Fórum dos Leitores

.

O Estado de S.Paulo

06 Setembro 2017 | 03h05

CASO JBS

O surpreendente Janot

Sempre surpreendente, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, anunciou que determinou investigações por omissão de informações ao examinar gravações entregues na semana passada pelos irmãos criminosos Joesley e Wesley Batista, controladores do Grupo J&F. O conteúdo desses anexos incriminaria o ex-procurador federal Marcelo Miller, membros do Ministério Público Federal (MPF) e ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). A capacidade de Janot de surpreender, porém, não se esgota por aí. Declarou aos jornalistas que os irmãos Batista e seus comparsas continuarão a usufruir da liberdade irrestrita que lhes concedeu no acordo, até que se esgote a apuração. Logo ele, Janot, que quer prender todo mundo e, volta e meia, ou pede a prisão de Aécio Neves ou a de toda a cúpula do PMDB, mesmo sem nenhuma prova a sustentar seus pleitos.

SERGIO RIDEL

sergiosridel@yahoo.com.br

São Paulo

A manifestação de Rodrigo Janot nada mais é que um mea culpa, pois é graças a ele que os irmãos bandidos estão livres e gozando das benesses concedidas pela Procuradoria-Geral da República (PGR). A gravidade do que ele expôs é claríssima quanto à omissão de fatos na delação dos executivos, o que pode invalidar o acordo. Agora, restam a anulação da delação e a prisão dos irmãos Batista.

ROBERTO LUIZ PINTO E SILVA

robertolpsilva@hotmail.com

São Paulo

Ministros sob suspeita

A batata da JBS está tão podre, quente e fedorenta que Janot a passou para o STF. Espero que ela seja mostrada em toda a sua podridão, para que os seus vermes sejam eliminados.

ALBERTO SOUZA DANEU

curtasuasaude@uol.com.br

Osasco

Reviravolta

Foram tantas as gravações que um bumerangue fez looping e caiu na cabeça dos irmãos metralha Joesley e Wesley Batista, entornando o caldo até da PGR e de ministros do Supremo. Capítulo inédito da série.

PAULO SÉRGIO ARISI

paulo.arisi@gmail.com

Porto Alegre

Nesta reviravolta das famigeradas delações dos executivos da JBS, fica ratificado o famoso dito popular “quem tem pressa come cru”. A maneira alvoroçada de Rodrigo Janot, assim como do ministro Edson Fachin, no acordo com os irmãos Batista, causou espanto à opinião pública e até a ministros do próprio STF, pelo tratamento diferenciado dado às fábricas de corrupção JBS e Odebrecht. O trágico, neste contexto, é que foi arranhada a instituição das colaborações judiciais, um instrumento fundamental à Operação Lava Jato e à punição aos crimes envolvendo políticos e empresários. A comicidade fica por conta do retorno das flechadas de Janot aos seus próprios pés.

LUÍS LAGO

luis_lago1990@outlook.com

São Paulo

O ex-braço direito

Principal colaborador de Rodrigo Janot, Marcelo Miller se bandeou para o outro lado, e Janot não sabia de nada? Incrível como este senhor, ocupando o cargo que ocupa, é precipitado em suas decisões. E agora, vai desdizer tudo o que falou? Parece que a flecha desviou do alvo e está voltando para o arqueiro. Que final melancólico de mandato.

FAUSTO JAMES VIDOTTO

faustovidotto@yahoo.com.br

São Carlos

Temer acusado de corrupção por atitude do colega Rocha Loures. Marcelo Miller trabalhou alguns anos com quem, mesmo? Te cuida, Janot.

ROBERTO DE MAMEDE C. LEITE

r-mamede@uol.com.br

Ubatuba

E agora, Janot?

Depois da lamentável aparição do procurador-geral da República na noite de segunda-feira na TV, cabe lembrar o poeta Drummond e perguntar: “E agora, Janot? A festa acabou, a pressa não ajudou, o povo se cansou, pouco se provou... E agora, Janot?”. Pena que, com isso, fique manchado o brilho de que a PGR sempre se revestiu, na sua função maior, com titulares de grande gabarito. Que venham tempos de maior serenidade e isenção.

REGINA MARIA PEÑA

reginapena.adv@hotmail.com

São Paulo

CORRUPÇÃO NA RIO-2016

Operação Unfair Play

A Polícia Federal apura compra de votos na escolha do Rio para sediar a Olimpíada de 2016. Todos os brasileiros de bom senso já sabiam que a corrupção correu solta nos Jogos do Rio, não só na escolha da cidade, mas nas obras e em tudo o mais. Que vergonha! Como podemos exigir respeito de outras nações, se o alicerce do Brasil há muito é a corrupção? “Até tu, Nuzman?”

JOSÉ ROBERTO IGLESIAS

rzeiglezias@gmail.com

São Paulo

MUNICÍPIOS

Crise fiscal

Muito apropriado o editorial A crise fiscal dos municípios (4/9, A3), que trata da falta de receita e do excesso de gastos nos municípios brasileiros – e, pois, da dependência do Fundo de Participação dos Municípios e de outros recursos federais. O País deveria rever a questão do salário dos vereadores, criado pelo Pacote de Abril de 1977 e, depois, incorporado à Constituição de 1988. O salário para vereadores deveria ser mantido apenas nas 92 cidades onde há mais de 200 mil eleitores. E instituído o jetom, como em Portugal, para repor apenas o dia de trabalho em que há sessão e os vereadores deixam de cumprir atividades em sua profissão. Em casos mais graves, de completa inviabilidade econômica, deveria ocorrer a extinção de municípios, como propõe acertadamente o jornal. A fusão de cidades otimizaria os escassos recursos para atender melhor a população.

LUIZ ROBERTO DA COSTA JR.

lrcostajr@uol.com.br

Campinas

Sobre o editorial O custo dos vereadores (3/9, A3), é bom lembrar que as Câmaras dos pequenos e médios municípios do passado não remuneravam seus membros. Foi a ditadura militar que introduziu a vereança assalariada desde a mais insignificante cidade até as grandes metrópoles. A novidade começou envergonhada, mas logo ganhou rédeas e disparou. Hoje, especialmente nas comunidades mais pobres, o pagamento dos edis é um pesado fardo para a população. Já passou da hora de tornar voluntário ao menos o trabalho do vereador em cidades com menos de 50 mil habitantes.

EUCLIDES ROSSIGNOLI

euclidesrossignoli@gmail.com

Ourinhos

“Rodrigo Janot, nos últimos dias de seu mandato, deixou a posição de arqueiro e virou alvo. Será que vai levar flechada?”  

PILI CARDOSO / BAURU, SOBRE AS SUSPEITAS ENVOLVENDO A DELAÇÃO DOS EXECUTIVOS DA JBS

pili@cardoso.adv.br

“Já no final de mandato, Janot tornou-se vítima do próprio veneno, mistura de imprudência, soberba e jactância”  

EDUARDO A. DELGADO FILHO / CAMPINAS, IDEM

eadelgadofilho@gmail.com

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

 

AS FLECHAS DE JANOT

 

Os bambus do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, não podem acabar neste momento, porque vai precisar atirar muitas flechas contra Joesley, Wesley Batista e o ex-procurador federal Marcelo Miller, dado que vão ser peitadas de irregulares, facciosas e convenientes as delações dos irmãos Batista, preparadas, segundo a imprensa, com a assessoria do ex-procurador Marcelo Miller, atualmente integrando o Escritório de Advocacia  Trench & Watanabe do Rio, cujos membros advogam para os delatores. Mas Rodrigo Janot não sabia de nada? Não desconfiava de nada? Não poderia ter segurado as flechas? Será que flechas, como balas, ricocheteiam?

José Carlos de Carvalho Carneirocarneirojc@ig.com.br

Rio Claro

*

MEUS ODIADOS FAVORITOS

Eis que como um pseudo-acidente, uma gravação de quatro horas de duração, coloca sob suspeição o até ontem braço direito de Rodrigo Janot. As histórias de bastidores das delações dos irmãos Batista nunca serão conhecidas. Mas os odiados favoritos do Brasil resolveram agora colocar Janot na fogueira da Lava Jato, a despeito das ameaças inócuas de Janot de anular o acordo dos irmãos com a Justiça que os mantém em liberdade (os acordos só podem ser anulados por um juiz). Delícia!

Oscar Thompson oscarthompson@hotmail.com

Santana de Parnaíba

*

NOVO SIGNIFICADO

PGR = Podridão Geral da República? - Temer é beneficiário da reviravolta na delação da JBS e a Procuradoria Geral da República (PGR) vira alvo.

 

José Roberto Niero jrniero@yahoo.com.br

São Caetano do Sul

*

E AGORA?

Choca a imagem do PGR, Rodrigo Janot, na primeira página da edição de ontem (5/9). Embora elogiável sua atitude, mas seu aspecto físico - magro e abatido - salta aos olhos. Alguma coisa o atormenta, e muito, pois admitiu, de forma oblíqua, que errou ao endossar, sem qualquer cautela, a gravação da JBS e pior, o ministro Fachin, imprudente, para dizer o mínimo, aceitou a gravação como prova. Deu no que deu. E agora dr. Janot? Mininistro Fachin, como se explicará perante seus pares e à sociedade?

 

Carlos Benedito Pereira da Silva carlosbpsilva@gmail.com

Rio Claro

*

MPF x J&F

Em áudio de quatro horas, os executivos da J&F, que fizeram delação premiada, afirmaram que supostos crimes foram praticados por pessoas ligadas à PGR e ao Supremo. Em nota, a holding J&F alega que houve "interpretação equivocada". Agora, na fita contra Temer, os senhores peritos afirmaram que a gravação está perfeita. Vamos ver quais serão as informações dos dignos peritos com respeito à esta fita, apesar de o ínclito Rodrigo Janot  afirmar que "são áudios com conteúdos gravíssimos que foram obtidos pelo MPF!"

Artur Topgian  topgian@terra.com.br

São Paulo

*

ATITUDE PRECIPITADA

Parece que o procurador-geral Rodrigo Janot se precipitou na flechada contra o presidente Temer e agora poderá vir a ser futuro alvo. Depois de, juntamente com o ministro Fachin, super premiar os delatores Joesley Batista e Ricardo Saud, agora vê "crimes gravíssimos" da J&F e ameaça cancelar acordos de delação. O procurador não teve a devida precaução na análise das delações, deixando correr dentro dos prazos "normais", como parece que será o caso com os outros alvos: Lula, Dilma (com seus US$ 150 milhões no exterior) e outros mais. Dá no que dá. O prejuízo já está feito.

Éllis A. Oliveira elliscnh@hotmail.com

Cunha

*

PREVARICAÇÃO

O PGR Janot claramente prevaricou no exercício da função pública que exerce, e recebe para isso!

Francisco José Sidoti fransidoti@gmail.com

São Paulo

*

BATISTA'S BROTHERS

Cana neles!

Sergio S. de Oliveira ssoliveiramsm@gmail.com

Monte Santo de Minas - MG

*

DE FLECHAS À BUMERANGUE

Quem imaginaria o procurador-geral da República vir a público, a poucos dias de sua saída do cargo, para denunciar 'crimes gravíssimos' praticados pelo delator da JBS, o mesmo a quem beneficiou com um acordo de delação premiada que perdoou crimes passados presentes e futuros, os quais, somados, renderiam 2 mil anos de prisão. Difícil crer que Janot agiria por livre e espontânea vontade, ameaçando cancelar o acordo com Joesley, após uma gravação armada contra Michel Temer com a intenção de tirá-lo do poder, como parte de um plano arquitetado para realizar seu último e grande desejo antes de deixar o cargo. O procurador só divulgou a mutreta  porque muito provavelmente a Polícia Federal (PF) entregou cópias das gravações comprometedoras à futura procuradora  Raquel Dodge, a qual, de posse das informações, instou Janot a se retratar em alto e bom som, uma vez que é com ela certamente que Joesley negociará novos acordos de delação, e também porque essas gravações envolvem Janot diretamente. Resumindo: as flechas que Janot reservou para seus desafetos se transformam em perigoso bumerangue contra si próprio. 

Paulo Kherlakian paulokherlakian@uol.com.br

São Paulo

*

A HORA DA VERDADE

Gravações entregues pelos advogados do Grupo J&F, na última quinta-feira, segundo o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, contém áudio de conversa entre Joesley Batista e o ex-executivo Ricardo Saud com potencial de incriminar o ex-procurador federal Marcelo Miller e membros do Ministério Público Federal (MPF) e do Supremo Tribunal Federal (STF), e determinaram a consequente investigação dos indícios de fraude na delação, suscetível de invalidá-la, noticia o "Estado" de ontem. Janot, como se nada tivesse que ver com o monumental fracasso do acordo, tratou de desvencilhar-se de seus vínculos com Miller, seu ex-auxiliar, e com Joesley, seu delator de estimação, e lançou ameaças de novas acusações a Temer, sem mencionar o seu nome. Engana-se, Janot! A partir de agora, manobras diversionistas perderam o efeito de desviar a Justiça da trilha que levará aos verdadeiros chefes da quadrilha que realizou o maior roubo aos cofres públicos da história do Brasil.

Sergio Ridel sergiosridel@yahoo.com.br

São Paulo

*

SACO DE GATOS DE JANOT

Janot afirma que não hesitou em relatar o envolvimento do ex-procurador Marcelo Miller no esquema de delação pré-combinada. Só agora? Pois que vá contar lorotas lá longe, haja vista que desde a denúncia contra Temer já se sabia que Miller deixou de ser assessor e braço direito de Rodrigo Janot para trabalhar como advogado do grupo JBS! Janot só foi suspeitar dele agora?  O que o levou a relatar isso no apagar das luzes de seu mandato? Acho que tem um saco de gatos nessa tuba!

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

*

PERGUNTAS SEM RESPOSTAS

Por que jogar o Brasil na lama e retardar o desenvolvimento econômico e social, se as delações do Joesley são uma grande nebulosa? O tiro (flechada) saiu pela culatra? Também morre quem atira?

Leandro Ferreira da Silva leandroferreoradasolva@gmail.com

Guarulhos

*

MUITA CALMA NESSA HORA!

Não compreendo por que estão tentando imputar uma derrota política ao Rodrigo Janot, uma vez que perante uma delação premiada, cujo teor pretende-se investigado posteriormente, uma revisão consta dos termos do acordo, caso o delator minta ou não apresente as provas que prometeu. O procurador geral da República recebeu a delação dos executivos do grupo J&F e, quando foi alertado sobre fraudes por parte deles, imediatamente tomou medidas de revisão. Como bem disse Dora  Kramer, essa atitude deixa claro que Janot não sobrepõe suas convicções aos fatos. Os delatados, políticos em sua maioria, aproveitando-se bem da situação, querem arrasar o instituto da delação premiada e, pior, querem anular as provas e com isso acabar com as denúncias de crimes que recaem sobre eles, desmoralizando nossas instituições e nossas autoridades do Judiciário. É o que de melhor sabem fazer: lutar por si próprios! Muita calma nessa hora, gente!

Myrian Macedo myrian.macedo@uol.com.br

São Paulo

*

IRMÃOS BATISTA X AL CAPONE!

Com relação ao vídeo entregue por acaso pelos irmãos Batista da JBS à PF, prova que um dia, se não forem pegos pela lei dos homens "a divina cobra". Al Capone, o famoso mafioso, também foi pego por uma bobagem esquecida.

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

ELEMENTAR!

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, cansado de levar flechadas da opinião pública pelo acordo escandaloso que fez com os irmãos Batista, prepara sua saída de cena posando de ícone da lei e da Justiça. Estará ele pensando em algum cargo público nas eleições de 2018? Elementar, meu caro Watson!

Luciano Harary lharary@hotmail.com

São Paulo

*

CONFUSÃO

É impressionante como os participantes do até agora maior escândalo de corrupção entre nós são tão confusos que eles próprios apresentaram espontaneamente à Justiça  gravações com provas que os auto incriminam. Face a essa  realidade, haja equilíbrio e serenidade do Ministério Público e do Poder Judiciário, para processar e julgar tais delitos e crimes que entre outros males paralisam o País.

José de Anchieta Nobre de Almeida josedalmeida@globo.com

Rio de Janeiro

*

O FILME SOBRE A LAVA JATO

Lendo a matéria sobre o filme "Polícia Federal- A Lei é para todos" e percebendo o patrulhamento ideológico do jornalista, alerto o diretor Marcelo Antunez: Prepare-se, pois a nossa esquerda não admite que se fale sobre a roubalheira comprovada da Lava Jato!

Cleo Aidar cleoaidar@hotmail.com

São Paulo

*

O BANCO DOS RÉUS

Parabéns ao professor Miguel Reale Júnior pelo artigo "O banco dos réus" (A2, 2/9). O panorama descrito entristece os brasileiros, mas, ao final, uma gota de esperança é aventada na possibilidade de as redes sociais virem a desempenhar papel de relevância que os atuais parlamentares, por vislumbrarem apenas o interesse próprio, se negam a promover. Nem ao menos percebem que muito provavelmente seriam reeleitos os que demonstrassem desapego e contemplassem o interesse nacional. 

Ademir Valezi adevale@gmail.com

São Paulo

*

12 MALAS COM PROPINA 

Na Operação Tesouro Perdido, ou Cui Bonno, autorizada pela 10.ª Vara Federal de Brasília, que a Polícia Federal, encontrou num apartamento em Salvador (BA), ou "bunker", utilizado pelo ex-ministro de Lula e Temer, Geddel Vieira Lima (PMDB-BA), 12 malas como milhões de reais dentro, supostamente resultado de propina!  E que o delator Lúcio Funaro, operador de propina do PMDB, já havia informado às autoridades ter feito várias viagens de avião a Salvador para levar malas repletas de dinheiro para Geddel.  Esta foto estampada em toda mídia entristece, indigna e humilha a todos nós, brasileiros! E não deixa dúvidas de que somos, infelizmente, um dos países mais corruptos do mundo! E que, a maior parte desta gangue de corruptos está alojada na classe política brasileira, como demonstram os resultados das investigações da Lava Jato. E são muito criativos! Carregam dólares na cueca, no bolso do paletó, da calça, depositam em paraísos fiscais, etc. E o Geddel Vieira Lima (PMDB-BA), que foi preso e solto no mês de julho, para prisão domiciliar, sem precisar usar tornozeleira eletrônica, inovou guardando 12 malas abarrotadas de dinheiro num apartamento, em bairro sofisticado de Salvador (BA). E certamente este não deve ser o único bunker de político ou partido em que milhões ou bilhões de reais estão escondidos, desviados da educação, saúde, saneamento básico, etc. Uma vergonha!  

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

NADA MAIS ESPANTA 

Malas de dinheiro em imóvel que seria ligado a Geddel. Ora, e isso é notícia? Primeiro vai ter de provar que Geddel comprou de fato o imóvel. Depois que as malas eram dele e não de um amigo. Por que é muito comum guardar coisas de amigos em casa. Mesmo que sejam dele, malas e mais malas cheias de dinheiro têm sido algo cada vez mais comum ultimamente. Não há nada de excepcional nisso. Tem gente que não confia nos bancos, tem gente que recebe contribuições de caixa 2... Estamos ficando tão acostumados com lorotas, que nada mais causa espanto aos brasileiros! 

Jorge A. Nurkin jorge.nurkin@gmail.com

São Paulo

*

POSTURA DUVIDOSA

Como entender a postura de Janot, que insiste em abrir processo contra o Temer num momento em que ele está solucionando os principais problemas do País. Será que ele tem algum "vínculo" com o PT? Pois o cara fez muito pior, em todos os sentidos, e nunca foi processado por ele.

Laert Pinto Barbosa laert_barbosa@globo.com

São Paulo

 

*

EM DEFESA DA AMAZÔNIA BRASILEIRA

Muito importante a reportagem com o professor e biólogo Thomas E. Lovejov, uma vez que faz pesquisas na Amazônia desde 1965 e chega à brilhante conclusão que, para manter a integridade do seu ciclo hidrológico, a Amazônia precisa estar 80% intacta. Realmente ao enfraquecer a proteção ambiental à Amazônia, o governo põe em risco a liderança do Brasil na exportação de alimentos e das reservas de água no sul do País. Todos unidos em defesa da Amazônia, para que continue intacta e sem nenhuma atividade comercial.

 

Cláudio Magalhães ensino3@hotmail.com

São Paulo

 

*

EM DEFESA DAS CHUVAS

Uma porção da umidade - produzida pela Floresta Amazônica - é desviada para o sul.  Ela beneficia até a Bacia do Rio da Prata. Ou seja, a agricultura brasileira depende de um ciclo hidrológico amazônico - que também favorece os reservatórios urbanos.  Para manter a integridade do seu ciclo hidrológico, a Amazônia precisa estar 80% intacta. Por isso, mais do que impedir o desmatamento, deve-se promover o reflorestamento para não transpor a marca dos 20%.  Isso significa que aumentar a área da agricultura e de outras atividades que geram desmatamento vai acabar prejudicando a agricultura nas regiões mais ao sul do Brasil. Por esta razão é valida a reação da sociedade contra as tentativas de enfraquecer as áreas protegidas.

Harald Hellmuth hhellmuth@uol.com.br

São Paulo

*

A POLÍCIA E A VIOLÊNCIA

Nota 10 para nossa Polícia no recente episódio da tentativa de assalto no violento Morumbi; nota zero para a parte da imprensa "marron" e alguns falsos moralistas, que utilizam expressões capciosas como: "Suspeitos foram executados por policiais"! Todos os mortos, sem exceção, eram bandidos já condenados por inúmeros crimes gravíssimos e vinham sendo vigiados, há tempos, pela Inteligência de nossa Polícia; eram "inocentes" equipados com fuzis de última geração e ocupavam luxuosos carros importados e roubados. Certamente estavam indo para a escola...

Celso C. Cretella cpropano@gmail.com

São Paulo

*

VIOLÊNCIA NO MORUMBI

Parabéns à polícia. Polícia é polícia e bandido é bandido. No Morumbi o povo está "chorando" de tanto rir. Povo todo querendo chorar assim.

Nelson Pereira Bizerranepebizerra@hotmail.com

São Paulo

*

EXEMPLO A SEGUIR

Com todo o respeito aos familiares, se todas as vezes que a polícia tivesse essa atitude de matar todos os envolvidos, como fez no Morumbi, com certeza o número de assaltos se reduziria (eles pensariam duas vezes antes de cometer um crime) e, para completar, não teríamos de sustentar esses bandidos com as benesses dispendidas a eles quando presos. 

LPB 

São Paulo

*

VIOLÊNCIA

Dez indivíduos, após assaltarem mais uma residência, são surpreendidos pela polícia e, ao reagirem, são abatidos. Causa espécie, os veículos de imprensa denominarem os meliantes de "suspeitos". Como assim, cara pálida, são ladrões, marginais contumazes e perigosos. Paremos com essa hipocrisia de direitos humanos para bandidos e parabéns à polícia.

Sergio Cortez cortez@lavoremoveis.com

São Paulo

*

PORTO DE SANTOS

Funcionários do Porto de Santos ajudaram quadrilha a enviar drogas para a Europa. Como se não bastasse combater os traficantes, agora é preciso combater também os funcionários do Porto. E isso não acontece só no Porto de Santos não. Acontece em todos os órgãos, principalmente naqueles que são fiscalizadores. O País, pelo visto, é uma quadrilha de Norte a Sul, de Leste à Oeste. Quem escapa? Isto é reflexo da quadrilha instalada no poder. Quando o governo é o primeiro a dar o mau exemplo, espera-se o que dos demais? Vai demorar muito para o País apagar esta imagem. Eu me atrevo a dizer que será preciso passar uma geração inteira. O País "involuiu" e se degradou.

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

LEGADO

Lembram-se das conversas de Lula sobre o importante legado da Copa do Mundo e das Olimpíadas? Agora tudo ficou claro, vejam os nomes envolvidos na corrupção dos eventos. E ainda querem saber por que o Rio quebrou?

Luiz Frid fridluiz@gmail.com

São Paulo

*

OS SETE GRANDES MEDOS DO PT

Os sete grandes medos dos petistas: a verdade, a Lava Jato, o Moro, o Doria, a delação do Palocci, do Mantega e  do João Vaccari. 

Eugênio José Alati eugenioalati13@gmail.com

Campinas

*

NOVELA BRASILEIRA

Quando vejo as senadoras Fatima Bezerra, Gleisi Hoffman e Vanessa Grazziotin, lembro-me da novela "O Bem Amado". Elas lembram as irmãs Cajazeiras que defendiam o político corrupto Odorico Paraguaçu. Qualquer semelhança com os dias atuais é mera coincidência!

Paulo Henrique Coimbra de Oliveira ph.coimbraoliveira@gmail.com

Rio de Janeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.