Fórum dos Leitores

.

O Estado de S.Paulo

18 Março 2017 | 03h00

GOVERNO TEMER

Aumento de impostos

Li no Estadão (16/3) que o governo estuda aumentar a tributação dos combustíveis. Atualmente, sobre a gasolina o imposto é de 38,45%, um exagero. Será que antes de fazê-lo não se deveria diminuir o tamanho do Estado brasileiro, começando com o corte dos cargos comissionados, o 14.º e o 15.º salários do Judiciário, do Legislativo e do Executivo? E as aposentadorias e pensões dos políticos? Ah, e pôr todos na CLT, pois, segundo a Constituição da República, somos todos iguais perante a lei...

GILBERTO ABU GANNAM

gilbgag@gmail.com

Piracaia

O aumento de imposto sobre combustíveis parece ser o Leitmotiv do governo para resolver o rombo das contas públicas. O equilíbrio porém, só será alcançado quando houver redução drástica dos gastos em mordomias e for resolvido o gigantesco problema da corrupção.

LUIGI VERCESI

luigiapvercesi@gmail.com

Botucatu

Ranço colonial

Independente há 195 anos, o Brasil não consegue libertar-se do ranço colonial, quando o Reino explorava a colônia sem dó. Todas as grandes revoluções do período colonial ocorreram pela imposição de impostos escorchantes pela Coroa, perdulária e deficitária. Após quase dois séculos, sem inovar no método, o governo federal, em vez de cortar despesas, quer aumentar tributos. Será que não se tem vergonha de propor uma barbaridade dessas num país que já paga quase 40% do PIB em impostos? No ano passado fui visitar o Paraguai e este ano vou de novo. Do jeito que a coisa vai, já vou arrumando minha mudança pra lá.

FREDERICO D’AVILA

frederico@fda.agr.br

Buri

Auditar é preciso

Mais uma vez o governo nos mostra sua fragilidade diante da atual crise – como jamais vivida na História deste país – ao anunciar que estuda aumentar impostos, mesmo com o aumento do número de desempregados e da informalidade. No fim, qualquer trabalhador pagador de seus impostos vai acabar sofrendo com esse aumento. Por que não é feita uma perícia de verdade nas contas do INSS e do FGTS, para realmente mostrar à sociedade o que se passa com ambas? Uma auditoria de empresa especializada do mercado poderia facilmente levantar esses números e, ainda mais, levantar outros números que deveras nos intrigam: os de empréstimos do BNDES e de despesas diversas. Agora é a hora de mudar o cenário político, mostrar ao governo que estamos cansados da corrupção e não aceitamos mais aumentos de impostos para cobrir privilégios dos políticos.

VAGNER GONÇALVES SANTOS

vagner_gonc@yahoo.com.br

Diadema

Tabela do IRPF

O ministro Henrique Meirelles esqueceu-se de corrigir a tabela do Imposto de Renda na Fonte? Ou é só pra arrancar mais dinheiro da população?

GUSTAVO GUIMARÃES DA VEIGA

ggveiga@outlook.com

São Paulo

Leão e gatinho

Nesta época em que estão sendo feitas as declarações à Receita Federal, vem à mente a pergunta que não quer calar: quando é que se vai aprovar uma lei estabelecendo a automática correção pela inflação da Tabela do Imposto de Renda da Pessoa Física? Atualmente, quem decide os porcentuais é o governo e fica sempre abaixo do IPCA do período, causando aumento de imposto para os contribuintes, indevidamente. É uma vergonha. O Estado é um leão para arrecadar tributos e um gatinho de pelúcia quando tem de fazer a sua parte.

REINNER CARLOS DE OLIVEIRA

reinnercarlos1970@gmail.com

Araçatuba

CORRUPÇÃO

A segunda lista de Janot

A lista do “Setor de Operações Estruturadas”, leia-se departamento de propinas, da Odebrecht é de causar espanto tanto pela extensão dos beneficiados como pela criatividade dos codinomes empregados. O “cara” que é fanático pelo futebol do “Coríntia” era realmente “amigo”, pois abriu as portas, aqui e no exterior, para a empreiteira obter contratos bilionários por apenas R$ 10,5 bilhões em propinas. Depois dele entrou em cena a “inter”, cujo assessor era um “italiano”, que foi posteriormente substituído pelo “pós-Itália”. Obedecendo a ordens, este introduziu práticas econômicas criativas que resultaram na pior recessão e no mais alto nível de desemprego já vivido no Brasil. A lista vai longe e tem codinomes de todo tipo. Pena que a Odebrecht não usou sua criatividade para se tornar uma empresa séria, eficiente e competitiva mundialmente. Sua conduta é revoltante, pelo tamanho do estrago e pela conta que estamos pagando!

OMAR EL SEOUD

elseoud.usp@gmail.com

São Paulo

Alcunhas

Por que não publicar todos os relacionados na lista com os apelidos criados pela Odebrecht?

ROBERT HALLER

robelisa1@terra.com.br

São Paulo

De fato, onde está a relação associando os apelidos aos nomes dos beneficiários da propina da Odebrecht? Ou o tesoureiro apresentava o cheque ao dr. Marcelo, pedia a assinatura e dizia não saber quem era o “amigo”, o “caju”, o “pé na cova”...?

FRANCISCO DE CASTRO

fcastro48@gmail.com

São Paulo

Pauta

Em dois anos, a segunda lista de Janot, com mais de 300 nomes, dá ao homem de bem a sensação de que a política e a governança federal têm como pauta, intenção e propósito o desvio de conduta, o crime, e não a prosperidade do Brasil e seu povo.

JOSÉ MARIA LEAL PAES

myguep23@gmail.com

Belém

Se alguém quiser escolher o pior político brasileiro, basta fechar os olhos e pegar qualquer um da lista de Janot...

GERALDO MACIAS MARTINS

maciasfilho@hotmail.com

Catanduva

STF

A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) precisa urgentemente decidir sobre a nova estrutura necessária na Corte para digerir “o boi que a sucuri engoliu”. Não é possível esperar resultados deixando a organização interna sem aumento de recursos que acelerem a análise e a tramitação dos numerosos processos.

RICARDO FIORAVANTE LORENZI

ricardo.lorenzi@gmail.com

São Paulo

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

OPERAÇÃO CARNE FRACA

 

A mais recente investida da Polícia Federal, ontem, foi contra grandes frigoríficos, onde se esperava a prisão de 38 executivos ­– e também foi citado nas investigações o atual ministro da Justiça, Osmar Serraglio (PMDB). Além das propinas pagas para liberar o comércio de carne irregular, até carne podre era maquiada. A operação deveria se chamar “Carne (é) Fraca”. A que ponto chegou a corrupção no País!

 

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

 

*

DE FRAUDE A ASSASSINATO

 

Na operação deflagrada pela Polícia Federal ontem, chamada “Carne Fraca”, envolvendo a JBS e BRF, os maiores frigoríficos do País, entre todo tipo de falcatrua descobriu-se a camuflagem de carne estragada com produto cancerígeno, que era repassada até para “merenda escolar”. Isso já passou de fraude para assassinato. Engraçado que esses dois frigoríficos eram paparicados e protegidos pelo lulodilmismo, regados a empréstimos bilionários do BNDES. A conferir...

 

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

 

*

FRIGORÍFICOS E PARTIDOS

 

JBS + PT + PMDB + BNDES = Brasil podre!

 

José Roberto Niero jrniero@yahoo.com.br

São Caetano do Sul

 

*

COMBATE À CORRUPÇÃO

 

A maior operação da Polícia Federal da história, acatando decisão judicial, que apura irregularidades no seguimento de produção de alimentos de origem animal, é assustadora. Denominada Carne Fraca, tal operação policial é de estrema necessidade para permitir que nossos alimentos industrializados possam ter garantia de salubridade, fundamental para a confiabilidade e a expansão deste setor tão importante para a nossa economia.

 

José de A. Nobre de Almeida josedalmeida@globo.com

Rio de Janeiro

 

*

PERIGO

 

Se já sabíamos que a carne é fraca, revela-nos agora a Polícia Federal o quanto ela pode ser perigosa. Quanto aos embutidos, então, vade retro!

 

Eduardo Augusto D. Filho e.delgadofilho@gmail.com

São Paulo

 

*

MORTE NO PRATO

 

A Operação Carne Fraca, da Polícia Federal, revelou, literalmente, a podridão disfarçada com produtos cancerígenos, envolvendo frigoríficos de marcas tradicionais, que têm celebridades em seu merchandising. Além da responsabilização penal dos executivos, servidores públicos e políticos (todos psicopatas) autores deste crime atroz, que sejam enquadrados também os publicitários e as celebridades que anunciam “bocados de morte” como se fossem “iguarias dos deuses”. Eles anunciam o desconhecido?

 

Túllio M. Soares Carvalho tulliocarvalho.advocacia@gmail.com

Belo Horizonte

 

*

A CARNE É PODRE

 

Depois do exposto, restará a Tony Ramos um “muito pelo contrário”...

 

A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

 

*

REGISTRO

 

Agora só falta as empresas e os executivos e dirigentes parafrasearem os deletados da Operação Lava Jato: tudo foi feito dentro das leis e tudo está registrado no Ministério da Agricultura.

 

Moises Goldstein mgoldstein@bol.com.br

São Paulo

 

*

NOTÍCIA ALVISSAREIRA

 

Eis que, após 22 meses, ocorre a contratação de 35.612 pessoas com carteira assinada, em fevereiro, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). Sem dúvida, trata-se de notícia alvissareira e que estimula a esperança em todos os brasileiros, especialmente se se atentar para o fato de o Poder Legislativo aprovar as flexibilizações em nossa legislação trabalhista. Com certeza, teremos um crescimento muito maior de contratações formais e com carteira assinada. Cabe, no momento, uma boa lembrança: são os empresários que contratam, e nunca os sindicatos. Daí que as greves como a que vimos esta semana deveriam ocorrer em sentido contrário, para que as leis trabalhistas fossem mudadas e flexibilizadas, com a facultatividade no pagamento do Imposto Sindical!

 

José C. de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

 

*

PREJUDICIAL E OBRIGATÓRIO

 

Tudo o que é prejudicial aos indivíduos livres, aqui, no Brasil, é obrigatório, como o voto e o Imposto Sindical. Pelo fato de o voto ser obrigatório, temos esta escória que nos representa politicamente, e bancando os pelegos dos sindicatos por meio do Imposto Sindical, que nos é arrancado contra a nossa vontade, acabamos por patrocinar este ato de violência – que eles chamam de manifestação – desencadeado na quarta-feira, dia 15/3, prejudicando a vida e os interesses de milhares de pessoas. Coincidentemente (?), esse massacre se deu no dia seguinte ao “horário eleitoral gratuito” de Lula em depoimento ao juiz Ricardo Augusto Soares Leite. E ainda sobrou tempo ao ex-presidente para participar do movimento na Avenida Paulista, infiltrado na CUT. Tudo premeditado: as autoridades não podem agir com a violência que esses marginais querem ao usar a chantagem taticamente, o que lhes permite cinicamente alardear a vitória da minoria desocupada contra a maioria trabalhadora, isso se essa maioria tiver a felicidade de ainda ter emprego. Então é isto: não basta o impeachment de Dilma, temos de fazer o mesmo com Lula, centrais sindicais e, urgentemente, acabar com esta aberração do Imposto Sindical obrigatório!

 

Carmela Tassi Chaves tassichaves@yahoo.com.br

São Paulo

 

*

FIM DO IMPOSTO SINDICAL

 

Concordo plenamente com a opinião do leitor sr. Alvarez Arantes, publicada no “Fórum dos Leitores” do “Estadão” de 16/3, sobre a extinção do Imposto Sindical, que é um dia de trabalho descontado de qualquer empregado todo 31 de março de cada ano. Segundo o presidente da Central única dos Trabalhadores (CUT), Vagner Freitas, que reúne o maior número de sindicatos no País, a obrigatoriedade do pagamento estimula a criação de sindicatos de fachada, e que é um retrocesso, pois somente o trabalhador é que tem de avaliar se deseja ser sócio, e ele se associará se o sindicato tiver representatividade. Segundo a revista “Veja” (26/10/2016), existe no Brasil o maior número de sindicatos no mundo, ou seja, 16.293 sindicatos registrados no Cadastro Nacional de Entidades Sindicais do Ministério do Trabalho. Nos EUA, são 130 sindicatos; no Reino Unido, 168; na Dinamarca, 164; na Argentina, 91; e por aí vai. De acordo com a Organização Internacional do Trabalho (OIT), um imposto como este contraria o princípio da liberdade sindical – e, por sinal, aqui, no Brasil, onde os sindicatos não prestam contas à sociedade, o imposto foi aprovado no governo Lula, a “alma mais honesta” do Brasil. Só nos resta torcer para que o projeto do deputado Rogério Marinho (PSDB-RN), pelo fim do Imposto Sindical, seja inserido no projeto da reforma trabalhista atualmente em estudo no Congresso.

 

Edgard Gobbi edgardgobbi@gmail.com

Campinas

 

*

SINDICATOS

 

Enquanto a Inglaterra, berço do sindicalismo, tem 168 sindicatos, o Brasil tem cerca de 17 mil (!), que receberam somente nos últimos cinco anos a exorbitância de R$ 15 bilhões (!) de arrecadação obrigatória. É chegada a hora de dar um basta ao peleguismo profissional, tornando opcional o desconto de um dia de trabalho anual dos trabalhadores, bem como a implantação da obrigatoriedade da prestação de contas do uso do dinheiro recebido. É preciso pôr cobro a esta herança maldita do getulismo fascista. Reforma, Brasil!

 

J. S. Decol decoljs@gmail.com

São Paulo

 

*

PROLIFERAÇÃO

 

Fundo Partidário e Imposto Sindical induzem partidos políticos e sindicatos a proliferarem como ratos. Urge eliminá-los.

 

Níveo Aurélio Villa niveoavilla@terra.com.br

Atibaia

 

*

BOAS NOTÍCIAS

 

No meio de tantas dificuldades, temos de festejar as boas notícias. O leilão de aeroportos realizado esta semana mostrou a confiança de empresas estrangeiras, que têm know-how no ramo, no País; os empregos com carteira assinada, que superaram as demissões em fevereiro; os vários projetos que pouca gente teve a coragem de tentar: o limite de gastos, a reforma do ensino, a mudança na administração das estatais, eliminando sanguessugas, a mudança nas aposentadorias, a reforma tributária. Quem teve peito de tentar tudo isso? Agradeço ao presidente Michel Temer pela coragem e pela visão do caminho que nos faz ter esperança em nosso futuro.

 

Aldo Bertolucci aldobertolucci@gmail.com

São Paulo

 

*

PRIVATIZAÇÃO AJUDA

 

Em nenhum país civilizado de Primeiro Mundo o governo administra aeroportos, empresas de petróleo nem muito menos bancos. O dinheiro arrecadado no leilão desta semana (R$ 3,72 bilhões) deve ser utilizado na educação, na saúde e na segurança. A máquina pública brasileira está inchada e ineficiente.

 

José Carlos Saraiva da Costa jcsdc@uol.com.br

Belo Horizonte

 

*

LEILÃO DE AEROPORTOS

 

O ministro Moreira Franco disse estar satisfeito com o sucesso dos leilões de vários aeroportos brasileiros, até porque é preciso colocar o Brasil nos trilhos. Ministro, como perguntar não é ofensa, como é possível colocar um país nos trilhos leiloando parte de seu patrimônio?

 

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

 

*

QUE SEMANA!

 

O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que o ICMS não deve fazer parte da base de cálculo do PIS/Cofins. Entendeu o Supremo que é um absurdo cobrar imposto sobre imposto. Temeroso de que essa decisão afete outros tributos, os onagros do governo, para compensar as perdas, apelam para a única solução que conhecem, que é elevar impostos. Nessas ocasiões jamais o governo cogita de reduzir despesas. O primeiro leilão de concessão de aeroportos, de Fortaleza, Salvador, Florianópolis e Porto Alegre, pelo sucesso obtido, veio em boa hora, num momento em que o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, tal qual uma raposa, espalha medo e pânico no galinheiro mais sofisticado do Brasil, instalado em Brasília, no Palácio do Planalto e no Congresso Nacional, onde de um magote de 513 mais 81 poucos sobraram, e mesmo assim colocando a barba de molho. A rala reação do aumento de novos empregos com carteira assinada e o resultado do leilão de quatro aeroportos serviram para ofuscar as manifestações de rua em várias capitais, contra as reformas da Previdência e do trabalho, propostas pelo governo, com uma conotação especial em que nas manifestações estavam nos protestos até aliados de Temer. No ritmo de denúncias que vai a Lava Jato, Legislativo e Executivo terão de ter seus cargos preenchidos com procuradores da República e outros agentes do Judiciário. E a Polícia Federal não descansa e prende executivos da JBS e da BRF, na Operação Carne Fraca.

 

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

 

*

APOCALIPSE

 

Quando pensamos que já vimos tudo em termos de falcatruas – não vou nem citar aqui os mais recentes escândalos políticos –, eis que somos surpreendidos com a maior operação da Polícia Federal já vista, desta vez envolvendo grandes frigoríficos brasileiros, que, entre outras coisas, comercializavam carnes estragadas contendo substâncias cancerígenas, não só no mercado interno como também para exportação. Lista de Janot? Ora, a lista de Janot... Pano rápido!

 

José Marques seuqram.esoj@bol.com.br

São Paulo

 

*

STF LENTO

 

Após a publicação da nova lista do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, muito se tem falado e explicado a respeito da lentidão do Supremo Tribunal Federal (STF) na condução dos processos criminais naquela corte. O problema não é novo, muito pelo contrário. O absurdo da lentidão da Justiça brasileira é bem conhecido. Mas, no STF, a coisa é tão séria que acusados são constantemente inocentados por prescrição de crimes (vide o impeachment de Collor). Sejamos claros. Com os recursos disponíveis para cada um dos juízes do STF e para o conjunto daquela corte, essa lentidão é uma questão de escolha.

 

Oscar Thompson OscarThompson@hotmail.com

Santana de Parnaíba

 

*

A CHAPA ESQUENTOU DE VEZ

 

É impressionante o tamanho da corrupção que temos no Brasil. Se gritar “pega ladrão”, não sobrará ninguém na política que não esteja envolvido com este câncer que corrói os cofres públicos. Bem ao contrário do que pode parecer à primeira vista, a profusão de ilustres presenças na segunda lista de denúncias do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, no âmbito da Operação Lava Jato, comprova que o Brasil está mais forte do que nunca para exterminar este câncer chamado corrupção. Afinal, em que outro momento da cena nacional o preceito constitucional de que todas as pessoas são iguais perante a lei foi tão respeitado? Eis, portanto, chance única de passar o País a limpo, não deixando pedra sobre pedra, com punição severa. É evidente que ninguém pode ser considerado culpado apenas por ser citado na lista de Janot. Convém lembrar o dito popular: “Onde tem fumaça tem fogo!”. A Constituição da República garante a presunção de inocência a todos os cidadãos. Mas a simples presença de nomes das mais altas autoridades da Nação entre os investigados na principal força-tarefa anticorrupção da história demonstra de forma inequívoca que o Brasil finalmente decidiu dar sonoro basta aos desmandos que atravancam o seu desenvolvimento social e econômico. Entre os denunciados ao STF, por possuírem o vergonhoso, esdruxulo e nefasto foro privilegiado, estão pelo menos seis ministros do atual governo Michel Temer, os presidentes da Câmara (Rodrigo Maia) e do Senado (Eunício Oliveira) e também o líder do governo na Câmara Alta, Romero Jucá. Estão envolvidos senadores, deputados, governadores e os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, ambos petistas. O fato é que, com os nomes vazados, a chapa esquentou e o pânico geral chegou a Brasília. Até que as denúncias sejam efetivamente analisadas pela Justiça, ainda haverá longo caminho a ser percorrido. O que importa, todavia, é que as instituições nacionais não recuem na batalha para fazer deste amado país uma nação séria, como merecem os mais de 200 milhões de brasileiros. Que a rigidez demonstrada pela Lava Jato frutifique, tornando os políticos e empresários brasileiros mais cônscios de suas responsabilidades. E que, ao fim de todo o processo, divisados os culpados e os inocentes, o Brasil finalmente deixe de ser o país do futuro para se tornar a nação do presente, orgulhosa de seu passado. A democracia está acima de todos os corruptos e corruptores e a imprensa está aí para fiscalizar tudo e todos, sem exceções.

 

Turíbio Liberatto turibioliberatto@hotmail.com

São Caetano do Sul

 

*

É SÓ O COMEÇO

 

Dilma Rousseff, conhecida como “Brazilian Official 2” na delação que a Odebrecht fez ao Departamento de Justiça dos EUA (Obs.: número 1 é Lula), diz que não há provas contra ela e critica vazamento. É apenas o começo, senhora, logo, muito logo, o juiz Sérgio Moro e a Interpol estarão no seu encalço. Adeus, viagens!

 

Arnaldo Ravacci arnaldoravacci05@gmail.com

Sorocaba

 

*

A LISTA DE JANOT

 

Será que algum político sobreviverá? Façam as suas apostas, senhores e senhoras!

 

Milton Bulach mbulach@gmail.com

Campinas

 

*

OU TUDO OU NADA

 

Eunício Oliveira, presidente do Senado, e Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados, ao se dirigirem aos seus respectivos plenários, cercados de assessores e seguranças, mais parecem lutadores de UFC se dirigindo ao rinque para lutas de vale quase tudo.

 

Sergio S. de Oliveira ssoliveiramsm@gmail.com

Monte Santo de Minas (MG)

 

*

BATALHA NO CONGRESSO NACIONAL

 

O Congresso, pensando em livrar seus corruptos do crime de caixa 2, prepara uma reforma política em que o eleitor não mais votará num candidato para deputado federal, estadual e até vereador, mas somente no nome de um partido. É a tal da “lista fechada”, em que os nomes dos candidatos serão escolhidos pelos dirigentes das siglas – lembrando que a maioria destes está denunciada e até sendo investigada na Lava Jato. Ou seja, seremos obrigados a votar literalmente no escuro. Um golpe no cidadão brasileiro! Ora, se no modelo atual já é difícil de escolher um bom nome, que não seja de um corrupto em potencial, imaginem votando numa lista fechada? Isso é antidemocrático! Se o modelo será este, para já, na eleição de 2018, não votarei mais para deputado federal e estadual. Para ter uma ideia, só de saber quem são os presidentes dos principais partidos que vão comandar nomes de candidatos para esta lista fechada já causa arrepios: Romero Jucá, do PMDB; Ciro Nogueira, do PP; Gilberto Kassab, do PDS; Aécio Neves, do PSDB; e ele, Lula, dono do PT. Ou seja, todos citados por delatores ou denunciados e já sendo investigados, sem contar Lula, que é réu pela quinta vez no petrolão. É um escárnio! Certamente, será uma lista fechada repleta de corruptos, no intuito de enfiar goela abaixo o voto digno do eleitor já em 2018. A Nação exige respeito!

 

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

 

*

LISTA FECHADA

 

A proposta do modelo de lista fechada para eleição de deputados e vereadores pode até ser interessante para certos países do Primeiro Mundo, o que está longe de ser o nosso caso. O Congresso precisa de renovação urgente e isso passa necessariamente pelo aprendizado do voto, tão importante e, infelizmente, tão deficitário. Despersonalizar o voto, neste momento politicamente conturbado, é incabível e beira o ridículo. Sem contar que os políticos favoráveis a esta proposta só fazem aumentar a suspeita que recai sobre eles e a classe política em geral, acerca das suas nada insuspeitas intenções.

 

Luciano Harary lharary@hotmail.com

São Paulo

 

*

VOTO DISTRITAL PURO

 

Como se já não bastasse o sistema eleitoral faz-de-conta que temos, nossos políticos, com ajuda do ministro Gilmar Mendes, querem piorá-lo. Hoje, por mais que o eleitor se dedique a analisar currículo de candidato, poderá eleger um outro. E até de outro partido. Isso é o absurdo dos absurdos do ponto de vista de representação. Agora, com esta proposta que mais uma vez só privilegia os caciques dos partidos (lista ordenada e fechada), amplia-se a distância entre o eleitor e os eleitos. Precisamos é de voto distrital, que reduz o custo das campanhas e aproxima eleitor do eleito.

 

Carlos de Oliveira Avila gardjota@gmail.com

São Paulo

 

*

PROTESTO NAS RUAS

 

Milhares de pessoas foram às ruas na quarta-feira para protestar contra a reforma da Previdência, em atos insuflados por centrais sindicais. A reforma é fundamental para evitar o colapso do sistema em si, na raiz, mesmo que se incluam todas as categorias deixadas de fora do projeto (congressistas, militares e outros) e que se expurguem todas as falcatruas, estas, sim, um motivo justo para os protestos das ruas. Mas a maioria prefere se guiar por quem tem outros interesses e por meio de artigos postados nas redes sociais, sem nenhum embasamento, não se dando ao trabalho de se informar com os inúmeros especialistas disponíveis em todos os meios de comunicação. O mais grave, ainda, é que muitas dessas pessoas que lá foram – e eu conheço algumas – usam o voto nulo ou em branco como protesto, por pura falta de informação. Assim fica complicado!

 

Abel Pires Rodrigues abel@knn.com.br

Rio de Janeiro

 

*

OPORTUNISMO

 

O ex-presidente Lula também saiu às ruas na quarta-feira para combater a reforma da Previdência e aproveitar-se do momento para aparecer. Fez o que sabe fazer: desviar a atenção do desenvolvimento do País para repisar a lenga-lenga do “golpe” e espernear contra a mídia, a Justiça e o governo que lhe tirou o poder. Iludir a massa ignara é sua especialidade. Seu público é, na maioria, ignorante, porque não sabe rebater as ideias com palavras pois não as conhece nem as articula bem, não sabe se expressar e a única forma que encontra para isso é usando a força bruta, o vandalismo e a agressão física. É lamentável que estejamos neste nível de educação e de incivilidade. Só quem pode mudar este status quo é o próprio povo nas próximas eleições. Mas como? Se o povo não alcança o conhecimento e o discernimento para escolher seus representantes, caímos num círculo vicioso difícil de ser superado. Só rezando. Com a ajuda de Deus talvez possamos sair das trevas e reencontrar a luz.

 

Mário Negrão Borgonovi marionegrao.borgonovi@gmail.com

Rio de Janeiro

 

*

ACREDITE SE QUISER

 

No seu discurso no palanque da CUT, CTB e UNE, o Lula (de sempre) só falou “pérolas”: voltou a ser “Lulinha paz e amor”, afirmou que “é possível consertar a gestão Dilma Rousseff” em “dois anos e 10 meses”, além de “recuperar o humor e alegria deste país”. Será que os brasileiros não aprenderam a lição? Ou são tão inocentes para acreditar nestas fantasias como os americanos que elegeram o desastroso Donald Trump?

 

Omar El Seoud ElSeoud.USP@gmail.com

São Paulo

 

*

LULA NO PALANQUE

 

“Vocês não sabem do que sou capaz” e “Pelo poder fazemos qualquer coisa”. Não esquecer jamais.

 

Jorge Silberberg Jorge.silberberg@uol.com.br

São Paulo

 

*

CONSERVADORES

 

Os esquerdistas do PT e de outros partidos se regalam em chamar (xingar) de “conservadores” os que não são seus adeptos. Mas as manifestações de rua por todo o Brasil, Lula à frente, do dia 15/3/2017, contra a reforma da Previdência, a reforma trabalhista e contra o governo Temer, mostram com toda clareza quem são os verdadeiros conservadores brasileiros. Nada como a vida para ensinar.

 

Euclides Rossignoli euclidesrossignoli@gmail.com

Avaré

 

*

TRABALHADOR PREJUDICADO

 

A filosofia do PT é impressionante: eles não geraram empregos, fundamentais para o crescimento do País, e, quando o governo atual tenta recuperar as besteiras que fizeram, eles vêm com estas graves estapafúrdias que prejudicam, em especial, o trabalhador. Tolher dele o direito de ir e vir é simplesmente insano. Pobre país!

 

Laert Pinto Barbosa laert_barbosa@globo.com

São Paulo

 

*

AS MANIFESTAÇÕES DO PT

 

As manifestações do PT lembram quando Portugal invadiu a China e Mao perguntou: “Em qual hotel estão hospedados?”.

 

Eugênio José Alati eugenioalati13@gmail.com

Campinas

 

*

POR QUE TEMOS QUE IR ÀS RUAS

 

A esquerda precisou conclamar a CUT, a Força, o MST, o MTST, o sindicato dos professores, os metroviários (que pararam o funcionamento do Metrô) para só assim encher dois quarteirões na Avenida Paulista, e ainda escalar militantes pagos para, em grupos de 20 pessoas, queimar pneus em diversas avenidas, interrompendo o tráfego dos veículos. Tudo para trazer o caos a esta cidade. Eles são contra Michel Temer, contra as reformas, mas eu afirmo que foram eles mesmos que nos últimos 14 anos levaram o País à quase insolvência, e agora se recusam a aceitar o remédio amaríssimo que poderá salvá-lo do caos. O pior é que estou percebendo um esvaziamento na intenção daqueles que sempre foram às ruas, justamente porque acham que a manifestação do dia 26 de março estará poluída pelos dois extremos políticos, esquerda e direita, que neste momento descobriram ter interesses comuns e rezam a mesma ladainha: contra o presidente e suas reformas. Pois eu digo o contrário! Temos de ir às ruas, sim! Onde nos ausentarmos, o adversário cresce e toma conta do pedaço. Vamos levantar nossas faixas pelo bem do Brasil, pelo “Fora PT”, “Fora Lula” e basta à corrupção, vamos dar adeus aos políticos corruptos, sejam eles de que partido forem, gritar bem alto um “não” à lista fechada e exigir o fim da imunidade parlamentar e do foro privilegiado! Deixar de ir à Paulista, o território que conquistamos a duras penas, é entregar de bandeja nosso espaço ao adversário. Vamos às ruas, gente!

 

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

 

*

GREVE DOS PROFESSORES

 

Quero saber de Maria Isabel Noronha, presidente do Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeoesp), se ela já frequentou alguma escola, qual a sua formação e, para julgar o atual governo como “golpista”, o que ela tem a dizer sobre o (des)governo petista (talvez nem seja bom saber). Se o que falta ao Brasil são escola e educação, por que estes petistas que agora estão sem rumo entrarão em greve? Todo pai de aluno deveria comparecer às escolas e exigir dos professores maior atuação dentro dessas instituições de ensino, e não fora delas. Seguindo esta agitadora, mais uma vez os alunos sofrerão com o atraso no ensino (mais do que já estão), perderão o ano (tempo perdido jamais será recuperado) e ficarão à mercê destes falsos intelectuais que só pensam em delinquir. Paralisação? Deveriam ser demitidos e ir buscar emprego na Florestan Fernandes. Lá é o lugar destes irresponsáveis. As aulas desses agitadores (não podemos chamá-los de professores) são vergonhosamente direcionadas à divulgação do bolivariano lulopetista, que graças a Deus está em extinção. Acordem! Os alunos precisam de aulas. Aulas! Entendem?

 

Antônio Sergio Isnidarsi isnidarsi@icloud.com

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.