Fórum dos Leitores

.

O Estado de S.Paulo

19 Maio 2017 | 03h02

CORRUPÇÃO

Operação Patmos

O Brasil cuspiu na Cruz? Cadê o horizonte, cadê o nosso futuro? Quando o Brasil começa a respirar, tirando o nariz pra fora da lama, uma montanha de detritos o leva para o fundo de novo. Terá fôlego para resistir? Precisamos das reformas, precisamos seguir em frente, para o bem da Nação!

MARA MONTEZUMA ASSAF

montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

Meu Deus, quando e como vai acabar este pesadelo?

OMAR EL SEOUD

elseoud.usp@gmail.com

São Paulo

O diabo resolveu passar uma temporada neste país. Deus desistiu, não é mais brasileiro.

LUIZ RESS ERDEI

gzero@zipmail.com.br

Osasco

Querendo entender

Joesley Batista, orientado pelo Ministério Público (?) e para salvaguardar a própria pele em delação premiada, grava conversas comprometedoras com Michel Temer e Aécio Neves e assim obtém provas materiais de corrupção dos dois. Nada contra, mas, levando em consideração o elevadíssimo grau de proximidade e comprometimento dos Batistas com os Silvas e o súbito enriquecimento de ambas as famílias depois do início da relação amigável entre elas, fica a minha indagação: nenhuma orientação também para gravação de conversa com o líder do clã e da quadrilha? A lei da Omertà mais uma vez se faz presente? Tendo em vista o nível moral e ético dos envolvidos nesse aterro sanitário em que transformaram o País, nada é impossível e tudo, mas tudo mesmo, é possível.

RENATO OTTO ORTLEPP

renatotto@hotmail.com

São Paulo

E ele?

Essa delação dos “friboys” foi realmente coisa de profissional. Agendaram a reunião, foram munidos de gravador e avisaram a Polícia Federal, para gravar e rastrear. Tudo bem planejado. Dado o forte relacionamento dos irmãos com Lula e o PT, dá para pensar em armação política. Apesar de ter comprometido o presidente Temer e Aécio, as circunstâncias dessa delação são muito estranhas. Ao contrário dos demais, esses delatores estão impunes, curtindo Nova York. E ele? Por que os delatores dele estão presos e ele está solto? Algo não cheira bem na nossa Justiça!

ARI GIORGI

arigiorgi@hotmail.com

São Paulo

Cortina de fumaça

Ou muito nos enganamos, ou essa do Joesley, BNDES, família Lula leva jeitão de cortina de fumaça para uma certa sentença que está para cantar!

FRANCISCO JOSÉ SIDOTI

fransidoti@gmail.com

São Paulo

Delação seletiva?

Sem entrar no mérito do conteúdo, é evidente que a delação-bomba de Joesley Batista se deu em ocasião muito propícia para seu amigo Lula, que está na iminência de ser condenado na Lava Jato e tornar-se inelegível. Joesley armou-se para a delação no começo de março, gravando conversa com Temer justamente quando as coisas já estavam pretas para o petista. Ele tinha um assecla infiltrado na Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional que lhe passava todas as informações sobre a Operação Greenfield. Teria ele, nessa delação, confessado também detalhes dos delitos nas operações com o BNDES? Ou temos um caso de vazamento seletivo do conteúdo da delação ou se trata de uma evidente delação seletiva.

HÉLIO DE LIMA CARVALHO

hlc.consult@uol.com.br

São Paulo

Operação apartidária

Um proveito da barafunda por que passa o Brasil é a comprovação do caráter apartidário e imparcial da Operação Lava Jato, que enquadrou tucanos, peemedebistas e até mesmo um procurador da República, que foi preso. Os petistas não podem mais desqualificá-la por parcialidade e perseguição política. Está aberto o caminho para a prisão de Lula e Dilma, que, entre outros crimes, praticaram grave obstrução de Justiça. O País não pode ter “corruptos de estimação”.

TÚLLIO MARCO S. CARVALHO

tulliocarvalho.advocacia@gmail.com

Belo Horizonte

Agora vai ser mais fácil prender o Lula.

EUGÊNIO JOSÉ ALATI

eugenioalati13@gmail.com

Campinas

Desencanto

Ao ver as notícias, fui tomado por profundo desencanto com o futuro do Brasil. Quando tudo parecia tomar um rumo, quando a atividade econômica começava a mostrar um alento, vem essa bomba dos irmãos Batista. Aliás, pensando bem, um dia a casa cai. De simples açougue a maior produtora e exportadora mundial de proteína... Há algo por trás disso. Algo que pode muito bem ser explicado por Lula, Mantega e Luciano Coutinho, além dos próprios irmãos. Dinheiro do BNDES, bancado pelo povo brasileiro, entregue a mancheias a uma empresa “campeã nacional”, que ao final se mostrou apenas mais um braço da quadrilha inominável que governa nosso pobre e achacado Brasil. Lastimável e desalentador.

NELSON PENTEADO DE CASTRO

pentecas@uol.com.br

São Paulo

Falta de reflexão

Uma frase que não se sabe ao certo, ainda, em que contexto foi proferida e uma gravação cuja análise de autenticidade ainda não é conhecida deixaram a mídia (principalmente a televisiva) em polvorosa, atordoando o povo e o Congresso, num momento em que é absolutamente necessária a conjunção de forças para levar avante as reformas inadiáveis e em que a economia volta a dar sinais de vida, após anos de governos petistas desastrosos, que puseram o Brasil no “vale das sombras da morte”. Francamente, essa precipitação em pedir renúncia ou impeachment do presidente, justo agora, parece de fato muito estranha... Não podemos esperar pela manifestação serena da Justiça, uma reflexão mais profunda? A impressão é que a turma do “quanto pior, melhor”, infiltrada em todos os setores sociais, está desesperada para embaraçar o governo atual e voltar ao status quo ante: o Brasil bolivariano, esculhambado, atrasado, porém cheio de si, comendo angu e arrotando peru.

EDMÉA RAMOS DA SILVA

paulameia@terra.com.br

Santos

Tentativa de golpe

Michel Temer não vai renunciar, o que é bom para o País e azar dos petistas e dos fãs do “quanto pior, melhor”.

JOSÉ MILLEI

millei.jose@gmail.com

São Paulo

“Até tu, Temer? Valha-nos Deus!”  

CELITA RODRIGUES / AVARÉ, SOBRE A OPERAÇÃO PATMOS

celitar@icloud.com

“Até tu, Temer, Aécio, Lula, Dilma, etc....?”  

SUELY SABBAG / SÃO PAULO, IDEM

ssbbag@hotmail.com

“Sejamos justos: Temer chegou lá via Dilma,

com o aval de Lula. 

Sempre os mesmos!”

  

LUCIANO HARARY / SÃO PAULO, IDEM

lharary@hotmail.com

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

A DELAÇÃO DA JBS

Às vésperas da delação de Antonio Palocci - tida como "a delação de todas as delações" -, que derrubaria de vez a frágil e patética defesa do ex-presidente Lula, eis que surge a bombástica gravação de Joesley Batista, do Grupo JBS/Friboi, praticamente implodindo o governo Temer. Definitivamente, no Brasil se morre de tudo, menos de tédio. Quais serão os próximos emocionantes e imperdíveis capítulos?

J. S. Decol decoljs@gmail.com

São Paulo

*

QUANDO A CARNE É FRACA E O PAÍS FICA NO SAL

Apesar de um dia ter 24 horas, a quarta-feira (17/5/2017) parece não ter fim no mundo da política. Pela manhã, diversos veículos de comunicação divulgaram fotos de encontros que Lula (o Messias da esquerda brasileira) teve com Léo Pinheiro, ex-executivo da Construtora OAS, que afirma pertencer a Lula um sítio em Atibaia e um apartamento tríplex em Santos, ambas as cidades situadas no Estado de São Paulo. Durante o dia, ganhou destaque o conjunto de discussões no Congresso Nacional em torno de temas sensíveis, como o fim do foro privilegiado e o plano de recuperação fiscal dos Estados. E, no começo da noite, ganhou repercussão na mídia o acordo de colaboração premiada negociado pelos controladores da empresa JBS/Friboi com a Procuradoria-Geral da República (PGR), no qual os empresários do frigorífico favorito de Lula alegam possuir gravações de encontros com o presidente Michel Temer para discutir, entre outras coisas, a "compra" do silêncio de Eduardo Cunha, peça-chave nos esquemas envolvendo a cúpula do PMDB no âmbito da Operação Lava Jato e atualmente preso. Sobre o fato envolvendo a colaboração premiada da JBS, chama a atenção a presteza de lulopetistas e suas linhas auxiliares em exigirem a imediata renúncia de Michel Temer, bem como a convocação de "Diretas Já". Por que tal ímpeto por renúncia e eleições diretas não ocorreu quando foram divulgadas, por exemplo, gravações de Dilma e Lula no episódio conhecido como "Bessias"? Não fosse por quem defende tais diretas e pela inconstitucionalidade de tal proposta de novas eleições antes de 2018, seria uma medida adicional para tentar moralizar a política brasileira. Contudo, como não existe solução salvadora fora das quatro linhas do campo constitucional e considerando as tentativas de Lula e sua militância de voltarem ao poder e, assim, retomarem o projeto de venezuelização da Nação, promover agitações sociais em favor da renúncia de Temer e pela convocação de novas eleições diretas representa oportunismo e desonestidade intelectual de quem contribuiu decisivamente para a atual crise política, econômica e moral por que passa o nosso país. Se quisermos de fato passar a limpo o Brasil, é preciso respeitar e se submeter ao ordenamento jurídico que nos rege. Afinal de contas, essa é a essência de um Estado Democrático de Direito como o Brasil, essência que o lulopetismo e suas linhas auxiliares parecem ignorar conforme sua conveniência e oportunidade. Em vista disso, se Temer tiver de sair da Presidência, será com o devido respeito a um processo político-jurídico de impeachment, por renúncia (se ele, e somente ele, julgar pertinente) ou pelo Tribunal Superior Eleitoral, onde tramita e está em vias de julgamento um processo de cassação da chapa que ele formou com Dilma em 2014. Não é no grito, no choro ou na marra de esquerdistas oportunistas que o Brasil rasgará sua Lei Fundamental e servirá aos interesses de um falso Messias que busca tão somente escapar da cadeia, perseguir opositores e instituir uma ditadura bananeira nos moldes de Cuba e Venezuela. Portanto, lutemos contra a corrupção e pelo bem do Brasil, sim! Entretanto, não nos deixemos ludibriar por quem condena a liberdade de consciência e de iniciativa privada, sabota e agride trabalhadores, tal como se viu nos atos de vandalismo do último dia 28 de abril, e ameaça cercear a imprensa, perseguir opositores e prender juízes e promotores que tentam trazer um pouco de ordem ao caos instalado pela corrupção sistêmica da qual petistas fizeram parte e na qual se locupletaram.

Pedro Papastawridis ppapastawridis@yahoo.com.br

Rio de Janeiro

*

EMERGÊNCIA

De repente, as veias do governo se entupiram impedindo a oxigenação e a circulação sanguínea.  O efeito imediato na economia, recém-desafogada, foi a forte queda no principal índice da Bolsa paulista após haver perdido 10% em relação ao fechamento do dia anterior. Portanto, que seja rápida a solução política, para circunscrever ao máximo o enfarto dos tecidos, já que o País não pode esperar. Soluções simples para tempos difíceis, salvemos o paciente com urgência!

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

*

POÇO SEM FUNDO

Era o ano de 1954, eu tinha dez anos e cursava o primário. O professor interrompeu a aula e, nervoso, informou que o presidente Getúlio Vargas havia se suicidado. Em 1961, era adolescente e ouvi, com surpresa, o rádio noticiar a renúncia de Jânio Quadros, o histriônico presidente de então. Em 1964, estava entrando na universidade quando um colega todo agitado disse que o presidente João Goulart fora deposto pelos militares. Em 1969, já casado, vi na TV que o general Costa e Silva sofrera um AVC e estava afastado da Presidência. Em 1985, minha filha era adolescente, o Brasil sofreu quando o presidente eleito, Tancredo Neves, morreu antes de tomar posse. Em 1992, eu me aproximava da meia idade, os jornais estampavam o impedimento de Fernando Collor, primeiro presidente eleito pelo voto direto pós-governo militar. Em 2016, meu neto tem 5 anos, e Dilma Rousseff é impedida pelo Congresso. Agora, em maio de 2017, há fundados pedidos de impedimento do presidente Temer, e estou com 73 anos. Triste país. Esse poço não tem fundo!

Natalino Ferraz Martins natalino.martins@uol.com.br

São Paulo

*

O SILÊNCIO CUSTA CARO

Hoje, como todo brasileiro, eu não quero opinar, só quero desabafar. Estes covis chamados Palácio do Planalto, do Jaburu e Congresso Nacional jogaram nossa dignidade e nosso orgulho no lixo e mais uma vez nos provam que o fundo do poço tem porão. Chegou a hora de entendermos que não precisamos de nenhuma reforma, mas construir de novo. Nota: assim como seu protegido Cunha, Temer deveria saber que o silêncio custa caro. 

Marco Dulgheroff Novais marcodnovais@hotmail.com

São Paulo

*

TSUNAMI EM BRASÍLIA

O Brasil amanheceu ontem perplexo, em estado de embolia em razão da divulgação, no site do jornal "O Globo" na noite anterior, de conversa entre o empresário Joesley Batista, um dos donos do Grupo JBS, com o presidente Michel Temer (PMDB). O empresário diz que gravou conversa em que o presidente avalizava operação para comprar o silêncio do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha com uma mesada. O deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) teria sido filmado recebendo uma mala com R$ 500 mil enviados por Batista. Joesley Batista afirmou à Procuradoria-Geral da República (PGR) que Temer deu aval à compra do silêncio de Cunha e do operador Lúcio Funaro, ambos presos na Operação Lava Jato por corrupção e lavagem de dinheiro. Já o senador Aécio Neves foi gravado pedindo R$ 2 milhões a Joesley Batista, para pagar sua defesa na Lava Jato. O fato é que estamos precisando urgentemente de uma reserva moral para gerir o País. Hoje, infelizmente, o Brasil passa por séria crise econômica, política, ética e moral, e não sabemos mais em quem confiar. O brasileiro está estupefato de ouvir notícias sobre desvio de dinheiro público, propina e corrupção. Os partidos e os políticos parecem mais uma quadrilha organizada, não fazem nada em defesa do povo e da Nação. Se gritar "pega ladrão", não sobra ninguém em Brasília para apagar a luz do Congresso e dos palácios. É deprimente e lamentável a que ponto chegamos. O Brasil precisa mais do que nunca ser passado a limpo. Doa a quem doer!

Turíbio Liberatto turibioliberatto@hotmail.com

São Caetano do Sul

*

HONRA AO AVÔ?

Que coisa feia, senador Aécio Neves. Uma vez ouvi o senador dizer, quando acusado de corrupção, que honrava seu avô Tancredo Neves e que jamais tocaria naquilo que não fosse seu de direito, principalmente no erário. E agora, senador, será que, como Lula, que culpa a esposa, o sr. vai culpar sua irmã Andrea? Estou aqui imaginando seu avô revirando-se no túmulo.

Arnaldo de Almeida Dotoli arnaldodotoli@uol.com.br

São Paulo

*

TRALHAS

Acho excelente que o senador Aécio Neves tenha sido afastado do Senado Federal e seja até preso, junto com sua irmã que há anos foi seus braços e pernas. Só não entendo por que, até agora, a senadora Gleisi Hoffmann, os senadores Lindbergh Farias, Jorge Viana, Renan Calheiros, Romero Jucá e tantos outros também não o foram. Delações pipocaram por todo lado, e essa turma está até hoje no comando do Congresso Nacional. São tralhas podres que atrasam a recuperação ética do País. Todos deveriam ser afastados, cassados e estar respondendo na Lava Jato sem foro privilegiado. Quem tem bandido de estimação que aprenda que todos, sem exceção, devem ser julgados e condenados. Não existe partido do coração, e, sim, "povo brasileiro do coração"!

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

EXPURGO

As prisões de Temer, Aécio, Lula, Dilma "et caterva" expurgarão o Brasil. 

Eugênio José Alati eugenioalati13@gmail.com

Campinas

*

ARREPENDIMENTO

O senador Aécio Neves, que foi afastado do cargo, era feliz e não sabia. Sempre mantendo suas tramoias ocultas, resolveu colocar a boca no trombone e pediu a cassação da chapa Dilma-Temer. Agora, é vítima do seu próprio veneno. Está afastado do Senado federal por determinação do relator da Lava Jato, ministro Edson Fachin, além da busca e apreensão de documentos em seu gabinete e nas suas propriedades do Rio de Janeiro e de Minas Gerais. É o típico clássico onde se diz "se arrependimento matasse...", mas o povo aplaude!

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

*

GRAVAÇÕES-BOMBA

A casa caiu, ficamos sob os escombros...

Lucia Melchert  luciamelchert@gmail.com

São Paulo

*

CONDIÇÃO MORAL

Se a sociedade brasileira está comprometida em passar o Brasil a limpo, todas as ervas daninhas devem ser extirpadas. Com as recentes provas obtidas pelo dono da JBS, Joesley Batista, o presidente da República, Michel Temer (PMDB/SP), e o presidente do PSDB, senador Aécio Neves, não têm mais a mínima condição moral de ficar à frente dos seus postos. Renúncia já e eleição indireta em 30 dias. 

José Carlos Degaspare degaspare@uol.com.br

São Paulo

*

BANDIDAGEM

Se confirmadas as graves acusações feitas pelos donos da JBS, então, em questão de bandidagem, não há muita diferença entre um doutor em Direito Constitucional, um ex-metalúrgico que nunca trabalhou, uma economista que nunca governou de fato, um ex-governador e atual senador da República ou entre partidos da direita, esquerda, centro ou qualquer outra tendência. Será que a postura dos políticos será à altura deste desastre, e a Justiça agirá rapidamente? A esperança é a última que morre!

Omar El Seoud ElSeoud.USP@gmail.com

São Paulo

*

COMPOSIÇÃO

Presidência da República, Senado, Câmaras, Assembleias. Cada dia me convenço mais de que o compositor estava certíssimo quando compôs "se gritar 'pega ladrão', não fica um, meu irmão".

Afonso Pignatari affonso.pignatari@uol.com.br

São Paulo

*

BRASIL EM TRANSFORMAÇÃO

Infelizmente, fica cada vez mais claro que o cidadão brasileiro trabalhava dobrado: metade para manter o Brasil real e a outra metade para manter o Brasil corrupto. Um dia ia ter de acabar!

Luiz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo

*

ACUSAÇÃO PREMIADA

O grande beneficiado pelo BNDES petista, Joesley Batista, foi ao Palácio do Jaburu com um gravador, armado e preparado para envolver o presidente da República em suas tramoias. Disse ao presidente fato que o presidente não conhecia (isso está claro na denúncia) e teve a resposta que esperava, suficiente para garantir-lhe a chance de uma acusação premiada, quando chegasse a sua vez. Feita a acusação, fica tranquilo e ileso. Vai ficar só por isso? Por todos os seus anos de favorecimento e envolvimento com o governo e os políticos, deve ter muito mais a relatar. Por menos que isso Eike Batista está preso.

Wilson Scarpelli wiscar@terra.com.br

Cotia

*

JOESLEY X ODEBRECHT

Gostaria que o STF explicasse por que o empresário Marcelo Odebrecht foi preso e o tal empresário Joesley Batista (JBS) está solto andando tranquilamente em Nova York. Será que a informação do sócio majoritário da JBS, vulgo Lulinha, é verdadeira e tem mais poder? Será?

Nelson Nascimento Cepeda fazoka@terra.com.br

São Paulo

*

NUANCES DE ARMAÇÃO

Como bem disse o insigne poeta e dramaturgo inglês, a nova "bomba" que eclodiu na putrefata política brasileira apresenta nuances de conjecturas e armações. Vejamos: os novos delatores são os conhecidos irmãos Batista, donos dos frigoríficos JBS, fregueses contumazes do BNDES, por meio do qual se tornaram os maiores exportadores de carnes do Brasil e, segundo as más línguas, sócios de um dos filhos do "cara". Além disso, conforme informações da imprensa, nas duas últimas semanas, a mesa de operação Eldorado/JBS voltou a operar no mercado de câmbio, de onde estava há muito desaparecida. Apesar de essas revelações terem sido divulgadas pela imprensa, no início da noite de quarta-feira (24/5), em curto espaço de tempo, a "turma da mortadela" já estava organizada em manifestações, em todas grandes cidades brasileiras. Por outro lado, os políticos da oposição, com uma celeridade incomum, já tinham prontos pedidos de impeachment do presidente em exercício. Sabemos de sobejo que na política brasileira não existem santos ou vestais, mas denúncias dessa monta devem ser alvo de investigações urgentes, rigorosas e imparciais, pois a Nação brasileira não pode ficar à mercê de conjecturas, armações e fofocas.

Luiz Antônio Alves de Souza  zam@uol.com.br

São Paulo

*

DIGITAIS CONHECIDAS

Sempre que a organização criminosa que desgovernou o Brasil por 13 anos se viu enquadrada pela Justiça, surgiram do nada e misteriosamente fatos de grande repercussão nacional que mais se pareciam como uma grande nuvem de fumaça para desviar o foco das atenções da mídia e da opinião pública. Durante os dois mandatos de Lula não era raro deparar-se com notícias alardeando a descoberta de novas jazidas de petróleo após a imprensa divulgar escândalos de desvio de dinheiro público cada vez maiores. Desta vez, não foi diferente: com seu líder máximo em vias de sofrer uma condenação pela Operação Lava Jato e na iminência de ser aberta a caixa-preta do BNDES, banco que gentilmente ofereceu a estratosférica quantia de R$ 8 bilhões em empréstimos suspeitíssimos à empresa JBS, dos irmãos Wesley e Joesley Batista - hoje circulando livremente pelas ruas de Nova York, depois de uma delação com endereço certo, Michel Temer -, eis que surge uma gravação em que o presidente Temer aparece supostamente flagrado em conversas nada republicanas. Como sempre, a orcrim é muito previsível e competente quando se trata de criar ilusionismo para desviar a atenção de seus inúmeros crimes, atacando seus rivais.

 

Paulo R. Kherlakian paulokherlakian@uol.com.br

São Paulo

*

CAMINHO DE VOLTA

Fica muito claro que o objetivo dos irmãos Batista fabricando provas gravadas contra pessoas importantes é uma maneira de trazer Lula, seu amigo que os ajudou a enriquecer, de volta à Presidência da República. Para isso, é preciso que a Justiça não invalide essas "provas forjadas", como ocorre em muitos países.

Fabio Figueiredo fafig3@terra.com.br

São Paulo

*

NA CONTA DE LULA

Toda esta desgraça que se abate sobre o País, de ordem política, econômica e financeira, deve ser debitada ao sr. Lula da Silva, pois nos jogou no colo, inclusive, do sr. Michel Temer. Quem um dia teve 80% de preferência popular jamais precisaria ter corrido para o colo de Sarney, Renan, Temer, etc.

Cesar Romero Galardo crgalardo@terra.com.br

Atibaia 

*

FUTURO SOMBRIO

Que não se iludam os ingênuos. O futuro é sombrio. Para começar, mesmo que passe a PEC das diretas já para presidente, de autoria do deputado Miro Teixeira, o País ficará paralisado por meses e as tão necessárias reformas irão por água abaixo. Além disso, não há atualmente nomes representativos e confiáveis na esfera política ou empresarial capazes de compor uma relação honesta com este Congresso horroroso que aí está. Não há solução mágica no curto prazo. Com o devido perdão do desabafo, cada povo tem o governo que merece. 

Luciano Harary lharary@hotmail.com

São Paulo

*

PODRIDÃO INSTITUCIONAL

As denúncias da diretoria do Grupo JBS, que vieram à tona em 17/5, são de descomunal gravidade. Elas confirmam as evidências de podridão institucional já comprovadas pela Operação Lava Jato, pelo juiz Sergio Moro, a Polícia Federal, Ministérios Públicos, pela Procuradoria-Geral da República e por outros segmentos confiáveis do setor público brasileiro. E a proposta de uma intervenção militar não é uma solução democrática para combater esta crise sem precedentes na história do Brasil.

Claudio Janowitzer cjanowitzer@gmail.com

Rio de Janeiro

*

BEM-VINDO O APOCALIPSE

Tá difícil de imaginar quem será o último a apagar a luz. Vivemos uma verdadeira hecatombe institucional. Porém, se para o Brasil ressurgir da lama em que está submerso é necessário que o mundo se acabe, então bem-vindo o apocalipse de delações, traições e jogo sujo entre aqueles que tanto mal fizeram ao nosso país. Sua vez de passar por desesperança!

Myrian Macedo myrian.macedo@uol.com.br

São Paulo

*

NEBULOSO

Todo este repentino imbróglio envolvendo Michel Temer está muito nebuloso, mesmo com gravação "não muito cristalina" que o incrimine. A JBS se alçou ao voo como um cometa durante o governo Lula e a rapidez com que a denúncia apareceu e, em seguida, gerou pedidos de impeachment sem que sequer se tivesse ouvido a tal gravação é muito "desconfiante". Haja o que houver, ou renúncia ou impeachment, uma coisa é certa: não pode haver eleição direta antecipada em hipótese alguma, com algum candidato réu e desesperado. Que se cumpra a Constituição.

Carmela Tassi Chaves tassichaves@yahoo.com.br

São Paulo

*

MORALIDADE JÁ

Proponho que o "Estadão" defenda, em primeiro lugar, a moralidade da administração pública. A governabilidade virá como consequência, mais tarde.

Miguel Ângelo Napolitano mnapolit@gmail.com

Bauru

*

GARANTIA DE INSTABILIDADE

Temer era a garantia de estabilidade e bom senso durante o período de transição. Só que, repentinamente, sua permanência no poder torna-se a garantia de uma instabilidade absolutamente insuportável para o nosso combalido país. Trata-se de possibilidade real de uma nova crise, cuja magnitude pode se mostrar sem precedentes. Presidente, nem pense em tentar se segurar na cadeira, como fez Dilma Rousseff, renuncie enquanto ainda pode.

Jorge Alberto Nurkin jorge.nurkin@gmail.com

São Paulo

*

POBRE BRASIL

Até ontem, eu achava que, quaisquer que fossem os pecados (ou crimes) que porventura o nosso presidente tivesse cometido, seriam todos perdoados mediante o seu provável sucesso na introdução das reformas indispensáveis à salvação do Brasil. E hoje, o que nos reserva o futuro? Será o Bolsonaro? 

Jan Krotoszynski jankroto@gmail.com

Carapicuíba

*

PRAGMATISMO

O presidente, para o bem do País, tem de ser pragmático e renunciar imediatamente. As reformas fundamentais já não poderão ser implementadas sob sua influência. É a realidade, clara. Imagino que, no seu desespero disfarçado, só lhe resta a proteção do foro, e, se vejo bem, a perderá vergonhosamente, pelo impeachment. Por favor ao Brasil e à sua família, pegue o chapéu, apague  a luz e "tchau, querido".

 

André C. Frohnknecht caxumba888@gmail.com

São Paulo

*

DIGNIDADE

Sr. Temer, o mínimo de dignidade: renuncie!

Tania Tavares taniatma@hotmail.com

São Paulo

*

PRESIDENTE GRAVADO

Que vergonha, hein, sr. Temer! Agora não tem mais jeito, vai ter de sair mesmo. E eu, que nunca fui do "Fora Temer", e, sim, a favor da governabilidade, me decepcionei muito, pois até acreditei no senhor. Por esta e por outras, realmente ficou muito difícil de saber quem é o mais corrupto, se o PT ou o PMDB. 

Paulo Sérgio P. Gonçalves ppecchio@terra.com.br

São Paulo

*

NADA DE NOVO

Não há razão para rebuliço. Nenhuma novidade. Temer nada mais era que vice-presidente na chapa com Dilma/Lula. Todos parte da mesma organização criminosa PT-PMDB. Nem mesmo o senador Aécio. Algum senador escapa? E quando chegarmos ao STF e ao TCU?

André Luis Coutinho arcouti@uol.com.br

Campinas

*

FUTURO INCERTO

O presidente Michel Temer comandava o PMDB, de Eduardo Cunha, Renan Calheiros, José Sarney, Fernando Collor, Jader Barbalho e outros políticos do mal. Naturalmente que não poderia ser um padre Marcelo da política nacional. Mas Temer, depois de assumir a vaga da impeachmada Dilma Rousseff, tomou para si a responsabilidade de conduzir reformas que todos os que pensam no futuro do País sabem ser fundamentais. Agora, se o futuro de Temer é incerto, o do Brasil é muito mais ainda.

Abel Pires Rodrigues abel@knn.com.br

Rio de Janeiro 

*

PEQUENA AMOSTRA

Temer não é ingênuo e conhecia os riscos. Mesmo assim, julgou mandatório tentar calar Eduardo Cunha. Ao ser revelada, no entanto, essa simples tentativa praticamente derrubou seu governo. Alguém consegue imaginar o que ocorrerá quando Cunha resolver falar?

Lazar Krym lkrym@terra.com.br

São Paulo

*

A REPÚBLICA DOS PATIFES

Todos os dias, em Brasília, a República dos patifes se replica, se republica, se reproclama. Vergonhosamente. O mundo civilizado pode pensar o que quiser deste infeliz país. Se quisermos posar de civilizados, faça-se o que manda a Constituição. Prendam-se todos os patifes, barbudos ou não. Senhoras e senhoras, quem o desmoralizado Congresso escolherá para presidir o Brasil até 2018? Qual brasileiro honrado e competente aceitará drenar a lama que, de algum modo, encharca os Três Poderes da República?

José Maria Leal Paes tunantamina@gmail.com

Belém 

*

MUDANÇA BRUSCA

O Brasil demonstrou sinais de melhora nas suas contas públicas esta semana, e 58 mil empregos com carteiras assinadas foram criados, enfim, o clima era de esperança por dias melhores. Mas, como de costume, veio uma avassaladora notícia envolvendo políticos em atos de corrupção, atingindo até a Presidência da República. É inacreditável que uma notícia bombástica como esta tenha, de imediato, mudado todo o ambiente de otimismo na população.  Estes políticos brasileiros pensam sempre que o Brasil lhes pertence, usando e abusando de esquemas de corrupção. Vamos dizer a eles que o Brasil pertence ao povo brasileiro e a mais ninguém.

Francisco Zardetto fzardetto@uol.com.br

São Paulo

*

FIM

Todo tipo de sorte será lançada agora para que se mantenha Michel Temer como presidente até o fim do mandato, desde a governabilidade, a economia, as reformas não feitas e o principal: a incerteza constitucional do que fazer caso venha a ser tirado da Presidência.

Marcos Barbosa micabarbosa@gmail.com

Casa Branca

*

O GUARDA-LIVROS

Diante das últimas informações referentes à delação da JBS, ficou muito claro e bem explicado o motivo de Lula e Dilma terem mantido Guido Mantega no governo. Na verdade, a função dele era - como se denominava antigamente - de "guarda-livros", que contabilizava e distribuía o produto das propinas ao PT e aliados.

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

A IMPRENSA

E agora, sr. Lula, após as notícias sobre Aécio Neves, Michel Temer e Guido Mantega, será que o "Estadão" e a Globo também mentiram? 

Jose R. de Macedo Soares joserubens@jrmacedoadv.com.br

São Paulo

*

ESCURIDÃO

Os últimos acontecimentos são motivo de profunda reflexão: Deus é brasileiro? Se for, por que parece que somos uma terra castigada por Ele? Depois da praga da nuvem de gafanhotos chamada PT, somos continuamente assolados por um enxame de políticos corruptos, vendidos a uma máfia de empresários parasitas, inclusive os da morte dos rebanhos. Já pensaram na tragédia de proporções bíblicas que será a segunda substituição de presidente em menos de dois anos, com um tipo como Rodrigo Maia ocupando a Presidência interinamente até a realização de eleições indiretas convocadas por outro como Eunício Oliveira, na qual votarão os mesmos pústulas de sempre? E para eleger quem? Haja escuridão!

Renzo Galuppo renzo.galuppo@gmail.com

São José dos Campos 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.