Fórum dos Leitores

.

O Estado de S.Paulo

27 Julho 2017 | 03h03

BRASIL OFICIAL X PAÍS REAL

Para ‘eles’ não há crise?

Se levarmos em conta o ditado que diz que os bons e os maus exemplos vêm de cima, concluiremos que, com raríssimas exceções, só temos tido péssimos exemplos do Brasil oficial. Basta ver o absurdo do Ministério Público Federal (MPF), desconsiderando o momento crítico por que o País passa, a pleitear 16% de reajuste salarial para procuradores. Por sua vez, o Senado resolve simplesmente alugar 85 carros zero-quilômetro para 81 senadores, o secretário-geral da Mesa, o diretor-geral e a segurança do presidente da Casa, Eunício Oliveira, por um período de 30 meses, ao custo de milhões! Entretanto, para nós sobram aumentos de impostos, que nos impõem cada vez mais sacrifícios, privações e dificuldades. Sem mencionar o estado lastimável em que se encontra a maioria dos aposentados e pensionistas, os 14 milhões de desempregados, as carências em saúde, educação, segurança, transportes, etc.

ANGELO TONELLI

angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

Desfaçatez

Inacreditável a desfaçatez do MPF de querer 16% de reajuste salarial para procuradores. Hoje eles já recebem de R$ 28 mil a R$ 33,7 mil por mês! Além de diversos acréscimos. Isso num instante em que é primordial reduzir as despesas de custeio do aparato público. Os cidadãos contribuintes hão de protestar.

HARALD HELLMUTH

hhellmuth@uol.com.br

São Paulo

Meu pirão primeiro

Eu até imagino o Janot pensando: “Que se dane o equilíbrio fiscal, eu quero o meu!”. É bonito ver como os nossos funcionários públicos se interessam pelo bem comum...

ALDO BERTOLUCCI

aldobertolucci@gmail.com

São Paulo

Demissão voluntária

Não entendo por que o governo federal está perdendo tempo e dinheiro promovendo um PDV para os funcionários públicos. Como as empresas privadas, devia simplesmente demitir os incompetentes que vemos com frequência nas repartições federais por todo o País.

LAERT PINTO BARBOSA

laert_barbosa@globo.com

São Paulo

POLITICAGEM

Voto distrital já!

Nossos deputados federais querem aprovar, no mínimo, R$ 3 bilhões para suas campanhas eleitorais sem conteúdo, recheadas de argumentos vazios. E não temos como reclamar desse absurdo! Precisamos de voto distrital, a reforma política que interessa ao cidadão. Campanhas mais econômicas, com candidatos obrigados a fazer corpo a corpo com os eleitores para ganharem votos, os eleitos mais próximos dos eleitores e a possibilidade de cartão vermelho para retirar do cargo os que se mostrarem incompetentes ou infiéis aos propósitos do seu eleitorado.

CARLOS DE OLIVEIRA AVILA

gardjota@gmail.com

São Paulo

Políticos sem pudor

A propósito do artigo A república dos sem-vergonha (26/7, A2), da lavra de José Nêumanne, se calarmos diante dos desavergonhados continuaremos alimentando a corrupção e dando fôlego aos políticos sem pudor. É incabível a aprovação do Fundo Partidário. Já foi aprovada a reforma trabalhista, extinguindo a obrigatoriedade da contribuição sindical, e, a seu exemplo, é justíssimo que os donos de partidos organizem entre seus filiados uma contribuição xis, a somar-se à contribuição dos próprios parlamentares para a formação do caixa eleitoral. Não é justo atribuir ao povo mais essa pesada obrigação para a permanência de políticos que não nos representam. Os que aí estão só deliberam para seus interesses e para se livrar da Lava Jato.

VICENTE MUNIZ BARRETO

dabmunizbarreto@hotmail.com

Cruzeiro

OAB

Como advogado, repudio veementemente o silêncio sepulcral da nossa classe quando os políticos querem mudar o Código de Processo Penal (CPP), não pensando em modernizar as normas processuais penais, adequando-as à realidade da evolução social experimentada por nosso país, mas tão somente agindo em defesa dos próprios e escusos interesses. A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) deveria propor uma comissão de notáveis juristas para acompanhar a reforma, em prol dos interesses do povo, e não dessa corja de ladrões e corruptos que é, infelizmente, grande parte dos atuais políticos brasileiros. A OAB deveria voltar ao pódio de onde nunca deveria ter saído, o da defesa da democracia e do Estado de Direito, em vez de ficar se metendo nas propostas administrativas do governo, como fez recentemente.

CARLOS BENEDITO P. DA SILVA

carlosbpsilva@gmail.com

Rio Claro

LULOPETISMO

Racha no PT

A atual presidente do PT, Gleisi Hoffmann, manifestou no Foro de São Paulo, em Manágua, seu apoio incondicional à nova Constituinte na Venezuela, provocando grave fissura no partido, ao contrariar uma ala que, com o Lula, defende cautela no endosso às decisões de Nicolás Maduro. Realmente, os demais líderes petistas criaram um sério problema para o partido, pois a outrora inexpressiva senadora “Narizinho” deve estar se achando a nova e arejada liderança do PT e, consequentemente, a futura e imbatível candidata a presidente(a) da República.

LUIZ ANTÔNIO ALVES DE SOUZA

zam@uol.com.br

São Paulo

Ofidiário

Em 24/7 uma leitora de Itanhaém perguntou: “Já começou a vaquinha para garantir o sustento da jararaca?”. Respondo: não se preocupe, não. Logo, logo, a figura será hóspede do Estado, com direito a quentinha, uniforme e banho de sol, por muitos e muitos anos.

JOSÉ HORÁCIO CANCHERINI

josehoraciocafe@gmail.com

Itu

TORCIDAS DE FUTEBOL

Voto de confiança

A imprensa noticiou o voto de confiança que autoridades paulistas darão às torcidas organizadas do Estado, ao permitir que voltem – não obstante toda a violência que alguns de seus membros cometem – com bateria e bandeirão aos estádios. Sem querer ser pessimista, pergunto e respondo, com grande confiança, como estudioso do tema: sabe quando os sociopatas presentes entre torcedores genuínos vão agradecer, com atos pacíficos, o voto de confiança do poder público? Nunca!

VANDERLEI DE LIMA

toppaz1@gmail.com

Amparo

“Primeiro os salários foram reajustados e agora oferecem um PDV.

Que falta de sintonia!”

VALTER GALI / SÃO PAULO, SOBRE O PLANO DE DEMISSÃO VOLUNTÁRIA DOS FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS FEDERAIS

vgali@concili.com.br

“MST: ‘Corruptos, devolvam nossas terras!’. Os sem-terra não

estariam interessados num sítio em Atibaia?”

LUCIANO HARARY / SÃO PAULO, SOBRE A NOVA ONDA DE INVASÕES DE CUNHO MERAMENTE POLÍTICO

lharary@hotmail.com

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

VELHO BRASIL

Michel Temer promete dinheiro para as escolas de samba. Certíssimo, o Brasil é hoje carnaval, futebol e roubalheira!

Luiz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo

*

DÁ PARA ACREDITAR?

Dinheiro para construir hospitais não tem, muitos deles não podem nem sequer consertar um simples aparelho de raio-x. Dinheiro para recuperar estradas que matam e encarecem o custo de vida ao transportar a produção não tem. Dinheiro para garantir a segurança da população brasileira, que morre mais que muito povo em guerra não tem, para armar decentemente as polícias não tem, para inibir o tráfico de drogas não tem, para abastecer viaturas não tem e para emitir um simples passaporte não tem. Dinheiro para construir escolas e preparar professores também não tem. Dinheiro para construir presídios e reformar os existentes, surpresa (!), não tem. Dinheiro para pagar a folha de pagamento, lamento ser repetitiva, não tem. Mas para subsidiar bundas sambantes e peitos balançantes no próximo carnaval, ah!, para isso tem. Dá para acreditar? Que ninguém afronte minha inteligência dizendo que a renda deixada pelo turista nos desfiles compensa. Essa modalidade gera renda para empresas privadas apenas, o governo ganha nos impostos sobre  o consumo de bebidas, alimentos e prestação de serviço no carnaval de rua, aliás, o único possível para a população que não tem como pagar pelos caros ingressos, isso se não houver sonegação.  

Marcia Meirelles marciambm@yahoo.com.br

São Paulo 

*

PÃO E CIRCO!

Que o carnaval seja preocupação do 'bispo', prefeito e da rede Globo, presidente, não jogue pérolas aos porcos, o Rio quebrou e há aposentados passando fome, graças aos ladrões de gravata!

Leandro Ferreira  leandroferreoradasolva@gmail.com

Guarulhos

*

PACOTE DE BONDADES

O presidente Michel Temer vai agraciar as Escolas de Samba com um pacote de bondades: será que o nosso mandatário ainda não percebeu que hoje nossa gente necessita muito mais de pão do que de circo?

Virgílio Melado Passini mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

REPROVAÇÃO A TEMER

Faltam 6% para que a reprovação ao governo Temer atinja a inédita unanimidade de 100% do País. Com efeito, assim não há como chegar a 2018, pois não?

J.S. Decol decoljs@gmail.com

São Paulo

*

QUESTÃO DE PRIORIDADE

  

O momento atual é realmente propício para tratarmos do carnaval no Rio de Janeiro. Tudo no País anda tão bem, porque não destinar generosa verba para a folia, não é mesmo?  Questão de prioridade!

José Perin Garcia jperin@uol.com.br

Santo André  

*

PDV

Leitores desse espaço ontem mencionaram o Programa de Demissão Voluntária (PDV) para políticos. Discordo. Deveria haver um Programa de Demissão Obrigatório em todos os níveis: vereadores, deputados estaduais e federais e senadores. Se contássemos aqueles que de útil fazem um mínimo, sobrariam dedos de uma mão.

Guto Pacheco jam.pacheco@uol.com.br

São Paulo 

*

DESESPERO PELO PODER

Neste meu Brasil varonil, onde o desemprego amarga sua maior marca no cenário nacional, com 14 milhões de desempregados, o presidente Michel Temer na contramão da história, anuncia o PDV federal, aumentando ainda mais o desemprego.  Oficialmente o argumento do governo é economizar.  Mas, mesmo acusado de corrupção no exercício do mandato, Temer desesperadamente abre os cofres do governo com emendas parlamentares para se manter vivo no governo. Francamente! Não da para entender!

Arnaldo Luiz de Oliveira Filho arluolf@hotmail.com

Itapeva

*

QUANDO VAMOS DEIXAR DE PAGAR O PATO?

Sempre que o País passa por uma crise financeira o governo cria um novo imposto ou aumenta o que já existe. Não vamos nos esquecer da roubalheira que foi a CPMF. Agora, apelaram para o PIS/Confins do combustível, alegando que é para garantir o cumprimento da meta fiscal deste ano, cujo déficit é de R$ 139 bilhões, ainda estuda possibilidade de elevar outros impostos para cobrir o rombo do orçamento de 2017. E como sempre a cobrança da fatura fica por conta da sociedade.  Até quando a sociedade vai pagar o pato? Que governo é esse que só pensa em sacrificar o bolso do pobre e sofrido trabalhador? Não passa pela cabeça mexer nos salários de seus políticos e servidores, tão pouco abrir mão de suas mordomias e desperdícios de se os imensuráveis gastos com ministérios?

Márcia Callado marciacallado@bol.com.br

São Paulo

*

QUANDO OS IGUAIS NÃO SÃO SEMPRE IGUAIS

Muito clara a intervenção do sr. Aloísio de Toledo César em artigo publicado no Estadão. Crimes iguais estão sendo tratados de forma diferente, para piorar, no mesmo espaço, no mesmo tempo e pelas mesmas pessoas. Contudo, saliente-se que o mais grave não é tratar criminosos com atos similares de forma diametralmente oposta, mas na situação do criminoso confesso, Joesley, a prova que o livrou das grades é, em si, um crime. Não se trata de gravar clandestinamente a pessoa do presidente, trata-se, na verdade, de gravar a Presidência da República. Seja quem for o presidente em exercício, a instituição em si deve ser protegida para evitar as consequências que na prática todos estamos vendo. Agora, imaginemos que no futuro, em julgamento, a tal gravação de fato seja considerada sem valor jurídico e que Temer seja absolvido, quem paga o estrago feito ao País? Espero, como cidadão quem pensem na Nação antes de tudo.

Nelson Mattioli Leite nelsonmleite@uol.com.br

São Paulo

*

A REPÚBLICA DOS SEM-VERGONHA!

José Nêumanne em "A república dos sem-vergonha" (A2 26/7) fez uma tomografia computadorizada impecável do nosso atual Congresso, inclusive das tramoias que estão em andamento para livrar a cara de toda patota.  Depois do que vimos no impeachment da ex-presidente Dillma, ninguém em sã consciência acharia que uma Reforma Política, um novo Código Penal, etc., seriam pelo bem do povo que os elegeu. Eles "amam suas famílias" e uma prisão os retiraria do colo delas. Com certeza, se toda essa falta de vergonha na cara for aprovada, voltaremos às ruas e, em 2018 não reelegeremos nenhum deles até a quarta geração. Chamá-los de "sem-vergonha" foi elogio de Neumanne.

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo 

*

DEDO NA FERIDA

Sem dúvida o inteligentíssimo José Nêumanne colocou o dedo na ferida mostrando que, na verdade, os políticos no Brasil só querem mesmo é se dar bem e ter vida boa. Foram 1.829 no colo da JBS? Precisa falar mais o quê? Nada!

 Zureia Baruch zureiabaruchjr@bol.com.br

São Paulo 

*

VERGONHA DOS POLÍTICOS

José Nêumanne só erra no título do seu muito bom artigo. Deveria ser "A república com políticos sem-vergonha". De fato a cidadania sente vergonha dos políticos. Há de se considerar que a sociedade brasileira está dividida pelo menos em três partes: os pobres e iletrados, por natureza, vítimas indefesas;     quem tem cidadania, é  instruído e capaz de se mobilizar, mas omisso; e os políticos, membros do Poder Judiciário e servidores públicos aproveitadores, privilegiados, como se fosse uma classe nobre.

Harald Hellmuth hhellmuth@uol.com.br

São Paulo 

*

ESTÁ TUDO EXPLICADO!

Mais uma boa coluna do jornalista. Complemento que estamos assistindo aos "coronéis do pudê" comerem os "comunistas" como cobras criadas. Há algum cara "coroné do pudê" ou comunista que não seja "sem vergonha", caro Nêumanne? Aponte um apenas! Esse Cândido não é do PT? E esse Jucá não é do PMDB? E para ser desses partidos não precisa ser sujo como pau de galinheiro? Tá explicado?

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

*

O MPF PODE TUDO

O Ministério Público Federal (MPF) mostra que manda no Brasil: Os procuradores aproveitam o final do reinado do chefão Rodrigo Janot e aumentaram os salários em quase 17%.  Coitado de quem estrebuchar. Entra na peia da Lava Jato, sem direito à delação. 

Vicente Limongi Netto limonginetto@hotmail.com

Brasília

*

REAJUSTE SALARIAL NO MPF

Com uma inflação anual abaixo dos 4%, o Ministério Público Federal quer 16% de reajuste salarial. Nós, que sustentamos essa cambada de sanguessugas, também queremos! Afinal, nossos bolsos já furaram com tantos impostos!

Milton Bulach mbulach@gmail.com

Campinas

*

REAJUSTE NA CRISE

O Brasil vive a pior das crises econômicas de todos os tempos, onde já é possível saber que não conseguirá cumprir a meta fiscal que prevê um incrível déficit de R$139 milhões, pois, se de um lado entram recursos extraídos do aumento de impostos cobrados do cidadão comum, do outro, saem recursos para pagar aumento de salário para funcionários públicos. Não dá para acreditar em um Ministério Público que aprova aumento de 16,7% para os seus, enquanto o governo anuncia que vai propor redução de jornada e plano de demissão voluntária (PDV) para os servidores. 

Abel Pires Rodrigues abel@knn.com.br

Rio de Janeiro 

*

PIADA PRONTA

O Brasil não aguenta mais tanta desfaçatez. Noticia-se que o MPF prepara denúncia contra o Grupo Gerdau, mas exclui seu presidente André Gerdau. Embora indiciado pela Polícia Federal por envolvimento em esquema de corrupção para livrar-se de processos por sonegação fiscal nos processos julgados no Carf, o herdeiro do influente conselheiro industrial de governos brasileiros, Jorge Gerdau Johannpeter (também membros do Conselho de Administração da Petrobras à época de Dilma Rousseff) foi liberado de acusações, porque agia por meio de procuradores. O Carf é o antigo Conselho de Contribuintes, um órgão técnico composto por representantes do Ministério da Fazenda e dos contribuintes, para atuar nas disputas envolvendo autuações de valores contados aos bilhões de reais.

Ademir Valezi adevale@gmail.com

São Paulo 

*

CORAGEM PARA INVESTIGAR

Em entrevista dada ao Estadão, a procuradora Thaméa Danelon disse que é não é fácil investigar poderosos. É preciso, além de conhecimento jurídico e técnico, muita coragem, pois os poderosos os processam na Corregedoria, entram com ação contra eles. Infelizmente a lei não é igual para todos, se assim fosse não haveria esse temor dos procuradores pelos poderosos que os intimidam com processos. De toda forma, se estão investigando fatos, não há o que temer. Ao contrário, se os poderosos respeitassem as leis, eles sim a temeriam. Estamos no Brasil onde a cada crime descoberto se vê que o nome da lei é $, seja em dólar, euro ou o que for. Devemos agradecer o trabalho da Lava Jato que a duras penas vem mostrando os bastidores do poder, que uma hora será defenestrada pelas mãos da Justiça. A sociedade apoia e acredita que a Justiça conseguirá condenar os malfeitores do Brasil, pois, quem são eles, já sabemos! 

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

THE END DE LULLA

Antes do dia 13 de setembro, quando terá que ir a Curitiba, Lulla poderá descansar no seus dois principais "presentes imobiliários": 10 dias no triplex e 10 dias no seu sítio. Aproveite o momento para meditação! Após a sentença do juiz, venda as propriedades, peça desculpas ao povo brasileiro pelo estrago ao País e tente ficar um pouquinho em paz, pensando na sua saúde. 

Roberto Hungria cardosohungria@gmail.com

Itapetininga

*

BONS VENTOS DO SUL

A decisão do desembargador João Pedro Gebran Neto, relator dos processos da Lava Jato no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), de manter o bloqueio dos bens arrestados pelo Juiz Sergio Moro, é um bom sinal de que ainda há juízes no Brasil. Lula e sua defesa devem estar sentindo que no TRF4 não haverá ponto fora da curva.

Claudio Juchem cjuchem@gmail.com

São Paulo 

*

DILMA INTELIGÍVEL!

A presidenta cassada Dilma Rousseff está providenciando a instalação do equipamento misturador de sons em seu gabinete, como o de Temer. O fabricante garante que após isso ela ficará totalmente inteligível. Os assessores perguntaram se ela queria também um equipamento portátil, para uso em trânsito. Não entenderam o que ela respondeu!

Natalino Martins natalino.martins@uol.com.br

São Paulo

JUVENTUDE X IDOSOS

Com muita imaginação Monica de Bolle, em sua coluna, tenta convencer os jovens sobre a necessidade da "reforma" da Previdência. Diz ela ("Juventude esquecida", B2, 26/7) que se "gastam míseros 0,4% do PIB regional em treinamento vocacional, política essencial para adequar a formação profissional às necessidades do mercado de trabalho". E logo apresenta a razão, num "genial" lance de relação entre causa e efeito: "... desperdícios de recursos com sistemas previdenciários onerosos e gastos mal direcionados e mal-intencionados". Ela nem sequer considera que os "beneficiários" da Previdência, por natureza sem perspectivas de longo prazo, reciclam rapidamente o dinheiro promovendo o comércio, a indústria de turismo... ou a indústria farmacêutica. Só faltou a professora da Sais/Hopkins University sugerir, como outro economista já fez, que os aposentados aceitassem a eutanásia em benefício da Economia. A realidade, porém, é que só não precisa do "sistema previdenciário oneroso" quem não tem problema de saúde ou não envelheceu. E só não envelhece quem morre jovem. 

Tibor Rabóczkay trabocka@hotmail.com

São Paulo

*

VALORIZAÇÃO ERRADA

É de indignar qualquer um a nota publicada na página A4 da edição de hoje do Estadão, sobre o busto de Getúlio colocado logo na entrada da Academia Brasileira de Letras - a casa de Machado de Assis, celebrando seus 120 anos de existência. Getúlio, durante a ditadura, usou seu Departamento de Imprensa e Propaganda (DIP) como instrumento censório, não devendo ocupar espaço algum na maior casa de literatura do País. Pior, jogaram Euclides da Cunha, autor de Os Sertões - ele sim, literato importante e antigo acadêmico da ABL! - em um mictório adaptado. O Estado mostrou a verdadeira condição em que a Cultura se encontra no País: encostada em um mictório adaptado, enquanto um político que censurou e perseguiu merece lugar de destaque. O que faz o quadro ainda mais surreal é que isso não foi obra de governo algum, e sim da outrora casa dos grandes literatos, a Academia. Não é de lamentar, é para se revoltar e pedir a urgente mudança do busto de Euclides para um lugar que mereça e que para o de Getúlio seja reservado para outro lugar - um museu, por exemplo, ilustrando o Estado Novo. 

Henrique Autran Dourado autran54@gmail.com

Tatuí

*

INSENSIBILIDADE - HOSPITAL DO CÂNCER

Aqui no bairro da Mooca está localizado o hospital do câncer, na Avenida Alcântara Machado. Bem atrás dele existe um bando de desocupados tocando seus instrumentos no mais alto volume, além disso, na frente do hospital, na avenida, passam veículos com suas sirenes muito altas. Será não há ninguém para coibir esse abuso? 

Agostinho Locci legustan@gmail.com

São Paulo

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.