Fórum dos leitores

.

O Estado de S. Paulo

11 Setembro 2017 | 03h00

LULA

Palocci não é Delcídio

Mal Antonio Palocci serviu o hors-d’oeuvre do banquete que tenciona oferecer à Operação Lava Jato, o ex-presidente Lula e sua gente já se apressam em proclamar que se trata de mais um preso em desesperada tentativa de obter liberdade. Não é bem assim. Essa tese, banalizada e enfadonha, vem funcionando mal e parcamente quando se trata de desacreditar escroques do dólar, técnicos da Petrobrás, empresários arrivistas, publicitários e políticos poltrões. Ocorre que, desta vez, o buraco é mais embaixo. Vai ser muito mais difícil de desqualificar o inteligente e articulado Palocci, de alentado currículo político, cofundador do Partido dos Trabalhadores (PT) e sabedor de todos os seus segredos, “companheiro de 30 anos”, coautor da Carta ao Povo Brasileiro e influente ministro de dois governos petistas. Haja perdigotos!

JOAQUIM QUINTINO FILHO

jqf@terra.com.br

Pirassununga

Terra de ninguém?

Pensava-se que dirigir qualquer ofensa que fosse a uma autoridade constituída no Brasil fosse falta grave, sujeita à punição. Mas parece que não. Tanto o líder do MST, João Pedro Stédile, sabe disso que, num raivoso discursos ao lado de Lula, em São Luís (MA), dirigiu palavras impublicáveis ao juiz Sergio Moro, a quem o ex-presidente prestará depoimento nesta quarta-feira. Nossa República está indo cada vez pior, para dizer o mínimo.

MARIA ELISA AMARAL

marilisa.amaral@bol.com.br

São Paulo

No encerramento da caravana de Lula pelo Nordeste, João Pedro Stédile, líder do MST, convocou a militância para estar em Curitiba na próxima quarta-feira, durante mais um depoimento de Lula ao juiz Moro, que foi xingado por Stédile em seu discurso. Até quando a Justiça Eleitoral permitirá estes comícios fora de época e a Justiça fechará os olhos para o ataque a um juiz federal?

MARCO CRUZ

mm.cruz23@gmail.com

São Paulo

2018

A mosca azul

Entrevista recente de João Doria ao Estadão ilustra, com toda evidência, o lamentável preparo do prefeito para, digamos, “mudar de canoa”. Parece já estar esquecida sua promessa, em período eleitoral, de que ficaria os quatro anos à testa da administração da cidade de São Paulo. Na ocasião, Doria se qualificava como bom gestor, e não político, o que certamente levou os paulistanos a votarem em massa na sua candidatura, fartos que estavam dos péssimos e incompetentes políticos que até então dirigiram esta pobre cidade e que a deixaram na situação caótica em que hoje se encontra. Portanto, tudo leva a crer que a “mosca azul” da política já picou o sr. Doria. Mas isso pode não ser bom para ele, pois, na verdade, até agora, com quase dez meses de mandato, ainda não mostrou sua boa qualidade de gestor. A cidade continua com aspecto de abandonada. Seu asfalto, por exemplo, está totalmente detonado, cheio de buracos, verdadeiras armadilhas para os motoristas. A simples tapagem dessa buraqueira já poderia ter sido concluída nesta gestão. Entretanto, o prefeito parece estar agora mais preocupado em burilar sua imagem e cuidar de sua ascensão política em vez de mostrar sua propalada capacidade gerencial. É uma pena, porque mais recomendável e razoável seria, primeiro, cumprir sua promessa de gerir os quatro anos para os quais foi maciçamente eleito, demonstrar sua verdadeira competência gerencial para, depois, cogitar de voos mais altos na política que ora parece pretender.

AURÉLIO QUARANTA

relyo.quar@gmail.com

São Paulo

A fama de aventureiro

O prefeito João Doria está indo com muita sede ao pote da Presidência. Desta forma, deixa de ser o “gestor” que esperávamos para se igualar à maioria dos nossos políticos que só visam ao pudê. Seria melhor que parasse de viajar com finalidades eleitoreiras e administrasse corretamente a Prefeitura, até o fim de seu mandato. A fama de bom prefeito de São Paulo será o melhor fator para se dissociar da inicial fama de novo aventureiro da política, que impregna o Brasil há anos.

HOOVER AMÉRICO SAMPAIO

hoover@mkteam.com.br

São Paulo

Cacife político

O prefeito João Doria não é tolo nem louco de se candidatar a algum cargo em 2018. Ele simplesmente está, com estas andanças pelo País, acumulando cacife político para transferir, na hora certa, para o candidato adequado escolhido pelo partido. E a lealdade – qualidade em nada desprezível – já indica que candidato seria esse.

EDUARDO BRITTO

britto@znnalinha.com.br

São Paulo

Cabo eleitoral

Diariamente na mídia, com certeza João Doria levará toda a sua imagem para seu padrinho e será um fortíssimo cabo eleitoral de Alckmin para presidente.

WILSON LINO

wiolino@yahoo.com.br

São Paulo

Doria x Alckmin

Sejamos práticos, se a popularidade do atual governador vem à reboque do prefeito, invertamos a ordem. João Doria presidente e Geraldo Alckmin senador. Se a conhecida vaidade dos tucanos não falar mais alto, a fidelidade de um com o outro é mantida e o PSDB passa a ter chances concretas de vitória. 

NILSON OTÁVIO DE OLIVEIRA 

noo@uol.com.br 

Valinhos

A polêmica entre os dois tucanos lembra a expressão popular “dois bicudos não se beijam”.

VIDAL DOS SANTOS

vidal.santos@yahoo.com.br

Guarujá 

COMBUSTÍVEIS

Aumento de preço

A justificativa da Petrobrás para o aumento dos preços dos combustíveis e do gás de cozinha seria o Furacão Harvey, que recentemente atingiu o Texas, grande produtor de derivados petrolíferos. Isso nos leva a questionar o real papel da Petrobrás. Será que a joia da coroa das estatais brasileiras tornou-se mera produtora de petróleo bruto para exportação? Ouço falar que nossas refinarias não são aparelhadas para refinar o tipo de petróleo que temos em nossos solos e mares, que, então, é exportado. Será verdade? Isso nos põe no mesmo patamar de Angola e Nigéria, exportando matérias-primas básicas e importando manufaturados, coisa de Terceiro Mundo. Seria interessante abrir esta “caixa-preta” da petrolífera.

NESTOR R. PEREIRA FILHO

rodrigues-nestor@ig.com.br

São Paulo

DIVERSIDADE BRASILEIRA

O contraste entre os grotões de pobreza no Brasil e a opulência dos homens públicos dá a medida exata do subdesenvolvimento do País!

Francisco José Sidoti

fransidoti@gmail.com

São Paulo

SONHO DISTANTE

Que país maravilhoso seria o Brasil, se os seus homens públicos mantivessem seus direitos no estrito sentido de justeza de uma vida segura e próspera, e os seus deveres na medida das exigências das nobres e respeitáveis responsabilidades cívicas!

Marcelo Gomes Jorge Feres

marcelogferes@ig.com.br

Rio de Janeiro

VERGONHA

A maior vergonha dos brasileiros é ter um politico na família.

Vidal dos Santos

vidal.santos@yahoo.com.br

Guarujá

PRIVATIZAÇÕES

A privatização é o começo da árdua luta para evitar a pilhagem do dinheiro público. Empresas públicas servem aos interesses escusos dos políticos corruptos, além de serem deficitárias e improdutivas. Um bom exemplo é a Telebrás. Em 1998, ano da sua privatização, existiam 24 milhões de telefones fixos, fila de espera, preços absurdos e até quem ganhava dinheiro alugando linhas. Hoje são mais de 250 milhões de aparelhos fixos e móveis a preços acessíveis. Diz o ditado popular: "o olho do dono é que engorda o gado", portanto, privatizar é a solução.

Jose Alcides Muller

josealcidesmuller@hotmail.com

Avaré

E O BC TINHA RAZÃO

Sob a batuta do Alexandre Tombini, capacho preocupado só com os "holofotes", o Banco Central (BC), na verdade, não perseguiu meta nenhuma da inflação. Com Ilan Goldfajn a situação mudou radicalmente, trazendo só benefícios para a população brasileira.

Sergio Salgado de Oliveira

ssoliveiramsm@gmail.com

Monte Santo de Minas (MG)

INFLAÇÃO CONTROLADA, E DAÍ?

O governo está se achando extremamente competente em manter a inflação sob controle. Por que então está tudo mais caro a cada visita ao supermercado? Hoje, ao tomar conhecimento de mais um aumento no preço dos combustíveis, tudo se esclarece! O consumidor sempre pagando a conta de tudo neste paiséco! O povo? Ah! Ele que se lasque! Não é mesmo?

José Jorge Ribeiro da Silva

jjribeiros@yahoo.com.br

Campinas

INUTILIDADES CARAS

Serviços inúteis e caros para a população que deveriam ser extintos: Supremo Tribunal Federal (STF), Receita Federal, Tribunal de Contas da União (TCU), Tribunais de Contas do Estado (TCE), Congresso Nacional, Assembleias Legislativas. Com essa roubalheira diária em nosso país, essas entidades não fariam falta nenhuma. Ao contrário, teríamos mais recursos para a Polícia Federal e para a educação, que é o maior bem de uma Nação.

André Coutinho

arcouti@uol.com.br

Campinas

JBS, STF, MALAS E COMPRA DE VOTOS

Com todo o respeito, a República está podre, de cabo a rabo. Será que a honestidade fugiu do Brasil, levando consigo o respeito à dignidade humana? O que nos tornamos? O que sobrou de nós? Que raio de país indecente é esse? Chega!

Ricardo C. Siqueira

ricardocsiqueira@globo.com

Niterói

MÁQUINA ZERO

Na vez anterior em que Geddel Vieira Lima foi para o Presídio da Papuda ele pediu para que sua cabeça não fosse raspada... Creio que agora, mesmo que implore, sua farta cabeleireira vai para o vinagre.

Virgílio Melhado Passoni

mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)

GEDDEL, O POLÍTICO

Geddel Vieira Lima, Lula, Renan, Palocci, Jucá e Rodrigo Maia sintetizam muito bem a cara do político brasileiro dos últimos 15 anos. São todos farinha do mesmo saco, direita, esquerda, de centro, ninguém vale nada. Neste momento, acredito que vários políticos estão tramando alguma coisa em causa própria. O Brasil está podre e não se vislumbra um horizonte melhor para a próxima década.

José Roberto Iglesias

rzeiglezias@gmail.com

São Paulo

ACORDA, BRASIL!

Nos últimos dias estamos tendo notícias que confirmam que grande parte dos nossos políticos é verdadeiro bandido. A continuar nesse ritmo, amanhã não teremos mais espaços nas prisões, que já são escassas, para enquadrar essa turma. Essa realidade, que já desconfiávamos, está se tornando a nossa triste realidade. Esperemos que, depois de tudo isso, a população acorde.

Laert Pinto Barbosa

laert_barbosa@globo.com

São Paulo

PALOCCI ACABA COM A FARSA

Se ainda restava alguma dúvida de que Lula e Dilma não sabiam de nada ou não praticaram crimes no exercício do mandato presidencial, essa dúvida foi sumariamente descartada pelo ex-ministro de Lula Antonio Palocci, que diante do juiz Sergio Moro revelou em detalhes as atividades criminosas dos dois ex-presidentes, que incluía até a existência de um “pacto de sangue” entre Lula e Emílio Odebrecht, que lhe garantiu R$ 300 milhões, o terreno do instituto Lula, o sítio de Atibaia e até o pagamento de palestras. Na verdade, nada do que foi revelado por Palocci ao magistrado de Curitiba, representou alguma novidade para os investigadores, advogados e para o próprio juiz Moro. A surpresa mesmo foi o tom tranquilo usado por um personagem típico do interior paulista, o qual, sem alterar o tom de voz, afirmou aquilo que Lula e seus advogados tentam desmentir há anos sobre sua posição de comando diante dos crimes praticados. O depoimento de Palocci deve ter apavorado mais os dois ex-presidentes do que as duas denúncias apresentadas pelo procurador-geral Rodrigo Janot ao STF contra eles nas últimas 24 horas. A decisão que o PGR não tomou (ou não quis tomar) em quase dois anos, e se viu obrigado a tomar dias antes do seu adeus revelando a verdade sobre a o crime, Palocci tomou em menos de duas horas.

Paulo Kherlakian

paulokherlakian@uol.com.br

São Paulo

O DEPOIMENTO DE PALOCCI

Frente a frente com o eminente magistrado Sergio Moro, da 13ª. Vara Criminal Federal de Curitiba, Palocci depôs expondo fatos gravíssimos envolvendo Lula da Silva, inclusive narrando pacto de sangue com a Odebrecht, além da quantificação das propinas ao ex-presidente, no montante de R$ 300 milhões. Narrou, ainda, como ambos tentaram  impedir a ação da Lava Jato. Enfim, o depoimento de Palocci põe uma pá de cal nas defesas de Lula da Silva, sejam elas realizadas pelos seus advogados ou pelos lulopetistas. Ninguém poderá tapar o sol com a peneira, especialmente quem já vai atingir o sétimo ou oitavo processo. Assim, o Lula da Silva, que é da “zelite” e muito colarinho branco, porque possui poupança milionária, bens imóveis e muitas outras coisas mais, não pode mais ter a cara de pau de se exibir como inocente e usar o “não sei de nada”! É delinquente mesmo!

José Carlos de Carvalho Carneiro

carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

ROBIN HOOD?

Lula poderia se vangloriar de ter sido um Robin Hood: tirou dos ricos para dar aos pobres. O único porém é que a segunda parte, a dos pobres, não aconteceu...

Luciano Harary

lharary@hotmail.com

São Paulo

ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA

Qual a importância de Palocci para o esclarecimento do que está ocorrendo com o Brasil? Muitos dirão que ele sabe responder quem, quando, onde, quanto, qual a prova e os porquês melhor do que qualquer outro. Outros citarão que ele pode desmontar versões falsas mostrando seus pontos falhos como ninguém. Alguns se lembrarão de que ele conhece bem toda a extensão do iceberg que ainda não aflorou. Haverá quem se lembre de que ele serve como prova dos nove revelando o que os demais preferiram omitir. Com ele o relato da Lava Jato deixa de ser uma história em quadrinhos e passa a ser um filme - os personagens ganham profundidade. Em suas palavras é possível enxergar como uma Organização Política se transformou numa Organização Criminosa.

Jorge Alberto Nurkin

jorge.nurkin@gmail.com

São Paulo

FIO DE DIGNIDADE

Se Joesley Batista julgava que ele bateria os pregos do caixão, enganou-se mais uma vez.  Quem "lacrou" o caixão de forma definitiva foi Palocci.  Não restam dúvidas de que Palocci falou tudo o que sabia e que conhecia para não incorrer no mesmo erro de Joesley e ter sua delação sob ameaça de vir a ser cancelada.

Claudio Juchem

cjuchem@gmail.com

São Paulo

TENTATIVA DE RESGATAR O INEXISTENTE

Janot tenta desesperadamente resgatar o fio de dignidade que lhe faltou, quando concedeu imunidade a Joesley Batista.

Roberto Twiaschor

rtwiaschor@uol.com.br

São Paulo

CONVERSA DE BÊBADO

Joesley Batista da JBF, desculpa-se com a PGR  pelas gafes cometidas na gravação de quatro horas entregue por descuido à Polícia Federal e afirma ter sido “conversa de bêbado”. Mas no fundo ele sabe que fez uma besteira descomunal, que colocou sua delação “sob suspeição” e que sua prisão será iminente. Já cortou até o cabelo no estilo prisão.

Beatriz Campos

beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

FINAL MELANCÓLICO

Quem com flecha fere, com flecha será ferido" será o epitáfio do melancólico e patético crepúsculo do mandato de Rodrigo Janot como procurador-geral da República ou da JBS.

J.S. Decol  

decoljs@gmail.com

São Paulo

MOENDO O BRASIL

Joesley Batista é o representante do que de pior existe aqui na pátria mãe. Destrói o português quando fala, formou-se na escola da bandidagem, não tem escrúpulos, quer levar vantagem pisando em todos, não se importando em prejudicar toda uma Nação com as suas ações, é desqualificado, ofende as mulheres com a sua linguagem chula, acha-se o maioral e, quando conversa, confunde tudo com seu frigorífico, moendo carne. Ele é o rei do Brasil. Que a Justiça faça a sua parte. O Brasil está em xeque.

 

Elisabeth Migliavacca

elisabeth448@gmail.com

São Paulo

BRASIL, UM PAÍS OU UM CHIQUEIRO?

Acostumado com o abate de bovinos, suínos e aves, o dono da JBS, Joesley Batista, decide agora abater   autoridades brasileiras.  O que está sendo mostrado à nossa Nação, nos últimos dias, põe por terra a nossa República. O que esperar de um país onde quem governa são os grandes empresários e que têm em suas mãos as autoridades que deveriam estar acima de qualquer suspeita? O que será de nós? Brasil, um país ou um chiqueiro? Esse dinheiro da corrupção  está fazendo falta  nos hospitais públicos, nas escolas públicas, na segurança pública, no saneamento básico, no transporte público,  na  pavimentação das rodovias, na construção de casas populares, entre outras coisas mais. Até quando ficaremos balançando a cabeça como lagartixa? 

Jeovah Batista

jeovahbf@yahoo.com.br

Taquari (DF)

COMO CONVENCER?

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, em recente manifestação pública, externou sua indignação pelos conteúdos "gravíssimos", agora tornados públicos, dos últimos áudios envolvendo os empresários mafiosos da JBS. Janot reafirmou sua disposição de realizar investigações com o propósito de rever as benesses concedidas àqueles executivos, por ele mesmo propostas, em troca de delação contida em gravações anteriores, utilizadas na formulação de provas já apresentadas que, segundo o procurador, se mantêm hígidas. Uma vez, porém, que estas últimas, continuadas pelas atuais revelações, têm origens idênticas, será difícil convencer a sociedade de que o passado é saudável, quando o presente aponta para um futuro podre.

Paulo Roberto Gotaç

prgotac@hotmail.com

Rio de Janeiro

DIFERENÇAS POLÍTICAS

A diferença entre o PT e o PSDB é que o PT tem dono e está sumindo com o dono, o PSDB é de um bando de pavões que estão sumindo por si mesmos. Juntando tudo, não se encontra um estadista.

Ariovaldo Batista

arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

ELEIÇÕES PARA A PRESIDÊNCIA

A posição de pretenso candidato à presidente da República, assumida pelo atual prefeito de São Paulo, que nem sequer completou um ano de mandato, está servindo para que determinadas lideranças partidárias incentivem a divisão no PSDB. Além disso, Doria mostra falta de respeito ao seu maior aliado, que marca negativamente a política e os políticos.  E num momento que exige muita reflexão dessa classe tão diversificada.

Uriel Villas Boas

urielvillasboas@yahoo.com.br

Santos

PREFEITO ITINERANTE

Quando o prefeito itinerante de São Paulo, João Doria, diz que “a melhor decisão vem do povo”, ao fazer referência aos próximos candidatos à Presidência da República, está automaticamente isentando os partidos políticos da responsabilidade de oferecerem ao julgamento popular os melhores candidatos, do que nos vêm oferecendo há muitas décadas. Discordo do sr. Doria. Isso só seria verdade, se os partidos políticos oferecessem ao povo um cardápio menos indigesto do que nos apresentam. A sina republicana é ter de escolher entre os menos piores.

Mário Rubens Costa

costamar31@terra.com.br

Campinas

ALCKMIN X DORIA

Governador Alckmin, gostaria de citar dois ditados espanhóis para a sua situação atual: "Crie corvos e eles te arrancarão os olhos", "O amigo que hoje te compra com sua bajulação, amanhã te venderá com sua traição”.

Francisco Nascimento Xavier

franciscoxavier1000@gmail.com

São Paulo

CULTURA À MÍNGUA

Onde está a Cultura? A Lei Rouanet é preciosa para os “artistas” dela fazerem o que bem quiserem, mas não preserva a História, onde reside a Cultura Nacional. Basta ver o Museu do Ipiranga e tantos outros espaços que abrigam nossa verdadeira Cultura nas condições de penúria e precariedade em que se encontram.

Carlos Leonel Imenes

eonelzucaimenes@gmail.com

Nazaré Paulista

 

Mais conteúdo sobre:
Fórum dos Leitores

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.