Fórum dos Leitores

.

O Estado de S.Paulo

15 Setembro 2017 | 03h03

DEPOIMENTO DE LULA

O apartamento alugado

O depoimento do ex-presidente Lula ao juiz Sergio Moro na quarta-feira, em Curitiba, não teve nada de novo. Sua defesa é a mesma desde quando estava na Presidência da República com 87% de aprovação: “Não é comigo”. O Lula presidente dá a cabeça de seus ministros, como José Dirceu e o próprio Antonio Palocci, porque ignorava a organização criminosa que havia em seu governo. E, no que diz respeito aos fatos da “pessoa” Lula, a culpa é da falecida Marisa Letícia, que é quem cuidava das finanças do casal. A Sergio Moro, Lula disse que era Marisa quem providenciava o pagamento dos aluguéis do apartamento ao lado do seu, em São Bernardo do Campo (SP), que é objeto de investigação envolvendo propina da Construtora Odebrecht. “Talvez exista algum recibo”, disse Lula. É este o ponto que desejo evidenciar: ele é capaz até de entregar a cabeça da mulher morta para manter-se probo. Não entendo como durou tanto tempo a sua desobrigação relativamente aos atos de corrupção cometidos durante sua gestão na Presidência. Estávamos todos em transe para não enxergar?

ANDREA METNE ARNAUT

andreaarnaut@uol.com.br

São Paulo

Em Curitiba, em depoimento ao juiz Moro, nosso rei continuou pondo a culpa na falecida. Ela é que cuidava do dinheiro e da administração da casa. Aluguel? Que aluguel? Não sei de nada!

ROBERTO DA C. M. VASCONCELLOS

vetrobertocmv@uol.com.br

São João da Boa Vista

Resumo do depoimento de Lula em três atos: 1) todo mundo é mentiroso; 2) só Lula fala a verdade; e 3) os recibos devem estar no baú.

EUGÊNIO JOSÉ ALATI

eugenioalati13@gmail.com

Campinas

Ataque a Antonio Palocci

Palocci é “simulador”, “mentiroso”, “calculista” e “frio”, disse Lula na quarta-feira sobre seu ex-ministro; Lula é mentiroso, dissimulado e propineiro, diz Palocci. Ambos têm razão. Nada como uma amizade de cumplicidade de longa data.

LUIZ THADEU NUNES E SILVA

luiz.thadeu@uol.com.br

São Luís

Da confiança à acusação

Em 2003, Antonio Palocci foi convidado por Lula para ocupar o cargo de ministro da Fazenda. Em 2011, Palocci foi convidado por Dilma Rousseff para ocupar o cargo de ministro-chefe da Casa Civil. Em 2016, o ex-ministro tornou-se réu da Operação Lava Jato. Médico e político, Palocci participou da fundação do Partido dos Trabalhadores, em 1980. Recentemente, resolveu revelar os segredos sobre atos ilícitos cometidos por Lula e Dilma, envolvendo dinheiro sujo da empreiteira Odebrecht. Em seu mais recente depoimento ao juiz Sergio Moro, Lula se referiu a Palocci como “frio”, “calculista” e “simulador”. É difícil de entender como uma amizade tão duradoura pode acabar dessa maneira. A confiança é revertida em xingamentos e em raiva. Será que alguém não cumpriu a sua parte neste obscuro acordo de cavalheiros?

JOSÉ C. SARAIVA DA COSTA

jcsdc@uol.com.br

Belo Horizonte

Infinito enquanto dure...

Bastou uma Operação Lava Jato para acabar com amizades. É companheiro entregando companheiro, é parceiro de ideologia e de interesses comuns abandonando parceiro, sem dó, piedade ou ética. E não é que dona Lava Jato fez de cúmplices inimigos eternos? O preço a pagar é alto, mas faz parte do jogo de poder. Joga quem quer. E corre o risco quem ambiciona fora dos limites da lei e da dignidade. Que todos os que delinquiram paguem por seus erros.

MYRIAN MACEDO

myrian.macedo@uol.com.br

São Paulo

Embusteiros

Segundo Lula, seu ex-ministro da Fazenda é dissimulado, e, segundo Dilma, seu ex-chefe da Casa Civil falta com a verdade. Essas são mais algumas razões que comprovam que os governos do PT foram sustentados apenas pelo marketing. Ao longo de mais de 13 anos o Brasil esteve nas mãos de um bando de embusteiros.

LEÃO MACHADO NETO

lneto@uol.com.br

São Paulo

Acareação

Como são todos mentirosos compulsivos, o certo seria o juiz Moro colocar Lula, Palocci, Emilio e Marcelo Odebrecht frente a frente, numa acareação, e ver quem sai vivo.

CARLOS R. GOMES FERNANDES

crgfernandes@uol.com.br

Ourinhos

SUPREMO

O julgamento de Janot

Sabedor de que perderia de goleada no julgamento do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre o pedido da defesa de Michel Temer para que Rodrigo Janot, procurador-geral da República, fosse declarado suspeito na investigação que envolve o presidente, o vaidoso ministro Gilmar Mendes optou por perder por w.o. – não compareceu. Além de Janot, saíram vitoriosos os olhos e os ouvidos dos brasileiros, poupados de ver e de ouvir as teatrais falas do parcial ministro, hoje disputando com Temer o título de campeão da desaprovação do nosso povo.

RONALDO GOMES FERRAZ

ronferraz@globo.com

Rio de Janeiro

Acima do STF

Não comparecendo ao julgamento sobre o possível impedimento de Rodrigo Janot, Gilmar Mendes deu provas inequívocas de que se acha mais importante do que a instituição Supremo. Simplesmente ratificou sua conivência com o presidente da República e a contumaz suspeição contra atos do procurador.

OSVALDO CARNEIRO FILHO

osvaldo.carneiro@yahoo.com.br

Rio de Janeiro

Grito de afogado

O sonho do governo de afastar o procurador-geral da República da investigação contra o presidente Michel Temer morreu na praia. A tentativa ilusória de colocar sob suspeição a autoridade a quem cabe acusar se mostrou descabida e – por que não? – um inútil grito de afogado.

MARIO COBUCCI JUNIOR

maritocobucci@gmail.com

São Paulo

Denúncias no Planalto

Entre flechas e cutelos, magarefes e mercadores planaltinos nos garantem o melhor lugar no circo, mesmo sem nós termos pagado pelo ingresso. No fim, nos cobrarão em dobro pelo péssimo espetáculo.

CARMELA TASSI CHAVES

tassichaves@yahoo.com.br

São Paulo

“Haja fígado”

MARIA LUCIA RUHNKE JORGE / PIRACICABA, SOBRE O DEPOIMENTO DO EX-PRESIDENTE LULA AO JUIZ SERGIO MORO, NA QUARTA-FEIRA

mlucia.rjorge@gmail.com

“Dilma Rousseff diz ser vítima de Eduardo Cunha (impeachment); Lula, de Sergio Moro; e Temer, de Rodrigo Janot. Nós, pobres coitados, somos vítimas de todos eles”

NIVALDO RIBEIRO SANTOS / SÃO PAULO, SOBRE POLÍTICA E JUSTIÇA

nivasan1928@gmail.com

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

A GALEGA TRABALHAVA MUITO

Pelas declarações de Lula ao juiz Sergio Moro, conclui-se que Marisa Letícia morreu de estafa, afinal, ela cuidava de tudo! Contratos de aluguel, reforma do triplex, do sítio de Atibaia, do prédio do Instituto Lula. Como sempre, Lula não se envolvia em nada e de nada sabia.

Claudio Juchem cjuchem@gmail.com

São Paulo

*

ASSUSTADORA A CAPACIDADE DO "CARA"

O ex-presidente Lula, demonstrando um nível de cinismo infinito que uma pessoa pode ter, apresentou-se pela segunda vez para depor perante o juiz Sergio Moro. E, com a maior cara de pau, aliás, característica que lhe é peculiar, disse ao rebater as declarações do ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci, que o mesmo é "calculista", "frio" e "simulador", além de não assumir "fatos ilícitos" por ele praticados. Como também disse que, por Palocci não querer assumir a responsabilidade pelo que fez (fatos ilícitos), joga em cima dos outros tais atos citados. Isso que disse ao depor podemos considerar como sendo uma delação, né não? E, portanto, era de seu pleno conhecimento e estava em conluio com toda essa podridão vergonhosa sem fim?

Angelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

LULA, CINISMO SEM LIMITES

Inexiste pessoa mais cínica do que Lula. Chega a ser nauseante a postura desse crápula, especialmente perante o juiz Sergio Moro. A desfaçatez é sem limites. Dá impressão de se tratar de psicopatia, pois louco ele não é, mas tem grave transtorno de personalidade. O que vem a caracterizar a psicopatia. Isso é incurável. É narcisista, extremamente egocêntrico, manipulador, não sente remorso ou culpa, além de achar que todos estão errados, colocando a culpa de tudo nas costas dos outros. O egoísmo é latente. Enfim, esse é o perfil daquele quer "consertar" o Brasil. O sofrido povo não merece isso! As eleições se aproximam, vamos fazer uma faxina via voto, o brasileiro não pode votar em políticos profissionais e seus tentáculos - filhos, irmãos, esposas, etc. Vamos eleger uma nova classe política. Chega de ladroagem e conchavos!

Carlos Benedito Pereira da Silva carlosbpsilva@gmail.com

Rio Claro

*

EM FRENTE AO ESPELHO

Palavras do inominável ao juiz Sergio Moro: "Ele (Palocci) é tão esperto que é capaz de simular uma mentira mais verdadeira do que a verdade". O juiz deve ter se segurado para não cair na gargalhada, não?!

Aparecida Dileide Gaziolla aparecidagaziolla@gmail.com

São Caetano do Sul 

*

MENTIROSO PROFISSIONAL 

Lula: "Prefiro a morte do que passar à história como mentiroso".Quando e onde será o enterro?

Ely Weinstein elyw@terra.com.br

São Paulo

*

CHEGA A SER PATÉTICO

Nosso bravo juiz Moro ouviu, mais uma vez, que foi a Marisa quem assinou o contrato de aluguel do apartamento de São Bernardo! Que patético!

Elisabeth Migliavacca 

São Paulo

*

DEPOIMENTO DE LULA

O indigitado, quando depôs ao juiz Sergio Moro, mentiu com tanta convicção, apregoando sua inocência, que já está na gaveta do Francisco, o do Vaticano, seu processo de canonização. 

Sergio Cortez cortez@lavoremoveis.com

São Paulo

*

CRIME PERFEITO

Não existe crime perfeito. Tanto Lula quanto Joesley se esqueceram, no meio do caminho, de adquirir um diploma universitário. E vão pagar por esse erro!

Carlos Avino carlosavino.jaks@hotmail.com

São Paulo

*

LAVA JATO

"A Lava Jato não vai parar!", Cármen Lúcia Antunes Rocha, presidente do Supremo Tribunal de Justiça (STJ). Os 207 milhões de brasileiros aplaudem!

 

Paulo Sérgio Arisi paulo.arisi@gmail.com

Porto Alegre

*   

INSATISFAÇÃO 

A sociedade está descontente com os últimos acontecimentos - decisões, manifestações - da mais alta Corte do País. Precisou o ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizar a abertura de um inquérito para investigar o presidente Michel Temer e o ex-deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR), por suposto esquema que teria beneficiado a empresa Rodrimar, que atua no porto de Santos. Sim, pois Janot já havia pedido à Fachin a abertura de uma investigação, mas ministro pediu então para Janot avaliar se era o caso de abrir novo inquérito ou de reabrir um antigo, arquivado em 2011, em que o presidente já havia constado. Janot respondeu que "entre os fatos [...] há um lapso temporal de mais de 15 anos. Além disso, verifica-se que o contexto fático a ser investigado é distinto". Foi então que o ministro Barroso autorizou a abertura do inquérito, como gritava a Constituição fosse feito. O ponto, porém, que queria destacar é que a "escolha" (oficiosa, pois na versão oficial foi "sorteio") de Fachin como relator dos processos da Lava Jato, nem de longe implicou a mesma qualidade de prestação jurisdicional.  Uma pena, uma fatalidade a morte de Teori Zavascki.

Andrea Metne Arnaut  andreaarnaut@uol.com.br

São Paulo 

*

TEMER NO OLHO DO FURACÃO POLÍTICO

Quando Bob Woodward e Carl Bernstein lançaram o livro "Todos os Homens do Presidente", não precisaram desenhar um organograma e colocar Richard Nixon no centro e cercado por todos os lados para explicar o escândalo Watergate, nos Estados Unidos. Aqui, no Brasil, parece que é preciso desenhar a situação e, mesmo assim, não há um desfecho para o escândalo. Talvez porque falte um nome que descreva o absurdo político e martele o último prego no caixão do governo.

Luiz Roberto Da Costa Jr. lrcostajr@uol.com.br

Campinas

*

TUDO, MENOS A INOCÊNCIA!

 

Michel Temer já esperneou, já viajou para lugares que não deveria ter ido e a outros que ninguém queria que ele fosse. Já desqualificou seus delatores e todos os envolvidos na missão de julgá-lo por seus atos. Comprou votos, para não ter sua denúncia aprovada na Câmara, onde, aliás, estão alguns membros do chamado "quadrilhão". Já recorreu a "Pai de Santo", tudo menos se defender e provar com fatos e argumentos consistentes de que é inocente. Nesse período de pouco mais de um ano de governo, não conseguiu recuperar nada, não imprimiu ritmo na economia, não teve nem sequer capacidade de indicar pessoas probas, acima de quaisquer suspeitas, para o seu governo. Ao contrário, loteou seus ministérios com figuras como Geddel de Oliveira. Usa a máquina federal para poder se safar de algo que até o Michelzinho sabe ser impossível: provar sua inocência!     

Rafael Moia Filho rmoiaf@uol.com.br

Bauru 

*

'QUADRILHÃO'

Afinal, ninguém sabe se o novo crime atribuído ao presidente Michel Temer é "quadrilhão" de reais surrupiados ou é um "quadrilhão" de vários políticos que se agruparam em uma quadrilha para se locupletar ilicitamente. Ou serão as duas hipóteses? Com a palavra, o chefe do governo federal.

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo                                                               

*

PARAFRASEANDO TEMER

Parafraseando o presidente em exercício. Facínoras que roubam a verdade. Se não tem nada a temer, por que bancou a compra (corrupção) dos deputados para não abrirem um julgamento contra o senhor? 

Moisés Goldstein mg2448@icloud.com

São Paulo                                                               

*

O MESMO PLANO DE GOVERNO 

O grande plano do governo atual é evitar que Temer também vá para a cadeia, como tem sido o grande plano do PT de Lula.

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

*

SE HOUVESSE VERGONHA

O presidente Michel Temer deveria renunciar ao cargo, diante da avalanche de inquéritos a que responde. Uma Nação não pode tolerar que seu líder máximo esteja envolvido em todos os esquemas de desvio de dinheiro público da paróquia. Se tivesse vergonha na cara, Michel Temer deveria se apresentar de joelhos diante da Nação para explicar o caso da mala de dinheiro entregue ao deputado Rocha Loures, o pacote de dinheiro entregue ao seu amigo José Yunes e sobre os R$ 51 milhões apreendidos em poder de seu ministro Geddel Vieira Lima. Como não há explicação possível para esses crimes e tantos outros que envolvem o presidente da República, Michel Temer deveria entregar o cargo e enfrentar as consequências de suas ações criminosas. 

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo 

*

FLECHA SEM PONTA

A segunda denúncia que Rodrigo Janot deverá oferecer contra Michel Temer não dará em nada. Após a patacoada envolvendo os irmãos Batista, o procurador-geral perdeu a credibilidade junto à opinião pública, o que se refletirá em última análise, no Congresso. A derradeira flecha de Janot nem ponta tem!

Luciano Harary lharary@hotmail.com

São Paulo 

*

PREVARICAR COM FLEXAS

 

Com as suas flechas de bambu, Rodrigo Janot, da Procuradoria-Geral da República (PGR), feriu quem desejou e como quis, deixando as leis ao lado de sua cabeceira para meditação. Esqueceu-se do Lula e da Dilma e guardou nas suas gavetas um pouco do quanto sabia sobre os Batista, tudo com o auxílio do ex-procurador federal Marcelo Miller, atualmente no Escritório de Advocaia Trench & Watanabe do Rio, que defende os interesses da JBS. Janot prevaricou? O tempo dirá, como dirá também, sobre o desejo insopitável de apenar o presidente Michel Temer e o porquê da demora em efetivar gravíssimas denúncias no final de seu mandato. Não deveria rezar para que seus colegas de Ministério Público não gostem de flechas de bambu?

José Carlos de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

*

FICOU DIFÍCIL

Vamos torcer para que, quem ficar no lugar de Temer, não interfira na equipe econômica, pois parece que os desdobramentos investigatórios vão acabar inviabilizando sua presidência.

Luiz Frid fridluiz@gmail.com

São Paulo

*

PASSANDO O BRASIL A LIMPO

Apesar dos pesares de sua conduta recente, deve-se destacar as palavras do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, em seu contundente discurso no Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP): "As instituições estão funcionando. As reações têm sido proporcionais. Como não há escusas para os fatos descobertos, escancaradamente comprovados, a estratégia de defesa não pode ser outra, senão tentar desacreditar a figura das pessoas encarregadas do combate à corrupção. Temos de lembrar e fazer saber aos nossos detratores que não conjugamos dois verbos: retroceder e desistir no combate à corrupção. Em recente pesquisa para avaliar o que pensam os brasileiros, o trabalho de enfrentamento à corrupção foi apontado com larga folga, por 36% dos entrevistados, como nossa missão mais importante. A população reconhece que o êxito das principais políticas depende da boa gestão e aplicação dos recursos. A corrupção é fato decisivo para deficiente prestação dos serviços e que não há outra receita para a qualidade que não passe pela luta incessante contra esse flagelo. Não há outro caminho a seguir. Por fim, mas não menos importante, citou a célebre frase de Henry Ford: "Há mais pessoas que desistem do que pessoas que fracassam." É hora de passar o País a limpo. Muda, Brasil!

J.S. Decol decoljs@gmail.com

São Paulo

*

QUEM SERÁ O PRIMEIRO?

É questão de tempo para ver quem delata quem primeiro. Eu me refiro ao tal Saud ou ao Joesley "Safadão" Batista. Pode ter carrão, bilhão, avião, apartamentão, mulherão, etc., mas bandido é bandido e nisto são todos iguais com ou sem grife!

Paulo Boccato pofboccato@yahoo.com.br

Taquaritinga

*

JANOT SABIA

Jura???              

Oscar Thompson OscarThompson@hotmail.com

Santana de Parnaíba

*                                   

POLÍCIA FEDERAL

Nesta politização das altas Cortes de Justiça, só a Polícia Federal está se saindo bem!

Tania Tavares taniatma@hotmail.com

São Paulo

*

EMBATE GILMAR X FACHIN

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, não deixou de alfinetar o colega Luiz Edson Fachin durante uma audiência da Segunda Turma ao ressaltar que Fachin foi ludibriado por Marcelo Miller, braço direito de Janot, ao homologar o acordo de delação premiada de Joesley Batista, o que, segundo Gilmar Mendes, deve ter lhe causado grande constrangimento pessoal, afora o vexame sem precedentes que o Supremo Tribunal Federal está passando por causa disso. Nem por isso Fachin deixou de responder afirmando que julgou baseado apenas nas provas dos autos e que "sua alma está em paz". Ah...nada como julgar norteado em provas adrede preparadas ao gosto ideológico partidário que o norteia  e à dívida de gratidão que pesa em seu coração, haja vista que Fachin participou ativamente da campanha de Dilma Rousseff, antes de ser indicado para a vaga do STF. Uma resposta vingativa ao impeachment da Dilma e,  ao mesmo tempo, um "muito obrigado, presidenta!"

Mara Montezuma Assaf montezuma.scriba@gmail.com

São Paulo

*    

VERDADES DE GILMAR MENDES DOEM NA ALMA

Discordo, energicamente, de leitores que tiram o couro do ministro Gilmar Mendes, pelas contundentes críticas ao Ministério Público, em geral, e em particular ao procurador-geral, Rodrigo Janot. O jogo é pesado. Para profissionais. A verdade dói na alma.  Mendes não vai se intimidar com a explosão de insultos de vestais grávidas. O ministro age como fazia o saudoso Carlos Lacerda, retrucando desafetos: "Sou contundente e virulento, porque não sou servil". 

Vicente Limongi Netto limonginetto@hotmail.com

Brasília

*

FARINHA DO MESMO SACO

Quando o STF irá admitir que Fachin, Janot e JBS fazem parte da mesma organização criminosa? Janot aceitou as denúncias da JBS (leia se dos irmãos Batistas, os açougueiros), sem antes analisar as provas. Fachin se "arvorou" o ministro do caso, sem ter sido sorteado ou escolhido. Agora, tanto Janot quanto Fachin têm a caneta para mandar prender seus parceiros. A Justiça é assim! 

Jair Nisio jair@smartwood.com.br

Curitiba

*

A PRISÃO DE GAROTINHO

A prisão do ex-governador do Rio de Janeiro, Antony Garotinho, por ter praticado crime de corrupção eleitoral pelo menos 18 mil vezes, me deixou consternado.  Doeu no fundo do meu coração as palavras do seu advogado de defesa.  O senhor doutor por Direito e tradição alegou que o seu cliente, em prisão domiciliar, ficaria afastado do  trabalho de radialista, o que acarretaria ao político dificuldade de prover o sustento da sua família. Fiquei imaginando a ex-governadora Rosinha sem ter o que colocar nas panelas para cozinhar e com o estômago roncando.  Será que não dá para arranjar algumas cestas básicas para a família Garotinho?  É muito triste na hora das refeições não ter nada para comer! 

 

Jeovah Batista jeovahbf@yahoo.com.br

Taquari (DF)

*

PODRES PODERES

Cordial e corrupto: pobre povo brasileiro!

Nivaldo Ribeiro Santos nivasan1928@gmail.com

São Paulo

*

SOMENTE PELA EDUCAÇÃO!

As leis brasileiras beneficiam poucos, somente aqueles com poder aquisitivo alto. O que vemos no Congresso é um enorme abuso de poder. Os parlamentares brasileiros acham que são reis e rainhas. Os privilégios incluem dezenas de funcionários exclusivos, foro especial, ajuda de custo para moradia e vestuário, planos de saúde vip, etc. Não há nenhuma transparência e as instituições não podem ser monitoradas pela população. A gestão da máquina estatal é péssima. Mérito não é um requisito exigido aos políticos. O Brasil será um país justo, quando os governantes utilizarem os transportes, as escolas e os hospitais públicos. O povo só vive com dignidade, quando existe segurança, confiança social, quando a honestidade é um valor comum a todos. Enquanto a distribuição de renda for desequilibrada, a honra e os valores da sociedade permanecerão esquecidos. E a solução passa pela educação!

José Carlos Saraiva da Costajcsdc@uol.com.br

Belo Horizonte 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.