Fórum dos Leitores

.

O Estado de S.Paulo

23 Agosto 2017 | 03h00

ELETROBRÁS

Privatização

A ex-presidente Dilma Rousseff criticou o governo Temer pelo anúncio da privatização da Eletrobrás. Se Dilma não gostou, é sinal de que a venda da empresa vai beneficiar – e muito – os consumidores de energia. Os petistas odeiam a palavra privatizar, porque significa perder suas galinhas dos ovos de ouro. Quando foi ministra de Minas e Energia, Dilma conduziu mudanças nas regras do setor visando a reduzir a conta de luz que resultaram em perdas bilionárias para a Eletrobrás. De 2012 a 2015, no governo Dilma, a empresa teve mais de R$ 30 bilhões de prejuízo – e só voltou a ter lucro em 2016. No fim de junho deste ano, a dívida líquida da empresa era de R$ 23,4 bilhões. Portanto, a conta caríssima que os brasileiros pagam hoje é herança maldita do governo petista, fruto da incompetência da presidente afastada. Privatize já, presidente Temer. O Brasil agradece.

IZABEL AVALLONE

izabelavallone@gmail.com

São Paulo

REFIS

Perdão de dívidas

Parodiando o saudoso Mário Lago, “perdão foi feito pra gente pedir”. E, mesmo depois de constatar que o barco Brasil já está adernando, tendo sacramentado um déficit de R$ 159 bilhões para 2017 e 2018, o governo criou três programas de perdão de tributos conhecidos como Refis, que podem perdoar R$ 78,1 bilhões de dívidas, segundo cálculo da Receita Federal. A potencial renúncia corresponde à redução de juros, multas e encargos das dívidas de empresas, Estados e municípios. E esses números ainda podem crescer no Congresso, onde tudo pode acontecer quando se trata de beneficiar empresários. Como sempre, o projeto é batizado com pompa e circunstância: na pia batismal do Planalto, recebeu o nome de Programa Especial de Regularização Tributária (Pert). Esse projeto chegou ao Congresso escoltado pela Medida Provisória (MP) 783, com duração de 15 anos. A previsão é de que R$ 200 bilhões sejam renegociados. Devedores do Funrural terão renúncia de R$ 7,6 bilhões e Estados e municípios podem ter perdoados R$ 35,4 bilhões em dívidas previdenciárias. Como é possível um governo convencer o povo de que vai equilibrar as contas criando ralos para escoar tributos?

JAIR GOMES COELHO

jairgcoelho@gmail.com

Vassouras (RJ)

Presente para desonestos

O perdão tributário do governo (Refis), que pode chegar a R$ 78 bilhões, será um presente para os desonestos. Eles têm dívidas e não pagam, mas nem por isso perdem suas empresas, seus carrões, suas mansões e mais uma centena de benefícios cujos porquês nós nunca entenderemos. Um cidadão comum, para saldar suas dívidas, certamente teria de ir para a rua da amargura, trabalharia em dois empregos, mas pagaria a conta, mesmo que sua família ficasse desamparada na saúde, na segurança e até sem alimento. O déficit que se alardeia nas contas públicas, de R$ 159 bilhões, não foi esse cidadão comum que criou, mas será ele que pagará a conta de R$ 78 bilhões do Refis. Ainda assim, continuará perdendo sua casa se atrasar o pagamento na Caixa, perderá o plano de saúde se atrasar o pagamento, entre outros problemas, porque ninguém vai perdoar suas dívidas. E se, enfim, o governo acabasse com as mordomias em sua casa, não haveria necessidade de Refis.

WILSON MATIOTTA

loluvies@gmail.com

São Paulo

CORRUPÇÃO NO RJ

Batata quente

Mesmo sendo padrinho de casamento da filha do empresário Jacob Barata Filho – e o noivo, sobrinho de sua esposa, Guiomar Mendes –, o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), não se considerou impedido nem mesmo suspeito por mandar soltar, duas vezes, o amigo Barata, preso por envolvimento em esquema de corrupção no setor de transportes no Rio de Janeiro. Questionado pela imprensa, ficou corado e, transpirando muito, disse que essas questões não são proibidas pelo Código de Ética do tribunal. Agora, a batata quente – e não a “barata quente” – caiu no colo da presidente do STF, Cármen Lúcia, que terá de resolver a questão. Que vergonha, ministro, poderia ter evitado essa!

JÚLIO ROBERTO AYRES BRISOLA

jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

Escárnio

Com o habeas corpus concedido pelo ministro Gilmar Mendes ao empresário Jacob Barata Filho, atingimos o ápice do que a ministra Cármen Lúcia uma vez chamou de escárnio. Só que, agora, é dentro da mais alta Corte do País. Ministra, isso vai ficar por isso mesmo? O povo não suporta mais.

ROBERTO HUGO JANK JR.

robertojr@agrindus.com.br

São Carlos

No Rio, não

Nós, cariocas, consideramos o ministro Gilmar Mendes e sua família, ao que parece aliados desta quadrilha que deteriorou o transporte público em nossa cidade, personae non gratae. Que este deus da Justiça, que está permanentemente de costas para a sociedade, eivado de arrogância e estupidez, encontre a paz. Oremos.

OSVALDO CARNEIRO FILHO

osvaldo.carneiro@yahoo.com.br

Rio de Janeiro

Ponto final

No despacho em que libertou quatro presos na Operação Ponto Final, Gilmar Mendes alega que um juiz “não se pode curvar e ceder a grupos de trêfegos e barulhentos procuradores” nem “ao clamor popular”. Só faltou citar o Marquês de Maricá, para quem “a impunidade tolerada pressupõe cumplicidade”.

ELY WEINSTEIN

elyw@terra.com.br

São Paulo

Prende e solta

Prende Barata. Solta Barata. Prende de novo Barata. Solta de novo Barata. Pelo jeito, o reino tupiniquim precisa mesmo é de uma boa dedetização.

ARLETE PACHECO

arlpach@uol.com.br

Itanhaém

Não há mais necessidade de os governos estaduais e federal se preocuparem com a superlotação dos presídios. O ministro Gilmar Mendes, do STF, está resolvendo o problema.

MAURO DE C. ADORNO FILHO

maurinhoadorno@gmail.com

Mogi-Mirim

Infestação

Bastante significativos os sobrenomes de dois meliantes da máfia dos transportes do Rio de Janeiro soltos por habeas corpus emitidos por Gilmar Mendes: Traça (Marcelo Traça Gonçalves) e Barata. Não há dedetização que resolva!

CARLOS ALBERTO ROXO

roxo.sete@gmail.com

São Paulo

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadão.com.br


SE DILLMA É CONTRA, DEVE SER BOM 


Se a ex-presidente Dillma disse que privatizar a Eletrobrás é ruim há o perigo de apagão elétrico no País, então o governo Temer pode ir em frente porque é bom. Se tivessem ouvido o PT nos anos 1990, quando a Telefônica foi privatizada, até hoje estaríamos pagando aqueles intermináveis carnês durante cinco anos, os quais, mesmo depois de pagos, nunca eram entregues, o que à época provocava um câmbio negro na linha telefônica que chegava a valer o preço de um automóvel. Quem sabe com a privatização da Eletrobrás e a livre concorrência entre as agências, o valor da conta de luz não diminui? Porque hoje pagamos pela energia mais cara do mundo, que já provocou uma debandada de empresas pelo alto custo e entre os maiores inadimplentes está a população mais carente. Se Dillma é contra, privatização da Eletrobrás já!  


Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo


*

A INSISTENTE


Dilma, a economista, continua igual. Desta vez recriminando a sugerida venda da Eletrobrás ­ - aquela que ela quebrou baixando o preço da energia alegando de apagões. Incrível, também é ter de suportar suas declarações depois de ter arruinado o País com sua "nova matriz econômica", que acabou por mandá-la para casa. Tempo não lhe faltará, embora indique carecer de vontade, de deixar de dizer publicamente o que não sabe nem deve.


Mario Cobucci Junior maritocobucci@gmail.com

São Paulo


*

PRIVATIZAÇÃO DA ELETROBRÁS


A informação da proposição de privatização da Eletrobrás, certamente trará imensas discussões sobre o acerto ou não de tal medida. Esperemos que nossas legítimas lideranças governamentais e da iniciativa privada cheguem a um consenso para que a decisão sobre a questão beneficie o País.


José de Anchieta Nobre de Almeida josedalmeida@globo.com

Rio de Janeiro


*

E AGORA A ELETROBRÁS


E se chega por fim à Eletrobrás, com dívidas "oficiais" de quase R$ 40 bilhões, sem divulgarem se foi alvo de corrupção. As empreiteiras ali são as mesmas da Petrobrás, os políticos são exatamente os mesmos... É só esperar Moro meter as mãos ali.


Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo


*

SIGILO SUSPEITO


Por que será que este governo, quando assumiu o poder, não abriu as "caixas pretas" da Caixa Econômica, Banco do Brasil, Petrobrás, BNDES, etc.? Talvez Michel Temer possa explicar. Ou não?


Luiz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo

*

MEDIDA ESTRANHA


Que o Joesley Batista tenha inventado muita coisa na sua “super premiada” delação ou colaboração, como preferirem, é parte de estratégia muito bem feita (sic) e estudada para se livrar do enrosco. Menção honrosa a “muito mal explicada” conta de US$ 150/160 milhões nos EUA, que seriam de Dilma e Lula, não exatamente nesta ordem, nem sobre o valor que caberia a cada um. Espanta e causa espécie a Procuradoria-Geral da República (PGR) ter aceito tal disparate, entre outros. Ingenuidade? Oportunidade? Inexplicável!


Ulysses Fernandes Nunes Jr Ulyssesfn@terra.com.br

São Paulo

*

FARRA COM O DINHEIRO ALHEIO


Além da imoralidade explícita da "farra do boi" com nosso dinheiro, nos defrontamos também com a palhaçada do nosso Judiciário. Esse prende e solta bandidos, demonstra, claramente, que o povo está cercado por bandidos. O pior de tudo isso é que alguns, sem a menor discrição, vestem togas. Tem uma hora que o paciente está tão mal que precisa ir para a UTI, assim está nosso Brasil, precisa urgentemente de uma UTI. Uma medida rigorosa para acabar, de vez, com essa quadrilha generalizada que assola o País.


Leonidas Ronconi ronconileonidas@gmail.com

São Paulo

*

FALTA DINHEIRO PARA QUASE TUDO


Em um país em que pacientes com câncer sofrem interrupções em seus tratamentos por falta de remédios na rede pública e funcionários públicos chegam a receber mais de   R$ 500 mil por mês de vencimentos, ou as leis são cegas ou o povo é que o é.


Marcelo Gomes Jorge Feres marcelogferes@ig.com.br

Rio de Janeiro


*

ÉTICA DO JUDICIÁRIO E CAIXA 2


Juízes que recebem indenizações falaciosas também praticam Caixa 2.


Acácio Andrade acacioandradejr@gmail.com

São Paulo


*

JUÍZES DESONESTOS


0,1% de juízes desonestos dão uma imerecida fama aos outros 99,9% de juízes que são justos, honestos e trabalhadores. 


Paulo Sérgio Pecchio Gonçalves ppecchio@terra.com.br

São Paulo

  

*

ALTERAÇÃO DO CÓDIGO PENAL


O juiz Sergio Moro disse que o Código Penal pode ser alterado. Na minha opinião, mesmo sendo semianalfabeto, acredito que, se o Código Penal já existente fosse cumprido, não haveria necessidade de fazer mudança alguma na Lei. Até porque mudar o Código Penal com telefone celular no poder dos detentos não tem Código Penal que resolva.


Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)


*

MELANCIA


Ultimamente tem ministro aparecendo mais do que artistas.


Moisés Goldstein mgoldstein@bol.com.br

São Paulo


*

GILMAR QUER GASTAR MAIS!

       

Gilmar Mendes disse que os R$ 3,6 bilhões para as eleições de 2018 é pouco: "Na eleição passada gastaram R$ 5 bilhões!” Que saudades das “doações” da Odebrecht e dos irmãozinhos Batista!


Paulo Sérgio Arisi paulo.arisi@gmail.com

São Paulo


*

CIRCO TUPINIQUIM


Que o senhor ministro Gilmar Mendes tem se manifestado muito além daquilo que se espera de um julgador não restam dúvidas.   Entretanto, o senhor procurador-geral da República pedir sua suspeição é no mínimo incoerente, notadamente após a celebração de um acordo para lá de suspeito feito entre ele e certos açougueiros.   Realmente é hilariante o nosso circo tupiniquim!


Arlete Pacheco arlpach@uol.com.br

Itanhaém


*

HABEAS CORPUS SUSPEITO


Dez reflexões sobre o  habeas corpus concedido por Gilmar Mendes a Barata Filho. Gilmar Mendes não é doce, mas atrai Barata para o Supremo Tribunal Federal (STF) e essa ação pode sair cara. Há certeza e não suspeição de Gilmar Mendes na soltura de Barata Filho.  Se cachorro fosse, Barata abanaria o rabo para Gilmar Mendes. Arguição de suspeição deixará Gilmar com o rabo entre as pernas. Gilmar Mendes provou que não é careiro: é barateiro. Por que Gilmar Mendes não quer a prisão de Barata? Porque não e ponto final. Do povo brasileiro para Gilmar Mendes: você abusou, abusou de mim, abusou... Janot pedindo suspeição de Gilmar? Se você fosse sincero, ô,ô,ô,ô... Finalmente poderemos ver se Carmen Lúcia vai ou não vai fugir à luta.


ROBERTO TWIASCHOR rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo


*

O ROTO E O RASGADO


Janot vê múltiplas causas para o afastamento de Gilmar Mendes no caso do "Rei do Ônibus". De fato, Janot tem razão. Mas onde foi que ele colocou sua própria isenção no caso do "Rei do Açougue"? Seria recomendável Janot olhar para si próprio, antes de apontar alguém com tal espírito crítico, pois para isso é preciso ter moral ilibada e credibilidade inquestionável. Irritante não é a crítica em si, mas é ver o roto falando do rasgado! Uma piada!


Eliana França Leme efleme@gmail.com

Campinas


*

PLÁGIO


Diante das últimas atitudes de Gilmar Mendes relacionadas à concessão de sucessivos habeas corpus a investigado com o qual é, de alguma forma, vinculado, emergem questionamentos sobre sua qualificação ética para atuar como membro do STF, entidade máxima da justiça brasileira. Não se deve esquecer, no entanto, que só quem pode deliberar a este respeito e sobre o seu possível afastamento é o Plenário da Suprema Corte, ou seja, seus próprios pares. Em face da desconfiança por parte da população nas autoridades máximas dos Três Poderes, é válido indagar: quem, com razoável capacidade de raciocínio e mínimo senso de observação, pode supor que um dia os ministros vão se reunir para tal objetivo?


Paulo Roberto Gotaç pgotac@gmail.com

Rio de Janeiro


*

SEM NOÇÃO


Os marqueteiros do PT João Santana e Monica Moura, que estão presos, pediram ao juiz Sergio Moro que liberasse singelos R$ 10 milhões, pois passam por dificuldades financeiras. Como todos os corruptos, eles também perderam a noção dos milhões reais surrupiados do País. Se fossem mais humildes, eles se contentariam com uns "parcos" R$ 100 mil e olhe lá. Ainda bem que Moro voltou atrás e decidiu bloquear a liberação. Corruptos sem noção!


Júlio Brisola  jrobrisola@uol.com.br

São Paulo


*

A DILMA É PIOR DO QUE O PT


A Dilma foi tão ruim, mas tão ruim que chega a ser pior do que o próprio PT.


Eugênio José Alati eugenioalati13@gmail.com

Campinas


*

CAMPANHA DE LULA


Sugestão de bordão para Lula na campanha de 2018, caso ele seja elegível... Minha terra tem palmeiras, onde canta o sabiá. Alma mais honesta que esta que vos fala, no Brasil não há.


Ely Weinstein elyw@terra.com.br

São Paulo


*

O XORORÔ DE GLEISI


É simplesmente nojento ver a senadora Gleisi Hoffmann tecer loas a Lula. Todos sabemos o quanto ela precisa da continuidade dos roubos. Essa senhora fala em golpe, mas quem é golpista é ela. Não vamos nos deixar levar por essa conversa mentirosa e demagógica de uma senadora que não tem moral para exigir nada de nenhum governo. Senadora, sua próxima eleição a deixará sem mandato. O povo acordou e saberá separar o joio do trigo. Aguarde, seu tempo está terminando. O Paraná saberá expulsá-la da política. Sua saída será pela porta dos fundos, caso não seja presa.


Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

POLÍTICO BRASILEIRO TEM TALENTO


Lula dançando, Dilma de improviso em língua estrangeira e Aécio no papel de indignado - quem fica com o prêmio do "Político Brasileiro Tem Talento"?


Jorge Alberto Nurkin jorge.nurkin@gmail.com

São Paulo

*

O PSDB ERROU


Muito bom o artigo da Eliane Cantanhêde, e concordo plenamente que o PSDB errou! A começar pela falta crônica de união entre seus integrantes e possíveis candidatos aos governos, que sempre enfraqueceu o partido, e por esta falta de coesão e comprometimento de alguns dos seus com a ética, princípio fundamental ao gestor público, é que o partido vem se esfacelando, infelizmente! Ultimamente, por exemplo, o próprio FHC, que tanto admirei pelo grande Estadista que foi e de quem nos orgulhamos, recentemente, mais parece "remar contra" o País, sugerindo antecipar as eleições nas "Diretas Já", alterando a Constituição, e colocando o País novamente no espectro do terror do "volta Lula". Aliás, a miséria deixada pelo PT no País também é de responsabilidade de quem facilitou a sua ascensão ao poder!

Nós brasileiros estamos nos tornando apartidários, escolhendo candidatos com princípios e propostas de governo, baseados na ética e gestão pública eficiente. João Dória tem grande chance, pois já vem demonstrando ter compromisso com esses quesitos.


Silvia Rebouças Pereira de Almeida silvia_almeida7@hotmail.com

São Paulo


*

EDUCAÇÃO E VIOLÊNCIA ESCOLAR


Um "aluno estudante" barbarizou uma professora. É inimputável por ser menor de idade. Esse Estatuto da Criança e do Adolescente, o tal "ECA" é mesmo de dar nojo!


A Fernandes standyball@hotmail.com

São Paulo


*

TRISTE REALIDADE


Muito bom seu depoimento, muito triste a realidade. Lembro-me de meus professores com tanta saudades, que não teria coragem de nem sequer falar mal deles, que eram como mães,  irmãs,  irmãos,  pais,  só mesmo a linha dura infelizmente recupera o Brasil. Desrespeito absoluto por todos,  sem aceitar contraditório,  uma sociedade mimada e má. Professora, eu vou orar muito por sua total recuperação e juntos vamos orar pelo Brasil, como diria minha avó: "mais amor e menos confiança". Por aí!


Roberto Moreira da Silva  rrobertoms@uol.com.br

São Paulo

*

MARCA DA FOME


Àqueles que governam a cidade (secretários, prefeitos regionais e assessores, principalmente os comissionados), eu diria que a missão do prefeito João Doria deveria ser a de olhar questões gravíssimas como esta. Lembro que o secretário de Educação (Alexandre Schneider) é o mesmo que não resolveu os problemas escolares do município num passado recente. É de dar risada, risada de raiva e indignação! Ouvir gente dizer que uma "missão" maior chama Doria: a de comandar o País. Dói o coração ver que a cidade mais rica do Brasil está sendo marcada pela fome (marcação à caneta feita nas mãos de crianças para não repetirem a merenda). Não bastasse a carestia devastadora que castiga a  periferia de São Paulo, a falta de leite e outros males, como o desemprego, o analfabetismo, a violência - Doria reduz a merenda escolar. Talvez para Doria, um homem rico, isso não signifique nada. Como o senhor, prefeito, se sentiria ao ver seus filhos marcados pela fome?


Devanir Amâncio devaniramancio@hotmail.com

São Paulo


*

ERRADICAR A RIQUEZA INDIVIDUAL


Só muito efemeramente adiantaria advertir aos ricos: "gastem com sustentabilidade", almejando assim alguma imposição moralizante. Em virtude da realidade, a única forma de garantir que não haja desperdício é impossibilitando o excedente! Ora, somente não havendo moedas de ouro é que, com moedas de ouro, a futilidade deixa de ser consumida. A assertiva "Erradicar a pobreza", então, deve constar, numa nova Constituição de fato democrática, ao lado do dever republicano de erradicação também da individual riqueza privada. – Não são os ricos que não são confiáveis, é o ser humano.


Wellington Anselmo am.wellington@hotmail.com

Bauru

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.