Fórum dos Leitores

.

O Estado de S.Paulo

06 Agosto 2017 | 03h00

CONGRESSO NACIONAL

Os integrantes do Congresso Nacional, em sua maioria esmagadora, não são confiáveis. Agem visando unicamente os seus interesses pessoais, em detrimento do bem do Brasil. A votação de que foi alvo de acusação formal o presidente da República refletiu e comprovou a atitude dos deputados federais, zelosos por sua sobrevivência. Se, por um lado, vimos a conduta pouco louvável de Michel Temer, por outro respiramos aliviados, pois teremos a continuidade da política econômica e a esperança de ver aprovada a reforma da Previdência e outras tão necessárias. Não morremos de amores pelo atual presidente, mas estamos convictos de que sua permanência, na atual conjuntura, será melhor para a Nação. 

José Olinto Olivotto Soares jolintoos@gmail.com

*

POR PARTES 

Nelson Jobim foi quem melhor destrinchou a confusão que se estabeleceu sobre a votação que barrou a denúncia contra o presidente Temer na Câmara dos Deputados: “O juízo, no caso, era de conveniência ou não de afastamento do presidente”.

Sérgio S. de Oliveira ssoliveiramsm@gmail.com

Monte Santo de Minas (MG)

*

REFORMAS

Os oposicionistas agora dizem que as reformas não passam. Eles estão contra o governo ou contra o Brasil? E ainda dizem ser nossos representantes...

Luiz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo

*

Diante do resultado positivo da votação, e apesar do espetáculo grotesco da oposição, se quiser o presidente poderá aprovar todas as reformas, para realmente nós sairmos do fundo do poço.

Antonio Claudio P. da Silva aclaudiops@uol.com.br

São Paulo

*

TÁ EXPLICADO

Ouvindo o discurso de um petista na Câmara, descobri por que a popularidade do presidente Temer está tão baixa. A maioria do povo acha que o governo Temer é a continuidade do da Dilma, já que ele foi eleito na chapa do PT.

Toshio Icizuca toshioicizuca@terra.com.br

Piracicaba

*

PARTIDO RACHADO

Sempre tive o PSDB como partido idôneo, composto de pessoas que têm a mesma formação, as mesmas ideias, o mesmo ideal e seguem a mesma doutrina política. Qual não foi o meu desapontamento ao ver o racha que o PSDB sofreu com a traição pela admissibilidade da denúncia contra o presidente Michel Temer, mesmo o partido tendo quatro ministérios. Felizmente, essa indignidade tucana não surtiu efeito, Temer saiu vitorioso, a denúncia de corrupção passiva foi rejeitada. Cabe salientar a brilhante defesa feita pelo dr. Antonio Cláudio Mariz de Oliveira, que argumentou não existir no processo prova de que o presidente tenha recebido um centavo sequer da astronômica quantia de R$ 500 mil que estavam na fatídica mala, dando a entender que tudo não passava de uma capengueação. Com muita propriedade o Estadão na primeira página de sexta-feira publicou um autêntico prognóstico: Base de Temer no Congresso põe foco na reforma política.

Antonio Brandileone abrandileone@uol.com.br

Assis

*

ANÓDINO

O PSDB é o verdadeiro picolé de chuchu. Quando o País precisa dele, está sempre em cima do muro, dividido, nem direita, nem esquerda. Nada?

Antônio Jácomo Felipucci annafelipucci@hotmail.com

Batatais

*

DÓRIA NÃO FICA NO MURO 

Sincero e objetivo, o prefeito João Doria disse que seguiria a maioria que votou na Câmara pelo arquivamento da denúncia contra o presidente Temer. Doria dá ênfase às reformas, como a da Previdência, para recuperar a economia e criar oportunidades de trabalho para os 13,5 milhões de desempregados. Ele não vive de picuinhas políticas, quer o melhor para o Brasil.

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

E A MARINA, HEIN?

Marina Silva não nega a origem petista. Sua adesão à campanha “fora Temer”, chegando até a gravar um vídeo de apoio, teria coerência se ela se tivesse lançado com o mesmo ímpeto ao “fora Dilma”, que fez de conta que era assunto não tão merecedor da sua atenção.

Ronaldo Gomes Ferraz ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

*

PENSAMENTO LULOPETISTA

Conversando com um militante do PT pude entender o que os petistas pensam. E ficar mais abismado. Eles não eram contra nem a favor do coronel Hugo Chávez, mas tinham admiração por sua luta contra os norte-americanos na questão do petróleo e por não ser entreguista. Acreditam que o projeto de poder de Nicolás Maduro esteja acima dos interesses dos venezuelanos, mas que vale a pena apoiá-lo pelos mesmos motivos que apoiavam o Chávez. Entendem que o governo brasileiro é entreguista no caso da Petrobrás e que o sr. Pedro Parente está lá para isso. Não reconhecem nenhum mal causado pelo lulopetismo ao Brasil, nem mesmo à Petrobrás. Posso garantir que o cara não é lobotomizado.

Sérgio Barbosa sergiobarbosa19@gmail.com

Batatais 

*

RECEITA DE DITADURA

Maduro mantém-se no poder porque tem integral apoio das Forças Armadas e do Judiciário. Ardilosamente, ele cuidou de se proteger dando aos militares e aos juízes todos os benefícios possíveis. Enquanto a maioria da população carece de alimentos básicos e produtos de higiene, nada falta a militares e juízes, que têm tudo da melhor qualidade, alimentos e bebidas importados, uísque escocês, até caviar e trufas italianas. E, obviamente, eles não querem abrir mão dessas mordomias. A solução seria cortar todo e qualquer comércio com a Venezuela, começando com a exportação do petróleo. Certamente, com essas medidas a população sofreria ainda mais, porém seria por curto espaço de tempo. Sem produtos importados a Venezuela não sobrevive. 

José Carlos de Castro Rios jc.rios@globo.com

São Paulo

*

Tio Sam pode acabar com a aventura comuno-chavista do Maduro com uma só “trumpetada”. Basta suspender a importação de petróleo venezuelano. Ao bolivariano nada restará a não ser enfiar a viola no saco.

Flávio Rodrigues de Aguiar flavio.daguiar@gmail.com

Resende (RJ)

*

“Até o deputado Tiririca se diz desiludido e cansado de ver tanto toma lá dá cá. O que têm a dizer os outros 200 milhões de brasileiros?”

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

JANDAIA DO SUL, SOBRE O ‘MODUS OPERANDI’ DO CONGRESSO

*

“A nova ‘constituição’ já está pronta e Maduro vai entregá-la à ‘assembleia constituinte’ para ser rapidamente aprovada. Sem emendas, é claro!”

Luis Vercesi luigiapvercesi@gmail.com

BOTUCATU. SOBRE A DITADURA VENEZUELANA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.