Fórum dos Leitores

.

O Estado de S.Paulo

23 Fevereiro 2017 | 03h19

CARNAVAL

Insegurança pública

Decepcionante a decisão do ministro da Defesa, Raul Jungmann, de retirar as tropas federais das ruas do Rio de Janeiro em plena semana de carnaval, alegando que a cidade está bem policiada e sem grandes estatísticas de violência. Ora, o nosso efetivo não é suficiente para patrulhar todos os bairros. Quem vai garantir a segurança dos milhares de turistas que vão participar dos desfiles na Marquês de Sapucaí e dos blocos? Quem vai conter os arrastões nas praias? Nossos policiais estão sendo assassinados diariamente, tentando conter a ousadia da bandidagem. Vidas de cidadãos de bem são ceifadas em cada esquina. Transeuntes são assaltados a todo minuto! Como acreditar que está tudo tranquilo? Será que a tropa federal só foi deslocada para o Rio para dar segurança à votação da privatização da Cedae, que era de interesse do governo federal? Ah, sem esquecer que a imprensa estrangeira registrou a presença maciça de homens da lei na orla na chegada dos turistas! Rogo a Deus que nos acuda e tudo transcorra na mais perfeita ordem. Senão, de quem cobraremos a negligência?

DEBORAH FARAH

deborah.farah@gmail.com

Rio de Janeiro

*

Folia na crise

A folia segue nas ruas com as pessoas sem segurança, sem dinheiro e sem emprego. A folia política prossegue com aprovação de ministro para o Supremo Tribunal Federal, que não vai dar quórum qualificado para votar os planos econômicos ao se declarar impedido. Depois haverá o desfile da campeã (Previdência 65 anos) e da campeã do grupo de acesso (CPMF), de volta ao grupo principal do carnaval político. Espero que a lâmpada queimada, na cabeça das pessoas, seja logo substituída e acenda alguma ideia, antes do aumento da conta de luz.

LUIZ ROBERTO DA COSTA JR.

lrcostajr@uol.com.br

Campinas

*

CONTA DE LUZ

O poste de Lula

Quatro anos depois da irresponsável e desastrada intervenção da então presidente Dilma Rousseff no setor elétrico, os consumidores agora ainda terão de pagar mais uma conta. E desta vez o montante passará de R$ 62 bilhões! Esse caso representa mais uma página infeliz da nossa história com a “presidenta”, como Dilma gostava de ser chamada. E é uma prova viva de que o impeachment derrubou o poste que o Lula cravou no Planalto Central, por meio do qual foram drenados, para o subsolo da corrupção, bilionários recursos que acabaram nos levando a este verdadeiro apagão na economia do nosso país.

ABEL PIRES RODRIGUES

abel@knn.com.br

Rio de Janeiro

*

Herança de Dilma

Eu acho que o governo Temer deveria fazer barulho, mostrar na mídia, em horário nobre, que esse aumento na conta de luz para pagar um rombo de R$ 62,2 bilhões do setor elétrico é mais uma herança do governo Dilma, que em 2012, por medida provisória, diminuiu o preço da energia elétrica para o consumidor, provocando o rombo que agora está sendo cobrado. Redução demagógica, para manter a popularidade. O governo do PT dava com uma mão e tirava com as duas. Se o presidente Michel Temer não fizer barulho em cima disso, vai parecer que é culpa do seu governo. Detalhe: esse aumento é para pagar a dívida, não tem nada que ver com o reajuste anual previsto em contrato, que também virá. É isso aí, palmas para o PT.

PANAYOTIS POULIS

ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

Estelionato

A “luz barata” de Dilma Rousseff - um dos carros-chefes de sua vitoriosa campanha para a reeleição, em 2014 - vai custar mais de R$ 62 bilhões aos consumidores brasileiros. Como já amplamente divulgado, isso foi um crime explícito de estelionato eleitoral. Mas a dúvida persiste: por que a ex-presidente não está ainda denunciada por crimes de improbidade administrativa, falsidade ideológica, gestão temerária do dinheiro público e por mais tantos outros tipos penais aos quais se subsume o ato por ela praticado?

MARCELO GOMES JORGE FERES

marcelogferes@ig.com.br

Rio de Janeiro

*

FERROVIA ABANDONADA

Trem de média velocidade

Leio no Estadão (22/2) que, depois do fiasco do trem-bala, que ligaria Campinas ao Rio de Janeiro, os governos federal e estaduais de São Paulo e de Goiás projetam o trem de média velocidade entre Brasília e Goiânia e entre São Paulo e Americana, podendo o projeto paulista estender-se também para as regiões do Vale do Paraíba, da Baixada Santista e de Sorocaba. Nada contra, mas não é justo ignorar que São Paulo possui hoje uma extensa malha ferroviária, que no passado já foi a indutora da criação de muitos municípios e atualmente está entregue ao abandono. Deveriam os governos federal e estaduais, antes de procurarem dinheiro para o trem de média velocidade, cuidar da revitalização da malha ferroviária das antigas ferrovias Paulista, Sorocabana, Mogiana, Araraquarense e outras, que hoje em dia nada ajudam a produzir e, pior, causam muitos problemas aos municípios por onde passam os seus trilhos e se encontram estações, armazéns e outras instalações totalmente abandonados. É um grande patrimônio que foi investido ao longo de décadas e merece respeito e utilização. 

DIRCEU CARDOSO GONÇALVES

aspomilpm@terra.com.br 

São Paulo

*

C&T

Pesquisa e produção

Cumprimentos pelo editorial É hora de destravar a pesquisa (21/2, A3). O novo marco regulatório da ciência e tecnologia (C&T) abre novos caminhos para o desenvolvimento da pesquisa e gostaria de mencionar recente resolução da Secretaria de Agricultura e Abastecimento (dezembro de 2016) que permitiu a implantação dos Núcleos de Inovação Tecnológica (NITs) nos institutos de pesquisa da pasta e estabeleceu a política de propriedade intelectual, passo importante nesse sentido. São ações que seguem a determinação do governador Geraldo Alckmin de diminuir a distância entre a pesquisa e a produção e diversificar parcerias para que isso possa ser feito.

ARNALDO JARDIM, secretário

paulodetoledo@sp.gov.br

São Paulo

*

MERCADANTE

Esclarecimento

A respeito da reportagem Para PF, Dilma, Lula e Mercadante agiram contra a Lava Jato, não procede a informação de que o ex-ministro Aloizio Mercadante esteja se dedicando a montar uma fundação de estudos em educação, em Brasília.

DANILO MOLINA, colaborador da Assessoria Mercadante

assessoria.mercadante@gmail.com

Brasília

***

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

PISCADA MAROTA

A foto estampada na primeira página do "Estadão" de ontem (22/2) mostra uma piscada marota dada por Alexandre de Moraes a Edison Lobão (PMDB-MA), presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, durante a sabatina à qual se submetia para ser aprovado para a vaga de ministro do Supremo Tribunal Federal. O que será, que ele quis dizer com tal gesto?

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

A IMAGEM DO DIA

Sensacional a foto do sabatinado Alexandre de Moraes na capa do "Estadão" de ontem (22/2), cuja expressão é de um vitorioso (isto é, "já ganhei"). Bem que os 100 mil euros desperdiçados como prêmio para o escritor Raduan Nassar poderiam ir, merecidamente, para o fotógrafo Dida Sampaio.

José Millei millei.jose@gmail.com

São Paulo 

*

CAMINHO SEM VOLTA

Aviso aos simpatizantes de teorias conspiratórias: a foto de capa do "Estadão" mostrando Alexandre de Moraes dando uma piscadela marota na direção de Edison Lobão não tem nenhuma significado de conluio ou ação entre amigos. Não há o que temer. A Lava Jato é caminho desobstruído e sem retorno. 

Luciano Harary lharary@hotmail.com

São Paulo

*

GRATIDÃO

Não se discute o mérito da aprovação de Alexandre de Moraes - tida como certa - para ministro do STF. Só lembramos que, na sua tese de doutorado, defendeu que a indicação para esse posto fosse vetada a quem exercesse cargo de confiança no governo, para que se evitasse uma "demonstração de gratidão política". Ora, a oportuníssima foto estampada ontem nos disse que aquela piscadela para Lobão foi exatamente isso!

Carmela Tassi Chaves tassichaves@yahoo.com.br

São Paulo

*

CIRCO NO SENADO

A foto no "Estadão" de ontem, retratando a sabatina, no Senado, do ministro Alexandre de Moraes para o Supremo Tribunal Federal (STF) é emblemática. Nela aparecem o "Lobão Mau" (Edison Lobão), provavelmente perguntado ao "Sem Chapeuzinho" (Moraes): "Por que tens uma careca imensa?". Não dá para acreditar neste circo!

 

José Roberto Niero jrniero@yahoo.com.br

São Caetano do Sul 

*

DE MORAES PARA LOBÃO

Simplesmente genial a foto da primeira página do "Estadão" de ontem. Merece prêmio!

Pirjo Annikki Lehto Gomes pirjoannikkilg@gmail.com

São Paulo

*

TRUCO, MARRECO!

Se Moraes e Lobão (foto na primeira página do "Estadão" de ontem) estivessem no jogo de truco, em que conta muito a esperteza, eu diria que Moraes está a sinalizar pimpão que tem o zap, a maior carta do jogo. Ocorre que é fato corriqueiro no truco o detentor do zap meter os pés pelas mãos e ser ludibriado por oponente ardiloso. Quer dizer, não convém cantar de galo.

Joaquim Quintino Filho jqf@terra.com.br

Pirassununga 

*

PRIMEIRA PÁGINA

Parabéns pela foto da primeira página em que o sr. Alexandre de Moraes pisca para o senador Edison Lobão, presidente da CCJ investigado pela Lava Jato.

Stanko Svarcic ssvarcic@gmail.com

São Paulo

*

SABATINA 

Após o treino de Alexandre de Moraes na barca de um senador, coroado com 12 horas de "sabatina" senatorial para confirmá-lo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) por uma Comissão de Constituição e Justiça onde mais da metade dos membros é de candidatos a réus na Operação Lava Jato, incluindo seu presidente, Edison Lobão, só mesmo plagiando nosso ilustre senador Romero Jucá, o "Caju" da Odebrecht: nosso Senado é uma "suruba"!

Lazar Krym lkrym@terra.com.br

São Paulo

*

MAIS UMA DERROTA

Mais uma vez a oposição foi fragorosamente derrotada no Senado Federal e a insuportável "Narizinho" Hoffmann, acompanhada de seu fiel escudeiro Lindbergh Faria, dois investigados na Lava Jato, questionaram a imparcialidade do dr. Alexandre de Moraes, o novo integrante do STF. Esse é o típico caso de "em casa de ferreiro, o espeto é de pau".

José A. Muller josealcidesmuller@hotmail.com

Avaré

*

MEU VOTO DE VOLTA

Assistindo ao ex-ministro Alexandre de Moraes sendo sabatinado pelo senador Aécio Neves (PSDB-MG) para ocupar ou não uma cadeira no STF, afirmo que, se eu pudesse, tiraria de Aécio o meu voto dado a ele em 2014. Perto de mim tem mais três eleitores afirmando o mesmo. Morreu Aécio.

Leônidas Marques leo.marquesvr@gmail.com

Volta Redonda (RJ)

*

ALEXANDRE DE MORAES NO STF

Mais uma "desmoraeslização" na política brasileira!

Pedro Piccoli pmpicc@terra.com.br

São Paulo

*

INDEPENDÊNCIA

A comissão do Senado promoveu na terça-feira um jogo de cena para definir a aprovação ou não do indicado do presidente Temer para ministro do STF. E para a opinião pública fica a impressão de cartas marcadas. Até quando vamos conviver com essa situação? O Judiciário exige total independência e nenhuma vinculação com os outros Poderes da República. 

Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br

Santos

*

CARTAS MARCADAS

Acho que vazou o gabarito da sabatina de Alexandre de Moraes.

Luiz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo

*

A SURUBA DE JUCÁ

Senador Romero Jucá, líder do governo, disse com todas as letras: "Se acabar o foro (privilegiado), é para todo mundo, suruba é suruba, aí é todo mundo na suruba, não uma suruba selecionada". Afirmou, portanto, que, se a regra é para todos, para ele não tem problema. Profundo conhecedor dos bacanais e surubas que sempre permearam o Congresso Nacional e intimamente ligado ao contingente de piranhas (deputados) que compõem a zona do meretriz do Distrito Federal, é bem capaz que o STF se renda ao cafetão-mor senador Romero Jucá.

Arnaldo de Almeida Dotoli arnaldodotoli@uol.com.br

São Paulo

*

SURUBA SELECIONADA

Romero Jucá não quer uma suruba selecionada. Pelo visto, ele prefere a suruba generalizada praticada no Senado da República. O uso da palavra "suruba" para criticar a mudança do foro privilegiado não é digno de quem é senador. Há duas explicações possíveis: desespero ou falta de educação. 

Leonardo Sternberg bergzynski@gmail.com

São Paulo

*

SAFADEZA

Senador Jucá, foro não é uma "suruba selecionada". Visto que abrange os Três Poderes, é um "ménage à trois". Resumindo: é tudo safadeza.

Carlos Alberto Roxo roxo_7@terra.com.br

São Paulo

*

POUCO RESPEITO AO STF

Romero Jucá, o senador amigo de Michel Temer, envolvido em várias denúncias de corrupção, pego em gravação constrangedora pregando a substituição do governo do PT para "estancar a sangria" representada pela Operação Lava Jato, perdeu o respeito e qualquer receio de ser punido pelo Supremo Tribunal Federal (STF) - a exemplo de Renan Calheiros - e se insurge abertamente contra o Judiciário utilizando até termos chulos na imprensa nacional para definir o comportamento de seus integrantes. Todos sabemos que, infelizmente, nosso Supremo não pune e tolera a desonestidade de políticos, mas o Brasil não deveria ser desmoralizado dessa maneira desabonadora em flagrante desafio para sua dignidade. Como brasileiro, sinto vergonha. Diria isso ao STF se ele pusesse à disposição um e-mail para os cidadãos, coisa que não faz.

Ademir Valezi adevale@gmail.com

São Paulo 

*

SÓ PARA EMPRESÁRIOS?

Senador Romero Jucá, veja o caso da Petrobrás, empresa que no passado foi orgulho do Brasil, foi praticamente destruída e até o momento somente empresários e alguns delatores foram presos, julgados e continuam presos. Será que eles agiram sozinhos, sem apoio dos políticos que possuem o benefício do foro privilegiado? Neste caso, parece-nos que a "suruba" foi selecionada somente para a classe empresarial. Como V. Exa. afirmou: "uma regra para todo mundo não tem problema".

José Carlos Degaspare degaspare@uol.com.br

São Paulo

*

NÃO CABE

Excelentíssimo senador Romero Jucá, o senhor pode fazer meia suruba, suruba integral ou seja lá quais regras de suruba o senhor achar convenientes. Entre quatro paredes, o senhor, bem como seus colegas, podem fazer o Regimento Interno da Suruba que mais lhes convier. Agora, quanto a conta é paga por nós, contribuintes, e quando o poder utilizado para fazer esse regimento é aquele delegado pelo povo que paga essa conta - em todos os sentidos: financeiro, social e moral -, sua bravata, além de chula e ofensiva, não cabe. Sinto ser portadora da má notícia que o senhor, e parece que 90% do Congresso, ainda não entendeu: a mídia, tanto a formal quanto as sociais, está apenas fazendo a representação da voz e dos desejos populares que os senhores há muito tempo desistiram de fazer. Não, não é só Eliane Cantanhêde, somos todos nós, excelência. 

Rebecca Raposo rebeccaraposo@icloud.com

São Paulo

*

GUARDE PARA SI

É lamentável ler a forma grosseira e vulgar com que o senador Romero Jucá se refere quando comenta o foro privilegiado. Não sou nenhum moralista, mas não posso concordar com uma terminologia de botequim que deveria ser usada entre os seus pares ou familiares, e não trazida a público. Este tipo de linguagem o senador deveria guardar para ele, e não divulgá-la como se fora algo criativo que repentinamente surgiu de uma mente brilhante.

 

Caio R. Reis caioreis33@gmail.com

São Paulo

*

BAIXO NÍVEL

O senador Romero Jucá, ao comparar o foro privilegiado a uma "suruba", mostrou claramente o nível de nossos representantes no Congresso Nacional. É desse modo que pensam quando da aplicação das leis aos políticos que cometem crimes contra o País. Só por esse fato, este senador deveria ser julgado por falta de decoro parlamentar.

José Olinto Olivotto Soares jolintoos@gmail.com

Bragança Paulista

*

FESTA PAGÃ

A "suruba" à qual o senador Romero Jucá (PMDB RR), líder do governo no Congresso, se referiu, provavelmente em manifestação histérica e preocupada, diz respeito ao fim ou restrição do foro privilegiado. Tudo leva a crer, seguindo a lógica do nobre parlamentar, que o tratamento diferenciado, do qual é um dos muitos beneficiários, como está, a blindar políticos corruptos, constitui um sarau inocente, mas a sua correção promove uma festa pagã e erótica que Romero deseja generalizada. Não deveria ser o contrário? Afinal, a "suruba" é o que está em pleno funcionamento e o que se pretende é uma purificação.

Paulo Roberto Gotaç prgotac@hotmail.com

Rio de Janeiro

*

PARAFRASEANDO

É preciso avisar o senador Jucá: o privilégio da suruba selecionada está na Constituição, então "relaxa e goza".

Moisés Goldstein mgoldstein@bol.com.br

São Paulo

*

SURUBA TOTAL

Todo apoio ao senador Jucá. Suruba total! Afinal, todo mundo é igual... Chega de privilégios: concursados, magistrados, presidentes, deputados, advogados, todos iguais perante a lei, todos podendo ser julgados a tempo de serem condenados pelos crimes perpetrados, e não protelados. Afinal, o Brasil é ou não é uma democracia? Aliás, como dizem, todo poder emana do povo. Ou será que, no Brasil, todo poder engana o povo?

Gilberto Dib gilberto@dib.com.br

São Paulo

*

EMENDA PIOR QUE O SONETO

Ao classificar a restrição do foro privilegiado de parlamentares como "suruba selecionada", Romero Jucá, líder do governo no Senado, deixou patente seu gosto pela promiscuidade. Seu pedido de desculpas, dizendo que havia se inspirado na música "Vira-Vira", do grupo Mamonas Assassinas, é uma emenda pior que o soneto, pois os músicos se referiam a sexo explícito, promiscuidade pura, clara e transparente. Políticos citados e/ou investigados na Operação Lava Jato fizeram uma verdadeira suruba na Petrobrás. Dentre eles, além de Romero, o PMDB carrega em suas fileiras Renan Calheiros, Eduardo Cunha, Edison Lobão, Roseana Sarney e outros mais. Realmente, nosso país está vivendo uma suruba política generalizada.

Mauro de Campos Adorno Filho maurinhoadorno@gmail.com

Mogi Mirim

 

*

DESCULPAS

Sr. Jucá, não se esqueça: desculpas não se pedem, se evitam.

Eduardo Augusto D. Filho e.delgadofilho@gmail.com

Campinas

*

SEM DÚVIDA

O singular e inequívoco senador Romero Jucá (codinome Caju nas listas de propinas de empreiteiras), caso fosse candidato no programa de calouros do Chacrinha, a jurada Aracy de Almeida lhe julgaria com o famoso bordão: "(...) Sobre este aí não resta a menor dúvida (...)". O pornofônico senador classificou de suruba a retirada coletiva do foro privilegiado de todos aqueles que fazem jus a esse instituto. Talvez o senador Caju estivesse se referindo às reuniões de cúpula (termo aqui empregado não por descuido vernacular) do PMDB, a que pertence. Afinal, a convivência diuturna com Calheiros, Lobão, Eunício "et caterva" só poderia render-lhe esse tipo de inspiração. Evoé!

Ruy Tapioca ruytapioca@gmail.com

Rio de Janeiro

*

A SURUBADA DE JUCÁ

O senador Jucá realmente é uma figura ímpar: foro privilegiado é a cereja da surubada que os políticos proporcionam ao povo brasileiro. No Brasil o cidadão, quando se candidata a qualquer cargo político, sempre tem em mente enriquecer e o foro privilegiado, o resto é conversa fiada.

José Roberto Iglesias rzeiglesias@gmail.com

São Paulo

*

VOCABULÁRIO

Romero Jucá adentrou a mesma trilha de vocabulário de Lula em seu pronunciamento no Senado. Esperamos que o seu destino seja o mesmo.

Claudio Juchem cjuchem@gmail.com

São Paulo

*

SEM PAPAS NA LÍNGUA

Bem ao seu estilo, sem papas na língua, o senador Romero Jucá expressou a real situação por que passa nosso país: suruba geral!

Jorge de Jesus Longato financeiro@cestadecompras.com.br

Mogi Mirim 

*

UM ESCÂNDALO

Menos, senador Jucá, menos! Suruba, vinda da boca de um cidadão comum, já é horrorosa. Vinda de um senador, é um escândalo! Como se não bastasse termos de assistir todos os dias aos escândalos praticados por vocês.

Tânia Pinotti tkita@uol.com.br

São Paulo

*

SURUBRASIL

Causam espécie, constrangimento e assombro as palavras do líder do governo, senador Romero Jucá (PMDB-RR), sobre a polêmica questão do foro privilegiado: "Se acabar o foro, é para todo mundo. Suruba é suruba. Aí é todo mundo na suruba, não uma suruba selecionada". Com efeito, um país com políticos desta envergadura, ficha corrida e vocabulário não pode mesmo ser levado a sério. Pobre Brasil... surubrasil. Até quando?

J. S. Decol decoljs@gmail.com

São Paulo

*

É MESMO UMA SURUBA

Assim, sem nenhum decoro parlamentar, esse é o líder do governo federal, Romero Jucá (o "Caju"). Percebendo a intenção do Supremo Tribunal Federal (STF) de barrar os usufrutos do foro privilegiado à politicalha, ele se revolta com essa possibilidade. Ora, quem orquestra a "suruba" nacional é o próprio "senador chulo", quando, juntamente com seus pares e na calada da noite, a seu mando, tentam aprovar e impor projetos maléficos ao País. Aliás, "Caju" já mostrou quando, por alguns dias, foi ministro de Michel Temer que não possui o mínimo cacoete de probidade para exercer qualquer cargo público. Isso, sim, é suruba, sr. "Caju"! 

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

*

INTIMIDADES POLÍTICAS

O que representa uma suruba para quem vem há muito tempo estuprando a Nação?

Marcos Catap marcoscatap@uol.com.br

São Paulo

*

JUCÁ SE AUTODEFINE

Em entrevista ("Estadão", 21.02.2017, A4), o senador Jucá deixa claras sua visão da política e sua preferência por certas práticas de gosto peculiar. Dá asco! Até quando teremos de conviver com este tipo de político?

Eduardo Spinola e Castro esc@scvs.adv.br

São Paulo

*

PONTO FINAL

Até que enfim alguém reconhece publicamente o que são nossas instituições. Não tem o que possa ser justificado, sr. Jucá, suruba é suruba e ponto final. 

Manoel Braga manoelbraga@mecpar.com

São Paulo

*

CRISE MORAL

Diante da enorme crise que o País atravessa, atingindo vários segmentos, a que mais me chama a atenção é a crise moral. Cada vez mais observo um distanciamento dos valores éticos e morais por parte da população, e o mais preocupante: principalmente entre os mais jovens. Mas, afinal, onde está o exemplo que os mandatários do poder deveriam estar dando? Neste antro de corrupção em que estão metidos, de omissão na prestação de serviços essenciais como segurança, educação e saúde, a sensação que tenho é de que há um sentimento crescente de descrédito para com as leis, obrigações morais e cívicas, arrastando num redemoinho esperanças que só os mais fortes e abnegados ainda mantêm. Cada vez mais vemos movimentos de pessoas que abandonam ou pelo menos desejam abandonar o Brasil. Não me incluo entre elas, mas cada vez mais as compreendo.

Elcio Espindola elcio.espindola2013@gmail.com

Santana de Parnaíba

*

GOVERNO TRUMP

Scott Pruitt, lobista da indústria petrolífera e do carvão do Estado de Oklahoma e inimigo declarado da agência de proteção ambiental, contra a qual já atuou em 14 processos, é seu novo dirigente! "A raposa toma conta do galinheiro", foi a expressão usada por toda a imprensa para noticiar a aprovação de Pruitt no Senado, com o voto dos republicanos e de dois senadores democratas, todos muito preocupados com o meio ambiente! Nem o diabo conseguiria formar um governo pior. O reacionarismo fascista do governo Trump deixa Nixon e Reagan no chinelo. As maluquices estapafúrdias do governo Trump estão trazendo novos leitores para a perplexa imprensa internacional, interessados em acompanhar todas as estripulias deste governo que parece se inspirar na comedia clássica dos Irmãos Marx: "Duck Soup". No Brasil, "O Diabo a Quatro".

      

Paulo Sergio Arisi paulo.arisi@gmail.com

Porto Alegre

*

SUTILEZA

A sutileza de Donald Trump na diplomacia mundial é conhecida nos quatro cantos do mundo. Barack Obama, junto com a ONU, fez diversas sansões contra a Coreia do Norte por causa, entre outras coisas, dos testes de mísseis. Nunca conseguiram nada. A reaproximação de Trump com a China não era, e não é, à toa. Simplesmente "pediu" à China que parasse de importar carvão da Coreia. Isso representa cerca de 80% das exportações do país. Pedido aceito.

Alberto Hiltner alberto.hiltner@gmail.com

Salvador 

***

“Como Dilma se tornou especialista internacional em discursos sobre ‘golpe’, poderia explicar o golpe

do desconto que aplicou no povo brasileiro?”

VAGNER RICCIARDI / SÃO VICENTE, SOBRE A CONTA DE LUZ

vb.ricciardi@gmail.com

“Se essa multidão de foliões parasse por alguns minutos para gritar ‘não’a alguma reforma ou ‘sim’ a alguma reivindicação, com certeza o governo iria ouvir e até repensar”

SERGIO S. DE OLIVEIRA / MONTE SANTO DE MINAS (MG), 

SOBRE A FORÇA DO POVO UNIDO

ssoliveiramsm@gmail.com

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

PISCADA MAROTA

A foto estampada na primeira página do "Estadão" de ontem (22/2) mostra uma piscada marota dada por Alexandre de Moraes a Edison Lobão (PMDB-MA), presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, durante a sabatina à qual se submetia para ser aprovado para a vaga de ministro do Supremo Tribunal Federal. O que será, que ele quis dizer com tal gesto?

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

A IMAGEM DO DIA

Sensacional a foto do sabatinado Alexandre de Moraes na capa do "Estadão" de ontem (22/2), cuja expressão é de um vitorioso (isto é, "já ganhei"). Bem que os 100 mil euros desperdiçados como prêmio para o escritor Raduan Nassar poderiam ir, merecidamente, para o fotógrafo Dida Sampaio.

José Millei millei.jose@gmail.com

São Paulo 

*

CAMINHO SEM VOLTA

Aviso aos simpatizantes de teorias conspiratórias: a foto de capa do "Estadão" mostrando Alexandre de Moraes dando uma piscadela marota na direção de Edison Lobão não tem nenhuma significado de conluio ou ação entre amigos. Não há o que temer. A Lava Jato é caminho desobstruído e sem retorno. 

Luciano Harary lharary@hotmail.com

São Paulo

*

GRATIDÃO

Não se discute o mérito da aprovação de Alexandre de Moraes - tida como certa - para ministro do STF. Só lembramos que, na sua tese de doutorado, defendeu que a indicação para esse posto fosse vetada a quem exercesse cargo de confiança no governo, para que se evitasse uma "demonstração de gratidão política". Ora, a oportuníssima foto estampada ontem nos disse que aquela piscadela para Lobão foi exatamente isso!

Carmela Tassi Chaves tassichaves@yahoo.com.br

São Paulo

*

CIRCO NO SENADO

A foto no "Estadão" de ontem, retratando a sabatina, no Senado, do ministro Alexandre de Moraes para o Supremo Tribunal Federal (STF) é emblemática. Nela aparecem o "Lobão Mau" (Edison Lobão), provavelmente perguntado ao "Sem Chapeuzinho" (Moraes): "Por que tens uma careca imensa?". Não dá para acreditar neste circo!

 

José Roberto Niero jrniero@yahoo.com.br

São Caetano do Sul 

*

DE MORAES PARA LOBÃO

Simplesmente genial a foto da primeira página do "Estadão" de ontem. Merece prêmio!

Pirjo Annikki Lehto Gomes pirjoannikkilg@gmail.com

São Paulo

*

TRUCO, MARRECO!

Se Moraes e Lobão (foto na primeira página do "Estadão" de ontem) estivessem no jogo de truco, em que conta muito a esperteza, eu diria que Moraes está a sinalizar pimpão que tem o zap, a maior carta do jogo. Ocorre que é fato corriqueiro no truco o detentor do zap meter os pés pelas mãos e ser ludibriado por oponente ardiloso. Quer dizer, não convém cantar de galo.

Joaquim Quintino Filho jqf@terra.com.br

Pirassununga 

*

PRIMEIRA PÁGINA

Parabéns pela foto da primeira página em que o sr. Alexandre de Moraes pisca para o senador Edison Lobão, presidente da CCJ investigado pela Lava Jato.

Stanko Svarcic ssvarcic@gmail.com

São Paulo

*

SABATINA 

Após o treino de Alexandre de Moraes na barca de um senador, coroado com 12 horas de "sabatina" senatorial para confirmá-lo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) por uma Comissão de Constituição e Justiça onde mais da metade dos membros é de candidatos a réus na Operação Lava Jato, incluindo seu presidente, Edison Lobão, só mesmo plagiando nosso ilustre senador Romero Jucá, o "Caju" da Odebrecht: nosso Senado é uma "suruba"!

Lazar Krym lkrym@terra.com.br

São Paulo

*

MAIS UMA DERROTA

Mais uma vez a oposição foi fragorosamente derrotada no Senado Federal e a insuportável "Narizinho" Hoffmann, acompanhada de seu fiel escudeiro Lindbergh Faria, dois investigados na Lava Jato, questionaram a imparcialidade do dr. Alexandre de Moraes, o novo integrante do STF. Esse é o típico caso de "em casa de ferreiro, o espeto é de pau".

José A. Muller josealcidesmuller@hotmail.com

Avaré

*

MEU VOTO DE VOLTA

Assistindo ao ex-ministro Alexandre de Moraes sendo sabatinado pelo senador Aécio Neves (PSDB-MG) para ocupar ou não uma cadeira no STF, afirmo que, se eu pudesse, tiraria de Aécio o meu voto dado a ele em 2014. Perto de mim tem mais três eleitores afirmando o mesmo. Morreu Aécio.

Leônidas Marques leo.marquesvr@gmail.com

Volta Redonda (RJ)

*

ALEXANDRE DE MORAES NO STF

Mais uma "desmoraeslização" na política brasileira!

Pedro Piccoli pmpicc@terra.com.br

São Paulo

*

INDEPENDÊNCIA

A comissão do Senado promoveu na terça-feira um jogo de cena para definir a aprovação ou não do indicado do presidente Temer para ministro do STF. E para a opinião pública fica a impressão de cartas marcadas. Até quando vamos conviver com essa situação? O Judiciário exige total independência e nenhuma vinculação com os outros Poderes da República. 

Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br

Santos

*

CARTAS MARCADAS

Acho que vazou o gabarito da sabatina de Alexandre de Moraes.

Luiz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo

*

A SURUBA DE JUCÁ

Senador Romero Jucá, líder do governo, disse com todas as letras: "Se acabar o foro (privilegiado), é para todo mundo, suruba é suruba, aí é todo mundo na suruba, não uma suruba selecionada". Afirmou, portanto, que, se a regra é para todos, para ele não tem problema. Profundo conhecedor dos bacanais e surubas que sempre permearam o Congresso Nacional e intimamente ligado ao contingente de piranhas (deputados) que compõem a zona do meretriz do Distrito Federal, é bem capaz que o STF se renda ao cafetão-mor senador Romero Jucá.

Arnaldo de Almeida Dotoli arnaldodotoli@uol.com.br

São Paulo

*

SURUBA SELECIONADA

Romero Jucá não quer uma suruba selecionada. Pelo visto, ele prefere a suruba generalizada praticada no Senado da República. O uso da palavra "suruba" para criticar a mudança do foro privilegiado não é digno de quem é senador. Há duas explicações possíveis: desespero ou falta de educação. 

Leonardo Sternberg bergzynski@gmail.com

São Paulo

*

SAFADEZA

Senador Jucá, foro não é uma "suruba selecionada". Visto que abrange os Três Poderes, é um "ménage à trois". Resumindo: é tudo safadeza.

Carlos Alberto Roxo roxo_7@terra.com.br

São Paulo

*

POUCO RESPEITO AO STF

Romero Jucá, o senador amigo de Michel Temer, envolvido em várias denúncias de corrupção, pego em gravação constrangedora pregando a substituição do governo do PT para "estancar a sangria" representada pela Operação Lava Jato, perdeu o respeito e qualquer receio de ser punido pelo Supremo Tribunal Federal (STF) - a exemplo de Renan Calheiros - e se insurge abertamente contra o Judiciário utilizando até termos chulos na imprensa nacional para definir o comportamento de seus integrantes. Todos sabemos que, infelizmente, nosso Supremo não pune e tolera a desonestidade de políticos, mas o Brasil não deveria ser desmoralizado dessa maneira desabonadora em flagrante desafio para sua dignidade. Como brasileiro, sinto vergonha. Diria isso ao STF se ele pusesse à disposição um e-mail para os cidadãos, coisa que não faz.

Ademir Valezi adevale@gmail.com

São Paulo 

*

SÓ PARA EMPRESÁRIOS?

Senador Romero Jucá, veja o caso da Petrobrás, empresa que no passado foi orgulho do Brasil, foi praticamente destruída e até o momento somente empresários e alguns delatores foram presos, julgados e continuam presos. Será que eles agiram sozinhos, sem apoio dos políticos que possuem o benefício do foro privilegiado? Neste caso, parece-nos que a "suruba" foi selecionada somente para a classe empresarial. Como V. Exa. afirmou: "uma regra para todo mundo não tem problema".

José Carlos Degaspare degaspare@uol.com.br

São Paulo

*

NÃO CABE

Excelentíssimo senador Romero Jucá, o senhor pode fazer meia suruba, suruba integral ou seja lá quais regras de suruba o senhor achar convenientes. Entre quatro paredes, o senhor, bem como seus colegas, podem fazer o Regimento Interno da Suruba que mais lhes convier. Agora, quanto a conta é paga por nós, contribuintes, e quando o poder utilizado para fazer esse regimento é aquele delegado pelo povo que paga essa conta - em todos os sentidos: financeiro, social e moral -, sua bravata, além de chula e ofensiva, não cabe. Sinto ser portadora da má notícia que o senhor, e parece que 90% do Congresso, ainda não entendeu: a mídia, tanto a formal quanto as sociais, está apenas fazendo a representação da voz e dos desejos populares que os senhores há muito tempo desistiram de fazer. Não, não é só Eliane Cantanhêde, somos todos nós, excelência. 

Rebecca Raposo rebeccaraposo@icloud.com

São Paulo

*

GUARDE PARA SI

É lamentável ler a forma grosseira e vulgar com que o senador Romero Jucá se refere quando comenta o foro privilegiado. Não sou nenhum moralista, mas não posso concordar com uma terminologia de botequim que deveria ser usada entre os seus pares ou familiares, e não trazida a público. Este tipo de linguagem o senador deveria guardar para ele, e não divulgá-la como se fora algo criativo que repentinamente surgiu de uma mente brilhante.

 

Caio R. Reis caioreis33@gmail.com

São Paulo

*

BAIXO NÍVEL

O senador Romero Jucá, ao comparar o foro privilegiado a uma "suruba", mostrou claramente o nível de nossos representantes no Congresso Nacional. É desse modo que pensam quando da aplicação das leis aos políticos que cometem crimes contra o País. Só por esse fato, este senador deveria ser julgado por falta de decoro parlamentar.

José Olinto Olivotto Soares jolintoos@gmail.com

Bragança Paulista

*

FESTA PAGÃ

A "suruba" à qual o senador Romero Jucá (PMDB RR), líder do governo no Congresso, se referiu, provavelmente em manifestação histérica e preocupada, diz respeito ao fim ou restrição do foro privilegiado. Tudo leva a crer, seguindo a lógica do nobre parlamentar, que o tratamento diferenciado, do qual é um dos muitos beneficiários, como está, a blindar políticos corruptos, constitui um sarau inocente, mas a sua correção promove uma festa pagã e erótica que Romero deseja generalizada. Não deveria ser o contrário? Afinal, a "suruba" é o que está em pleno funcionamento e o que se pretende é uma purificação.

Paulo Roberto Gotaç prgotac@hotmail.com

Rio de Janeiro

*

PARAFRASEANDO

É preciso avisar o senador Jucá: o privilégio da suruba selecionada está na Constituição, então "relaxa e goza".

Moisés Goldstein mgoldstein@bol.com.br

São Paulo

*

SURUBA TOTAL

Todo apoio ao senador Jucá. Suruba total! Afinal, todo mundo é igual... Chega de privilégios: concursados, magistrados, presidentes, deputados, advogados, todos iguais perante a lei, todos podendo ser julgados a tempo de serem condenados pelos crimes perpetrados, e não protelados. Afinal, o Brasil é ou não é uma democracia? Aliás, como dizem, todo poder emana do povo. Ou será que, no Brasil, todo poder engana o povo?

Gilberto Dib gilberto@dib.com.br

São Paulo

*

EMENDA PIOR QUE O SONETO

Ao classificar a restrição do foro privilegiado de parlamentares como "suruba selecionada", Romero Jucá, líder do governo no Senado, deixou patente seu gosto pela promiscuidade. Seu pedido de desculpas, dizendo que havia se inspirado na música "Vira-Vira", do grupo Mamonas Assassinas, é uma emenda pior que o soneto, pois os músicos se referiam a sexo explícito, promiscuidade pura, clara e transparente. Políticos citados e/ou investigados na Operação Lava Jato fizeram uma verdadeira suruba na Petrobrás. Dentre eles, além de Romero, o PMDB carrega em suas fileiras Renan Calheiros, Eduardo Cunha, Edison Lobão, Roseana Sarney e outros mais. Realmente, nosso país está vivendo uma suruba política generalizada.

Mauro de Campos Adorno Filho maurinhoadorno@gmail.com

Mogi Mirim

 

*

DESCULPAS

Sr. Jucá, não se esqueça: desculpas não se pedem, se evitam.

Eduardo Augusto D. Filho e.delgadofilho@gmail.com

Campinas

*

SEM DÚVIDA

O singular e inequívoco senador Romero Jucá (codinome Caju nas listas de propinas de empreiteiras), caso fosse candidato no programa de calouros do Chacrinha, a jurada Aracy de Almeida lhe julgaria com o famoso bordão: "(...) Sobre este aí não resta a menor dúvida (...)". O pornofônico senador classificou de suruba a retirada coletiva do foro privilegiado de todos aqueles que fazem jus a esse instituto. Talvez o senador Caju estivesse se referindo às reuniões de cúpula (termo aqui empregado não por descuido vernacular) do PMDB, a que pertence. Afinal, a convivência diuturna com Calheiros, Lobão, Eunício "et caterva" só poderia render-lhe esse tipo de inspiração. Evoé!

Ruy Tapioca ruytapioca@gmail.com

Rio de Janeiro

*

A SURUBADA DE JUCÁ

O senador Jucá realmente é uma figura ímpar: foro privilegiado é a cereja da surubada que os políticos proporcionam ao povo brasileiro. No Brasil o cidadão, quando se candidata a qualquer cargo político, sempre tem em mente enriquecer e o foro privilegiado, o resto é conversa fiada.

José Roberto Iglesias rzeiglesias@gmail.com

São Paulo

*

VOCABULÁRIO

Romero Jucá adentrou a mesma trilha de vocabulário de Lula em seu pronunciamento no Senado. Esperamos que o seu destino seja o mesmo.

Claudio Juchem cjuchem@gmail.com

São Paulo

*

SEM PAPAS NA LÍNGUA

Bem ao seu estilo, sem papas na língua, o senador Romero Jucá expressou a real situação por que passa nosso país: suruba geral!

Jorge de Jesus Longato financeiro@cestadecompras.com.br

Mogi Mirim 

*

UM ESCÂNDALO

Menos, senador Jucá, menos! Suruba, vinda da boca de um cidadão comum, já é horrorosa. Vinda de um senador, é um escândalo! Como se não bastasse termos de assistir todos os dias aos escândalos praticados por vocês.

Tânia Pinotti tkita@uol.com.br

São Paulo

*

SURUBRASIL

Causam espécie, constrangimento e assombro as palavras do líder do governo, senador Romero Jucá (PMDB-RR), sobre a polêmica questão do foro privilegiado: "Se acabar o foro, é para todo mundo. Suruba é suruba. Aí é todo mundo na suruba, não uma suruba selecionada". Com efeito, um país com políticos desta envergadura, ficha corrida e vocabulário não pode mesmo ser levado a sério. Pobre Brasil... surubrasil. Até quando?

J. S. Decol decoljs@gmail.com

São Paulo

*

É MESMO UMA SURUBA

Assim, sem nenhum decoro parlamentar, esse é o líder do governo federal, Romero Jucá (o "Caju"). Percebendo a intenção do Supremo Tribunal Federal (STF) de barrar os usufrutos do foro privilegiado à politicalha, ele se revolta com essa possibilidade. Ora, quem orquestra a "suruba" nacional é o próprio "senador chulo", quando, juntamente com seus pares e na calada da noite, a seu mando, tentam aprovar e impor projetos maléficos ao País. Aliás, "Caju" já mostrou quando, por alguns dias, foi ministro de Michel Temer que não possui o mínimo cacoete de probidade para exercer qualquer cargo público. Isso, sim, é suruba, sr. "Caju"! 

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

*

INTIMIDADES POLÍTICAS

O que representa uma suruba para quem vem há muito tempo estuprando a Nação?

Marcos Catap marcoscatap@uol.com.br

São Paulo

*

JUCÁ SE AUTODEFINE

Em entrevista ("Estadão", 21.02.2017, A4), o senador Jucá deixa claras sua visão da política e sua preferência por certas práticas de gosto peculiar. Dá asco! Até quando teremos de conviver com este tipo de político?

Eduardo Spinola e Castro esc@scvs.adv.br

São Paulo

*

PONTO FINAL

Até que enfim alguém reconhece publicamente o que são nossas instituições. Não tem o que possa ser justificado, sr. Jucá, suruba é suruba e ponto final. 

Manoel Braga manoelbraga@mecpar.com

São Paulo

*

CRISE MORAL

Diante da enorme crise que o País atravessa, atingindo vários segmentos, a que mais me chama a atenção é a crise moral. Cada vez mais observo um distanciamento dos valores éticos e morais por parte da população, e o mais preocupante: principalmente entre os mais jovens. Mas, afinal, onde está o exemplo que os mandatários do poder deveriam estar dando? Neste antro de corrupção em que estão metidos, de omissão na prestação de serviços essenciais como segurança, educação e saúde, a sensação que tenho é de que há um sentimento crescente de descrédito para com as leis, obrigações morais e cívicas, arrastando num redemoinho esperanças que só os mais fortes e abnegados ainda mantêm. Cada vez mais vemos movimentos de pessoas que abandonam ou pelo menos desejam abandonar o Brasil. Não me incluo entre elas, mas cada vez mais as compreendo.

Elcio Espindola elcio.espindola2013@gmail.com

Santana de Parnaíba

*

GOVERNO TRUMP

Scott Pruitt, lobista da indústria petrolífera e do carvão do Estado de Oklahoma e inimigo declarado da agência de proteção ambiental, contra a qual já atuou em 14 processos, é seu novo dirigente! "A raposa toma conta do galinheiro", foi a expressão usada por toda a imprensa para noticiar a aprovação de Pruitt no Senado, com o voto dos republicanos e de dois senadores democratas, todos muito preocupados com o meio ambiente! Nem o diabo conseguiria formar um governo pior. O reacionarismo fascista do governo Trump deixa Nixon e Reagan no chinelo. As maluquices estapafúrdias do governo Trump estão trazendo novos leitores para a perplexa imprensa internacional, interessados em acompanhar todas as estripulias deste governo que parece se inspirar na comedia clássica dos Irmãos Marx: "Duck Soup". No Brasil, "O Diabo a Quatro".

      

Paulo Sergio Arisi paulo.arisi@gmail.com

Porto Alegre

*

SUTILEZA

A sutileza de Donald Trump na diplomacia mundial é conhecida nos quatro cantos do mundo. Barack Obama, junto com a ONU, fez diversas sansões contra a Coreia do Norte por causa, entre outras coisas, dos testes de mísseis. Nunca conseguiram nada. A reaproximação de Trump com a China não era, e não é, à toa. Simplesmente "pediu" à China que parasse de importar carvão da Coreia. Isso representa cerca de 80% das exportações do país. Pedido aceito.

Alberto Hiltner alberto.hiltner@gmail.com

Salvador 

 

Mais conteúdo sobre:
Fórum dos Leitores Brasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.