Fórum dos leitores

.

O Estado de S.Paulo

09 Julho 2017 | 03h00

CRISE E CORRUPÇÃO

Livre para conspirar

Está rodando na internet um áudio gravado e publicado pelo jornalista Dimas Roque, da Bahia, em que José Dirceu, em tom de ameaça, diz que o PT vai retomar o governo do Brasil. Afirma que continua “firme, de pé e na luta” nessa retomada do poder, que, segundo ele, lhe foi tirado por um golpe, “no tapa”. Minha pergunta é: pode um condenado na Lava Jato, que anda livre, leve e solto graças a firulas da lei, continuar conspirando e instigando suas hostes a retomar o poder? Pelas urnas não deve ser, haja vista o resultado vexaminoso das eleições de 2016, em que o PT minguou, pela repulsa dos eleitores. Então, o que pretende o “guerreiro do povo brasileiro”? Pedir ajuda aos debandados das Farc? Ouvi no rádio um famoso comentarista dizendo que as armas dos guerrilheiros das Farc “passeiam” nas mãos de criminosos do Rio e de São Paulo. De fato, nunca se viu tanto fuzil e metralhadora nas ações dos membros de facções como agora. Dirceu é e sempre foi, desde 64, o cérebro da guerrilha, foi treinado em Cuba e acarinhado por Fidel Castro. Vamos ficar impassíveis diante de suas bravatas ou tomar providências para que sua ameaça não chegue a ser posta em prática? Essa conspiração não basta para mandá-lo de volta a Curitiba? Vivemos tempos muito estranhos...

MARA MONTEZUMA ASSAF

montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

Criminoso condenado

Quanta desfaçatez desse sr. José Dirceu, julgado e condenado pela Operação Lava Jato, usufruindo sua temporária liberdade concedida pelo nosso “estranho” Poder Judiciário, vir a público manifestar-se sobre qualquer assunto que seja, ainda mais sobre o destino político do Brasil. Simplesmente kafkianos estes tempos que estamos vivendo. Como diria o também “estranho” procurador Janot, dá náuseas ouvir esse tipo de coisa. Será que ele também se sentiu nauseado com o tal áudio?

CÉLIA CANHEDO

cecanhedo@gmail.com

São Paulo

Náuseas

O sr. Janot disse que sentiu náuseas com a gravação de Joesley Batista e Michel Temer. Mas parece não ter sentido náuseas com os benefícios concedidos pelo BNDES aos açougueiros, com dinheiro de todos os brasileiros. Também parece não ter sentido náuseas com os milhões que, segundo tais açougueiros, a jararaca e a mosquita teriam no exterior. Ou quando os açougueiros venderam ações de sua empresa e ainda compraram dólares às vésperas de saírem do País! Seria cômico, não fosse trágico um procurador da República sem senso do ridículo. 

ARLETE PACHECO

arlpach@uol.com.br

Itanhaém

Rodrigo Janot também sentiu náusea quando ouviu Dilma e Lula combinando a posse na Casa Civil para ele escapar do juiz Sergio Moro?

PAULO R. KHERLAKIAN

paulokherlakian@uol.com.br

São Paulo

Bambu em falta

Será que Janot conseguirá até 30 de setembro mandar investigar os 1.829 políticos a quem o delator Ricardo Saud disse ter pago propina? E vai mandar investigar Lula e Dilma sobre a conta de US$ 150 milhões que Joesley delatou que mantinha em banco na Suíça para uso exclusivo da dupla, valor esse usado na totalidade e, portanto, zerado? Ou vai faltar bambu e não teremos flechas suficientes?

MARIO MIGUEL

mmlimpeza@terra.com.br

Jundiaí

Ação e reação

Quanto mais se aproxima a prisão de Lula, mais evidentes se tornam os sinais de recuperação econômica. Por que será?

MARCOS CATAP

marcoscatap@uol.com.br

São Paulo

Leninistas 

Deputados do PT protocolaram na Procuradoria-Geral da República representação contra o presidente Michel Temer, acusando-o de oferecer cargos e liberar verbas para emendas em troca de apoio para barrar a denúncia de Janot. Sem entrar no mérito das acusações – seja dos petistas, seja de Janot –, registro que a presidente afastada, Dilma Rousseff, empenhou, em vão, valores substantivos em sua tentativa de barrar o impeachment. E o ex-presidente Lula, que fez a mesma coisa, ainda se beneficiou do esquema do mensalão – compra de parlamentares com dinheiro público para votar com o Planalto matérias de seu interesse. Curiosa a indignação seletiva do PT, mas consistente com o preceito leninista “acuse-os do que você faz, xingue-os do que você é”. 

SILVIO NATAL

silvionatal49@gmail.com

São Paulo

Coerência x conveniência

O senador Acir Gurgacz (PDT-RO), como empresário, declara ser a favor da reforma trabalhista. Mas como político, seguindo a orientação do partido – reduto notório de sindicalistas e pele – votará contra sua aprovação. Supõe-se que, sendo empresário, sabe o que é melhor para o País, mas os interesses partidários suplantam qualquer lógica.

CLAUDIO JUCHEM

cjuchem@gmail.com

São Paulo

MEMÓRIA HISTÓRICA

USP, grande legado de 32

Os 85 anos do Movimento Constitucionalista nos convidam a refletir sobre seus legados: o Estado Democrático de Direito como bandeira a ser permanentemente desfraldada e a Justiça Eleitoral como infatigável guardiã da democracia brasileira. Outra herança palpável é a Universidade de São Paulo (USP). O antropólogo Claude Lévi-Strauss, que nela lecionou por alguns anos a partir de 1935, diz categoricamente, no documentário Saudades do Brasil, que a USP é produto da Revolução Constitucionalista de 1932. Francisco Alambert, em seu livro [ITALIC]USP – 80 Anos de História[/ITALIC], segue a mesma senda do lendário docente francês. Em pronunciamento recente na Câmara Municipal paulistana, o emérito sociólogo José de Souza Martins, relembrando o entusiasmo do prócer constitucionalista Julio de Mesquita Filho no planejamento da Cidade Universitária, também endossou essa relação causal histórica. De fato, a USP democratizou o acesso à educação e à cultura e empregou, de maneira vanguardista entre nós, o trinômio ensino-pesquisa-extensão, servindo de espelho para que Darcy Ribeiro e Anísio Teixeira criassem a Universidade de Brasília. Por isso a intelectualidade brasileira forjada na USP ou dela decorrente devia olhar sem ranços ideológicos e com isenção acadêmica para a luta constitucionalista de 1932.

JOSÉ D'AMICO BAUAB, membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo

josedb02@gmail.com

São Paulo

NADA ENGRAÇADO

Chama a atenção a atitude de lideranças partidárias que, ao se reunirem para tratar de graves assuntos que envolvem alguns de seus próceres riem, dão palmadas nas costas e se comportam como se estivessem participando de um leve convescote! Falam ao ouvido ou com a mão na frente da boca temendo a leitura labial, sorriem, olham de soslaio e me fazem pensar no quê, diante do descalabro que vivemos, estariam realmente pensando, e que escabrosas tramas estariam urdindo? Olhem as aparências! Menos, por favor!

Décio Antônio Damin deciodamin@terra.com.br

São Paulo

*

INGOVERNÁVEL

O presidente interino do PSDB, Tasso Jereissati, afirmou que “o País caminha para a ingovernabilidade”. Só se esqueceu de dizer: “com a ajuda preciosa de seu partido” que trai o País para atender aos interesses puramente eleitorais de 2018, abandona o barco do governo no primeiro obstáculo que surgiu. Durante os governos desastrosos de Lula e Dilma, fez uma oposição covarde, permanecendo no muro, ousando muito pouco, sem denunciar o esquema revelado pela Lava a Jato, que conhecia perfeitamente. Agora temendo ser atingido pela lama jogada por Rodrigo Janot, covardemente, como e de seu feitio, vem minando o governo, ignorando que seu discurso de manutenção do apoio às reformas necessárias. 

 

Carlos Ney Millen Coutinho cncoutinho@uol.com.br

Rio de Janeiro 

*

INGOVERNABILIDADE FICTÍCIA

Diz o cearense Tasso Jereissati, presidente em exercício do PSDB, que o Brasil está próximo da ingovernabilidade. Mas parece que o senador está a exagerar, mesmo porque o seu partido quer continuar no muro, mas com cargos interessantes. Só ameaça desembarcar do governo, mas volta atrás. Na verdade, é um posicionamento ridículo e impróprio a uma agremiação política de peso. Sem dúvida, não estamos próximos da ingovernabilidade, exceto na mente de muitos políticos que estão desejando essa situação não em benefício do Brasil, mas em seu interesse próprio, inclusive para negociar benesses. Se Temer cair, a confusão será enorme e a economia patinará outra vez, necessitando, então, o País de uma verdadeira faxina política, para transmitir credibilidade aos investidores e empresários.

José Carlos de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

  *

DOIS PESOS E DUAS MEDIDAS

Em entrevista ao jornalista Roberto D’Ávila da Globonews, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, classificou como fortíssima a fala do presidente Michael Temer captada por um gravador de baixa qualidade do empresário Joesley Batista no Palácio Jaburu, dizendo ainda ao ouvir a gravação ficou chocado e sentiu náuseas. Nota-se neste episódio que Janot mudou de comportamento, bem diferente daquele observado em 2015, quando em pronunciamento à Tribuna do Senado, o ex-presidente e senador Fernando Collor de Mello (PTB-AL), em tom de sussurro, chamou Janot de "filho da puta". Depois deste xingamento, captado pelos possantes microfones do Senado, não foram observadas, por parte de Janot, atitudes de repúdio nem sintomas de náuseas. Será que em 2015 o bambu ainda era novo e impróprio para se fazer flechas?

José Carlos Degaspare degaspare@uol.com.br

São Paulo

*

VALIDADE DAS DELAÇÕES

O Superior Tribunal Federal (STF) gastou quatro dias para validar a delação de Joesley Batista. Para uma delação ser válida e o delator ter as benesses inerentes ao ato, ela tem de ser consistente e comprovada. Se o presidente não for indiciado com base nessas provas, a delação perderá sua função, o STF e o Ministério Público Federal (MPF) terão sua credibilidade contestada, a delação não terá mais validade e Joesley deverá perder sua imunidade e ser criminalizado.

Ricardo H S C Nobrega     cnc.eng@terra.com.br 

São Paulo

*

VERGONHA

Se não bastasse a vergonha moral causada por Janot no caso Joesley, ainda teremos de sustentá-lo em sua aposentadoria!

Francisco José Sidoti fransidoti@gmail.com

São Paulo

*

NOVA NOMENCLATURA

A Câmara está acordando e agora a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) tem nova nomenclatura: “Concordamos Com Janot”.

Marco Dulgheroff Novais marcodnovais@hotmail.com

São Paulo

*

AS FLECHAS DE JANOT

Numa palestra que proferiu em São Paulo, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, disse que até o fim de seu mandato no próximo mês de setembro vai continuar no mesmo ritmo! E, com relação às denúncias da Lava Jato, afirmou que, até lá a caneta é dele e que, “enquanto houver bambu, lá vai flecha”!  Porém Janot deixou de explicar por que o alvo de suas flechas está somente direcionado ao presidente Temer! Já que, pela mesma delação de Joesley, na qual acusa o presidente, graves citações também foram feitas sobre depósitos em contas no exterior de US$ 150 milhões ou de quase R$ 500 milhões para Dilma e Lula!  Pelo jeito, está faltando a Janot o bambu da imparcialidade, porque tem evitado suas flechadas contra os petistas... 

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos 

*

PARALISIA GOVERNAMENTAL

A sensação de descontrole e paralisia governamental que a atual crise política institucional provoca entre nós é triste e tragicamente emblemática. Urge, assim, que nossas legítimas lideranças de todos os seguimentos da sociedade se unam no sentido de dar factíveis e democráticas soluções aos nossos problemas, para que possamos superar dito momento complicado, voltarmos na luta de construção da grande Nação que tanto sonhamos e temos condições de ser. 

José de Anchieta Nobre de Almeida josedalmeida@globo.com

Rio de Janeiro

*

POLÍCIA FEDERAL PARALISADA

Já não bastasse a história da suspensão da confecção de passaportes, agora a Polícia Federal (PF) anuncia que não mais patrulhará preventivamente as rodovias federais, alegando falta de verba decorrente do corte de orçamento anunciado pelo governo federal. A PF tem todo o direito a algum tipo de revanchismo político, se se sentir politicamente atingida por qualquer motivo que seja, mas não à custa do direito dos cidadãos. Esse tipo de estratégia rasteira não coaduna com a respeitabilidade que a PF tem conquistado nos últimos anos, principalmente com a Lava Jato, e seria de bom tom a revisão urgente destas atitudes. 

Luciano Harary lharary@hotmail.com

São Paulo 

*

PF ACABA COM GRUPO DA LAVA A JATO EM CURITIBA

 

Se alguém duvidava que a operação Lava  Jato sucumbiria ante a participação de grandes figuras do cenário político em atos de corrupção, agora não restam dúvidas. A PF extinguiu ontem o Trabalho da Operação Lava Jato criado em Curitiba em 2014. A alegação é de que irá priorizar investigações de maior potencial de dano ao erário publico, mas ao que parece é a ingerência do governo Federal que produziu o desmonte. Em primeiro lugar, o governo Federal reduziu em 29,5% o orçamento da PF, além de contingenciamento de 44% da verba destinada à corporação. Os cortes se refletem, entre outras coisas, em redução de diárias, passagens aéreas, combustível para viaturas e manutenção de aeronaves. Hoje há em andamento cerca de cem inquéritos. Eles incluem de investigação sobre o ex-ministro Antonio Palocci à apuração sobre corrupção envolvendo a Refinaria de Pasadena, nos EUA. Ainda que neguem participação, a verdade é que muito mais pessoas, além dos já indiciados, envolvidas nas falcatruas. Este País precisa de uma limpeza generalizada, do mais alto ao mais baixo escalão; precisa de julgadores imparciais e penas duras a serem cumpridas integralmente; uma educação voltada ao ser humano. Precisa de homens de coragem e não vendilhões que trocam sua honestidade por 30 moedas de prata ou qualquer cargo público. Precisa de vergonha na cara!

Claudio Mazetto cmazetto@ig.com.br

Salto

 

*

POLÍTICA E JUDICIÁRIO

Somente para saber: aqui no Brasil, a nossa política e o Judiciário estão num chove mais não molha.  O que é isso?

Antonio Marcos Campanhã marcoscam57@gmail.com

Avaré 

*

DÚVIDA

Leandro Daiello Coimbra, diretor da Polícia Federal, deve uma explicação: foi de livre e espontânea vontade extinguir o grupo da PF da Lava Jato no Paraná ou foi "convencido" por alguém ou por algum ministro a fazê-lo?

            

Tania Tavares taniatma@hotmail.com

São Paulo

*

NÃO PASSARÁ BATIDO

A força-tarefa da Lava Jato era a única coisa que, em nossa história recente, realmente funcionou para o combate à corrupção. E funcionou espetacularmente bem, reavendo vários bilhões de dólares aos cofres públicos. Acabar com ela é pisar na cabeça dos brasileiros. Quem participou disso vai se dar muito mal, pois, diferentemente do costume, desta vez não passará batido.   

Jorge Alberto Nurkin jorge.nurkin@gmail.com

São Paulo

*

DANÇA DA CADEIRA

Pois é, Temer depois de denunciado no Supremo Tribunal sai de viagem: quem pode substituí-lo nesse meio tempo? Outros dois da mesma estirpe, igualmente denunciados...   Belo trio!

Carlos Eduardo Barros Rodrigues ceb.rodrigues@hotmail.com

São Paulo

*

CRISE ECONÔMICA?

Temer, no encontro do G20, afirma que no Brasil com 14 milhões de desempregados não há crise econômica. Gozação tem hora!

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo

FORA DA REALIDADE

Conheço pessoas muito abaixo da linha da pobreza (e as ajudamos como podemos) que dão mamadeiras de água com açúcar, em vez de leite para os filhos, a fim de mitigar a fome destes! E conheço também muitas pessoas altamente qualificadas desempregadas. Se isto não é uma crise social e econômica em escala nacional para o sr. Michel Temer,  sugiro que vá urgentemente ao psiquiatra tratar de sua fria esquizofrenia social. No mais, aguardo ansiosamente as próximas eleições para civicamente para demonstrar meu total desprezo e asco a esta casta política podre e insensível.

Paulo Boccato pofboccato@yahoo.com.br

Taquaritinga

*

SE FICAR O BICHO COME, SE CORRER O BICHO PEGA

Sai Dilma entra Temer, sai Temer entra Rodrigo Maia, sai Rodrigo Maia entra Eunício Oliveira. Sai Eunício entra quem? Mesmo um profissional acima de qualquer suspeita vai ter de se submeter a um Congresso corrupto, se quiser governar. Ademais a Constituição há que ser seguida, senão vira golpe de Estado, ou pelo menos se corre o risco de assim ser considerado por aqueles a quem interessar. Afinal, por aqui as coisas só acontecem tendo em vista interesses próprios, não segundo o interesse do País. Como já disse um político patrício, o povo que se lixe! Não interessa condenar Aécio, pois o efeito seria cascata e atingiria a grande maioria dos parlamentares. Parece que o que realmente interessa para a maioria dos políticos é pulverizar a Lava Jato, pois é sabido que neste país quem procura acha. Se o presidente precisa deixar o poder diante de evidência de corrupção por ele praticada, por que seus delatores, bandidos confessos, podem ficar livres, leves e soltos? Afinal, a lei não é para todos? Se algo precisa ser poupado nesta história toda é o País. Só existe uma saída e nela parece que ninguém pensa: as eleições de 2018 que se avizinham. A única maneira viável de mudar este País.

Ricardo Daunt de Campos Salles dauntsalles@uol.com.br

Espírito Santo do Pinhal 

*

CENÁRIO SOMBRIO

Caso a denúncia contra o presidente Michel Temer prospere, indo até as últimas consequências com seu afastamento do cargo, teríamos o seguinte cenário: o País viveria um indesejável clima de incertezas, tanto na área e econômica quanto na politica, agravado pela substituição do chefe do Executivo por um presidente da Câmara dos Deputados que é alvo de inquéritos no Supremo Tribunal Federal, podendo estar sujeito à cassação de suas funções, abrindo espaço para que juízes do STF, hoje politicamente engajados, aprovem as diretas já, como sonha Lula. Não é difícil vivermos essa realidade sombria, considerando-se que há poucas semanas, o ministro Edson Fachim retirou das mãos do juiz Sergio Moro quatro processos de Lula e um de Guido Mantega, num ato que não deixa dúvida sobre a preferência de alguns magistrados que deverão decidir se o País deve seguir nos trilhos ou partir para o caos. 

Paulo R Kherlakian paulokherlakian@uol.com.br

São Paulo

*

DEMOCRACIA BRASILEIRA

A democracia no Brasil nada mais é do que uma monarquia disfarçada, onde o senhor presidente é o rei, os deputados são os cortesãos e os bobos da corte somos nós, o povo!

Gabriela Lorack gabrielalorack@gmail.com

São Paulo

*

MÚSICA NO CONGRESSO

O flautista Temer está levando os ratos do Congresso para o buraco em 2018. 

 

Etelvino José Henriques Bechara ejhbechara@gmail.com

São Paulo

*

EXEMPLO DA FRANÇA

Precisamos urgentemente de um Macron aqui no Brasil, já pensou menos 1/3 de deputados e senadores?

Silvio Leis silvioleis@hotmail.com

São Paulo

*

PIOR SEM TEMER

 

Temer é culpado e tem de ser punido, mas não agora. Para o bem do Brasil, antes de ser defenestrado, é preciso aprovar a Reforma Trabalhista em nome da empregabilidade, cancelar a obrigatoriedade da contribuição sindical e, principalmente a Reforma da Previdência para combater o déficit, que é uma bola de neve, e garantir aposentadorias futuras de muitos daqueles que, por falta de conhecimento, são contra a Reforma. Temer foi o único presidente que, objetivando solucionar tais adversidades, teve a coragem de se expor, enquanto os anteriores fugiram do problema temendo perder popularidade. Ruim com Temer, muito pior sem ele.

Humberto Schuwartz Soares  hs-soares@uol.com.br

Vila Velha (ES) 

*

CONTRIBUIÇÃO SINDICAL 

Se atender ao chororô dos sindicalistas, FORA TEMER!

Sergio S. de Oliveira

Monte Santo de Minas (MG)

*

FALASTRÃO E ENGANADOR

Antes do Petrolão, Lula era o homem mais admirado do País, inclusive pela imprensa. Ele já foi aplaudido de pé na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), recebeu muitas homenagens e títulos e foi chamado de "o cara" por Obama, ex-presidente dos EUA. Mas, graças ao juiz Sergio Moro, "o homem mais honesto do País" está sendo desmascarado e a imprensa já o chama de "falastrão e enganador". Só falta o povo brasileiro deixar de ser "abestado" e não votar mais nesse corrupto.

Maria Carmen Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana

*

VIDRAÇAS

Para a derrocada final do PT de Dilma, a presidência do PMDB jogou pedra. Agora será a vidraça do PSDB para a derrocada final do moribundo governo Temer. “Um dia da caça, outro do caçador."

J.S. Decol decoljs@gmail.com

São Paulo

*

QUE DELACAO É ESSA?

Tanta expectativa em cima de Cunha para ele falar e por que Palocci nada diz? Cunha promete entregar os caciques do PMDB, mas nada disso teria acontecido se não fosse pela roubalheira do PT. E quando veremos essa gente na cadeia? Que Sergio Cabral mofe na cadeia, que seu patrimônio seja confiscado, pois é produto de roubo e sua esposa volte para a prisão. Só assim veremos a justiça ser feita, pois o prêmio maior é essa tal delação, que incentiva a corrupção cada vez mais. 

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

SÍTIO E TRIPLEX 

Já que o sítio de Atibaia e o triplex no Guarujá não têm donos, aguardo seu leilão. Ofereço R$ 1 por cada.

  

André Luis Coutinho arcouti@uol.com.br

Campinas

*

LEGÍTIMO REPRESENTANTE

Espero que em 2018 os petistas votem no Lula. Assim terão um legitimo representante na cadeia.

Eugênio José Alati eugenioalati13@gmail.com

Campinas

*

SEMPRE OUVINDO BALELAS!

Números assustadores e altamente preocupantes: o comércio perdeu em torno de 10 mil lojas no primeiro semestre do ano. Contudo, Carlos Thadeu de Freitas, economista-chefe da Confederação Nacional do Comércio (CNC), disse: "Apesar da política e da economia, o pior já passou e os sinais para 2018 são favoráveis". Meu amigo, vamos por os pés no chão com seriedade e enfrentar nossa realidade de frente, pois o estrago foi muito grande e ainda inimaginável, pois temos muitas coisas ainda para auditar, e os resultados poderão ser surpreendentes. Ou seja, além de sua previsão ser prematura e sem bases sólidas, estamos cansados de ser ludibriados e obrigados a ouvir balelas. Só para salientar, estou entre essas 10 mil lojas. 

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

ÓTIMO TRABALHO

Parabéns a toda a equipe do Banco Central do Brasil! Vocês conseguiram! O Brasil está oficialmente em um ambiente de recessão (vocês sabem que essas estatísticas de crescimento da economia são para inglês ver) e deflação. A pergunta que não quer calar: até quando teremos taxas de juros reais estratosféricas?

Oscar Thompson oscarthompson@hotmail.com

Santana de Parnaíba

*

RASPANDO OS COFRES NO MESMO MODUS OPERANDI

E uma nova sangria é anunciada pelo novo presidente do BNDES, o propinoduto vai se abrir, e exatamente no tempo previsto para amparar os estertores do presente governo corrupto (seis anos em seis dias). Claro que desperta alegria em alguns setores... Amigos do rei já podem preparar as propostas para mais um achaque ao dinheiro do povo. Não bastou o PAC, a Copa, as Olimpíadas. Engulamos mais este sapo.

Maria Lucia Cardoso de Almeida mlcardosodealmeida@gmail.com

São Paulo

    

*

BALAS PERDIDAS

O Estado  não consegue desarmar a bandidagem. Só no Estado do Rio, nos últimos seis meses, foram 632 as vítimas de balas perdidas, com 67 mortes, em tiroteios. Em meio a toda essa tragédia, por simples falta de entendimento entre as instituições, o secretário de Educação e comandante da PM não conseguem promover uma reunião nem ao menos para resolver o problema da segurança nas escolas, onde houve a última vítima fatal de bala perdida. Há 50 anos, certo estadista francês afirmou que o Brasil não era um país sério. Continua não sendo.

Marcelo Araújo marcelodelimaaraujo@yahoo.com.br

Rio de Janeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.