Fórum dos Leitores

.

O Estado de S.Paulo

28 Julho 2017 | 03h07

CORRUPÇÃO

Bendine no xadrez

Foi preso Aldemir Bendine, ex-presidente do Banco do Brasil e da Petrobrás. Bendine assumiu a estatal do petróleo, onde ficou apenas pouco mais de um ano, em meio à maior operação contra o bilionário desvio de dinheiro promovido pela mesma turma que o colocou lá. Se levarmos em conta que Bendine já chegou com suspeita de “malfeitos” cometidos no Banco do Brasil, mesmo que acreditasse na proteção dos seus gurus é muita ousadia e um acinte negociar e receber propina de uma empreiteira envolvida até o pescoço nos esquemas fraudulentos.

ABEL PIRES RODRIGUES

abel@knn.com.br

Rio de Janeiro

Embora sabendo da atuação constante e próxima da Operação Lava Jato, Aldemir Bendine pediu propina à Odebrecht antes de assumir a Petrobrás, egresso do Banco do Brasil. Muita coragem e desfaçatez! A Nação precisa, urgente, realizar uma limpeza, varrendo todos os elementos desse tipo da vida pública.

JOSÉ CARLOS DE C. CARNEIRO

carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

Não foi para Portugal...

Aldemir Bendine, que já havia comprado passagem só de ida para Portugal, acabou indo para a prisão, apanhado que foi na 42.ª fase da Operação Lava Jato. No currículo de Bendine, a liberação de R$ 2,7 milhões para a falida socialite Val Marchiori e o empréstimo a juros subsidiados de mais R$ 400 mil para a amiga comprar um Porsche. Vai ser amigo assim lá em Curitiba!

JÚLIO ROBERTO AYRES BRISOLA

jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

O ‘Cobra’

Aldemir Bendine assumiu a presidência da Petrobrás, em 2015, sob muita especulação da imprensa por causa de sua gestão complicada no Banco do Brasil. Mesmo sob fogo cerrado, assumiu a Petrobrás como “homem de confiança” da ex-presidente Dillma Rousseff. E agora foi preso pela Operação Lava Jato por ter recebido propina da Odebrecht, em cujas planilhas era apelidado de “Cobra”. Curioso que até agora não vimos nada contra outro ex-presidente da Petrobrás, o sr. Sérgio Gabrielli, profundo admirador e amigão de outro ofídio, a jararaca!

BEATRIZ CAMPOS

beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

Maldição de Midas

O PT herdou a maldição de Midas, só que com sinal invertido: tudo em que toca vira corrupção. Vide Aldemir Bendine. O PT alcançou o último estágio de desmoralização a que um partido político pode chegar.

EUGÊNIO JOSÉ ALATI

eugenioalati13@gmail.com

Campinas

Depravação generalizada

As pessoas imaginam que a corrupção, durante o período petista, se “limitou” às grandes obras, grandes contratações, etc., e foi fomentada pelas grandes empreiteiras. Na verdade, a corrupção foi generalizada e começou no primeiro momento do primeiro mandato de Lula. Por exemplo, contam publicitários, em off, que em seguida à primeira posse de Lula foram chamados à sala do responsável pelas campanhas eleitorais, hoje falecido e nome de avenida, que foi logo explicitando as “comissões” sobre os contratos a serem firmados. E assim também ocorreu nas demais transações, desde a compra de um clipe de papel até a de navios ou aviões. O problema é que ninguém pode garantir que essa prática não siga em vigor, claro que em menores números. A gigantesca estrutura burocrática do Estado brasileiro e a moral algo frouxa das inúmeras formiguinhas desse imenso formigueiro tornam o combate à corrupção um trabalho de enxugar gelo.

NESTOR R. PEREIRA FILHO

rodrigues-nestor@ig.com.br

São Paulo

Tempos sombrios

Os desdobramentos da Operação Lava Jato e outras expõem ao País diariamente novos focos de corrupção. Estamos desde 2005, com a descoberta de desvios de dinheiro público, só aprofundando nossas dificuldades, todas decorrentes desses “malfeitos”, e não sabemos onde vamos parar. Aliada a isso temos a, digamos, corrupção oficial, que são os nababescos salários e mordomias de congressistas, Judiciário, Ministério Público, etc., sem que tais remunerações se justifiquem como qualquer ganho para o País. Não diria que nosso futuro será sombrio, pois o presente já é, mas, sim, uma versão de genocídio. O que se morre em filas de hospitais, por balas perdidas e crimes em geral nos faz crer que nossa situação já se assemelha à da Venezuela. Com apenas uma diferença: nós nos odiamos cordialmente.

PAULO HENRIQUE C. DE OLIVEIRA

ph.coimbraoliveira@gmail.com

Rio de Janeiro

NO REINO DOS PRIVILÉGIOS

Teúdos e manteúdos

Só pelo título dos editoriais de ontem (A3) deduzimos o enredo: no teste para a democracia, o corporativismo e a insensibilidade criaram o perigoso recuo da confiança. Observamos diariamente o comportamento dos próceres dos três Poderes e, em função disso, como poderíamos ter confiança, se constatamos a irresistível vocação deles para serem teúdos e manteúdos do contribuinte indefeso? Passou da hora, é mais do que tempo de modernizarmos a nossa estrutura de servidores para que trabalhem para o País e o povo, pois é para isso que lá estão. Só não ficou ainda bem claro para grande parcela da população, e também para o governo, que não temos condições de fazer verdadeiras reformas com esse tipo de política – e de políticos – que aí está.

CARMELA TASSI CHAVES

tassichaves@yahoo.com.br

São Paulo

Excelente o editorial Corporativismo e insensibilidade. Esse pessoal se autoprotege imoralmente. É por aí que a sociedade tem de pegar. Vale a pena a luta contra privilégios e corporativismo. E para isso dependemos da boa imprensa. Parabéns, Estadão!

JOSÉ ANTONIO GARBINO

ja.garbino@gmail.com

Bauru

Privatizar tudo

Todas as estatais estão inchadas, como bem mostram os programas de demissão voluntária (PDVs). Gordos salários e benesses diversas, funcionários apadrinhados, incompetência encoberta, etc. – as mazelas de sempre que causam prejuízos e maus serviços. Quantas dessas empresas poderiam e deveriam ser privatizadas? Este governo, que não é popular, nem o será, poderia aproveitar para contratar empresa especializada em avaliações e, mesmo sabendo que o Congresso não endossaria o necessário, serviria, no mínimo, como norte para o próximo governo – desde que, oxalá, não seja populista.

ANDRÉ C. FROHNKNECHT

caxumba888@gmail.com

São Paulo


“Troca-se passagem aérea só de ida para Lisboa por outra para Curitiba. Sem contraofertas”

JOSÉ ROBERTO NIERO / SÃO CAETANO DO SUL, SOBRE A PRISÃO DE ALDEMIR BENDINE

jrniero@yahoo.com.br

“Agora, com Bendine preso, os petistas ainda vão continuar alegando que o propinoduto do petrolão não era de conhecimento dos governos do PT e muito menos da jararaca?”

ANTONIO CARELLI FILHO / TAUBATÉ, IDEM

palestrino1949@hotmail.com

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

O MODUS OPERANDI 

A prisão do ex-presidente do Banco do Brasil e da Petrobrás, acusado de receber propina, expõe de forma clara o modus operandi das organizações criminosas que governam o País. Todos os partidos políticos lutam entre si para obter cargos em empresas estatais, sonham com a famosa diretoria da Petrobrás, aquela que fura poços de petróleo, como sintetizou tão bem o ex-presidente da Câmara Severino Cavalcanti. Quem assume uma diretoria ou presidência em alguma empresa estatal pela nomeação política terá a missão de roubar dinheiro dessa empresa para abastecer o caixa 2 do partido que o apadrinhou. Esse dinheiro irá financiar as campanhas políticas e será também distribuído entre os caciques dos partidos. Para roubar na estatal, Banco do Brasil ou Petrobrás, por exemplo, o nomeado terá um vasto leque de alternativas, concorrências fraudadas, cobrança de propina para tudo, superfaturamento de tudo que a empresa faz etc. O enorme poder dessas empresas, muitas vezes monopolistas em seu mercado, permite todo tipo de extorsões contra os concorrentes, fornecedores e clientes, ninguém é louco de denunciar um esquema da Petrobrás ou do Banco do Brasil. O uso das empresas estatais para financiamento das campanhas políticas foi uma das práticas que arruinou o País, que apenas começou a engatinhar no combate à corrupção. 

Mário Barilá Filho  mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

*

O HORROR DA CORRUPÇÃO

Como disse o Capitão Kurt (Marlon Brando), em Apocalipse Now: "O horror, o horror!" - A propósito de tudo o que estamos vendo sobre os crimes de corrupção.

Elisabeth Migliavacca elisabeth448@gmail.com

São Paulo

*

CORRUPÇÃO

Hoje a corrupção é tanta em nosso país, que a Polícia Federal já está encontrando dificuldade para escolher nomes para denominar as operações.

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

FALÊNCIA TOTAL

Não são os servidores públicos os causadores da falência dos Estados, municípios e das dificuldades enfrentadas pela própria União. Mas sim a corrupção sistêmica que tomou conta da nossa República por meio dos seus agentes políticos. Somente temos observado o assalto aos cofres públicos, muita violência nas ruas e o povo sem hospitais e escolas dignos para o atendimento normal. Infelizmente, no Congresso e no Planalto só se discutem o preenchimento dos cargos públicos para os apadrinhados dos políticos. O presidente Temer apenas se ocupa em proteger seu cargo, quer ficar na cadeira até o final do seu mandato. Alguns de seus amigos e assessores próximos já estão na cadeia, logo os outros estarão também por lá. Precisamos e muito que os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) defendam e louvem a atuação corajosa dos procuradores da nossa República na Operação Lava Jato.

Odiléa Mignon cardosomignon@gmail.com

São Paulo

*

MAIS UM PRESO

Hellooo, Bendine, até tu?

Moisés Goldstein mgoldstein@bol.com.br

São Paulo

*

ALDEMIR BENDINE

Em 2015, pela TV, tentei identificar os distintivos nas lapelas do recém-empossado presidente da Petrobrás. No lado direito, achei que era um verde-amarelo da BR, no esquerdo, fiquei em dúvida se era uma pequena torre de petróleo, um pequeno compasso e esquadro maçônicos ou uma pequena imagem de Nossa Senhora Aparecida. Na ocasião, tive certeza de que, se fosse Nossa Senhora Aparecida, o petróleo ia continuar sendo "deles". (opinião adaptada de texto enviado em 11/2/2015)

 

Sergio S. de Oliveira ssoliveiramsm@gmail.com

Monte Santo de Minas (MG)

*

RECADO RÁPIDO

Curto e grosso: vendam a Petrobrás, mas não venham com mais impostos!

Paulo Boccato pofboccato@yahoo.com.br

Taquaritinga

*

MEU CORRUPTO FAVORITO

Frase da moda: "E não tenho corrupto favorito", querendo dizer que não apoia nenhum político salafrário. Mas eu vou usá-la num outro sentido, o de que elegi Lula como aquele corrupto que diariamente me motiva a sentar em frente ao computador e criticá-lo. Acabei de saber que o juiz Moro liberou Lula de depoimento presencial em setembro, em Curitiba, sob alegação de que, da primeira vez, o Estado do Paraná e o governo federal tiveram um gasto muito grande para garantir a segurança de Lula e da população. Como o advogado Zanin faz de tudo para contrariar Moro, ele recusou esta decisão, alegando que não existe um motivo válido para que Lula não se apresente em Curitiba, e que Lula já esteve depondo em vários lugares e nunca se preparou um aparato policial como aquele visto no Paraná. Que singelo... Ele se esquece de que nos meses que antecederam o depoimento do ex-presidente, militantes do MST ocuparam as redes sociais convocando os petistas a estar em Curitiba na data marcada do depoimento de Lula e que ameaçaram tomar a cidade de assalto com seus ônibus e montar acampamento até defronte o Fórum.  Foi isso que motivou aquele policiamento, que acabou cortando as asas da militância! Agora Zanin quer um palco para Lula, quer imagens para serem usadas na campanha eleitoral deste que ainda se acha em condições de ser presidente do Brasil. Espero que Moro confirme o depoimento por videoconferência... Chega de dar espaço e imagens para este condenado! Chega de dar visibilidade a quem deseja ser vitimado politicamente! Lula, você é meu corrupto favorito!

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

*

RÉU EXIGENTE

Espero que a próxima exigência do réu Lula para o juiz Sergio Moro é que seja preso...

Luiz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo

*

LAVA JATO & LULLA 

A defesa quer isso, aquilo e quer tudo. E quem tudo quer tudo perde. No caso, começaram perdendo a vergonha.

Ademir Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo

*

MST E A FALTA DE PUNIDADE

Por que o João Stédile do MST, que adora viajar de classe executiva, paga pelo ético e honesto PT, não pede aos seus acéfalos verdadeiros parasitas e, claro, vândalos, para invadirem o sítio de 140 mil m² em Atibaia, já que ninguém o usa e não tem dono? Por que na verdade o MST não quer dar vida digna a ninguém, quer mesmo e confundir e fazer arruaça, confundir? Na verdade, o MST não tem o que fazer e vive à custa da propina do PT e dos partidos de esquerda. O Stédile é um tremendo de um bom vivant e quer mesmo se dar bem! Mais uma prova que no Brasil ninguém pensa em ninguém apenas nos seus próprios bolsos.

 

Antonio Jose G. Marques a.jose@uol.com.br

Rio de Janeiro

*

BRASIL DESGOVERNADO

A situação de vida dos brasileiros anda caótica o nosso País está funcionando como um barco à deriva, completamente desgovernado. Os políticos em sua maioria estão envolvidos em verdadeiros lamaçais de corrupção, salvo raríssimas exceções. Estão preparando pacotes de bondades, tentando salvar a própria pele por meio de novos projetos e de modificação dos já existentes, que vão tirar toda a força e poder da Operação Lava Jato, operação esta que foi um marco na vida dos brasileiros, provocando um alento de esperança. No momento temos um presidente da República completamente envolvido numa barafunda tremenda, depois das delações premiadas e (haja prêmio) de Joesley Batista, sobre gravação ocorrida na calada da noite, nas alcovas do Palácio do Jaburu, levando-nos a crer que o passado do nosso presidente não é um dos mais rosáceos e agora com o maior descaramento gastou do bolso de nós contribuintes do erário público a quantia de R$ 157 milhões para, com o maior descaramento, distribuir para os nossos "queridos" congressistas as benesses de liberações de emendas com verbas às mancheias, tudo isso para aquilo que todos sabemos, para que o processo de investigação contra ele seja arquivado. Tudo isso está sendo feito à luz do dia, sem nenhum constrangimento!

Henrique Schnaider hschnaider4@gmail.com

São Paulo

*

TEMER PODE ESPERAR

Tudo indica que Temer vai conseguir mais do que os 257 votos necessários para barrar na Câmara o andamento da denúncia apresentada contra ele por Rodrigo Janot, apesar da consistência e do enorme apoio popular que essa denúncia possui. Com farta distribuição de vantagens e usando desavergonhadamente dinheiro público para comprar votos de deputados venais, quem se opõe a essa manobra nada poderá fazer, a não ser lembrar a Temer que a sua presidência acabe no final de 2018, quando, então, como cidadão comum, ele terá de prestar contas à Justiça. Que tal o conhecido coro: "Temer, pode esperar, a sua hora vai chegar!"

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

*

TEMER 5%

Mas perguntaram aos banqueiros quantos aprovam? Ou será que somos idiotas de pensar que somos nós que elegemos tranqueiras como essa?

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

*

PDV

Se o resultado da votação da próxima semana no Congresso Nacional for contra o presidente, Michel Temer vai aderir ao PDV anunciado pelo governo?

J.S. Decol decoljs@gmail.com

São Paulo

*

CONCURSO DE POPULARIDADE?

Pesquisa do Ibope revela que 5% aprovam e 70% desaprovam o trabalho sendo realizado pelo governo Temer.   Pode-se comparar isso à seguinte situação: quando chego à casa no final do mês com meu salário e outras receitas fruto de trabalho duro e suado, minha família daria sua opinião: nem 5% aprovariam (eu que sei o quão difícil é manter o trabalho, enfrentar a concorrência e justificar o dinheiro ganho) e mais de 70% desaprovaria (o restante que não conhece nem quer conhecer a realidade do mercado).  E essas opiniões pouco valem. Pois esse é o mundo real, cada vez mais competitivo e exigente pela globalização e avanços tecnológicos.  Não há pesquisa que faça diferença.  Sacrifício, suor, muito estudo e aumento de produtividade é que resolvem.   A vida real não é um concurso de popularidade.  Não há almoço grátis.  Tudo tem um custo e um preço.  Enquanto o Brasil não entender isto, vamos ficar à mercê da demagogia, do populismo e da ilusão escamoteada por falsos salvadores da pátria.

 

Silvano Corrêa scorrea@uol.com.br

São Paulo

*

BARGANHA EXPLÍCITA

 

Se consumado o fim da investigação de Temer, via toma lá dá cá, será a prova indelével de que na Câmara dos Deputados há mais joio do que trigo.

Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo

 

*

DINHEIRO PARA O CARNAVAL  

Sobre a informação de que o governo vai liberar dinheiro para o carnaval, fica a pergunta: por que as Escolas de Samba não se autofinanciam e ficam com o lucro? É uma atividade que dá lucro, movimenta o turismo. Elas vão aos bancos, pedem empréstimo, cobram um porcentual de 5% dos hotéis, empresas de turismo, comércio, inclusive dos bancos, pois a movimentação de fluxo de caixa aumenta. Todo este segmento lucra com o Carnaval, é autossustentável. As Escolas terão maior rentabilidade. E o governo que aplique o dinheiro que iria gastar nisso em segurança, escolas, saúde e outras melhorias mais necessárias.

 

Jose Pedro Vilardi vilardijp@ig.com.br

São Paulo

*

CRISE POLÍTICA

A crise política do governo brasileiro não tem dia nem hora para acabar, pois a corrupção é generalizada entre a maioria dos parlamentares e empresários, ocasionando verdadeiros espetáculos verborrágicos e infrutíferos no Parlamento, que inviabilizam o crescimento e a modernização do Brasil. Nesse entrevero, surgem episódios pitorescos entre os membros dos três Poderes. O capítulo desta semana é o procurador Rodrigo Janot solicitando que se mantenha preso o venerável Eduardo Cunha, padroeiro e ex-presidente da Câmara de Deputados, por risco de fuga.

José Millei millei.jose@gmail.com

São Paulo

*

AUMENTO PARA O MP

Como os integrantes do Ministério Público (MP) figuram entre os cidadãos e servidores com mais alta renda, eles têm agora uma oportunidade de prestar um exemplo de solidariedade e responsabilidade desistindo do aumento pleiteado. Quiçá teriam seguidores.

Harald Hellmuth hhellmuth@uol.com.br

São Paulo

 

*

PROPAGANDA ELEITORAL

Os candidatos na TV ao fazerem sua propaganda parecem estar diante do espelho, pois somente eles devem acreditar em suas promessas.

Vidal dos Santos vidal.santos@yahoo.com.br

Guarujá

*

SOBRE NÁUSEAS

O senhor Rodrigo Janot, insuspeito procurador-geral da República, que o digam os açougueiros contemplados com um inédito acordo, disse ter sentido náuseas quando ouviu a gravação envolvendo o senhor presidente da República.  Como perguntar não ofende, será que o impoluto procurador também não sente náuseas com uma proposta de aumento salarial acima de 16% para a sua classe??!   Afinal, quem não se sente confortável com aquilo que ganha no desempenho do serviço público deveria ter a dignidade de ir procurar emprego na iniciativa privada!    

Arlete Pacheco arlpach@uol.com.br

Itanhaém

*

PROCURADORA SINDICALISTA

Nem assumiu já quer trocar o Dodge por Lamborghini!

Carlos Alberto Roxo roxo.sete@gmail.com

São Paulo

*

CAIXA2 NA ESPANHA?

Conforme noticiado, o primeiro-ministro espanhol, Mariano Rajoy, foi convocado pelo Tribunal de Justiça (26/7) para depor como testemunha de esquema de corrupção com propinas e financiamento ilegal - o Caixa dois funciona na Espanha há mais de 20 anos -  do Partido Popular (PP), por uma rede empresarial que comprava funcionários do partido em troca de contratos públicos.  O ministro Rajoy afirmou que ele não tinha responsabilidades financeiras e só unicamente políticas, ou seja, ele também "não sabia de nada", como afirmou o ex-presidente Lula no caso Mensalão. Que coincidência, hein?

Edgard  Gobbi  edgardgobbi@gmail.com

Campinas

*

TORNOZELEIRA

Estados devem até tornozeleiras  (B6, 25/7). A despesa mensal com cada tornozeleira eletrônica é, em media, R$ 280. Ora bolas, por que os presos monitorados a distancia com tais equipamentos não arcam eles próprios com tais despesas, tendo em vista o benefício obtido? Será que Geddel e família, bem como todos os demais, não possuem recursos para pagar tal despesa mensal e até o equipamento? A propósito, Geddel nem tornozeleira está usando. Basta à sociedade brasileira -  não deve e nem pode pagar por mais esse absurdo! A partir de agora, que os srs. juízes ao darem a liberdade assistida nessas condições se lembrem de incluir tal custo para os detentos, fazendo-se, assim, JUSTIÇA!

Mario Miguel mmlimpeza@terra.com.br

Jundiaí 

*

PRA QUE AUXÍLIO MORADIA?

 

Depois não querem que o Estado quebre. Em plena recessão econômica, com a meta fiscal comprometida e uma série de medidas que visam a penalizar o contribuinte, o orçamento da União prevê um acréscimo de 10% em cima dos R$ 800 milhões gastos com auxílio moradia. Para não quebrar, só se mandar rodar dinheiro na Casa da Moeda. Eis o retrato da incompetência administrativa brasileira, cujos congressistas usam e abusam do dinheiro público, em detrimento de benefícios cada vez mais absurdos e injustificáveis.

 

Willian Martins martins.willian@globo.com

Guararema

*

PLANOS ECONÔMICOS

O STJ com tantos processos para analisar deixa os sobre os Planos Econômicos sempre de lado. Até quando?

Valter Gali vgali@concili.com.br

São Paulo

*

ILÍCITOS NA REPATRIAÇÃO 

No primeiro programa de repatriação do governo federal de 2016, teve até empregado doméstico (talvez como laranja) internando recursos do exterior. Outras 241 pessoas repatriaram verbas de gente já morta.  Devido a estes possíveis trambiques é que a Receita Federal vai intimar suspeitos que repatriaram recursos ilegais.  Como os de um servidor público lotados numa estatal, que tem proventos abaixo do teto constitucional de R$ 33,7 mil, e que repatriou a vultosa quantia de R$ 20 milhões!  Assim como a força-tarefa da Operação Lava Jato, de Curitiba, denunciou o ex-gerente da Petrobrás, Márcio de Almeida, por ter repatriado R$ 48 milhões! Recursos estes certamente provenientes de propina... Na realidade, o que não falta é picareta nesta terra tupiniquim!  

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

INFELIZ VETO

Absolutamente lamentável o veto do governador Alckmin ao projeto de lei que propunha restrição para o uso de animais vivos em pesquisa. Tal projeto pretende proteger as "exceções" previstas na Lei Federal 11.794/2008, que não abrange a totalidade dos animais. Vetar tal projeto demonstra pleno desconhecimento e falta de respeito para com os bichos. Tal atitude se soma a diversos equívocos já cometidos pelo governador, desde que está no poder. Sempre fui seu eleitor, tive o prazer de conhecê-lo pessoalmente e sempre o apoiei em campanhas. Mas o descontentamento - geral, não apenas meu - para consigo já não vem de hoje. Concluo que V. Exa. "já deu tudo o que deveria ter dado" na vida pública. Em 2018, faça-nos um favor; não concorra a nada.

Sérgio Eckermann Passos sepassos@yahoo.com.br

Porto Feliz 

*

TAXISTAS X UBER

Grande parte dos taxistas da cidade do Rio de Janeiro ficou muitos anos sem enfrentar concorrência; estava à vontade, explorando os clientes, tratava-os mal e com descortesia. De repente levou um susto com a concorrência do Uber, que trabalhava de forma completamente oposta ao status quo. Esta parcela  de motoristas de táxi não se conforma com a necessidade de trabalhar com qualidade e obter a preferência da clientela pela competência; usa da truculência própria da patuleia. Contra a incongruência da atitude de afronta à prefeitura e exigência desproporcional de eliminar os aplicativos de locomoção pela cidade, não há solução que não seja pela decisão dos próprios usuários dos taxistas. A prefeitura deve ignorar as manifestações criminosas desta gente que impede o direito de ir e vir de grande parte dos cidadãos e desrespeita o poder público com atitudes selvagens e indignas.

 

Mário Negrão Borgonovi marionegrao.borgonovi@gmail.com

Rio de Janeiro

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.