Fórum dos leitores

Confira o Fórum dos leitores desta segunda-feira

O Estado de S. Paulo

31 Julho 2017 | 03h00

INSEGURANÇA PÚBLICA

Forças Armadas no Rio

“A função da tropa não é assumir tarefas privativas da polícia” (29/7, A14). Esse é o resumo irretocável do jornalista Roberto Godoy sobre o emprego das Forças Armadas no Rio de Janeiro. Mais. Em junho o comandante do Exército, general Villas Bôas, foi enfático quanto à atuação de soldados nesse tipo de missão, na Comissão de Relações Exteriores e Defesa do Senado, quando asseverou, entre outros argumentos: “É desgastante, perigoso e inócuo”. Nada disso foi levado em conta na inconsequente decisão do governo. Uma lástima! Qual o custo dessa desaconselhada operação? Considerando a falência do Estado, não seria muito mais eficiente empregar, de forma séria, os recursos diretamente na polícia do Rio, para restaurar seus equipamentos, valorizar e aprimorar a formação de seus quadros?

JOSE ANTONIO S. BORDEIRA

sydreira@gmail.com 

Petrópolis (RJ)

Não vai adiantar

Creio que chega de enviar tropas para o Rio. Além de não adiantar nada, como já vimos, a administração local pouco ou nada faz para melhorar a segurança. Quem paga tudo isso? Todos pagamos pela incompetência de poucos, que riem da nossa cara. Chegou a hora de parar com o blá-blá-blá costumeiro e dar um basta nessa vergonha.

WALDIR GANDOLFI

gandolfi.w@uol.com.br

São Paulo

Fora de controle

Finalmente o governo federal compreendeu que a situação no Rio está fora de controle. A convocação das Forças Armadas foi imperativa, o que, aliás, deveria ter sido feito há tempos. Mas não pode ser mera encenação de caráter político. Se a intenção for essa, é melhor manter a tropa nos quartéis, para não ser desmoralizada. Como disse o ministro Jungmann, a situação é de guerra, e na guerra não se faz encenação. O primeiro passo é montar um sistema de inteligência eficiente para que sejam rapidamente levantadas as maneiras de enfrentamento das diversas direções em que se espalhou a criminalidade: entrada de armamento, tráfico, roubo de cargas, violência generalizada. Infelizmente, não se podem obter resultados positivos apenas com diálogo. Paciência. Meus conterrâneos têm o direito de voltar a viver em clima de normalidade.

RICARDO PEREIRA DE MIRANDA

ricarmiran@terra.com.br

Salvador

Questão de inteligência

Mas alguém acredita que esse policiamento estático das Forças Armadas, no Rio, vai resolver? Os cariocas sentem-se seguros? Eu me sinto se ele estiver ao meu lado. Alguém se sente seguro a 200, 300 metros do blindado? O que pode fazer um blindado num roubo ou assalto a 200 metros dele? Alguém acha que os marginais não vão mudar de tática? Na pior das hipóteses, ficam na deles até dezembro, quando as tropas vão embora, e recomeça tudo. Acho que está faltando inteligência para combater o crime organizado. 

PANAYOTIS POULIS

ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

Lesa-pátria

Há uma inegável situação de intervenção branca do governo federal no Estado do Rio de Janeiro, combalido em suas finanças e deteriorado pela insegurança pública. Resta saber se o replanejamento estruturante funcionará a ponto de dar tranquilidade e de remover obstáculos de sérios comprometimentos dos desgovernos que praticaram crimes de lesa-pátria.

YVETTE KFOURI ABRÃO

abraoc@uol.com.br

São Paulo

CORRUPÇÃO

Pelé das palestras

O Estado (29/7, A8) noticiou a declaração de Lula na Rádio Som Maior de Criciúma (como sempre, sem ser contestado) de que nada tem a explicar sobre sua poupança de R$ 9 milhões, alegando que a dinheirama proveio de 76 palestras no exterior, a US$ 200 mil cada, tudo remetido legalmente para o Brasil via Banco Central. Nunca antes no mundo das palestras alguém ganhara tanto em tão pouco tempo, garantindo-lhe lugar no Guinness, o livro dos recordes. Seu filho milionário é, segundo Lula, o Ronaldinho dos negócios e, pelo visto, ele próprio se vê como o Pelé das palestras. Vamos esperar para ver o que vai dizer ao juiz Sergio Moro quando for perguntado sobre onde, quando e contratado por quem fez cada uma das 76 palestras.

HÉLIO DE LIMA CARVALHO

hlc.consult@uol.com.br

São Paulo

Lula: “Prova da minha honestidade é que não depositei na Suíça”. Qualquer idiota hoje sabe que todo dinheiro em paraísos fiscais está monitorado. A moda agora é dar cara legal ao dinheiro ilegal, por consultorias e palestras. O Brasil tornou-se o paraíso dos consultores e palestrantes, a maior concentração desses profissionais no mundo. Principalmente em Brasília. E haja cara de pau! Que o digam Palocci, Dirceu & Cia.

ARMANDO FAVORETTO JUNIOR

armandofavoretto@gmail.com

São José do Rio Pardo

Pingos nos is

A bem da verdade, o dinheiro saiu ilicitamente da Petrobrás e as empreiteiras malandramente pagaram a propina sob a camuflagem de palestras - das quais, aliás, jamais se viu vídeo algum! História pra boi dormir essa sua, hein, sr. Luiz Inácio?!

EDIVELTON TADEU MENDES

ediveltontadeu@gmail.com

São Paulo

LULOPETISMO

Legado

A Universidade Federal de Recôncavo da Bahia(UFRB) quer dar a Lula o título de doutor honoris causa, mesmo depois de condenado por crimes pela Justiça. Essa é uma demonstração da herança deixada por seu governo na área da educação.

LUIZ FRID

luiz.frid@globomail.com

São Paulo

Que querem os brasileiros?

“Sustentar Temer é suicídio político”, afirma o senador Jorge Viana (PT-AC), a respeito da baixa popularidade do presidente da República. Será mesmo? Será que amanhã não teremos um outro olhar sobre a postura e a trajetória política de Michel Temer, ao tentar consertar o rombo deixado pelos governos Lula e Dilma Rousseff, e diante da ira ferrenha dos seus militantes? Senão, como explicar o paradoxo observado neste governo, em que sua popularidade despenca, mas o desemprego começa a diminuir, a Bolsa de Valores sobe e o dólar cai? Tem de haver algum equívoco nessas pesquisas, é o que me parece. Vamos dar um voto de confiança ao presidente Temer e deixá-lo trabalhar. Ou será que o País quer mesmo a jararaca de volta? 

NEIVA PITTA KADOTA

npkadota@terra.com.br

São Paulo

*

AUMENTO DOS COMBUSTÍVEIS

Segundo o site da Agência Nacional do Petróleo (ANP), o Brasil consome 43 bilhões de litros de gasolina e 57 bilhões de litros de diesel por ano. Considerando que o aumento dos impostos acarretou um aumento médio de R$ 0,41/litro de gasolina, isto daria uma arrecadação adicional de R$ 17 bilhões. O mesmo cálculo para o diesel daria outros R$ 17 bilhões. Mas não foi o próprio governo federal que divulgou que o aumento dos impostos daria uma economia de apenas R$ 4,1 bilhões? Se fosse assim tão pouco, compensaria todo este desgaste?

Wilson Roberto Gava wilsonrgava@gmail.com

São Paulo

*

REPATRIAÇÃO DE RECURSOS ILEGAIS

Caso a Receita Federal fizer o que disse, intimando todos os contribuintes suspeitos de repatriar recursos ilegais. Abram alas que teremos entre eles uma infinidade de políticos que já devem ter perdido o sono consultando advogados e altamente preocupados, né não? 

Ângelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

AUMENTO DE IMPOSTOS - ATÉ QUANDO?

O governo nem bem aumentou impostos e já volta a falar do assunto, não descartando outros, estando já em discussão o  IOF sobre câmbio ou operações de crédito e a Cide sobre combustíveis. E se esse acréscimo atual causar uma retração do consumo e consequente diminuição da arrecadação haverá aumento novamente? Ainda por cima parece que tudo isso é paliativo. O governo está cutucando os consumidores com vara curta, parecendo até que está  debochando do povo brasileiro.

Luigi  Vercesi luigiapvercesi@gmail.com

Botucatu

*

TOLICE OU IMBECILIDADE?

Lamentáveis as palavras de Michel Temer afirmando que "alta dos combustíveis é entendida pelas pessoas". Ora, ou a frase é tola ou é imbecil. Será que alguém em sã consciência aceita a "alta dos combustíveis", quando o governo nada faz para diminuir sua própria gastança irresponsável? Com a palavra o autor dessa imbecil tolice!

Júlio Roberto Ayres jrobrisola@uol.com.br

São Paulo 

*

CINISMO AO EXTREMO!

O presidente Michel Temer e seu ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, lançaram uma coleção de comentários, cínicos para não dizer ofensivos. O que a população desempregada pode “compreender” com este aumento de PIS e Confins sobre os combustíveis a não ser que vai aumentar o custo do transporte, ou seja, vai aumentar tudo? É como este aumento, sem prazo de validade, é "para beneficiar bolso do cidadão" e pode se tornar "matéria superada" para a população e os empresários? O fato é que este “governo que não mente” mentiu sim. Apresentou plano fantasioso de controle das financias públicas, sabendo que dificilmente conseguiria mantê-la, a não ser pelo aumento de impostos, uma alternativa sempre defendida pelo Meirelles. De acordo com o ditado popular: “A mentira arruína rapidamente o mentiroso.”; veremos!

Omar El Seoud ElSeoud.USP@gmail.com

São Paulo

*

SUGESTÃO DE CORTES

Será que o governo não poderia pensar em cortar despesas? Acabar com mais de 20 ministérios (ministros e servidores) inúteis? Colocar o teto do INSS como limite (de fato e sem trambiques ) das aposentadorias de todos os servidores? Porque só nós, e os mais de 14 milhões de desempregados (cerca de 50 milhões de pessoas se considerarmos os seus familiares) temos de pagar a conta? Fácil, né? Só botar uma assinatura num pedaço de papel. Basta!

Jair Nisio jair@smartwood.com.br

Curitiba

*

PREVISIBILIDADE

Michel Temer sabia que faria um governo impopular, mas não precisava exagerar!

Luiz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo

*

TEMOS MUITO A TEMER

A crise econômica e a grave situação fiscal estão empurrando o presidente Michel Temer para um caminho sem volta. Ao aumentar impostos sobre combustíveis via Medida Provisória, a rejeição ao seu governo explodiu. Quase a totalidade dos brasileiros rejeitam este governo e a condução da política econômica, austera no sentido de elevar tributação e pouco focada na redução de custos do Estado brasileiro. Agora, diante da impossibilidade de aumentar impostos, o ministro da Fazenda já acena com a possibilidade de rever a meta fiscal deste ano, que, aliás, já prevê um déficit de R$ 139 bilhões. O que impressiona é a falta de precisão do governo em avaliar a questão orçamentária, mesmo tendo autorizado uma série de reajustes salariais e liberado bilhões em forma de agrado aos parlamentares que votarão, em breve em seu destino. As armas são impostos, corte de investimentos e manutenção das benesses concedidas à classe política. Agora os brasileiros que paguem o pato.

Willian Martins martins.willian@globo.com

Guararema-SP

*

O PDV E A CONTRADIÇÃO

Num país que já contabiliza 14 milhões de desempregados, o governo prepara um PDV (Plano de Demissão Voluntária) para servidores federais. Corre o risco de perder os melhores quadros do funcionalismo, já que os mais fracos não terão interesse em sair para disputar o mercado de trabalho adverso. É contraditório fazer demissão voluntária do funcionalismo, quando existem 100 mil cargos de confiança. O mais indicado seria demitir os não concursados e os apadrinhados.  Cargos de confiança deveriam ser apenas alguns ao redor do governante, não milhares, como atualmente.  O PDV é apenas um acessório. O grande desembolso está nos cargos de livre nomeação. Melhor seria acabar com eles. Tanto no Executivo quanto no Legislativo e no Judiciário, pois todos são pagos com o dinheiro dos impostos recolhidos da sociedade, que faz falta para serviços de real importância à população. 

 

Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br

São Paulo      

*

A VITÓRIA DO CRIME

O presidente Temer será inocentado pelos deputados, haverá uma correlação direta entre o recebimento de dinheiro via aprovação de emendas e o voto dos parlamentares. Ninguém em Brasília quer acabar com a corrupção, um presidente da República que comanda o recebimento de malas de propina e que aprova todas as emendas apresentadas e o sonho de todos aqueles que desejam a volta aos bons tempos do “rouba, mas faz”. Michel Temer subornou os deputados que irão julgá-lo em agosto, não há outra palavra para descrever o que o País inteiro viu com a aprovação recorde de emendas parlamentares. O Brasil seria um país sério, se Michel Temer fosse preso pelo crime de corrupção ativa, por subornar parlamentares, e os parlamentares que aceitaram o suborno deveriam ser presos pelo crime de corrupção passiva. Claro que nada disso vai acontecer. Temer será inocentado, terminará o mandato e o ano que vem e o País poderá escolher entre Aécio e Lula para ser o próximo chefe de quadrilha que assumirá a Presidência da República. 

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

*

DINHEIRO PARA O CARNAVAL

Temer disse que vai liberar muito dinheiro para o Carnaval do Rio.   Será que isso é o que o Rio mais necessita neste momento? Carnaval?

Carlos Eduardo Barros Rodrigues ceb.rodrigues@hotmail.com

São Paulo

*

PIADA PRONTA

Se este país não fosse o Brasil, somente numa piada o governo federal destinaria R$ 13 milhões para o carnaval no Rio de Janeiro. Não há patrulhamento das rodovias, porque a Polícia Rodoviária Federal não tem recursos para combustível. A saúde, educação e segurança públicas estão quebradas. Qual é a prioridade? Mais: e se outras cidades no Brasil também quiserem uns milhõezinhos para suas festas? Afinal, o direito não é igual para todos?

Luciano Nogueira Marmontel automatmg@gmail.com

Pouso Alegre (MG)

*

DINHEIRO PARA O CARNAVAL CARIOCA

Não tenho nada contra as escolas de samba, ao contrário, eu faço o possível para enaltecê-las e valorizo muito as manifestações populares. Entretanto não posso concordar com a atitude do presidente Temer de doar R$ 13 milhões para o carnaval carioca e não priorizar a segurança e os hospitais. Continuo achar que a festa deve ser financiada por quem deseja fazê-la, e não deve ser suportada pelo dinheiro público. Nem todos desejam financiar festas por mais mérito que elas tenham. 

 

Mário Negrão Borgonovi marionegrao.borgonovi@gmail.com

Rio de Janeiro 

*

VERDADEIROS PROBLEMAS DO FUNCIONALISMO

Este PDV anunciado pelo governo Temer é como enxugar gelo, não tem serventia alguma e, pior, vai dar dinheiro para quem já estava querendo sair. Os principais problemas do funcionalismo federal são: excesso de funções gratificadas - no Judiciário, por exemplo, há mais funções gratificadas do que servidores! As mais baixas por volta dos R$ 2 mil! Só no MEC há 45 mil funções de confiança! Salário incompatível com a função - tem muito servidor fazendo serviço de atendente administrativo, que na iniciativa privada ganharia cerca de R$ 2 mil, ganhando R$ 10 mil a R$ 15 mil por mês. Os casos mais absurdos estão dentro do próprio Legislativo, onde seus seguranças faturam mais de R$ 20 mil por mês, salário de delegado e auditor federal!  Penduricalhos, extra- teto ¬- tem de aprovar a lei que acaba com as falcatruas do Judiciário, principalmente, e de outros poderes para ganhar acima do teto.  O grande problema é que quem deveria dar o exemplo, presidente e parlamentares, são os mais esbanjadores. 

Matheus Damião mcdsmbr@yahoo.com.br

São Paulo

                                                                  

*

PRESSÃO POPULAR

Hoje o que move as campanhas políticas é o dinheiro. Quem dá o dinheiro hoje quer receber depois à custa do erário. Nenhum partido foge dessa submissão ao dinheiro. É impossível fazer uma campanha eleitoral sem dinheiro. Tem de haver uma mudança legislativa para corrigir esta distorção. Isto só será possível com a pressão do povo.

João Baptista Herkenhoff jbpherkenhoff@gmail.com

Vitória

*

SÃO PAULO - 2 MILHÕES DE DESEMPREGADOS!

São Paulo hoje tem dois milhões de desempregados, que provavelmente são o arrimo de família para no mínimo mais duas pessoas. Trocando em miúdos, como a cidade tem 12 milhões de habitantes, metade dela provavelmente está com dificuldade para pagar as contas e viver com dignidade.  Se São Paulo a locomotiva brasileira está nessa pendura com 12 milhões de desempregados, imagina o resto do país?

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

NA MEMÓRIA DO POVO

A grande vaidade de Sarney, Collor, Lula, Dilma e Temer é manter a biografia intacta. Superando a crença em Papai Noel, talvez acreditem que a foto imaculada com a faixa presidencial, restrita a quatro paredes, resguarde de alguma forma a dignidade perdida. Mas não adianta, a mancha indelével já está do lado de fora, invadiu as ruas, afinal, o instinto faz o povo rasgar biografias para sobreviver.

Ricardo C. Siqueira ricardocsiqueira@globo.com

Niterói

*

LAVA JATO PRECISA CONTINUAR

O procurador da República fez declarações muito sintomáticas. Ele afirma que o PMDB tem como objetivo encerrar a Operação Lava Jato. E cita textualmente que o vice-presidente da Câmara dos Deputados em entrevista recente defendeu um prazo de validade para que isto aconteça. E as suas declarações não tiveram nenhuma contestação de dirigentes do partido do presidente Temer. A que ponto pode chegar o nível de determinados políticos. Mas o procurador afirma que as investigações vão continuar. E efetivamente isto precisa acontecer!

Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br

Santos

*

INGOVERNABILIDADE

Assim como a declaração de Tasso Jereissati de que o Brasil "caminha para ingovernabilidade", a candidatura de Lula para presidente, a delação de Joesley aceita por Janot e as pesquisas, no momento, pela aprovação do governo Temer, prestam desserviços ao Brasil, que está dando continuidade na recuperação da economia, do emprego, mantendo os juros e a inflação a índices baixos. É preferível com Temer até 2018, que conquistou mais realizações favoráveis aos brasileiros em um ano de governo, do que Lula/Dilma em 13 anos de desgovernos e corrupção.

José Wilson de Lima Costa jwlcosta@bol.com.brRua 

São Paulo

*

TORNOZELEIRAS

Absurdo! Então pagamos até pelo serviço de manutenção das tornozeleiras? Que tal destinarmos recursos da Educação e Saúde para um fundo “Bolsa Tornozeleira” para os coitadinhos em prisão domiciliar?

Klaus Reichardt nikolaus.rei@gmail.com

Piracicaba

*

VOLTA ÀS RUAS

Vamos pra rua novamente, pois não é justo os políticos legislarem em causa própria. 

Moisés Goldstein mgoldstein@bol.com.br

São Paulo 

*

CORRUPÇÃO

Se conseguirmos estancar a corrupção em nosso país a maioria dos problemas existentes estariam automaticamente resolvidos.

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

*

AS RUAS INFORMAM

Não existe dentro do Congresso Nacional deputados e senadores indecisos, o que realmente existe dentro daquela Casa é uma grande quantidade de deputados e senadores esperando para serem comprados. O brasileiro chegou à conclusão de que a melhor coisa para o País é o fechamento do Congresso, que só pensa em jantares, almoços e cafés, onde são oferecidas e aceitas as propostas indecentes. Isso é o que ouvimos nas ruas. 

 

Leônidas Marques leo.marquesvr@gmail.com

Volta Redonda - RJ

*

ESPERTALHÃO?

Eu achava que o Lula era muito esperto e, como outros políticos, devia ter escondido muito bem a dinheirama que certamente conseguiu faturar, usando laranjas, contas secretas e outros truques. Mas não, deixou muitos milhões a descoberto, mostrando que é um burguês milionário nem um pouco esperto.

Valdemar W. Setzer www.ime.usp.br/~vwsetzer

São Paulo

*

MUITA GRANA

Considerando as altas quantias já flagradas em nome do apedeuta da senzala, urge vasculhar outras aplicações,  poupanças e esconderijos, tamanha a facilidade que o dito cujo teve em amealhar milhões.... 

Ronaldo Parisi  rparisi@uol.com.br

São Paulo

*

FRITANDO LULA

Suspeitas, indícios, investigações, acusações, julgamentos, condenações, bloqueios judiciários de valores e de bens urbanos e rurais. Uma "fritura" que ainda vai longe, desde que seja mantido o óleo fervendo, em fogo alto.

Sergio S. de Oliveira ssoliveiramsm@gmail.com

Monte Santo de Minas (MG)

*

CORRUPTO NÃO DÁ RECIBO

Sem rancor ou partidarismo, afirmo ter ficado indignado com a condenação de um ex-presidente da República por corrupção e lavagem de dinheiro, o que nos envergonha. Lembro-me da emoção que foi para milhões de brasileiros a eleição e posse de Lula, quinze anos atrás, ali nascia a esperança de um povo, de uma Nação, por ver o primeiro presidente operário do Brasil. Lula, um homem que teve todas as chances e oportunidades de entrar para a história de acabar com a corrupção no País e ajudar os mais necessitados, os mais humildes e miseráveis com a criação de alguns programas sociais, mas o que se viu foi ele se enveredar para o lado oposto com o nascimento de uma organização criminosa com um único pensamento, perpetuar no poder a qualquer custo. Usou a fama de ser “pai dos pobres” para locupletar, comandar o maior esquema nunca antes visto no planeta de corrupção. Seu partido, o PT, perdeu a vergonha, deixando a ética de lado, teve vários de seus integrantes condenados e presos, inclusive alguns antes notórios tesoureiros, deputados e ex-ministros. Quantos sonhos e expectativas se foram. A defesa de Lula adotou a tática suicida de sempre, agora a de confrontar o juiz Sergio Moro, e deu no que deu. Passado esses anos, só me resta recorrer a Cervantes para renomear Lula: “Cavaleiro da triste figura”. Que a Justiça seja feita, que ele pague pelos erros, os crimes, e não só ele, mas todos os corruptos que hoje envergonham o Brasil. Ninguém está acima da lei. 

Turíbio Liberatto turibioliberatto@hotmail.com

São Caetano do Sul

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.