Fórum dos Leitores

PESQUISA ELEITORAL

O Estado de S.Paulo

21 Setembro 2017 | 03h11

Bico do corvo

É inacreditável verificar, pelo resultado da pesquisa CNT/MDA publicada pelo Estadão (20/9, A8), que aproximadamente 20 milhões (20,2%) de patrícios ainda votariam no “demiurgo do agreste” para presidente da República, mesmo sabendo que ele já foi condenado a 9 anos e 6 meses de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro e é réu em mais seis ações correndo na Justiça. E mesmo sofrendo na carne as consequências de 13 anos de desgoverno petista, oito dos quais sob o comando direto do cara de pau, inescrupuloso e mentiroso que se diz o indivíduo mais honesto do País. Ao mesmo tempo, outro possível candidato ao cargo máximo da Nação, cujo partido ainda tem dúvidas se o escolhe ou não para concorrer, que governa o Estado de São Paulo pela quarta vez desde 2001 – Estado que ocupa o primeiro lugar em desempenho no ranking de competitividade, segundo estudo feito pelo Centro de Liderança Pública/Tendências Consultoria Integrada (Estadão 20/9, B10), dez pontos acima do segundo colocado –, receberia os votos de apenas 1 milhão de eleitores. Chega a ser aterrorizante e desanimador. Não estivesse eu no “bico do corvo”, como se diz, na “sala de espera do consultório do Senhor”, prestes a ser chamado para entrar, pegaria meu chapéu e iria embora deste país (sic).

JOSÉ CLAUDIO MARMO RIZZO

jcmrizzo@uol.com.br

São Paulo

Deprimente

Acerca das recentes pesquisas de intenção de voto indicando que o Lula, já condenado e réu em sete ações penais na Justiça, venceria em todos os cenários se as eleições presidenciais fossem hoje: é o fã clube do rouba, mas não faz? Ou, devido ao estrondoso sucesso, queremos assistir à versão dois das operações mensalão, petrolão, Zelotes, Lava Jato e tantas outras? Deprimente!

OMAR EL SEOUD

elseoud.usp@gmail.com

São Paulo

Eleitor apoia corrupto?!

Por que o presidente Michel Temer, que está tirando a economia da recessão e aos poucos também recupera os empregos dos 14 milhões de brasileiros que foram postos ao relento pelo PT, tem nessa pesquisa CNT/MDA avaliação negativa de 75,6%, a pior entre os ocupantes do Planalto desde 1998? Pior ainda que a de Dilma Rousseff, que em julho de 2015 era reprovada por 70,9% dos entrevistados. Se esses números negativos da avaliação de Temer refletem o resultado das denúncias que ele tem nas costas por supostos atos de corrupção, o que dizer, então, de Lula, que na mesma pesquisa é o mais bem avaliado e venceria com folga a eleição presidencial, se fosse hoje, mesmo sendo réu pela sétima vez e já com uma condenação de 9 anos e 6 meses de prisão? Será que o povo brasileiro não está preocupado com a ética nas nossas instituições e deseja eleger um corrupto para o Planalto? Que país é este!

PAULO PANOSSIAN

paulopanossian@hotmail.com

São Carlos

Inutilidade

Volta e meia vejo na imprensa resultados de pesquisas eleitorais para presidente feitas em época fora do calendário eleitoral. Para que finalidade não sei, pois o resultado não tem nenhum valor. Certamente terá muito valor para quem encomenda a pesquisa com finalidade duvidosa...

TOSHIO ICIZUCA

toshioicizuca@terra.com.br

Piracicaba

CORRUPÇÃO

Heptarréu

Brio, escrúpulos, caráter, ética, honestidade, honradez, moral, integridade e decência são palavras que não constam no dicionário de Lula da Silva. Nas duas últimas audiências com o juiz Sergio Moro ele pôs a culpa de tudo na falecida esposa. Lula mente descaradamente, sem o menor constrangimento. O heptarréu continua querendo enganar os eleitores. É simplesmente uma vergonha para o Brasil. Lula quebrou a Petrobrás, encheu as empresas estatais de companheiros, acumulando uma dívida trilionária. Ele destrói tudo o que entra em contato com ele.

JOSÉ CARLOS SARAIVA DA COSTA

jcsdc@uol.com.br

Belo Horizonte

Separar o joio

Parece incrível, mas é verdade, um cidadão com mais de 60 anos não saber separar o joio do trigo. Como pôde o cidadão que, infelizmente, ocupou a Presidência deste país ter na sua equipe tantos mentirosos, ter ministro que considera devasso? E olha que há muitos que deveriam seguir o exemplo do “Italiano” e falar tudo o que sabem, como José Dirceu, Gilberto Carvalho, Delúbio Soares, etc. Agora ele é réu pela sétima vez. Qualquer idiota sabe muito bem o que se passa ao seu redor – dize-me com quem andas e te direi quem és. Mas ele não sabe de nada, não viu nada, a culpa é da falecida esposa (acusar quem não se pode defender é canalhice), que administrava os bens do casal... Se eu tenho a consciência tranquila, deixo tudo em aberto para que seja realmente analisado e provado que eu não tenho culpa de nada. No entanto, no caso dele, só lhe falta recorrer a Satanás.

JOSÉ FERNANDEZ RODRIGUEZ

rodriguez1941@gmail.com

Santos

Tragédia Castro

Ao ler os depoimentos de Lula e do “primeiro-cumpade”, o advogado Roberto Teixeira, e constatar a suprema importância de dona Marisa Letícia na condução dos intrincados negócios do marido, não pude deixar de evocar os imortais versos de Os Lusíadas (Canto III): “... Aconteceu da mísera e mesquinha/ Que depois de ser morta foi rainha”... Disse-o bem Camões.

ALEXANDRE DE MACEDO MARQUES

ammarques@uol.com.br

São Paulo

MINISTÉRIO PÚBLICO

‘Quebrou-se o mito’

O irretocável editorial publicado ontem (20/9, A3) merece ser lido e apoiado por todos os cidadãos guiados pelas rédeas das leis gerais e da Constituição. Ou seja, a maioria da população brasileira, que desde cedo aprendeu que ninguém está acima da lei. Qualquer ente – seja gentil mortal, autoridade ou instituição – que atue fora desse enquadramento fere princípios, desacata valores, usurpa direitos. É inegável a importância do Ministério Público. Mas igualmente, como bem aponta o Estadão, “num Estado Democrático de Direito não deve existir poder sem controle, interno e externo. Não há poder absoluto”. Se o Ministério Público proporcionou muitos benefícios ao País, também acarretou inúmeros malefícios, sem sofrer nenhuma responsabilização. Mais uma vez o Estadão coloca com clareza a verdade dos fatos e convida a sociedade a refletir e, provavelmente, concluir pela necessidade de trazer os membros do Ministério Público para a vida dos comuns (nós). Nela, quem erra arca com as consequências de seus erros.

FLAVIO AMARY, presidente

do Secovi-SP

presidencia@secovi.com.br

São Paulo

“É hepta, é hepta! Nunca antes na História deste país um ex-presidente 

foi hepta. Heptarréu!”

JOSÉ ROBERTO NIERO / SÃO CAETANO DO SUL, SOBRE A ACUSAÇÃO DE VENDA DE MEDIDA PROVISÓRIA DE INCENTIVOS FISCAIS A MONTADORAS 

jrniero@yahoo.com.br

“Gleisi Hoffmann propõe que o PT não apresente candidatos às eleições 

de 2018. Como se fizesse alguma diferença...”

LUIZ FRID / SÃO PAULO, SOBRE O PROTESTO CONTRA EVENTUAL IMPEDIMENTO DA CANDIDATURA DO CHEFE, JÁ CONDENADO 

NA JUSTIÇA POR CORRUPÇÃO

luiz.frid@globomail.com

Cartas selecionadas para o Fórum dos Leitores do portal estadao.com.br

A LAVA JATO E SUA MULTIPLICAÇÃO

 

Diz o noticiário que o procurador Deltan Dalagnol, em palestra para 290 procuradores de 25 Estados, Distrito Federal e do próprio Ministério Público Federal (MPF), revelou sua expectativa de que a Operação Lava Jato, hoje com 45 fases, chegue ou até passe das 500. As notícias da multiplicação do método de apuração e a previsão de mais de 500 intervenções permitem pensar que as investigações se estenderão a Estados ainda não pesquisados e, principalmente, aos municípios. Governadores, prefeitos, deputados estaduais, vereadores e dirigentes de instituições públicas e privadas que com elas transacionam que coloquem suas barbas de molho. A Lava Jato eliminou o pacto de silêncio normalmente existente entre praticantes de ilícitos. Se for tão ampla quanto se prevê, pode fixar novos paradigmas para a tão judiada administração pública brasileira. O rigor das apurações e a delação como único meio de reduzir as penas constituem as pedras de toque que já fizeram de Lula réu sete vezes (condenado numa delas), centenas de políticos, executivos e empresários investigados, presos ou processados, e acena para um Brasil melhor. A corrupção é uma das maiores injustiças que acometem nosso país. Por meio dela, os recursos públicos vão para mãos indevidas e a população sofre - e até morre - por falta de saúde, educação, segurança, trabalho outros bens e serviços que os governos têm o dever legal de prestar, mas negligenciam por falta de recursos. A continuidade da Lava Jato é de interesse nacional.  

 

Dirceu Cardoso Gonçalves aspomilpm@terra.com.br

São Paulo

*

INCERTEZAS NA LAVA JATO

Há motivos para um ar de otimismo dos políticos envolvidos na Lava Jato. Apesar do perfil técnico e severo da nova procuradora-geral da República, Raquel Dodge, o fato de ela não ter mencionado a Lava Jato no seu discurso de posse e ter mudado fortemente a composição do grupo que atua na operação - de 10, trocou 8 - dão uma espécie de sinalização aos envolvidos de que a pressão pode abrandar. Mas a maior esperança dessa gente, que só tem como temor a cadeia, está nas mãos da presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia. Alguns de seus colegas já sinalizaram abertamente que mudaram de opinião e, se a presidente abrir nova votação para o atual entendimento da aplicação da pena após condenação em segunda instância, com certeza, a decisão muda de lado. Quem sabe, por goleada.

Abel Pires Rodrigues abel@knn.com.br

Rio de Janeiro 

*

A REPRISE DA OPERAÇÃO ITALIANA

Com a posse da nova procuradora-geral da República - saudada com todas as loas pelos presentes à cerimônia de posse, entre eles um sem-número de políticos de alto coturno já denunciados ou indiciados, em companhia de seus competentes advogados e cuja esperança maior é manter a impunidade vigente até bem pouco tempo atrás -, que em seu discurso inaugural destacou que "ao Ministério Público cabe muito mais do que combater a corrupção"; e quando se lê na imprensa a absurda avaliação de que o antigo procurador "tanto mal fez ao País nos últimos tempos", além das críticas ferozes contra o trabalho incansável dos procuradores contra os meliantes que agem soltos na classe política e em empresas corruptoras, percebe-se claramente que a Operação Lava Jato e o combate à corrupção a ela associado estão com seus dias contados. Como sua congênere italiana, a Operação Mani Pulite, a Lava Jato está próxima de ser engolida, digerida e expelida da vida nacional pelo sistema político atual. É lamentável!

José Claudio Marmo Rizzo jcmrizzo@uol.com.br

São Paulo

*

QUATRO ANOS

Os quatro anos durante os quais esteve à frente da Procuradoria-Geral da República (PGR) foram suficientes para Rodrigo Janot - ausente, "por motivos protocolares" (quais?), à cerimônia de posse da sucessora Rachel Dodge - diminuir substancialmente, em relação ao cenário que encontrou quando assumiu, a parcela de "(...) larápios egoístas e escroques ousados que, infelizmente, ainda ocupam vistosos cargos na nossa República"? Caso afirmativo, de quanto foi a redução e quem foram os atingidos? Como se trata de dados objetivos - números e nomes -, seria interessante que fossem divulgados. 

Paulo Roberto Gotaç prgotac@hotmail.com 

Rio de Janeiro

*

O BRASIL ESPERA

O Brasil espera que a nova procuradora-geral da República contrarie as expectativas e trate com isenção os processos que envolvem o presidente da República. Acusado de corrupção, organização criminosa e obstrução à Justiça, Michel Temer deve muitas explicações à Justiça e à Nação. Temer se livrou do processo no Tribunal Superior Eleitoral trocando os juízes; e manipulou o procedimento de escolha do novo procurador-geral da República. Cabe à nova procuradora demonstrar ao País que não foi escolhida para obedecer às ordens do presidente. 

Mário Barilá Filho mariobarila@yahoo.com.br

São Paulo

*

COVARDIA

O criminoso Joesley Batista, com a maior cara de pau, disse em depoimento à Justiça que a rescisão de sua proteção judicial foi uma "covardia", pois havia delatado e entregue todas as provas que possuía. Na verdade, como diferente não poderia ser, omitiu e escondeu documentos no exterior e chegou a dar um golpe no mercado financeiro, além da "autocondenação" nas aberrações das próprias gravações. Esqueceu-se, também, das gravações covardes contra Michel Temer, e agora diz que foi traído. Só não desestabilizou ainda mais o País por falta de tempo. Como disse o ministro Luiz Fux, que veraneiem na Papuda, e não em Nova York!

Júlio Roberto Ayres Brisola jrobrisola@uol.com.br

São Paulo

*

PACTO ENTRE CRIMINOSOS

Quando se faz um trato com uma pessoa, e esta pessoa rompe o trato, chama-se covardia. A declaração de Joesley Batista, explicitamente direcionada ao "homem da flecha", chamando-o de covarde, é porque no trato feito o pacto seria: você me entrega o presidente e eu te dou liberdade. Pactos assim são dignos de associações criminosas. Aliás, ao ouvir as conversas gravadas da dupla Joesley e Saud, lembrei-me de pactos entre gangsteres. Dá para acreditar nesta turma?

Olavo Fortes C. Rodrigues olavo_terceiro@hotmail.com

São Paulo

*

BRINCANDO COM AS AUTORIDADES

Os irmãos Joesley e Wesley Batista mentiram e omitiram! Na gravação exibida ao Brasil em conversa com seu executivo Ricardo Saud, Joesley falou que só contaria "20 traquinagens" que aprontaram. "Você acha que vou contar 30?", disse ele. Traquinagens que, na verdade, devem ser muito mais do que 30, devem ser mais de 100. Mentiram, omitiram e pegaram os benefícios da delação premiada e acordo de leniência para devolução do dinheiro que pegaram sorrateiramente no BNDES! Enquanto isso, o outro irmão, Wesley, estava operando no mercado financeiro com informações privilegiadas - mais um crime! Agora, tentam se fazer de vítimas. Só podem estar brincando com a sociedade brasileira, com as autoridades do Ministério Público Federal e com a Polícia Federal! Viva a Lava Jato!

 

Rodrigo A. dos S. Echeverria rodecheverria73@hotmail.com

São Paulo

*

JOESLEY XAVEQUEIRO

Joesley Batista, dono da JBS, que está preso, em seu depoimento à Justiça Federal, em São Paulo, disse sem se ruborizar: "Fui mexer com os donos do poder e estou aqui (preso) agora". O dito professor de malandragem, que indignou o País por ter subornado com R$ 1,4 bilhão 1.829 políticos, não está preso porque mexeu com os donos do poder. Foi preso na realidade pela pressão popular. Isso porque a sociedade brasileira não aceitou que, de "mão beijada", Joesley, seu irmão Wesley e o diretor da empresa Ricardo Saud fossem beneficiados com indulto penal por meio de uma delação fajuta homologada por Rodrigo Janot e pelo ministro do STF Edson Fachin. Como se comprovou ser... Ora, em tempo de Lava Jato, não adianta corrupto e corruptor ficar xavecando. O destino é o xilindró! 

Paulo Panossian paulopanossian@hotmail.com

São Carlos 

*

BOBOS

Se Marcelo Odebrecht, príncipe das nossas empreiteiras, ao concluir a sua famosa delação premiada, se considerou o "bobo da Corte", os bilionários irmãos Batista (Joesley e Wesley), reis dos nossos açougues, depois da sua mal-sucedida delação, devem estar se julgando os "bobos do corte".

Nivaldo Ribeiro Santos nivasan1928@gmail.com

São Paulo

*

DE VOLTA À PRESIDÊNCIA

O criador da JBS, José Batista Sobrinho, reassume a presidência da empresa que fundou, uma vez que as criaturas, seus filhos, estão presas pelas muitas falcatruas que, com as benesses do "chefão", cometeram. Como ele ainda estava sempre presente na empresa, deveria saber de tudo, e a JBS retorna ao "status quo" anterior. O BNDES ainda receberá o que financiou para esse grupo? A era petralha foi mesmo uma desgraça...

Carlos E. Barros Rodrigues ceb.rodrigues@hotmail.com

São Paulo

*

LIÇÃO

A lição que tivemos destes anos de institucionalização da corrupção é de que "vale mais uma meia mentira do que uma verdade absoluta"!

Francisco José Sidoti fransidoti@gmail.com

São Paulo

*

AINDA OS R$ 51 MILHÕES

Já se passaram duas semanas e não se sabe de quem são os R$ 51 milhões encontrados no apartamento de um amigo de Geddel Vieira Lima, em Salvador. No entanto, Geddel nem confirma nem nega a posse de tal montante, mesmo tendo sido identificadas suas digitais nele. Já há confirmação da entrega do dinheiro a mando do ex-ministro. Enquanto a novela ganha novos capítulos, a defesa alega que a prisão de Geddel é absurda. Absurdo, inaceitável e vergonhoso é assistirmos a esta afronta que se faz com dinheiro roubado e a morosidade a Justiça em destinar esse dinheiro sem dono. E, se não se tem dono, que se dê um destino a tantas áreas necessitadas neste país. É triste ver tantas pessoas morrendo de fome, por falta de saúde, de segurança, enquanto esta gente acostumada a roubar ganha tempo para recuperar o produto do roubo. 

Izabel Avallone izabelavallone@gmail.com

São Paulo

*

GEDDEL SOB PRESSÃO

Causa espécie tomar conhecimento de que a defesa do ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB-BA), ora detido na Papuda, em Brasília, pediu à Justiça que ele volte ao regime de prisão domiciliar em seu luxuoso apartamento em Salvador, sob a esdrúxula alegação que seu cliente corre "risco de estupro". A que ponto chegamos!

J. S. Decol decoljs@gmail.com

São Paulo

*

CULPA

Lula põe a culpa de tudo na mulher falecida, Marisa. Geddel tentou culpar o pai, não colou. Temo pela mulher dele.

Paulo Roberto Santos prsantos1952@bol.com.br

Niterói (RJ)

*

O TUFÃO GEDDEL

Tufão Geddel se aproxima das costas de Temer! Tufão de escala R$ 51 milhões pode arrasar Brasília! Temer faz delação premiada e acusa Geddel de roubar R$ 51 milhões da poupança do PMDB! Trump quer fazer delação premiada, acusando Temer de roubar a cena em sua estreia na ONU! Gilmar Mendes faz delação premiada contra Janot, Benjamin, Marco Aurélio, Celso de Mello, Barroso, Emile Zola, Brutus, Adão, Eva, a serpente, Deus e o outro diabo, delata a si próprio e se encarcera! Depois da delação premiada de Paulo Roberto Costa, de Cerveró, de Renato Duque, de Youssef, de Marcelo Odebrecht, de Delcídio, de Renato Machado, de Joesley, de Funaro, de Barusco, de Palocci, Cunha, Geddel e todo mundo mais, o Brasil se denuncia na ONU e passa a usar Boicoteleira Eletrônica! Ninguém entra, ninguém sai. Teje todo mundo preso!

        

Paulo Sérgio Arisi paulo.arisi@gmail.com

Porto Alegre

*

FRANCAMENTE!

Realmente, para mim, o Brasil chegou ao fundo do poço! Como professor, como posso ensinar uma criança em idade escolar a ter bons princípios, ser honesta, cumprir com seus deveres, às vezes convivendo com dificuldades financeiras num país que deixa a desejar na saúde, na educação, etc., se vemos na televisão políticos, ministros, deputados envolvidos em falcatruas, desvios de dinheiro público e, como se tudo isso não bastasse, o presidente da República acusado de ser o chefe de uma quadrilha? Francamente!

Arnaldo Luiz de O. Filho arluolf@hotmail.com

Itapeva

*

SÁBIA REPREENSÃO

Até os homens mais geniais da História já teriam chutado o balde de nossa classe política, sempre pronta a defender seus próprios interesses à custa de negociações que só prejudicam a sociedade. Como caberia bem aos nossos políticos a repreensão que fez Michelangelo ao irmão mais novo, inclinado à vadiagem: "Giovanisimone, dizem que se você tratar amavelmente um bom homem ele se tornará ainda melhor; mas se você fizer o mesmo com um homem ruim ele se tornará ainda pior... Deixe-me lembrar que o dinheiro que gasta, inclusive em suas despesas domésticas, sou eu quem dá. Se eu receber mais alguma reclamação sobre seu comportamento, viajarei até Florença, para tomar-lhe pessoalmente satisfações". Se vivesse aqui, hoje, conosco, Michelangelo certamente iria até Brasília. 

Irene Maria Dell'Avanzi irenedellavanzi@gmail.com

São Paulo

*

SATISFAÇÃO

O ministro do STF Alexandre de Moraes pediu vistas nas discussões sobre ações penais com foro privilegiado e afirmou que devolveria rapidamente o processo. Pergunto: quanto é "rapidamente"? Meses, anos, décadas?

Luiz Frid luiz.frid@globomail.com

São Paulo

*

INADIMPLÊNCIA PERIGOSA

 

Em apenas um ano, a inadimplência nos bancos públicos aumentou R$ 10 bilhões, soma que direciona para a falta de cautela nos empréstimos dos bancos governamentais. A crise de inadimplência por que passa o País atinge, também, os bancos privados, as empresas em geral e os credores menores, incrementando uma corrente crescente de inadimplentes, determinando um processo de causação circular progressivo, definindo em economês. É um dos problemas mais graves que a Nação enfrenta.

José C. de Carvalho Carneiro carneirojc@ig.com.br

Rio Claro

*

OS MAIORES CALOTEIROS

Nenhuma novidade que o calote nos bancos públicos tenha crescido R$ 10 bilhões em apenas um ano. Coincidência ou não, o aumento se deu justamente um ano após o impeachment da presidente Dilma, porque na continuidade daquele governo provavelmente os empréstimos seriam eternamente refeitos sem garantia nenhuma, já que as empresas estão quebradas. Basta dizer que a maioria das inadimplentes era a "menina dos olhos" da República lulodilmista, cujas diretorias estão presas pela Lava Jato delatando propinas e mais propinas.  Fora que a maioria dos calotes se dá no BNDES, cuja CPI não encontrou nada "suspeito". Embora inadimplentes com nossos bancos, essas empresas rechearam os bolsos dos petistas. Ainda bem que as regras da política mudaram, senão já pensaram se o PT continuasse no poder? 

Beatriz Campos beatriz.campos@uol.com.br

São Paulo

*

PREJUÍZO NOSSO

Qualquer banqueiro experiente sabe que clientes só conseguem pagar empréstimos de duas formas: com geração de lucro nas suas atividades ou com um novo empréstimo dado por outro banco. Com a crise, a primeira opção de pagamento acima não só se esvaziou, como também se agravou, na medida em que os bancos privados não tiveram interesse em manter empréstimos mais arriscados e exigiram o pagamento dos mesmos. Com as empresas sem caixa, eis que surgem os bancos estatais, sob a batuta do PT, para "salvar" os clientes dos "inescrupulosos" bancos privados. O movimento estatal não poderia ter sido recebido com braços mais abertos pelos bancos privados (grandes contribuintes das campanhas do PT) e o resultado não poderia ter sido mais previsível. Diminuição de inadimplência dos bancos privados e aumento de perdas dos bancos estatais em nada menos que R$ 10 bilhões, perdas que serão devidamente absorvidos pelos contribuintes brasileiros, os verdadeiros donos dos bancos estatais. A banda alegre do PT vai publicamente se orgulhar de ter aumentado o papel dos bancos estatais na economia, mas o único objetivo alcançado foi a transferência de R$ 10 bilhões de prejuízo dos bancos privados para os bancos estatais. O que será que precisamos fazer para que a população brasileira entenda que os bancos estatais não agregam nenhum valor à vida do cidadão honesto e trabalhador? Que vendam todos os bancos estatais!

Oscar Thompson OscarThompson@hotmail.com

Santana de Parnaíba

*

PATROCÍNIO DA CAIXA

Quase todos os clubes de futebol no Brasil, são patrocinados pela Caixa Econômica Federal (CEF). Alguém deve estar levando vantagens nisso. Acho que está na hora de fiscalizar. É muito dinheiro que está rolando.

Marcílio Faustino m_faustino@uol.com.br

São Paulo

*

TRUMP NA ONU

Ao ver na íntegra o discurso de Donald Trump, de 40 minutos, em que ele fala que "se os EUA forem forçados a defender a si e seus aliados, não terá escolha a não ser de destruir totalmente a Coreia do Norte", notei que muitos não viram o final de seu discurso, em que ele esculacha membros da ONU e cobra participação de todos para dar um jeito na Coreia do Norte.  E ele encerra com uma pergunta: "É para isso que a ONU serve, não é?". Em resumo, ele quis falar que na verdade isso seria função da ONU, domar a Coreia do Norte, e caso isso não aconteça e o ditador coreano provocar os EUA e seus aliados, eles estão prontos para atacar e acabar de uma vez. Logo, então, eu também pergunto: Qual a função da ONU nessa situação? 

Marcel Frisene marcelfrisene@hotmail.com

Ribeirão Preto 

*

INACEITÁVEL

O posicionamento agressivo e ameaçador do presidente dos Estados Unidos na Assembleia-Geral da ONU esta semana é inaceitável nos dias atuais. Por que ele se julga no direito de tentar ditar regras? Por que não buscar no diálogo transparente a solução para a violência que se espalha pelas mais diferentes regiões deste mundo? E por que alguns países podem ter armas nucleares e outros não? Ele poderia dar um exemplo, destruindo seus arsenais, como prova de que busca a paz.

Uriel Villas Boas urielvillasboas@yahoo.com.br

Santos

*

GUERRA NUCLEAR

 

Ao que parece, segundo a fala do presidente Trump na ONU, ao afirmar que vai destruir a Coreia do Norte, dentro em breve acontecerá a Quarta Guerra Mundial, nuclear, cujas consequências serão devastadoras, incrivelmente devastadoras. Que os dois líderes tenham juízo e, pacificamente, se entendam, prevaleça a paz na face da Terra.

Humberto Schuwartz Soares hs-soares@uol.com.br

Vila Velha (ES)

*

A SORTE ESTÁ LANÇADA

"Si vis pacem, para bellum." Assim escreveu Vegetius nos anos 400 d.C. Se queres a paz, prepara-te para a guerra. Ninguém, nem Trump, precisa ler os livros desse antigo autor para entender o recado. O único meio para evitar uma guerra é preparar-se para ela, não desprezando as primeiras ameaças. Obama desprezou. Agora, "alea jacta est". A sorte está lançada...

Gilberto Dib gilberto@dib.com.br

São Paulo

*

DEUS NOS ACUDA!

O presidente americano discursando na ONU alerta sobre possível destruição da Coreia do Norte; o Furacão Maria vai fazendo sua parte na destruição das ilhas do Caribe, aproximando-se velozmente do próprio Estados Unidos, para possivelmente dar um grau maior nos índices do Harvey e do Irma; um terremoto fere gravemente as terras mexicanas, destruindo e matando centenas de pessoas; o presidente Temer discursa na ONU para tentar moldar uma situação moralmente insustentável das agruras tupiniquins, aqui, em nosso chão abençoado pelo Criador, onde - pelo menos até agora, graças a Deus - não temos furacões, terremotos, tsunamis e outros cataclismos, vamos deglutindo e engolindo goela abaixo as falcatruas e os desmandos de uma casta perversa de alguns políticos e empresários que contaminaram a vida pública e empresarial. O Brasil, privilegiado em não ter desastres naturais, tem suas entranhas tomadas pela corrupção generalizada, usufruídas pelos áulicos do lulopetismo e seus comparsas coligados. Enquanto 13 milhões de desempregados aguardam uma luz, o responsável mor pela catástrofe, condenado e prestes a ser trancafiado, ainda mantém 30% de intenções de voto para um possível novo mandado presidencial. Os terremotos, os furacões e a corrupção estão explicitadas na figura do ex-presidente, que foi, não deveria ter sido e jamais será novamente. Que Deus nos acuda!

Aloisio A. De Lucca aloisiodelucca@yahoo.com.br

Limeira

*

BRASIL E VENEZUELA

Após um longo período afastado de países democráticos, quando a política externa do Brasil sob a orientação de Marco Aurélio Garcia e do PT priorizava a formação de parcerias terceiro-mundistas de esquerda como Cuba, Venezuela e Bolívia, finalmente nosso país, sob a atual administração, volta a se alinhar com países democráticos na solução de problemas que dizem respeito a todos, especialmente aos brasileiros, que veem nascer próximo ao nosso quintal - Venezuela - uma ditadura sangrenta nos mesmos moldes da cubana e soviética. Após abrir o discurso na ONU, esta semana, o presidente Michel Temer afirmou que houve concordância absoluta quanto a uma ajuda humanitária para diminuir o sofrimento do povo venezuelano, além da importância de empenhar esforços para restabelecer a democracia naquele país sem o uso de força militar. Na ausência de força bruta e a exemplo do que fez o presidente americano, nosso país deveria impor sanções financeiras, não contra a Venezuela, mas contra seus comandantes determinando o congelamento de ativos de autoridades venezuelanas em território brasileiro. Se por um lado o uso de armas foi condenado para acabar com a tirania genocida de Nicolás Maduro, por outro o estrangulamento financeiro dificultaria a realização do sonho do ditador e de seu bando de se perpetuarem no poder.

Paulo R. Kherlakian paulokherlakian@uol.com.br

São Paulo

*

A QUESTÃO ISRAELO-PALESTINA

Muito pontual o discurso de Benjamin Netanyahu, primeiro-ministro israelense, na Assembleia-Geral da ONU. Enquanto reiterou a importância do perigo de um Irã atômico, liderado por aiatolás fanáticos, Netanyahu não foi repetitivo. Inovou ao relacionar a mudança de Israel, no cenário mundial, atraindo cada vez um interesse maior de diversos países no mundo, em virtude da pluralidade das tecnologias israelenses, que fazem a vida das pessoas melhor, ao redor do mundo. O protagonismo de suas visitas inéditas à Oceania, à América do Sul e ao México comprova que novos ventos sopram. Que toda a propaganda plantada contra Israel, financiada pelas esquerdas perversas, perde força dia após dia. A única democracia plena do Oriente Médio floresce em ofertas para um mundo melhor. Eventualmente, com a aproximação conquistada com o Egito e a Jordânia, outros países árabes abrirão seus olhos para Israel, compreendendo a questão israelo-palestina - até contribuindo para resolvê-la - e findando com o ódio, para que juntos caminhem para um futuro promissor de paz, cooperação e conquistas.

Sérgio Eckermann Passos sepassos@yahoo.com.br

Porto Feliz 

*

SEM ORDEM PARA MATAR

Se pelas regras vigentes um soldado da tropa que faz parte da Operação Segurança e Paz, no Rio de Janeiro, que, numa ação que resulte na eventual troca de tiros, venha a matar um criminoso poderá responder a processo criminal por homicídio doloso, o melhor será que utilize munição de festim.

Sergio S. de Oliveira ssoliveiramsm@gmail.com

Monte Santo de Minas (MG)

*

GUERRA DO TRÁFICO

Como podemos exigir que meros soldados da PM arrisquem sua vida para separar traficantes em guerra num país onde um helicóptero com meia tonelada de cocaína foi liberado sem que qualquer pessoa sofresse um processo criminal?

Celso F. Alvares Leite celso@celsoleite.com.br

Limeira

*

SEGURANÇA PÚBLICA

Em São Paulo, comprar viaturas é a resolução dos problemas da insegurança pública. Os funcionários passam fome. Mediocridade administrativa.

Edmar Augusto Monteiro eamonteiroea@hotmail.com

São Paulo

*

VILAS MILITARES PARA A PM    

Creio que o Estado, além de bem equipar a Polícia Militar, deveria fornecer, ao policial que quisesse, a oportunidade de morar numa Vila Militar. Nela, teria uma vida mais digna. Afinal, o PM bem preparado, integralmente, oferecerá um trabalho de melhor qualidade. Tal vila, longe de ser regalia, é, portanto, um investimento certo em benefício do próprio povo que paga impostos elevados e merece segurança à altura.

Vanderlei de Lima toppaz1@gmail.com

Amparo

*

A POLÍTICA DE DORIA

Graças à Operação Lava Jato e aos meios de comunicação, o eleitor brasileiro está aprendendo a opinar, discutir e fiscalizar as ações dos seus governantes. Na última eleição para prefeito da cidade de São Paulo, confiou o seu voto ao "gestor" João Doria, homem dotado de grandes qualidades administrativas e que ganhou no primeiro turno. Porém, após nove meses, esse eleitor está confuso e sentindo-se culpado, pois o tal "gestor" envolveu-se na política, de olho na eleição para presidente do Brasil em 2018. Recomendo ao prefeito Doria que veja no "Estadão" (19/9, A9) o seu "muy amigo" Henrique Meirelles, que está ganhando espaço no eleitorado e lhe dará uma rasteira política.

José Millei millei.jose@gmail.com

São Paulo 

*

SÃO PAULO, UM QUEIJO SUÍÇO

Sabe o que as administrações de Luiza Erundina, Paulo Maluf, Celso Pitta, Marta Suplicy, José Serra, Gilberto Kassab e Fernando Haddad têm em comum? O fato de que, ao ligar para a prefeitura pedindo o reparo de um buraco na via pública, essas administrações enviavam uma equipe para tapar o buraco. Já na atual gestão, da grande promessa do PSDB, o sr. João Doria, a cidade está como um grande queijo suíço, repleta de buracos, alguns verdadeiras armadilhas para os automóveis, e os administradores públicos não tomam nenhuma providência a não ser indeferir os constantes pedidos de conserto. 

Anselmo C. Fiorini anselmofiorini@gmail.com

São Paulo

*

'A REVOLUÇÃO DO AUTOMÓVEL'

Resolvi enviar uma contribuição a respeito da matéria "A revolução do automóvel", de Celso Ming, publicada no dia 17 de setembro de 2017 (página B2). A matéria relata as tendências da indústria automobilística mundial para o futuro e a necessidade do Brasil de acompanhar essas mudanças. Fiquei muito preocupada com o Brasil não absorver essa evolução, pois acredito que o compartilhamento, a segurança, a tecnologia e a sustentabilidade são importantes para a melhora da qualidade de vida da população em geral. Entre os itens citados na matéria, na minha opinião, a  sustentabilidade e o compartilhamento são os mais importantes, pois têm resultados positivos na redução da poluição e do trânsito caótico nas grandes cidades. Conforme mencionado pelo jornalista Celso Ming, o governo deve estar atento para que a indústria automobilística brasileira não fique defasada. Penso que, para que não haja essa defasagem, o governo deve incentivar a modernização através de pesquisas relacionadas à tecnologia automobilística e também diminuir impostos referentes à transferência de know-how. Caso não seja tomada nenhuma providência, o Brasil ficará ainda mais obsoleto em relação aos outros países. Em 2016, o Brasil ficou em 81.º lugar no ranking das economias mais competitivas do mundo, segundo o Fórum Econômico Mundial, a pior posição nos últimos anos, o que evidencia a necessidade de mudanças.

Luísa Mayrink Alves lmalves@aluno.crb.g12.br

São Paulo

*

MULHERES AGREDIDAS

A visão da articulista Luiza Nagib Eluf no artigo "O que é estupro?" (20/9, A2) é correta, mas incompleta. As transgressões devem, sim, ser adequadamente penalizadas, mas a verdadeira prevenção tem de ser realizada desde a primeira infância. No lar. Na escola, pública ou privada. Trata-se de incutir na criança, desde o início de sua vida, o respeito à dignidade própria e alheia. Atenção, mães e pais: revisem seus próprios conceitos sobre o respeito! Professores e educadores, não importa a matéria que ensinem: o respeito tem de ser parte de sua conduta, não do conteúdo que tenham para transmitir.

Ines Levis ineslevis@hotmail.com

Jundiaí

*

LUIZA ELUF

E dizer que, se for estupro, denominador comum: "Seguro", afinal nem mesmo o crime tolera. Os amarelos do Carandiru, os que não tomavam sol. Sem contar com o possível açoite em plena Avenida Paulista, terça-feira. Numa tarde do bairro. Para pais, assim como eu, pai de meninas, o sangue ferve. Ira! Não importa a maneira do estupro, ela deixará um grande trauma, certamente. Um comportamento estranho, incomum, primitivo em pleno centro comercial de São Paulo, megalópole, século 21. "O melhor caminho é reformar a lei para torná-la mais adequada à realidade atual" (Luiza Nagib Eluf, "Estado", 20/9, A2).

Leandro Ferreira leandroferreoradasolva@gmail.com

Guarulhos

*

REFLEXÃO

Ótima a reflexão da dra. Luiza Nagib Efuf sobre "O que é estupro?". Minha sugestão é que os juristas, advogados e demais pessoas que tenham dúvidas sobre isso sejam submetidos à ejaculação indesejada em seu rosto, pescoço e outras partes de seu corpo, por um desconhecido, em transporte público ou outra situação de seu cotidiano, ou em situação em que esteja vulnerável. Quem sabe daí eles encontrem uma definição.

Maria do Rosario D. O. Latorre mdrddola@usp.br

São Paulo

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.