Fórum dos leitores

.

O Estado de S. Paulo

16 Abril 2017 | 05h00

CORRUPÇÃO

Rendosa parceria

Como será que se sentiam Emílio Odebrecht e seu filho Marcelo tendo literalmente nas mãos um presidente da República para satisfazer seus caprichos e anseios de domínio de mercado? Envaidecidos, certamente! Pois é o que acontecia até a Lava Jato eclodir, detonando a base dessa parceria. Aquele que se diz o maior democrata da História deste país, o mais honesto, o que mais cuidou dos pobres, o que mais combateu a corrupção, nada mais foi do que marionete de empresários para poder saciar sua fome de poder e seu desejo de riqueza. Sempre nas mais altas rodas, as elites o afagavam e Lula retribuía com enormes regalias. Favoreceu o quanto pôde essas minorias já tão privilegiadas. Em troca, acalmava os “cumpanheiros” para evitar greves em grandes empresas. Quando presidente, como que entregou o Brasil à Odebrecht, sua maior parceira na corrupção. Era só Emílio querer mudar uma leizinha para favorecer seus negócios e lá estava Lula para criar as boas condições para tanto... Lula está nu diante da sociedade brasileira. A Lava Jato, que está elucidando as falcatruas dos nossos políticos, foi o melhor presente que os brasileiros poderiam ter tido! 

MYRIAN MACEDO

myrian.macedo@uol.com.br

São Paulo

Empreiteiro da década

Depois de tudo o que foi revelado por Emílio Odebrecht, não resta mais nenhuma dúvida que Lula, além de doutor honoris causa em corrupção, também merece o título de empreiteiro da década, por sua atuação tornando viáveis obras na África, em Cuba e na Venezuela, todas concluídas, e também no Brasil, onde, lamentavelmente, a grande maioria segue inconclusa.

CLAUDIO JUCHEM

cjuchem@gmail.com

São Paulo

E a fiscalização?

Impressionante a desfaçatez com que Lula nega as gravíssimas acusações que lhe são feitas, e ainda se faz de rogado. Como todo político, acostumado a dissimular, blefar, em nenhum momento assume que errou. Não creio que um empresário do porte de Emílio Odebrecht não tenha guardado documentos para provar o que falou e não sair como mentiroso nessa história. Até hoje não entendi como o sr. Marcelo Odebrecht continua preso, se já poderia ter contado tudo o que sabe, expondo vídeos, áudios, para demonstrar a relação promíscua entre sua empreiteira e os governos petistas. Mas o que mais me chama a atenção, quando tomamos conhecimento dessa canalhice toda, é onde estavam os órgão de fiscalização, que deixaram esse descalabro ir tão longe. 

LUIZ THADEU NUNES E SILVA

luiz.thadeu@uol.com.br

São Luís

A denúncia do corruptor sobre quem corrompeu é uma prova evidente por si mesma.

EUGÊNIO JOSÉ ALATI

eugenioalati13@gmail.com

Campinas

Carta dos empreiteiros

Marcelo e Emílio Odebrecht apenas confirmaram muitos fatos que já eram conhecidos. A novidade mesmo foi sabermos que a Carta aos Brasileiros foi escrita por seu time de advogados. Queria ver a cara dos que ainda defendem a alma mais honesta do Brasil. Tudo o que Lula faz e fez é mentira, farsa, encenação!

JULIO CRUZ LIMA NETO

Julio.CruzLima@plastekgroup.com

São Paulo

De ódio e outros objetos

O PT de Lula forjou e se nutriu de uma estratégia de ódio como jamais vista. Insuflou sem trégua uma odiosa luta de classes. Na sua guerra de secessão, dividiu o País em vestais (eles) e corruptos (os outros). Nunca admitiu adversários, que tratou como inimigos. Subordinou os interesses nacionais a seu delírio hegemônico e financiou ditaduras. Cultivou a impostura e a arrogância até o fragoroso naufrágio que arrastou a política e a economia. Eis que, com o declínio da estrela vermelha, surgem discursos pregando o diálogo (Um ódio que perde o objeto, 13/4, A2) e condenando a intolerância – dos outros! Onde estavas, intelligentzia? 

CELSO L. P. MENDES

cpmconsult@uol.com.br

São Paulo

Distorções

Constatamos que no passado recente empresas de sucesso não eram as que buscavam produzir com qualidade e eficiência, mas as administradas por corruptos. Eficiência técnica era sobrepujada pela eficiência em negociar propina. Para a Nação, prejuízo maior que o desvio de dinheiro foi privilegiar a ascensão de corruptos às altas esferas do poder.

OSCAR SECKLER MULLER

oscarmuller2211@gmail.com

São Paulo

A eficiente engenharia financeira da Odebrecht, que descobriu há décadas que bastava procurar corruptos em seu hábitat (Poderes Executivo e Legislativo), com certeza supera em resultados sua engenharia operacional.

GERALDO MARCONDES JÚNIOR

gfonsecamarcondes@uol.com.br

Taubaté

REFORMA SINDICAL

Mudanças já

Conforme o impressionante relato do empresário Emílio Odebrecht, nos anos 1970 o aguerrido sindicalista Lula foi utilizado por ele para aplacar os ânimos dos funcionários da sua empresa que estavam em greve no Polo Petroquímico de Camaçari. Já Fernando Reis, ex-presidente da Odebrecht Ambiental, disse que usava o então presidente da Força Sindical Paulo Pereira Silva, o Paulinho, para desmantelar greves promovidas por movimentos e centrais sindicais. Não se trata de peleguismo, esses casos estão muito mais para traição velada. Enfim, o fato é que esta é a melhor oportunidade para se discutir a reforma sindical, com o fim das contribuições sindicais compulsórias e a reestruturação do sistema, acabando com a desenfreada e descabida proliferação de sindicatos que nada representam.

ABEL PIRES RODRIGUES

abel@knn.com.br

Rio de Janeiro

Muito mais

Os que criticam a escorchante contribuição sindical e também os que não criticam por desconhecimento saibam o seguinte: não existe só ela. Existem também as ignóbeis Contribuição Assistencial, que muitos sindicatos – pasmem! – cobram mensalmente; a Contribuição Confederativa – pasmem novamente! –, que muitos sindicatos também cobram mensalmente; e ainda a inominável Contribuição Negocial. Expressão do momento: total escárnio! O que os sindicatos fazem com os trabalhadores – e as autoridades políticas permitem – é desumano, insensato, insano, desonesto. Resumindo, é roubo instituído.

EDSON FRANCISCO OEHLMEYER

mundialrioclaro@uol.com.br

Rio Claro

SEM PÂNICO

A divulgação dos vídeos dos depoimentos dos delatores da Odebrecht, com seus conteúdos estarrecedores, não constituem nenhuma nova crise. A crise política vem desde o início da Operação Lava Jato, em 2014, cujos desdobramentos mostraram que a corrupção, que não era nenhuma novidade nos meandros políticos, foi alçada, pelo Partido dos Trabalhadores (PT), a níveis de organização (leia-se quadrilha), profissionalismo e imoralidade jamais vistos na história do mundo civilizado. As instituições encontram-se em plena ordem, não há ruptura da trama constitucional e os envolvidos serão investigados, sejam eles quem forem. Portanto, não há motivo para pânico. O País precisa seguir para sair do atoleiro, e nunca é demais repetir: Michel Temer, embora não seja nenhuma maravilha, é o que temos para hoje.

Luciano Harary

lharary@hotmail.com

São Paulo

A RESSUREIÇÃO DO PAÍS

É a melhor Páscoa da nossa vida, sem dúvida! Desde já estou mentalizando que este Brasil podre e corrupto seja varrido para sempre da face abaixo da linha do Equador, que estes homens maus, egoístas e sem amor à Pátria voltem para os buracos de onde saíram. E que a passagem da vida velha para a vida nova, que é o significado da Páscoa, nos mantenha firmes no propósito de livrar o nosso país desta quadrilha que tomou o poder, com o voto inocente e crédulo de seus cidadãos engambelados.

Elisabeth Migliavacca

São Paulo

A SEMANA

Para os políticos listados por Fachin, a Semana Santa foi diabólica.

Roberto Twiaschor

rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo

REDESCOBERTA

Pelo andar da carruagem, estamos descobrindo um novo Brasil, não o de Pedro Álvares Cabral, mas o Brasil de Sérgio Cabral. Que Deus nos acuda.

Vidal dos Santos

vidal.santos@yahoo.com.br

Guarujá

RETRATO DO BRASIL

Os Terabytes de vídeos de delações e documentos liberados pelo ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), são um retrato do Brasil atual, no qual a corrupção, que era endêmica, tornou-se epidêmica e se espalhou como um vírus da zika, encolhendo cabeças como a tribo dos Jivaros. Quem vê os vídeos sente um misto de náusea, revolta, perplexidade e curiosidade ao ver, de um lado, a lista de políticos delatados e, de outro, os empreiteiros descrevendo, com a maior naturalidade, os acontecimentos, muitas vezes rindo como se aliviados estivessem por estar podendo falar abertamente sobre os detalhes e os valores envolvidos. É muito improvável que exista ou tenha existido no mundo uma divulgação como esta. É não só triste e revoltante, mas também ridículo constatar que a sem-vergonhice cresceu sem nenhuma oposição e com tamanha adesão. A esperança é que, independentemente das punições exemplares, o Brasil comece a mudar, e o único caminho, que não seja o da força, é de uma nova Constituição reformando tudo, até a cultura da impunidade vigente no País, que é a mãe do crime, da imoralidade e da baixa escolaridade que têm resistido a qualquer tentativa de avanço no desenvolvimento nacional.

Gilberto Dib

gilberto@dib.com.br

São Paulo

DEGRADAÇÃO

No passado havia jornais que, espremidos, pingavam sangue. Hoje, com a degradação moral e ética da política, sem qualquer pressão, os jornais jorram fétidos dejetos.

Mário Rubens Costa

costamar31@terra.com.br

Campinas/SP

SANGRIA TOTAL

Talvez ainda mais terrível do que os milhões que saem do dinheiro público e, via empresas privadas, vão parar em caixas 2, malas e “cuecas”, seja a ineficiência, a paralisia que isso causa em toda a máquina pública, nos três níveis: municipal, estadual e federal. Sangramos no lado financeiro e sangramos no lado operacional! Será que a Lava Jato consegue nos salvar?

Eduardo Britto

britto@znnalinha.com.br

São Paulo

MODELO DE NEGÓCIO

O depoimento de Marcelo Odebrecht é digno de ser incluído nos anais da Cosa Nostra. Impressiona como ele descreve, friamente em tom didático, o modus operandi de sua empresa, sempre baseado na corrupção e no abuso de poder econômico. O resultado deste “modelo de negócio” é a destruição do sistema parlamentar brasileiro. A recessão, o desemprego, a quase falência das empresas estatais e a degradação da qualidade de vida de boa parte do povo brasileiro são resultados diretos desta farra com o dinheiro público. Enquanto isso, os políticos corruptos estão aproveitando salários milionários, mordomias, foro privilegiado, sítios e apartamentos luxuosos, e por aí vai.

Omar El Seoud

ElSeoud.USP@gmail.com

São Paulo

DITO POPULAR

Segundo o dito popular, por trás de todo grande homem existe uma grande mulher. Agora também podemos dizer que “por trás de todo grande político existe uma grande empreiteira”.

Vanderlei Zanetti

zanettiv@gmail.com

São Paulo

A LISTA FATÍDICA

A megalomania de um homem que queria ser conhecido internacionalmente e a intenção de desviar dinheiro público nas obras faraônicas da Copa do Mundo de futebol e da Olímpiada ocasionaram a venda do País para a Odebrecht. Os demais partidos e políticos se sentiram à vontade de também participar do “banquete” da roubalheira. Triste é a nação que tem uma gama de ex-presidentes, governadores e parlamentares envolvidos na maior falcatrua jamais vista no planeta. Não permitamos que sejamos conhecidos como Odebrasil e que em 2018 se faça uma limpeza geral nas eleições previstas.

Luiz Felipe Schittini

fschittini@gmail.com

Rio de Janeiro

EVIDÊNCIAS

Corrupção, falcatruas, superfaturamentos, todos sabem em todos os tempos que sempre existiram, desde que o mundo civilizado registra seu diário. Propina de político é como espírito, todos sabem que existe, mas ninguém prova.

Manoe Manoel Braga

manoelbraga@mecpar.com

Matão/SP

REAÇÃO

Nosso país está apodrecendo em alta velocidade. O fedor que já se sente aqui está esparramado pelo mundo todo. Ou nós, brasileiros, trabalhadores, estudantes e todos os demais com um mínimo de vergonha na cara, tomamos uma iniciativa para resolver isso com as próprias mãos e ideias ou o Brasil vai ser considerado o cesto do lixo do mundo moderno. Reaja! 

José Luiz Tedesco

tedescoporto@hotmail.com

Presidente Epitácio

GOELA MUITO ABERTA

Para o patriarca da empresa Odebrecht, Emílio Odebrecht, afirmar em seu depoimento à Procuradoria-Geral de República que reclamou com o ex-presidente Lula que “seu pessoal estava com a goela muito aberta”, ou seja, cada vez mais pediam propina para até aprovar no Congresso medidas provisórias para beneficiar a empresa, certamente foi porque, como maior doador de campanhas eleitorais do País, jamais viu em décadas tamanha gula para desviar recursos dos contribuintes como a dos membros do PT. E os números dos repasses de dinheiro citados nos 76 inquéritos autorizados pelo ministro do STF, relator da Lava Jato, Edson Fachin, como estampados no “Estadão”, não deixam dúvidas sobre este apetite por verbas ilícitas da turma de Lula. Dos R$ 451 milhões distribuídos para 16 partidos pela Odebrecht, 45,5%, ou R$ 204,9 milhões, ficaram com o PT. O PMDB, com R$ 113,7 milhões, e o PSDB, com R$ 52,2 milhões, ou 11,5% do total. Ora, “goela muito aberta” tem o próprio pai do petrolão, Lula, como talvez o maior beneficiário desta corrupção. Então vejamos: como afirmou Marcelo Odebrecht em seu depoimento, foram reservados a Lula R$ 40 milhões, para seus gastos após sua saída do governo. Impressionam também os US$ 40 milhões, ou R$ 125 milhões, que o ex-presidente solicitou à Odebrecht, em 2009, em troca de um financiamento do BNDES, de US$ 1 bilhão, ou R$ 3,15 bilhões, para uma obra em Angola. Assim como dezenas de milhões de reais que a empreiteira repassou ao Instituto Lula, enrustidos como pagamento de palestras, sem que se saiba até hoje quando e onde foram realizados esses eventos... Também das reformas de imóveis e compra de mobiliário sofisticado como do tríplex no Guarujá e do sítio de Atibaia, pagos por empreiteiras. Sem esquecer, ainda, que Lula também pediu à Odebrecht mesadas que foram pagas por 13 anos no valor de R$ 5 mil mensais para o seu irmão padre frei Chico, e mais R$ 50 mil mensais por três anos para o filho caçula Luiz Cláudio, etc., etc. A goela de Lula não serviu nos seus áureos tempos somente para contar suas bravatas e mentiras para seu hoje mirrado eleitorado. O ex-metalúrgico, que infelizmente presidiu este país por oito anos e que já é réu pela 5.ª vez na Lava Jato, agiu mais como um perfeito mercenário. E ajudou a afundar a nossa economia e desempregar 13,5 milhões de trabalhadores.

Paulo Panossian

paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

APROVEITANDO

Eu quero aproveitar este espaço que o jornal “O Estado de S. Paulo” proporciona a todos os cidadãos – sem dúvida, uma relação premiada – para fazer um pedido especial à Odebrecht: eu estou precisando de uma contribuição mensal que pode começar com R$ 3 mil, passando para R$ 5 mil no próximo ano. Assim que alguém da Odebrecht entrar em contato comigo, eu passo os meus dados bancários. Na planilha, como sugestão, podem usar o codinome “rei do baião”. Certo de que minha solicitação será atendida, fico no aguardo.

Luiz Gonzaga Tressoldi

lgtsaraiva@uol.com.br

São Paulo

ESCÁRNIO

Lula, sempre ele, achando-se o cara mais inteligente do Brasil, e ainda nos achando todos retardados, diz em alto e bom som que, se soubesse que a Odebrecht era corrupta, não faria as palestras para eles. Só por essa fala, deveria ser preso imediatamente. É muita desfaçatez e muita cara de pau deste senhor, que, além de ter arrebentado o Brasil com o mensalão, afundou a Petrobrás com o petrolão e, pior ainda, quer voltar a ser presidente da República, como se todos nós fôssemos cegos e surdos. Lula, por favor, por que não te calas? Tu falas muito e ainda fala nas horas e as coisas erradas.

Antonio Jose Gomes Marques

a.jose@uol.com.br

Rio de Janeiro

ALI BABÁ E OS R$ 40 MILHÕES

A conta corrente mantida por Lula na Odebrecht é uma prova da intimidade que mantinha com a empresa. Era a verba destinada para despesas corriqueiras. Sim, valor baixo, se confrontado com outros beneficiados, afinal Lula é um homem simples, como costuma se autointitular. Um homem frugal. Estarrece ver e ouvir Marcelo Odebrecht descrever o que se poderia chamar de “negócio Brasil”, em que eleitos que se diziam “guerreiros do povo brasileiro” venderem vantagens para se manter no poder indefinidamente. Ao governar o Brasil, replicavam o que fizeram na administração sindical, e nem vidas foram poupadas. Ao ser anunciada a famosa lista, o mercado não se abalou, já que isso já havia sido precificado. Abalados estiveram os congressistas ao verem seus nomes escritos numa lista de vestibular às avessas.Com toda esta riqueza de esclarecimentos e montantes envolvidos, a Operação Lava Jato passa para uma esfera superior de julgamento. Não se trata mais de avaliar mero ato de corrupção. Atos coordenados como este deveriam ser julgados com os procedimentos de quem lesa a pátria, que foi o que realmente fizeram. Dona Dilma tem razão de se preocupar.

Sergio Holl Lara

jrmholl.idt@terra.com.br

Indaiatuba

CROCODILO

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, após ser citado na lista do ministro Edson Fachin, do STF, foi às redes sociais, sereno, fez seus comentários sem estardalhaços e deixou a cargo da Justiça as investigações. Já o ex-presidente Lula, que costumeiramente se esconde atrás de seus caríssimos advogados para justificar seus malfeitos, alertado com certeza por seus compinchas, imitou seu antecessor e mandou seu recado. No entanto, como em discursos anteriores, mesmo diante de denúncias ricas em detalhes, precisas, desafiou os empreiteiros a provarem que algum dia pediu a um deles R$ 10 (antes eram R$ 2) e, com voz embargada, quase chegou às lágrimas quando comentou as mesadas de R$ 5 mil pagas pela Odebrecht a seu irmão Frei Chico, o metralha. As contumazes lágrimas derramadas até então pela “alma mais honesta” do mundo, hoje sabemos, realmente são de crocodilo – e dos grandes, goela aberta e insaciável.   

Sérgio Dafré

sergio_dafre@hotmail.com

Jundiaí

LULA & ODEBRECHT

A roubalheira reescreve provérbios. Aqui, matam a jararaca e mostram a propina...

A.Fernandes

standyball@hotmail.com

São Paulo

JARARACA

A jararaca subiu no cadafalso! Se nossa MOROsa “guillotine” for um pouco mais afiada, já era!

Edméa Ramos da Silva

paulameia@terra.com.br

Santos

SE CORRER...

Após tomar conhecimento oficial da delação da Odebrecht, fica uma dúvida no ar: qual seria a diferença se, em 2002, ao invés de Lula, vencesse José Serra; em 2006, ao invés de Lula, vencesse Geraldo Alckmin; em 2010, ao invés de Dilma, vencesse José Serra; em 2014, ao invés de Dilma, vencesse Aécio Neves; e, em 2016, continuasse Dilma, ao invés de Temer? A corrupção seria maior, menor ou igual?

Carlos Alberto Roxo

roxo.sete@gmail.com

São Paulo

‘DE JARARACA A CROCODILO’

De acordo com a colunista Eliane Cantanhêde, “os vídeos e áudios, transmitidos incansavelmente, são a maior aula de política brasileira jamais vista ou imaginada neste país” (“Estadão”, 14/4, A6, “De jararaca a crocodilo”). Eu completo dizendo que tais vídeos e áudios colocam em risco a credibilidade dos “Diários da Presidência”, de FHC, pois, pelo que eu li até agora, em nenhum momento ele fala sobre “caixa 2”, omitindo, assim, a verdadeira história de um político no exercício de sua função. Ou será que FHC ainda vai publicar um capítulo sobre esse assunto?

Maria C. Del Bel Tunes

carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana

PITORESCO

Como sempre, muito arguta e certeira a análise de Eliane Cantanhêde de sexta-feira (“De jararaca a crocodilo”, 14/4, A6), na qual analisou, entre outras barbaridades, o cartão pré-pago milionário que Lula tinha fora da campanha, além das três piadas, numa única frase, que os assessores de Dilma conseguiram contar... Tudo muito jovial e pitoresco. Seja-me permitido discordar, no entanto, acerca da conclusão de ter o presidente Michel Temer “acusado o golpe”, com a gravação do vídeo defendendo-se da mentira que lhe foi assacada. Penso que o presidente apenas tentou evitar que o rifão popular, segundo o qual “quem cala consente”, tomasse conta das pessoas que estão julgando precipitadamente os nomes surgidos nas delações...

Newton De Lucca

desnewtondelucca@gmail.com

São Paulo

DELATORES E DELATADOS

Vendo pela TV, lendo notícias e assistindo aos vídeos dos delatores, que, segundo se sabe, não podem mentir, e quando perguntado aos delatados, eles prontamente desmentem as acusações, dizendo que tudo foi aprovado pela Justiça Eleitoral, é de perguntar: foi a Justiça Eleitoral que praticou caixa 2 ou toda esta encenação é para confundir o cidadão e acabar tudo em pizza?

Izabel Avallone

izabelavallone@gmail.com

São Paulo

DEFESA

Divulgada a “Lista do Fachin”, agora começam as investigações sobre os políticos citados. Pelas respostas de todos, não se espantem se, como defesa, for encontrada alguma planilha em que Marcelo Odebrecht é tratado pelo apelido de “mentiroso”.

Gabriel Mamere Neto

gmamere@terra.com.br

Barueri

OS IDIOTAS SOMOS NÓS

100% dos denunciados pela Odebrecht, sem exceção, negam totalmente ter recebido qualquer tipo de benefício da construtora. A ser verdade isso conclui-se que a Odebrecht resolveu devolver ao Tesouro a quantia de R$ 4 bilhões porque eles são renomados idiotas. Ter de assistir a todas estas negativas nos telejornais, a sensação que nos dá é de que os idiotas somos nós.

Fernando Pierry

fernando.pierry@uol.com.br

São Paulo

AGENDA CHEIA

Os políticos sumiram de Brasília. Adivinhem onde eles se encontraram? No escritório de seus advogados. Hora marcada, agenda cheia, fila de espera de horas.

Sérgio Eckermann Passos

sepassos@yahoo.com.br

Porto Feliz

INFELIZMENTE

Infelizmente, nosso país está sendo cada vez mais desvalorizado e criticado perante o mundo, e isso devemos única e exclusivamente a este monte de corruptos, ladrões, incompetentes, deputados, senadores, etc. E com a maior cara de pau eles cinicamente dizem que é tudo invenção da mídia e os delatores são lunáticos, não têm mais o que inventar para tentar comprometer os nossos ilustres e honestíssimos congressistas e governantes. O sapo barbudo está cada vez mais perto de ficar atrás das grades. O que eu muito me admiro é como alguns estão presos, sabem demais e, no entanto, ficam calados, tipo José Dirceu, Delúbio Soares, Antonio Palocci e outros. Qual será a razão é difícil de entender, ficar pagando e protegendo o pior de todos. Ainda tem muito a ser esclarecido, e não é só com a Lava Jato. E pensar que nós temos condições de ser uma das maiores potências mundiais, o que dificulta é essa corja que está no poder.

José Fernandez Rodriguez

rodriguez1941@gmail.com

Santos

DE BRASÍLIA PARA A CADEIA

Se todos os homens públicos forem presos, conforme denuncia a Odebrecht, as cadeias, que já estão lotadas, sofrerão uma hiperlotação e Brasília ficará deserta.

Ronald Martins da Cunha

ronaldcunha@hotmail.com

Monte Santo de Minas/MG

CORRUPTOS

Sugiro mudar o nome do Congresso Nacional para “Everedy”, uma pilha de gatos.

Theodoro Guimarães

theodoroguimaraes@bol.com.br

São Paulo

OS ESQUECIDOS

E o sr. Emilio, chefe da quadrilha Odebrecht há tantos anos, não vai ser indiciado, investigado nem nada? Aliás, ninguém se lembrou, também, de José Sérgio Gabrielli nem de Maria das Graças Foster, que participaram de tudo desde o início? Isso é investigação?

Roberto Hollnagel

rollnagel@terra.com.br

São Paulo

RESPOSTA DO STF

Ninguém tem dúvidas sobre o gigantesco esquema de corrupção no sistema político brasileiro e muito menos sobre a catastrófica situação do País, como consequência dessa roubalheira “institucionalizada”, como disse Emílio Odebrecht. Mas muitas dúvidas pairam sobre a punição judicial sobre os parlamentares. O STF precisa dar uma resposta, rápida e exemplar, caso contrário, podem fechar as portas, peguem suas gordas aposentadorias e estaremos na terra do vale-tudo.

Mário Issa

drmarioissa@yahoo.com.br

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.