Fórum dos Leitores

.

O Estado de S.Paulo

30 Agosto 2017 | 03h00

PRIVATIZAÇÕES

Insatisfeitos

A venda de estatais anunciada pelo governo Temer tem deixado insatisfeitos partidos da base que mantêm apadrinhados nessas empresas. Ou nossos políticos são os mais destemidos ou têm certeza da impunidade! A Lava Jato comendo solta, juízes decretando a prisão de políticos País afora, e os caras de pau ainda brigam por uma boquinha!

ELIE BARRAK

egbarrak@gmail.com

São Paulo

PDV furado

O Estadão noticiou (27/8, A4) o fiasco do Programa de Demissão Voluntária (PDV) da Casa da Moeda, estatal que faz parte do pacote a ser privatizado pelo governo: esperava-se que 470 funcionários aderissem ao programa, mas só 217 o fizeram. Daí eu pergunto: quanta gente cabe nesta “casinha”, meu Deus?

ROBERTO MACIEL

rvms@oi.com.br

Salvador

INFRAESTRUTURA

Crédito do BB

Boa a explicação do presidente do Banco do Brasil, Paulo Caffarelli, sobre os R$ 50 bilhões que o banco avalia liberar para investimentos em infraestrutura. Realmente, R$ 50 bilhões para este setor vão ajudar a alavancar a economia, especialmente no emprego de mão de obra e na aquisição de materiais. Aliás, se o banco tem por volta de R$ 100 bilhões para investir em infraestrutura, nada mais justo e correto que despender metade disso na atual conjuntura econômica, o que direcionará o BNDES para o setor privado, especialmente para empresas médias e pequenas, sequiosas de se expandir. Essa distribuição de tarefas é de suma importância para o País.

JOSÉ C. DE CARVALHO CARNEIRO

carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

JUDICIÁRIO

Salários divulgados

Enquanto milhões de brasileiros então desempregados e outros tantos vivem com um salário abaixo de R$ 1 mil, viúvas de magistrados recebem valores superiores a R$ 40 mil mensais; e um técnico judiciário, por exemplo, tem remuneração da ordem de R$ 43 mil, valores que extrapolam o teto de R$ 33,7 mil, que é o salário de ministro do Supremo Tribunal Federal (STF). Quem poderá dar um choque neste festival de supersalários?

ALOISIO PEDRO NOVELLI

celnovelli@terra.com.br

Marília

Os salários pagos no STF, divulgados por ordem da ministra presidente Cármen Lúcia, atendem ao princípio legal básico do teto. Risível, sob todos os aspectos, crer que seus membros recebam líquido o que foi exposto. E quanto aos penduricalhos que fazem deste poder o mais bem aquinhoado da União e que, somados, ultrapassam em muito o declarado? É a inversão da afirmação de que o acessório acompanha o principal.

MAURO EVALDY DE SOUZA

mauroevaldy@yahoo.com.br

Campinas

OPERAÇÃO LAVA JATO

Custo-benefício

Embora se expresse de forma fria e até um pouco antipática, tem razão a articulista Érica Gorga (Lava Jato: custo-benefício, quem paga e quem ganha, 29/8, A2): a Lava Jato deve fazer pressão para que os retornos pecuniários dos delitos sejam mais vultosos e mais rápidos. Isso, claro, se as instâncias judiciárias superiores o permitirem.

INÊS LEVIS

ineslevis@hotmail.com

Jundiaí

Não tem preço

Como contribuinte, eleitor e leitor, no que concerne aos custos e benefícios da Lava Jato, assumo a atitude do comercial daquele cartão de crédito: “Salários de policiais e procuradores: R$ 200 milhões; indenização a investidores estrangeiros: US$ 445 milhões; ver aquele político ladrão e enganador atrás das grades: não tem preço!”.

CELSO F. ÁLVARES LEITE

celso@celsoleite.com.br

Limeira

SEGURANÇA PÚBLICA

‘A marca da infâmia’

Com respeito ao excelente editorial A marca da infâmia (29/8, A3), não consigo entender por que em todos os comentários que atualmente são feitos sobre a violência no Rio de Janeiro não se diz claramente quem é o maior responsável por essa calamidade: o sr. Leonel Brizola. Em seus dois mandatos como governador do Rio ele proibiu a Polícia de subir nos morros, criando em quase todos eles verdadeiras “zonas liberadas” para bandidos. O próprio editorial cita que “no final da década de 1990, a violência urbana no Rio de Janeiro parecia ter chegado ao capítulo mais sombrio (...)”. O último mandato do senhor Brizola terminou em 1994. Coincidência? Não! Somem-se a isso nossa legislação penal, que permite a impunidade, e a covardia dos governos posteriores no Rio e na União, com “operações” feitas em total desacordo com a Constituição e que se mostraram uma falácia, como aquela em que militares e policiais subiam o morro de um lado, mas deixavam o outro lado livre para que os meliantes fugissem. Um vexame, visto pelo mundo inteiro.

WALTER DE CAMPOS

walter_de_campos@hotmail.com

São Paulo

MINERAÇÃO

Sem protesto

Quanto ao decreto presidencial que pretende pôr fim a uma reserva na Amazônia de superfície maior que a da Dinamarca, sem que os objetivos fiquem claros, se fosse um aumento de R$ 0,20 na tarifa do ônibus, as ruas do País já teriam ficado repletas de manifestantes...

CARLOS GONÇALVES DE FARIA

sherifffaria@hotmail.com

São Paulo

Renca

O problema da extinção da Reserva Nacional de Cobre e Seus Associados (Renca), uma área da Amazônia rica em minerais, de 47 mil quilômetros quadrados entre os Estados do Pará e do Amapá, pode ser resolvido por meio de um ajuste entre as legislações que se referem ao subsolo e as que tratam da superfície. É comum ocorrerem jazidas num subsolo cuja superfície correspondente esteja protegida por leis ambientais como, por exemplo, o Código Florestal. O governo poderia criar uma unidade de conservação (UC) que açambarcasse o território cujo subsolo estivesse sob a égide do Código de Mineração e cuja concepção libera a lavra em zonas determinadas nos moldes das florestas nacionais norte-americanas nos Estados de Utah e Idaho. Um plano de manejo deste tipo de UC, aprovado pelo Ibama, determinaria as zonas permitidas para mineração e, ao mesmo tempo, preservaria o meio ambiente, a fauna e a flora da superfície.

MÁRIO NEGRÃO BORGONOVI

marionegrao.borgonovi@gmail.com

Rio de Janeiro

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br


QUAL SERÁ O FUTURO DESTE PAÍS?


Desde que me foi dado compreender as coisas, fui levado a crer que os brasileiros eram um povo alegre, amistoso, receptivo e também que os homens elevados à sua alta Corte representavam uma reserva moral do País. Será? Os últimos acontecimentos não nos mostram o contrário? Será que o que nos resta é sermos um País de segunda classe?


Sérgio Cunha scunha1001@yahoo.com.br

São Paulo


*

TETO SALARIAL


Fico imaginando quais seriam os valores, se extrapolassem o teto. Ou o Tribunal de Justiça de Minas (TJ-MG) não sabe qual é o teto salarial Constitucional?  O TJ mineiro diz que os vencimentos de juízes não extrapolam teto e vê a questão com “tranquilidade funcional”. Eis mais uma razão para Minas estar em posição pré-falimentar.


José Roberto Niero jrniero@yahoo.com.br

São Caetano do Sul


*

A VERDADE QUE NOS FALTA


Temer poderia simplificar e dizer: "Nós estamos cortando investimento de universidades públicas, pois queremos um modelo exclusivamente privado de educação superior no futuro”. Dilma também podia ter facilitado muito na campanha de 2014 dizendo: "nós do PT não acreditamos em uma política econômica puramente socialista, por isso nós vamos adotar certas medidas neoliberais na gestão econômica". Porém, infelizmente Temer prefere se omitir. E Dilma mentiu mesmo durante a última campanha. Entretanto, já de outro lado, há os francos candidatos atuais, como Bolsonaro e Ciro Gomes, que têm uma vantagem a seu favor: são explícitos em suas opiniões. Bolsonaro, viúva da ditadura que é, diz claramente que é um fascista. Ciro, por sua vez, não esconde a sua tendência ao centro. Enfim, talvez a próxima eleição presidencial tenha ao menos essa virtude: os candidatos mentindo menos aos eleitores brasileiros. E isto já será um democrático avanço.


Wellington Anselmo Martins am.wellington@hotmail.com

Bauru


*

POLITICAGEM NO BRASIL


Nossa máquina pública está viciada. Começa pelo jeitinho brasileiro e por aí vai. Com as medidas idealizadas pelos integrantes do Congresso, a título de necessárias reformas, toda a população se revolta, mas não pode fazer nada. Na próxima eleição serão os mesmos corruptos, com poucas exceções. Só pensam nos seus próprios interesses, muitos deles escusos. Os políticos atuais desejam se perpetuar no poder e, o pior, em alguns casos, até com a aquiescência da Suprema Corte. Não percebem que estão totalmente dissociados de seus únicos representantes, o povo. Todos assistimos a isso algemados. Será que nós é que somos os bandidos? Será que dá para não se revoltar? E agora, quem vai nos defender?


João Coelho Vítola jvitola@globo.com

Brasília


*

REFORMAS


“Por que aprovar a TLP? Eliminar privilégios?” (B2, 29/9), um corifeu desse jornal afirmou: Concordo! Devem-se eliminar privilégios das leis trabalhistas. Como empresário, creio que só quem deve ter privilégios neste país somos nós, os empresários da Fiesp, da Bovespa, e nossos corifeus e engraxates de todos os níveis, que agora exercemos o nosso direito natural de "reformar" as próprias leis do trabalho, segundo a filosofia democrática de nosso interesse patronal. Sim, abaixo os privilégios dos assalariados!


Nélio Índio do Brasil Simões nelioindiodobrasil@gmail.com

Campinas


*

TLP X TJLP


Li o artigo de José Márcio Camargo a respeito das taxas de juros do BNDES, a atual TJLP e a futura TLP. A diferença é que a segunda é mais alta que a primeira, basicamente isso. Diz o articulista, também basicamente, que é para eliminar privilégio. Ora, o objetivo era fomentar investimentos, daí a ideia de privilegiar o investidor. Um poderoso empurrão. Se na prática ocorreram distorções políticas, que centraram os recursos em grupos dos amigos aproveitadores do rei, e o governo elevou os montantes sem medir as consequências para atendê-los, isso são outros quinhentos.


Ademir Valezi adevale@gmail.com

São Paulo


*

AUSÊNCIAS ABONADAS


Discordo do “Estadão”, pois não é a Câmara que paga R$ 424 mil para abonar as ausências dos políticos corruptos, mas sim o povo brasileiro, que trabalha quase seis meses do ano só para pagar impostos e garantir os salários e mordomias desses pseudopolíticos. Não é a toa que os políticos estão tão desmoralizados perante a opinião pública.


Maria Carmen Del Bel Tunes carmen_tunes@yahoo.com.br

Americana


*

FUFUQUINHA


Durante os oito dias em que Michel Temer estará em viagem à China, a Presidência da nobre e egrégia Câmara dos Deputados, onde se decidem boa parte dos destinos da Nação, será ocupada por sua Excelência o deputado André Fufuca (PP-MA), vulgo “Fufuquinha”. O Brasil é ou não é o país da piada pronta?!


J.S. Decol decoljs@gmail.com

São Paulo


*

TEMER


Engana-se quem acredita que Temer está preocupado com sua popularidade. Ele sabe que ela é tão baixa que está além de qualquer ponto de salvação. Mas Temer não é bobo e é lido. Ele sabe que popularidade é uma medalha de curto prazo e legado é para sempre (vide Lula). Um programa bem-sucedido de desestatização o colocará em um lugar especial na história brasileira. Essa é sua motivação! Ou assim esperamos.


Oscar Thompson oscarthompson@hotmail.com

Santana de Parnaíba


*

CHAMEM O JOÃO SANTANA


De Michel Temer para o João Santana: João, venha me socorrer. Estou disposto a liberar os R$ 10 milhões que você está precisando "para os alfinetes" da sua querida Monica. Temos de reverter urgentemente essa impressão popular de que eu sou o responsável por essa merda toda. Venha logo!


Sergio S. de Oliveira ssoliveiramsm@gmail.com

Monte Santo de Minas (MG)


*

PRIVILÉGIOS SELETIVOS


Renan Calheiros é o exemplo mais evidente e transparente do que significa "foro privilegiado"! Não dá mais para suportar!


Luiz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo


*

LAVA JATO


A propósito do artigo “Lava Jato: custo benefício, quem paga quem ganha” (29/8, A2), acredito que há valores que não se medem com dinheiro. E são esses valores que estão sendo resgatados.


Diva Pedrosa divapedrosa1932@gmail.com

São Paulo


*

CUSTOS E BENEFÍCIOS


Diante de seu artigo, a doutora Érica Gorga deveria revelar  onde foram parar os conceitos de decência, cidadania, ética e moral que a desorientam. Justiça não é contabilidade de custos. É bem mais que isso. Salvo melhor juízo.


Ademir Valezi adevale@gmail.com

São Paulo


*

CUSTO X BENEFÍCIO DA LAVA JATO


Ao ler seu artigo de ontem, parei para me perguntar se o alto custo financeiro das investigações e das prisões realizadas até agora por maiores que sejam em relação ao que foi recuperado é infinitamente menor dada a importância da sensação de impunidade anterior à Lava Jato e à possibilidade de termos um país melhor, considerando ainda as futuras condenações, impedimentos de políticos exercerem cargos, exonerações de funcionários corruptos  e ainda o desmantelamento de esquemas para surrupiar nosso dinheiro usando empresas privadas, em conluio com políticos empoderados. As condutas não devem se balizar somente pelo custo financeiro, e também pelo custo moral (não ter ocorrido a Lava Jato significaria um custo moral irrecuperável). Entretanto, se a conduta caríssima resultar em estancar a sangria do dinheiro público para manter o poder e enriquecer políticos, funcionários públicos e empresários pilantras, nos próximos 20 anos, mesmo que recuperemos pouco do que foi roubado, a meu ver foi barato.


Maria Regina Machado Damasio jcampossalles@hotmail.com

São José do Rio Pardo


*

NÃO TEM PREÇO


Quem ainda duvida que o serviço que a Lava Jato presta ao Brasil não tem preço? Com o escancaramento do sistema de corrupção, inicialmente na Petrobrás, e a condenação de líderes políticos, empresários e executivos à prisão, fatos inéditos, mudou as percepções da sociedade. A vergonha causada pela confrontação com a verdade calou fundo; passará à base da cultura. Será a base para uma sociedade mais consciente e um ambiente renovado. Os políticos que combatem a Lava Jato estão em combate de retirada.


Harald Hellmuth hhellmuth@uol.com.br

São Paulo


*

BENEFÍCIOS FUTUROS


Sobre o artigo: “Lava Jato: custo benefício, quem paga quem ganha", a doutora se esqueceu de considerar os benefícios futuros de uma bem-sucedida Operação Lava Jato.


Julio R Sobreiro jsobreiro@yahoo.com

São Paulo

        

*

PAÍS SÉRIO


A dra. Érica Gorga deveria considerar em sua conta o perrengue social da população brasileira, causado pelo altíssimo nível de corrupção no País. Quanto custa as vidas perdidas nas portas dos hospitais públicos? Dra., vamos colocar o Brasil no seu lugar de país sério! Pagamos esta conta com alegria!


Marcos Ribeiro Jacob marcosrjacob@hotmail.com

São Paulo


*

ASSIM É DEMAIS!


O artigo de Érica Gorga é um acinte ao bom senso e à racionalidade. Colocar os resultados da Lava Jato numa simples planilha é ofender a inteligência de qualquer ser humano! De acordo com a análise da doutora, no caso da Petrobrás, o prejuízo gerado pelas denúncias – indenização a investidores estrangeiros versus valores recuperados – não tem sentido e precisa ser repensado. Pergunto a ela: como ficaria a Petrobrás, caso não fosse estancada a derrama de dinheiro para a corrupção? E este é apenas um exemplo. Douta senhora, tenha em mente que caráter e honestidade não se medem em planilhas. Por outro lado, o caso JBS foi, sem dúvida, um ponto fora da curva. No entanto, não se pode diminuir todos os benefícios advindos da Lava Jato por um acordo extemporâneo, que beneficiou uma família de escroques.


Geraldo Roberto Banaskiwitz  geraldo.banas@gmail.com

São Paulo



*

LULA E SUAS PÉROLAS


Lula em mais uma de suas muitas criações ridículas e sem noção diz que os procuradores federais têm culpa na morte da sua esposa Marisa. Ele só se esquece de que ela, além de ser fumante, deve ter morrido de desgosto por tantas falcatruas que ele fez sempre se dizendo honesto, aliás, o mais honesto do País? Isso ele não fala, pois falar a verdade para ele é difícil!


Marieta Barugo mbarugo@bol.com.br

São Paulo


*

DONO DO BAÚ


O PT já cogita dispensar o Fundo Partidário. Lula sonha ter como vice Silvio Santos, o dono do baú.


Vidal dos Santos vidal.santos@yahoo.com.br

Guarujá


*

CAMPANHA ILEGAL DO LULA


O Lula está em campanha eleitoral completamente ilegal e sem quaisquer impedimentos do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).


Eugênio José Alati eugenioalati13@gmail.com

Campinas


*

LULLA CULPA ‘MENINOS DA LAVA JATO’


Além do ex-presidente Lulla estar em carreata fazendo propaganda antecipada, como descaradamente fez durante três anos com seu poste “Dilma Roussef”, em discurso feito para a plateia seleta, disse que “os meninos da Lava Jato, têm responsabilidade pela morte de Marisa Letícia”.  Fácil colocar a culpa na Justiça, mas se ela fosse inocente, bastava se defender. Só tem medo quem tem culpa no cartório. Fora isso, Marisa Letícia tinha aneurisma cerebral. Fumava e bebia. Era hipertensa e diabética.  É uma vergonha Lulla continuar usando a memória da ex-esposa para se defender perante a opinião pública. E ainda tem gente que ouve essa figura delinquente que os chama de “povo insuportável e chato”, como mostra um vídeo que rola pelas redes sociais. Eles merecem!


Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo


*

É MUITA CARA DE PAU


Mas que vergonha, esse homem sai em carreata fazendo sua politicalha, chama de canalhas o pessoal da Lava Jato e os culpa pela morte de sua esposa? Não bastasse isso, a Lava Jato também é responsável por ter destruído o que Lula construiu nos 13 anos de governo. Quanta cara de pau! Não fosse essa Operação o País jamais saberia quem foi o canalha que governou o Brasil, favoreceu banqueiros e empresários, Joesley que o diga, pois a dívida do BNDES não foi paga e a JBS se mandou para fora do País. Depois de tudo que se descobriu, Lula ainda tem coragem de dizer que não é corrupto? Se ele não for, quem é?


Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo


*

ENFIM, LULA FALA UMA VERDADE


Lula, ao afirmar que "nenhum canalha teve coragem de dizer que teve uma coisa errada na minha vida" confirmou, em outras palavras, que "não é canalha quem teve coragem de dizer que na vida do Lula teve coisa errada".


Roberto Twiaschor rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo


*

LULA DOUTOR!


Uma foto registrou Lula ao receber o título de “doutor honoris causa”  de Universidade alagoana, só que em vez do chapéu vermelho, melhor seria um penico branco.


Laércio Zannini        spettro@uol.com.br

São Paulo


*

SILÊNCIO, DILMA!


A ex-presidente Dilma, poste de Lula, que quebrou a economia do País, se não falasse pelo menos não iria indignar mais do que já indignou a sociedade brasileira, e também os 13,5 milhões de desempregados que desgraçadamente promoveu.  Mas esta ex-presidente que perdeu seu mandato por impeachment continua expressando mentiras pelo twitter. E o editorial do “Estadão” (28/8) com seu título “A desfaçatez de Dilma” expressa bem aa índole desta mulher...  Ao saber que o presidente Temer anunciou a acertada decisão de privatizar a Eletrobrás, Dilma criticou o Planalto, ao afirmar “Vender a Eletrobrás é abrir mão da segurança energética”, e que “pretendem vender na bacia das almas nossas principais hidrelétricas”.  Ora, quem quebrou a Eletrobrás foi esta farsante Dilma Rousseff, e não tem moral para criticar!  Já que numa demagógica canetada reduziu em 2012 o preço da energia elétrica para o consumidor final e desestruturou todo o setor energético do País. E até hoje o povo paga a conta deste estrago. E como destaca o citado editorial, desde que o PT, assumiu o poder em 2003, até agora, a União perdeu impressionantes R$ 228 bilhões, ou 4% do PIB, com a ocupação política e a má gestão de Eletrobrás. Ou seja, os corruptos comandados por Lula e Dilma não somente quebraram a Eletrobrás, como o País também.


Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos


*

“DESFAÇATEZ DE DILMA”


Cobrar coerência de alguém com dissonância cognitiva e falta de vergonha na cara como essa sra. "futura presidiária" é querer demais.


Ricardo C T Martins rctmartins@gmail.com

São Paulo


*

HOLOFOTES


O mais lamentável não é sua desfaçatez, o lamentável são os holofotes que ainda se acendem nos noticiários por uma tranqueira como ela.


Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo


*

NOSSO ODORICO PARAGUAÇU


João Doria poderia ser chamado de "o cavaleiro do marketing" em suas andanças pelo País. Bravo feito um coronelzinho com quem o critica por abandonar a Prefeitura de São Paulo para fazer campanha  à Presidência da República, agora  diz que vai a Campina Grande, na Paraíba,  buscar melhorias para  a cidade. O prefeito lembra o cômico personagem Odorico Paraguaçu  de "O Bem Amado", de Dia Gomes. A política brega que  Doria protagoniza  desgasta  a imagem do gestor moderno  que  vende  ao Brasil. Só falta   percorrer o Nordeste vestido de gari, onde Lula  tenta se passar por frei Damião em sua caravana. 2018  promete ser um ano muito divertido.                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                  


Devanir Amancio devaniramancio@hotmail.com

São Paulo


*

O PULO DO GATO


Ler o “Estadão” no meu humilde Smartphone no busão não é tarefa fácil, pois o busão pula muito! Agora, devido às circunstâncias (buracos), o nosso querido prefeito  quer também pular da Prefeitura ao Planalto? O pulo do gato? Cortar caminho, atalhos para tamanha empresa, empreitada, missão, creio que não seria o melhor para o Brasil. A cidade primeiro, depois o Estado (SP) e quiçá o País. Essa é a minha opinião como leitor e eleitor que votou no prefeito por um projeto com começo, meio e fim.


Leandro Ferreira Da Silva leandroferreoradasolva@gmail.com

Guarulhos


*

SEM A ESCADA


Razoável a tendência do PSDB de apresentar para a disputa presidencial de 2018 o governador Geraldo Alckmin, político equilibrado, desprovido da histeria pré-campanha que acomete réu perambulante e prefeito açodado. Recomenda-se, no entanto que, uma vez decidida a sua candidatura, se efetive a necessária polarização no sentido de apoiá-lo com firmeza e que não se repita a pantomima da eleição de 2006, na qual disputou o segundo turno com Lula, mas não contou com as bênçãos dos cardeais do volúvel partido que, por interesses ocultos, dos quais não se exclui uma preferência velada pelo outro candidato, não se posicionaram com firmeza na nova fase e o deixaram sem a escada, com o pincel na mão. Se agissem como deveriam, quem sabe, a história recente do Brasil fosse outra.


Paulo Roberto Gotaç  pgotac@gmail.com

Rio de Janeiro


*

MEXEU COM A POTÊNCIA ERRADA


Dia 29 de agosto a Coreia do Norte disparou um míssil que sobrevoou o Japão e caiu no Pacífico. Na região japonesa de Hokaido, os alarmes antiaéreos soaram, os avisos de alerta à população foram emitidos e o tráfego ferroviário foi interrompido. Ao forçar cidadãos japoneses a tomar refúgio, correndo para abrigos antiaéreos e levando suas crianças e idosos, o ditador Kim se excedeu. Desnecessário dizer que o Japão é a 9.ª potência militar do mundo. E a paciência nipônica tem limites. Assim esta nova provocação tem potencial para causar uma escalada com algum tipo de ação militar imediata. Especialmente, se ficar claro que as sanções não vão ser suficientes para parar o programa nuclear e balístico de longo alcance da Coreia do Norte.


Jorge A. Nurkin jorge.nurkin@gmail.com

São Paulo


*

VENEZUELA


É surpreendente saber que a China e a Rússia estão a favor da Venezuela. Isso demonstra que a cegueira deste viés comunista não tem a mínima noção da destruição que ocorre naquele País, que já amargam 134 assassinatos, milhares de presos políticos, fome e total desmando de um ditador que não tem o mínimo preparo para dirigir um ônibus escolar, e se atreve a implantar um regime político que a história já condenou.


Ivan Bertazzo bertazzo@nusa.com.br

São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.