Fórum dos leitores

.

O Estado de S.Paulo

30 Julho 2017 | 03h00

'É A ECONOMIA, ESTÚPIDO!'

A popularidade do presidente Michel Temer está baixíssima, enquanto a de Lula sobe, mesmo condenado a nove anos por corrupção. E pensar que Lula presidente nada fez senão surfar na herança bendita de FHC. Ainda assim, com toda a sua imensa aprovação popular, desperdiçou a oportunidade de fazer reformas importantes, essas mesmas que Temer está conseguindo fazer passar até agora. Lula até elegeu o poste Dilma duas vezes, o que fez o bolo desandar de vez. Veio Temer, que ao assumir logo declarou que faria o possível para tirar o Brasil da crise, sem se preocupar com popularidade, já que não pretendia continuar presidente ao término do seu mandato, seu grande objetivo era deixar o País com a economia nos trilhos. De fato, está fazendo o que pode para isso. Várias medidas foram tomadas e algumas reformas, aprovadas. A inflação caiu, os juros chegaram a um dígito! Mas ele se torna cada vez mais impopular, ao contrário do Lula presidente, que, quanto mais crimes cometia, como no mensalão, mais popular ficava. Afinal, o Brasil crescia graças aos ventos favoráveis soprados pela prosperidade vinda do exterior e ao ajuste fiscal de FHC. “É a economia, estúpido!”, já dizia um assessor de Bill Clinton. De qualquer forma, assim como Margaret Thatcher, que também chegou a ter apenas 5% de popularidade, Temer com certeza só vai ser reconhecido quando o seu sucessor receber o País com as reformas impopulares aprovadas, as contas em ordem e pronto para crescer de forma sólida e sustentável. A política pode ser a arte do possível, mas uma coisa ela não é com alguns, geralmente os que mais fizeram pelo País: justa!

ELIANA FRANÇA LEME

efleme@gmail.com

São Paulo

*

RECONHECIMENTO PÓSTERO

Essas extemporâneas pesquisas sobre a popularidade de Temer nada significam para um presidente que está empenhado na realização das reformas, na recuperação da economia, do emprego, mantendo os juros e a inflação em índices baixos. Podemos confiar nessas pesquisas, tendo em conta que o presidente Michel Temer em um ano conquistou mais realizações favoráveis aos brasileiros do que os enlameados governos petistas em 13 anos? Creio que as futuras gerações vão ser-lhe gratas.

JOSÉ WILSON DE LIMA COSTA

jwlcosta@bol.com.br

São Paulo

MAL NECESSÁRIO

O presidente Michel Temer conseguiu conter a inflação, vem reduzindo gradativamente a taxa Selic, aprovou teto de gastos, alterou a retrógrada lei trabalhista, reformulou o ensino médio e excluiu a necessidade da participação da Petrobrás na exploração do pré-sal, além de outros avanços. Ruim com ele no governo, segundo os petistas, movimentos sociais, os tais intelectuais e artistas, mas na atual situação seria muito pior sem ele.

J. A. MULLER

josealcidesmuller@hotmail.com

Avaré

*

MATURIDADE

É espantosa e assustadora a incapacidade do eleitor brasileiro em avaliações políticas. FHC não conseguiu fazer as reformas necessárias por culpa do PT de Lula e Lula não as fez para comprar o apoio dos pelegos. Dilma, o poste, nem tinha capacidade para isso. Agora Temer, embora também não seja flor que se cheire, tenta fazer o que é muitíssimo necessário e recebe a menor avaliação do Brasil democrático! Parece que o eleitor brasileiro não está maduro para a democracia, infelizmente.

H. J. KIEP

wharton.in@uol.com.br

São Paulo

*

AH, AS PESQUISAS...

Que o governo Temer não é dos melhores ninguém duvida. Mas ter o mesmo nível de aprovação do desgoverno Dilma? Claramente há algo de errado com as pesquisas. Agora só falta uma pesquisa que dê 95% de intenção de voto ao Lula para presidente em 2018.

SÉRGIO ECKERMANN PASSOS

sepassos@yahoo.com.br

Porto Feliz

*

AMPLO ESPECTRO

Em pleno século 21, com acesso pleno à internet em praticamente todo o Brasil, as pesquisas de opinião pública só terão credibilidade e imparcialidade se forem realizadas online.

VAGNER RICCIARDI

vb.ricciardi@gmail.com

São Vicente 

*

SONEGAÇÃO

A mídia vem sonegando a informação de que a negativa da Câmara dos Deputados de dar permissão para o STF processar o presidente da República não o livra do processo na Justiça. Apenas congela a denúncia, que será apreciada pela Corte Suprema assim que Temer deixar a Presidência, em 1.º de janeiro de 2019. Essa atitude só favorece a oposição ao chefe da Nação. 

EUCLIDES ROSSIGNOLI

euclidesrossignoli@gmail.com

Ourinhos

*

TRÊS VERDADES

A popularidade do presidente Temer está muito baixa, é verdade. Mas o povo não está nas ruas. E não queremos Rodrigo Janot no papel de presidente da República. Mais duas verdades.

LEANDRO FERREIRA

leandroferreoradasolva@gmail.com

Guarulhos

*

O PT E A VENEZUELA

Chavismo prevê até 10 anos de prisão para quem marchar contra a Constituinte[/ITALIC]<CW-25> – manchete internacional do Estadão de 28/7. Certa vez, questionado sobre os rumos do país vizinho, Lula, então na Presidência, garantiu aos brasileiros que a Venezuela era um exemplo de “excesso de democracia”. Tanto que auxiliou de todas as formas, até com recursos do BNDES (dinheiro do povo brasileiro!), o regime do amigo Hugo Chávez, de quem Nicolás Maduro é herdeiro e sucessor. O resultado dos excessos da democracia venezuelana está aí: economia arrasada, povo empobrecido, escassez generalizada, apagões, fome (a população perdendo peso!), violência epidêmica, Estado policial, liberdades civis sob permanente ataque, censura aos meios de comunicação, arbítrio e intimidação, como deixam claro as ameaças do bufão de Caracas. Do PT, partido que só vende a imagem de “democrata” aos néscios, seria de esperar o mais veemente repúdio a tudo isso, ao menos para manter as aparências, já que pretende enfrentar uma difícil campanha eleitoral em 2018, depois de ter sofrido duro revés no pleito municipal de 2016. Mas sua presidente, Gleisi Hoffmann, foi à Nicarágua fazer contundente discurso em defesa da ditadura chavista, legitimando todos os absurdos ali vistos, todas as intimidações do tirano contra os descontentes – a maioria da população. Durma-se com um barulho desses!

SILVIO NATAL 

silvionatal49@gmail.com

São Paulo

*

DESÂNIMO

Não é suportável assistir o despudor das negociatas políticas. O cinismo dos deputados e senadores falando abertamente sobre estes fatos nos deixa desanimados e cada vez mais desacreditados com o sistema de governo do País. Este pode ser um dos motivos que suporta os baixos índices de aceitação do presidente Temer. Sua cultura jurídica, finesse de comportamento e a indicação de nomes competentes para BNDES, Petrobrás e Ministério da Fazenda, em contraste com sua antecessora, deu um alento a uma parte dos cidadãos que não viam em Dilma uma presidente capaz, porém a exacerbação do toma lá, dá cá acabou com a ponta de esperança que restava aos brasileiros informados. Lamento que o status quo continue para a desgraça de meus filhos e das gerações futuras.   

 

Mário Negrão Borgonovi marionegrao.borgonovi@gmail.com

Rio de Janeiro

*

PAGANDO A CONTA

A sociedade civil brasileira é uma mera máquina de fazer dinheiro, via tributos extorsivos, e que é gerenciada pelos grupos políticos que dominam, fraudam e desviam os recursos do País. O brasileiro, o ser humano, é apenas ignorado, vilipendiado e manipulado pelos sofistas mal-intencionados que, insistentemente, persistem em parasitar o corpo doente da Nação. Reformas, só as que interessam à manutenção do status quo e à sobrevivência do mesmo sistema, ineficiente, corrupto e jamais nacionalista ou, nem sequer, decente.

Marcelo Gomes Jorge Feres marcelogferes@ig.com.br

Rio de Janeiro

*

A CORRUPÇÃO NÃO TEM FIM

A Lava Jato está mostrando que a pobreza pode fazer ladrões, mas a riqueza não diminui a ambição.

Vidal dos Santos vidal.santos@yahoo.com.br

Guarujá 

*

HERANÇA DILMA

É muito fácil atirar pedras no governo, quando este libera emendas para atender aos interesses dos parlamentares, sobrecarregando os cidadãos ainda mais. Mas os leitores sabem que a EC (Emenda Constitucional 86/2015) foi aprovada no governo Dilma e tornou obrigatória a liberação das emendas parlamentares? E mais, mesmo que um Estado esteja inadimplente com o governo central, a União não pode bloquear a liberação de emendas dos parlamentares do tal Estado? Portanto, se o governo federal bloquear valores relativos às emendas individuais dos parlamentares estará descumprindo o que manda a Constituição. A EC 86/2015 é mais uma herança maldita ocorrida nos anos do PT no governo e para constar a deputada Alice Portugal do PCdoB-BA foi quem teve maiores valores empenhados para suas emendas.  

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

REFORMAR É PRECISO

Uma coisa é fato, sem reforma política, geratriz de reforma administrativa, capaz de impedir o acesso ao poder de quadrilhas e quadrilheiros, nenhuma outra será efetiva para botar o País nos trilhos, como todos esperam. No Congresso, parlamentares buscam apenas tirar o seu da reta, impedir a prisão de réus candidatos – A famigerada “Emenda Lula”, que violaria o Art. 86, §1º, da Constituição, que determina que réus não podem assumir a Presidência da República – e imposição do “distritão” para permanecerem impunes graças à excrecência do foro privilegiado. Mas como divulgado: querem R$ 5,6 bilhões  para o tal fundo partidário financiar campanhas com promessas mentirosas e ilusórias em 2018, dinheiro este retirado do bolso do contribuinte, agravando ainda mais o orçamento já deficitário do governo federal. Em resumo: nós pagaríamos um absurdo por suas lambanças eleitorais num país que falta tudo: saúde, educação, segurança, moradia, saneamento básico e vergonha na cara dos políticos que dizem nos representar...

Turíbio Liberatto turibioliberatto@hotmail.com

São Caetano do Sul 

*

REDUÇÃO DE BENEFÍCIOS

O País está quebrado e o governo estuda reduzir a concessão de auxílios aos servidores do Executivo. O gasto com os benefícios é maior no Legislativo e no Judiciário, mas o Executivo não tem autonomia para propor mudanças nos outros Poderes. Assim resume este jornal sua matéria da página B1, de 28/7. Que tal se o Executivo, simplesmente, não repassasse ao Legislativo e ao Judiciário os recursos necessários para o pagamento dos referidos "benefícios"? O que fariam Suas Excelências? Eis a questão e, com certeza, a solução. É pagar para ver. Ou melhor, é não pagar para ver.

Mário Rubens Costa costamar31@terra.com.br

Campinas 

*

DINHEIRO ESCASSO

O ministro da Justiça, Torquato Jardim, afirmou que as investigações da Polícia Federal terão de ser seletivas, por causa da falta de verba. Então se faz necessário avisar os corruptos para que desviem menos recursos pelo mesmo motivo.

Luiz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo

*

INFLUÊNCIA DE CUNHA

Nas atuais circunstâncias, quais seriam os deputados que insistem em serem asseclas de um condenado preso?

Sergio S. de Oliveira ssoliveiramsm@gmail.com

Monte Santo de Minas (MG)

*

BRASIL VERSUS JAPÃO

         

No Brasil as nossas lideranças quando condenadas ou sob provas irrefutáveis se dizem inocentes, permanecem na vida pública e desqualificam o denunciante. Veja a diferença. No Japão a suspeição de malfeito causa constrangimento, pedido de demissão, suicídio ou o sujeito cai no ostracismo. Será que um dia no Brasil será assim?

Humberto Schuwartz Soares hs-soares@uol.com.br

Vila Velha (ES) 

*

ESTATAIS, O GRANDE DESPERDÍCIO BRASILEIRO

A prisão do ex-presidente do Banco do Brasil e da Petrobrás pode estar inaugurando a fase dos dirigentes de estatais comprometidas, que poderão passar informações importantes sobre os bastidores políticos. Se isso for real, muita sujeira virá ao nosso conhecimento. O país tem mais de 140 estatais, muitas delas operando no vermelho e transformadas em cabides de empregos para cabos eleitorais, parentes, amantes e outros indicados por políticos e gente importante. Inchadas, em vez de dar lucro ou pelo menos empatar entre receita e despesa, dão prejuízo, que acaba absorvido pelo Tesouro Nacional. O governo não deveria ser empresário. O ideal é sua participação normativa e fiscalizadora, apenas. As estatais só se justificaram na fase inicial do desenvolvimento. Agora cumpririam melhor a finalidade sob administração privada. A grande reforma, que pode colocar o País em outro patamar, é transferir todas as empresas públicas para a iniciativa privada e fiscalizar o bom cumprimento dos serviços. Chega de desperdício!

Dirceu Cardoso Gonçalves cardosodirceu34@gmail.com

São Paulo

                              

*

NA MOSCA!

Recai contra Aldemir Bendine, em tão pouco tempo que foi presidente da Petrobrás, 47 petições e, conforme delatores da Odebrecht, ele já cobrava propina durante sua gestão como presidente no Banco do Brasil, de abril de 2009 até fevereiro de 2015. A partir desta data Dilma Rousseff o transferiu para presidência da Petrobrás, onde permaneceu até maio de 2016. Portanto, como diz o provérbio português, nessa manobra Dilma conseguiu "juntar a fome com a vontade de comer". 

Ângelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

CINCO POR CENTO

Com esse nível de popularidade, o presidente Michel Temer pode até se apresentar como Dilma Rousseff. As pessoas nem vão notar...

Ricardo Siqueira ricardocsiqueira@globo.com 

Niterói (RJ)

*

ROMBO NAS FINANÇAS

Qual rombo nas finanças esse inacreditável aumento de impostos cobrirá? Como explicar que temos sonegadores sempre perdoados, sonegadores políticos agraciados com vantagens, que fazem corar qualquer pessoa!? Não contente o presidente ousa dizer que "o povo compreenderá". Tem alguém ainda que acha que manter isso como está vai ajudar o País?

Maria Tereza Murray terezamurray@hotmail.com

São Paulo

*

GOVERNO PERDE R$ 78 MILHÕES POR DIA 

Se tivéssemos um governo comprometido com a população, teria cortado cargos comissionados, ministérios, o número de congressistas (vejam o que o presidente francês fez), assessores de qualquer espécie, ajudas-qualquer-coisa (principalmente no Judiciário), acabar com os 90 dias de férias do Judiciário e Legislativo, fazer o Congresso realmente trabalhar 5 dias por semana, etc..  Isto sem contar o descaramento de compra de votos de parlamentares, visando unicamente à permanência de certo grupo de corruptos no poder. Aliás, este aumento visa também a cobrir esta “despesa” extra.

José Roberto Niero jrniero@yahoo.com.br

São Paulo

*

COMO ENTENDER?

“O povo vai entender a alta de imposto". Governo não vê necessidade de mais tributos 'no momento'. Como assim?!   Sinto muito excelência, mas não entendemos não! Sabe por quê? Estamos no nosso limite: se queremos saúde, temos de pagar caro por um plano de saúde.  Se quisermos educação, também pagamos caro. Segurança nem se fala e por aí vai.  Os órgãos reguladores que deveriam trabalhar a favor dos consumidores, beneficiam os prestadores de serviços.  Desconfiamos que exista muita propina correndo solta nesses órgãos.  O desemprego se alastra e se a inflação está sob "controle" é porque as pessoas estão consumindo apenas o básico. Quando o senhor assumiu, muitos foram os que depositaram confiança na sua atuação, mas ao longo do tempo V.Exa. se mostrou um tanto fraco, por vezes indeciso: foi só alguns mal acostumados com as mamatas estrebucharem e certo ministério extinto voltou à condição antiga.  Sr. Temer, não nos peça para entender alta de imposto, enquanto não se reduzir a máquina pública, que continua obesa e as excelências de todos os níveis continuam gastando e gozando de mordomias que os simples mortais pagadores de impostos nem imaginam.  Como entender?

Aparecida Dileide Gaziolla aparecidagaziolla@gmail.com

São Caetano do Sul

*

INDIGNAÇÃO

Em dias de aumento de gasolina, indignação e desânimo por termos de cortar cada vez mais os gastos, já que eles não cortam nenhum, o que nos consola é termos um juiz como Sergio Moro.

Carmela Tassi Chaves tassichaves@yahoo.com.br

São Paulo

*

CARÁTER ILIBADO 

Faltaram no Congresso Nacional parlamentares de caráter ilibado para preservar a composição original da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ). Esta jogada de trocar alguns titulares da Comissão, durante o parecer da denúncia contra o presidente Michel Temer por corrupção passiva, deixou clara a existência de um conchavo entre o presidente da República e membros do Congresso Nacional  para dar continuidade à corrupção.   A prova disso fica por conta das declarações dos deputados Major Olímpio, que diz que nem sequer foi avisado, e do delegado Waldir, que denunciando o favorecimento de emendas e compra de votos para salvar Temer, foi ameaçado pelo líder do partido, deputado José Alves Rocha. Senhores parlamentares, Justiça é: "A faculdade de julgar segundo o direito e a melhor consciência; virtude de dar a cada um o que é seu". Não somos idiotas!

Leônidas Marques leo.marquesvr@gmail.com

Volta Redonda (RJ)

*

DESTINO DO BRASIL

Com o destino de Temer nas mãos, o Congresso Nacional é o novo presidente do Brasil, pois não?

J.S. Decol decoljs@gmail.com

São Paulo

*

VONTADE POPULAR E A MATEMÁTICA

Quando há uma correlação positiva entre duas grandezas, quando uma cresce, a outra também. Uma correlação negativa acontece quando as mesmas se movem em direção oposta. Um exemplo de correlação negativa é o apoio a Temer no Congresso e a aprovação popular de seu governo. Há uma regra na política que é matemática: congressistas que se movem abertamente contra a vontade popular costumam perder eleições. Mas parece que, ultimamente, a única área da Matemática que tem feito inegável sucesso em Brasília é a Financeira.  

Jorge Alberto Nurkin jorge.nurkin@gmail.com

São Paulo

*

QUEM PROCURA ACHA

É curioso observar que somente agora sabemos que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva tinha R$ 9 milhões num plano de previdência privada do Banco do Brasil. Da mesma forma, Palocci possui mais de R$ 1 bilhão depositado em um banco. O motivo do atraso da divulgação dessas informações é, no mínimo, curioso. Será que ninguém nunca mandou investigar as contas nos bancos brasileiros e estrangeiros desses importantes personagens da Operação Lava Jato? Desde 2014 a Operação está em curso e somente agora "descobrimos" essas migalhas? Então vamos investigar com mais afinco os nomes dos outros envolvidos nos esquemas de corrupção.

José Carlos Saraiva da Costa jcsdc@uol.com.br

Belo Horizonte

*

LULLA SACOU R$ 53 MI. DO BRASILPREVI!

Se o ex-presidente Lulla, dias antes do embargo de R$ 9 milhões em sua aplicação na BrasilPrevi feita pelo juiz Sergio Moro, sacou R$ 53 milhões, foi porque ainda existe algum “petralhinha ou bagrão” na Lava Jato, que avisa os corruptos de novas ações. Não porque a força tarefa desconheça esses valores, mas, se aos olhos do crédulo petista comum, R$ 9 milhões já assustaram, imaginem R$ 53 milhões? O discurso de homem pobre, perseguido injustamente iria por água abaixo.  

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

PELO CELULAR DA PAPUDA

O candidato à Presidência do PT será escolhido por Lula pelo celular da Papuda.

Eugênio José Alati eugenioalati13@gmail.com 

Campinas

*

LAVAJATO LAVANDO TODA SUJEIRA

Como já era previsto, com a saída do PT do poder e o fim da blindagem exercida pelos governos de Lula da Silva e Dilma Rousseff, que impediram por mais de uma década que quaisquer investigações na Petrobrás prosperassem, finalmente a Lava Jato atingiu o topo da organização criminosa que comandava a estatal. Logo de início, como já era esperado em se tratando de pessoas de confiança de Dilma e Lula, Aldemir Bendine ex-presidente da Petrobrás foi preso por receber propina entre outros delitos, e em breve deve aderir à delação premiada, quando poderá oferecer farto material sobre Guido Mantega, ministro das duas gestões petistas, e esclarecer por que em sua gestão foram destruídos áudios das reuniões sobre a compra de Pasadena, além de um contrato para favorecer um sobrinho de Lula. Nesse ritmo que a Lava Jato vem desempenhando, os dias de liberdade da alma mais honesta do País podem estar contados.

Paulo R Kherlakian paulokherlakian@uol.com.br

São Paulo

*

LULA QUE SE CUIDE

Se a nova etapa da Operação Lava Jato se confirmar como uma fase para pegar cobras, o jararaca que se cuide!

José Roberto Iglesias rzeiglesias@gmail.com

São Paulo

*

UM TERRORISTA ENTRE NÓS

É vergonhoso para nós, brasileiros de bem, sabermos que um terrorista internacional, semeador do ódio, apoiador do caos e da discórdia, teve permissão para pisar em tão nobre solo brasileiro. O aiatolá Mohsen Araki, apoiador dos grupos terroristas islâmicos Hamas e Hezbollah, defensor da destruição do Estado de Israel - a única democracia do Oriente Médio e fonte abundante de progresso e tecnologia para o mundo - está no Brasil. O terrorista já teve entrada negada em diversos países, mas o Sr. Aloysio Nunes, Ministro das Relações Exteriores, não fez nada para deter sua entrada em nossa terra. Cabe lembrar ao aiatolá que o Brasil é notado por sua coexistência. Que judeus de diversas nacionalidades vieram para cá e ajudaram a construir o progresso desta nação na medicina, na tecnologia e no empreendedorismo. E que o Brasil, orgulhosamente, por meio das bravas articulações do Sr. Osvaldo Aranha, foi um dos apoiadores decisivos para a criação do Estado de Israel. Nosso país, construído por gente bem, ocidentalizado, democrático, amigável e de boa fé, repudia todo o fanatismo islâmico que ele prega como combustível para o terrorismo internacional.

Sérgio Eckermann Passos sepassos@yahoo.com.br

Porto Feliz

*

FALTA DE VERBAS PARA O ESTADO

O grupo que governa o Estado mais rico da Federação está no poder há 22 anos. Tempo mais do que suficiente para o planejamento e a implantação de medidas adequadas num setor dos mais importantes, que é a segurança pública. Mas isto não aconteceu. E as notícias recentes informam que faltam verbas suficientes para suprir as necessidades da policia civil, o que pode levar ao fechamento de delegacias em determinados horários. Um absurdo inaceitável. E que exige não explicações, mas medidas imediatas para solucionar o problema. 

Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br

São Paulo

*

SUGESTÕES DE MUDANÇA

Está aí a sugestão para o prefeito e povo dessa cidade (Santa Bárbara, MG) para reduzir despesas "inúteis". Reduzir de 11 para cinco vereadores. Alugar o prédio da Câmara e transferi-la para a cadeia local. Se o prefeito não fizer parte da "gangue", com certeza será "reeleito" em primeiro turno!

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.