponto de o ex-presidente Lula ter declarado, recente e cinicamente: "Ganhamos as eleições com um discurso e, depois das eleições, tivemos que mudar o nosso discurso e fazer aquilo que nós dizíamos que não íamos fazer" - ou, para bom entendedor, cometemos um estelionato eleitoral.  Já o deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), acusado em delação premiada na Operação Lava Jato, foi acusado de um achaque de R$ 5 milhões e prestou depoimento na CPI da Petrobrás afirmando não ter conta no exterior. Foi pego na mentira ao ser desmentido, nada mais nada menos, pelo governo suíço, por ter conta naquele país em montante aproximado de R$ 5 milhões. Ambas as acusações têm provas robustas e incontestáveis, motivo pelo qual se utilizam das prerrogativas de seus cargos para prorrogarem a decisão final até ao limite das manobras de puros adiamentos. Eis assim uma situação inédita a meu ver, pois, enquanto procuram se salvar, os índices de desemprego vão batendo recordes mês a mês e o Brasil está, na prática, estagnado. Até o projeto de repatriamento de capitais, polêmico por si só, foi útil para o presidente da Câmara, que articulou alterações nele, propondo emendas que permitiriam a anistia àqueles provenientes de caixa dois e outros trambiques. A oposição teve embate árduo para que o absurdo não fosse aprovado. O mercado já prevê um PIB negativo para 2015 de -2,85% e para 2016 de -1%. Logo no início do governo Lula, vieram com a conversa mole de que fariam acordos com os demais partidos pela governabilidade, mas na realidade acabaram criando uma autêntica quadrilha para assaltar a sociedade. Ora, essa situação já passou dos limites e há muito teríamos de ter exigido a retirada destes verdadeiros malfeitores da vida pública, da mesma maneira que tiramos o então presidente Fernando Collor.

GILBERTO PACINI

benetazzos@bol.com.br 

São Paulo

*

GUINNESS

A dupla Dilma Rousseff e Eduardo Cunha é forte candidata para entrar no livro "Guinness" de recordes. A dúvida, no entanto, é saber em que categoria vão entrar: a dupla que mais males causou ao Brasil, a dupla que quebrou o Brasil em menos tempo ou a dupla mais mentirosa do País?

KAROLY J. GOMBERT 

kjgombert@gmail.com  

Vinhedo

*

DE ENLATADOS E COZIDOS

"Apressadinho come cru", diz o ditado. Talvez pelo conceito, Eduardo Cunha tenha demorado tanto para explicar que o dinheiro em sua conta na Suíça não vinha de certa coisa negra tragada das entranhas da terra, mas de certa carne cozida, enlatada para pessoas negras que merecem respeito, e não vilipêndios. E sabem quem vai enlatar o Cunha? O Lula! Ah!Ah!Ah!

 

CARLOS LEONAL IMENES 

leonelzucaimenes@gmail.com 

São Paulo

*

EDUARDO CUNHA QUER ME MATAR DE RIR

Ufa! Pelo tempo decorrido, esta explicação da exportação de carne enlatada deve ter desafiado a criatividade dos advogados e assessores de Eduardo Cunha. Mas, mesmo assim, ela não é tão boa, porque de qualquer maneira ele mentiu quando afirmou que não tinha contas bancárias no exterior. Como sempre, o maior aliado dessa versão vai ser o prazo de tempo até o julgamento no processo de quebra do decoro (se houver). Como todos os parlamentares têm os rabos presos, eles fazem fé na ignorância e no esquecimento do povo. De qualquer maneira, é hilário o fato de os brilhantes inventores da tal "exportação" terem procurado relacioná-la com a África, já que as propinas também teriam se originado nesse continente.

NESTOR RODRIGUES PEREIRA FILHO 

rodrigues-nestor@ig.com.br 

São Paulo 

*

OS NEGÓCIOS DO DEPUTADO CUNHA

O presidente da Câmara deveria saber que é proibido negociar carne, ainda que enlatada, de contribuintes brasileiros!

CELSO LUIZ BARBOZA 

ckbarboza@uol.com.br 

São Paulo

*

CARNE ENLATADA

Falta pouco para ver o Eduardo Cunha enlatado!

 

ROBERT HALLER  

robelisa1@terra.com.br 

São Paulo 

*

O INFORTÚNIO DOS DEPENDENTES DO AERUS

A Varig, precisando de dinheiro para seu caixa antes da falência, deixou de repassar a importância de R$ 2,5 bilhões para o Aerus (fundo de pensão dos funcionários da Varig e outros ligados à aviação em geral), que era a importância que manteria a futura aposentadoria de seus funcionários. Com o golpe dado para a falência da empresa, ficou o Aerus sem o dinheiro que o manteria e deixou na mão mais de 8 mil aposentados, seus dependentes, todos com mais de 75 anos, quando mais precisam, por causa da idade avançada, perdendo seus convênios médicos, sem nem poder comprar medicamentos, etc. Como existe um órgão do governo que deve fiscalizar esses fundos, e não o fez, o Aerus, junto com os Sindicatos dos Aeronautas e Aeroviários, depois de 9 anos na Justiça, ganhou a causa (mas praticamente não levamos, pois simplesmente não nos pagam - recebemos de setembro de 2014 a fevereiro de 2015). A partir daí, resolveram não nos pagar mais, estando todos com dificuldades, já tendo, desde o ano de 2006, falecido mais de 1.200 aposentados. Com esta carta, estou em protesto, junto com colegas de infortúnio. Durante 40 anos como comandante de aeronaves, voando pelo mundo, nunca ninguém morreu nos meus voos, mas agora querem matar este comandante.

DARCY ZVOLANEK 

zvolanek_dz@terra.com.br

São Paulo

*

A SÍRIA PEDE SOCORRO

A guerra intestina desenvolvida no Oriente Médio notadamente envolve a Síria e o Iraque. São incontáveis as vítimas das atrocidades do sanguinário Estado Islâmico, que age como se fosse a palmatória de Alá, praticando execuções que transcendem a barbárie, promovendo a desintegração de centenas de milhares de famílias que procuram a sobrevivência em balsas rudimentares - e grande parte encontra nelas a morte. Crianças, adultos e idosos deixaram seus lares fugindo das milícias do Estado Islâmico, e muitos foram ao encontro da morte no Mar Mediterrâneo. Não é equivocado dizer que o Estado Islâmico causou transformações no quadro demográfico da Europa. O foco desse conflito está na Síria, do presidente Bashar al-Assad. Estados Unidos e Arábia Saudita são favoráveis à saída de Assad do poder, o que estaria simplificado se a poderosa Rússia e o Irã dos aiatolás, agora com urânio enriquecido, não fossem seus aliados. Os Estados Unidos decidiram finalmente mandar soldados para aquela região. Mas só mandaram 50, com a missão de "treinar, assistir e monitorar os rebeldes moderados". O presidente Assad, guardadas as devidas proporções, está repetindo o êxodo provocado pelo faraó Ramsés II contra o povo judeu, conforme o livro do "Êxodo" ("Bíblia").

JAIR GOMES COELHO 

jairgcoelho@gmail.com 

Vassouras (RJ)

*

EMOTIVO

Não sei se é por causa da minha idade, mas hoje me sinto mais emotivo com certas fotos do conflito sírio estampadas nos jornais, diga-se, na primeira pagina, como manchete, de crianças e de mães que perdem seus filhos numa guerra de extremistas religiosos que se autodenominam Estado Islâmico. Dezenas de refugiados, inclusive crianças, morrem diariamente tentando fazer a viagem de fuga da guerra civil síria, pelo Mar Mediterrâneo, e não conseguem chegar ao destino. Onde se encontram as grandes potências do Primeiro Mundo, que não tomam uma providência, acabando com o sofrimento deste povo?

ARNALDO LUIZ DE OLIVEIRA FILHO 

arluolf@hotmail.com 

Itapeva

*

GUERRA NO BRASIL

Em 4,5 anos (desde março de 2011) morreram na guerra da Síria 240 mil pessoas, incluindo mulheres e crianças, segundo o Observatório de Direitos Humanos da Síria. Em Viena se reúnem as principais potências mundiais com o objetivo de acabar com essa tragédia. No Brasil, morrem por ano 52 mil pessoas em acidentes de veículos e 54 mil por assassinatos, ou seja, 106 mil pessoas por ano. Considerando o mesmo período, ou seja, 4,5 anos, morreram no Brasil, só em razão de acidentes de veículos e assassinatos, 477 mil pessoas, o equivalente a aproximadamente duas guerras na Síria. O que fazemos aqui? Nada! É uma tragédia transparente, que não sensibiliza a nós, cidadãos, nem aos Três Poderes da República. Povo afável, amigável, receptivo e alegre este povo brasileiro.

WALTER SANT'ANNA ZEBINDEN 

zebinden@terra.com.br  

Campinas

Mais conteúdo sobre:
Opinião

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.