Fórum dos Leitores

“Será que as especulações sobre os seus atos vão deixá-lo descansar?”

O Estado de S.Paulo

17 Setembro 2017 | 03h11

ROBERT HALLER/ SÃO PAULO, SOBRE O FIM DO MANDATO DE RODRIGO JANOT NA PGR

robelisa1@terra.com.br

“Não disseram ao Lula que ele vai ser canonizado em vida. Em seus depoimentos à Justiça, ele parece um santo, pobre coitado”

CÉSAR ROBERTO A. MOREIRA / JOINVILLE (SC), SOBRE O DEPOIMENTO DO EX-PRESIDENTE

caesar.joi@terra.com.br

PGR

A mentira e a denúncia

Rodrigo Janot deixa hoje a chefia da Procuradoria-Geral da República (PGR) sem ter apurado fatos graves, como aquele do e-mail falso em que Dilma Rousseff tramava contra a Operação Lava Jato, e sem explicar por que manteve um silêncio no mínimo vergonhoso quanto à compra da Refinaria de Pasadena, nos EUA, que rendeu milhões ao PT e um prejuízo bilionário à Petrobrás. Por outro lado, o procurador em momento algum deixou de atacar Michel Temer, contra quem existiam uma gravação duvidosa não periciada e acusações sob medida disparadas pelo chefe de uma quadrilha que cooptou deputados, senadores e até o ex-braço direito de Janot na PGR. No apagar das luzes de seu mandato, sob pressão, Rodrigo Janot anulou o acordo de delação premiada de Joesley Batista e de Ricardo Saud, da JBS, graças à recuperação pela Polícia Federal de quatro horas de gravações dos executivos que confessavam vários ilícitos, entre eles o que revelou que Marcelo Miller atuou na PGR enquanto prestava serviços para o escritório de advocacia que defendia a JBS, tudo possivelmente com o conhecimento de Janot. A pergunta é: podem as provas produzidas por um delator que teve seu acordo de colaboração anulado por falta de credibilidade valerem para incriminar Temer? Se Joesley confessou que mentiu, como pode o procurador apresentar nova denúncia contra o presidente da República baseada nas palavras de um mentiroso?

PAULO R. KHERLAKIAN

paulokherlakian@uol.com.br

São Paulo

Muitas dúvidas

Adeus, Janot. Já vai tarde. Fácil jogar a bomba e cair fora, não é? Mas, com certeza, perdeu a credibilidade e deixa um rastro de dúvidas quanto a suas intenções e atitudes, sobre as quais caberia uma boa investigação.

SILVIA REBOUÇAS P. DE ALMEIDA

silvia_almeida7@hotmail.com

São Paulo

OPERAÇÃO LAVA JATO

Palocci, segundo Lula

“Frio, calculista e simulador” foram os adjetivos atribuídos pelo ex-presidente Lula a seu ex-ministro Antonio Palocci durante interrogatório conduzido pelo juiz Sergio Moro na quarta-feira, em Curitiba. Pode ser que o ex-presidente não tenha compreendido a natureza do que disse, mas nós compreendemos. Admite-se que Palocci não seja um candidato à beatificação, mas, se ele é frio, calculista e simulador, como pôde ter sido designado pelo próprio Lula para conduzir a campanha eleitoral que o conduziu à Presidência pela primeira vez? Lula não teria notado essas características de seu fiel correligionário, artífice da Carta ao Povo Brasileiro, fiador da política econômica, interlocutor com a classe empresarial? Se essa for a verdade, então Lula se confessa incompetente para formar sua equipe de trabalho, e um incompetente assim não pode retornar à Presidência. Se ele errou ao escolher Palocci e só agora percebeu o erro, quem nos garante que não errará de novo? Mas, se o ex-presidente mentiu para se defender – e juridicamente ele até tem esse direito –, então ele deixa cair sua máscara para revelar um caráter tão maquiavélico que ruborizaria até o próprio Maquiavel.

LUCIANO DE OLIVEIRA

luciano.os@adv.oabsp.org.br

São Paulo

Depoimentos

Marcelo Odebrecht, Emilio Odebrecht e Antonio Palocci falaram. Lula se calou. Seus amigos já haviam dito tudo o que tinha para ser dito.

JORGE ALBERTO NURKIN

jorge.nurkin@gmail.com

São Paulo

Prestação de contas

Se qualquer brasileiro comete algum engano em sua declaração de Imposto de Renda (IR), a Receita Federal vai para cima do contribuinte. Mas com políticos brasileiros a coisa é diferente: onde está a declaração de IR de Lula provando o imóvel alugado por ele – ops, por dona Marisa Letícia – em São Bernardo do Campo? Isso sem falar dos milhões em espécie nas mãos de políticos, apesar de os bancos no País serem obrigados a informar à Receita Federal sobre saques de alto valor. O Leão não é o mesmo para todos?

MILTON BULACH

mbulach@uol.com.br

Campinas

FUNDOS DE PENSÃO

O rombo na Petros

Onde estava a Federação Única dos Petroleiros (FUP) enquanto os sindicalizados da Petrobrás eram lesados pela Petros – o fundo de pensão dos trabalhadores da empresa –, que fez as mais desastradas aplicações durante os governos petistas, gerando um déficit total de R$ 27,7 bilhões ao fundo? Nos próximos 18 anos, todos os brasileiros terão de arcar com os R$ 12,8 bilhões que a Petrobrás desembolsará para equacionar esse rombo, porque o governo federal é sócio majoritário da empresa e, portanto, nós todos somos também. Lembrando que a FUP participou da “jornada de lutas” na quarta-feira, em Curitiba, em apoio a Lula, que prestava depoimento ao juiz Sergio Moro. É muita desfaçatez!

TANIA TAVARES

taniatma@hotmail.com

São Paulo

Pagando o pato

Não pode restar qualquer dúvida de que o rombo da Petros foi causado pela gestão criminosa do PT. No entanto, há que lembrar que isso só foi possível com a complacência dos sindicatos pelegos e dos próprios funcionários da Petrobrás, que em nenhum momento se manifestaram contra a obviedade das manobras dos gestores do fundo. Agora, que a conta apareceu formalmente (R$ 27,7 bilhões), ela deveria ser paga integralmente pelos próprios beneficiários do fundo, os funcionários da Petrobrás – como o que ocorreria em qualquer fundo de pensão de companhia privada. Mas não. Nada menos do que R$ 12,8 bilhões serão pagos pela empresa, ou seja, pelo povo brasileiro, pelos próximos 18 anos. Mais do que isso, os interesses sobre a Petros continuam tão grandes que não se ouviu um único pio no sentido de contratar empresas independentes para gerir profissionalmente o fundo, como também ocorreria em qualquer fundo de empresa privada. Portanto, a roubalheira não acabou. Como sempre, nada muda. A bandalheira nas estatais continua e o povo é que paga o pato. Vendam esta empresa!

OSCAR THOMPSON

OscarThompson@hotmail.com

Santana de Parnaíba

E agora?

Queria ouvir de algum dos funcionário da Caixa Econômica Federal, do Banco do Brasil, dos Correios ou da Petrobrás qual é a sua intenção de voto para a Presidência da República na eleição de 2018. Principalmente agora, que têm vindo à tona os rombos causados nas contas dessas empresas e de seus respectivos fundos de pensão.

JOSÉ ROBERTO PALMA

palmajoseroberto@yahoo.com.br

São Paulo

ROUBA, MAS FAZ

O presidente Michel Temer e seu nefasto partido, o PMDB, ressuscita, de forma subliminar, na esperança de ludibriar os cidadãos, o infame bordão “rouba, mas faz”. Temer e seu séquito de corruptos esperam que os brasileiros sejam condescendentes, pensando que eles “roubam, mas reduzem a inflação”, “roubam, mas abaixam as taxas de juros”, enfim, “roubam, mas estabilizam a economia”. Ladrão do Erário, que leva pessoas à morte em decorrência da corrupção, merece cadeia, e não condescendência.

Túllio Carvalho tulliocarvalho.advocacia@gmail.com

São Paulo

*

A SOBREVIDA DE TEMER

Quanto custará a Temer a cobrança da Câmara para livrá-lo da segunda denúncia de Janot? Haja fundos!

J.S. Decol decoljs@gmail.com

São Paulo

*

INSENSATEZ

Nossa Justiça é uma piada! Quando conseguimos substituir a Presidência e quem está em exercício começa a reestruturar o País, essa Justiça não para de fazer denúncias contra Temer. Claro que o presidente precisa ser julgado, mas porque não fazê-lo após terminar seu mandato? Não precisa de muito senso para isso ser feito. Presidentes anteriores fizeram coisas bem piores e permaneceram no poder, sendo julgados ultimamente, depois de cumprirem o mandato, por que agora é diferente? Pobre brasileiro, sempre pagando, por tabela, a conta!

Laert Pinto Barbosa laert_barbosa@globo.com

São Paulo

*

FRASES DE EFEITO

As frases de efeito ditas há poucos dias pelo presidente Temer, como: "facínoras roubam a verdade", "criminosos renitentes e persistentes" e "bandidos que constroem versões", foram faladas com ele se olhando ao espelho? Se não foram, deveriam.

Panayotis Poulis ppoulis46@gmail.com

Rio de Janeiro

*

FORA, TEMER!

Eu prefiro manter o Temer até o fim do ano que vem, do que ressuscitar o PT.

Sergio Salgado de Oliveira ssoliveiramsm@gmail.com

Monte Santo de Minas (MG)

*

TEMPOS MAIS CALMOS

Michel Temer, quando discursa, inclusive sobre os ataques a ele, fala com voz normal e com conhecimento de causa, explica que a lei é o que vale,  não incita ódio,  tem modos suaves,  não irrita,  após mais de uma década de gritos,  divisão entre cidadãos,  falácia ignorante e arrogante,  culpando sempre outros,  perseguições,  dizer que perseguem por serem bons para pobres,  enfim, todo tipo de apelo para enganar os mais simples.  Só sei que mesmo não tendo votado na Dilma nem no Lula, agradeço pelo vice que escolheram.  Muito culto, e de modos simples, como todos os verdadeiros elegantes.

Roberto Moreira da Silva rrobertoms@uol.com.br

São Paulo

*

A ÚLTIMA FLECHADA DE RODRIGO JANOT

Como prometido, ele gastou todas as suas flechas naqueles que envergonham nosso País, sofreu horrores durante seu mandato, porque sempre enfrentou os poderosos e os que insistem em continuar roubando nossos recursos que seriam para a saúde, educação e segurança. Agora, na última flechada disparou uma potente que atingiu a turma do quadrilhão, seis numa só vez, todos com os rabos presos pelo esquema de propinas que chegam a R$ 587 milhões. Fica para a próxima procuradora-geral da República a responsabilidade de levar em frente esse escândalo que envergonha nosso Brasil. Dr. Rodrigo Janot, o povo brasileiro lhe agradece por tudo que o senhor fez para evitar mais roubalheiras, mesmo tendo gasto todo seu estoque de bambu, onde as flechas tiveram sempre o destino certo, os corruptos e dos que desviaram os recursos para as malas, como as que foram confiscadas nos apartamentos e pizzarias, onde insistem em dizer que não sabiam de quem era.

José Pedro Naisser  jpnaisser@hotmail.com

Curitiba

*

JUSTIÇA CEGA, SURDA E BURRA

Até quando a mais alta corte de Justiça do País vai se fazer de cega, surda e burra? Até quando o Supremo Tribunal Federal (STF) vai fingir que não está vendo o presidente indiciado, Michel Temer, comprar um por um os votos dos deputados que deveriam julgá-lo? Essa compra é feita à luz do dia, e noticiada no Diário Oficial da União, onde são publicadas as aprovações de emendas parlamentares e as nomeações para cargos públicos. Até quando o STF vai continuar sendo cúmplice e conivente da quadrilha criminosa que a Polícia Federal e a Procuradoria-Geral da República estão tentando desbaratar?

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

*

MÃO NA CUMBUCA

A roubalheira em nosso País é tamanha que até políticos que pareciam honestos colocaram a mão na cumbuca também!

Virgílio Melhado Passoni mmpassoni@gmail.com

Jandaia do Sul (PR)             

*

PROMESSA NÃO CUMPRIDA

Como é de conhecimento da maioria, o presidente Michel Temer afirmou que afastaria qualquer ministro que fosse denunciado pela procuradoria-geral da República (PGR). Porém não a cumpriu sua promessa com os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (secretário geral). Um detalhe muito importante deve ser considerado: como a determinação vale para todos, além de afastar esses dois não deveria se afastar, pois também foi denunciado, né não?

Ângelo Tonelli angelotonelli@yahoo.com.br

São Paulo

*

MP E JUDICIÁRIO

O “Estadão” noticia que "Defesa diz que Janot age como Poder Judiciário". Mas ocorre que a lei que trata das colaborações premiadas e acordos de leniência dá ao Ministério Público (MP) a atribuição de barganhar a pena a ser deferida ao delator (pessoa física ou jurídica), cabendo ao Poder Judiciário apenas homologar ou não os "acordos" celebrados pelas partes. Postumamente ainda há a atribuição do Ministério Público, neste caso o hierarca da instituição, procurador-geral da República, rescindir o acordo homologado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) - caso dos irmãos Batista. Trata-se de um "negócio jurídico processual" e conforme o artigo 4.º, §6.°, da Lei 12.850/13, o "juiz não participará das negociações realizadas entre as partes para a formalização do acordo de colaboração, que ocorrerá entre o delegado de polícia, o investigado e o defensor, com a manifestação do Ministério Público ou, conforme o caso, entre o Ministério Público e o investigado ou acusado e seu defensor". Portanto, a legislação conferiu essa atribuição, de "barganhar" a pena e até o perdão judicial. Ao poder Judiciário compete homologar os acordos de delação e leniência que estiverem estanques de vícios. Portanto, o MP tem sim "poder judicante", pois traz pronto o acordo: a colaboração, que propiciou provas ou indícios é o quanto esta colaboração contribuiu para o esclarecimento do crime maior, espontaneidade do delator, tudo isso, é, de outro lado o montante que minimizada ou extinta a punibilidade. Ora, isto não é judicar? Por todo este pequeno texto, digo que o Ministério Público tem "atribuições". Sim, pois "competência" é termo técnico da atividade judicial. Aqui poderia dizer que é o MP quem detém competência para fazer e desfazer acordos.

Andrea Metne Arnaut  andreaarnaut@uol.com.br

São Paulo

*

DELAÇÃO PREMIADA X LUCIDEZ

Está difícil, muito difícil entender como pensa o STF, após uma delação premiada concedida de forma atabalhoada, que causou um repúdio nacional, e após tantas dúvidas e suspeitas, fazendo com que até a Polícia Federal (PF) entrasse em cena sobre o comportamento do promotor, vir a  decisão unanime do plenário do STF resolvendo que o sr. Janot deveria continuar conduzindo o processo. Um paradoxo que jamais poderia ter ocorrido  e,  para agravar, não houve um ministro com lucidez suficiente para votar de forma diferente.

Ivan  Bertazzo bertazzo@nusa.com.br

São Paulo

*

TRAMITAÇÃO NO JUDICIÁRIO

A tramitação de um processo no nosso Judiciário é algo que mereceria mais atenção. Afinal de contas, quem é acusado de cometer um crime deveria ter o direito de defesa. Mas não de postergar a tramitação. Se ao conceito negativo da classe política agora é somado a de alguns empresários, ficaremos muito mal se o Judiciário também se inserir nesse tipo de comportamento.

Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br

Santos

*

TODOS SÃO IGUAIS?

Os parlamentares do Congresso Nacional colecionam denúncias. A Suprema Corte deixa o tempo passar e os processos vão caducando aos poucos, um a um. Vergonha é uma palavra que não existe nas casas parlamentares de Brasília. Os políticos gritam uns com os outros, como se tivessem moral para criticar alguém. O foro privilegiado beneficia senadores e deputados, que nunca pagam pelos graves crimes cometidos. O ladrão de galinha sempre vai parar na cadeia, diferentemente da nobreza brasileira. Concluímos, com muita tristeza, que as leis brasileiras foram escritas de forma a beneficiar os cidadãos que têm acesso aos advogados.

José Carlos Saraiva da Costa jcsdc@uol.com.br

Belo Horizonte

*

PAÍS DA PIADA PRONTA

O atual momento do Legislativo, Judiciário e Executivo, no Brasil, ressuscita Stanislaw Ponte Preta, com o impagável "Febeapá", ou seja: Festival de Besteiras que Assola o País!

Francisco José Sidoti fransidoti@gmail.com

São Paulo

*

PINÓQUIO

A última do nosso Pinóquio: “Prefiro a morte a passar uma mentira ao povo brasileiro”.

Humberto Schuwartz Soares hs-soares@uol.com.br

Vila Velha (ES)

*

SONEGADOR DA VERDADE

Lula não prestou um depoimento para o juiz Moro, em Curitiba!  Fez, na realidade, mais um discurso para o pleito de 2018, que talvez assista de trás das grades... E Palocci, seu ex-ministro outrora venerado, como um cidadão inteligente, virtuoso, etc., para o ex-presidente, agora que arrotou todos os podres de Lula para Moro, passa a ser um traidor!  Esse ex-metalúrgico, sem compostura alguma, culpa também até a sua mulher já falecida por alguns ilícitos. Neste sentido, a verdade para Lula é tal qual a dos camelôs, que dizem genuínos os produtos pirateados que vendem pelas calçadas do País. Ou seja, o ex-presidente é um mestre em sonegar a verdade. Além do mais, como afirmam nossas autoridades, é um formador de quadrilha.

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

*

TRUCULÊNCIA

Em depoimento ao juiz Sergio Moro, o ex-presidente Lula, sempre arrogante, cínico e truculento, demonstrou todo seu pavor de ser novamente condenado. Com total falta de urbanidade, referiu-se à representante do Ministério Público Federal como "querida". Na segunda vez, levou um puxão de orelhas da procuradora e do juiz Sergio Moro. O corrupto deixou claro que está "apavorado", chegando ao cúmulo de afirmar que Palocci tem capacidade de simular uma mentira e torná-la verdadeira. Ora, será que Lula aprendeu com Palocci ou foi Palocci que aprendeu com Lula essa técnica? Que triste decadência, né Lula!

Júlio Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

*

O PODEROSO CHEFÃO

Lula está tentando criar uma nova modalidade penal: o "crime premiado". O mais engraçado é ele afirmar que Palocci é dissimulado. É muita cara de pau!     

Luiz Frid fridluiz@gmail.com

São Paulo

*

QUADRILHA DO PT

Lula & família, Gleisi & família, Palocci, Lindbergh, Dirceu, Mantega, Genoíno etc. Qual deles é menos cínico, mentiroso e corrupto? São os quadrilheiros que representam o PT.

Ariovaldo Batista arioba06@hotmail.com

São Bernardo do Campo

*

OS ARROGANTES PETISTAS

Lula e os petistas de maneira arrogante subestimaram a consciência nacional, o papel do Ministério Público e o desempenho da magistratura.

Eugênio José Alati eugenioalati13@gmail.com

Campinas

*

LULA NA ESCOLA DE DILMA

Após ouvir parte das elucubrações do "homem mais desonesto do País", porque sinceramente acho que poucos têm paciência para ficar ouvindo por horas alguém dizer que não viu nada, não sabe de nada, não assinou nada, etc.. Mas quando disse: Palocci é tão esperto que é capaz de simular uma mentira mais verdadeira que a verdade e que, se Palocci não fosse um ser humano, seria um dissimulador, pensei com meus botões: caramba, ele deve ter tido algumas aulas com a encanadora de vento Dilma Rousseff! chega de enrolação, cadeia nele!

Luiz Roberto Savoldelli savoldelli@uol.com.br

São Bernardo do Campo

*

LULA E A LAVA JATO

Quem tem Lula como “cumpanheiro” não precisa de inimigo

José Roberto Iglesias rzeiglezias@gmail.com

São Paulo

*

DEPOIMENTO DE LULA

Patético, bizarro, extremamente arrogante, até um pouco etéreo o depoimento do "inocente" depoente.      E ele quase destruiu o País e, pior, pretende retornar!

Carlos Eduardo Barros Rodrigues ceb.rodrigues@hotmail.com

São Paulo

*

MENTIROSO

O ex-presidente voltou a negar o recebimento ilegal de qualquer valor em forma de propina pelos benefícios concedidos aos empresários brasileiros. Os empresários que assistem aos depoimentos e discursos do chefão do PT dizem: "Nunca se viu alguém mentir com tamanha convicção”. Até Lula acredita nas suas mentiras.

José Alcides Muller josealcidesmuller@hotmail.com

Avaré

*

PARTIDOS POLÍTICOS = MÁFIA

A sucessão de comportamentos desonestos de políticos e seus partidos lembra a máfia siciliana “cosa mostra”, uma associação de capos das "famiglias", que se reunia para combinar quem, quando e onde iriam roubar ou criar atividades ilegais, mas lucrativas, drogas, prostíbulos, bebidas etc. Aqui temos as famiglias PT, PMDB, PP, etc. As reuniões são no Congresso, no Palácio da Alvorada, Jaburu, etc. Nos governos petistas todos sabem quem era o capo; parece que os únicos que não sabem são os membros do Judiciário e os laranjas beneficiados pelo sistema.   

Mário A. Dente eticototal@gmail.com

São Paulo

*

A REALIDADE GRITA

Apesar de o Brasil ser um país de muitos erros, todos os seus dirigentes, do passado e do presente, estão absolutamente convencidos de que fizeram tudo certo. Como assim?

Ricardo Siqueira ricardocsiqueira@globo.com

Niterói

*

PESQUISAS ELEITORAIS

Não precisam ser desonestas, bastam ser tendenciosas e dirigidas, motivo pelo qual deve ser proibida sua divulgação ou restrita aos partidos e candidatos, considerando que o eleitor vota como se estivesse fazendo um jogo na loteria.

Aurélio Paiva aureliobpaiva@gmail.com

Brasília

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.