Fórum dos Leitores

.

O Estado de S.Paulo

06 Julho 2017 | 03h03

CRISE E CORRUPÇÃO

De ingratidão

Aprendi há muito tempo a não acreditar na palavra do ex-presidente Lula, mas desta vez ele falou a verdade ao dizer que o presidente Michel Temer foi um “ingrato”. Não pelas razões que apresentou ao depor como testemunha de defesa de Eduardo Cunha perante o juiz federal de Brasília Vallisney de Souza Oliveira, por videoconferência. Mas pelo fato de que tanto Dilma Rousseff quanto Temer foram eleitos e reeleitos presidente e vice-presidente da República por obra exclusiva de Lula. Não fora a chapa formada por ambos estruturada e apoiada pelo ex-presidente, jamais teriam alcançado os postos mais altos do País. Tanto Dilma como Temer nunca tiveram currículo nem prestígio suficientes para se elegerem por suas qualidades. É impossível que Lula não tivesse pleno conhecimento de que a protegida não tinha a mínima condição de exercer a Presidência do Brasil. Tampouco ignorava a fama do PMDB de partido oportunista quando arquitetou a chapa com o presidente dessa legenda como vice de Dilma. E todos sabemos hoje qual foi o resultado dessa empreitada, arquitetada exclusivamente para permanecer no poder. Temer pode até ter sido ingrato com Lula, mas é a ele que se deve a situação em que nos encontramos, com economia claudicante, 14 milhões de desempregados e uma lista de larápios dos cofres públicos que parece interminável. E por isso não lhe somos nada gratos, ao contrário!

GILBERTO PACINI

benetazzos@bol.com.br

São Paulo

O incompreendido

Li com espanto as declarações do ex-presidente Lula atribuindo o clima de ódio existente no País ao veneno criado pelo PMDB e pelo PSDB. As inúmeras falas de Lula separando o “nós e eles”, só entendi agora, eram de fato gestos de afago e carinho nos adversários, que apenas visavam a separar os “bons” dos “maus”. Nada mais... Quanta incompreensão!

ELIAS M. DA ROCHA BARROS

erbarro@terra.com.br

São Paulo

Algo a esconder?

Para cumprir os ditames da lei, a Justiça exigiu que fosse juntada aos autos do inventário de Marisa Letícia Lula da Silva a documentação financeira de Lula e de sua falecida esposa. Sob a alegação de que isso implicaria indesejável exposição de informações sobre sua vida privada e seu patrimônio, a alma mais honesta deste país solicitou que lhe fosse imposto sigilo. Parafraseando William Shakespeare, tal solicitação é mais uma prova concreta de que há algo de podre no reino de São Bernardo. Mas a juíza da 1.ª Vara da Família e das Sucessões de São Bernardo, Fátima Cristina Ruppert Mazzo, entendendo que todos os brasileiros são iguais perante a lei, negou-a.

JOSÉ CARLOS DEGASPARE

jc.degaspare@gmail.com

São Paulo

Curiosa troca

Criança, colecionava figurinhas. Eu as negociava, trocando-as, carimbadas valendo mais. Tal me ocorre agora quando as delações premiadas valem tantas isenções de penalidades, livrando delatores criminosos de perderem suas liberdades e patrimônios. E que patrimônios! Mas tais delações não valem para que suas confissões, tão premiadas, lhes confiram credibilidade judicial em seus depoimentos. Nem criança faria negócio tão bobo. Se suas delações valem tanto, por que não aceitar seus testemunhos como verdadeiros? Para onde foi a prova testemunhal?

ROBERTO DE MAMEDE C. LEITE

r-mamede@uol.com.br

Ubatuba

Delator é testemunha

Deve-se ter em mente que cada delação é uma prova testemunhal do ato praticado.

EUGÊNIO JOSÉ ALATI

eugenioalati13@gmail.com

Campinas

JUSTIÇA

O nó górdio

O editorial Uma Justiça sem obsessões (5/7, A3) trata de um caso evidente de prisão preventiva abusiva de um político por simples telefonema dado à esposa de um potencial delator que seria premiado. Conclui o editorial dizendo que “o desejo de combater a corrupção” não pode descartar as “garantias do processo penal”. Outros abusos cometidos pelos órgãos empenhados em combater a corrupção endêmica no Brasil têm sido denunciados por juristas e repercutidos pela mídia. Por outro lado, se observarmos nossa Constituição, as leis e os Códigos de Processo Penal e Civil, estes últimos baseados no Direito Romano e redigidos por “ricos e poderosos”, vamos verificar que as tais “garantias” reclamadas se encontram sutilmente inseridas nos seus textos de forma que só grandes advogados, normalmente defensores dos autores desses códigos legais, conseguem utilizá-las, de forma a deixá-los impunes. Eles só são eficazes quando aplicados a pobres coitados que não podem pagar altos custos por sua defesa. E aí está o nó górdio, que só poderá ser desatado com uma reforma jurídica modificando a legislação existente, que permite recursos protelatórios infindáveis e garante a impunidade aos mesmos “ricos e poderosos” que teriam de modificá-la, num evidente conflito de interesses, ou utilizando “chicanas” como as de que os corajosos procuradores e juristas que combatem a corrupção estão lançando mão.

JOSÉ CLAUDIO MARMO RIZZO

jcmrizzo@uol.com.br

São Paulo

Assim como o Estadão, fiquei surpreso com a prisão do sr. Geddel por telefonema à esposa do sr. Funaro. O juiz, de certa forma, condena à prisão um eventual “curioso”, a priori. Acho que vou tentar ligar para o sr. Cunha, quem sabe me prendem, depois dou entrevistas, peço indenização, etc. Muitos estão querendo seu quinhão de notoriedade? O bom senso está indo para o ralo.

ANDRÉ C. FROHNKNECHT

caxumba888@gmail.com

São Paulo

Roger Abdelmassih

Sou promotor de Justiça há 44 anos – hoje procurador de Justiça, mas é a mesma coisa –, ainda na ativa, e, apesar da longevidade, as coisas da Justiça ainda me espantam. Pode-se pensar que estou a falar da Operação Lava Jato, mas não é, não. É do ex-médico Roger Abdelmassih, que tomo como exemplo. A juíza manda-o pra casa. Dois dias depois, o desembargador dá uma liminar e o manda de volta pra prisão. Mais dois dias, ministro do STJ dá outra liminar e o manda de volta pra casa. Sabe-se lá se outro ministro, agora do STF, não dará mais uma liminar e o mandará de volta pra cadeia. Tecnicamente, do alto das quatro décadas de ofício jurídico, posso entender. Mas como explicar a um cidadão comum esse pingue-pongue tão rápido? Como fazê-lo acreditar numa Justiça tão volúvel? A liminar é como a saúva: ou o Brasil dá jeito nela ou ela acaba com o Brasil.

PAULO REALI NUNES

paulorealinunes@gmail.com

São Paulo

“Já que perguntar não ofende, gostaria de saber por que os ‘verdadeiros donos’ não frequentam o sítio em Atibaia. Será que o sr. Lulla não autoriza?”

LUIZ ROBERTO SAVOLDELLI / SÃO BERNARDO DO CAMPO, SOBRE O ABANDONO DA PROPRIEDADE QUE NÃO É ‘DELLE’

savoldelli@uol.com.br

“O abandono só confirma que o sítio é de Lula. Senão, que interesse teria um hipotético outro dono em deixar a sua propriedade perder valor?”

OSCAR THOMPSON / SANTANA DE PARNAÍBA, IDEM

oscarthompson@hotmail.com

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

FOTO DE RENAN E AÉCIO

Olhando bem para a foto de primeira página do Estadão de quarta-feira (5/7), com a imagem de Renan Calheiros e Aécio Neves trocando abraços e afagos, lembrei-me da crucificação de Jesus  e  pensei, cá com  meus  botões, só faltou colocarem a foto de Jesus Cristo entre os dois.

Arnaldo de Almeida Dotoli arnaldodotoli@uol.com.br

São Paulo

*

ABRAÇO

Vendo a foto do abraço de Aécio e Renan na capa deste jornal em

5 de julho, ocorreram-me duas legendas:  Abraço de mafiosos ou

Abraço de Enforcados... Optei pela segunda,  por ser mais promissora e alvissareira.

Mário Rubens Costa costamar31@terra.com.br

Campinas

*

       

TEMER E OS PULGÕES

O presidente Michel Temer é uma fruta podre que só não caiu da árvore da política nacional porque está escorada pelos galhos também podres do fisiologismo, sendo o maior deles o PMDB.

Se esses galhos não caírem pelo peso dos pulgões parlamentares que os infestam, levando abaixo a fruta podre, que o eleitorado promova a poda devida, para que viceje a árvore que deve alimentar e dar sombra a todos os brasileiros. Que o deputado Sergio Zveiter, relator da denúncia da Procuradoria Geral da República (PGR) contra Temer pense nisso.

 

Túllio Marco Soares Carvalhotulliocarvalho.advocacia@gmail.com

Belo Horizonte 

*

TEMER E A VERDADE

Michel Temer e seu exército de advogados deveriam se apresentar em cadeia nacional de rádio e televisão para explicar ao povo brasileiro por que o presidente da República conversou na linguagem criminosa com Joesley Batista. Qualquer delegado de polícia sabe que nenhum bandido fala claramente. Usa sempre uma linguagem cifrada, exatamente como Temer e Joesley fizeram. O tema central da conversa era saber quem assumiria o lugar de Geddel Viera Lima, hoje preso. Um nome foi sussurrado, Rodrigo, ato contínuo: Rodrigo da Rocha Loures, principal assessor do presidente Temer, hoje em prisão domiciliar, que recebeu a mala de dinheiro. É isso que Temer e seus advogados têm de explicar à polícia e ao povo brasileiro. 

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo 

*

FATO INÉDITO

Nunca antes na história deste País um presidente da República no exercício do cargo foi julgado pelo Superior Tribunal Federal (STF) por crime de corrupção. E o denunciado não é Lula. Pode?!

J.S. Decol decoljs@gmail.com

São Paulo

*

O PRESIDENTE E O PODER

 

Michel Temer conseguiu marcar para a próxima terça-feira a votação da reforma trabalhista no Senado. Sem dúvida, é uma prova de força. Mas não é garantia de que o presidente se livrará da denúncia que tramita na Câmara, com o pedido para o Supremo Tribunal Federal (STF) de processá-lo. Para se livrar, ele tem de reunir no mínimo 172 deputados. A crônica de Brasília diz que o governo está liberando emendas parlamentares, empréstimos e outras benesses para cabalar voto. Temer e seus ministros vivem o inferno político. Parece ter chegado a hora do tudo ou nada. Se vencer a votação na Câmara, o governo continua e tende a chegar até o dia 31 de dezembro de 2018, mesmo que sem a força dos primeiros tempos. Porém, se perder, dificilmente se aplumará novamente, pois, além do afastamento, as denúncias ganharão vigor e tenderão a afogar politicamente o grupo. Vivemos a incerteza, altamente prejudicial ao País. 

 

Dirceu Cardoso Gonçalves cardosodirceu34@gmail.com

São Paulo 

*

NA LANCHONETE

A defesa de Temer afirmou que o governo está na "lanchonete do hospital".  Por acaso se deliciando com lanches de carne da JBS? 

Odilon Otávio dos Santos 

São Paulo

*

GRANDE PÁTRIA, ENTORPECIDA

O Brasil vai jogar no lixo a oportunidade de ser salvo, ao destruir o governo Temer, que mesmo sendo corrupto, apenas é igual a toda República desde seu início,  mas o PT foi o mais corrupto. Temer tem o desejo de ser o presidente que arrumou o Brasil. Estão acabando com o Brasil por burrice,  não notam que fazem de graça o serviço sujo do PT e da esquerda retrógrada.

Roberto Moreira da Silva rrobertoms@uol.com.br

Cotia 

*

VENDE-SE

O senador Aécio Neves retoma o seu lugar no Senado se dizendo vítima de uma "trama ardilosa". Perguntar não ofende: o imóvel da família ainda se encontra à venda? Ora, pois, pois...

Renato Consolmagno rconsolmagno@gmail.com

BELO HORIZONTE 

*

BRASIL REAL

Funcionava assim: os caciques políticos formavam suas quadrilhas, fatiavam as estatais, colocavam seus representantes nas diretorias e depois era só delapidar o patrimônio dos brasileiros. Nas eleições do ano que vem temos de resgatar nossa dignidade. Chega de bandalheira!

Luiz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo

*

EXPLICAÇÕES RIDÍCULAS

O senador Aécio Neves saiu da prisão e em pronunciamento da tribuna daquela Casa afirmou que fora vítima de uma "trama ardilosa de um criminoso". Na verdade não conseguiu explicar por que recebeu uma mala de dinheiro ilícito como pagamento pela venda de uma propriedade de sua mãe para, logo após, mudar o discurso dizendo que a propina era para pagar honorários advocatícios, ou seja, quanto mais tenta se explicar, mais se encalacra. Como já dizia aquela velhinha de Taubaté: "Em boca fechada não entra mosquito", viu Aécio?

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo    

*

  

FALTA DE VERGONHA

Houvesse algum fiapo de verdade na vergonhosa choradeira de Aécio Neves, o dinheiro teria sido transferido via sistema bancário e declarado ao Fisco. Um senador candidato à Presidência da República não recebe malas de dinheiro, ponto. Só mesmo num país de terceiro mundo e quinta categoria como o Brasil isso pode ser aceito, perdoado e esquecido. 

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo 

*

DESCULPA ESFARRAPADA

De acordo com o pronunciamento de ontem no Senado feito por Aécio Neves, os R$ 2.000.000,00 eram na condição de empréstimo. Pergunto: 1. Porque Aécio não pediu dinheiro emprestado a um banco?; 2. Aécio imaginou que um dinheiro emprestado por Joesley não geraria nenhuma obrigação de favorecimento em relação a Joesley? Escrevo isto para afirmar que Aécio, para mim, não provou sua inocência.

Leonardo Sternberg Starzynski bergzynski@gmail.com

São Paulo

*

DIGA-ME COM QUEM ANDAS

Aécio Neves disse que ele e a família foram vítimas de um réu confesso. Razão lhe assiste. Porém, omitiu-se da relação pessoal com Joesley ao solicitar "empréstimo pessoal", após receber a mala com dinheiro.

Arnaldo Ravacci arnaldoravacci05@gmail.com

Sorocaba

*

MASSA DE MANOBRA

Quem usou a massa de manobra da família foi ele mesmo, não o Joesley. 

Moisés Goldstein mgoldstein@bol.com.br

São Paulo 

*

JUSTIÇA SEMPRE

A alegação de que Geddel foi atropelado pela Justiça, com a determinação do juiz Vallisney decretando a sua prisão preventiva, é de uma simplória notoriedade. Desde os 25 anos o cofre já caía a seus pés. Qualquer cidadão que tenha alguma implicação de delito deve ser convocado pela Justiça, e este senhor tem inúmeros casos. 

Olnei Pinto olena40@hotmail.com

São Paulo

*

A ECONOMIA PARECE ACORDAR

Infelizmente, o País começa a acordar, demonstrando que nossos políticos são apenas um mal que poderia ser evitado, eles não representam quase nada para a Nação, que vai continuar existindo com ou sem essa quadrilha que assumiu o poder.

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

*

FALTA DE ÉTICA

Por que os reiterados encontros privados entre o presidente Temer e o ministro do STF, Gilmar Mendes, não traz para este a suspeição e o impedimento jurídicos para atuar e julgar casos de interesse do governo Temer? Onde estão a legalidade e a legitimidade das repetidas colocações jurídicas, favoráveis a Temer, defendidas e interpretadas por Gilmar Mendes na Suprema Corte Constitucional?

Marcelo Gomes Jorge Feres marcelogferes@ig.com.br

Rio de Janeiro

 

*

AFRONTA

Sou do tempo em que ministro do Supremo só via presidente da República em dias de solenidade. Encontros fora da agenda oficial (às escondidas, para bom entendedor), além de reprováveis, são antiéticos e suspeitos.

Ricardo Siqueira ricardocsiqueira@globo.com

Niterói

*

QUEM SERÁ O PRÓXIMO?

Primeiro foi Rodrigo da Rocha Loures (PMDB -PR), depois Geddel Vieira Lima (PMDB-BA), agora é só aguardar pelo próximo, pobre Brasil!

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

PEGA NA MENTIRA

'Pega na mentira', música maravilhosa e que pode ser usada no caso do triplex com elevador privativo e do sítio de 140 mil m², os quais, claro, são do Lula e de sua família. Mas depois de isso ter sido descoberto, agora ninguém usa os imóveis, por que será? 

 

Antonio Jose Gomes Marques a.jose@uol.com.br

Rio de Janeiro

*

JUDICIÁRIO

Não precisa ser nenhum esperto para perceber que o Judiciário continua aparelhado pelo lulopetismo, mas na prática ninguém coloca a mão em Lula!

Francisco José Sidoti fransidoti@gmail.com

São Paulo

*

EXTINÇÃO DA HIPERINFLAÇÃO 

Itamar caiu na realidade e aceitou o Plano Real. FHC entendeu a mensagem e percebeu que o Brasil necessitava extinguir a hiperinflação. Lula deveria ter aceitado o Plano Leal. A lealdade ao Brasil teria sido a extinção da hipercorrupção. Nem FHC nem Lula nem Dilma nem Temer entenderam a mensagem de que era necessária a extinção da corrupção. Temer deve aceitar o Plano Temer. Convencer os futuros presidentes da República de que é te.me.ro.so não extinguir a corrupção. Extinção da corrupção já!

Ney José Pereira neyjosepereira@yahoo.com.br

São Paulo

*

AMNÉSIA GERAL

Em depoimento, o ex-presidente Lula disse desconhecer a influência do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha sobre o FGTS, que não teve conhecimento das irregularidades nas obras do Porto Maravilha e que não conhece o ex-sindicalista André Luiz de Souza, mostrando que continua sofrendo de amnésia profunda. Não foi perguntado, mas se fosse, na certa Lula diria que não se lembra de que foi presidente da República, que não se recorda de ter estado no tríplex do Guarujá ou no sítio de Atibaia, e que não conhece Dirceu, Palocci, Gilberto Carvalho, Dilma...

Abel Rodrigues abel@knn.com.br

Rio de Janeiro 

*

ÀS MOSCAS

 

O aprazível sítio de Atibaia e o panorâmico apartamento triplex do Guarujá, imóveis que segundo o Ministério Público Federal teriam sido presenteados ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, há muito estão vazios, completamente sem uso, conforme destacou a reportagem de O Estado de S. Paulo (A-9, 5/7).  Tal pitoresco fato se deve, sem muita dúvida, à notória esperteza de Lula de querer fazer crer que tais imóveis não pertencem e nunca pertenceram à ninguém, daí estarem às moscas.  

Luís Lago   luis_lago1990@outlook.com

São Paulo

*

SÍTIO E APARTAMENTO

O famoso sítio de Atibaia e o triplex do Guarujá estão às moscas e em total estado de abandono. Por que será que o proprietário não os utiliza, ainda mais no período de férias de julho? Provavelmente tenha enjoado da rotina dos locais, né não?

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

JUSTIÇA CEGA E COM LABIRINTITE

Os acontecimentos que arrepiam os pelos dos leitores e ouvintes das notícias diárias, principalmente protagonizadas pelo Judiciário, contradizem o francês barão de Montesquieu, na sua obra em que estabelece os princípios do equilíbrio e da independência dos Três Poderes: Executivo, Legislativo e Judiciário. Este último, com suas decisões muitas vezes monocráticas, dá a impressão de que seus ministros, procuradores e desembargadores estão num tatame octogonal disputando o cinturão da sapiência. É uma profusão de "prende e solta" que não tem fim. O médico Roger Abdelmassih, condenado a quase dois séculos de prisão em regime fechado, já viajou da prisão para o seu apartamento tantas vezes, que poderá não resistir a tantas viagens. Há algum país democrático no Planeta com uma Justiça de idiomas tão diversificados?

Jair Gomes Coelho jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

*

ROGER, O MONSTRO

Roger Abdelmassih o conhecido médico da Av. Brasil e  "especialista" em fertilização, que se aproveitou do estado letárgico em que colocava   suas clientes para essa atividade e as estuprava, e que foi condenado a 181 anos de prisão,  novamente  está cumprindo sua pena com tornozeleira em sua casa.    Quando estava preso preventivamente, o ministro Gilmar Mendes o soltou, e este se aproveitou e fugiu do Brasil em razão dessa incúria jurídica cometida pelo jurista.   Após ser condenado e ainda no exterior foi descoberto e trazido para o Brasil, onde seguiu para a prisão de Tremembé.   Agora, a pretexto da idade e/ou doença, foi libertado, preso e novamente libertado para ficar confortavelmente em sua casa. Um indivíduo como esse deveria permanecer na prisão e lá morrer e apodrecer.  Imagino como

hoje se sentem suas vítimas,  sabendo que esse verdadeiro monstro está em sua casa, confortavelmente instalado e as deixando com essa marca para toda a vida.  Que Justiça é essa?

Carlos Eduardo Barros Rodrigues ceb.rodrigues@hotmail.com

São Paulo

*

VENEZUELA: ATÉ QUANDO?

Há anos assistimos ao desmoronamento da Venezuela, corroída pela perversa ditadura chavista. E, igualmente de Cuba, um pesadelo sem fim. Até quando assistiremos ao caos - agora banhado por sangue - que povoa o noticiário? Será que tudo só se resolverá quando os EUA entrarem no assunto?

Sérgio Eckermann Passos sepassos@yahoo.com.br

Porto Feliz 

TEMPO SE ESGOTANDO

A Coreia do Norte tem um louco no poder e dezenas de bombas atômicas no estoque. Seus mísseis tiram o sono da Coreia do Sul e do Japão. E, a partir desta semana, já conseguem chegar até o Alasca. Em breve alcançarão toda costa americana, o Pacífico, incluindo a Califórnia. Agir antes disso, desencadeando uma guerra terrível, ou render-se à chantagem - que escolha os EUA farão? Há como evitar isto? 

Jorge A. Nurkin jorge.nurkin@gmail.com

São Paulo

*

CRÔNICA 'SOMOS LIVRES'

Sempre há uma primeira vez. Sou fã e admirador dos textos e das ideias de Leandro Karnal, mas discordo da conclusão da crônica 'Somos Livres'. No meu entender: Quem se habilita a externar nas redes sociais seus pensamentos, pode sim mudar o mundo pela propagação das suas ideias. Mesmo sem ter uma atuação direta. E o próprio "digitador", "postador", acredito que tenha maiores probabilidades de vir a ter uma atuação concreta no mundo "físico" do que o total alienado tanto do mundo real quanto virtual. 

Ivan Leite ivanleitesergipe@uol.com.br

São Paulo

 

Mais conteúdo sobre:
Fórum dos Leitores Brasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.