Fórum dos leitores

LULOCUNHISMO

O Estado de S. Paulo

09 Novembro 2015 | 03h00

Pacto da morte

Lula, Eduardo Cunha e Renan Calheiros fizeram um pacto para acabar de enterrar a democracia no Brasil. Aliados dos presidentes da Câmara e do Senado atuaram nas CPIs que investigam o Carf e o BNDES para evitar a convocação dos ex-ministros Antônio Palocci, Erenice Guerra e Gilberto Carvalho e de Luís Cláudio Lula da Silva. O pacto foi selado logo após Lula pedir ao PT que poupasse e preservasse Cunha de críticas. Leitores, qual o melhor ditado popular para este caso: “o bom cabrito não berra”, “malandro não estrila” ou “nós, os ladrões, nos entendemos”?

ARNALDO DE ALMEIDA DOTOLI

arnaldodotoli@hotmail.com

São Paulo

*

Culpa no cartório

Infelizmente, os nossos representantes no Congresso Nacional, ao invés de representarem os interesses do povo, representam os interesses do governo e dos corruptos. Exemplo revoltante foi o de atuarem para evitar a convocação dos ex-ministros Palocci, Erenice e Carvalho e também do filho do Lula, para deporem nas CPIs do Carf e do BNDES. Acordão para impedir as investigações.

JOSÉ WILSON DE LIMA COSTA

jwlcosta@bol.com.br

São Paulo

*

Acórdão

O acordo com Cunha e Renan poupou Lula, seu filho e aliados nas CPIs. Mas será que eles vão conseguir escapar da Polícia Federal e do Ministério Público? Os milhões de brasileiros que não aguentam mais tanta roubalheira esperam que não.

CELSO NOBUO KAWANO JUNIOR

cn.kawano@gmail.com

Embu das Artes

*

Direito de defesa

Cunha e o ministro Jaques Wagner fazem, em suma, a mesma coisa em relação às respectivas provas contrárias (acerca de impeachment e cassação). É o que se faz no “país da política cara de pau” desde as primeiras versões de Lula sobre o mensalão. Não importa se sua “outra interpretação” da prova é absurda, o importante é inventar qualquer uma. E deixar esfriar. Dane-se a credibilidade do País. Depois querem ânimo empreendedor da população... Infelizmente, só o ânimo criminoso tem correspondido.

HAROLDO NADER

nader.haroldo@gmail.com

Valinhos

*

Novela e transparência

Hoje em dia o povo assiste, como se fosse uma novela, Jogo sem Regras, aos detalhes dos pactos entre Cunha, Lula e Dilma, esperando os próximos capítulos e, quiçá, o capítulo final. Tudo visível e transparente.

IVAN JELINEK KANTOR

jelinek.kantor@gmail.com

São José dos Campos

*

Trio parada dura

Cunha, Dilma e Lula estão fazendo o Judiciário, o Legislativo e outras instituições, bem como o povo brasileiro, de palhaços. Tem de ser dado um fim rápido e certeiro nesse trio antes que o Brasil quebre de vez.

VALDIR SAYEG

valdirsayeg@uol.com.br

São Paulo

*

Top 3 das mentiras

A defesa de Eduardo Cunha de que a origem dos recursos nas contas no exterior é da venda de carne processada e enlatada para a África é tão verossímil quanto a dos anões do Orçamento, a de que ganharam centenas de vezes na loteria. Melhor do que essas, apenas as de Lula e Dilma de que nunca souberam de nada.

ELY WEINSTEIN

elyw@terra.com.br

São Paulo

*

O injustiçado

Ainda há tempo para o deputado “mão boa” nos negócios explicar a seus pares por que deixou o lucrativo filão exportador que lhe rendeu, como diz, boa parte, se não toda a fortuna que tem depositada no exterior. Ainda jovem e sem expertise na área, Eduardo Cunha amealhou milhões de dólares exportando carne enlatada para a África, num tempo em que era incomum esse tipo de operação e as ditas vendas se restringiam a, no máximo, 5% da produção nacional, com a agravante de que o exportador, à época, nem receber em dólar podia. Com tudo contra, o hoje deputado da bancada evangélica se deu bem, multiplicando os dólares e demonstrando indiscutível capacidade de prosperar, rivalizando com a competência para os negócios exibida pelos filhos de Lula e até pelo próprio, cujas palestras são vendidas a R$ 13 mil por minuto. Não se veem a toda hora empresários bem-sucedidos como Cunha abandonarem a perspectiva de fazer grande fortuna em nome do sacerdócio na causa pública, na qual se vive de salário. É muita injustiça o que estão fazendo com ele.

SILVIO NATAL

silvionatal49@gmail.com

São Paulo

*

Expertise

Se a expertise econômica da família Silva também sucedesse com o Brasil, isto aqui seria um paraíso, com serviços básicos de Primeiro Mundo.

HUMBERTO SCHUWARTZ SOARES

hs-soares@uol.com.br

Vila Velha (ES)

*

Poderes rasteiros

Na mesma semana em que o ministro da Fazenda sugeriu uma pesquisa com questionamento capcioso à população sobre o que desagrada na recriação da CPMF; em que a CPI do Carf rejeitou por unanimidade a convocação do filho de Lula e dos ex-ministros Antônio Palocci, Gilberto Carvalho e Erenice Guerra; em que o PT enviou sua secretária de Relações Internacionais, Mônica Valente, mulher do mensaleiro preso Delúbio Soares, como representante a um evento sobre corrupção e transparência promovido no Rio pela Coordenação Socialista Latino-Americana; e em que a juíza federal que autorizou a busca e apreensão em empresa do filho de Lula foi afastada do caso; o ministro Dias Toffoli, que não se inibiu de julgar e absolver seu antigo chefe José Dirceu no julgamento do mensalão, escolheu a ministra Maria Thereza de Assis Moura, que anteriormente mandara arquivar o processo, para ser novamente a relatora da ação de cassação de mandato da presidente Dilma Rousseff, no Tribunal Superior Eleitoral. Assim, os sucessivos atos de escárnio à população brasileira levam à triste constatação de que os Poderes da República atingiram o mais rasteiro nível de homogeneidade entre seus membros atuais.

SERGIO SARAIVA RIDEL

sergiosridel@yahoo.com.br

São Paulo

*

Trama internacional

Se, na investigação sobre o ex-primeiro-ministro José Sócrates, em Portugal, for comprovada a participação de Lula, tal como Paulo Maluf, que não pode deixar o Brasil, ele não poderá viajar para o exterior, sob risco de ser preso pela Interpol.

ALVARO SALVI

alvarosalvi@hotmail.com

Santo André

*

O RETORNO

E o previsível aconteceu. A nova classe média, estandarte dos governos do PT, está voltando a ocupar os nichos D e E, de onde emergiram. A ascensão, baseada no estímulo ao consumo e na distribuição de crédito fácil, com o consequente aumento do endividamento, associado ao recrudescimento do desemprego e à volta da inflação que resultaram de políticas irresponsáveis e pragmáticas de gastos públicos, determinaram o retorno de milhares de famílias aos seus antigos padrões de vida e consumo. Apesar de alertados pelas forças conscientes da sociedade a respeito da ausência de ênfase nas carências básicas do País, como saúde pública, educação, obstinadamente mal classificada, segurança e criação de empregos, setores que, na verdade, nunca até hoje foram devidamente contemplados pelos últimos mandatos, por não possuírem chamariz de voto, os cardeais do Planalto preferiram insistir no imediatismo do poder e na corrupção política, negligenciando metas que poderiam melhorar a vida das classes afetadas e de suas futuras gerações. Mas isso, como se sabe, é coisa de estadista e, nesse aspecto, os controladores, há mais de uma década, dos destinos do Brasil exibiram visão curta e nunca se caracterizaram pelo espírito público necessário.

PAULO ROBERTO GOTAÇ 

prgotac@Hotmail.com

Rio de Janeiro

*

A 'BÍBLIA' DO PT

A 'Bíblia' reinterpretada pelo PT reza que "da classe C viestes, para a classe C retornarás", antes de virar pó novamente.

ELY WEINSTEIN 

elyw@terra.com.br 

São Paulo

*

FICTÍCIA ASCENSÃO

A família cuja renda mensal é inferior a R$ 1.957,00 pertence às classes D e E. Quando a renda está entre R$ 1.958,00 e R$ 4.720,00, a família pertence à classe C. 3,1 milhões de famílias da classe C devem cair para as classes D e E nos próximos dois anos. O aumento do consumo que ocorreu entre 2006 e 2012 não se sustentou nos últimos três anos e 10 milhões de brasileiros ficarão sem plano de saúde, ensino superior e carro zero. Portanto, a fictícia ascensão de classe, amplamente divulgada na imprensa pelos governantes, não passou de mais um engodo dos políticos brasileiros. 

JOSÉ CARLOS SARAIVA DA COSTA 

jcsdc@uol.com.br 

Belo Horizonte 

*

SUSTENTO

O Bolsa Família se transforma a passos largos num Bolsa Famélia.

ARY NISENBAUM 

aryn@uol.com.br 

São Paulo

*

INFLAÇÃO DO QUÊ?

A projeção para a inflação no Brasil teve sétima alta seguida e se aproxima dos 10% em 2015, conforme relatório de mercado "Focus", do Banco Central. Devem estar fora de "foco" ou quem paga as despesas rotineiras do dia a dia deles deve ser o desgoverno ou terceiros. Daí a pergunta: inflação do quê? A maior parte da população que faz as suas compras semanais, quinzenais ou mensais, se cada vez levar em reais o mesmo valor, não consegue comprar os mesmos produtos. É só fazer o teste. Os alimentos estão incluídos para o cálculo da inflação? Não parece. Na prática, é no mínimo o dobro dos 10%. Como a crise econômica corrói os salários dos que ainda estão empregados, outros artigos do vestuário dos cidadãos - roupas e calçados nem dá para comprar - provavelmente estejam em baixa. Na atual conjuntura, o povo quer matar a fome, o resto é o resto e fica para depois. Remédios e saúde, nem pensar... Por isso não concordo com a projeção feita para 10%, já deve ter passado dos 20%. A maneira de calcular a inflação deve ser revista para a terrível situação que o brasileiro está vivendo no momento. Esperamos por uma reviravolta política para, pelo menos, melhorar o emocional do povo brasileiro, com a renúncia ou o impeachment da "presidenta incompetenta". Dona Dilma, o seu desgoverno é um descalabro, uma desgraça mentirosa!

 

FERNANDO SILVA 

lfd.dasilva@uol.com.br

São Paulo

*

PIADA DE MAU GOSTO

Decididamente, este país não é sério! Ler no "Estadão" (5/11, B5) que a Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) reconhece que "as expectativas para a inflação em 2016 estão começando a convergir para a meta de 4,5%" é uma piada de mau gosto. O bom senso no Brasil parece não existir.

LAERT PINTO BARBOSA 

laert_barbosa@globo.com

São Paulo

*

MERCADO CASTIGADO

O remédio para recuperar e livrar a nossa recessiva economia dos graves equívocos que Dilma cometeu está nas mãos da classe política. Enquanto não se veem no horizonte entendimentos para um impeachment ou renúncia da presidente, ou até a formação de um governo de coalizão com uma agenda séria e bem definida para grandes reformas estruturais, o mercado continuará castigado ou como está, abandonado. Os números negativos surgem sem piedade confirmando essa triste realidade. No relatório semanal "Focus", divulgado pelo Banco Central, as sombrias previsões apontam para um PIB negativo de 3,05% e inflação de 9,91% para 2015. E, para 2016, um PIB com queda de 1,51% e inflação de 6,29%. Mas muitos analistas já acreditam que o PIB deste ano pode sofrer uma queda maior, como de 3,5%, e no próximo ano acima de 2%. Nesse sentido, não dá para se iludir com o superávit da balança comercial apresentado em outubro, de US$ 1,996 bilhão, e no acumulado do ano de US$ 12,244 bilhões. Isso porque esses números somente chegaram a esse patamar graças à forte queda das importações. Ou seja, a nossa economia está doente porque temos uma classe política medíocre.

PAULO PANOSSIAN 

paulopanossian@hotmail.coam

São Carlos

*

PROMESSA CUMPRIDA!

 

As redes sociais estão cheias de pilhérias sobre um discurso em que Dilma Rousseff prometia deixar a meta em aberto e, depois de atingi-la, "dobrá-la". Nada mais injusto com a "presidenta". Todos sabemos que aquela história de entregar um resultado positivo de R$ 66,3 bilhões (1,1% do PIB) nunca passou de chute - todos sabiam que a "meta" real sempre esteve em aberto (inclusive ao fim de  2014 o Congresso Nacional chegou a retirar a palavra "meta" do texto da lei orçamentária, substituindo-a por "resultado", o que dá a dimensão da folgada "abertura"  com que o governo trabalha nesse front). Em 27 de outubro este mesmo jornal apontava que, deveras, ao invés da "meta em aberto" inicialmente proposta haveria, isto sim, um rombo nas contas do governo da ordem de R$ 51,8 bilhões.  Nem uma semana se passou e já se dá como certo um rombo muito maior: de R$ 118 bilhões (-2,05% do PIB)! Logo, Dilma mais que triplicou a meta - e em tempo recorde. Promessa cumprida!

 

SILVIO NATAL 

silvionatal49@gmail.com 

São Paulo

*

REDUÇÃO NO CONSUMO DE ENERGIA

Consumo de energia tem a maior queda em dez anos. Em contrapartida, fomos ludibriados, presenteados e beneficiados pelo governo com alta brutal nas suas tarifas este ano, em torno de 50%. Ou seja, mais um perfeito golpe de vigário aplicado na população por este petelulismo corrupto e sujo. Conclusão: consumimos menos, porém pagamos quase o dobro do que se pagava. Vergonhoso.

ANGELO TONELLI 

angelotonelli@yahoo.com.br  

São Paulo

*

O BRASIL SEM RUMO

O Brasil está sendo pessimamente administrado. Perdemos a oportunidade de explorar o petróleo do pré-sal por causa da teimosia cega do ex-presidente Lula. O País esta até hoje tentando construir o estaleiro que iria construir os navios, tentando construir as sondas, tentando construir as plataformas, tudo enterrado até a orelha no mar de corrupção. Se o País tivesse alugado, terceirizado tudo, já estaria explorando o pré-sal há anos, mas a teimosia cega continua. O Brasil vai demorar tanto para explorar o pré-sal que, quando finalmente conseguir, o petróleo terá deixado de ser importante, será apenas uma matéria-prima barata para a indústria química. O mundo todo está investindo e desenvolvendo novas fontes de energia, os carros deixarão de usar gasolina em uma ou duas décadas, no máximo. O único vislumbre de inteligência brasileira nesse campo foi a criação dos carros movidos a álcool, o biodiesel, tudo jogado no lixo por este governo corrupto, incompetente e burro. O Brasil continua tentando superfaturar a usina nuclear de Angra 3, enquanto o mundo todo está investindo com sucesso em fontes renováveis e limpas de energia. Dá dó de ver o triunfo absoluto das nulidades corruptas, incompetentes e burras que destruíram o futuro do País em troca de uma ideologia comunista tosca que fracassou e foi jogada fora há décadas no mundo todo.  

MÁRIO BARILLA FILHO 

mariobarila@yahoo.com.br 

São Paulo

*

O PT QUER ACABAR COM A LAVOURA

Para o pequeno e médio agricultor, a continuar a política deste governo do PT, dentro em breve estarão falidos. Hoje a operação de um trator pequeno não fica por menos de R$ 1.500,00 por semana. Os insumos estão com um preço proibitivo. Para tratar o gado, a ração custa R$ 1.200,00 a saca. Na hora de vender, para estes agricultores, os preços mal dão para pagar a safra, e, no caso do leite, os laticínios pagam R$ 0,70 o litro. Ao PT só interessam os quilombolas, que nem descendentes de escravos são, pois a maioria dos negros veio depois de 1888, e muito menos são quilombolas. Só produzem para o próprio consumo. Os índios nada produzem e custam muito para o contribuinte. A Funai financia viagens de avião para quando os índios querem frequentar os prostíbulos das cidades grandes, por exemplo (conheci um piloto que deixou a profissão por causa disso). E, finalmente, ao PT interessam os do MST, que sublocam as áreas que lhes são concedidas e voltam para o acampamento, onde recebem alimentos e bebidas pagos pelo contribuinte. O governo suspendeu o financiamento agrícola com taxas de juros baixas, isentos de impostos e com prazos longos para pagar. O óleo diesel deixou de ser subsidiado - antes do PT, o litro de óleo diesel custava para os caminhoneiros, ônibus e agricultores R$ 1,00 o litro, e o governo arcava com a diferença de custos.

RONALD MARTINS DA CUNHA 

ronaldcunha@hotmail.com 

São Paulo

*

EMPRESARIADO BRASILEIRO

A situação atual do Brasil, com crise econômica, política e moral, mostra um outro lado de nossa sociedade: a ausência de líderes empresariais que busquem o senso comum e a união da categoria e mesmo uma "bronca" nos governantes para a mudança urgente do quadro. O que fica de lição, por ora, é que nosso empresariado só tem competência quando tudo vai bem ou suas empresas só conseguem sucesso na base da corrupção.

 

ANDRÉ COUTINHO 

arcouti@uol.com.br 

Campinas

*

ÚLTIMOS CAPÍTULOS

Últimos capítulos do governo Dilma: rebaixamento da nota do País pelas agências de risco e saída de Joaquim Levy.

EUGÊNIO JOSÉ ALATI 

eugeniojalati@gmail.com

Campinas 

*

O FIO DA MEADA

 

A Polícia de Portugal, em cooperação com o Ministério Público brasileiro, está investigando a negociação entre as telefônicas Oi e Portugal Telecom envolvendo pessoas próximas ao ex-presidente Lula. Talvez seja um bom momento para desvendar de vez uma dúvida mal esclarecida. Numa viagem de Rosemary Noronha com Lula, Rosemary depositou € 25 milhões no Banco Espírito Santo (BES), na Cidade do Porto, em Portugal. Consta que, devido ao elevado valor, para transportá-lo do Aeroporto Internacional Francisco Sá Carneiro até o BES, foi preciso contratar um carro forte. Tudo registrado, conforme manda a legislação lusa - assim fica fácil seguir o fio da meada e desvendar o mistério que paira até hoje. Em nome de quem foram depositados os R$ 112,5 milhões (€ 25 milhões x R$ 4,50) e se foi, em conformidade com a legislação, comunicado à Receita brasileira.

HUMBERTO SCHUWARTZ SOARES 

hs-soares@uol.com.br 

Vila Velha (ES)

*

REPATRIAÇÃO DE RECURSOS

O Ministério Público Federal (MPF) envia ao Congresso Nacional nota técnica contra projeto de repatriação de recursos no exterior. O órgão entende que a proposta legislativa vai na contramão dos anseios da sociedade e das medidas contra a corrupção, conforme nota do "Estadão". Aqui vale uma pergunta: o MPF não entende que o que estão fazendo com o povo e a Nação não vai na contramão dos anseios da sociedade? Ou a proposta não vale para os que continuam no poder, fazendo o que sempre fizeram desde Dom João VI, isto é, metendo a mão nos cofres públicos? O projeto, no entanto, visa simplesmente a regularizar esse dinheiro que está fora sem a garantia de que ele seja trazido de volta ao Brasil, completa nota do "Estadão". Quanta hipocrisia!

  

TANAY JIM BACELLAR 

tanay.jim@gmail.com 

São Caetano do Sul 

*

CALENDAS GREGAS

Esta gente que enviou dinheiro para fora do País de maneira fraudulenta e ilegal pode ter todos os defeitos inerentes ao antipatriótico ato. Mas não são burros. Como, então, irão repatriar esse "rico dinheirinho" que está lá fora pacificamente escondido, rendendo em moeda forte e não sujeito a multas e tributos brasileiros? Sabendo, ainda, que este governo mostrou que, nos atos que pratica, não segue seu próprio discurso de promessas. Isso segundo o próprio "ex-presidente", ora com funções de primeiro-ministro, já admitiu. E que pode, portanto, com uma "canetada" ou "pedalada", tomar posse desse dinheiro. Ou então, na melhor das hipóteses, gastá-lo em novos programas demagógicos e populistas, frustrando, assim, nossa esperança de empregá-lo na reorganização fiscal do País. Em casos semelhantes, ocorridos em outros países, mesmo sérios, a receita advinda desses projetos tem sido frustrante. Aqui, será pífia. Portanto, devem ser esperadas as calendas gregas para, só então, ser aprovado o Projeto de Lei 2.960/15.

JOSÉ ETULEY BARBOSA GONÇALVES 

etuley@uol.com.br

Ribeirão Preto

*

REPATRIAÇÃO

Por acaso alguém ainda tem dúvidas de que todo o dinheiro repatriado, caso a lei da repatriação seja aprovada, é ou foi fruto de roubo, propina, tráfico de drogas ou lavagem de dinheiro? Pois bem, se político eu fosse e detivesse algum poder, faria de tudo para aprovar a lei da repatriação e, após ter conseguido tal façanha, destinaria 100% de todo o dinheiro repatriado para os cofres públicos, e não daria nem um tostão furado a nenhum calhorda que tenha dinheiro fora do Brasil sem procedência lícita. Estou certo ou estou errado? Ajudem-me aí!

ARNALDO DE ALMEIDA DOTOLI 

arnaldodotoli@hotmail.com

São Paulo

*

XADREZ POLÍTICO

A cassação do deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), presidente da Câmara dos Deputados, faz parte de um "jogo de xadrez político" dos mais intrincados. Cunha é acusado de mentir e está sujeito a ser cassado por isso. No entanto, tem o poder de iniciar o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff. Dilma não tem apoio popular, pois, segundo as pesquisas, está com apenas um dígito porcentual, entretanto, Cunha tem apoio de grande parte de seus pares e conta com a leniência da oposição. Segundo suas atitudes, percebe-se sua sagacidade em trabalhar com o fator tempo, além de expressar-se com mais clareza que a presidente Dilma. O início de seu processo de cassação poderá "cutucar a onça com vara curta" e pode haver uma ação de Cunha para se iniciar também o processo de impeachment.

 

MÁRIO NEGRÃO BORGONOVI 

marionegrao.borgonovi@gmail.com 

Rio de Janeiro

*

MANETAS

Eduardo Cunha, agarrado ao cargo tal qual um casal apaixonado, parafraseia Jesus e diz em alto e bom som: "Quem não for pecador (neste caso, em particular, ladrão e/ou desonesto) que atire a primeira pedra". Eis, então, que se viu diante de 512 manetas.

PAULO H. COIMBRA DE OLIVEIRA 

ph.coimbraoliveira@gmail.com 

Rio de Janeiro

*

UNIVERSOS PARALELOS  

É tão inverossímil o País dirigido por Dilma, Renan e Cunha que só pode ser que fomos transferidos para um universo paralelo virtual.

MILAN TRSIC 

cra612@gmail.com 

Ribeirão Preto

*

EFEITO CUNHA

Se Eduardo Cunha não perder o mandato nem responder por seus crimes, vamos ter de soltar todos os ladrões das cadeias brasileiras.

 

SERGIO DIAMANTY LOBO 

diamanty18@gmail.com

São Paulo

*

RISCO

Um regimento interno do Congresso Nacional que admite a permanência de um presidente da Câmara acusado de crimes gravíssimos é um sintoma de fragilidade legal que põe em risco todas as nossas instituições e a democracia como um todo. E ninguém fala nada...

MARA MONTEZUMA ASSAF 

montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

*

FALTA DE SIMANCOL

Os congressistas em Brasília, aproveitando o bom momento (ops) em que se encontra a economia e a política nacional (é evidente que estão usando um binóculo ao contrário), decidiram pela construção de um novo prédio para abrigar as duas Casas congressuais. O custo dessa monumental obra está orçado em R$ 400 milhões. Mais a praga brasileira dos aditivos, pode chegar a R$1 bilhão. E pensar que estão lá por obra e graça de nós, eleitores...

JAIR GOMES COELHO 

jairgcoelho@gmail.com 

Vassouras (RJ)

*

ACORDO ESPÚRIO

Luiz Inácio, o sr. "nunca antes na história deste país", inova mais uma vez, ao fazer um acordo espúrio com o que há de mais baixo e sórdido do nosso glorioso Congresso Nacional. Aliás, não precisa muito para achar tanta putrefação. O tal ex-presidente, que ainda ameaça dizendo que pode ser candidatar de novo em 2018 (vejam que cara de pau), blindou a si e a sua família da Silva (Corleone?) de qualquer convocação em CPIs para explicar a origem dos "módicos" milhões que eles movimentaram recentemente no Brasil. Aliás, eita família batuta! É um tal de dar palestra, consultoria, tráfico de influência, ops, engano meu... Enquanto isso, o povo, que alguém dizia que queria tirar da m..., vê a sua conta de luz majorada em 100%, está vendo o emprego ir embora e a marolinha virou a avalanche, tal qual na tragédia de Minas Gerais. Não duvido que haja petista pensando em instaurar uma CPI para investigar a participação de Aécio Neves na aprovação das operações da mineradora em questão. Este é o jeitinho petralha de dizer: aos inimigos, a lei; aos amigos...

RENATO AMARAL CAMARGO 

natuscamargo@yahoo.com.br 

São Paulo

*

FUGA DAS CPIS

"Lula faz pacto para poupar de CPIs filho e ex-ministros." Eis Lula, o pai da corrupção, em toda a sua glória. É impressionante a capacidade que este senhor tem de corromper, seja lá o que ou quem for. Lula é nefasto!

M.CRISTINA ROCHA AZEVEDO 

crisrochazevedo@hotmail.com   

Florianópolis

*

NOTA FISCAL PAULISTA

Consta que a Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo é a maior beneficiária da Nota Fiscal Paulista, ou seja, do ICM relativo às notas fiscais emitidas, e que o consumidor não manda colocar seu CPF na mesma. Consta, também, que no ano de 2014 ela recebeu a quantia de R$ 11.248.270,00. Aí está uma solução para minorar os problemas: uma campanha para que o contribuinte doe à Santa Casa os créditos da Nota Fiscal Paulista, informando como fazer expressamente essa doação.

PEDRO LUÍS DE CAMPOS VERGUEIRO

pedroluisvergueiro@gmail.com

São Paulo

*

SIMPLES DOS DOMÉSTICOS

O governo decidiu adiar até o dia 30/11 o pagamento da guia do e-Social. Eu consegui gerar e imprimir a guia. Tem algumas falhas. Uma delas é não mencionar o nome do(s) empregado(s). Deveria haver um campo com o(s) nome(s). O outro é que, quando a guia é emitida, espera-se que apareça na tela do monitor e você proceda à impressão ou até salve em algum diretório. Mas o que aparece é uma informação para você ir à sua pasta Download e ver a guia. Ora, nem todos estão familiarizados com a informática. Por que não exibem a guia no monitor e o usuário faz o que quiser? Não seria mais simples? E, por fim, a guia não permite agendamento, que facilita a vida do contribuinte. Não sei por qual razão.

PANAYOTIS POULIS 

ppoulis46@gmail.com 

Rio de Janeiro

*

SÓ FALTA ÔNIBUS VOAR

Editorial do "Estadão" (5/11, A3) intitulado "E Tatto caiu na galhofa" denuncia que o prefeito Fernando Haddad (PT-SP) e seu real escudeiro o secretário municipal dos Transportes, Jilmar Tatto, para desafogar os ônibus dos congestionamentos da capital, tiveram a ideia luminosa de colocar "batedores" para dar passagem a eles entre os carros, como fazem as ambulâncias. Num exercício de imaginação, só para começar, de quantos batedores São Paulo precisaria para essa empreitada? Mas poderia ser pior. Poderiam copiar os livros de ficção de uma renomada escritora americana que conta que, em 2059, num engarrafamento, os carros providos a propulsão voam acima do trânsito. E ainda faltam 13 meses para o fim do mandato de Haddad, porque, mais um mandato, e os ônibus estarão voando!

BEATRIZ CAMPOS 

beatriz.campos@uol.com.br 

São Paulo

*

POBRE CIDADE

Sou um paulistano feliz por ter nascido aqui, mas triste por ver o que está acontecendo com nossa cidade hoje. Lembro-me de quando era recém-casado, saía como minha esposa à noite para jantar, ir aos cinemas e teatros ou apenas passear pelo Centro. Porém, hoje isso é impossível, andar no Centro à noite (mesmo de dia) é uma temeridade, as ruas são mal iluminadas, marreteiros, bandidos, prostitutas, drogados e sem-teto tomam conta de quase todo o Centro. Usam as calçadas como motel ou banheiro público. Este prefeito petista deve ser de outro planeta. Com mania de ditador, ele é incapaz de ver que a cidade está se deteriorando. Determina sem nenhum critério o que deve ser feito e acaba sempre fazendo o pior para a cidade. Conceder 40 anos de direitos para a exploração do transporte público por ônibus é uma loucura. Isso é vender nossa cidade para grupos (que com certeza já têm nome) que nem têm ideia do que acontecerá amanhã com o transporte público no mundo. Pobre cidade!   

WILSON MATIOTTA 

loluvies@gmail.com 

São Paulo

*

LOTAÇÃO

Hiperlotar ônibus superlotados, como pretende a licitação para novos ônibus em São Paulo, é fácil; difícil é colocar um pouco de vergonha na cara.

A.FERNANDES 

standyball@hotmail.com 

São Paulo

*

MUDANÇA NA 9 DE JULHO

A população está indignada! Como pode um representante do povo impor alterações e desvios absurdos como este no Centro? Deixou as duas pistas do viaduto somente para ônibus, ou, melhor, "sem ônibus", pois nada melhorou no transporte coletivo, e todos os outros veículos como sardinhas enlatadas, espremidos na Avenida 9 de Julho, do Centro para o bairro, sob o viaduto. Como viver numa cidade assim?  

ARI RAMOS 

ari1@mail.stance.com.br 

São Paulo

*

PROMESSA É DÍVIDA

O prefeito Fernando Haddad eliminou a fiscalização dos veículos poluidores e prometeu criar um sistema melhor. Isso faz três anos, mas, até agora, nada. No fim de semana, cruzei com três veículos expelindo tanta fumaça tão preta que pareciam as locomotivas antigas (Maria-Fumaça). Promessa é dívida, sr. prefeito.

RENZO ORLANDO 

renzoorlando@uol.com.br 

São Paulo

*

ESTRATÉGIA

O prefeito Haddad acha que, "quebrando a perna" da classe média e alta, os pobres andarão melhor.

SERGIO BRUSCHINI

bruschini0207@gmail.com  

São Paulo

*

INDÚSTRIA DE MULTAS

Decididamente, a indústria de multas está sendo implantado no Brasil! Lógico que a velocidade deve ser controlada, mas com critérios. Já não bastam os absurdos de Fernando Haddad em nossa cidade (como aceitar um via expressa limitada a 50 km/h?). Na Fernão Dias, ao entrarmos em Minas Gerais, encontramos, sem um mínimo de critério, placas alterando a velocidade entre 80 km/h e 110 km/h, somos pegos de surpresa frequentemente e, para piorar, chega a ser revoltante nos mantermos dentro dos limites em nossos automóveis e sermos ultrapassados por carretas que, conhecendo o trecho, nos ultrapassam continuamente, logicamente acima do limite permitido. Senti-me um idiota por vezes. Uma verdadeira amostra da falta de bom senso.

LAERT PINTO BARBOSA 

laert_barbosa@globo.com

São Paulo

*

FAVELA EM FORMAÇÃO

Moro há bastante tempo na Avenida Alcântara Machado e, de uns tempos até agora, está se formando na calçada do lado que vai para a cidade um amontoado de tendas sujas, onde vivem cada vez mais pessoas na maior imundície. Será que não há nenhuma autoridade para ajudar essa gente toda?

AGOSTINHO LOCCI 

legustan@gmail.com 

São Paulo 

*

A VEZ DOS MORTOS

Nosso imaginativo prefeito Haddad, não satisfeito em infernizar a vida da cidade com inúteis mudanças, agora se preocupa com os mortos! Pretende demolir os muros dos cemitérios e colocar grades no lugar.  Nossos cemitérios ocupam grandes áreas. O trabalho seria demorado, muito poluído e desastroso. As grades teriam um custo muito elevado, sem nenhum benefício. Agora, os mortos e os vivos ficarão contentes se estes lugares estiverem limpos, tratados e livres de vândalos que os destroem! 

MARIA LUIZA TRAVASSOS 

mlthelou@hotmail.com  

São Paulo

*

SAMPAPREV

O prefeito Fernando Haddad pretende, com um novo projeto de lei, estabelecer um valor máximo para pagamento de aposentadorias aos servidores públicos municipais e criar um plano de previdência privada para o funcionalismo, e, para tanto, quer criar uma empresa pública, a Sampaprev, nome, aliás baseado em gíria popular. A justificativa da reforma é preservar as contas públicas, alegando um déficit na previdência, que para complementar o pagamento dos aposentados vai crescer em média R$ 358 milhões ao ano. Os servidores terão um teto de pagamento igual ao da iniciativa privada, que é atualmente de R$ 4,6 mil, mas o que não é explicado é que os servidores da Prefeitura são regidos pela Lei n.° 13.303/2002, que estabelece que os reajustes só serão concedidos se não ultrapassarem o limite de 40% das receitas correntes, o menor dos que são adotados no País. A lei, contudo, não é clara ao elencar as despesas que entrarão no cálculo do reajuste. Os servidores que se aposentam continuam recebendo pelas unidades onde estavam e continuarão lotados, na categoria de inativos. Portanto, seus vencimentos continuam onerando a folha da administração direta. O Iprem é responsável apenas pelo pagamento das pensões dos seus dependentes, no limite de 70% dos vencimentos dos servidores falecidos. Desde o advento da supracitada lei, os servidores municipais vêm tendo um reajuste anual de 0,01%, decorrente desse método de cálculo. A administração vem incluindo no cálculo as despesas com unidades da administração indiretas e outras, como por exemplo, os servidores da Câmara Municipal e do Tribunal de Contas do Município, que são reajustados por índices decididos pela Mesa da Câmara. Isso explica os reajustes ridículos para os servidores da administração direta. Essa prática é constatada em qualquer um dos decretos municipais que tratam dos reajustes dos servidores, como, por exemplo, o Decreto n.° 55.765/2014, o que é, inclusive, inconstitucional. Ora, com tal sistemática, é estranho que a Prefeitura venha tendo prejuízos enormes com a previdência municipal. Os atuais servidores terão de aderir à nova lei apesar de o projeto afirmar que a adesão à previdência complementar é facultativa, na prática isso não ocorrerá, pois eles continuarão a ter seu poder aquisitivo diminuído ano após ano. Esses dados apresentados pela Prefeitura precisam ser mais bem explicitados e justificados pelo prefeito. Ademais, existe uma diferença acentuada entre os funcionários das empresas privadas e os servidores públicos, e equipará-los aos celetistas não tem sentido, tanto que por isso é que a Constituição trata as duas categorias diferentemente. É evidente que o objetivo principal do prefeito, além de achatar ainda mais os vencimentos dos servidores, é criar cargos e uma nova empresa municipal, aliás uma característica das administrações petistas, a exemplo do governo federal com os seus ministérios.

GILBERTO PACINI 

benetazzos@bol.com.br 

São Paulo

*

FALSA DEMOCRACIA

Sai governo, entra governo e as práticas são as mesmas. Os sindicatos são redutos de interesses particulares e são extremamente corporativistas. Especificamente no caso da Prefeitura de São Paulo, os barnabés (os mais baixos salários) esperam uma mudança salarial para dar os reajustes anuais (não é aumento de salários) há muitos anos. Depois de 1964, produziu-se um poder de falsa democracia, em que governo e sindicatos se locupletam, ora fazendo acordos, ora fazendo de conta que estão conflitando. Nada melhor do que lembrar Shakespeare: "o poder  corrompe.

VICENTRE CANDON SAVARESE 

vicente.savarese@gmail.com  

São Paulo

*

O SIMPLES DOS DOMÉSTICOS

A incompetência deste governo do PT é tamanha que, em vista da dificuldade em emitir a guia de pagamento do e-Social, foi mais fácil demitir a empregada. Viva o Brasil gigante nas mãos destes incompetentes, retrógrados e ultrapassados!

URIAS BORRASCA 

urias@mercosulrefratarios.com.br 

Sertãozinho

*

PEDÁGIO EM RODOVIAS

A pesquisa CNT, comentada no caderno "Economia" de 5/11, confirma mais uma vez a eficácia do pedágio e da administração privada como formas de ampliar, melhorar e operar rodovias, bem como a relação entre qualidade e valor da tarifa. Em São Paulo as tarifas são maiores, mas a qualidade é muito superior. É preciso vencer a resistência ideológica e o medo de perder votos para termos uma rede rodoviária maior e melhor no País, por meio de concessões.

MARIO ERNESTO HUMBERG 

marioernesto.humberg@cl-a.com

São Paulo

*

EMPRESAS FANTASMAS

Incrível como há tantas "empresas fantasmas"! Trabalhei por quase 30 anos no serviço público municipal. Para providenciar uma inscrição, o(s) interessado(s) deveria(m) ter: 1) termo constitutivo da empresa; 2) documento de propriedade ou contrato de locação do local onde a empresa seria instalada; 3) projeto da edificação, devidamente aprovado pela prefeitura municipal; 4) certificado de vistoria comprovando a capacidade do local, para a atividade a qual se destinava; 5) inscrição da Junta Comercial; 6) cópias autenticadas de documentos pessoais e comprovantes de endereço. Tudo isso respeitando a Lei de Zoneamento e na ausência de débitos com o IPTU.

MARIA ALAÍDE BATISTA CAMILO LEONORO 

alaide.camilo@adv.oabsp.org.br 

São Paulo

Mais conteúdo sobre:
Opinião

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.