Fórum dos Leitores

.

O Estado de S.Paulo

20 Junho 2017 | 05h07

CORRUPÇÃO

R$ 123 bilhões

Conforme dados da Polícia Federal obtidos pelo Estado, o Brasil perdeu R$ 123 bilhões com esquemas de corrupção apurados em 2.057 operações dos últimos quatro anos. O valor é pouco menos do que será o déficit fiscal a ser enfrentado pelo País em 2017. Quer dizer que, enquanto a equipe econômica já acena com aumento de impostos para tirar o Brasil da crise, os bolsos de políticos corruptos estão cheios assim? Com que cara de pau as autoridades recorrerão ao povo, que já paga 40% de impostos, se até agora nenhum corrupto está preso ou devolveu aos cofres públicos o resultado do seu delito? Como acreditar que nossas instituições estão funcionando, se quem assalta os cofres públicos não é punido?

BEATRIZ CAMPOS

beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

Dinheiro pelo ralo

Perdemos R$ 123 bilhões para a corrupção – de acordo com o que foi apurado pela Polícia Federal nos últimos quatro anos. Quais seriam os efeitos colaterais da perda dessa montanha de dinheiro público? A saber: miséria, desemprego, fome, vício, crime, assaltos, furtos, mortes, desespero, raiva, analfabetismo e por aí vai.

LEANDRO FERREIRA

leandroferreoradasolva@gmail.com

Guarulhos

Dois Brasis

O País está dividido. De um lado, as muitas quadrilhas de políticos, de empresários, de traficantes, assaltantes em geral. Do outro lado, o povo roubado, pagante da farra.

DOCA RAMOS MELLO

ddramosmello@uol.com.br

São Sebastião

Temer e os corruptos

Há um adágio que diz que “a melhor defesa é o ataque”. O presidente Michel Temer, antes de viajar para a Rússia e Noruega, gravou um vídeo para as redes sociais em que solicita “punição aos criminosos”. Até aqui, no entanto, investigações mostram que o presidente da República também está envolvido em casos que infringem a lei. A meu ver, Temer deveria aguardar o desenrolar dos fatos sem fazer pronunciamentos precipitados e inadequados.

FRANCISCO ZARDETTO

fzardetto@uol.com.br

São Paulo

‘Chefe da quadrilha’?

Eu não posso defender nem condenar o presidente Michel Temer, porque não tenho comprovações legais e técnicas para isso. Porém, despertou-me muita curiosidade o ataque do empresário Joesley Batista, dono da JBS-Friboi, ao presidente, em entrevista à revista Época (“Temer é o chefe da quadrilha mais perigosa do Brasil”). Afinal, em que governo a JBS conseguiu os bilhões arrancados do BNDES que fizeram essa empresa crescer vertiginosamente à custa dos contribuintes? Isso o Supremo Tribunal Federal (STF) precisa esclarecer ao povo brasileiro, é sua missão.

BENONE AUGUSTO DE PAIVA

benonepaiva@gmail.com

São Paulo

Pobre Joesley

Joesley Batista escarnece do brasileiro. Nas entrelinhas de sua entrevista, afirma que o País está dominado por gangues, mas ele delas não faz parte, apesar de ter recebido bilhões do BNDES, do FI-FGTS e dos fundos de pensão. Luciano Coutinho (BNDES) e responsáveis pelas liberações de tanto dinheiro (Caixa Econômica Federal e conselhos dos fundos) não sabiam de nada. Não houve contrapartida. O coitadinho doava (corrompia) com dinheiro das receitas (lucro) do próprio grupo!

ARNALDO RAVACCI

arnaldoravacci05@gmail.com

Sorocaba

Conversinha

Queiramos ou não, não dá para negar que o Brasil é o país da piada pronta. Em entrevista à revista Época, o empresário Joesley Batista literalmente posa de bom moço e quer convencer a opinião pública de que foi vítima de políticos malvados que o levaram para o mau caminho. Todos sabem que corrupção é via obrigatória de mão dupla e o empresário poderia, se quisesse, ter se recusado desde o início a participar desse esquema nefasto que ele denuncia ou até mesmo denunciá-lo. A verdade é que não fez nem uma coisa nem outra, porque, ao contrário do que procura passar na entrevista, Joesley nunca teve apreço por princípios éticos fundamentais. A história de que “os políticos não estavam entendendo o que estava acontecendo com o País” e que só por isso ele resolveu começar a gravar as conversas que mantinha com autoridades é conversinha que não convence ninguém.

LUCIANO HARARY

lharary@hotmail.com

São Paulo

Como acreditar?

Como pode alguém acreditar no tal Joesley Batista? Será que a imprensa não tem mais jornalistas sérios, apenas estagiários sem noção? Depois de 13 anos com Lula e Dilma, foi em apenas um ano que os Batistas criaram um império? Não pertenço a nenhum lado político, mas defendo a ética. Quão fundo é este esgoto de águas putrefatas?

SARAH CAMARGO

sarahcamargo@hotmail.com

São Paulo

E a responsabilidade?

Relatos e comentários da entrevista de Joesley à Época (Estado, 18/6, A1 e A4) que citam Guido Mantega apontam, sim, Lula e Dilma como responsáveis pelas organizações criminosas em seus governos, já que responsabilidade não se delega. Mantega é o novo “boi de piranha” do PT. Por quê? Eventos no açougue da esquina têm seu gestor responsável, não é? Alegar “eu não sei” é a usual história para boi dormir de membros dos Executivos e Legislativos – distorção acatada no Poder Judiciário sabe-se lá por quê. Presidentes do País são, sim, responsáveis principais pelo que acontece em sua gestão, um valor que falta implementar na política brasileira para saneá-la. Enquanto isso não acontece, analogias a bois são úteis.

SUELY MANDELBAUM

suely.m@terra.com.br

São Paulo

Silêncio total

Joesley Batista disse à revista Época que Lula e o PT institucionalizaram a corrupção no Brasil, algo que não causou espanto a ninguém. Nem mesmo Rui Falcão, desmentidor oficial do PT de assuntos que não agradam ao partido, se manifestou.

LUIZ BIANCHI

luizbianchi@uol.com.br

São Paulo

Ribanceira abaixo

A situação de Joesley me lembra um dito popular: quando o caboclo rola a ribanceira, no desespero ele agarra até rabo de jararaca.

IVAN BERTAZZO

bertazzo@nusa.com.br

São Paulo

“Chefe de organização criminosa é quem financia políticos, com dinheiro do povo, para se dar bem nos negócios”

TANIA TAVARES / SÃO PAULO, SOBRE A ENTREVISTA DE JOESLEY BATISTA À REVISTA ‘ÉPOCA’

taniatma@hotmail.com

“Nem joio nem trigo, no Congresso Nacional, é tudo farinha do mesmo saco”

GERALDO FERREIRA / SÃO PAULO, SOBRE A IMAGEM DA POLÍTICA BRASILEIRA

quartoplanejado@yahoo.com.br

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

ESTRATÉGIA DA DESQUALIFICAÇÃO

Ridícula a iniciativa de Michel Temer de processar Joesley Batista, com o claro objetivo de jogar uma cortina de fumaça na detalhada entrevista que o empresário concedeu à revista "Época". Não é o desqualificando que ele vai conseguir se safar desta. O que Temer precisa fazer, com a máxima urgência, é cumprir a missão impossível de convencer o povo brasileiro de que não participa da organização criminosa descrita por Joesley. O conteúdo da gravação da sua sórdida conversa no porão do Palácio do Jaburu, a mala de dinheiro entregue a Rodrigo Rocha Loures por sua indicação e a ligação com políticos do mais baixo nível moral, como Eduardo Cunha, Eliseu Padilha, Moreira Franco, Geddel Vieira Lima, Romero Jucá e Henrique Alves, entre outros, por sua posição hierárquica no grupo, porém, o qualificam como o provável chefe da mais perigosa quadrilha do Brasil, conforme declarado por Joesley.

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

*

AFINAL, QUEM FOI?

Michel Temer nega ter relações pessoais com Joesley Batista; Geddel Vieira Lima diz ter encontrado Joesley uma única vez; Lúcio Funaro era um desconhecido de todos, mas a todos conhecia. Eduardo Cunha só tinha relações institucionais com os demais citados e jamais teve qualquer envolvimento com qualquer um. Joesley ignora Lula em suas delações; já Lula nada sabe ou ouviu falar sobre nada. Antonio Palocci segue quieto; Rocha Loures, por enquanto, não abre o bico; Aécio Neves, agora, é a Geni da vez; e Renan Calheiros segue como uma sombra que ninguém vê ou ouviu falar. Dilma Rousseff, preventivamente, diz que não autorizou ninguém a abrir ou movimentar conta em seu nome no exterior - logo, a conta existe. Todos prometem processar todos os comparsas/delatores. Afinal, quem roubou o quê, quanto e de quem? Quem achacou e se aliou a quem? Nem a Al Qaeda tem tamanha organização e segmentação em suas articulações criminosas quanto a Orcrim brasileira. Conclui-se que a culpa é só nossa, que votamos nesta canalhada toda.

Claudio Juchem cjuchem@gmail.com

São Paulo

*

VÍDEO NAS REDES SOCIAIS

Sinceramente, ver Temer pedindo punição rigorosa para os corruptos me faz lembrar aquela história do ladrão que, depois do assalto, sai correndo gritando "pega ladrão!".

 

Sergio Diamanty Lobo diamanty18@gmail.com

São Paulo

*

IRRESPONSÁVEIS

O presidente Michel Temer embarca para a Rússia e Noruega a título de relações políticas e comerciais, enquanto procura transmitir despreocupação com as acusações que lhe são imputadas. Do Congresso pouco se pode esperar na aceitação das reformas necessárias para melhor ordenar a política econômica, em especial a fiscal, destruída pelos governos petistas. Da oposição, viúva da gandaia de 13 anos e alguns meses no poder, se vê mais o interesse maior em aumentar o problema factual por eles iniciado do que apresentar soluções, pelo menos inteligentes e aplicáveis. Em nome da democracia, procuram fazer da Constituição uma colcha de retalhos, segundo suas conveniências políticas para um suposto retorno ao poder ou satisfazendo-se em destruir o presente e o já alcançado. Se os partidos da base do governo não se entendem, onde vamos parar? A renda continua a faltar, as empresas não investem porque sobra mão de obra, e com capacidade ociosa, dificultando ainda mais a absorção dos milhões de desempregados. E a sociedade, desesperada, nada pode fazer diante da inércia dos governantes, indicando estarem mais preocupados em salvar-se das acusações de recebimento de dinheiro espúrio. Solução? Esperar! Até quando?

Mario Cobucci Junior maritocobucci@gmail.com

São Paulo

*

COMBINAR COM OS RUSSOS

Está claro que em um ano de governo Temer se fez muito mais que o poste Dilma Rousseff, teleguiado de Lula. Cabe ao governo continuar com as reformas trabalhista e previdenciária. E, se falta combinar com o russos, então que seja.

Leandro Ferreira leandroferreoradasolva@gmail.com

Guarulhos

*

O ESTADO CRIMINOSO

Michel Temer deve explicações à Polícia Federal e à nação brasileira sobre a mala de dinheiro recebida por seu assessor Rodrigo da Rocha Loures e sobre o pacote entregue a pedido de seu ministro Eliseu Padilha pelo doleiro Lúcio Funaro a seu secretário José Yunes. Temer já se recusou a responder às perguntas da Polícia Federal sobre essas ilegalidades, e com essa recusa o Brasil está se transformando num Estado criminoso. Ou Temer apresenta respostas satisfatórias a essas questões ou deveria renunciar imediatamente à Presidência da República. 

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

*

PARA LEMBRAR

Eu gostaria de saber por que não se fala mais dos R$ 500 mil carregados na mala de Loures e também por que não cortaram o cabelo dele na prisão, como aconteceu com os outros presos.

 

John Edgar Bradfield lbradfi@amcham.com.br

Itanhaém

*

BANDIDO DESDE QUANDO?

Nota do Palácio do Planalto divulgada no sábado (17/6) informa que Joesley Batista "é o bandido notório de maior sucesso na história brasileira". Bandido desde quando? O que não dá para entender é que este senhor declara que tinha livre acesso a Michel Temer. Lembremos que ele entrou no Palácio do Jaburu altas horas da noite, com o nome falso de "Rodrigo", e, no subterrâneo do palácio, bateu papo com o presidente da República. Será que o megaempresário passou à condição de bandido só depois de contar ao Brasil as canalhices praticadas por nossos políticos? É estarrecedor o que está sendo contado à população brasileira. E as ruas estão desertas.

Jeovah Ferreira jeovahbf@yahoo.com.br

Taquari (DF)

*

O CHEFÃO DA ORCRIM

Alguém acredita que um vice-presidente, quase como uma "rainha da Inglaterra", diante do plano do ex-presidente Lula de manter o PT no poder para sempre, depois de muita corrupção durante 13 anos, seria o chefe da organização criminosa que assaltou o País? Michel Temer poderia ser coadjuvante, mas nunca o poderoso chefão. Diante da entrevista dada por Joesley Batista à revista "Época", que liberou Lula de qualquer suspeita, se tivéssemos um Judiciário isento, a delação do dono da JBS já estaria anulada. Foi o mesmo que culpar o bobo da corte por roubar o reinado inteiro. Joesley extrapolou na mentira. Cadeia nele!

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

JOESLEY BATISTA

Os caras abraçam o mundo e, depois, caem escorregando numa pequena pedra. Foi também o caso de Al Capone. Esta de atacar Temer e dizer algo inespecífico sobre Lula (quando disse que Lula e o PT institucionalizaram a corrupção no País, completando que nunca conversou nada "não republicano" com Lula nem com o BNDES) é coisa mais que combinada. Ao mesmo tempo que ele diz que Lula e o PT institucionalizaram a corrupção do País, ele diz, por outro lado, que as conversas dele com Lula e com o BNDES foram sempre republicanas. Com certeza o PT falou "ou lê nossa cartilha ou morre, amigo. Afinal, lhe demos todo o dinheiro que você tem hoje!". Nessa jogada, o PT contava com a queda rápida de Temer diante das denúncias. O PT compraria os deputados do Congresso para votarem pela eleição direta e, caso Lula fosse eleito, pararia a Lava Jato e regularizaria o caixa 2. Não precisa ser Polícia Federal, nem procurador da República, nem Sérgio Moro para enxergar isso.

Orivaldo Tenorio de Vasconcelos professortenorio@uol.com.br

Monte Alto

*

CONFIRMAÇÃO

Finalmente Joesley deu uma declaração sensata, apesar de que já sabíamos: "Lula institucionalizou a corrupção no Brasil". Ambos deveriam estar na cadeia há muito tempo! Pena que a Justiça no Brasil é esta (não atua como deveria, tem muita safadeza)...

Laert Pinto Barbosa  laert_barbosa@globo.com

São Paulo

*

NÃO DÁ

Joesley, o grande empresário bandido do Brasil, fechou acordo de delação premiada, envolveu Temer até o colarinho, mas poupou Lula (seu possível sócio). Isso, desde o início, pareceu vingança, e agora temos a certeza de que é. O atual governo fechou para ele e seus sequazes as torneiras do BNDES propositadamente, no que fez muito bem.  Tanto ele quanto seu irmão são os maiores devedores do banco e da Previdência, como sabemos. O mundo inteiro sabe bem o que estes açougueiros goianos são. Após oito anos de governo Lula, mais os cinco de Dilma, dizer que o maior bandido do Brasil é Michel Temer não dá. Convenhamos, sabemos que o atual presidente também não é nenhum santo (foi escolhido pelo PT como vice), mas daí a ser o maior bandido deste país é pensar que todos somos idiotas. 

Carlos E. Barros Rodrigues ceb.rodrigues@hotmail.com 

São Paulo

DEU BANDEIRA

Pelo teor da denúncia do empresário Joesley Batista à revista "Época" se pode medir o tamanho da gratidão do delator pelos empréstimos de pai para filho que o BNDES (leia-se Lula/Dilma) lhe propiciou. É um "reconhecimento" bilionário, mesmo! Só achei que ele exagerou um tantinho, passou do ponto, deu bandeira... E de Lula, ninguém fala mais nada? Dia 20 de junho está aí!

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

*

CÃO FIEL

Quanto a Joesley Batista não incriminar Lula na entrevista à revista "Época", vale o ditado: o cão não morde a mão que o alimenta.

Lauro Fujihara laurofujihara@gmail.com

Araçatuba

*

'FOLLOW THE MONEY'

Como dizem os ingleses, "follow the Money", ou seja, sigam o dinheiro, se quiserem descobrir algo podre. É óbvio que Temer não é nenhum santo, mas gostaria de confrontar o patrimônio dele com o de Joesley Batista, o "bom bandido". Provavelmente, Temer ficará envergonhado de sua situação financeira...

Godofredo Soares godofredocaetanosoares@gmail.com

São Paulo

*

PIOR DO QUE PARECIA?

Em sendo verdade - e tudo nos faz crer que seja -, são avassaladoras, no pior sentido do termo, as mais recentes revelações feitas pelo empresário Joesley Batista, da JBS, às autoridades e à mídia como um todo e que têm envolvido diretamente o governo Temer e aqueles que o cercam, no que se referem a crimes contra o erário e, consequentemente, contra a Nação. Dessa forma, só nos resta concluir que os desmandos financeiros atribuídos a governos anteriores, como, por exemplo, o de Dilma Rousseff, Lula e FHC - só para citar os mais recentes -, não passam de pequenos desfalques feitos por amadores. Com ironia, por favor!

Luís Fernando Amaral luffersanto@bol.com.br

Laguna (SC)

*

CRIMINOSO

Joesley Batista faz parte da organização criminosa, pois se beneficiou dos bilhões do BNDES!

Lourdes Migliavacca

São Paulo

*

A SOMBRA E A ESCURIDÃO

Abrindo a caixa preta do BNDES e da J&F, vão encontrar dezenas de bilhões escondidos. Se Temer deve cair, "alguém" deve ir para a cadeia já! A credibilidade do Ministério Público e do STF está em jogo, qualquer pesquisa mostra que poucos brasileiros acreditam na Justiça depois da lambança com o sr. Joesley, ou será "doutor"?

Luiz Ress Erdei gzero@zipmail.com.br

Osasco

*

CONTRARIADOS

Óbvio que o presidente Temer irritou os empresários criminosos habituados aos tempos de Lula e Dilma, quando tinham todo o dinheiro do BNDES disponível, desde que pagassem cifras escandalosas para eles. Certamente, o presidente Temer cortou esse vexame, comum a quem tem plano de poder como objetivo de vida, e não a preocupação com a Nação.

Roberto Moreira da Silva rrobertoms@uol.com.br

São Paulo

*

PRIVATIZAÇÃO

A sucessão de denúncias - Odebrecht, JBS, etc. - de roubos usando estatais não para e só vai parar quando forem todas privatizadas. Mas os políticos de PT e PMDB só se interessam por seus cargos e seus ganhos, caixa 1, caixa 2 e contas em paraísos fiscais. Temer não demonstrou interesse em privatizar as estatais porque acabaria a "Fontana di Trevi". E isso é carta fora do baralho. 

Mário A. Dente eticototal@gmail.com

São Paulo

*

DANÇA MACABRA

Quando pensamos que a política e a Justiça brasileiras, após trevas e trovões, deixarão transparecer algum tímido raio de luz, surgem novas tempestades e a nebulosidade só faz aumentar. Repentinamente, surge Joesley Batista, um bandido recém-descoberto pela mídia e pelo público em geral - apesar de muito bem conhecido e encoberto pela politicalha deste país. E não é que o novo bandido conseguiu desbancar os Odebrecht na malandragem e na roubalheira? O que mais intriga é por que ele - a exemplo de Marcelo Odebrecht - ainda não foi preso e continua a dar as cartas para a mídia, com ênfase de prognosticador, acusando Michel Temer e obnubilando Lula. O que pretendem Edson Fachin e Rodrigo Janot concedendo-lhe rédeas soltas? O que pretendem, ou o que estão ganhando, todas as instâncias da Justiça para permitir, ou até favorecer, este samba do crioulo doido nas instituições brasileiras? Que dança macabra é esta que os partidos políticos se empenham em dançar, ignorando o povo e a democracia? Claro, é a dança do poder pelo poder e pela usurpação do Tesouro público, do "não largo o osso de jeito nenhum".  Não bastasse, lá vem FHC ressurgindo do sarcófago para propor eleições diretas... Haja Rivotril.

Carmela Tassi Chaves tassichaves@yahoo.com.br

São Paulo

*

OPORTUNISMO

O tempo não ensinou ao ex-presidente Fernando Henrique Cardoso que em "boca fechada não entra mosquito". Em entrevista ao jornal "O Globo", pediu ao presidente Michel Temer um "gesto de grandeza": antecipar as eleições presidenciais. Essa declaração serviu como uma luva para os petistas, que insistem nas diretas já, nem que para isso tripudiem, rasguem a Constituição ou tentem fazer ligações espúrias com o até então inimigo número um da sigla, o PSDB. O líder do PT na Câmara, Carlos Zaratini, aproveitou a deixa de FHC e não perdeu tempo: tenta contato com tucanos descontentes para, juntos, derrubarem o presidente. Afirmou: "Nosso objetivo é tirar o Temer". É claro que a meta principal não é esta, e sim "pôr o Lula"! Tentar eleger o ex-presidente Lula o quanto antes é a intenção principal, pois a condenação já em primeira instância é dada como líquida e certa, até pela alta direção petista, e, em segunda, o que o deixaria como a maior ficha suja da República, é questão de tempo.          

Sérgio Dafré sergio_dafre@hotmail.com

Jundiaí

*

FARINHAS

Os sacos de farinha cheios de políticos estão sendo entornados. O problema é acertar o ritmo... um depois do outro... para permitir que algumas reformas aconteçam. Agora, um saco empurra o outro! Ninguém previu os novos capítulos da novela.

Harald Hellmuth hhellmuth@uol.com.br

São Paulo

*

PT E PSDB, FARINHA DO MESMO SACO?

Para muitos brasileiros, PT e PSDB são farinha do mesmo saco. Eu sou eleitora do PSDB e não acredito que PT e PSDB são farinha do mesmo saco. Mas, para que eu possa continuar dando o meu voto ao PSDB, o partido precisa se distanciar do PT e se livrar de Aécio Neves, um traidor do partido desde o tempo do famoso "Dilmasia". Aécio Neves, além de corrupto, é egoísta, sempre pensou apenas nele, deixando de lado o partido e o povo brasileiro. Eu não tenho bandido de estimação e espero que o PSDB também não tenha. Se Aécio quiser continuar na carreira política, que seja com os votos dos mineiros e em outro partido político. 

Maria C. Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana

*

DEIXEMOS DE HIPOCRISIA

Partidos ignoram acusações da Lava Jato e não investigam filiados. Deixemos de hipocrisia. Vocês acham que o PSDB vai processar os senadores Aécio, ou Aloysio Nunes, ou José Serra? Ou o PMDB processar os senadores Renan Calheiros, Romero Jucá, Jader Barbalho? Ou o DEM o deputado Rodrigo Maia, o vereador César Maia? Ou o PT as senadoras Gleisi, Fátima Bezerra ou o senador Lindbergh, ou até um dos fundadores do partido, o ex-presidente Lula? Vocês acham, mesmo, que estes políticos serão processados pelos seus partidos? Eles vão processar o Zé das Couves.

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

QUEM TEM TELHADO DE VIDRO...

Segundo o noticiário, aliados planejam esvaziar sessão da Câmara para salvar Temer, posto que há uma real possibilidade de que seja levada avante uma denúncia contra sua excelência. Para que tal não aconteça, são necessários 341 dos 513 votos da Câmara federal. Cá entre nós, vai até sobrar, até porque não é segredo para ninguém que mais da metade dos parlamentares que ali orbitam está de alguma forma envolvida com algum tipo de ilícito. Logo, por uma simples questão de corporativismo, Michel Temer mais uma vez deverá se safar. E não se fala mais no assunto!

 

José Marques seuqram.esoj@bol.com.br

São Paulo

*

BRASÍLIA E WASHINGTON

Aliados de Temer planejam sair, esvaziando a sessão da Câmara dos Deputados que irá analisar a denúncia contra o presidente. Mal sabem eles, estarão oferecendo a seus pares e a toda a população um trailer de como ficará a Câmara depois das eleições de 2018, quando receberão o veredito do eleitor pelo conjunto de sua obra. Como dizia George Washington, "é muito melhor estar sozinho do que em má companhia".    

Jorge Alberto Nurkin jorge.nurkin@gmail.com

São Paulo

*

TODOS SÃO RUINS?

Marco Aurélio Mello, em entrevista a Roberto D'Ávila: "Ruim com Temer, pior sem Temer". Isso quer dizer que Temer seria o "melhor dos piores"? Ou seja, só tem gente ruim? Como iremos votar em 2018? Também no menos pior?

 

Sandra Maria Gonçalves sandgon@terra.com.br

São Paulo

*

DESASTRE NACIONAL

A matéria "Organizações criminosas deixam rombo de R$ 123 bi", do "Estado" de 18/6 (página A6), não leva em consideração o prejuízo ao País causado por decisões ligadas ao plano de poder do PT (Lula/Dilma). Para demonstrar boa gestão, ter argumentos a favor de reeleição ou justificar a perversão de seus argumentos, houve a redução artificial dos preços da gasolina e energia elétrica para conter a inflação, captação de recursos para o BNDES a custo de mercado para subsidiar política de investimento no exterior, subsídios à indústria automobilística para manter artificialmente crescimento econômico, imposição de um plano de investimento em exploração do pré-sal que endividou a Petrobrás em níveis irresponsáveis, inchaço da máquina pública e dos gastos do governo, distribuição farta de recursos para sindicatos e associações amigas ou cooptadas (MST, UNE), aumento displicente do Bolsa Família para manter base eleitoral, tudo isso é outra coisa. Um verdadeiro desastre nacional, que desorganizou a economia, gerando inflação, recessão e 14 milhões de desempregados. Precisamos repensar a forma como delegamos o poder aos nossos dirigentes, se quisermos de fato evitar esse quadro no futuro. Precisamos de voto distrital, de campanhas mais econômicas, eleitos mais próximos dos seus eleitores e "recall" (cartão vermelho para aqueles que se mostrarem incompetentes ou infiéis aos seus eleitores). 

Carlos de Oliveira Avila gardjota@gmail.com

São Paulo

*

OS BILHÕES PARA O BRASIL

São R$ 123 bilhões desviados do erário e em prejuízo do País, de acordo com a Polícia Federal, provenientes de 2.056 operações por ela realizadas. A soma representa centenas de escolas, dezenas de hospitais e de presídios, além de outras necessidades brasileiras que deixaram de ser atendidas para satisfazer alguns corruptos e delinquentes. A mão dura da lei (com punições exemplares e contando com a execração pública) trará uma estagnação na escalada criminosa dos bandidos de colarinho branco. Não seria o caso de termos um presídio especial e exclusivo para delitos contra o erário?

José C. de Carvalho Carneiro carneirojcc@uol.com.br

Rio Claro

*

O MITO DA LIMPEZA ÉTICA

É um mito esta história de início de uma limpeza ética pela Operação Lava Jato. A honestidade não é um valor essencial para os brasileiros. A Orcrim comandada pelos políticos deu prejuízo recente de R$ 123 bilhões (US$ 40 bilhões) aos brasileiros. O Brasil é um país rico, de gigantesco potencial de crescimento. O único impedimento ao voo desse jumbo é esta cultura disseminada da roubalheira desenfreada - não apenas na política. E que impedimento! Difícil de ver uma saída.

 

Olimpio Alvares olimpioa@uol.com.br

Cotia 

*

'A TRAVESSIA DA PINGUELA'

Em síntese, a clara, sóbria e realisticamente desanimadora mensagem do artigo "A travessia da pinguela", de Cláudio Adilson Gonçalez ("Estadão", 19/6, B2), prevê que o presidente Temer será cada vez mais forçado a sobrepor a defesa da sua permanência no cargo à missão que assumiu de "arrumar a casa" e recolocar o Brasil no caminho da recuperação e do progresso depois do doloroso transe de 13 anos de lulopetismo. O texto suscita a consciência do dramático dilema que o País enfrenta: política versus economia. Se não sanearmos a economia, o gigante permanecerá deitado em berço esplêndido, longe de realizar o seu imenso potencial. Mas os interesses espúrios da micropolítica se contrapõem a esse saneamento e tudo indica que, como sempre, sairão vencedores.

Jan Krotoszynski jankroto@gmail.com

Carapicuíba

*

ATRAVESSÁ-LA-EMOS?

O Brasil, que procura reerguer-se da mais aguda e severa crise política, econômica e moral de sua história recente, após ter sido lançado ao fundo do poço sem fundo pelo incompetente e corrupto lulopetismo, de triste e lamentável memória, terá de fazer a travessia da pinguela até 2018 liderado por um governo pato manco caminhando na corda bamba com nuvens negras sobre a cabeça. Atravessá-la-emos? Oremos...

J. S. Decol decoljs@gmail.com

São Paulo

*

21.ª PARADA LGBT

A capital paulista realizou no domingo a 21.ª Parada do Orgulho LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transexuais). O encontro reuniu aproximadamente 3 milhões de participantes. Ano após ano, a parada é um sucesso e adiciona mais simpatizantes, o que é bom para minimizar os muitos intolerantes e preconceituosos. Enfim, a vida é uma passagem, e às vezes muito rápida, normalmente com lutas e sofrimentos, e é assim desde os primórdios. Por isso todo ser humano tem o direito à felicidade e a seus prazeres. É o livre arbítrio. 

Alex Tanner alextanner.sss@hotmail.com

Sumaré

*

MOBILIZAÇÃO

Nada contra os milhões de pessoas nas manifestações do orgulho gay, mas e a vergonha política não sensibiliza ninguém?

Luiz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo

*

O ARSENAL DOS FÓRUNS E OS CRIMINOSOS

 

O assalto ao Fórum de Diadema (SP), de onde bandidos levaram 391 armas, repete uma velha rotina de todo o País. Os artefatos apreendidos vão servir novamente ao crime. O Estado de São Paulo possui mais de 300 comarcas, o que equivale a dizer que há pelo menos 300 locais onde pode haver armas enchendo os olhos dos bandidos. Seria interessante montar um depósito seguro para esses artefatos. Na vara onde tramitam os feitos deveriam permanecer apenas fotografias e outros elementos periciais, inservíveis para a prática de crimes, mas identificadores do delito atribuído ao réu. Foi-se o tempo em que fórum, prefeitura e instalações públicas ou privadas eram respeitados. Lembro-me de uma figura do tempo de menino, inimaginável para os dias de hoje. Na cidade interiorana onde meu pai era policial havia uma empresa que vendia armas e munições e possuía parte de suas instalações na divisa da área urbana com a rural, e, na fachada, o prédio ostentava a inscrição "Depósito de Explosivos da Casa Sampaio". O guardar armas no fórum é coisa daquele tempo e precisa de urgente modernização...

 

Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br

São Paulo

 

*

ROUBO DE ARMAS EM FÓRUNS

Não é a primeira vez que vemos essa notícia e, se não tomarem providências, não será a última. Prédio de fórum não é lugar para guardar armas apreendidas. Será que explosivos apreendidos também o são? Urge acabar com esses depósitos que os malfeitores devem achar facílimo de roubar. Que tal deixar a guarda por conta do Exército ou da Polícia Militar? 

 

Níveo Aurélio Villa niveoavilla@terra.com.br

Atibaia

*

COM DIREITO A DEVOLUÇÃO

Parece até combinado este toma lá, dá cá de armas de fogo retiradas de circulação, a duras penas, pela polícia.

Sergio S. de Oliveira ssoliveiramsm@gmail.com

Monte Santo de Minas (MG)

*

TOLERÂNCIA INADMISSÍVEL

O "Estadão" noticiou (18/6, A14) que a "População de rua dobra desde 2000 e se espalha pela cidade de São Paulo". Essa notícia precisa ser analisada em duas partes. A primeira, uma análise sobre o crescimento dos desafortunados moradores de rua e a segunda sobre o efeito desse aumento. Quanto à primeira, nem poderia ser diferente. Se verificarmos a taxa de desemprego no ano 2000 (7,1%), veremos que era a metade da taxa atual, cerca de 14%. O desemprego também dobrou. É evidente que muitos dos novos desempregados, tendo seu rendimento mensal zerado, passam a consumir seu patrimônio começando por gastar uma eventual poupança financeira que tenham e terminando com o corte de gastos com moradia, não pagando mais aluguéis ou vendendo sua casa própria. Na condição de total insolvência, vão morar na rua. Até aí, nada de estranho, a menos da crueldade que se encerra nessa conclusão. Já no que se refere ao fato de esses moradores de rua se espalharem pela cidade, fica evidenciada a incúria das autoridades de plantão que os faz adotar atitudes de tolerância inadmissível em qualquer país civilizado. Estes pobres coitados moradores de rua têm direito à assistência social total por parte das autoridades municipais, que devem providenciar local adequado ao seu acolhimento. Têm direito de livre circulação pelas ruas e locais públicos da cidade. Mas não têm o direito de instalar nas ruas ou praças formas precárias de moradias, tais como tendas, barracas, abrigos de laminados de madeira ou placas de papelão, etc., nem tampouco jogar colchões e cobertores nas vias públicas para dormir, se aquecer ou aquecer comida com fogueiras improvisadas, sujar as ruas com restos de alimentos ou, ainda, fazer suas necessidades fisiológicas em locais públicos. Certamente, tais atitudes contrariam os códigos municipais. Nem por isso devem ser deixados sem assistência, cabendo às autoridades municipais encaminhá-los a albergues ou locais similares onde encontrem abrigo, leitos, água para sua higiene, sanitários, etc. Evidentemente, não podem ser obrigados a aceitar tal proteção. Por outro lado, se não aceitarem a oferta de abrigo, não podem fazer nas ruas nada mais do que circular. Isso é o que deveria ser feito, mas as autoridades, temendo críticas de políticos oportunistas e de organizações "ditas" sociais pela mídia, preferem adotar uma atitude de tolerância inadmissível. O resultado é o que se vê, e só poderá aumentar.

José Claudio Marmo Rizzo jcmrizzo@uol.com.br

São Paulo

*

TERROR EM LONDRES

A sequência de atentados na Grã-Bretanha é consequência do isolamento da comunidade muçulmana. Fato provocado pela escalada da xenofobia em decorrência da decisão do plebiscito pelo Brexit. O Partido Conservador está sem legitimidade para manter-se no poder, pois há uma grave crise de liderança. O Reino Unido deveria convocar um novo plebiscito para superar o impasse provocado pelo agravamento da crise política. Manter a decisão pela saída do bloco europeu, em meio à tensão social com sucessivos atentados, será um suicídio político da primeira-ministra Teresa May.

Luiz Roberto Da Costa Jr. lrcostajr@uol.com.br

Campinas

 

Mais conteúdo sobre:
Fórum dos Leitores Brasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.