Fórum dos Leitores

.

O Estado de S.Paulo

30 Abril 2017 | 03h00

GREVE GORADA

Delírios revolucionários

Mensagem do agitador Guilherme Boulos, líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto e um dos bate-paus da esquerda mortadela, postada quarta-feira (26) nas redes sociais, prometia “bloquear avenidas e vias em São Paulo e em todo o Brasil”, na sexta-feira. Segundo postou, “nem o Uber” iria passar. Fiquei pensando: que democrata! Essa gente fala tanto em “direitos”, prega a “liberdade” a plenos pulmões, mas na hora de a onça beber água não nega a sua natureza: arquiva o discurso libertário e parte para a velha intimidação, impedindo, de forma truculenta, com bloqueios e paralisações dos meios de transporte, o direito de ir e vir das pessoas, o direito da imensa maioria de se dirigir em paz para suas atividades laborativas. E depois, no frigir dos ovos, fascistas são os que não aceitam a via da truculência nem se conformam em ser massa de manobra desses pelegos, chupins do dinheiro do povo... Até quando a sociedade se vai submeter aos delírios pretensamente revolucionários dessa vanguarda do atraso?

SILVIO NATAL

silvionatal49@gmail.com

São Paulo

Deixa o povo trabalhar

Temos de agradecer por essa “greve geral”, que acabou por demonstrar de forma irrefutável que o PT, a CUT, os ditos movimentos sociais não têm mais influência sobre a população brasileira. Manifestações pontuais com não mais que 50 sindicalistas ao redor de um caminhão de som, em pontos isolados da cidade de São Paulo, são a prova cabal de que os sindicatos podem até parar os meios de transporte para tentar forçar uma paralisação que, no cômputo geral, nem houve, pois o povo não aderiu. Conseguiram, sim, dificultar uma vez mais a vida de quem sai de casa para trabalhar. Com mais de 14 milhões de desempregados neste país, quem tem emprego quer mais é trabalhar. O discurso da oposição contra as reformas não encontrou eco nos trabalhadores. 

MARA MONTEZUMA ASSAF

montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

Cachê de ‘30 pilas’

Lamentável convocar uma greve geral de trabalhadores quando mais de 14 milhões estão desempregados. Nas periferias das grandes cidades, milhares foram arregimentados para queimar pneus nas avenidas, por míseros R$ 30. Mas pior mesmo foi a decisão da Igreja Católica em se juntar à greve, aderindo a supostos líderes sindicais que se aproveitam do trabalhador, que ficou sem transporte, atendimento nos hospitais e ainda perdeu um dia de serviço. Bispos, arcebispos e cardeais insistem em ficar ao lado dos oportunistas que enganam o povo, nesta hora difícil que passa o País.

JOSE PEDRO NAISSER

jpnaisser@hotmail.com

Curitiba

Desespero dos nababos

A insanidade desse protesto se deve, principalmente, a dois tumores que devoram o fígado de um grupo que, primeiramente, jamais se vai curar do impeachment; mas o ânimo dessa turba para atazanar a vida do povo se deve mais ainda à petulância de, no projeto de reforma trabalhista, pretenderem excluir o hediondo e covarde assalto de um dia por ano do salário do trabalhador, que tem servido para prover a mesa farta dos nababos pelegos do aparelho sindical.

JAIR COELHO

jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

Bezerros desmamados

Essa “revolta dos bezerros desmamados” não reivindicou nada. Foi uma greve essencialmente corporativa, cuja tentativa de sucesso se deveu a meios ilegais: show para todos os gostos de desrespeito por quem pensa diferente, piromania, vandalismo e bloqueio truculento do direito de ir e vir por agentes do atraso, que não querem mudar o País, mas permanecer com seus privilégios perdulários e imorais: de um lado, os sindicatos, que sobrevivem não de bons serviços prestados a seus representados, mas de dinheiro fácil caído do céu; do outro, funcionários públicos, que não querem perder seus injustificáveis privilégios, bancados pelos trabalhadores comuns. Aliás, a reforma previdenciária mantém muitos desses privilégios. Este, sim – além de protesto contra os políticos corruptos atualmente no poder –, seria motivo justo para uma greve geral reivindicatória. 

OLIMPIO ALVARES

olimpioa@uol.com.br

Cotia

Vandalismo

Saldo lamentável da manifestação corporativista e criminosa do dia 28: um rastro de desmandos e vandalismo inconcebível numa democracia. Incêndio de oito ônibus no Rio, tentativa de sitiar a casa do presidente da República em São Paulo, agressão covarde a motoristas por membros da CUT, bloqueio de vias, e por aí vai. Mas o que mais me chocou foi ver estudantes bloqueando a Rua da Consolação. Foi a mais clara demonstração de que esses sindicalistas não hesitam em cooptar inocentes úteis para “abrilhantar” seus crimes. Não passa pela cabeça desses jovens que a única razão para esse despautério sindical (e petista) é o pavor pelo fim do imposto sindical obrigatório.Quanto aos trabalhadores, os verdadeiros prejudicados nessa jornada infame, que se lixem!

NELSON PENTEADO DE CASTRO

pentecas@uol.com.br

São Paulo

Terrorismo

A greve foi imposta na forma de terror. Quem não atendeu às “ordens” da CUT e seus sindicatos sofreu represálias violentas. Depredaram muitos comércios, paralisaram ruas, avenidas e rodovias. Trens, ônibus e metrôs foram bloqueados. A liberdade de ir e vir foi limitada por grupos violentos, que em muitos casos bateram sem dó nos contrários ao “comando vermelho”. Enfim, se foi graças a movimento sindical que no passado nós, trabalhadores, adquirimos muitos direitos, hoje em dia a maioria dos sindicatos esqueceu sua finalidade, desviando sua atenção para a política, o poder e o dinheiro. É só avaliar o antes e depois de muitos sindicalistas.

ALEX TANNER

alextanner.sss@hotmail.com

Sumaré 

Eleições 2018

É para isso que o lulopetismo quer voltar ao poder? Pensem bem nesta sexta-feira negra de balbúrdia e falta de compromisso com o trabalhador antes de votarem.

CÉSAR ARAÚJO

cesar.40.araujo@gmail.com

São Paulo 

Novos tempos

Esta “greve geral” mostrou o derretimento do poder do PT e sua massa de manobra. São os últimos estertores de um tempo que está terminando. Virão tempos melhores. Com certeza!

LUIZ FRID

luiz.frid@globomail.com

São Paulo

PROTESTO

Faltando dois dias para o prazo final, 28/4, da entrega das declarações de rendimentos, aproximadamente 5 milhões de contribuintes ainda não haviam entregado o ajuste anual ao famigerado Leão, faminto pela nossa "contribuição". Faço parte desse contingente, não por desleixo, mas por desânimo em saber que esse dinheiro arrecadado ao Fisco nem sempre é bem empregado. Então, por que ter pressa, se o governo não está nem aí com o contribuinte? Exemplo desse descaso gritante é a tabela do Imposto de Renda, que não é corrigida desde 1996 e está defasada em 83,12%. Todo o dinheiro arrecadado com impostos teria de ser usado para a gestão dos serviços públicos federais, estaduais e municipais, no entanto, nada se vê de melhorias. Arcamos, também, com os salários de todos os políticos, com o Fundo Partidário (em 2017, de R$ 820 milhões) e, como se não bastasse, parlamentares tramam a criação de um novo fundo, o de Financiamento da Democracia, com a proposta indecente de extorquir mais 2%, R$ 3 bilhões, dos nossos bolsos. Cá para nós, caro contribuinte, há ânimo e pressa em recolher este imposto e os demais que nos são enfiados goela abaixo? 

Sérgio Dafré sergio_dafre@homail.com

Jundiaí

*

'UMA AGENDA POSITIVA PARA QUEM?'

Interessante o artigo de José Augusto Guilhon Albuquerque, cientista político e professor titular da Universidade de São Paulo ("Uma agenda positiva para quem?", "Estadão", 28/4, A2). Segundo ele, "a única maneira de a maioria do povo brasileiro aceitar a legitimidade de seu sacrifício é se puder constatar que os privilégios materiais e as mordomias da magistratura, dos legisladores, dos militares e policiais, dos procuradores, dos sindicatos (...) - creio que estou sendo claro - serão imolados na mesma fogueira que vai consumir os seus parcos meios de vida". Por que ele também não citou, entre os privilegiados, os professores? Os professores da rede pública continuam com suas mordomias (licença-prêmio e aposentadoria especial) e, quanto ao salário, que eles vivem reclamando que é baixo, acho que é muito pelo o que eles ensinam e, na minha opinião, os professores são os responsáveis por o povo ser "convenientemente mantido na ignorância das informações relevantes". Como se vê, não é fácil montar uma agenda positiva em nosso país, pois cada um só defende o seu próprio umbigo.

Maria C. Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana

*

DIVAGAÇÕES

Imaginem se todos os políticos que trabalharam incansavelmente para a Odebrecht tivessem feito o mesmo pelo povo brasileiro. Teríamos outro país, mais próspero, com menos desigualdade, e eles (os políticos) seriam livres, queridos e admirados de uma forma que não tem preço. Mas quem se importa com isso, não é mesmo?

Ricardo C. Siqueira ricardocsiqueira@globo.com

Niterói (RJ)

*

O AMOR É LINDO

Que bonitinho! Serginho Cabral, ex-governador do Rio de Janeiro, inocentou Adriana Ancelmo em depoimento ao juiz Sérgio Moro. Versão carioca de Romeu e Julieta. R$ 1 bilhão só de propinas. Se contar com os superfaturamentos, o rombo vai a mais de R$ 20 bilhões. Tudo comemorado em alto estilo em Paris, voando em primeira classe. E o funcionalismo carioca morrendo à mingua e o Estado quebrado. Que pena, nunca mais vi o casal de facínoras sorrir. Que mofem na cadeia!

Paulo H. Coimbra de Oliveira ph.coimbraoliveira@gmail.com

Rio de Janeiro

*

FRATURA EXPOSTA

A Polícia Federal deflagrou, no último mês, outra operação no Estado do Rio de Janeiro contra ex-participantes do governo Cabral, a Operação Fratura Exposta. O atual governador, Luiz Fernando Pezão, em depoimento ao juiz Sérgio Moro como testemunha do ex-governador Sérgio Cabral, disse que não sabia de nada desses desvios, mas indicou um secretário para a Secretaria de Obras que fazia parte do esquema. Dá para aceitar que um participante do governo, no caso, vice-governador, e tendo sido secretário de obras também, não tivesse conhecimento do que ocorria no governo? É muita cara de pau. O ex-governador Sérgio Cabral instalou uma quadrilha de saqueadores no poder, e ele é o saqueador chefe. Tinha participação em tudo. E o que a nossa legislação diz sobre isso? Que pena é reservada para esta quadrilha? Pena bem suave. Quanto à "fratura exposta", quem está com a fratura exposta, mesmo, é o servidor, aposentado e pensionista do Estado do Rio. 

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro 

*

NO BRASIL, O CRIME COMPENSA

A quadrilha que assaltou o Brasil nestes anos do governo do PT teve tempo para roubar e guardar o produto do roubo. Quando a casa caiu, inventaram a tal delação premiada, que permite aos larápios confessarem seus crimes e reduzirem suas penas e, se porventura forem condenados, podem cumprir pena no conforto de seu lar, usando uma tornozeleira eletrônica. Fácil, não é? Realmente, no Brasil, o crime compensa, pois, após todas essas bondades da Justiça, o STF, a Suprema Corte, que é quem deveria zelar pela Constituição do País, a rasga, botando na rua os criminosos. Sinceramente, fica difícil para o cidadão comum e até para juízes, promotores e procuradores aceitarem por que a lei não é a mesma para o pobre e para o rico, mesmo sabendo que o rico dispõe de recursos para pagar bons advogados (acaso a Justiça gratuita não tem bons advogados?). No entanto, não deixa de ser uma injustiça a diferença que se faz entre as classes. Por que a Constituição, que garante direitos iguais para todos, permite que alguns sejam mais iguais que outros? 

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

A 'CULPA' DA LAVA JATO

Na entrevista que o economista Eduardo Giannnetti da Fonseca concedeu ao "Estadão", publicada no domingo (23/4) no caderno de Economia, ficou mais fácil para um leigo entender que os equívocos nas políticas macro e microeconômica da gestão Dilma Rousseff tiveram um efeito mais devastador para a economia do que a roubalheira desenfreada durante a administração petista no governo federal. Eu, com o pouco que aprendi de Economia em meu curso de Engenharia, para não fazer nenhuma bobagem, como projetar algum equipamento antieconômico, o considero suficiente para aquilatar que o primeiro mandato da ex-presidente Dilma já tinha sido catastrófico, economicamente falando. Ora, como ela é economista, fez o que fez por ideologia, E isso é crime, considerando que caberá agora ao povo pagar a conta. Sou da opinião de que é errado se referir à Lava Jato quando se discute a crise econômica deste país. As investigações estão apenas descobrindo os desvios de verbas públicas efetuados pela maior quadrilha de ladrões que já tomou de assalto os cofres governamentais, em toda a nossa história. Como bem disse Eduardo da Fonseca, ainda que a Polícia Federal não tivesse descoberto nada e a equipe de promotores públicos que formam a já famosa força-tarefa nem sequer tivesse sido formada, os resultados seriam os mesmos. Até entendo que a imprensa utilize a nomenclatura da Operação Lava Jato para sintetizar toda a bandalheira da qual todos nós somos vítimas. Entretanto, parcela da quadrilha em questão, ainda em atividade nos órgãos públicos, aproveita o mote para tentar jogar a culpa naqueles que são os "mocinhos" nesta ópera bufa. Eu também sou da opinião de que a política da ex-presidente foi, na verdade, um crime de lesa pátria. Para não ir longe, o empréstimo concedido pelo BNDES para a construção de duas linhas do metrô em Caracas, na Venezuela, a juros de pai para filho, além de outros tantos para outros países, serve bem de exemplo. Não atino como o governo de uma figura tão ímpar como Nicolás Maduro irá saldar tal dívida e, em matéria publicada anteriormente pelo "Estadão", se ele não pagar, no frigir dos ovos, o prejuízo ficará para o Tesouro Nacional, ou seja, como sempre, todos nós. E não há nenhuma possibilidade de o ex-presidente Lula não estar envolvido nessa tramoia, uma vez que foi ele que não só bancou a candidatura da ex-presidente da primeira vez, como empenhou-se a fundo para que ela fosse reeleita.

Gilberto Pacini benetazzos@bol.com.br

São Paulo

*

DEPOIS DA LAVA JATO

Com as devastadoras delações premiadas de Marcelo Odebrecht, Léo Pinheiro, Delcídio do Amaral, entre muitas outras, e, agora, com a contração por Antonio Palocci (o "Italiano") dos serviços do advogado Adriano Bretas, especialista em acordos de delação premiada - lembremos que Palocci disse ao juiz Sérgio Moro que ofereceria "nomes, endereços, operações realizadas e coisas que vão ser, certamente, do interesse da Lava Jato" -, seria prudente que o PT considerasse outro candidato para as eleições presidenciais de 2018. O problema é que a Lava Jato mostrou o real "modus operandi" do PT: chegar ao poder na base de demagogia, nele ficar e aproveitar - e ponha aproveitar nisso. Não seria mais sensato deixar de concorrer esta vez?

Omar El Seoud ElSeoud.USP@gmail.com

São Paulo

*

BOAS-VINDAS À DEMOCRACIA

Luiz Inácio Lula da Silva afirmou com todas as letras que é candidato em 2018 (se a Justiça assim o permitir). Seja bem-vindo à democracia, Lula!

Luiz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo

*

VOTO

Um PT que não se renova, um partido que não tem voz, sempre as mesmas peças de um jogo político falido, com muita certeza é um partido que não terá o meu precioso voto em 2018.

Leandro Ferreira leandroferreoradasolva@gmail.com

São Paulo

*

FIM DE CARREIRA

Politicamente, o estado do Lula é terminal.

Eugênio José Alati eugenioalati13@gmail.com

Campinas

*

NADA A TEMER

 

A uma rádio do Rio Grande do Norte, Lula da Silva disse esta semana que não tem nada a temer sobre a delação de Antonio Palocci. Aliás, o homem "mais honesto do Brasil" nada teme, porque acha que nada fez de errado ou ilegal. Até parece doença mental esta sistemática de Lula da Silva de proclamar uma inocência inexistente. O homem loteou o Estado, fez sociedade com empreiteiras ("pactum sceleris") para auferir vantagens financeiras e propiciá-las a outros cupinchas, vendeu falas inexistentes ou produzidas, além de outras práticas, e ainda quer o reino dos céus e o soerguimento do PT. Entretanto, realizando uma fria análise: pensem se o cidadão Lula da Silva voltar a governar o Brasil. O que vai virar a nossa Pátria?

 

José C. de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

*

OCULTAÇÃO

O ex-presidente Lula, entre outras ações penais, vai responder no próximo dia 10, ao juiz Sérgio Moro, sobre "ocultação" de bens, conforme denunciou Léo Pinheiro, ex-presidente da Construtora OAS. Por outro lado, o goleiro Bruno, que também mantém "oculto" o corpo de Eliza Samudio, acabou voltando para a cadeia conforme decisão da Justiça. É verdade que, apesar da "ocultação" dos crimes, de uma hora para outra eles aparecem e derrubam o criminoso. Não seria melhor "abrir o jogo" e pleitear uma redução de pena, hein? Que pena!

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

*

O APARTAMENTO

A OAS convidou a sra. Marisa Letícia, mulher de Lula, para opinar no acabamento do tríplex do Guarujá por sua grande capacidade em arquitetura e decoração. Óbvio!

 

André C. Frohnknecht caxumba888@gmail.com

São Paulo

*

AUTODEFESA PÉ-NO-CHÃO

Disse Lula que o "sapato" não é seu. O argumento é tão pé-de-chinelo que é aí que o calo aperta...

A.Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

NA PONTA DA LÍNGUA

Diante do juiz Moro, o ex-presidente já tem pronta na ponta da língua sua defesa sobre o tríplex do Guarujá: o apartamento não é do Lula, mas pertence a Luiz Inácio da Silva, e estamos conversados.

Vidal dos Santos vidal.santos@yahoo.com.br

Guarujá 

*

APENAS UM CIDADÃO

O juiz Sérgio Moro está fazendo um ótimo trabalho na Operação Lava Jato, a única crítica é a importância demasiada que todo o Ministério Público dá à figura de Luiz Inácio Lula da Silva, um cidadão comum, ou quase - existem cinco inquéritos e uma denúncia contra ele, e um cidadão comum não tem esse tipo de problema. O exército de 50 milhões de brasileiros fiéis a Lula não vai derrubar o governo, não vai destruir pontes, estradas, aeroportos - o máximo que pode fazer é o que faz quase todas as sextas-feiras na Avenida Paulista em São Paulo: perturbar o máximo a vida de quem trabalha. Se isso se espalhar por todas as capitais, algo deverá ser feito pelo poder público, porque a paciência de quem trabalha tem limite, o mesmo limite da importância de um cidadão que deve respostas à Justiça, mas se acha um ser supremo, intocável. Na verdade, é vitima de auto-hipnose, da certeza da inocência, da repetição da negação até que vire uma verdade.

Luiz Ress Erdei gzero@zipmail.com.br

Osasco

*

14 MILHÕES

Se quem não foi trabalhar na sexta-feira (28/4/2017) são os que aderiram à greve de Lula, então houve mais de 14 milhões de participantes pelo Brasil afora. São os famosos desempregados, que a cada dia só faz aumentar, tudo graça aos 14 anos de desgoverno, abandono e roubalheira praticados pela maioria dos políticos petistas.

Arnaldo de Almeida Dotoli arnaldodotoli@uol.com.br

São Paulo

*

ADIAMENTO VEIO A CALHAR?

Segundo noticiado, a audiência de Lula em Curitiba foi adiada a pedido da Polícia Federal porque esta data estava muito próxima do 1.º de Maio e, em vista das ameaças de invasão de petistas na cidade, o esquema de segurança ficaria comprometido. Pode até ser que o adiamento tenha servido para complicar os planos dos militantes, agora sem dia e hora programados para se deslocar. Mas o que mais deve ter pesado para tomar essa decisão foram o depoimento de Léo Pinheiro e a ameaça de abrir o bico feita por Palocci, que, inclusive, já declarou que "não vai pagar este pato sozinho" e que dividiu 1/3 das propinas da Sete Brasil entre ele e Lula. Bom, esse tempo a mais vem a calhar para a Justiça, pois, conforme as novas declarações complicarem mais Lula da Silva, sua audiência poderá ser substituída por uma prisão preventiva, tanto para impedi-lo de possível destruição de novas provas como também porque pode ser que já não sobre novidade alguma para uma possível delação premiada de Lula, que minimize seu tempo de estadia compulsória na cadeia de Curitiba. O que é muito bom.

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

*

AO VIVO

Lula disse que quer que o seu depoimento a Sérgio Moro seja transmitido ao vivo. Ora bolas, para quê? Para fazer mais teatro, querer se passar por coitadinho, esparramar mais mentiras?

 

Carlos E. Barros Rodrigues ceb.rodrigues@hotmail.com

São Paulo

*

SIMPLES ASSIM

Seja no dia 3 de maio ou no dia 10 de maio, o que se entende necessário é que a Justiça alcance o "apedeuta" mentiroso e ladrão. Mais provas e relatos nos farão enojarmos ainda mais o caso, e dados e detalhes nos farão rejeitá-lo com maior repulsa, mais dinheiro roubado a ser descrito e contabilizado nos deixarão à beira de cometer insanidade com as próprias mãos. Não importa mais saber das dezenas de crimes associados por companheiros, por asseclas e por cúmplices, o estágio alcançado pela Operação Lava Jato já é, além de digno de premiação internacional pela competência e perseverança, digno de ser recompensado com a pura e simples aplicação exemplar da lei. Nada mais do que isso. E, como bônus incalculável, premiar a recuperação da dignidade da sociedade brasileira assaltada e humilhada por mais de intoleráveis 13 malditos anos.

Ronaldo Parisi rparisi@uol.com.br

São Paulo

*

BATENDO CABEÇAS?

Está nos parecendo que a Justiça anda preocupadíssima com relação à segurança quando do encontro do senhor Lula com o juiz Sérgio Moro em Curitiba, fato que até mereceu um adiamento. Ora, é um problema facílimo de ser resolvido, basta colocar ambos num curto voo entre São Paulo e Curitiba e o interrogatório terá terminado quando lá pousarem, até porque o ex-presidente dará curtíssimas respostas às pergunta de Moro, tais como "não sei", "nunca vi", "não sabia", "é intriga", "não conheço", "não é meu", "não me comprometa", etc., etc., etc. Sem ironia, por favor! 

 

Luís Fernando luffersanto@bol.com.br

Laguna (SC)

*

UM NOVO BRASIL NASCERÁ

O verdadeiro legado do Macbeth da República bananeira, Lula da Silva, vem carregado de retrocesso, seja no campo da política, da economia, no social e, principalmente, no campo da moral. Jamais tivemos um governo tão corrupto e venal como o do PT. Sem ter inventado a corrupção, mas tendo a aprimorado e institucionalizado, Lula passou para a história por ser o mandante, o chefe, o cabeça do maior esquema de corrupção nunca visto antes neste país. Começou bem antes de assumir, como se sabe com a revelação de Emilio Odebrecht sobre a "Carta ao Povo Brasileiro", em 2002. Ali foi selado um contrato com vários cheques em branco entre Lula e a Odebrecht, no Brasil e no exterior, que viriam a ser descontados ao longo dos 13 anos de governança petista. Eleito, Lula inaugurou o discurso das "políticas sociais", criando uma legião de cativos, que, por dependência e ignorância, deram ao grupo o poder para assaltar os cofres públicos e os contribuintes, mas gerou uma vida de conforto ao PT, outros partidos e sua família. Com as delações em curso, o castelo de areia de Lula está ruindo. Vem gastando milhões para se ver livre da cadeia. O povo brasileiro, diante da maior crise na qual o PT jogou o País, não vai desanimar. Veremos nascer um país melhor após a apuração dos crimes em curso. Avante, Brasil!

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

O BRASIL PRECISA SER CATEQUIZADO

As mudanças necessárias para tornar o Brasil um país honesto seriam gigantescas, afinal a corrupção impera absoluta há 500 anos. O País teria de ser inteiro catequizado desde o início, desde a escola. As mudanças são muito grandes, todos teriam de parar de querer levar vantagem em tudo o tempo todo e buscar uma vida honesta. Não se trata de prender uma ou outra liderança corrupta, isso não mudaria nada, ao contrário do que ocorre hoje as pessoas honestas têm de parar de se sentirem otárias e os corruptos têm de passar a sentir vergonha de seus atos. Lula não inventou a corrupção, mas ninguém se lambuzou tanto nos esquemas de desvio de dinheiro público como ele e sua turma. Lula será lembrado por ter tornado insustentável seguir por este caminho e ter obrigado o Brasil a rever seus conceitos. Não é pouco. 

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo 

*

O PAÍS DO COITADISMO

Vamos ser claros: o maior problema do Brasil é a impunidade. A impunidade que incentiva todos os crimes, de maior ou menor gravidade, praticados pelos brasileiros de todas as classes sociais. Da mentira e da sonegação até o assassinato, a raiz é a mesma: a impunidade. Se alguém comete um crime e fica impune, levou vantagem sobre o que não cometeu. A solução é a punição. Aliás, é melhor punição excessiva do que omissão excessiva, que leva à impunidade. Há uma doutrina implícita nos sistemas legal e penal brasileiros que se chama garantista - "in dubio pro reo" - e dá preferência ao criminoso em vez da sociedade. Por que esse viés? É ranço do autoritarismo, que já não existe, mas foi substituído pelo coitadismo, traço absoluto no caráter do brasileiro que prefere ser considerado fraco e dependente a ser independente e forte como o sertanejo de Euclides, que infelizmente está extinto... O exercício da autoridade tem de ser apoiado e preservado! Já "o coitadinho de Garanhuns" e os pobrezinhos do Congresso preferem abusar da impunidade e punir a autoridade. Corte-se o mal pela raiz! Sim às 10 Medidas contra os corruptos! Não à lei de castração da autoridade! Muda, Brasil!

Gilberto Dib gilberto@dib.com.br

São Paulo

*

NUNCA MAIS O MESMO

Só de pensar que ainda há 200 depoimentos da Lava Jato em sigilo, prontos a ser revelados, dá um frio na espinha e um sentimento de perplexidade com o que está por vir. Definitivamente, o País nunca mais será o mesmo. Muda, Brasil!

J. S. Decol decoljs@gmail.com

São Paulo

*

DELAÇÕES PREMIADAS

Sinto que algo inusitado está para acontecer. Todos os acusados na Operação Lava Jato que se transformam em réus nos processos de apuração dos delitos cometidos propõem-se a fazer delação premiada. Forma-se, em razão disso, um círculo vicioso que pode redundar em diminuição de pena ou alteração do regime prisional para todos eles. Uns apontam outros e estes, quando também passam a ser réus, agem da mesma forma. Todos se acusam mutuamente. É uma cadeia (sem trocadilho) de acusações. Pelo jeito, não haverá nenhuma condenação a concretizar-se com a pena inicial cominada.

Paulo Guida paulo.guida@yahoo.com.br

São Paulo

*

FARRA

A delação premiada caiu como uma luva para os grandes escritórios e advogados de renome, que devem estar ganhando verdadeira fortuna, certamente pagas pelos nobres delatores com o nosso dinheiro, surrupiado de obras públicas e da Petrobrás. Os escritórios emitem nota fiscal pela prestação do serviço? Emitem meia nota? Quem fiscaliza toda esta farra? A Receita Federal? O Ministério Público?

José Roberto Iglesias rzeiglesias@gmail.com

São Paulo

*

AÉCIO LIBERADO

Como perguntar não é ofensa, por que será que o ministro Gilmar Mendes suspendeu depoimento de Aécio Neves à Polícia Federal?

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

NOVAS PREOCUPAÇÕES

As recentes notícias de ações contra a Lava Jato, partindo de grupo interno do Ministério Público Federal, nos trazem novas preocupações, mas também reforçam nosso respeito e admiração por aqueles que se mantêm ao lado da grande parcela da população que quer a ordem e a justiça imperando em nosso país.

Níveo Aurélio Villa niveoavilla@terra.com.br

Atibaia

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.